Nemanja Gudelj

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Pegando no teu post @SMFSC, vejo uma questão que me parece pertinente discutir: o nosso futuro 6 tem que ser um adaptado?

É que, dos que identificas (Battaglia, Doumbia e Palhinha), este último não vai voltar para o ano, além de, na minha opinião não ter qualidade parao Sporting (nem para o Braga, como se tem visto este ano); Battaglia é claramente ou 8 que fomos adaptando a 6 e Doumbia não será o mesmo?
Até agora só apareceu a 6 no jogo em Setúbal que foi, na minha opinião, a sua pior aparição. Vamos ver hoje, se joga a 6 e como se sai.

p.s.: Acho o Bruno Paz mais 6 que 8 e pode ser a solução. Mas não para o ano como 1ª opção.

Peço desculpa mas discordo em tudo. Palhinha pode voltar para o ano desde que o SCP indemnize o Braga, embora eu não o fizesse regressar não só por este último motivo mas também porque temos 2 melhores do que ele: Battaglia e Doumbia. Quanto a Battaglia não é um 8 adaptado a 6, é claramente um 6 até porque não tem caraterísticas ofensivas para 8, Battaglia é um guerreiro, recuperador de bola, com sentido posicional e que protege bem os centrais. Doumbia para mim é um 6 que, esse sim, pode jogar a 8.
Quanto a Paz embora jogue maioritariamente a 6 nos sub-23, para mim encaixa melhor a 8 até por uma questão física.

Não tem que pedir qualquer desculpa. A discordância é saudável !
Pegando no teu post @SMFSC, vejo uma questão que me parece pertinente discutir: o nosso futuro 6 tem que ser um adaptado?

É que, dos que identificas (Battaglia, Doumbia e Palhinha), este último não vai voltar para o ano, além de, na minha opinião não ter qualidade parao Sporting (nem para o Braga, como se tem visto este ano); Battaglia é claramente ou 8 que fomos adaptando a 6 e Doumbia não será o mesmo?
Até agora só apareceu a 6 no jogo em Setúbal que foi, na minha opinião, a sua pior aparição. Vamos ver hoje, se joga a 6 e como se sai.

p.s.: Acho o Bruno Paz mais 6 que 8 e pode ser a solução. Mas não para o ano como 1ª opção.

Peço desculpa mas discordo em tudo. Palhinha pode voltar para o ano desde que o SCP indemnize o Braga, embora eu não o fizesse regressar não só por este último motivo mas também porque temos 2 melhores do que ele: Battaglia e Doumbia. Quanto a Battaglia não é um 8 adaptado a 6, é claramente um 6 até porque não tem caraterísticas ofensivas para 8, Battaglia é um guerreiro, recuperador de bola, com sentido posicional e que protege bem os centrais. Doumbia para mim é um 6 que, esse sim, pode jogar a 8.
Quanto a Paz embora jogue maioritariamente a 6 nos sub-23, para mim encaixa melhor a 8 até por uma questão física.

A primeira posição do Battaglia é médio centro, posteriormente foi adaptado a número seis creio.

Quando estava sobre empréstimo no Chaves(onde terá sido a primeira vez que as suas exibições tiveram maior destaque) via Braga jogava na posição vulgo oito.

Defensivamente empresta músculo e uma ampla cobertura de terreno de jogo, mas no resto é um jogador altamente limitado.

Como oito é para esquecer, só serve em determinados contextos como número seis a meu ver.

É uma pena que se tenha lesionado, pois era um dos jogador claramente para vender.
 O Battaglia para equipas que joguem em blocos baixos, que precisem de músculo e posteriormente quem possa levar a bola para a frente, percorrendo imensos metros, é o ideal. O problema é inseri-lo em equipas que jogam contra blocos baixos, que precisam de jogadores criativos, com qualidade de passe, que sejam rápidos; dá jeito em balancear a equipa para a frente, dado que preenche imensos espaços defensivos, o problema passa quando se lhe exige qualidade no passe e alguma criatividade. É que para contrariar blocos baixos é preciso que haja quem possa variar o centro de jogo rápido. É um jogador mais competente que o Gudelj, sobretudo por ter mais vontade e comprometimento para com a equipa, mas está longe de ser igualmente uma solução. Para o Sporting que quer ser dominador, claro.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
O Gudelj joga de cadeirinha. Se a coisa a 6 é fraca, a 8 é com maior exigência na amplitude de movimentos e deslocação, piora.

Battaglia é um buraco negro na construção. Não dará para vender no verão que se venda em Janeiro. Entretanto, que se pensem em alternativas. Se a coisa é para low cost, Doumbia, Paz e Bragança.
Óbvio.
Bragança, até fruto da utilização recente que tem tido, é cada vez mais um 8. Sobretudo num meio-campo onde há um 10 que define tão bem que merece ter grandes liberdades e responsabilidades ofensivas.

Concordo quanto ao Gudelj e parcialmente quanto ao Battaglia, embora ache as críticas à sua construção um pouco exageradas (embora não seja de todo o seu ponto forte) e ache que compensa noutros aspectos do jogo.
Na próxima época não estará por cá.
Vatangas o Usurpador
#NasciLeãoNãoLampião
Na próxima época não estará por cá.

 Contudo, continuamos a apostar no atleta, em detrimento de outros que com certeza vão estar cá na próxima época.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Na próxima época não estará por cá.

 Contudo, continuamos a apostar no atleta, em detrimento de outros que com certeza vão estar cá na próxima época.

Isto é que não faz sentido nenhum.
SPORTING ATÉ MORRER
Não percebo a vossa perseguição ao Gudelas, ele é sempre o melhor jogador em campo...



A destruir jogadas  :twisted:
Na próxima época não estará por cá.

 Contudo, continuamos a apostar no atleta, em detrimento de outros que com certeza vão estar cá na próxima época.

Mostra bem a personalidade e caráter do Keizer.
Mostra bem a personalidade e caráter do Keizer.

 Ou da Direcção.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Na próxima época não estará por cá.

 Contudo, continuamos a apostar no atleta, em detrimento de outros que com certeza vão estar cá na próxima época.
O contrato tem de estar armadilhado, é a única explicação lógica que encontro para a sua utilização.

Enviado do meu ALE-L21 através do Tapatalk

O melhor argumento que ouvi para a sobreutilização deste jogador é o facto de ser juntamente com Dost o único que fala holandês que será a única língua em que o nosso treinador é verdadeiramente fluente.
De facto o inglês de Keizer parece rudimentar e se ele fala com os jogadores com a mesma fluência com que fala nas conferências de imprensa é natural que a mensagem não passe.
Mas se a mensagem só está a passar para Gudelj e Dost se calhar era melhor que não passasse.
Este tipo é tão mau em campo que nem devia estar no tópico dos jogadores.
O melhor argumento que ouvi para a sobreutilização deste jogador é o facto de ser juntamente com Dost o único que fala holandês que será a única língua em que o nosso treinador é verdadeiramente fluente.
De facto o inglês de Keizer parece rudimentar e se ele fala com os jogadores com a mesma fluência com que fala nas conferências de imprensa é natural que a mensagem não passe.
Mas se a mensagem só está a passar para Gudelj e Dost se calhar era melhor que não passasse.

Falei dessa questão quando este técnico ingressou no clube analisando o seu perfil(ou falta dele).

Quando se olha para as nacionalidades mais marcantes neste plantel pareceu me óbvio que pelo menos ter conhecimento nem que seja de uma língua Espanhola ajudaria (já que a escolha indicia sobre um técnico estrangeiro...).

Pode-se desvalorizar esta questão(e foi o que fizeram quando trouxe o assunto à baila),mas primeiro que tudo um treinador que necessita de ajuda para se expressar perante o plantel já é mau porque no fim não é sua voz que é realmente ouvida(e isso conta), e depois quando existem tradutores pelo meio a mensagem perde-se sempre na sua totalidade(porque nunca é traduzido palavra por palavra).

Sempre achei que isso foi uma das muitas questões do perfil de Keizer que deixava a desejar, e que uma estrutura realmente competente não descuidaria(mas se competência fosse uma realidade nesta estrutura nunca teriam tido a ideia peregrina de o contratar :inde: ).
O melhor argumento que ouvi para a sobreutilização deste jogador é o facto de ser juntamente com Dost o único que fala holandês que será a única língua em que o nosso treinador é verdadeiramente fluente.
De facto o inglês de Keizer parece rudimentar e se ele fala com os jogadores com a mesma fluência com que fala nas conferências de imprensa é natural que a mensagem não passe.
Mas se a mensagem só está a passar para Gudelj e Dost se calhar era melhor que não passasse.

Falei dessa questão quando este técnico ingressou no clube analisando o seu perfil(ou falta dele).

Quando se olha para as nacionalidades mais marcantes neste plantel pareceu me óbvio que pelo menos ter conhecimento nem que seja de uma língua Espanhola ajudaria (já que a escolha indicia sobre um técnico estrangeiro...).

Pode-se desvalorizar esta questão(e foi o que fizeram quando trouxe o assunto à baila),mas primeiro que tudo um treinador que necessita de ajuda para se expressar perante o plantel já é mau porque no fim não é sua voz que é realmente ouvida(e isso conta), e depois quando existem tradutores pelo meio a mensagem perde-se sempre na sua totalidade(porque nunca é traduzido palavra por palavra).

Sempre achei que isso foi uma das muitas questões do perfil de Keizer que deixava a desejar, e que uma estrutura realmente competente não descuidaria(mas se competência fosse uma realidade nesta estrutura nunca teriam tido a ideia peregrina de o contratar :inde: ).

Quando o contrataram nem o viram a jogar sequer, quanto mais a falar...
O melhor argumento que ouvi para a sobreutilização deste jogador é o facto de ser juntamente com Dost o único que fala holandês que será a única língua em que o nosso treinador é verdadeiramente fluente.
De facto o inglês de Keizer parece rudimentar e se ele fala com os jogadores com a mesma fluência com que fala nas conferências de imprensa é natural que a mensagem não passe.
Mas se a mensagem só está a passar para Gudelj e Dost se calhar era melhor que não passasse.

Falei dessa questão quando este técnico ingressou no clube analisando o seu perfil(ou falta dele).

Quando se olha para as nacionalidades mais marcantes neste plantel pareceu me óbvio que pelo menos ter conhecimento nem que seja de uma língua Espanhola ajudaria (já que a escolha indicia sobre um técnico estrangeiro...).

Pode-se desvalorizar esta questão(e foi o que fizeram quando trouxe o assunto à baila),mas primeiro que tudo um treinador que necessita de ajuda para se expressar perante o plantel já é mau porque no fim não é sua voz que é realmente ouvida(e isso conta), e depois quando existem tradutores pelo meio a mensagem perde-se sempre na sua totalidade(porque nunca é traduzido palavra por palavra).

Sempre achei que isso foi uma das muitas questões do perfil de Keizer que deixava a desejar, e que uma estrutura realmente competente não descuidaria(mas se competência fosse uma realidade nesta estrutura nunca teriam tido a ideia peregrina de o contratar :inde: ).

O Mourinho quando chegou ao Chelsea tinha um inglês nativo... o Klopp, o Pochettino e os italianos igual.

Não estou a dizer que é irrelevante, mas não é um factor tão inibidor assim. Por exemplo, o facto de o Keizer não perceber nada da Liga pesa incrivelmente mais.

Perde-se sempre algo na comunicação e perde-se ainda mais quando o treinador anda a apalpar  o terreno, não é nenhum génio no treino e na táctica e os jogadores nem são capazes de interpretar o simples que se pede. Anda um argentino pelo Brasil que nem deve falar grande coisa de português e duvido que não fizesse muito melhor. Até no afastar de alguns jogadores e exigir outra qualidade em reforços. Falem que língua falarem.
“A lot of football success is in the mind. You must believe you are the best and then make sure that you are.” - Bill Shankly
O melhor argumento que ouvi para a sobreutilização deste jogador é o facto de ser juntamente com Dost o único que fala holandês que será a única língua em que o nosso treinador é verdadeiramente fluente.
De facto o inglês de Keizer parece rudimentar e se ele fala com os jogadores com a mesma fluência com que fala nas conferências de imprensa é natural que a mensagem não passe.
Mas se a mensagem só está a passar para Gudelj e Dost se calhar era melhor que não passasse.

Falei dessa questão quando este técnico ingressou no clube analisando o seu perfil(ou falta dele).

Quando se olha para as nacionalidades mais marcantes neste plantel pareceu me óbvio que pelo menos ter conhecimento nem que seja de uma língua Espanhola ajudaria (já que a escolha indicia sobre um técnico estrangeiro...).

Pode-se desvalorizar esta questão(e foi o que fizeram quando trouxe o assunto à baila),mas primeiro que tudo um treinador que necessita de ajuda para se expressar perante o plantel já é mau porque no fim não é sua voz que é realmente ouvida(e isso conta), e depois quando existem tradutores pelo meio a mensagem perde-se sempre na sua totalidade(porque nunca é traduzido palavra por palavra).

Sempre achei que isso foi uma das muitas questões do perfil de Keizer que deixava a desejar, e que uma estrutura realmente competente não descuidaria(mas se competência fosse uma realidade nesta estrutura nunca teriam tido a ideia peregrina de o contratar :inde: ).

O Mourinho quando chegou ao Chelsea tinha um inglês nativo... o Klopp, o Pochettino e os italianos igual.

Não estou a dizer que é irrelevante, mas não é um factor tão inibidor assim. Por exemplo, o facto de o Keizer não perceber nada da Liga pesa incrivelmente mais.

Perde-se sempre algo na comunicação e perde-se ainda mais quando o treinador anda a apalpar  o terreno, não é nenhum génio no treino e na táctica e os jogadores nem são capazes de interpretar o simples que se pede. Anda um argentino pelo Brasil que nem deve falar grande coisa de português e duvido que não fizesse muito melhor. Até no afastar de alguns jogadores e exigir outra qualidade em reforços. Falem que língua falarem.


Curiosamente dois pontos que levantei na altura (língua e falta de conhecimento do campeonato local) que foram altamente desvalorizados aqui no fórum.

Era a sede enorme de ver no Sporting um treinador estrangeiro (e lá o tiveram), depois já vinha a desculpa que nem todos os treinadores estrangeiros serviam(no shit).

O que parece difícil de perceber é que certos treinadores estrangeiros não metem os pés na nossa liga por nada...
Santa paciência ter que levar com este Sérvio!
Buildings burn, people die, but true love is forever!