Trabalhar/Viver no Estrangeiro

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Isso é um engodo amigo  :great:

Tenho vários amigos próximos (enfermeiros, radiologistas) que foram para Londres e realmente ganham bastante bem por comparação com cá (2000 a 3000 libras deverá ser a referência). Mas depois ou moras nas periferias a 60/70km de Londres e todos os dias em transportes publicos (que também não são baratos) fazes 1h/1h30 para cada lado, ou então para viveres mais próximo de Londres vai-se logo 50% do ordenado numa renda. Não sei a tua situação, mas a maior parte dos meus colegas imigrou porque não tinha trabalho cá, porque se tivessem cá 80% deles regressava na hora. Porque para juntar mais 100 ou 200€ ao final do mês (e para isso é preciso levar uma vida de cão, sem saidas nem grandes lazeres) preferem estar cá.

Já em França, tenho uma prima em Toulouse a trabalhar num hospital que fica nos arredores e já compensa bastante mais. Preço das casas semelhante a Portugal com a vantagem de melhores ordenados. A ideia com que fico é que compensa ir para esses paises, mas não para os centros urbanos mais conhecidos ou vais sofrer com o mesmo problema dos Lisboetas.

Por experiências de pessoas muito chegadas e de ter vivido no UK, recomendo fortemente que Londres nao seja o destino final de qualquer emigrante.

A relação rendimentos vs qualidade de vida e' uma das mais baixas em termos de capitais europeias.

Reino Unido,

Arrangem trabalho na funçao publica. Ha centenas de district councils (genero camaras) ou county council (administraçao regional). Ha trabalho em todas as areas e todas as aptidoes.

So é preciso dominar o ingles.

E fiquem longe das grandes cidades.

Eu a ganhar 27000 brutos por ano e a sacrificar parte do salario para a pre-escola (um esquema q permite pagar menos impostos) consigo poupar 500 a 600 libras por mes.

Nao vao pras grandes cidades onde é tudo mais caro.

Estou ca ha 10 anos, e NAO volto pra pt antes da reforma.

Obrigado a todos por estarem a partilhar as vossas experiências e opiniões acerca deste assunto. Então para uma pessoa que vai viver para outro país, o melhor é não escolher uma capital/uma cidade "popular" porque o custo de vida é muito superior e etc.

Uma duvida minha, para quem vai para os EUA, Australia, UK (no futuro, com o Brexit penso eu), como é que vao funcionar os vistos?

Entrando no r.u. antes do brexit tas porreiro.
Tópico muito interessante, vou tentar contar um pouco da minha experiência.

Já vivi e trabalhei em Espanha(Madrid) e Inglaterra(Great Yarmouth).

Estava desempregado e decidi arriscar ir para Madrid, arranjei trabalho com facilidade e com um salário bem acima da média.
Primeira dificuldade foi em arranjar casa, rendas altíssimas e pediam sempre os últimos 3 recibos de vencimento em solo espanhol e eu tinha acabado de chegar.
Lá tive de ir partilhar casa, nos primeiros tempos vivi com um casal de brasileiros.
Conheci muita gente, tinha uma ideia completamente errada dos espanhois.
As coisas(hipers e lojas) não eram assim tão mais caras que em Portugal, aliás conseguia comprar material informático bem mais barato.
Muita cultura, muitos concertos, muita festa, para quem é metaleiro (vi Kreator e Tankard mesmo ao pé de minha casa e à borla).
Se gostam de cinema, em Espanha não vale a pena, assim como ver e ouvir por exemplo os Simpsons e Family Guy em espanhol, na!
Para quem gosta da noite, o que não faltam são bares para todos os gostos, mas preços altos.

Tive uma passagem muito curta pela Holanda(Breda e Utrech), têm de ter em conta que a língua conta muito para eles, é praticamente imprescindível falar holandês e no mínimo inglês, as cidades onde tive sempre muito pacatas, muita educação e curiosidade por parte dos locais em querer saber mais sobre nós, salários bem acima dos nossos, mas claro o estilo de vida também mais caro.
Vantagem de ter muitas regalias como por exemplo na educação, médico...tudo isso muito mais à frente que neste nosso pequeno país.

Em Inglaterra, bem.. sempre foi um sonho,  a empresa tratou de tudo, segurança social e etc.... Estou longe da capital, mas com praia mesmo à frente de casa.
Chamo-lhe a pequena Las Vegas, Great Yarmouth está cheia de casinos e salas de jogos, muito pacata, pessoas muito sensatas, extrovertidos e sabem bem receber.
No Verão é a loucura e no inverno um deserto.
As rendas das casas bem mais em conta que na capital inglesa. É possível comprar em algumas lojas/hipers produtos a 99p (coisas de marca), depois do trabalho vou sempre ao hiper que fica mesmo ao lado do cemitério e compro o meu tão adorado Jack Daniels com cola.
Muitos bares e cafés portugueses onde se pode saborear uma super bock/sagres, comida caseira portuguesa e tabaco, tudo ao preço de Portugal.

Saudações Leoninas
« Última modificação: Junho 20, 2018, 13:57 pm por Jpcarc »
"If you want a picture of the future, imagine a boot stamping on a human face—forever."
George Orwell, 1984
Fui visitar familiares à Suíça há uns 4 meses atrás e fiquei com uma sensação estranha.

Os familiares que fui visitar são emigrantes há muitos anos. No geral as condições em que vivem são péssimas. Na verdade, são pessoas que sobrevivem. Levantam-se antes do sol nascer, trabalham (alguns em 2 ou 3 empregos diferentes), regressam a casa todos rotos, deitam-se e repetem a rotina. Fiquei a conhecer mais da Suíça nos 7 dias que estive lá do que eles. A maior parte deles tem uma compreensão da língua muito rudimentar (que é algo que tenho muitas dificuldades em compreender).

Vivi em alguns contactos uma situação incrível. Chegar a uma loja ou a um restaurante o funcionário olhar para mim e achar que sou emigrante! Enquanto achou que era emigrante tratou-me abaixo de cão, fingia não entender o que eu dizia, etc.. Depois de perceber que estava ali de férias, passou a tratar-me extremamente bem! O pior veio a seguir: quando descobriram o que fazia em Portugal, só faltou beijar-me os pés. Povo estranho aquele!

Por outro lado, confesso que viveria ali sem grande dificuldade. Senti-me muito melhor na companhia dos suíços do que na companhia dos portugueses emigrantes.

Fui visitar familiares à Suíça há uns 4 meses atrás e fiquei com uma sensação estranha.

Os familiares que fui visitar são emigrantes há muitos anos. No geral as condições em que vivem são péssimas. Na verdade, são pessoas que sobrevivem. Levantam-se antes do sol nascer, trabalham (alguns em 2 ou 3 empregos diferentes), regressam a casa todos rotos, deitam-se e repetem a rotina. Fiquei a conhecer mais da Suíça nos 7 dias que estive lá do que eles. A maior parte deles tem uma compreensão da língua muito rudimentar (que é algo que tenho muitas dificuldades em compreender).

Vivi em alguns contactos uma situação incrível. Chegar a uma loja ou a um restaurante o funcionário olhar para mim e achar que sou emigrante! Enquanto achou que era emigrante tratou-me abaixo de cão, fingia não entender o que eu dizia, etc.. Depois de perceber que estava ali de férias, passou a tratar-me extremamente bem! O pior veio a seguir: quando descobriram o que fazia em Portugal, só faltou beijar-me os pés. Povo estranho aquele!

Por outro lado, confesso que viveria ali sem grande dificuldade. Senti-me muito melhor na companhia dos suíços do que na companhia dos portugueses emigrantes.



Tenho um amigo que está na Suiça e odeia. São em norma xerófobos no que toca a emigrantes. Não gostam de receber, reprimem e julgam tudo o que lá vá parar. No entanto profissionalmente está numa situação excelente, portanto até agora tem-se sujeitado.

Não é sítio para mim, certamente. As pessoas focam-se exclusivamente em trabalhar, pelo que tenho ouvido.
Fui visitar familiares à Suíça há uns 4 meses atrás e fiquei com uma sensação estranha.

Os familiares que fui visitar são emigrantes há muitos anos. No geral as condições em que vivem são péssimas. Na verdade, são pessoas que sobrevivem. Levantam-se antes do sol nascer, trabalham (alguns em 2 ou 3 empregos diferentes), regressam a casa todos rotos, deitam-se e repetem a rotina. Fiquei a conhecer mais da Suíça nos 7 dias que estive lá do que eles. A maior parte deles tem uma compreensão da língua muito rudimentar (que é algo que tenho muitas dificuldades em compreender).

Vivi em alguns contactos uma situação incrível. Chegar a uma loja ou a um restaurante o funcionário olhar para mim e achar que sou emigrante! Enquanto achou que era emigrante tratou-me abaixo de cão, fingia não entender o que eu dizia, etc.. Depois de perceber que estava ali de férias, passou a tratar-me extremamente bem! O pior veio a seguir: quando descobriram o que fazia em Portugal, só faltou beijar-me os pés. Povo estranho aquele!

Por outro lado, confesso que viveria ali sem grande dificuldade. Senti-me muito melhor na companhia dos suíços do que na companhia dos portugueses emigrantes.
Apesar de ser um esteriótipo, essa é a realidade de uma maioria dos emigrantes (portugueses e não só) aqui na Suiça.

Fazer "vida de emigrante" aqui é mesmo assim. Depois vão um mês para Portugal (no 15 de Julho) nos seus BMW/Audi/Porsche, quase todos pagos a pronto e ficam nas suas casas que são 10 vezes maiores que as que têm aqui.

Atenção que aqui a habitação é um sério problema, e por vezes não é só uma questão de dinheiro que impede viver um pouco melhor.

Mas sim, conheço muitos que poupam 1.000 francos de renda (porque acham 3 ou 4 mil muito caro), mas depois gastam 50 mil num carro sem problemas.


Já agora, existe um tópico no camarote acerca deste assunto:
https://www.forumscp.com/index.php?topic=2951.640

Não sei se não seria uma boa ideia juntar os dois (e ficar no camarote). @Nightwish76 ?
there's someone in my head but it's not me.
Isso é um engodo amigo  :great:

Tenho vários amigos próximos (enfermeiros, radiologistas) que foram para Londres e realmente ganham bastante bem por comparação com cá (2000 a 3000 libras deverá ser a referência). Mas depois ou moras nas periferias a 60/70km de Londres e todos os dias em transportes publicos (que também não são baratos) fazes 1h/1h30 para cada lado, ou então para viveres mais próximo de Londres vai-se logo 50% do ordenado numa renda. Não sei a tua situação, mas a maior parte dos meus colegas imigrou porque não tinha trabalho cá, porque se tivessem cá 80% deles regressava na hora. Porque para juntar mais 100 ou 200€ ao final do mês (e para isso é preciso levar uma vida de cão, sem saidas nem grandes lazeres) preferem estar cá.

Já em França, tenho uma prima em Toulouse a trabalhar num hospital que fica nos arredores e já compensa bastante mais. Preço das casas semelhante a Portugal com a vantagem de melhores ordenados. A ideia com que fico é que compensa ir para esses paises, mas não para os centros urbanos mais conhecidos ou vais sofrer com o mesmo problema dos Lisboetas.

Por experiências de pessoas muito chegadas e de ter vivido no UK, recomendo fortemente que Londres nao seja o destino final de qualquer emigrante.

A relação rendimentos vs qualidade de vida e' uma das mais baixas em termos de capitais europeias.

Londres esqueçam, só quem tiver muito amor à cidade.

Eu tenho um colega cirurgião de transplante (não é uma especialidade qualquer) e ele mora num pequeno apartamento que divide com um amigo para o conseguir pagar. Porque senão teria dificuldades! A sério, é ridículo.
[...]

Tenho um amigo que está na Suiça e odeia. São em norma xerófobos no que toca a emigrantes. Não gostam de receber, reprimem e julgam tudo o que lá vá parar. No entanto profissionalmente está numa situação excelente, portanto até agora tem-se sujeitado.

Não é sítio para mim, certamente. As pessoas focam-se exclusivamente em trabalhar, pelo que tenho ouvido.
Penso que a realidade não é bem essa.

A maioria dos habitantes da Suiça (uma grande parte não são Suiços) não tem grandes problemas com os emigrantes.
Existem claro alguns mais conversadores que gostariam de ver um melhor controlo de fronteiras.

Tal como reportado pelo @CaptainCharisma  existe sim, algum preconceito em relação aos emigrantes portugueses (e outros em relação aos eslavos) e por vezes somos "menos bem" tratados; mas felizmente está a mudar um pouco.

Não concordo com a ultima frase. É verdade que muita gente, principalmente quem está temporariamente (alguns por 30 anos), se foca apenas em trabalhar; mas é um país que permite muito mais que isso. Principalmente permite-te viajar (dentro e fora) com muita mais facilidade, dada a diferença do poder de compra.
there's someone in my head but it's not me.
[...]

Tenho um amigo que está na Suiça e odeia. São em norma xerófobos no que toca a emigrantes. Não gostam de receber, reprimem e julgam tudo o que lá vá parar. No entanto profissionalmente está numa situação excelente, portanto até agora tem-se sujeitado.

Não é sítio para mim, certamente. As pessoas focam-se exclusivamente em trabalhar, pelo que tenho ouvido.
Penso que a realidade não é bem essa.

A maioria dos habitantes da Suiça (uma grande parte não são Suiços) não tem grandes problemas com os emigrantes.
Existem claro alguns mais conversadores que gostariam de ver um melhor controlo de fronteiras.

Tal como reportado pelo @CaptainCharisma  existe sim, algum preconceito em relação aos emigrantes portugueses (e outros em relação aos eslavos) e por vezes somos "menos bem" tratados; mas felizmente está a mudar um pouco.

Não concordo com a ultima frase. É verdade que muita gente, principalmente quem está temporariamente (alguns por 30 anos), se foca apenas em trabalhar; mas é um país que permite muito mais que isso. Principalmente permite-te viajar (dentro e fora) com muita mais facilidade, dada a diferença do poder de compra.

Não era a noção que tinha. O meu amigo é ortopedista e ao fim de 2 anos é quase olhado de lado pelos próprios colegas de trabalho. Nunca se sentiu integrado e nunca sentiu um 'calor' mínimo que fosse de algum colega de trabalho.

Em relação a viajar, a ideia que tenho é que o típico tuga apenas vem a Portugal em Agosto com o seu carro de luxo e pouco mais...
Fui visitar familiares à Suíça há uns 4 meses atrás e fiquei com uma sensação estranha.

Os familiares que fui visitar são emigrantes há muitos anos. No geral as condições em que vivem são péssimas. Na verdade, são pessoas que sobrevivem. Levantam-se antes do sol nascer, trabalham (alguns em 2 ou 3 empregos diferentes), regressam a casa todos rotos, deitam-se e repetem a rotina. Fiquei a conhecer mais da Suíça nos 7 dias que estive lá do que eles. A maior parte deles tem uma compreensão da língua muito rudimentar (que é algo que tenho muitas dificuldades em compreender).

Vivi em alguns contactos uma situação incrível. Chegar a uma loja ou a um restaurante o funcionário olhar para mim e achar que sou emigrante! Enquanto achou que era emigrante tratou-me abaixo de cão, fingia não entender o que eu dizia, etc.. Depois de perceber que estava ali de férias, passou a tratar-me extremamente bem! O pior veio a seguir: quando descobriram o que fazia em Portugal, só faltou beijar-me os pés. Povo estranho aquele!

Por outro lado, confesso que viveria ali sem grande dificuldade. Senti-me muito melhor na companhia dos suíços do que na companhia dos portugueses emigrantes.
Apesar de ser um esteriótipo, essa é a realidade de uma maioria dos emigrantes (portugueses e não só) aqui na Suiça.

Fazer "vida de emigrante" aqui é mesmo assim. Depois vão um mês para Portugal (no 15 de Julho) nos seus BMW/Audi/Porsche, quase todos pagos a pronto e ficam nas suas casas que são 10 vezes maiores que as que têm aqui.

Atenção que aqui a habitação é um sério problema, e por vezes não é só uma questão de dinheiro que impede viver um pouco melhor.

Mas sim, conheço muitos que poupam 1.000 francos de renda (porque acham 3 ou 4 mil muito caro), mas depois gastam 50 mil num carro sem problemas.


Já agora, existe um tópico no camarote acerca deste assunto:
https://www.forumscp.com/index.php?topic=2951.640

Não sei se não seria uma boa ideia juntar os dois (e ficar no camarote). @Nightwish76 ?
Assim deixavam-me sem ver as respostas  :lol: não tenho acesso ao camarote
[...]

[...]
[...]

Não era a noção que tinha. O meu amigo é ortopedista e ao fim de 2 anos é quase olhado de lado pelos próprios colegas de trabalho. Nunca se sentiu integrado e nunca sentiu um 'calor' mínimo que fosse de algum colega de trabalho.

Em relação a viajar, a ideia que tenho é que o típico tuga apenas vem a Portugal em Agosto com o seu carro de luxo e pouco mais...
Isso de "Nunca se sentiu integrado e nunca sentiu um 'calor' mínimo que fosse de algum colega de trabalho" é com toda a gente, seja emigrante ou suiço. o ambiente de trabalho na maioria das empresas/serviço é bastante frio

O facto de ele ser médico tem que lutar ainda mais contra o estereotipo do português emigrante aqui...

Quer por parte dos residentes suiços, quer por parte (da maioria) dos portugueses emigrantes aqui, ainda "faz confusão" os médicos portugueses trabalharem cá.

Em relação a viagens o que eu disse é que trabalhar aqui permite viajar muito mais, mas claro o "típico tuga" passa os seus 20/25 dias de férias na terrinha (e/ou no Algarve).

Eu no ano passado fui 4 ou 5 vezes a Portugal, mas também estive na Grécia, Chipre, Dubai, Itália, Alemanha e nem conto França (que fica a 2 passos). isto sem dar cabo do orçamento.

mas em contrapartida conduzo um Toyota Auris hybrid.
there's someone in my head but it's not me.
Só para me informar mais um pouco, que tipo de emprego é que costumam ter mais procura e pagam melhor? Por exemplo eletricista e assim, costumam ter saída para o estrangeiro?
[...]

[...]
[...]

Não era a noção que tinha. O meu amigo é ortopedista e ao fim de 2 anos é quase olhado de lado pelos próprios colegas de trabalho. Nunca se sentiu integrado e nunca sentiu um 'calor' mínimo que fosse de algum colega de trabalho.

Em relação a viajar, a ideia que tenho é que o típico tuga apenas vem a Portugal em Agosto com o seu carro de luxo e pouco mais...
Isso de "Nunca se sentiu integrado e nunca sentiu um 'calor' mínimo que fosse de algum colega de trabalho" é com toda a gente, seja emigrante ou suiço. o ambiente de trabalho na maioria das empresas/serviço é bastante frio

O facto de ele ser médico tem que lutar ainda mais contra o estereotipo do português emigrante aqui...

Quer por parte dos residentes suiços, quer por parte (da maioria) dos portugueses emigrantes aqui, ainda "faz confusão" os médicos portugueses trabalharem cá.

Em relação a viagens o que eu disse é que trabalhar aqui permite viajar muito mais, mas claro o "típico tuga" passa os seus 20/25 dias de férias na terrinha (e/ou no Algarve).

Eu no ano passado fui 4 ou 5 vezes a Portugal, mas também estive na Grécia, Chipre, Dubai, Itália, Alemanha e nem conto França (que fica a 2 passos). isto sem dar cabo do orçamento.

mas em contrapartida conduzo um Toyota Auris hybrid.

eu acho que isso também tem a ver com as gerações. provavelmente o pessoal da tua\minha geração já pensa assim, também porque há um maior número de pessoas com cursos superiores cujas oportunidades são melhores e mais bem remuneradas nesses países.

a emigração da geração dos nossos pais/avós foi diferente
Só para me informar mais um pouco, que tipo de emprego é que costumam ter mais procura e pagam melhor? Por exemplo eletricista e assim, costumam ter saída para o estrangeiro?

se fores um bom soldador tens a vida ganha...
A minha experiência fora de Portugal resume-se a um ano a trabalhar no Dubai e três em Angola, não felizmente por necessidade económica, mas porque achava eu, que me fazia falta uma experiência profissional fora de Portugal.

No Dubai foi um ano quase sem folgas, não aproveitei sequer o que o país tem para oferecer, já Angola foi um desafio constante, aprendi que o tempo e os prazos são conceitos que não se deve tomar como garantidos, que a paciência é uma das grandes virtudes que podemos ter, mas ao mesmo tempo foi uma estadia muito enriquecedora, de um país fantástico, com uma série de problemas estruturais que espero que sejam ultrapassados, onde conheci gente fantástica e onde os únicos problemas profissionais que tive foi com Portugueses.

Acima de tudo esses quatro anos serviram para provar a mim mesmo que não tenho espírito de emigrante e que as rotinas de que eu tanto me queixava aqui em Portugal, fizeram-me um falta tremenda durante a minha vida de emigrante.

Aprendi a admirar quem sai do seu país para lutar por uma vida melhor e que muitas vezes aqueles chavões que ouvimos, como por exemplo que se sente mais o país quando estamos fora dele, fazem agora todo o sentido.   

Aprendi a admirar quem sai do seu país para lutar por uma vida melhor e que muitas vezes aqueles chavões que ouvimos, como por exemplo que se sente mais o país quando estamos fora dele, fazem agora todo o sentido.   

Mesmo apos tudo o que se passou e com o pessoal aqui a dizer que nao consegue sentir a selecao, deitei-me a meia noite e meia e levantei-me as 5.45 para ver Portugal contra Marrocos, quando O CR7 marcou gritei tanto que teria acordado a minha mulher nao tivesse ela ja a espera e a dormir com tampoes nos ouvidos.
Quando o Franguicio fez aquela defesa monumental, ate me vieram as lagrimas aos olhos...
Quando acabou, tomei banho, vesti-me e vim trabalhar com um grande sorriso nos labios...
Sente-se muito fora dai, passa-se muito ao emigrar, mesmo aqui que e um pais de puros emigrantes a descriminacao sente-se em varias pessoas, as x qdo menos esperamos e vindo de sitios inusitados...
"Recordo o que disse numa AG no mandato anterior. Estou disposto a dar o meu tempo, vida e alma ao Sporting, mas têm de estar comigo. Nos últimos dois anos tive duas hipóteses: ou me juntava aos interesses ou a vocês. Escolhi juntar-me a vocês."
Bruno de Carvalho, 17 de Fevereiro de 2018
Alguém que tenha emigrado para fins de Betting/Gambling?

Para que está menos familiarizado com a temática pode parecer uma questão fora do contexto do tópico.

Se preferirem enviem PM.

SL
I hated every minute of training, but I said, 'Don't quit. Suffer now and live the rest of your life as a champion.'
Alguém que tenha emigrado para fins de Betting/Gambling?
Seria algo que eu gostaria muito de emigrar :D.. neste momento estou em Angola, mas com vontade de emigrar para Las Vegas
Alguém que tenha emigrado para fins de Betting/Gambling?
Seria algo que eu gostaria muito de emigrar :D.. neste momento estou em Angola, mas com vontade de emigrar para Las Vegas

Conheço um apostador profissional em Keswick. Engenheiro de formaçao, deixou a engenharia ha muitos anos pra se dedicar as apostas. Falo muito com ele, se o que diz é verdade ou nao, nao sei, mas diz que ganha a volta de 30 mil libras por ano.
Alguém que tenha emigrado para fins de Betting/Gambling?
Seria algo que eu gostaria muito de emigrar :D.. neste momento estou em Angola, mas com vontade de emigrar para Las Vegas

Conheço um apostador profissional em Keswick. Engenheiro de formaçao, deixou a engenharia ha muitos anos pra se dedicar as apostas. Falo muito com ele, se o que diz é verdade ou nao, nao sei, mas diz que ganha a volta de 30 mil libras por ano.

@Cisito Tem nacionalidade Inglesa? Existiria alguma hipótese de entrar em contacto com ele?
I hated every minute of training, but I said, 'Don't quit. Suffer now and live the rest of your life as a champion.'