Grupo de Vândalos invade Academia e agride Jogadores

0 Membros e 2 Visitantes estão a ver este tópico.

.
.
Se isto fosse um país sério, esse cavalheiro de nome Rui Pereira, há muitos anos que já estava a responder perante um tribunal pelo crime de tráfico de influências.
Mas como isto é um circo, continua com carta branca.
"If you can survive disappointment, nothing can beat you."

(...) But my dreams have been stolen away.
Se isto fosse um país sério, esse cavalheiro de nome Rui Pereira, há muitos anos que já estava a responder perante um tribunal pelo crime de tráfico de influências.
Mas como isto é um circo, continua com carta branca.
Eu propunha outra coisa.
Maçonaria what else... o que não invalida que os grunhos que foram à Academia lixaram o clube.
Deparei-me ontem com este video, nem me lembrava desta situação.
Da saga nunca se viu isto em lado nenhum.

Incredulidade e estupefação geral (excepto entre lampiões, G71 e fedricas)
Citar
Causou alguma incredulidade, senão mesmo estupefação, nos meios judiciais, académicos e entre especialistas que investigam e estudam o terrorismo, quando este crime foi apontado aos acusados pela invasão da Academia Sporting, em maio de 2018 - logo na noite da detenção, garantindo que ficavam em prisão preventiva, quando na realidade estavam prestes a ser libertados pela GNR.

O que não se sabia era de onde tinha partido a ideia - contrariada por vários especialistas. Ora, de acordo com o criminalista e fundador do PS, Magalhães e Silva, membro do Conselho Superior do Ministério Público, a tese tem um autor: Rui Pereira, ex-ministro da Administração Interna de José Sócrates.

A teoria de Rui Pereira, lampiurso e paineleiro da CMTV
Citar
O jurista assinala que "nada surpreende" que tal tenha sucedido e atira a segunda "coincidência": um texto de Rui Pereira, publicado em 2004 na revista do MP, no qual escreveu "um agrupamento de duas pessoas que se proponham esbofetear agentes de polícia para os intimidar constitui uma organização terrorista".

O advogado sustenta que "é aqui que, textualmente, vai beber o despacho de acusação (conhecido em novembro passado), incluindo a delirante referência ao "(...) agrupamento de adeptos de uma associação desportiva que se proponham esbofetear atletas para os intimidar", em servil paráfrase da associação de duas pessoas para esbofetear polícias da versão Rui Pereira". Assinala ainda que a mesma "doutrina" que defendeu na televisão foi depois reiterada a 17 de novembro, num artigo intitulado "Crimes de Alcochete".

Insólito: Terrorismo sem investigação da Polícia Judiciária
Citar
Nunes, doutorado em Terrorismo pela Universidade Nova, resume a invasão da academia a um "ato de vandalismo e agressões realizadas por um grupo de pessoas que se juntaram em associação criminosa - ilícitos do foro comum". O que "é muito estranho" para o dirigente do OSCOT é que "tendo o MP diagnosticado este crime não tenha pedido apoio à única polícia com altíssima especialização nesta matéria e que tem competência exclusiva para investigar este crime: a Polícia Judiciária".

Alcochete nas estatísticas de terrorismo: a gargalhada na Europol  :lol:
Citar
"Terrorismo há zero", concorda José Manuel Anes, perito em segurança e criminalidade. "Em lugar nenhum do mundo este caso seria considerado terrorismo. Será uma gargalhada na Europol se ficar registado como tal nas estatísticas internacionais", salienta.
José Manuel Anes desconhece "outro país do mundo" onde alguma vez se tenham "confundido hooligans com terroristas" e avisa: "Não banalizemos o terrorismo!", apela.

O que o MP não demonstra, mas Rui Pereira produz, CMTV amplifica para consumo de G71 e fedricas
Citar
O analista de risco político Diogo Noivo também contraria Rui Pereira, declarando ter "sérias dúvidas que o ocorrido em Alcochete seja terrorismo". Tem quatro argumentos, que, no seu entender, estão por demonstrar nos acontecimentos de Alcochete:

1 - O terrorismo é, por definição, político. A violência, ou a ameaça do seu uso, destina-se a inocular o medo para, dessa forma, condicionar comportamentos sociais e políticos. Estará por demonstrar que a violência em Alcochete esteve ao serviço de um projeto de poder.

2 - Mais importante para o caso em apreço, os alvos diretos do terrorismo nunca são os seus reais destinatários. As vítimas são um símbolo, uma representação daquilo que a organização terrorista entende ser o inimigo (i.e. um agente da polícia enquanto representante da autoridade do Estado, ou um cidadão europeu enquanto símbolo de uma sociedade alegadamente hedonista e "infiel"). Isto dificilmente se verificou em Alcochete, uma vez que os reais destinatários terão sido os jogadores.

3 - Uma das características que distinguem o terrorismo de outras formas de criminalidade organizada é o facto de este precisar de publicidade. Uma organização dedicada ao tráfico de armas não deseja atenção sobre a sua atividade, mas, pelo contrário, o terrorismo precisa de ampla divulgação da sua ação - sob pena de não disseminar o medo, que é o principal objetivo imediato de qualquer terrorismo. Está por demonstrar que os indivíduos envolvidos nas agressões em Alcochete desejassem a ampla divulgação do crime que cometeram.

4 - Por fim, o objetivo último das organizações terroristas não estatais é o Estado e as suas instituições, bem como a sociedade - ou pelo menos uma parte dela. Daí o terrorismo ser tão grave e insidioso. Também este critério dificilmente se verifica no caso de Alcochete.
https://www.dn.pt/edicao-do-dia/12-jan-2019/interior/ex-ministro-rui-pereira-inspirou-acusacao-de-terrorismo-na-invasao-da-academia-sporting-10428767.html
"Quem, ali do outro lado, tinha definido o ataque ao Benfica como principal instrumento da sua promoção individual, foi corrido pelos que achava serem seus. Espero que este gesto seja o princípio de uma regularização da vivência institucional que deve caracterizar os maiores clubes nacionais" (Luís Filipe Vieira, presidente de SAD acusada de vários crimes no E-Toupeira, explica, a 28-09-2018, o papel de Marta Soares, Henrique Monteiro, Torres Pereira, Sousa Cintra e G71).


Terrorismo? Quantos detidos?



Terrorismo? Parece-me que esse assassino já está em liberdade.



Terrorismo? Pois não interessa a ninguém, o gajo também já vai em liberdade com defesa paga pelo benfica. Já agora, porque é que LFV não é preso por autoria moral deste crime? Afinal de contas incentivou ao ódio ao rejeitar o convite para a tribuna e ao perguntar o que fazia o adepto sportinguista lá aquela hora.



Terrorismo? Quantos detidos?



Terrorismo? Quantos detidos?



Será que os jogadores de futebol têm estatuto especial? Ou será que há lampiões que fizeram o mesmo ou pior e nada lhes aconteceu? O porto pode ter corrompido, pode ter feito um monte de m**** com o PdC como cara disso tudo, mas nunca vi o PdC a gozar com a morte de um adepto rival. O LFV é do pior tipo de escumalha que anda por este país.

Ricciardi para presidente, vender a SAD para os burros dos sportinguistas pararem de vez de fazerem escolhas lesivas para o clube.
Citar
MATHIEU RECORDA ALCOCHETE: «NÃO SE PODE METER TUDO EM CAUSA POR 50 PESSOAS»
SPORTING 15-01-2019 21:56
Por
Redação
Ainda na entrevista ao Foot Mercato, Mathieu não deixou de recordar o triste episódio do ataque à Academia de Alcochete, em maio passado.

 

«Esse acontecimento arruinou o final da temporada porque não treinámos durante uma semana. Estávamos todos assustados, foi um momento difícil de ultrapassar. Agora as coisas estão melhores, mais calmas... A relação com os adeptos está melhor e não podemos meter tudo em causa por causa de 40 ou 50 pessoas.»

A Bola