Ex-jogadores do Sporting

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

O Jefferson foi ao balneário  :great:


Esforço, Dedicação, Devoção e Golo
O Nuno Reis foi para o Setubal
''You have forgotten who you are and so have forgotten me. Look inside yourself, Simba. You are more than what you have become. You must take your place in the Circle of Life.'' Mufasa, Lion King, 1994

''These are dark times, there is no denying. Our world has perhaps faced no greater threat than it does today. But I say this to our citizenry: We, ever your servants, will continue to defend your liberty and repel the forces that seek to take it from you!'' Rufus Scrimgeour, Minister for Magic
Citar
Bueno quer voltar a jogar: «Aborrece-me não ter nada para fazer»
«Passo os meus dias a tomar mate», confessa o argentino.

Carlos Bueno, antigo jogador do Sporting, pendurou as chuteiras em maio do ano passado. Oito meses após o término da carreira, o avançado argentino admite regressar aos relvados.

«Tenho saudades do futebol. Não sei se tomei uma decisão precipitada, mas sinto-me com capacidade para jogar. A probabilidade de voltar a jogar é grande. Vários clubes ligaram-me, mas disse-lhes que já estava há muito tempo à espera de umas férias em família e que não as ia trocar por nada. No final do mês regressarei à Argentina e decidirei o meu futuro», referiu ao jornal uruguaio Ovación.

Longe da «cancha», Bueno sente que envelhece mais rápido: «Aborrece-me não ter nada para fazer. Sinto que envelheço mais rápido e não é o que quero. O tempo passa e há que enfrentá-lo, mas não me sinto tão velho para viver da forma que estou a viver. Passo os meus dias a tomar mates. É verdade que desfruto muito com as crianças e com a família, mas falta-me algo.»

Por último, o antigo jogador do Sporting explicou os motivos que o levaram a deixar o futebol.

«Não estou para andar a disputar um lugar com miúdos, essa foi uma das razões pelas quais não quis continuar. As gerações mudaram muito. As famílias, as redes sociais, os telemóveis… é complicado. Hoje se o treinador não te coloca a jogar, publicas nas redes sociais. Hoje tudo se sabe. Perdeu-se o respeito pelas pessoas, sobretudo pelos mais experientes. Para mim foi complicado e deixei os relvados», finalizou.

Bueno, recorde-se, apontou sete golos em 18 jogos com a camisola do Sporting, na época 2006/07.

Mais Futebol
Citar
Bueno quer voltar a jogar: «Aborrece-me não ter nada para fazer»
«Passo os meus dias a tomar mate», confessa o argentino.

Carlos Bueno, antigo jogador do Sporting, pendurou as chuteiras em maio do ano passado. Oito meses após o término da carreira, o avançado argentino admite regressar aos relvados.

«Tenho saudades do futebol. Não sei se tomei uma decisão precipitada, mas sinto-me com capacidade para jogar. A probabilidade de voltar a jogar é grande. Vários clubes ligaram-me, mas disse-lhes que já estava há muito tempo à espera de umas férias em família e que não as ia trocar por nada. No final do mês regressarei à Argentina e decidirei o meu futuro», referiu ao jornal uruguaio Ovación.

Longe da «cancha», Bueno sente que envelhece mais rápido: «Aborrece-me não ter nada para fazer. Sinto que envelheço mais rápido e não é o que quero. O tempo passa e há que enfrentá-lo, mas não me sinto tão velho para viver da forma que estou a viver. Passo os meus dias a tomar mates. É verdade que desfruto muito com as crianças e com a família, mas falta-me algo.»

Por último, o antigo jogador do Sporting explicou os motivos que o levaram a deixar o futebol.

«Não estou para andar a disputar um lugar com miúdos, essa foi uma das razões pelas quais não quis continuar. As gerações mudaram muito. As famílias, as redes sociais, os telemóveis… é complicado. Hoje se o treinador não te coloca a jogar, publicas nas redes sociais. Hoje tudo se sabe. Perdeu-se o respeito pelas pessoas, sobretudo pelos mais experientes. Para mim foi complicado e deixei os relvados», finalizou.

Bueno, recorde-se, apontou sete golos em 18 jogos com a camisola do Sporting, na época 2006/07.

Mais Futebol

O avançado uruguaio...
A continuidade e a sua credibilidade trouxeram-nos a esta triste realidade. Basta!

O Jefferson foi ao balneário  :great:

Rebentou com aquilo tudo?  :twisted: :twisted:
Nuno Reis no Vitória de Setúbal.
Nuno Reis no Vitória de Setúbal.

Gostava que fizesse uma boa carreira, merece.
Nuno Reis no Vitória de Setúbal.

Gostava que fizesse uma boa carreira, merece.

Sem dúvida! Um grande profissional. Ainda me lembro de como ele lixou os lampiões na taça de honra há uns anos  :)
"Estou cansado daquela conversa dos sportinguistas sobre se devo ter elevação ou não devo ter elevação. Para elevação temos o Bas Dost, que tem quase dois metros." by Bruno de Carvalho
Nuno Reis no Vitória de Setúbal.

Gostava que fizesse uma boa carreira, merece.
Ainda vai a tempo de construir uma carreira sólida, merece tudo de bom.
Nuno Reis no Vitória de Setúbal.
Gostava que fizesse uma boa carreira, merece.
Grande jogador, que reunia consenso (até os paineleiros orcs o gabavam), capitão de seleções jovens, até ser atingido por lesões. Era o capitão óbvio, sucessor de Laranjeira e Venâncio (etc.), mas o destino não o quis.
É uma espinha atravessada na minha garganta; tivemos ali um craque, mas as lesões tramaram tudo.

Sem dúvida! Um grande profissional. Ainda me lembro de como ele lixou os lampiões na taça de honra há uns anos  :)
E lembro-me também que alguém (*) desvalorizou imenso isso aqui no fórum, quase criticando a maneira como bateu no emblema depois de marcar o golo, insinuando que não era por fazer isso que era um bom jogador!
Também houve quem (*) chegasse a pôr em causa a sua presença constante nos titulares da equipa B, em detrimento de alguém mais novo. Argumentei na altura que o objectivo disso era simplesmente didáctico, fazer progredir quem jogasse ao lado dele (e não só ao lado), mas devo ter falado para o boneco,
(*) juro que não me lembro quem foi.

Ainda vai a tempo de construir uma carreira sólida, merece tudo de bom.
Infelizmente, não o creio. O que mais limitou a sua carreira foram as lesões, não será agora que a carreira vai disparar.
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Citar
Os 9 melhores extremos “Feitos de Sporting”

Por Nuno Almeida

O Sporting sempre teve uma academia recheada de grandes valores, no entanto sempre foi reconhecida essencialmente pelos extremos que produziu.

Nos últimos tempos isso mudou, e já há muito que não vemos sair da nossa escola um daqueles jogadores rápidos com a bola nos pés, obcecados pela linha de fundo e cruzamento de excelência. Isso deve-se ao facto de o futebol ter mudado e continuar a mudar, dando preferência a jogo apoiado, muitas vezes em esquemas de 4-3-3 (culpa da escassez jogadores de qualidade para as posições “9” e “10”) que pedem os “extremos” a vir para o meio e mesmo em apoio defensivo. O Sporting não é excepção e tem vindo, também, a abandonar o 4-4-2 puro, que pedia esse tipo de jogador.

Poderão dizer-me que tivemos recentemente Iuri Medeiros e Matheus Pereira, mas pessoalmente não os considero jogadores com as características ideais para esta posição.

Assim, irei abordar e escalonar alguns dos que chegaram a jogar como extremos puros. No entanto, até estes em alguns momentos das suas carreiras, com o passar do tempo, abandonaram essas posições, passando a jogar mais em zonas mais centrais do campo, que exigem menos “correrias”.

Luís Boa-Morte – Muitos não se lembrariam dele para este top, no entanto sempre o considerei um jogador muito útil às equipas por onde passou, tanto pela rapidez como pelo que trabalhava pela equipa.

Mudou-se para Inglaterra ainda muito novo, para jogar ao serviço do Arsenal onde esteve três épocas. Fez quase toda a sua carreira no país de Sua Majestade, tendo mesmo conseguido tornar-se capitão do Fulham. Teve também várias chamadas à selecção portuguesa.

Bruma – Apesar da sua saída “a mal” do Sporting, não poderia deixar de o colocar nesta lista, em primeiro lugar porque a culpa dessa saída foi essencialmente de terceiros, e depois porque tem uma qualidade inegável.

Jogador muito rápido, e com muita qualidade técnica, que está agora a aprender a ser mais colectivo. Teria sido interessante termos tido na mesma equipa Bruma e Gelson Martins, como chegámos a ter Quaresma e Cristiano Ronaldo.

Gelson Martins – É já uma certeza, e um dos jogadores mais influentes na equipa principal do Sporting. Rápido e desconcertante nas fintas que faz, peca apenas na definição do último passe e na hora de rematar à baliza, mas está a melhorar e isso nota-se nem que seja pelo número de golos e assistências que vai aumentado de época para época.

Por ser tão novo, e ter ainda espaço para evoluir, é que não está mais bem colocado nesta tabela, até porque daqui para a frente teremos apenas jogadores experientes, com carreiras recheadas de títulos.

Simão Sabrosa – Muitos levantarão a voz quando virem este nome, mas a verdade é que, quer queiram ou não, e mesmo que ele possa ter dificuldade em admitir, foi o Sporting que lhe permitiu tornar-se o jogador que foi.

Muito rápido e bom na condução da bola, conseguia fazer a diferença em muitos jogos. Não conseguiu afirmar-se no primeiro ano que foi para Espanha, no entanto voltou a Portugal para, já mais experiente, voltar ao país vizinho e tornar-se um jogador importante numa das melhores equipas espanholas.

Ricardo Quaresma – Sempre gostei deste jogador, tendo tido sempre a ideia que, ao contrário de Cristiano Ronaldo, se encostou ao seu talento natural para a bola, não mostrando vontade de juntar o trabalho a tanta qualidade.

Se tivesse seguido o exemplo daquele que chegou a ser seu companheiro de equipa, poderíamos hoje estar a falar de mais um Bola de Ouro.

O “Mustang” merecia ter tido maior sucesso, e aquela “trivela” poderia estar eternizada nos seus pés, que poderiam ter sido de ouro. Ainda assim torna-se um ídolo por onde quer que passe.

Nani – Não tem a qualidade que têm alguns jogadores que já enumerei, no entanto tem a seu favor o facto de estar fresca na minha memoria a excelente época que veio fazer ao serviço do Sporting.

Teve o azar de ter vivido vários anos na sombra do melhor do mundo em Inglaterra, tendo depois perdido aquele fulgor do seu futebol, que ainda assim conseguia mostrar quando jogava ao serviço da selecção.

É outro jogador que merecia ter tido mais sorte, mas que não deixou de demonstrar a qualidade que tem.

Paulo Futre – Muitos não se lembrarão de o ver jogar, mas basta ir ao Youtube ver uns vídeos para perceberem o que perderam, ou estão a perder.

Muito se fala dos melhores jogadores portugueses de todos os tempos, e raramente vejo o seu nome vir ao de cima, o que acho uma injustiça tremenda, e também por isso fiz questão de o colocar neste top, e no pódio.

É um herói em Madrid, e principalmente junto das hostes do Atlético, sendo praticamente desprezado no seu país natal.

Muito rápido, e com excelente condução de bola, tem lances dignos de Maradona e Messi. Grande jogador.

Luís Figo – O primeiro Bola de Ouro “produzido” pela nossa academia. Odiado por alguns, amado por muitos, como todos jogadores que, por serem tão decisivos, são idolatrados pelos seus adeptos, e ostracizado pelos adeptos adversários.

Fez parte dos galácticos, e foi quase um “Deus” nos dois maiores clubes do país vizinho. Ganhou tudo o que havia a ganhar por um clube de futebol, tendo-lhe apenas faltado ganhar um titulo pela selecção portuguesa.

Não era muito rápido, mas era quase impossível tirar-lhe a bola. Colocava a bola onde queria, e que o diga “Ronaldo, o fenómeno.”

Não ganhou também nesta humilde lista, porque no primeiro lugar está um “monstro”.

Cristiano Ronaldo – Aqui está então o “monstro” de que vos falava. Nada que nenhum de vocês não estivesse à espera, apenas porque estamos a falar do jogador que é o melhor marcador de todas as competições onde participou, e quando não marcou, deu a marcar.

Tem “apenas” cinco Bolas de Ouro, mas mesmo assim há quem não lhe consiga reconhecer mérito, apontando mil e uma razões para este sucesso sem nunca apontar o mérito pessoal.

Podem dizer que, se não fosse a qualidade das equipas onde joga, não marcaria o que marca. Pois eu diria, que, se ele não marca, as suas equipas não ganham. E já agora, ele chegou onde chegou, certamente porque tem qualidade para isso. E nem é tanto por ter lá chegado, mas por se ter lá mantido.

Como disse de Figo, apenas os bem sucedidos têm tanto de amados como de odiados, mas quanto a isso não há nada a fazer. E ele tem-se mantido ao mais alto nível porque não liga a isso, e se preocupa apenas em ser profissional e tentar ser o melhor no que faz. Depois, também há os que são os melhores a criticar. Cada um é para o que nasce.

É o número um, aqui e em qualquer lugar.



Bola na Rede

*** Chaby..  :'( :'(

O azar persegue-te mesmo!

Não vi a entrada do jogador do Estoril.

EDIT: acabei de ver!!! Grande FILHº DA PUTª este Bruno Gomes!!!
« Última modificação: Fevereiro 18, 2018, 09:51 am por Luis Araujo »
*** Chaby..  :'( :'(

O azar persegue-te mesmo!

Não vi a entrada do jogador do Estoril.

EDIT: acabei de ver!!! Grande FILHº DA PUTª este Bruno Gomes!!!

Li que não houve fratura (felizmente!!).

Mais alguma novidade?
*** Chaby..  :'( :'(

O azar persegue-te mesmo!

Não vi a entrada do jogador do Estoril.

EDIT: acabei de ver!!! Grande FILHº DA PUTª este Bruno Gomes!!!

Li que não houve fratura (felizmente!!).

Mais alguma novidade?

Não li mais. Se realmente não houve fratura é surpreendente!! E ainda bem que assim foi então.