Diogo Brás

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Boa noticia, agora que meta a cabeça no sitio e mostre o talento que tem.

E renovem com o Benny.
"Para mim , o Sporting é como uma mulher que se ama logo à primeira vista. Um homem pode conhecer várias mulheres , mas há sempre ‘aquela’, a especial. Independentemente de ficarmos com ela ou não, lembramo-nos dela para sempre!" - Ivone De Franceschi
Uma excelente notícia.

Tem estagnado nos últimos anos, por culpa própria e por culpa do clube já que quando o Brás estava em melhor forma nos juvenis não o colocou logo nos juniores, ainda assim continua a ter potencial para chegar à A.
Boa noticia, agora que meta a cabeça no sitio e mostre o talento que tem.

E renovem com o Benny.
Renovou até quando?
Este Benny é o Bernardo Sousa? Não renovou ainda?
E o Felix Correia?
SPORTING SEMPRE !!!...20.721-0
Boa noticia, agora que meta a cabeça no sitio e mostre o talento que tem.

E renovem com o Benny.
Renovou até quando?
Este Benny é o Bernardo Sousa? Não renovou ainda?
E o Felix Correia?

"Para mim , o Sporting é como uma mulher que se ama logo à primeira vista. Um homem pode conhecer várias mulheres , mas há sempre ‘aquela’, a especial. Independentemente de ficarmos com ela ou não, lembramo-nos dela para sempre!" - Ivone De Franceschi
2022?
daqui a um ano vamos ter que renovar outra vez  :wall:
2022?
daqui a um ano vamos ter que renovar outra vez  :wall:

A verdade é que há uma probabilidade significativa de não querermos vir a renovar para o ano... o jogador pouco fez para justificar que nos "amarremos" ao seu salário por mais de três anos. Por causa de todos serem corridos a contratos de 4 e 5 anos é que depois temos paletes de jogadores para dispensar. O Benny sim, convém renovar por mais tempo, 2023 ou idealmente até 2024.
2022?
daqui a um ano vamos ter que renovar outra vez  :wall:

A verdade é que há uma probabilidade significativa de não querermos vir a renovar para o ano... o jogador pouco fez para justificar que nos "amarremos" ao seu salário por mais de três anos. Por causa de todos serem corridos a contratos de 4 e 5 anos é que depois temos paletes de jogadores para dispensar. O Benny sim, convém renovar por mais tempo, 2023 ou idealmente até 2024.
os contratos de 5 anos que nos dão paletes de dispensáveis são as contratações para o banco (de petrovic a ilori), não os miúdos.

se o nosso entulho fosse o mané, o esgaio e o tiago djaló, estávamos nós bem.
2022?
daqui a um ano vamos ter que renovar outra vez  :wall:

A verdade é que há uma probabilidade significativa de não querermos vir a renovar para o ano... o jogador pouco fez para justificar que nos "amarremos" ao seu salário por mais de três anos. Por causa de todos serem corridos a contratos de 4 e 5 anos é que depois temos paletes de jogadores para dispensar. O Benny sim, convém renovar por mais tempo, 2023 ou idealmente até 2024.
os contratos de 5 anos que nos dão paletes de dispensáveis são as contratações para o banco (de petrovic a ilori), não os miúdos.

se o nosso entulho fosse o mané, o esgaio e o tiago djaló, estávamos nós bem.

Filipe Chaby, Edu Pinheiro, Luis Elói, Ricardo Guima (saiu agora a título definitivo, finalmente), Guilherme Ramos, Budag Nasyrov, Leonardo Ruiz, Ary Papel, Wallyson, Ronaldo Tavares, Bruno Fernandes (o extremo)... tudo jogadores que passaram nas equipas secundárias, da formação ou não (B ou sub-19, portanto), com quem temos contrato e que não serão apostas na Equipa Principal.

O Brás para o ano comigo não seria titular indiscutível, o Mitrovski sê-lo-ia do lado direito e do esquerdo o Diogo Brás rodaria no onze com o Nuno Moreira. Se isso acontecesse, no final da época não estaria assim tão valorizado e com 2 anos de contrato pela frente poderemos renovar por mais uns 2 anos se entendermos que o jogador evoluiu, no próximo ano, aquilo que não evoluiu neste.
Filipe Chaby, Edu Pinheiro, Luis Elói, Ricardo Guima (saiu agora a título definitivo, finalmente), Guilherme Ramos, Budag Nasyrov, Leonardo Ruiz, Ary Papel, Wallyson, Ronaldo Tavares, Bruno Fernandes (o extremo)... tudo jogadores que passaram nas equipas secundárias, da formação ou não (B ou sub-19, portanto), com quem temos contrato e que não serão apostas na Equipa Principal.
correcto, mas soma os ordenados de todos esses jogadores que enumeraste (sendo que, pelo menos, ruiz, ary papel e wallyson 2, nem deviam contar por terem sido contratações, mas conte-se).
agora soma os ordenados de lumor, misic, andré geraldes e marcelo, só para nem dizer os mais caros.

é só isso que estou a dizer.
não digo que devêssemos apostar "a pique" no brás, até porque não tenho dados para formar uma opinião sobre o jogador, simplesmente, acho que renovar com um miúdo por 3 anos, sendo que ele só deve ser aposta daqui a um ano (se for), parece-me um risco. Porque se ele daqui a um ano for aposta, como o jovane foi este ano, por exemplo, e der nas vistas, arrsicamo-nos a que ele force a saída à porta do seu último ano de contracto.

Para evitar isso, um contracto de 4 ou 5 anos proteger-nos-ia dessa possibilidade, e - e agora entra a questão dos ordenados empilhados que surgiu depois - com um custo mínimo para o clube.

Ainda para mais, voltando ao cenário hipotético de ele para o ano começar a entrar e dar nas vistas, imagine-se que ele tem mais 4 anos de contracto. Renovar, aos olhos dele, será visto por ele como "um aumento salarial para um valor que mereço".
Se for para o último ano de contracto, já poderá estar a pensar em alternativas, visto que consegue sair facilmente, e consegue uma posição negocial maior.

(não sei se expliquei bem, às vezes baralho-me  :mrgreen:)
Uma coisa não impede a outra, passar a contratar com mais pinças para a equipa principal não é inconciliável com ter uma gestão mais prudente da equipa secundária, não dando contratos alargados a um camião de jogadores que depois ficará anos a vegetar por empréstimos na II Liga, no estrangeiro e no CNS.

Para mim é isto que faz sentido: renovar por 4 ou 5 anos (idealmente 5 anos) com jogadores em quem se acredite mesmo que chegarão aos A, renovar por 3 anos com aqueles com os quais se tem algumas dúvidas e renovar por 2/3 (idealmente 2) aqueles que servirão para compor o plantel dos sub-23 mas que quase seguramente não chegarão aos A.

Assim, se 3 anos para o Brás me parece fazer sentido, parece-me que para jogadores como Rodrigo Fernandes e Félix Correia (por terem menos um ano) faz mais sentido 4 e para um Benny ou um Bruno Tavares faz mais sentido 4/5, idealmente 5.
à medida que os preços dos passes dos jogadores vão aumentando, cada vez mais os clubes vão se virar para jogadores com situação contratual pouco segura para os "reservarem" a custo zero. Dantes aliciava-se jogadores a uns 9 meses de ficarem livres, agora esse prazo já deve ir em ano e meio, tudo para se poupar dinheiro... E nem é preciso ser-se um clube pelintra (olhem para o que o Bayern está a fazer com o Werner).

Tendo isto em mente, o Sporting deve segurar estes putos enquanto eles ganham relativamente pouco, porque se arriscam entrar num leilão estão lixados, perdem o jogador. Claro que há um factor de risco envolvido, mas é um risco que se deve correr porque é financeiramente interessante, basta um dar uma venda de relevo que paga centenas de Edu Pinheiros
à medida que os preços dos passes dos jogadores vão aumentando, cada vez mais os clubes vão se virar para jogadores com situação contratual pouco segura para os "reservarem" a custo zero. Dantes aliciava-se jogadores a uns 9 meses de ficarem livres, agora esse prazo já deve ir em ano e meio, tudo para se poupar dinheiro... E nem é preciso ser-se um clube pelintra (olhem para o que o Bayern está a fazer com o Werner).

Tendo isto em mente, o Sporting deve segurar estes putos enquanto eles ganham relativamente pouco, porque se arriscam entrar num leilão estão lixados, perdem o jogador. Claro que há um factor de risco envolvido, mas é um risco que se deve correr porque é financeiramente interessante, basta um dar uma venda de relevo que paga centenas de Edu Pinheiros

Se o jogador fizer uma boa época nos sub-23 e surpreender (porque o desempenho esta época foi fraco), será um problema? Aceitará passar 2 anos sem jogos oficiais, caso o Sporting queira renovar e ele não queira?
à medida que os preços dos passes dos jogadores vão aumentando, cada vez mais os clubes vão se virar para jogadores com situação contratual pouco segura para os "reservarem" a custo zero. Dantes aliciava-se jogadores a uns 9 meses de ficarem livres, agora esse prazo já deve ir em ano e meio, tudo para se poupar dinheiro... E nem é preciso ser-se um clube pelintra (olhem para o que o Bayern está a fazer com o Werner).

Tendo isto em mente, o Sporting deve segurar estes putos enquanto eles ganham relativamente pouco, porque se arriscam entrar num leilão estão lixados, perdem o jogador. Claro que há um factor de risco envolvido, mas é um risco que se deve correr porque é financeiramente interessante, basta um dar uma venda de relevo que paga centenas de Edu Pinheiros

Se o jogador fizer uma boa época nos sub-23 e surpreender (porque o desempenho esta época foi fraco), será um problema? Aceitará passar 2 anos sem jogos oficiais, caso o Sporting queira renovar e ele não queira?

Poderá ter umas exigências salariais estapafúrdias, o Sporting não concordar, a cena arrasta-se porque "há tempo, tem mais dois anos"... filme com desfecho já conhecido e não muito improvável. Seria sempre preferível renovar agora até 2024 por x, do que até 2022 e depois daqui a um ano ter de oferecer 10x para que ele assine até 2024. Como o jogador tem qualidade isto pode perfeitamente acontecer.

Concordo que não se deva dar contratos de cinco anos a todo o bicho careta, por exemplo nos juniores daria contratos até 2022 a jogadores como o Fati, o Goulart, o Edmilson, o Tiago Rodrigues, o Loide; jogadores com alguma qualidade mas que à partida não deverão passar do ciclo sub23 + empréstimos. Agora com os melhores deste lote é segurar à partida pelo máximo de tempo: refiro-me a Brás, Bernardo Sousa, Félix ou Rodrigo Fernandes.

Se derem jogadores é perfeito, rendimento desportivo e financeiro; se não derem, é chato, mas o prejuízo será sempre muito menor do que o prejuízo de virem a forçar saídas a custo zero ou a preço de saldo
à medida que os preços dos passes dos jogadores vão aumentando, cada vez mais os clubes vão se virar para jogadores com situação contratual pouco segura para os "reservarem" a custo zero. Dantes aliciava-se jogadores a uns 9 meses de ficarem livres, agora esse prazo já deve ir em ano e meio, tudo para se poupar dinheiro... E nem é preciso ser-se um clube pelintra (olhem para o que o Bayern está a fazer com o Werner).

Tendo isto em mente, o Sporting deve segurar estes putos enquanto eles ganham relativamente pouco, porque se arriscam entrar num leilão estão lixados, perdem o jogador. Claro que há um factor de risco envolvido, mas é um risco que se deve correr porque é financeiramente interessante, basta um dar uma venda de relevo que paga centenas de Edu Pinheiros

Se o jogador fizer uma boa época nos sub-23 e surpreender (porque o desempenho esta época foi fraco), será um problema? Aceitará passar 2 anos sem jogos oficiais, caso o Sporting queira renovar e ele não queira?

Poderá ter umas exigências salariais estapafúrdias, o Sporting não concordar, a cena arrasta-se porque "há tempo, tem mais dois anos"... filme com desfecho já conhecido e não muito improvável. Seria sempre preferível renovar agora até 2024 por x, do que até 2022 e depois daqui a um ano ter de oferecer 10x para que ele assine até 2024. Como o jogador tem qualidade isto pode perfeitamente acontecer.

Concordo que não se deva dar contratos de cinco anos a todo o bicho careta, por exemplo nos juniores daria contratos até 2022 a jogadores como o Fati, o Goulart, o Edmilson, o Tiago Rodrigues, o Loide; jogadores com alguma qualidade mas que à partida não deverão passar do ciclo sub23 + empréstimos. Agora com os melhores deste lote é segurar à partida pelo máximo de tempo: refiro-me a Brás, Bernardo Sousa, Félix ou Rodrigo Fernandes.

Se derem jogadores é perfeito, rendimento desportivo e financeiro; se não derem, é chato, mas o prejuízo será sempre muito menor do que o prejuízo de virem a forçar saídas a custo zero ou a preço de saldo

Mas isso só faria algum sentido se a estrutura perspetivasse que o jogador vai ter mais exigências daqui a um ano do que as que tem neste momento. Se não achar que isso acontecerá (e eu acho que não acontecerá), terá sido mais inteligente renovar por apenas três anos e voltar a sentar-se à mesa, se necessário, no próximo ano.

Ainda vive com um hype construído pelo seu desempenho na formação, mas para o ano se tiver a concorrência do Nuno Moreira e do Mitrovski pode ter dificuldades para se impor... a ver se supreende!