Marcos Acuña

0 Membros e 2 Visitantes estão a ver este tópico.

E porque é que tem de haver amuos? Se cedermos aos amuos aí é que os mesmos vão continuar a existir. É demonstração que cedemos à primeira mostra de chantagem. Querem dinheiro? Façam-no sem enfraquecer a equipa.

 Estamos a falar de 20M€. Possivelmente o máximo que vamos conseguir pelo Acuña, ainda por cima agora regressou à posição de extremo. É um óptimo negócio. Mas tudo bem, tens outra visão, é legítimo.

Não. O que estou a dizer é que é errado vender Acuña quando no plantel não tens melhor. Borja ataca bem, mas é horrível a vender. Como médio interior onde de certeza rende mais, só desbloqueou o jogo ontem com um passe brilhante. É o jogador com mais garra e entrega do plantel, e dos que recupera mas bolas, e dos que sente mais a camisola também. Querem vendê-lo? Tudo bem. Mas então não podemos ter Borjas e temos de ter melhor que o Acuña, é assim que se evolui, melhorando o que se tem e não piorando o que se tem.

Do que me adianta ter 20 milhões de euros se a minha equipa fica pior? Já me faz lembrar o Nápoles que despachou o Higuain por um camião de dinheiro. Ficaram mais ricos, mas a qualidade da equipa estoirou de vez.
Não. O que estou a dizer é que é errado vender Acuña quando no plantel não tens melhor. Borja ataca bem, mas é horrível a vender. Como médio interior onde de certeza rende mais, só desbloqueou o jogo ontem com um passe brilhante. É o jogador com mais garra e entrega do plantel, e dos que recupera mas bolas, e dos que sente mais a camisola também. Querem vendê-lo? Tudo bem. Mas então não podemos ter Borjas e temos de ter melhor que o Acuña, é assim que se evolui, melhorando o que se tem e não piorando o que se tem.

Do que me adianta ter 20 milhões de euros se a minha equipa fica pior? Já me faz lembrar o Nápoles que despachou o Higuain por um camião de dinheiro. Ficaram mais ricos, mas a qualidade da equipa estoirou de vez.

 Lá está, o Acuña deixou de ser lateral para ser extremo. Há opções para a posição de extremo ou para médio interior. Por isso, aproveitar uma óptimo proposta e vender um atleta que dificilmente valorizará mais. Depois pegamos no dinheiro e investimos em dois / três atletas que compensem a venda. É assim em todo o clube médio por essa Europa fora. Agora, se nos falta competência para conseguir mais-valias, aí temos um problema de outra dimensão. A gestão do clube é feita a curto, médio e longo-prazo. Somos igualmente uma empresa, vender jogadores faz parte e acertar no tempo de venda é essencial. Jogadores muito tempo num plantel acaba por ser prejudicial na maioria das vezes e isso tem sido um dos nossos males. Há uma óptimo proposta? Há quem possa jogar no lugar? Vender. A equipa depois adapta-se.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Tem as suas limitações mas compensa com a sua inquestionável atitude competitiva. Podemos sempre contar com isso. Se a transferência não for concretizada, é desportivamente uma boa notícia.
Não. O que estou a dizer é que é errado vender Acuña quando no plantel não tens melhor. Borja ataca bem, mas é horrível a vender. Como médio interior onde de certeza rende mais, só desbloqueou o jogo ontem com um passe brilhante. É o jogador com mais garra e entrega do plantel, e dos que recupera mas bolas, e dos que sente mais a camisola também. Querem vendê-lo? Tudo bem. Mas então não podemos ter Borjas e temos de ter melhor que o Acuña, é assim que se evolui, melhorando o que se tem e não piorando o que se tem.

Do que me adianta ter 20 milhões de euros se a minha equipa fica pior? Já me faz lembrar o Nápoles que despachou o Higuain por um camião de dinheiro. Ficaram mais ricos, mas a qualidade da equipa estoirou de vez.

 Lá está, o Acuña deixou de ser lateral para ser extremo. Há opções para a posição de extremo ou para médio interior. Por isso, aproveitar uma óptimo proposta e vender um atleta que dificilmente valorizará mais. Depois pegamos no dinheiro e investimos em dois / três atletas que compensem a venda. É assim em todo o clube médio por essa Europa fora. Agora, se nos falta competência para conseguir mais-valias, aí temos um problema de outra dimensão. A gestão do clube é feita a curto, médio e longo-prazo. Somos igualmente uma empresa, vender jogadores faz parte e acertar no tempo de venda é essencial. Jogadores muito tempo num plantel acaba por ser prejudicial na maioria das vezes e isso tem sido um dos nossos males. Há uma óptimo proposta? Há quem possa jogar no lugar? Vender. A equipa depois adapta-se.

Uma grande equipa antes de vender bem compra ainda melhor. Competência. Vender para depois comprar 2 ou 3 é gestão FM. Acuña a lateral é muito melhor que Borja, logo se Borja será o substituto natural do argentino, já estamos a perder. Quanto a extremos, já começámos a perder assim que gastámos mais de 7 milhões para trazer Diaby e destruímos Matheus Pereira de vez, mas isso são contas de outro rosário.

Mas fiquei curioso, quais são as opções que o Sporting tem para médio interior que não sejam Bruno Fernandes ou Wendel?
Mas fiquei curioso, quais são as opções que o Sporting tem para médio interior que não sejam Bruno Fernandes ou Wendel?

 Francisco Geraldes.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Mas fiquei curioso, quais são as opções que o Sporting tem para médio interior que não sejam Bruno Fernandes ou Wendel?

 Francisco Geraldes.

Eu falei de opções válidas para o treinador, não de estagiários de marketing.
Eu falei de opções válidas para o treinador

 O Acuña tem sido uma opção válida, para o treinador, a médio interior?
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Eu falei de opções válidas para o treinador

 O Acuña tem sido uma opção válida, para o treinador, a médio interior?

Não, mas este ainda tem muito para dar ao Sporting. Já Francisco Geraldes faz parte de um certo grupo de jogadores com potencial que o Sporting destruiu, e muito dificilmente vão dar o que quer que seja no presente e no futuro.
Não, mas este ainda tem muito para dar ao Sporting. Já Francisco Geraldes faz parte de um certo grupo de jogadores com potencial que o Sporting destruiu, e muito dificilmente vão dar o que quer que seja no presente e no futuro.

 Logo, o Francisco Geraldes é igualmente uma opção.

 Penso que a proposta pelo Acuña caiu e isso explica o regresso ao XI.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
A sua saída será, efectivamente, uma perda para a competitividade do plantel.
Ainda assim, analisando os prós e os contras, julgo que pelos 20M se deveria vender e reajustar o plantel (mesmo que não nesta janela de Inverno) com o dinheiro gerado.
E eles chegaram aos 20 milhões? É que a conversa era 16/18+ objectivos.


E lá está, vender Acuna para ir buscar Borjas, Iloris, Luizes...estejam é quietos
A necessidade de equilibrar uma equipa em termos competitivos e financeiros leva a um dilema. Vender ao não vender um jogador que até está a ter um comportamento desportivo bom mas que dificilmente terá outra oportunidade de se valorizar? Além disso ainda temos de colocar na equação a vontade legitima do jogador atingir outros patamares com os quais não podemos garantir.

Temos vários casos de ambas as decisões.

- Lembro-me logo à cabeça de Jefferson. Um caso em que a decisão amuou o jogador e o Sporting ficou prejudicado. Nunca mais o vende pelo mesmo valor e vai ter de suportar o vencimento sem lucrar desportivamente pelo atleta.

- Dois atletas do Porto. Ambos em ultimo ano de contrato. Excelente retorno desportivo mas nenhum retorno financeiro. Garantem pontos mas o investimento poderia ser de maior retorno em caso de venda para assegurar dinheiro para comprar substitutos.

- Outro caso de amuo de jogador. Jogador do Porto que ganhou visibilidade e cotação há uns anos atrás. Queria sair mas o clube queria manter a competitividade. Solução, acordo para sair no fim de época. Clube manteve-se competitivo e o jogador alcançou outro patamar de vencimentos.

- Rescisões em Alcochete. Peseteiros? Má gerência? Cada um tem a sua opinião. Não vamos entrar em politiquice. Todos temos a noção que uma das principais causas das rescisões foram vencimentos. Haverá outras mas a vontade de ir ganhar mais dinheiro é uma das principais. O barrar a progressão de um atleta tem que ser bem estudado. É normal querermos mais. O jogar pelo amor à camisola não existe. Pode haver um carinho e um beijar o símbolo mas com 15 anos de profissão temos é de pensar no nosso futuro. Se o clube ganhar com a venda e deixar o atleta ir ganhar mais dinheiro é bom para ambas as partes. Se conseguir um reforço a menor custo e de valia desportiva igual ou superior é excelente. Cortar as pernas é o primeiro passo para exibições menos conseguidas, desmotivação e no final do contrato, dar zero ao clube.

- Para terminar, uma excelente medida na gestão de jogadores e as suas expectativas, vender um João Mário quando estava muito valorizado e comprar um Bruno Fernandes. O clube ganhou dinheiro e investiu parte desse dinheiro num jogador que pode ser rentabilizado e que mantém ou melhora a competitividade da equipa. Todos ficaram a ganhar. Esta deve ser a nossa pauta.

Acuna, já muitos questionaram o valor da sua compra e agora questionam o valor da sua venda. É um jogador raçudo que eleva a competitividade da equipa nesse aspecto. É também um jogador que tem uma visão limitada do jogo porque não levanta a cabeça. Se vale ou não os falados 20 milhões, tenho duvidas. Dúvidas também no tempo da venda com os mercados fechados. Se fosse no verão, com os mercados abertos, com 20 milhões no bolso, certamente gastava metade num substituto à medida. O grande problema é que não podemos vender por milhões e gastar tostões no substituto e esperar os mesmos resultados. Saber vender e saber comprar é a alma do negócio.
O Acuña tem um estilo muito parecido ao meu, enquanto arrumador do meu quarto.

É fascinante vê-lo tentar agredir o espaço da maneira tão verdadeira com que ele o faz. Ele não esconde quais são as suas intenções, assume-as e confronta-as: "Ai é por aqui? Ai este é que é o caminho mais difícil? Ora bem ... um cabo-verdiano corpulento que bate em tudo que mexe, um lateral-direito, 2m² de terreno, o Adamastor, 5 contentores do lixo, o Ecoponto, 3 mamutes a jogar UNO, bem ... é mesmo por aqui. c******. Até quero ver quem é o campeão que se mete à minha frente...". E lá vai ele, feliz da vida, tentando violentar o espaço e tudo aquilo que se interpõe entre si. É uma história de amor asfixiante, que acaba sempre em tragédia.

É basicamente como eu. A minha mãe diz-me para arrumar o meu quarto. Eu pego nas coisas por arrumar, abro a gaveta e penso: "Ui. Mas isto está à pinha. Não cabe aqui mais nada!". Só que em vez de achar outra solução, um cubículo qualquer onde seja mais fácil arrumar as coisas, vou enfiando e empurrando tudo para o interior dessa mesma gaveta sobrelotada. Já não cabe mais nada ali, não há espaço nenhum, mas eu, como o Acuña, sou um homem que gosta de agredir o espaço. Há uma diferença: não o faço de costas. O Acuña tem esse tique. Tenta irromper de traseira. Eu não. Até porque não dá muito jeito.

Claro, eu ajo assim por preguiça. O Acuña é só porque não sabe mais, porque se soubesse, ele abriria outras gavetas. 



 :rotfl: Fantástico. Até tenho um nome para esse texto: A Alegoria de um Ovo Confuso
"Se uma equipa de futebol fosse uma empresa de construção civil e o adepto comum um empreiteiro, os trabalhadores não construiriam segundo um projecto, mas trabalhariam incessantemente, colocando tijolos em tudo o que era sítio. Não haveria casa, mas ninguém os poderia acusar de não terem trabalhado." - Nuno Amado; Entredez
O Acuña tem um estilo muito parecido ao meu, enquanto arrumador do meu quarto.

É fascinante vê-lo tentar agredir o espaço da maneira tão verdadeira com que ele o faz. Ele não esconde quais são as suas intenções, assume-as e confronta-as: "Ai é por aqui? Ai este é que é o caminho mais difícil? Ora bem ... um cabo-verdiano corpulento que bate em tudo que mexe, um lateral-direito, 2m² de terreno, o Adamastor, 5 contentores do lixo, o Ecoponto, 3 mamutes a jogar UNO, bem ... é mesmo por aqui. c******. Até quero ver quem é o campeão que se mete à minha frente...". E lá vai ele, feliz da vida, tentando violentar o espaço e tudo aquilo que se interpõe entre si. É uma história de amor asfixiante, que acaba sempre em tragédia.

É basicamente como eu. A minha mãe diz-me para arrumar o meu quarto. Eu pego nas coisas por arrumar, abro a gaveta e penso: "Ui. Mas isto está à pinha. Não cabe aqui mais nada!". Só que em vez de achar outra solução, um cubículo qualquer onde seja mais fácil arrumar as coisas, vou enfiando e empurrando tudo para o interior dessa mesma gaveta sobrelotada. Já não cabe mais nada ali, não há espaço nenhum, mas eu, como o Acuña, sou um homem que gosta de agredir o espaço. Há uma diferença: não o faço de costas. O Acuña tem esse tique. Tenta irromper de traseira. Eu não. Até porque não dá muito jeito.

Claro, eu ajo assim por preguiça. O Acuña é só porque não sabe mais, porque se soubesse, ele abriria outras gavetas.
Fds, isto é NSFW :lol:
"If God had meant football to be played in the air, he would have put grass in the sky" - Brian Clough

“Quando treinava o Saragoça, um jogador veio ter comigo no início da época e disse-me, todo contente: ‘Mister, estou melhor do que nunca fisicamente.’ Olhei para ele e respondi-lhe: ‘Isso é a pior notícia que me podias dar. Agora vais estar em mais sítios errados mais vezes, c*****.’” - Juan Manuel Lillo
E eles chegaram aos 20 milhões? É que a conversa era 16/18+ objectivos.

E lá está, vender Acuna para ir buscar Borjas, Iloris, Luizes...estejam é quietos

E nem depois de um bom jogo, com movimentos e jogadas de grande qualidade(desde daquela abertura deliciosa no primeiro golo, ou as combinações de grande qualidade com o Bruno no segundo tempo) deixa de ser alvo de críticas  :inde:

Quando se é mal amado parece que é impossível haver razão e discernimento  :inde:

A par de Bruno Fernandes tem sido o jogador mais regular esta época( o Mathieu infelizmente é a história do costume, mas quando joga também tem tido um boa regularidade em termos de exibições).
E eles chegaram aos 20 milhões? É que a conversa era 16/18+ objectivos.

E lá está, vender Acuna para ir buscar Borjas, Iloris, Luizes...estejam é quietos

E nem depois de um bom jogo, com movimentos e jogadas de grande qualidade(desde daquela abertura deliciosa no primeiro golo, ou as combinações de grande qualidade com o Bruno no segundo tempo) deixa de ser alvo de críticas  :inde:

Quando se é mal amado parece que é impossível haver razão e discernimento  :inde:

A par de Bruno Fernandes tem sido o jogador mais regular esta época( o Mathieu infelizmente é a história do costume, mas quando joga também tem tido um boa regularidade em termos de exibições).
Fui dos maiores críticos do Acuña na época passada, mas tenho de reconhecer que esta época o argentino tem sido uma agradável surpresa. Como dizes e bem, a par do Bruno Fernandes tem sido o melhor jogador (ou pelo menos o mais regular) nesta época.

Se não chegaram aos 20M, é perfeitamente natural não vendermos o Acuña.
"Esforço, Dedicação, Devoção e Glória"
E eles chegaram aos 20 milhões? É que a conversa era 16/18+ objectivos.

E lá está, vender Acuna para ir buscar Borjas, Iloris, Luizes...estejam é quietos

E nem depois de um bom jogo, com movimentos e jogadas de grande qualidade(desde daquela abertura deliciosa no primeiro golo, ou as combinações de grande qualidade com o Bruno no segundo tempo) deixa de ser alvo de críticas  :inde:

Quando se é mal amado parece que é impossível haver razão e discernimento  :inde:

A par de Bruno Fernandes tem sido o jogador mais regular esta época( o Mathieu infelizmente é a história do costume, mas quando joga também tem tido um boa regularidade em termos de exibições).
Fui dos maiores críticos do Acuña na época passada, mas tenho de reconhecer que esta época o argentino tem sido uma agradável surpresa. Como dizes e bem, a par do Bruno Fernandes tem sido o melhor jogador (ou pelo menos o mais regular) nesta época.

Se não chegaram aos 20M, é perfeitamente natural não vendermos o Acuña.
Eu já duvido se ele melhorou e é uma surpresa positiva ou por ser dos menos maus um gajo até lhe vê toques de genialidade.
record diz que zenit vai insistir em acuña.
(como é que os jornais sabem que "vem aí nova proposta"? os clubes compradores notificam os jornais antes de notificarem os clubes vendedores???)
O Acuña tem um estilo muito parecido ao meu, enquanto arrumador do meu quarto.

É fascinante vê-lo tentar agredir o espaço da maneira tão verdadeira com que ele o faz. Ele não esconde quais são as suas intenções, assume-as e confronta-as: "Ai é por aqui? Ai este é que é o caminho mais difícil? Ora bem ... um cabo-verdiano corpulento que bate em tudo que mexe, um lateral-direito, 2m² de terreno, o Adamastor, 5 contentores do lixo, o Ecoponto, 3 mamutes a jogar UNO, bem ... é mesmo por aqui. c******. Até quero ver quem é o campeão que se mete à minha frente...". E lá vai ele, feliz da vida, tentando violentar o espaço e tudo aquilo que se interpõe entre si. É uma história de amor asfixiante, que acaba sempre em tragédia.

É basicamente como eu. A minha mãe diz-me para arrumar o meu quarto. Eu pego nas coisas por arrumar, abro a gaveta e penso: "Ui. Mas isto está à pinha. Não cabe aqui mais nada!". Só que em vez de achar outra solução, um cubículo qualquer onde seja mais fácil arrumar as coisas, vou enfiando e empurrando tudo para o interior dessa mesma gaveta sobrelotada. Já não cabe mais nada ali, não há espaço nenhum, mas eu, como o Acuña, sou um homem que gosta de agredir o espaço. Há uma diferença: não o faço de costas. O Acuña tem esse tique. Tenta irromper de traseira. Eu não. Até porque não dá muito jeito.

Claro, eu ajo assim por preguiça. O Acuña é só porque não sabe mais, porque se soubesse, ele abriria outras gavetas.

 :lol:

 :clap:

Mas não brinques, todos sabemos que de traseira é o que gostas mais.
"Para mim , o Sporting é como uma mulher que se ama logo à primeira vista. Um homem pode conhecer várias mulheres , mas há sempre ‘aquela’, a especial. Independentemente de ficarmos com ela ou não, lembramo-nos dela para sempre!" - Ivone De Franceschi
Vamos lá clarificar uma coisa: ninguém aqui (acho eu) duvida da garra de Acuna. Essa mesma garra também faz dele um quezilento de primeira. Há jogadores que jogam com garra sem terem que estar sempre a mandar vir com tudo e todos - o Acuna nao é um deles.

Agora, aqui a questao é simples: Acuna foi caro (quase €10M) e foi contratado para ser "o tal" extremo desiquilibrador. Nao o é. E um ala Esquerdo que é competente a defender e que tenta ir á linha cruzar em arrancadas rápidas. No 1 para 1, é o que sabemos. A jogar por dentro, a recuperar bolas? Nao acabava a maior parte dos jogos.
Acuna tem 27 anos (faz 28 em Outubro). O valor de mercado a partir daqui tende a decrescer.

O Sporting joga amanha com o Vilareal. Só posso assumir que Varandas está á espera desse jogo para ver se vende já ou daqui por 1 semana. Mas, se a proposta chegar até aos €20M (mesmo com 2M por objectivos) entao é mesmo de vender. Nunca fomos um clube bom em termos de timing de venda. Depois o Jogador "amua" e se for preciso daí por 6 meses ou 1 ano saí por uma bagatela. Nao esquecer que houve uma altura que, salvo erro, o Kiev dava €8M pelo Jefferson.. Pois é..
“Quero um clube só de futebol, sem sócios mas com adeptos que não se intrometam na gestão nem tenham voto nas eleições dos corpos sociais”.

Filipe Soares Franco - 2005