Dimitar Mitrovski

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Sempre gostei bastante dele. É daqueles cuja técnica delicia.
Pode precisar de trabalhar mais um pouco no ginásio e ser mais consistente mas o resto está lá.

O pior é que agora a moda é apostar mais em jogadores pelo físico e não pelo jeito que tratam a bola. Qualquer cavalo agora é jogador e temos muitos exemplos disso para os dois lados.

Tipo João Felix :question: :)

Sorry, a moda do Sporting. Tipo Jovane
Sempre gostei bastante dele. É daqueles cuja técnica delicia.
Pode precisar de trabalhar mais um pouco no ginásio e ser mais consistente mas o resto está lá.

O pior é que agora a moda é apostar mais em jogadores pelo físico e não pelo jeito que tratam a bola. Qualquer cavalo agora é jogador e temos muitos exemplos disso para os dois lados.

Tipo João Felix :question: :)

Sorry, a moda do Sporting. Tipo Jovane

Realmente...depois de Balakov,Figo,Capucho,Peixe,J.Mario,De Francheschi, João Pinto,Quaresma,(fora Suinões,Moutinhos) etc,etc...não faz muito sentido.  :shifty:
Sempre gostei bastante dele. É daqueles cuja técnica delicia.
Pode precisar de trabalhar mais um pouco no ginásio e ser mais consistente mas o resto está lá.

O pior é que agora a moda é apostar mais em jogadores pelo físico e não pelo jeito que tratam a bola. Qualquer cavalo agora é jogador e temos muitos exemplos disso para os dois lados.

Tipo João Felix :question: :)

Sorry, a moda do Sporting. Tipo Jovane

Realmente...depois de Balakov,Figo,Capucho,Peixe,J.Mario,De Francheschi, João Pinto,Quaresma,(fora Suinões,Moutinhos) etc,etc...não faz muito sentido.  :shifty:

Estou a falar de agora. Muitos dos jovens do estilo do Mitrovski foram queimados recentemente e não são aposta. Só isso  :great: O ultimo que apostamos mais do género foi mesmo o João Mário.
Sempre gostei bastante dele. É daqueles cuja técnica delicia.
Pode precisar de trabalhar mais um pouco no ginásio e ser mais consistente mas o resto está lá.

O pior é que agora a moda é apostar mais em jogadores pelo físico e não pelo jeito que tratam a bola. Qualquer cavalo agora é jogador e temos muitos exemplos disso para os dois lados.

Tipo João Felix :question: :)

Sorry, a moda do Sporting. Tipo Jovane

Realmente...depois de Balakov,Figo,Capucho,Peixe,J.Mario,De Francheschi, João Pinto,Quaresma,(fora Suinões,Moutinhos) etc,etc...não faz muito sentido.  :shifty:

Estou a falar de agora. Muitos dos jovens do estilo do Mitrovski foram queimados recentemente e não são aposta. Só isso  :great: O ultimo que apostamos mais do género foi mesmo o João Mário.

Eu percebi, o que eu queria dar a entender é que sempre formamos/tivemos bons jogadores sem serem "caparrudos" mas com mais técnica.
E não eram mauzitos  :mrgreen:
Sempre gostei bastante dele. É daqueles cuja técnica delicia.
Pode precisar de trabalhar mais um pouco no ginásio e ser mais consistente mas o resto está lá.

O pior é que agora a moda é apostar mais em jogadores pelo físico e não pelo jeito que tratam a bola. Qualquer cavalo agora é jogador e temos muitos exemplos disso para os dois lados.

Tipo João Felix :question: :)

Sorry, a moda do Sporting. Tipo Jovane

Realmente...depois de Balakov,Figo,Capucho,Peixe,J.Mario,De Francheschi, João Pinto,Quaresma,(fora Suinões,Moutinhos) etc,etc...não faz muito sentido.  :shifty:

Estou a falar de agora. Muitos dos jovens do estilo do Mitrovski foram queimados recentemente e não são aposta. Só isso  :great: O ultimo que apostamos mais do género foi mesmo o João Mário.

Eu percebi, o que eu queria dar a entender é que sempre formamos/tivemos bons jogadores sem serem "caparrudos" mas com mais técnica.
E não eram mauzitos  :mrgreen:

Exatamente  :great: E foi nesse tempo que fomos a melhor academia.
Como disseram atrás, Mitrovski, Oliveira, Elves e Bragança têm essa capacidade. E depois temos o Geraldes encostado na A e o Matheus que nunca calçou verdadeiramente.
Citar
Rodrigo Roquette: «Ristovski foi imprudente na escolha de palavras, ainda por cima com árbitro de educação elevada»
Artigo de opinião de Rodrigo Roquette, sócio do Sporting

É preciso começar por dizer que o Sporting não tem sido consistente e competente. A distância do Sporting para o líder deve-se essencialmente a erros próprios que têm vindo a acumular-se ao longo dos anos.

Há uma necessidade urgente de mudar o paradigma, a mentalidade, de aumentar a nossa taxa de sucesso e isso só se consegue com a criação de uma cultura de exigência, de competência, de foco, de ambição constante e naturalmente de qualidade.

Numa lógica de regeneração e mudança acho que não faz muito sentido começar por falar de outros fatores (ainda que tenham peso), mas sim começar por resolver os problemas que temos dentro de casa.

Independentemente das convulsões, crises, dos fatores internos e externos que nos têm impedido de ganhar mais títulos, da pré-época atípica, da fase transição da direção e equipa técnica, do desequilíbrio do plantel (até por comparação com Benfica e Porto), o Sporting tem obrigação de fazer melhor contra Portimonense, Tondela, Vitórias (Guimarães e Setúbal) ou Braga.

À semelhança do jogo crucial de Tondela, antes da recepção ao Porto, o jogo de Setúbal condicionou o Derby, seja pela necessidade imperiosa de ganhar, seja pela motivação, a confiança e o medo de errar. Foi o Sporting que por incompetência própria que se colocou nessa posição.

Mas também é verdade que nos momentos cruciais a fragilidade do Sporting fica ainda mais exposta pela dualidade de critérios em nosso prejuízo.

O jogo de Setúbal foi um exemplo dessa dualidade, no jogo em si, mas também quando comparamos com os restantes jogos do campeonato. É tão fácil dar cartões aos jogadores do Sporting. A dualidade de critérios na amostragem de cartões vem desde a primeira jornada do campeonato. Parece que o rigor só se aplica nos jogos do nosso clube.

O lance em que Ristovski leva uma cotovelada, que lhe fez um "Monte Evereste" na testa e em que o árbitro não assinala falta e ainda transforma um cartão ao adversário num vermelho direto por protestos, é um atestado à falta de vergonha.

Como fiquei irritado com a ausência de um critério uniforme em relação aos restantes jogos do campeonato, resolvi pedir ajuda a um amigo meu especialista em leitura labial para perceber o que efetivamente foi dito pelo jogador do Sporting.  A primeira dificuldade que tive foi encontrar uma pessoa que saiba fazer leitura labial em…Macedónio. Ao que parece em Portugal só há 2 pessoas que falam Macedónio, uma delas é o árbitro Hélder Malheiro.

Segundo o especialista as palavras do (justamente) indignado Ristovski foram: "És um tótó!!!" Foi aí que se me fez luz e percebi que de facto o jogador foi bem expulso. É que chamar "tótó" em Macedónio é das coisas mais ofensivas que podem existir. O grau de humilhação não tem par.

No fundo Ristovski foi imprudente na escolha de palavras. Toda a gente sabe que se é para ofender o árbitro o jogador tem de chamar nomes à mãe do "senhor", ou mandá-lo para um sitio qualquer no mais puro vernáculo. Basta ver que em praticamente em todos os jogos isso acontece sem que alguém seja expulso (às vezes um amarelo, às vezes nem isso). Ou então teria utilizado palavras tais como "não vales nada" ou "não podes apitar mais jogos", expressões essas que para além de lhe perdoarem qualquer castigo ainda lhe permitirão ter vantagem em jogos futuros.

Que ingénuo foi Ristovski na escolha de palavras, ainda por cima com árbitro de educação elevada (sabe Macedónio), que é altamente sensível a ofensas, que resolveu mostrar amarelos a tudo o que era falta e que deve ser primo do treinador de guarda redes do Porto. À falta de uma medalhada para fazer um segundo galo, toma lá com o cartão vermelho.

No fim ficámos todos com um galo premeditado e o sensível conhecedor de Macedónio a rir-se. Como diria o "sonso" cá estaremos para acompanhar a carreira e o critério deste e de outros "árbitros".

Record

Citar
Rodrigo Roquette: «Ristovski foi imprudente na escolha de palavras, ainda por cima com árbitro de educação elevada»
Artigo de opinião de Rodrigo Roquette, sócio do Sporting

É preciso começar por dizer que o Sporting não tem sido consistente e competente. A distância do Sporting para o líder deve-se essencialmente a erros próprios que têm vindo a acumular-se ao longo dos anos.

Há uma necessidade urgente de mudar o paradigma, a mentalidade, de aumentar a nossa taxa de sucesso e isso só se consegue com a criação de uma cultura de exigência, de competência, de foco, de ambição constante e naturalmente de qualidade.

Numa lógica de regeneração e mudança acho que não faz muito sentido começar por falar de outros fatores (ainda que tenham peso), mas sim começar por resolver os problemas que temos dentro de casa.

Independentemente das convulsões, crises, dos fatores internos e externos que nos têm impedido de ganhar mais títulos, da pré-época atípica, da fase transição da direção e equipa técnica, do desequilíbrio do plantel (até por comparação com Benfica e Porto), o Sporting tem obrigação de fazer melhor contra Portimonense, Tondela, Vitórias (Guimarães e Setúbal) ou Braga.

À semelhança do jogo crucial de Tondela, antes da recepção ao Porto, o jogo de Setúbal condicionou o Derby, seja pela necessidade imperiosa de ganhar, seja pela motivação, a confiança e o medo de errar. Foi o Sporting que por incompetência própria que se colocou nessa posição.

Mas também é verdade que nos momentos cruciais a fragilidade do Sporting fica ainda mais exposta pela dualidade de critérios em nosso prejuízo.

O jogo de Setúbal foi um exemplo dessa dualidade, no jogo em si, mas também quando comparamos com os restantes jogos do campeonato. É tão fácil dar cartões aos jogadores do Sporting. A dualidade de critérios na amostragem de cartões vem desde a primeira jornada do campeonato. Parece que o rigor só se aplica nos jogos do nosso clube.

O lance em que Ristovski leva uma cotovelada, que lhe fez um "Monte Evereste" na testa e em que o árbitro não assinala falta e ainda transforma um cartão ao adversário num vermelho direto por protestos, é um atestado à falta de vergonha.

Como fiquei irritado com a ausência de um critério uniforme em relação aos restantes jogos do campeonato, resolvi pedir ajuda a um amigo meu especialista em leitura labial para perceber o que efetivamente foi dito pelo jogador do Sporting.  A primeira dificuldade que tive foi encontrar uma pessoa que saiba fazer leitura labial em…Macedónio. Ao que parece em Portugal só há 2 pessoas que falam Macedónio, uma delas é o árbitro Hélder Malheiro.

Segundo o especialista as palavras do (justamente) indignado Ristovski foram: "És um tótó!!!" Foi aí que se me fez luz e percebi que de facto o jogador foi bem expulso. É que chamar "tótó" em Macedónio é das coisas mais ofensivas que podem existir. O grau de humilhação não tem par.

No fundo Ristovski foi imprudente na escolha de palavras. Toda a gente sabe que se é para ofender o árbitro o jogador tem de chamar nomes à mãe do "senhor", ou mandá-lo para um sitio qualquer no mais puro vernáculo. Basta ver que em praticamente em todos os jogos isso acontece sem que alguém seja expulso (às vezes um amarelo, às vezes nem isso). Ou então teria utilizado palavras tais como "não vales nada" ou "não podes apitar mais jogos", expressões essas que para além de lhe perdoarem qualquer castigo ainda lhe permitirão ter vantagem em jogos futuros.

Que ingénuo foi Ristovski na escolha de palavras, ainda por cima com árbitro de educação elevada (sabe Macedónio), que é altamente sensível a ofensas, que resolveu mostrar amarelos a tudo o que era falta e que deve ser primo do treinador de guarda redes do Porto. À falta de uma medalhada para fazer um segundo galo, toma lá com o cartão vermelho.

No fim ficámos todos com um galo premeditado e o sensível conhecedor de Macedónio a rir-se. Como diria o "sonso" cá estaremos para acompanhar a carreira e o critério deste e de outros "árbitros".

Record


Ristovski | Mitrovski  ;D :lol:
Quem se lembra dele dos primeiros jogos que fez nos júniores nota uma evolução tremenda, porque o futebol não é só com bola no pé.

Ainda tem que crescer nos momentos do jogo em que não tem a bola, mas tem potencial.
 Tinha que estar a ser titular nos sub-23, é superior em qualidade e potencial que muitos que lá andam, no entanto anda mais pelo banco de suplentes que outra coisa. Há gestões que são difíceis de compreender.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
 Tinha que estar a ser titular nos sub-23, é superior em qualidade e potencial que muitos que lá andam, no entanto anda mais pelo banco de suplentes que outra coisa. Há gestões que são difíceis de compreender.
Concordo plenamente. Este miudo é craque dos pés à cabeça! Sinceramente não intendo como este não seja uma aposta forte, mas não andamos a contratar no Equador!
Buildings burn, people die, but true love is forever!
Teremos de esperar pela próxima época para o ver ser titular regularmente nos sub-23 (ou Equipa B, já nem sei). Espero eu, porque tem de ser aposta, mais cedo ou mais tarde.
 Tinha que estar a ser titular nos sub-23, é superior em qualidade e potencial que muitos que lá andam, no entanto anda mais pelo banco de suplentes que outra coisa. Há gestões que são difíceis de compreender.
Mesmo, não se entende, já na B tínhamos muito este efeito devido a entulho a mais.
(Sobre as medidas do varandas para o sucesso nas modalidades)
Citação de: Presidente em Hoje às 14:36

Os resultados falam por si. A política do "eu fiz isto, eu ganhei aquilo" já acabou. Agora temos um presidente que sabe ser e sabe estar, respeitador dos seus funcionários e que consegue motivá-los sem ser à base de ameaças e insultos.
Um pouco à imagem do Geraldes. Quando tiver 23 anos pode ser que esteja no banco.

Este é para jogar já. Se errar paciência, tá nos sub-23, mas pelo menos tem potencial e sabe tratar a bola.

Um trio com Paz, Matheus Nunes e Mitrovski a 10/segundo avançado era de apostar.
Quero ver para o ano o Benny e o Tomás no meio-campo, com um trinco atrás, e o Brás e o Mitrovski no apoio ao ponta-de-lança  :)
Quero ver para o ano o Benny e o Tomás no meio-campo, com um trinco atrás, e o Brás e o Mitrovski no apoio ao ponta-de-lança  :)

Ele este ano já tem 20, pro ano tem 21 e aí é que é, depois aos 22 é emprestado. É como eu digo, aos 23 talvez vá para o banco. Custa-me este tipo de jogadores, mais vale arranjar logo clube para eles do que estar a fazer isto.
Anda o Túlio a titular para o Dimi andar no banco, não consigo entender.
Quero ver para o ano o Benny e o Tomás no meio-campo, com um trinco atrás, e o Brás e o Mitrovski no apoio ao ponta-de-lança  :)

 O Mitro é para agora.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Quero ver para o ano o Benny e o Tomás no meio-campo, com um trinco atrás, e o Brás e o Mitrovski no apoio ao ponta-de-lança  :)

Ele este ano já tem 20, pro ano tem 21 e aí é que é, depois aos 22 é emprestado. É como eu digo, aos 23 talvez vá para o banco. Custa-me este tipo de jogadores, mais vale arranjar logo clube para eles do que estar a fazer isto.

Mas qual tipo de jogadores? O Mitrovski chegou ao Sporting enquanto júnior e estava muito longe de ser um prodígio. Tinha técnica, faltava tudo o resto. Tem crescido enormidades de semestre para semestre.
Quero ver para o ano o Benny e o Tomás no meio-campo, com um trinco atrás, e o Brás e o Mitrovski no apoio ao ponta-de-lança  :)

Ele este ano já tem 20, pro ano tem 21 e aí é que é, depois aos 22 é emprestado. É como eu digo, aos 23 talvez vá para o banco. Custa-me este tipo de jogadores, mais vale arranjar logo clube para eles do que estar a fazer isto.

Mas qual tipo de jogadores? O Mitrovski chegou ao Sporting enquanto júnior e estava muito longe de ser um prodígio. Tinha técnica, faltava tudo o resto. Tem crescido enormidades de semestre para semestre.
Crescido? Mal joga...
Quero ver para o ano o Benny e o Tomás no meio-campo, com um trinco atrás, e o Brás e o Mitrovski no apoio ao ponta-de-lança  :)

Ele este ano já tem 20, pro ano tem 21 e aí é que é, depois aos 22 é emprestado. É como eu digo, aos 23 talvez vá para o banco. Custa-me este tipo de jogadores, mais vale arranjar logo clube para eles do que estar a fazer isto.

Mas qual tipo de jogadores? O Mitrovski chegou ao Sporting enquanto júnior e estava muito longe de ser um prodígio. Tinha técnica, faltava tudo o resto. Tem crescido enormidades de semestre para semestre.
Crescido? Mal joga...

Basta vê-lo nos minutos que tem tido em campo e comparar com o jogador que era quando começou a entrar nos júniores.

Também acho que poderia/deveria ser já titular, mas tenham paciência e deem tempo ao tempo. Convenhamos que ele não demonstrou no Sporting o potencial que alguns colegas seus de geração, nomeadamente o Max, Bragança, Miguel Luís e Elves Baldé (+ Rafael Leão e Tiago Djaló), mostraram para uma indignação generalizada e tão veemente.