Preparação época desportiva 2017-2018

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Vou fazer uma análise de maior dimensão pelo que vou deixar em spoiler. Começando pelo treinador:
Spoiler: mostrar
Mais do que jogadores, acho que era importante revitalizar o futebol da equipa principal com um treinador versátil, que tenha capacidade de jogar em vários sistemas táticos e de se adaptar mediante o adversário que vai encontrar. Caso o JJ o consiga fazer, então não me importo que continue. Mas realisticamente, não me parece que o vá fazer.

Na temporada passada, montou uma equipa bem oleada, talhada para jogar em posse mas com capacidade também em transição (muito devido à profundidade dada pelo Slimani), mas esta temporada não está a conseguir adaptar as circunstâncias do plantel que tem à disposição ao seu sistema tático. E como, na minha opinião, um bom treinador tem de ter capacidade de mudança, via com muito bons olhos uma aposta no Paulo Sousa.

Vejo muitas características no futebol do Paulo Sousa que me agradam. No Basileia e, sobretudo, na sua primeira época na Fiorentina, era visível uma equipa que jogava um futebol muito consistente, com as linhas muito próximas tanto a defender como a atacar, com movimentações constantes no meio-campo (movimentações por vezes semelhantes às que fazíamos com William, Adrien, João Mário e Bryan Ruiz). Estou a falar disto:



Este tipo de situações eram muito comuns na primeira época do JJ. Qualquer que fosse o adversário, era visível a fluidez com que conseguíamos manter a posse de bola e criar situações de superioridade numérica no meio-campo, independentemente do adversário (e isto era óbvio principalmente nos jogos com o Benfica). Era esta proximidade entre as linhas que nos fazia dominar o jogo, encontrar os espaços vazios e "apertar o cerco" quando perdíamos a bola. A equipa adversária era sufocada em pressão logo nas primeiras linhas:



Vejo estes dois gifs e, ao trocar as camisolas da Fiorentina pelas do Sporting, vejo o nosso futebol da temporada passada que varreu grande parte das equipas da liga facilmente. Independente de quem jogava, independentemente do sistema tático. E eu quero isto de volta.

Os gifs retirei de um artigo sobre o Paulo Sousa, que aconselho vivamente a ler: http://theinsidechannel.com/a-guide-to-paulo-sousas-tactics-at-fiorentina/


Quanto aos jogadores:
Spoiler: mostrar
Pegando na ideia que explorei em cima, acho que seria útil basear o nosso plantel dentro do padrão de jogo continuado, de posse que seria ideal praticar. Posto isto, há algumas coisas que necessitamos de ter:

- Laterais. Porque não os temos, e uma equipa que queira ser grande tem de ter bons laterais. É a prioridade máxima, já aqui foi discutida várias vezes, e tem de ser resolvida. E não são laterais comuns: temos de ter laterais que consigam dar profundidade (que é diferente de ir à linha e cruzar) e inteligência (não só defensiva, como em posse). Temos de ter soluções, e não problemas.
- Criatividade. Porque hoje em dia, é quase nula. O futebol do Sporting é previsível, as linhas de passe são básicas, não existe fluidez. Essa criatividade, além de ser dada por novos jogadores, tem de ser dada pelo sistema tático.
- Consistência. Temos de saber quando fazer, como fazer e porque fazer. Temos de ser uma equipa que saiba o que quer em quase todos os momentos do jogo. Temos de ser uma equipa que saiba quando atacar, que saiba quando defender, e que, sobretudo, saiba fazê-lo de forma consistente.

Deste modo, aquilo que propunha era um plantel deste estilo:



Este sistema tático seria a nossa base a atacar, sendo que a defender seria um 4-4-1-1, com o Geraldes e o Gélson a fechar os flancos. Não pedia mais que isto: uma adaptação dos recursos que temos ao estilo de jogo que queremos implementar, com poucas contratações mas cirúrgicas. Passo a explicar:

- A vaga de 4º central seria para um jovem. O Kiki, que tem sido dos poucos elementos em destaque na equipa B, poderia ir treinando com a equipa principal enquanto joga na B, uma vez que tem um perfil parecido ao do Coates. O Domingos está a crescer, mas acho que está num patamar em que já não merece voltar a jogar pela equipa B e não me dá garantias suficientes para ser titular na equipa A.

- O Gauld, o Geraldes e o Wallyson são 3 jogadores que me agradam, porque todos têm capacidade de acrescentar criatividade (o Geraldes em transição, o Gauld em posicionamento e o Wallyson em construção). Vejo em todos capacidades para estar na equipa principal. A única reserva seria o Wallyson, que ia depender da sua condição física.

- O Fágner seria o dínamo na direita. Poderia ser caro, mas a qualidade paga-se. Tem capacidade para oferecer tudo o que pedi em cima. O Gilberto, que até foi emprestado pela Fiorentina, seria uma aposta pessoal, talvez até por empréstimo, num jogador que, a meu ver, tem qualidade mas que não se tem adaptado muito bem ao campeonato onde está.

- O Kenedy, que até deverá estar de saída do Chelsea (vide: https://esportes.yahoo.com/noticias/mais-um-brasileiro-pode-deixar-150054704.html), seria a minha aposta na esquerda.

- Matheus e Iuri são jogadores que, acima de tudo, têm golo. O primeiro nos pés (excelente finalizador), e o segundo na cabeça (porque vê espaços onde muitos não vêm, e coloca a bola onde muitos nem sequer pensam em colocar).

O Castaignos e o Ruiz são duvidas que vou esperar pelo fim da época para esclarecer. Este plantel também não tem em conta saídas de jogadores que considero fundamentais (Patrício, William, Adrien, Coates e Dost).

Sei que é extremamente irrealista tudo o que aqui escrevi, e que nada disto vai acontecer, mas acho que o caminho deveria ser este.

Nota: Era suposto ser o Bryan Ruiz, e não o Alan Ruiz naquela posição.
Em relação à continuidade ou não do JJ dois cenários se afiguram:

1º - Continua tudo na mesma, ou seja, JJ como treinador e manager e temos o Dr. Jekyll & Mr. Hyde (excelente treinador & medíocre manager)

2º - O BdC e restante direcção falam com o JJ e limitam a sua acção apenas à parte técnica e contratam um director desportivo. JJ acha-se um supra-sumo nas duas áreas e conhecendo nós o seu temperamento, poderá ser por aí que se pode dar a ruptura.

SL 
« Última modificação: Janeiro 15, 2017, 15:56 pm por Pafan »
O Lucien Favre é um treinador fenomenal, mas não sei até que ponto aceitaria abandonar o projecto do Nice. Mesmo no final da época. Apesar de 6M€/ano ser muito dinheiro...
-This one shows spirit. He shall make keen ally in the battle against Ronan. Companion, what were you retrieving?
(shows tape player)
-You're an imbecile.
Vou fazer uma análise de maior dimensão pelo que vou deixar em spoiler. Começando pelo treinador:
Spoiler: mostrar
Mais do que jogadores, acho que era importante revitalizar o futebol da equipa principal com um treinador versátil, que tenha capacidade de jogar em vários sistemas táticos e de se adaptar mediante o adversário que vai encontrar. Caso o JJ o consiga fazer, então não me importo que continue. Mas realisticamente, não me parece que o vá fazer.

Na temporada passada, montou uma equipa bem oleada, talhada para jogar em posse mas com capacidade também em transição (muito devido à profundidade dada pelo Slimani), mas esta temporada não está a conseguir adaptar as circunstâncias do plantel que tem à disposição ao seu sistema tático. E como, na minha opinião, um bom treinador tem de ter capacidade de mudança, via com muito bons olhos uma aposta no Paulo Sousa.

Vejo muitas características no futebol do Paulo Sousa que me agradam. No Basileia e, sobretudo, na sua primeira época na Fiorentina, era visível uma equipa que jogava um futebol muito consistente, com as linhas muito próximas tanto a defender como a atacar, com movimentações constantes no meio-campo (movimentações por vezes semelhantes às que fazíamos com William, Adrien, João Mário e Bryan Ruiz). Estou a falar disto:



Este tipo de situações eram muito comuns na primeira época do JJ. Qualquer que fosse o adversário, era visível a fluidez com que conseguíamos manter a posse de bola e criar situações de superioridade numérica no meio-campo, independentemente do adversário (e isto era óbvio principalmente nos jogos com o Benfica). Era esta proximidade entre as linhas que nos fazia dominar o jogo, encontrar os espaços vazios e "apertar o cerco" quando perdíamos a bola. A equipa adversária era sufocada em pressão logo nas primeiras linhas:



Vejo estes dois gifs e, ao trocar as camisolas da Fiorentina pelas do Sporting, vejo o nosso futebol da temporada passada que varreu grande parte das equipas da liga facilmente. Independente de quem jogava, independentemente do sistema tático. E eu quero isto de volta.

Os gifs retirei de um artigo sobre o Paulo Sousa, que aconselho vivamente a ler: http://theinsidechannel.com/a-guide-to-paulo-sousas-tactics-at-fiorentina/


Quanto aos jogadores:
Spoiler: mostrar
Pegando na ideia que explorei em cima, acho que seria útil basear o nosso plantel dentro do padrão de jogo continuado, de posse que seria ideal praticar. Posto isto, há algumas coisas que necessitamos de ter:

- Laterais. Porque não os temos, e uma equipa que queira ser grande tem de ter bons laterais. É a prioridade máxima, já aqui foi discutida várias vezes, e tem de ser resolvida. E não são laterais comuns: temos de ter laterais que consigam dar profundidade (que é diferente de ir à linha e cruzar) e inteligência (não só defensiva, como em posse). Temos de ter soluções, e não problemas.
- Criatividade. Porque hoje em dia, é quase nula. O futebol do Sporting é previsível, as linhas de passe são básicas, não existe fluidez. Essa criatividade, além de ser dada por novos jogadores, tem de ser dada pelo sistema tático.
- Consistência. Temos de saber quando fazer, como fazer e porque fazer. Temos de ser uma equipa que saiba o que quer em quase todos os momentos do jogo. Temos de ser uma equipa que saiba quando atacar, que saiba quando defender, e que, sobretudo, saiba fazê-lo de forma consistente.

Deste modo, aquilo que propunha era um plantel deste estilo:



Este sistema tático seria a nossa base a atacar, sendo que a defender seria um 4-4-1-1, com o Geraldes e o Gélson a fechar os flancos. Não pedia mais que isto: uma adaptação dos recursos que temos ao estilo de jogo que queremos implementar, com poucas contratações mas cirúrgicas. Passo a explicar:

- A vaga de 4º central seria para um jovem. O Kiki, que tem sido dos poucos elementos em destaque na equipa B, poderia ir treinando com a equipa principal enquanto joga na B, uma vez que tem um perfil parecido ao do Coates. O Domingos está a crescer, mas acho que está num patamar em que já não merece voltar a jogar pela equipa B e não me dá garantias suficientes para ser titular na equipa A.

- O Gauld, o Geraldes e o Wallyson são 3 jogadores que me agradam, porque todos têm capacidade de acrescentar criatividade (o Geraldes em transição, o Gauld em posicionamento e o Wallyson em construção). Vejo em todos capacidades para estar na equipa principal. A única reserva seria o Wallyson, que ia depender da sua condição física.

- O Fágner seria o dínamo na direita. Poderia ser caro, mas a qualidade paga-se. Tem capacidade para oferecer tudo o que pedi em cima. O Gilberto, que até foi emprestado pela Fiorentina, seria uma aposta pessoal, talvez até por empréstimo, num jogador que, a meu ver, tem qualidade mas que não se tem adaptado muito bem ao campeonato onde está.

- O Kenedy, que até deverá estar de saída do Chelsea (vide: https://esportes.yahoo.com/noticias/mais-um-brasileiro-pode-deixar-150054704.html), seria a minha aposta na esquerda.

- Matheus e Iuri são jogadores que, acima de tudo, têm golo. O primeiro nos pés (excelente finalizador), e o segundo na cabeça (porque vê espaços onde muitos não vêm, e coloca a bola onde muitos nem sequer pensam em colocar).

O Castaignos e o Ruiz são duvidas que vou esperar pelo fim da época para esclarecer. Este plantel também não tem em conta saídas de jogadores que considero fundamentais (Patrício, William, Adrien, Coates e Dost).

Sei que é extremamente irrealista tudo o que aqui escrevi, e que nada disto vai acontecer, mas acho que o caminho deveria ser este.

Nota: Era suposto ser o Bryan Ruiz, e não o Alan Ruiz naquela posição.
Amigo, boa análise! Também gosto muito do futebol do Paulo Sousa... Em relação ao nosso sistema da época passada é, sem dúvida, o meu preferido. Não gosto muito do futebol a depender de 1/2 jogadores criativos. Tornam-se equipas fortes no ataque, mas muito dependentes. O ano passado toda a gente pedia um extremo criativo, rápido, bom drible, mas sinceramente preferia ter um João Mário adaptado a dar consistência ao meio campo e a atacar com um elevado nível de inteligência. Este ano o modelo mudou e, graças a esse modelo, perdemos consistência. Acabou por afectar jogadores como Bryan Ruiz / Bruno César e a destacar um Gelson Martins. O que propunha seria algo idêntico, mas vou pensar mais neste ano, para prepararmos um modelo tipo para o próximo ano. Rui Patrício, Peruzzi, Coates, Oliveira, Augustinsson, William, Adrien, Bryan Ruiz, Gelson, Bruno César, Dost. A consistência passa por fechar bem o meio-campo (com William, Adrien, Bryan Ruiz, Bruno César) e soltar o Gelson (Jogador com maor liberdade). Outra opção, seria o Elias no lugar do Bruno César. Vejo nele um jogador a criar boas oportunidade no ataque, atrás do Dost e a defender, fechando o lado direito. Faria um papel idêntico ao do João Mário.
O André Pinto do Sporting de Braga parece que já tem contrato assinado com algum clube. Será conosco?
O André Pinto do Sporting de Braga parece que já tem contrato assinado com algum clube. Será conosco?

Também desconfio que seja esse o motivo pelo qual foi posto na equipa B, mas não me parece que seja connosco..
A informação que me chegou é que esta é a minha assinatura. Vale o que vale...
O André Pinto do Sporting de Braga parece que já tem contrato assinado com algum clube. Será conosco?

Também desconfio que seja esse o motivo pelo qual foi posto na equipa B, mas não me parece que seja connosco..
parece me que ira para os lamps
Pois, acho que sso traria algum mal estar entre beneficia e Braga, o que duvido que aconteça... Por isso é que desconfio que não vá para lá, e aposto mais em nós ou no porto. E como nos últimos anos o Sporting tem tido mais cuidado com estas oportunidades de negócio, não sei...
O André Pinto do Sporting de Braga parece que já tem contrato assinado com algum clube. Será conosco?

Também desconfio que seja esse o motivo pelo qual foi posto na equipa B, mas não me parece que seja connosco..

Nada disso. O André Pinto foi afastado do grupo de trabalho porque vinha tendo comportamentos pouco recomendáveis para com os colegas e bateu de frente com o Jorge Simão. Vejo muito da má liderança do Peseiro nesta história. Vai ficar sem competir, seja pela A ou B, até ao final do seu contrato.
Orgulho no passado, coragem no presente... o futuro é SPORTING SEMPRE!
É bom saber que já temos um tópico para a próxima temporada. Foi praticamente em época natalícia portanto as normas foram cumpridas na perfeição. Afinal a mentalidade "croquetista" permanece seja com BdC, JJ ou Paulinho. Deprimente este ciclo vicioso que o Sporting não consegue abandonar. Estamos condenados a igualar o recorde dos 18 anos...já vi este filme em demasiados ensejos.
O Lucien Favre é um treinador fenomenal, mas não sei até que ponto aceitaria abandonar o projecto do Nice. Mesmo no final da época. Apesar de 6M€/ano ser muito dinheiro...

Vou fazer uma análise de maior dimensão pelo que vou deixar em spoiler. Começando pelo treinador:
Spoiler: mostrar
Mais do que jogadores, acho que era importante revitalizar o futebol da equipa principal com um treinador versátil, que tenha capacidade de jogar em vários sistemas táticos e de se adaptar mediante o adversário que vai encontrar. Caso o JJ o consiga fazer, então não me importo que continue. Mas realisticamente, não me parece que o vá fazer.

Na temporada passada, montou uma equipa bem oleada, talhada para jogar em posse mas com capacidade também em transição (muito devido à profundidade dada pelo Slimani), mas esta temporada não está a conseguir adaptar as circunstâncias do plantel que tem à disposição ao seu sistema tático. E como, na minha opinião, um bom treinador tem de ter capacidade de mudança, via com muito bons olhos uma aposta no Paulo Sousa.

Vejo muitas características no futebol do Paulo Sousa que me agradam. No Basileia e, sobretudo, na sua primeira época na Fiorentina, era visível uma equipa que jogava um futebol muito consistente, com as linhas muito próximas tanto a defender como a atacar, com movimentações constantes no meio-campo (movimentações por vezes semelhantes às que fazíamos com William, Adrien, João Mário e Bryan Ruiz). Estou a falar disto:



Este tipo de situações eram muito comuns na primeira época do JJ. Qualquer que fosse o adversário, era visível a fluidez com que conseguíamos manter a posse de bola e criar situações de superioridade numérica no meio-campo, independentemente do adversário (e isto era óbvio principalmente nos jogos com o Benfica). Era esta proximidade entre as linhas que nos fazia dominar o jogo, encontrar os espaços vazios e "apertar o cerco" quando perdíamos a bola. A equipa adversária era sufocada em pressão logo nas primeiras linhas:



Vejo estes dois gifs e, ao trocar as camisolas da Fiorentina pelas do Sporting, vejo o nosso futebol da temporada passada que varreu grande parte das equipas da liga facilmente. Independente de quem jogava, independentemente do sistema tático. E eu quero isto de volta.

Os gifs retirei de um artigo sobre o Paulo Sousa, que aconselho vivamente a ler: http://theinsidechannel.com/a-guide-to-paulo-sousas-tactics-at-fiorentina/


Quanto aos jogadores:
Spoiler: mostrar
Pegando na ideia que explorei em cima, acho que seria útil basear o nosso plantel dentro do padrão de jogo continuado, de posse que seria ideal praticar. Posto isto, há algumas coisas que necessitamos de ter:

- Laterais. Porque não os temos, e uma equipa que queira ser grande tem de ter bons laterais. É a prioridade máxima, já aqui foi discutida várias vezes, e tem de ser resolvida. E não são laterais comuns: temos de ter laterais que consigam dar profundidade (que é diferente de ir à linha e cruzar) e inteligência (não só defensiva, como em posse). Temos de ter soluções, e não problemas.
- Criatividade. Porque hoje em dia, é quase nula. O futebol do Sporting é previsível, as linhas de passe são básicas, não existe fluidez. Essa criatividade, além de ser dada por novos jogadores, tem de ser dada pelo sistema tático.
- Consistência. Temos de saber quando fazer, como fazer e porque fazer. Temos de ser uma equipa que saiba o que quer em quase todos os momentos do jogo. Temos de ser uma equipa que saiba quando atacar, que saiba quando defender, e que, sobretudo, saiba fazê-lo de forma consistente.

Deste modo, aquilo que propunha era um plantel deste estilo:



Este sistema tático seria a nossa base a atacar, sendo que a defender seria um 4-4-1-1, com o Geraldes e o Gélson a fechar os flancos. Não pedia mais que isto: uma adaptação dos recursos que temos ao estilo de jogo que queremos implementar, com poucas contratações mas cirúrgicas. Passo a explicar:

- A vaga de 4º central seria para um jovem. O Kiki, que tem sido dos poucos elementos em destaque na equipa B, poderia ir treinando com a equipa principal enquanto joga na B, uma vez que tem um perfil parecido ao do Coates. O Domingos está a crescer, mas acho que está num patamar em que já não merece voltar a jogar pela equipa B e não me dá garantias suficientes para ser titular na equipa A.

- O Gauld, o Geraldes e o Wallyson são 3 jogadores que me agradam, porque todos têm capacidade de acrescentar criatividade (o Geraldes em transição, o Gauld em posicionamento e o Wallyson em construção). Vejo em todos capacidades para estar na equipa principal. A única reserva seria o Wallyson, que ia depender da sua condição física.

- O Fágner seria o dínamo na direita. Poderia ser caro, mas a qualidade paga-se. Tem capacidade para oferecer tudo o que pedi em cima. O Gilberto, que até foi emprestado pela Fiorentina, seria uma aposta pessoal, talvez até por empréstimo, num jogador que, a meu ver, tem qualidade mas que não se tem adaptado muito bem ao campeonato onde está.

- O Kenedy, que até deverá estar de saída do Chelsea (vide: https://esportes.yahoo.com/noticias/mais-um-brasileiro-pode-deixar-150054704.html), seria a minha aposta na esquerda.

- Matheus e Iuri são jogadores que, acima de tudo, têm golo. O primeiro nos pés (excelente finalizador), e o segundo na cabeça (porque vê espaços onde muitos não vêm, e coloca a bola onde muitos nem sequer pensam em colocar).

O Castaignos e o Ruiz são duvidas que vou esperar pelo fim da época para esclarecer. Este plantel também não tem em conta saídas de jogadores que considero fundamentais (Patrício, William, Adrien, Coates e Dost).

Sei que é extremamente irrealista tudo o que aqui escrevi, e que nada disto vai acontecer, mas acho que o caminho deveria ser este.

Nota: Era suposto ser o Bryan Ruiz, e não o Alan Ruiz naquela posição.

Também gosto do Paulo Sousa...mas estes jogadores aqui enumerados não davam muita qualidade ao modelo de jogo.

1- O Paulo Oliveira é péssimo na 1º fase de construção ainda para mais a sair a jogar do lado esquerdo.
2 -muitos médios centros para um único avançado centro.

Sou mais apologista do 3-5-2 ( o 4-4-2 do jj na 1º fase de construção é o 3-5-2, com o 6 a vir buscar por dentro e os laterais a dar largura e profundidade etc...) com 2 avançados centros, um mais fixo e um 2º avançado mais móvel e não um médio ofensivo.

O André Pinto do Sporting de Braga parece que já tem contrato assinado com algum clube. Será conosco?

Espero que não.
O André Pinto do Sporting de Braga parece que já tem contrato assinado com algum clube. Será conosco?

Esperemos que não, temos aqui 4 centrais melhores, e ainda devemos ter mais 1 ou 2 emprestados ao mesmo nível dele.
Citação de: UmAnonimoFamoso a dar nos inimigos
Na liga o nosso Galgo fez 7 assistências, o que quer dizer que fez 1 assistência a cada 277 minutos em campo. Vamos comparar com alguns ídolos do fórum: Maxi Pereira: 2058 minutos 2 assistências (1 assistência a cada 1029). Nelson Semedo: 2781 minutos 8 assistências (1 assistência a cada 347 minutos). Marçal: 2689 minutos 8 assistências (1 assistência a cada 336 minutos). Danilo: 1448 minutos 2 assistências (1 assistência a cada 724 minutos). Cédric Soares: 2520 minutos 3 assistências (1 assistência a cada 840 minutos).
A preparação da próxima época para mim começa no despachar o JJ e 80% do entulho que trouxe com ele.

Alternativas? Ao que se paga a este gajo é pegar na lista dos top 20 e ver se alguém quer vir.

Em relacao aos jogadores, chamem-me doido mas para mim RP, WC e Adrien seriam vendidos.
Ainda és mais radical que eu.
Bom post Inkie  :great:



Essencial, ir buscar um treinador e diretor desportivo que percebam qual o projecto de futebol do Sporting.

E falando em projecto de futebol, definir de uma vez por todas esse projecto, apostar em formação + contratações cirúgicas, algo que falha desde da 1ª época.

Diretor até pode ser o Inácio, que nunca devia ter saído.

A partir daqui, com o projecto bem definido, ir buscar um treinador de qualidade que mais encaixa dentro do projecto e do futebol que queremos praticado.

JJ sabemos que para isto não serve minimamente.

Podem dizer por exemplo que o Rui Jorge não serve porque não provou nada em clubes, é verdade, mas encaixa mais dentro deste perfil de treinador que um JJ por exemplo. E com isto não estou a dizer que devemos ir buscar o Rui Jorge, estou só a dizer um facto.

Mais que jogadores, para mim isto é o mais essencial.

E mesmo que aconteça o milagre de sermos campeões esta temporada, continuo a dizer o mesmo.
O André Pinto do Sporting de Braga parece que já tem contrato assinado com algum clube. Será conosco?

Também desconfio que seja esse o motivo pelo qual foi posto na equipa B, mas não me parece que seja connosco..
parece me que ira para os lamps
Se fosse pos lampiões jogava de certeza...
Os lampiões é que andam atrás dele á muito tempo.
Pessoal, temos que evitar estes histerismos! Estou frustado, tal como vocês, e só penso na quantidade de pontos que já perdemos e no facto de estarmos longe do 1º lugar. Mas temos que parar com estas criticas todos. Somos diferentes, por isso mesmo, porque somos capazes de apoiar a equipa e que para nós o Sporting é o mais importante de tudo isto! Muito mais importante do que qualquer jogador que esteja dentro de campo (seja ele, ou não, o capitão). Nós queremos o Sporting a ganhar e, somos nós que temos que puxar e gritar pela equipa, obrigá-los a correr, a sentir a camisola, a sentir este clube como nós sentimos. Todos temos o direito de gostar mais deste ou daquele, ou de achar que este não merece vestir a camisola. Mas, sinceramente, acham que vamos conseguir alguma coisa com tudo isto. Para mim, todos os jogadores que vestem a camisola terão o meu apoio incondicional, apenas por uma razão, porque são eles que nos podem dar a vitória em campo. Que este campeonato é muito difícil, isso todos nós sabemos! Que é impossível, não aceito essa palavra até ao fim do campeonato. O Jorge Jesus trouxe uma grande dinâmica ao clube, trouxe novas ideias, que estão a ser trabalhadas e implementadas. Vou apoiá-lo até ele se ir embora. Quando ele se for embora (tal como qualquer outro jogador), aí sim, vou analisar se o projecto que ele trouxe para o clube trouxe mais-valias ou não. Temos que acreditar no trabalho diário, temos que acreditar no projecto, temos que APOIAR o projecto, para que tudo corra bem. Vamos a isso, não quero saídas, nem entradas para Janeiro. Mas se alguém entrar, que seja para defender esta camisola como já muitos defenderam. Se alguém sair, que represente um bom encaixe financeiro para o clube, é a única coisa que me interessa. Eu acredito nesta equipa, acredito que 3ª Feira seguimos em frente, acredito que vamos ao Dragão para ganhar, acredito que os jogos que aí vêm serão para ganhar, é essa a nossa mentalidade, é por isso que temos que lutar, temos que mostrar a eles que a única coisa que eles devem fazer é, exactamente isso, GANHAR! Seja ele Adrien, ou Markovic, só me importa que possam dar o campeonato e a taça este ano. São os nossos jogadores, são a nossa equipa e nós somos os adeptos deles. Se não formos nós a motivá-los para que eles nos defendam em campo, só os nossos rivais é que ficam a ganhar!
Saudações Leoninas
Este tópico é inadequado.

Acho um erro assumir que está época está perdida.

Há que lutar para ir à Champions.

Este plantel não tem qualidade para isso. Mas há que reformulá-lo agora para evitar o desastre maior e preparar já a próxima época.

Temo que com o Presidente manietado pelo JJ e a cabeça enterrada na areia só mesmo o desastre seja possível.
--------------------------------------------------------------------------------
@Inkie fantástico o post. Concordo com a tua visão, infelizmente acho que um corte tão radical com o presente é algo utópico, mas os sinais que a equipa vai transmitindo indicam que o projecto JJ está longe der ser forever.
I'll tell you this:in any fight, it is the guy who is willing to die who is going to win that inch. And I know if I am going to have any life anymore it is because, I am still willing to fight, and die for that inch, because that is what living is. The six inches in front of your face.