Fotos dos primórdios do clube

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Beatriz Costa com os Ciclistas José Maria Nicolau (benfica) e Alfredo Trindade (Sporting CP), 31 de Agosto de 1946.
Lendo o tópico fiquei a pensar que não era mal pensado fazer uma homenagem ao Francisco Stromp, por exemplo depositar uma coroa de flores na estação de sete rios.

The past is now part of my future,the present is well out of hand Ian Curtis, Heart and Soul
A OUSADIA DO «MAILLOT» VERDE

Estrela de Carvalho 1927.

Reprodução do orçamento de gastos do futebol do Sporting Clube de Portugal, em 1926:

Curiosidades:

-12 contos para pagar a Agusto Sabbo;
-2 contos para 20 pares de botas;
-440 escudos para 44 pares de meias;
-4 contos para bolas;
-3500 escudos para refrescos e pequenos-almoços;
-400 escudos para prémios.

A Taça Amadora
Amadora, Domingo, 14 de Maio de 1916.
Dia de inauguração do campo de futebol dos Recreios da Amadora.







11 de Novembro de 1917

O benfica inaugura o seu 3º campo (Quinta de Marrocos) . Para celebrar esse dia, criaram uma taça especial com o nome do seu principal fundador e convidaram o Sporting para a disputar. O Sporting ganharia por 0-1 levando o taça para casa.


A taça 'Cosme Damião'






O troféu no museu Sporting:




Uma foto desse jogo:


« Última modificação: Março 12, 2018, 23:33 pm por SANGUEDELEAO »
Mais uma vez reforçar: Que enorme tópico! Grande trabalho de investigação @SANGUEDELEAO !
Jogos Olímpicos de Amesterdão, 1928


O Comité Olímpico Português enviou 32 atletas aos Jogos de Amesterdão, naquela que foi a maior participação Portuguesa até então.

A comitiva Portuguesa desfilando na Cerimónia de abertura de Amesterdão 1928



Selo olímpico de Portugal nos Jogos Olímpicos de Amesterdão 1928.


O futebol olímpico de 1928


Os eleitos

A comitiva olímpica portuguesa de futebol integrou 18 atletas e 4 dirigentes. 3 desses atletas do Sporting CP


Os dirigentes escolhidos


dirigentes federativos: António Ribeiro dos Reis e Salazar Carreira
directores técnicos:Cândido de Oliveira (selecionador) e Ricardo Ornellas (adjunto).



Atletas do Sporting CP escolhidos


Cipriano:



Jorge Vieira:



José Manuel Martins:






Dia 21-05-1928, dia de despedida dos jogadores da selecção nacional de futebol que partiram no comboio para participar nos Jogos de Amesterdão, 1928.




Carlos Alves com a sua guitarra Portuguesa, Ribeiro dos Reis autor das quadras e o Cap. Cousa Martinho o guitarrista de serviço,  animaram a comitiva Portuguesa nas primeiras horas da longa viagem de comboio Lisboa – Amesterdão.


Jogo inaugural. Portugal-Chile




A entrada em campo


fases do jogo






Após 4-2 ao Chile, seguiu-se o jogo com a Jugoslávia, que se realizou 2 dias depois



Lisboa, dia 4 de Junho de 1928. Uma multidão aglomera-se junto a uma sucursal do jornal O Século.


Faltavam dois minutos. Ribeiro dos Reis corria como doido na bancada, dando indicações sobre o tempo que restava. Frenesim. Nervos. Gritos dentro e fora de campo. E depois de um sofrimento interminável lá veio o apito final. Explosão de alegria em pleno relvado! Festa à Portuguesa!

Portugal estava nos quartos-de-final. Dois jogos, duas vitórias, um belo futebol e duas belas exibições muito elogiadas pela crítica. Um registo magnífico para uma selecção então desconhecida, estreante em grandes competições internacionais e que tinha apenas poucas dezenas de jogos nos sete curtos anos do seu historial. Em toda a comitiva sentia-se uma enorme satisfação de ter prestigiado o País e também a ilusão do que ainda estava para vir.

A equipa Portuguesa defrontaria nos quartos-de-final a selecção do Egipto.

E todas as esperanças foram permitidas.

Portugal-Egito


Dia 4 de Julho de 1928, Portugal 1 – Egipto 2. Portugal eliminado




Dia 10 de Junho de 1928. Estação do Rossio, Lisboa. Foi o dia do regresso dos heróis de Amesterdão.





O impressionante banho de multidão



Durante a estadia na Holanda, Salazar Carreira e Ribeiro dos Reis participaram no congresso da FIFA que decorreu na capital Holandesa aproveitando a presença de representantes das diversas federações.


« Última modificação: Março 13, 2018, 15:58 pm por SANGUEDELEAO »
Jorge Vieira que dia 25 de Setembro de 1981, ano em que o Sporting celebrou as suas bodas de diamante (75 anos), foi agraciado com o grau de "Cavaleiro da Ordem do Infante D. Henrique".

Jorge Vieira na altura era o sócio nº1 do Sporting CP



Futebol e Touros


Futebol e touros? Falemos de Jayme Cadete...

Bandarilheiro amador e futebolista. Uma combinação curiosa durante as primeiras décadas do século XX.




Jogou 8 épocas como futebolista, 4 delas no Sporting. Entre 1910 e 1914.





Voltando aos touros e apesar de amador, em Fevereiro de 1908 Jayme fez a sua estreia no Campo Pequeno e ao que parece, com grande sucesso:



Resta dizer que Jayme era filho de Jorge Cadete, um famoso bandarilheiro que em 1914 foi homenageado com uma tourada:



Outros tempos...

Francisco dos Santos ,um pequeno grande génio.
Escultor de excepção, futebolista sem fronteiras.


24 de Abril de 1930. No seu atelier, Francisco esculpia a cabeça de uma estátua monumental. Em cima podia ver-se o busto feminino oficial da República portuguesa e ao lado a estátua de Prometeu que está hoje no Jardim Constantino. Todas obras destinadas a perdurar na memória colectiva deste país.


Dava talvez alguns retoques decisivos. Mas, apesar da evolução do projecto Francisco já não viveria o suficiente para ver a sua inauguração.



Dois meses mais tarde, a 27 de Junho de 1930, Francisco dos Santos morria. Com apenas 52 anos de idade morria vítima de uma congestão cerebral.


Outros tratariam de a concluir.


Finalmente a 13 de Maio de 1934, oito anos depois de iniciadas as obras (dezassete depois de lançada a primeira pedra e vinte e um depois da conquista do concurso...) era inaugurado o monumento a Sebastião José de Carvalho e Melo. E assim numa rápida cronologia visual

1913, divulgação do projecto vencedor.


1917, lançamento da primeira pedra com presença do presidente da Republica Dr. Bernardino Machado.


1926, início das obras.


1934, inauguração


2 décadas antes da inauguração:

« Última modificação: Março 13, 2018, 19:47 pm por SANGUEDELEAO »
24/06/2018 Para mim acabou-se!
UNIÃO DE AÇO  :victory: Força Bruno  :clap:
Morte aos traidores   :twisted:
SPORTING SEMPRE  :venia:

14.066-1 após o futsal acabou-se
O mistério da Efigie de Francisco Stromp

Em 1943, Salazar Carreira, uma das maiores figuras da história do Sporting CP, inaugura uma Efigie em memória de Francisco Stromp, que morrera 13 anos antes.

Um facto curioso é que na fotografia da inauguração (esquerda) e na foto do Peyroteo (direita) a localização da efigie parece não coincidir.

Terá sido inaugurada num local e posteriormente colocada noutro?

Será que a efigie do lado direito é em homenagem a outra figura?





edit: Vendo esta fotografia de 17 de Dezembro de 1922, tirada aquando do 2º Portugal-Espanha, parece realmente ser o mesmo local.

« Última modificação: Março 15, 2018, 13:25 pm por SANGUEDELEAO »
Futebol de outros tempos

Jorge Vieira, em 1928, no seu local de trabalho na imprensa Nacional/Casa da moeda, actividade que acumulava com a de futebolista


Alfredo Trindade, no caso, coincidia a profissão de carpinteiro com a de Ciclista do Sporting CP.

Foi o décimo quarto jogo da selecção nacional e o terceiro no campo do Ameal (Porto), e aquele que, no final da tarde de 15 de Abril de 1928 (domingo), deu uma enorme alegria aos portugueses com a retumbante vitória conquistada perante uma das mais fortes equipa europeias! Esta partida amigável foi de preparação com vista aos Jogos Olímpicos de Amesterdão,



Desta feita, o resultado final foi robusto e convincente, e logo por 4-1, com golos de Waldemar Mota (3, aos 20, 27 e 77 minutos) e Vítor Silva (57 minutos). O golo italiano foi obtido por Júlio Bibonatti, aos 38 minutos. A baliza dos italianos ainda tivera duas bolas nos postes. Presenciaram milhares de adeptos, vindos de todo o lado, com grande representação de Lisboa que chegou em comboio especial saído na véspera de Santa Apolónia às 23H30.



Neste jogo, que se iniciou às 15H28 (preciosidade relatada pelos jornais da época) e a segunda parte às 16H35, as selecções equiparam da seguinte forma: Portugal, camisola Vermelha e calção azul. Itália, camisola azul e calção branco… Antes, porém, os capitães trocaram ramos de flores, o que era usual naquele tempo… A Itália escolhe o seu meio campo a favor do sol, mas contra o vento… Na primeira parte, aos 15 minutos, o português Vítor Silva na área de grande penalidade italiana é atingido com um soco na cara que o leva ao chão.



O Árbitro nada assinala mas o público invade o rectângulo em protesto e o jogo é interrompido, por breves momentos. O nosso jogador regressa, recomposto, cinco minutos depois… No final do jogo a multidão, eufórica e feliz, promovera muitas manifestações de regozijo quer dentro que fora do campo.



Entrevistado, o Árbitro do encontro, disse: “Os portugueses jogaram com muita energia, no entanto considero a técnica italiana superior. Acho que as bolas dos portugueses foram admiráveis de precisão, denotando uma sensível intuição de “association”. Os portugueses, que vejo jogar pela primeira vez, devem constituir muito em breve uma poderosa equipa internacional”.



Já o capitão italiano, Adolfo Baloncieri, expressou o seguinte: “O grupo português fez muitos progressos desde a jornada de Turim, tendo adquirido extraordinária velocidade. As bolas dos portugueses foram bem marcadas, mas devidas um pouco do nosso nervosismo e desorientação.”



CURIOSIDADES:


1 - Na véspera do encontro o jornalista foi recolher a opinião dos jogadores ao Hotel e logo na sala de fumar, enquanto jogavam à bisca milanesa…
2 - Anúncio publicado imediatamente a seguir ao relato do jogo: “Todos os bons sportsmen devem usar antes e depois dos seus exercícios a EMBROCAÇÃO SPORT, preparação da Farmácia Figueiredo, do Porto”.
3 – A delegação do Diário de Notícias, do Porto, transmitiu as incidências do despique pelos placards colocados nas principais cidades do norte, assim como em Lisboa, no Parque Eduardo VII, onde estiveram milhares de pessoas a assistirem.