Juniores 2016/17 - SPORTING CAMPEÃO NACIONAL

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Há dúvidas que se o Tiago Fernandes tivesse um Daniel Bragança ou um Miguel Luís, apostaria neles para o meio? Eu não tenho.

Poderá haver muitas razões para críticas à qualidade do treinador ou a determinadas escolhas da estrutura. Mas dizer isto:  "prioridade à componente física independentemente da qualidade".... é um disparate.
Calma malta.
 Somos todos da melhor família do mundo a família Sportinguista, e da melhor comunidade Sportinguista online que é o ForumSCP, não há razão para atritos.
Sejamos todos amigos!

Bom dia e Saudações Leoninas!!

A divisão trás a forca, a união faz a força
Há dúvidas que se o Tiago Fernandes tivesse um Daniel Bragança ou um Miguel Luís, apostaria neles para o meio? Eu não tenho.

Poderá haver muitas razões para críticas à qualidade do treinador ou a determinadas escolhas da estrutura. Mas dizer isto:  "prioridade à componente física independentemente da qualidade".... é um disparate.
 :arrow:

Até porque nem o Daniel ou o Miguel têm um défice físico como tem o Hélder Almeida por exemplo.
Há dúvidas que se o Tiago Fernandes tivesse um Daniel Bragança ou um Miguel Luís, apostaria neles para o meio? Eu não tenho.

Poderá haver muitas razões para críticas à qualidade do treinador ou a determinadas escolhas da estrutura. Mas dizer isto:  "prioridade à componente física independentemente da qualidade".... é um disparate.
 :arrow:

Até porque nem o Daniel ou o Miguel têm um défice físico como tem o Hélder Almeida por exemplo.

Mas nem o Daniel nem o Miguel jogam a 10, e o Hélder joga. Para uma comparação mais justa, não sei se o João Couto apostava no Bruno Paz a 10, em vez do Tomás Silva. Não sei. Como não sei se apostava no Diouf, tanto no David Tavares, etc. Mas posso ser só eu. É que olho para as apostas que já fazia na fase final de juvenis do ano passado e... parece-me haver uma clara diferença, tanto em relação ao seu antecessor como ao treinador dos júniores, nesse aspecto. Mas admito que seja só a mim, que já andava escaldado com o tipo apostar num "trambolho" (Diouf) para central, num central a lateral (Conté), em adaptações para o lado direito da defesa, no melhor lateral-esquerdo que tinha a extremo, etc. Sempre adaptações de jogadores a posições mais ofensivas que as que faziam melhor, e nunca o contrário, e não sou grande fã desse padrão.

PS - E não era só o Hélder que tinha bons pezinhos para 10, era também o Lingfeng. Nenhum deles tão criativo e promissor como o Tomás Silva, mas... os dois com bons pés. O Hélder, por exemplo, fez um belíssimo jogo contra o Benfica, por exemplo, na fase regular. Mas não tinha o corpo que o treinador queria, se calhar...
Gostaria de dizer que partilho praticamente a 100% da opinião que tem vindo a ser exposta pelo @GonçaloC em relação ao que devem ser as apostas na formação e à avaliação dos nossos treinadores mediante essas apostas.

Nunca serei fã dum Tiago Fernandes que dá uma primazia evidente à componente física sobre o talento puro, a criatividade ou o entendimento do jogo. Já um João Couto é o tipo de treinador que eu acho que o Sporting necessita na formação, e isto tem zero a ver com os títulos que conquistou ou conquistará, mas zero mesmo. Acho que nem faz sentido numa Academia como a nossa, que se tem destacado das demais por formar jogadores sobretudo fortes nestes aspectos que gosto de valorizar, optar por um caminho alternativo e a meu ver bastante medíocre e banal.

Respeito todas as opiniões, mas nesta sou bastante inflexível, porque acho que é determinante que os responsáveis do nosso Clube entendam qual o nosso verdadeiro "ADN" ao nível da formação. Desse entendimento, a meu ver, resultará o (in)sucesso da nossa Academia nos próximos anos largos.

SL
Parece que estão a falar de posições de jogadores seniores... isto é FORMAÇÃO e na formação os jogadores devem jogar em posições que não apenas a sua principal. Devem conhecer outras posições de forma a conhecerem melhor o jogo e desenvolverem outras capacidades (e não é contra as equipas fraquíssimas da primeira fase que o vão fazer). Os sub-19 são o último capítulo da sua formação antes da transição para o profissional.
Além disto, miúdos de 18 e 19 anos que ainda são "anões" não vão crescer significativamente logo é normal que neste escalão comece a triagem tendo em conta, também e não só, o factor físico. Não percebo qual é o espanto... devem querer guarda redes com menos de 1.80, centrais de metro e meio ou médios que por muita qualidade técnica que tenham, levam um sopro e voam ao mínimo contacto. Temos um caso de um sénior que acabou de terminar contrato este ano e nunca se conseguiu impor verdadeiramente apesar de toda a sua qualidade técnica.
« Última modificação: Junho 27, 2016, 12:07 pm por i0tech »
Parece que estão a falar de posições de jogadores seniores... isto é FORMAÇÃO e na formação os jogadores devem jogar em posições que não apenas a sua principal.

Sem dúvida, isso é importante. Daí a ter tido cuidado em falar de um padrão de adaptar jogadores a posições mais ofensivas, e nunca o contrário, para sublinhar que o meu problema não é pôr jogadores a jogar noutras posições, per se.

Temos um caso de um sénior que acabou de terminar contrato este ano e nunca se conseguiu impor verdadeiramente apesar de toda a sua qualidade técnica.

Pois. Mas esse sénior não só tem e continuará a ter uma carreira melhor do que 80% dos jogadores que terminam a sua formação no Sporting (arrisco), como tem e terá uma carreira melhor que para aí 95% dos médios que formámos e que, sendo grandes, não eram grande coisa. Nem vou aos Amidos e afins...

E dizer que o André Martins não se impôs apenas pelo físico não faz muito sentido, o Podence também é muito baixinho e — ao contrário do que alguns aqui diziam — está a mostrar talento para chegar aos AA. Se o segundo trabalha muito mais o físico que o primeiro? Sem dúvida, mas também cabe ao Clube gerir isso!

Mas isto é tudo estar a bater na mesma tecla, um bocado absurda... não me interessa se um jogador tem x ou y quilos/metros, interessa-me se joga bem e parece promissor. Se for alto e atlético, melhor, mas para jogar (nem é só estar no plantel, é jogar!) no Sporting, seja nos séniores ou júniores, para mim (e sublinho isto para não ferir susceptibilidades) tem que ter um nível técnico e táctico mínimo. Que por exemplo o Ronaldo e o Bubacar este ano evidenciaram mas que outros não evidenciaram para as suas posições (e jogaram na mesma). Isto, repito, na minha opinião, de alguém a quem faz confusão ver uma equipa do Sporting a jogar com 3 trincos (ou médios de características mais defensivas) em campo.

De resto, a estrutura é que decide e ainda bem, confio plenamente que qualquer que seja a decisão que tome sobre o técnico dos júniores (quem ali tem passado não tem aquecido o lugar) será a correcta.
Mas lá está, jogar no meio é diferente de jogar nas alas/jogar a vagabundo (que me parece ser o objectivo do Jesus). Há certas posições em que a velocidade, aceleração e técnica são muito mais importantes que o físico (e no caso do Podence, apesar de baixo, tem um caparro de fazer inveja a muitas torres).
Não é apenas um factor que vai decidir que o jogador é uma boa aposta - por isso casos como o Amido Balde, eram mais que óbvios que só físico não chega para ser jogador de futebol - agora há factores que são eliminatórios em certas circunstâncias e isso não me choca nada.
O problema nesta discussão é que se extrema muito as posições e não se chega a nenhuma conclusão :P

E muitos destes jogadores baixos/franzinos que falam, bem que podiam fazer a transição para o futsal. Acho que a nossa academia devia ter um pavilhão para a pratica complementária de certas modalidades que ajudam não só a descobrirem e desenvolverem novas aptidões, como também a direccionar atletas para outros campos onde possam ser mais felizes e não os largar aos bichos como muitas vezes acontece. Conheci muito boa gente que ficou traumatizada depois de ser rejeitada de clubes como o nosso pelas características físicas e que desaproveitaram a sua capacidade para o desporto.
Os treinadores hoje em dia já aproveitam muito conhecimento de modalidades externas, como é o caso do Jesus. Sendo a caracteristica mais evidente o aproveitamento dos bloqueios do basket. O Guardiola em que aproveita muito as movimentações do futsal, etc. Penso que seria útil para os nossos putos terem lá um pavilhão para desenvolverem também outras capacidades mais "a sério" e que poderia se repercutir no relvado (e com uma parceria com o melhor departamento de formação de Portugal em futsal, tudo seria mais fácil :) ). Preferia investir nisto do que em cubos, apesar de também aceitar que tenham alguma, pouca, utilidade.
É fundamental começarmos a aliar a componente física ao aspecto técnico. No futebol moderno só os grandes génios conseguem singrar sendo somente fortes na parte técnico, a questão física é cada vez mais importante e não nos podemos alhear a isso.

No caso dos jogadores que se fala vão ser dispensados só tenho pena do lateral direito - João Simões, é um jogador na linha do Cedric (como me parece ser o João Oliveira), racudo, forte nos duelos individuais, com boa técnica. Os restantes não me parece que tenham qualidade para chegar aos AA.

A passagem para os juniores é muito importante, a filtragem aperta e alguns acabam por se perder. É neste escalão que se percebe quem quer ser jogador de futebol e quem não quer. Por isso por vezes jogadores com muito talento até aos juvenis acabam por não singrar nos juniores e no futebol senior, a componente "trabalho e dedicação" é também ela fundamental.
É fundamental começarmos a aliar a componente física ao aspecto técnico. No futebol moderno só os grandes génios conseguem singrar sendo somente fortes na parte técnico, a questão física é cada vez mais importante e não nos podemos alhear a isso.

No caso dos jogadores que se fala vão ser dispensados só tenho pena do lateral direito - João Simões, é um jogador na linha do Cedric (como me parece ser o João Oliveira), racudo, forte nos duelos individuais, com boa técnica. Os restantes não me parece que tenham qualidade para chegar aos AA.

A passagem para os juniores é muito importante, a filtragem aperta e alguns acabam por se perder. É neste escalão que se percebe quem quer ser jogador de futebol e quem não quer. Por isso por vezes jogadores com muito talento até aos juvenis acabam por não singrar nos juniores e no futebol senior, a componente "trabalho e dedicação" é também ela fundamental.

Nem todos e começam a surgir alguns casos de jogadores dispensados pelo Sporting que vão fazendo ou começando carreira noutros lados, de forma promissora.
Não conheço muitos casos, mas é normal que existam alguns. Neste escalão é necessário fazer escolhas e nem sempre os escolhidos conseguem singrar no futebol sénior.

O caso do João Simões acaba por ser um bom exemplo. É um bom jogador, internacional, mas para o seu lugar existe outro que é visto como mais promissor. Como a aposta vai ser no João Oliveira de que vale fazer contrato com um jogador que dificilmente (na óptica de que decide) vai chegar aos AA.

É claro que se o Simões quiser mesmo ser jogador de futebol e tiver uma ponta de sorte pode perfeitamente ser aposta noutro clube, chegar aos seniores e fazer uma boa carreira.
Muitas vezes a dispensa acaba por ser um "abre olhos" para estes miúdos e alguns acabam por singrar no futebol profissional.
O caso do João Simões acaba por ser um bom exemplo. É um bom jogador, internacional, mas para o seu lugar existe outro que é visto como mais promissor. Como a aposta vai ser no João Oliveira de que vale fazer contrato com um jogador que dificilmente (na óptica de que decide) vai chegar aos AA.

Hm, mais ou menos. Por mim ficava com os dois e tinham os dois de suar para ser aposta. Se o João Simões sair a sua vaga no plantel, ao que parece, será ocupada pelo Diogo Rodrigues que aí falaram. Não sei se é bom, vou aguardar para ver e esperar que sim  :)
Eu também ficava com os dois. Não concordo muito que se dispense o Simões para se ir contratar outro para o seu lugar.

Mas lá está, não estou em Alcochete para perceber de que forma o jogador se está a desenvolver e o seu nível de empenhamento.
A verdade é que nesta última época ele já não jogou tanto quanto eu achava que ele podia ter jogado. Bruno Paz foi muitas vezes adaptado a lateral e o Oliveira foi chamado várias vezes.
Eu também ficava com os dois. Não concordo muito que se dispense o Simões para se ir contratar outro para o seu lugar.

Mas lá está, não estou em Alcochete para perceber de que forma o jogador se está a desenvolver e o seu nível de empenhamento.
A verdade é que nesta última época ele já não jogou tanto quanto eu achava que ele podia ter jogado. Bruno Paz foi muitas vezes adaptado a lateral e o Oliveira foi chamado várias vezes.

Certo. Eles lá saberão  :)
Tendo em conta as saídas que o @Raposa referiu... não ia buscar ninguém, tirando o Pedro Marques que já vem.

GR - L. Maximiano, R. van der Laan

DD - J. Oliveira, T. Correia

DC - G. Vieira, M. Lopes

DC - A. Conté

DE - J. Mendes, J. Moutinho/S. Félix

MD - P. Ferreira/B. Paz, D. Bragança

MC - M. Luís, D. Tavares

10 - N. Moreira, T. Silva

ED - J. Cabral, J. Encada

PL - Gil S./P. Marques, R. Leão, R. Teixeira

EE - E. Baldé, L. Tipote

Plantel de apenas 22 jogadores, curto, para que não haja atletas a ficar uma época toda sem calçar. Em caso de necessidade pode-se promover alguns juvenis (assim de repente, o Tiago Djaló e o Bavikson, por já terem sido titulares nos juvenis na fase final do Campeonato, este ano).

Entre Gil Santos e Pedro Marques, um ficaria na B, o outro a ser titular nos júniores. Mesma coisa para o duo Bruno Paz/Pedro Ferreira.

Há condições para jogar bom futebol, com um meio-campo criativo e bom de bola, extremos perigosos, rápidos e fortes no 1x1, e laterais capazes de dar bastante profundidade ofensiva. Boa prova para o Tiago Fernandes mostrar que tem unhas para tocar esta guitarra (isto porque, mesmo para os que mais o defendem, defendem-no porque não teve condições para fazer mais com aquela geração; com esta terá pelo que, ao contrário do seu primeiro ano nos júniores, está obrigado a apresentar bom futebol e a fazer crescer estes miúdos).
« Última modificação: Junho 27, 2016, 21:47 pm por GonçaloC »
Calma malta.
 Somos todos da melhor família do mundo a família Sportinguista, e da melhor comunidade Sportinguista online que é o ForumSCP, não há razão para atritos.
Sejamos todos amigos!

Bom dia e Saudações Leoninas!!

Leiam isto e meditem...ñ ganhmos nada com guerras
Isto na formação é sempre muito complicado aferir a qualidade dos miúdos.

Há um ano o Djálo era suplente da equipa que foi campeã nacional de iniciados. Por outro lado, um dos centrais titular era o Rodrigo Vaza (falhou grande parte da época por motivos escolares) mas todos consideravam (eu ainda considero) um dos defesas mais promissores de toda a nossa academia. Hoje, passado um ano, vemos que o até então suplente do escalão de iniciados para titular e uma das peças basilar da equipa de juvenis A que acabou por sagrar-se campeã, enquanto que o até então central de referência desta geração andou a permutar entre os juvenis B e A, acabando por ser ultrapassado pelo Djálo.

Já o Biai é um pouco diferente, sempre foi visto como o quarto/quinto jogador da sua geração (atrás de Vaza, Brás e Bernardo), e era um dos poucos que a par dos citados era presença assídua na selecção.

Gostaria que o Bernardo e o Brás tivessem tido mais minutos nos juvenis A, mas de facto a geração de 99 (do meio campo para a frente) é bastante forte e assim sendo estes dois jogadores acabaram por jogar num patamar competitivo bem abaixo das suas capacidades.

Acho que todos terão oportunidade, no próximo ano, de mostrarem grande qualidade nos juvenis e chamarem até a atenção do treinador dos júniores.
O João Simões vai para o Braga.
Isto na formação é sempre muito complicado aferir a qualidade dos miúdos.

Há um ano o Djálo era suplente da equipa que foi campeã nacional de iniciados. Por outro lado, um dos centrais titular era o Rodrigo Vaza (falhou grande parte da época por motivos escolares) mas todos consideravam (eu ainda considero) um dos defesas mais promissores de toda a nossa academia. Hoje, passado um ano, vemos que o até então suplente do escalão de iniciados para titular e uma das peças basilar da equipa de juvenis A que acabou por sagrar-se campeã, enquanto que o até então central de referência desta geração andou a permutar entre os juvenis B e A, acabando por ser ultrapassado pelo Djálo.

Já o Biai é um pouco diferente, sempre foi visto como o quarto/quinto jogador da sua geração (atrás de Vaza, Brás e Bernardo), e era um dos poucos que a par dos citados era presença assídua na selecção.

Gostaria que o Bernardo e o Brás tivessem tido mais minutos nos juvenis A, mas de facto a geração de 99 (do meio campo para a frente) é bastante forte e assim sendo estes dois jogadores acabaram por jogar num patamar competitivo bem abaixo das suas capacidades.

Quais foram os motivos escolares que o afastaram da época?
Tendo em conta as saídas que o @Raposa referiu... não ia buscar ninguém, tirando o Pedro Marques que já vem.

GR - L. Maximiano, R. van der Laan

DD - J. Oliveira, T. Correia

DC - G. Vieira, M. Lopes

DC - A. Conté

DE - J. Mendes, J. Moutinho/S. Félix

MD - P. Ferreira/B. Paz, D. Bragança

MC - M. Luís, D. Tavares

10 - N. Moreira, T. Silva

ED - J. Cabral, J. Encada

PL - Gil S./P. Marques, R. Leão, R. Teixeira

EE - E. Baldé, L. Tipote

Plantel de apenas 22 jogadores, curto, para que não haja atletas a ficar uma época toda sem calçar. Em caso de necessidade pode-se promover alguns juvenis (assim de repente, o Tiago Djaló e o Bavikson, por já terem sido titulares nos juvenis na fase final do Campeonato, este ano).

Entre Gil Santos e Pedro Marques, um ficaria na B, o outro a ser titular nos júniores. Mesma coisa para o duo Bruno Paz/Pedro Ferreira.

Há condições para jogar bom futebol, com um meio-campo criativo e bom de bola, extremos perigosos, rápidos e fortes no 1x1, e laterais capazes de dar bastante profundidade ofensiva. Boa prova para o Tiago Fernandes mostrar que tem unhas para tocar esta guitarra (isto porque, mesmo para os que mais o defendem, defendem-no porque não teve condições para fazer mais com aquela geração; com esta terá pelo que, ao contrário do seu primeiro ano nos júniores, está obrigado a apresentar bom futebol e a fazer crescer estes miúdos).

Espero que o mdelo de jogo seja identico aos seniores 4-4-2

-----------------------------------L:maximiano---------------------------------

--T. Correia---------------Dajló-----------------G. Vieira---------J. Mendes--

----------------------------------------P.Ferreira------------------------------------

------------------------------------D.Bragança--------------------------------------

---------M_luis------------------------------------------------------Tipote(Balde)--

-------------------------Rafael Leão----------------R:Teixeira(P.Marques)--------

Relativamente ao Tiago Fernandes, vai colocar laterais a jogar a extremos e colocar a 1º linha defensiva junto ao meio, ou seja vai ser jogar na transição e nos esquemas táticos...palpita me que os jogadores vão evoluir à brava.
VIVA O STATUS!!!!!