O "Coreano" (um retrato do Sporting pós-roquettismo)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Não partilho da opinião de que o JEB tenha sido o pior presidente da Continuidade, mas foi sem dúvida aquele que mais gente decepcionou - lembro-me perfeitamente dos Sportinguistas estupefactos com as decisões dele - e aquele cuja administração foi mais vezes assinalada pelo insondavelmente imbecil.

Na primeira entrevista que concedeu a um canal de televisão após ter ghengiskhanizado o acto eleitoral, JEB jurou que o Sporting presidido por ele não se iria deixar apear pelos condicionalismos herdados do passado e que iria ser possível, custasse o que custasse, achar capitais que revigorassem a capacidade competitiva do clube. Aliás, se bem se recordam deste inegável facto, o JEB foi uma espécie de candidato que amalgamava a ligação aos bancos – o factor medo - e o Sportinguismo de base, ou seja, era simultaneamente “credível” e Sportinguista veemente. A devoração eleitoral brotou desta percepção que uma vastíssima maioria de Sportinguistas sentia com uma confiança considerável.

Eu votei no Ser Sporting (mais como protesto, porque as minhas dúvidas sobre a fiabilidade do projecto abundavam), mas ao mesmo tempo julguei que a candidatura da Continuidade, de cuja vitória no acto eu nunca duvidei (mas nunca antecipei uma vitória como a que se verificou), aparentava ser uma que finalmente fosse marginalizar, sobretudo por questões de sobrevivência da linhagem em questão, o tipo de gestão levada a cabo no passado.

Gostava, até ele ter sido eleito, do Bettencourt. Fiz, quando o Soares Franco deu a conhecer o seu Sportinguismo de gabinete fechado, a defesa da dupla Luís Duque e José Eduardo Bettencourt como solução mais realista para um Sporting que quisesse fugir do Soares Franco, sem que todavia fosse necessário confiar o clube a um tipo estouvado e sem contactos.
Recordo-me duma entrevista, dada a um jornal durante os tempos estiolados da era Soares Franco (onde cada frase proferida pelo Soares Franco, o meu pior presidente da história da Continuidade, envolvia passivo e dívida) na qual o JEB produziu um discurso que hoje sabemos ser a base fundamental da gestão Bruno Carvalho: era imperativo, dizia um JEB dotado de uma forma de Sportinguismo que contrariava profundamente a de Soares Franco, o Presidente do Sporting simbolizar um tipo de Sportinguismo vivenciado pelo Sportinguista mais apaixonado. Que o impulsor dos triunfos só pode ser o discurso apaixonado, não o meticuloso e financeiro.
A verdade é que o fulano só fez trampa. Uma presidência estranhíssima, sem dúvida alguma a mais estapafúrdia de todas. Um tipo cuja capacidade como administrador era tida como das mais convincentes do país, gabado pelos tipos do Santander que eram eles também tidos como uma casta de bancários qualitativamente à margem das restantes, chegou ao Sporting e tomou um conjunto de decisões que nem um tipo que nunca tivesse ouvido falar de futebol teria tomado. Saliento, entre muitas outras igualmente dolosas, a antecipação de receitas que o clube canalizou para comprar entulho e pagar dívida proveniente de decisões de trampa que haviam sido tomadas pouco tempo antes. O JEB, no que concerne às finanças do Sporting, esclerosou completamente o clube.

O Soares Franco tem um lugar especial na minha hate list. A sua continuação teria redundado, tivesse aparecido o Bruno Carvalho ou não, no fim do Sporting como ele foi fundado e como o conhecemos. A sorte do Sporting, e o azar da Continuidade, foi ele ter desistido, ou podem ter a certeza de que o Sporting teria sido transformado noutra coisa qualquer, daí eu o considerar o pior de todos.
« Última modificação: Maio 23, 2015, 14:21 pm por Chev Chelios »
É curioso olhar para tras e lembrar o que pensavamos na altura.
Eu por exemplo apoiava o Bruno sem convicçao nenhuma. Por ser um corte com o passado só por isso. Um pouco como com o Jeb, apoiava o Bruno, mais por achar a alternativa muito pior.
Em 2013 eu ja estava sem esperança no futuro. Quando o Bruno veio com as promessas de exercicios positivos desde o 1o ano, construçao de pavilhão, tv Sporting, futebol competitivo, eu sinceramente nao acreditei. Ja estavamos no ponto de ter salarios em atraso. Tudo o que se esta a passar hoje parecia impossivel...Acho que é por isso que hoje o apoio sem reservas. O Bruno como presidente depassou de forma fenomenal as minhas espectativas, que reconheço eram baixas. Mas este tipo de surpresa agradavel é tao raro, que ele vai ter de merdar a serio para perder o meu apoio.
Historias de comunicaçao, feitio dificil, ego desmesurado, blablabla, nunca vão abalar a minha confiança no Bruno. 
É curioso olhar para tras e lembrar o que pensavamos na altura.
Eu por exemplo apoiava o Bruno sem convicçao nenhuma. Por ser um corte com o passado só por isso. Um pouco como com o Jeb, apoiava o Bruno, mais por achar a alternativa muito pior.
Em 2013 eu ja estava sem esperança no futuro. Quando o Bruno veio com as promessas de exercicios positivos desde o 1o ano, construçao de pavilhão, tv Sporting, futebol competitivo, eu sinceramente nao acreditei. Ja estavamos no ponto de ter salarios em atraso. Tudo o que se esta a passar hoje parecia impossivel...Acho que é por isso que hoje o apoio sem reservas. O Bruno como presidente depassou de forma fenomenal as minhas espectativas, que reconheço eram baixas. Mas este tipo de surpresa agradavel é tao raro, que ele vai ter de merdar a serio para perder o meu apoio.
Historias de comunicaçao, feitio dificil, ego desmesurado, blablabla, nunca vão abalar a minha confiança no Bruno. 

 :arrow:
Epá, tão certo.
Um pequeno "à parte" (penso que não seja assim tão de parte...).

Já aqui escrevi no fórum (fui verificar e não fui explicito o suficiente, provavelmente não queria ferir susceptibilidades neste espaço):
Quero começar por deixar bem claro que não era apoiante do Inácio (sempre atribuí muito do campeonato 99/00 ao trabalho de Jozic, Materazzi e às "compras" do roquette).

Para mim, os 2 últimos titulos de campeão que ostentamos foram literalmente comprados no supermercado (curto e grosso para não haver mal entendidos). E se actualmente conotam as várias direcções desde o Sousa Cintra com o cRoquetismo, tendo por objectivo deitar abaixo o nosso clube, não podem depois afirmar que no entanto tudo fizeram para ganhar títulos. Tudo fizeram sim para passarmos mais 18 anos sem ganhar nada, e tão quase a cumprir o objectivo, daí o rancor de muitos para com a actual direcção (por se mostrar capaz de dar a volta por cima a um clube moribundo).
Por favor não me venham dizer é que o Roquette quis acabar com o clube para depois lhe baterem palmas pelo título conquistado "ah e tal mas as palmas são só pelo título"....
Um pequeno "à parte" (penso que não seja assim tão de parte...).

Já aqui escrevi no fórum (fui verificar e não fui explicito o suficiente, provavelmente não queria ferir susceptibilidades neste espaço):
Quero começar por deixar bem claro que não era apoiante do Inácio (sempre atribuí muito do campeonato 99/00 ao trabalho de Jozic, Materazzi e às "compras" do roquette).

Para mim, os 2 últimos titulos de campeão que ostentamos foram literalmente comprados no supermercado (curto e grosso para não haver mal entendidos). E se actualmente conotam as várias direcções desde o Sousa Cintra com o cRoquetismo, tendo por objectivo deitar abaixo o nosso clube, não podem depois afirmar que no entanto tudo fizeram para ganhar títulos. Tudo fizeram sim para passarmos mais 18 anos sem ganhar nada, e tão quase a cumprir o objectivo, daí o rancor de muitos para com a actual direcção (por se mostrar capaz de dar a volta por cima a um clube moribundo).
Por favor não me venham dizer é que o Roquette quis acabar com o clube para depois lhe baterem palmas pelo título conquistado "ah e tal mas as palmas são só pelo título"....

Enquanto se batiam palmas ao Roquette e ao Dias da Cunha pelos títulos, o património do Clube era despachado a preço de saldo para empresas com ligações a funcionários do Clube.

Sinceramente, preferia apagar os 18 anos de Roquettismo da história e rolar novamente os dados com direcções que servissem os interesses do Clube ao invés de se servirem do mesmo.

Provavelmente teriamos ganho mais que 2 campeonatos.
O Sporting é um clube autofágico.
Provavelmente teriamos ganho mais que 2 campeonatos.
Esse é precisamente o meu ponto
Estou convencido que se neste mandato o SCP for campeão nacional de futebol,  BdC tem a reeleição garantida, esteja quem estiver do outro lado da barricada.

O que eu quero é o Sporting campeão. Mas arrisco-me a dizer q com muito tempo de mandato a faltar e 5/6 do programa eleitoral cumprido o BdC, se concorrer, vai ganhar as eleições facilmente mesmo sem ser campeão. Que os sportinguistas não são burros. Os argumentos pra sua re-eleição estão nos 2 últimos relatórios e contas, no re-investimento no clube e modalidades, no pavilhão ... e pasme-se pra um clube falido e com um presidente q 'não vai durar 3 meses' até titulos no futebol já ganhou.

Agora, se o Sporting for campeão a vitoria do JEB vai deixar de ser a maior. O BdC ganha isso com mais de 95%


S.L.
#NasciLeaoNaoNasciLampiao
É curioso olhar para tras e lembrar o que pensavamos na altura.
Eu por exemplo apoiava o Bruno sem convicçao nenhuma. Por ser um corte com o passado só por isso. Um pouco como com o Jeb, apoiava o Bruno, mais por achar a alternativa muito pior.
Em 2013 eu ja estava sem esperança no futuro. Quando o Bruno veio com as promessas de exercicios positivos desde o 1o ano, construçao de 9pavilhão, tv Sporting, futebol competitivo, eu sinceramente nao acreditei. Ja estavamos no ponto de ter salarios em atraso. Tudo o que se esta a passar hoje parecia impossivel...Acho que é por isso que hoje o apoio sem reservas. O Bruno como presidente depassou de forma fenomenal as minhas espectativas, que reconheço eram baixas. Mas este tipo de surpresa agradavel é tao raro, que ele vai ter de merdar a serio para perder o meu apoio.
Historias de comunicaçao, feitio dificil, ego desmesurado, blablabla, nunca vão abalar a minha confiança no Bruno.

idem! :arrow: :great:
#NasciLeaoNaoNasciLampiao