Formula 1

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Citar
Ferrari Announcement

After four years of untiring commitment and dedication, Maurizio Arrivabene is leaving the team. The decision was taken together with the company’s top management after lengthy discussions related to Maurizio’s long term personal interests as well as those of the team itself.

Ferrari would like to thank Maurizio for his valuable contribution to the team’s increasing competiveness over the past few years, and wish him the best for his future endeavours.

With immediate effect, Mattia Binotto will take over as Scuderia Ferrari’s Team Principal. All technical areas will continue to report directly to Mattia.

Fonte
Fazem bem.

Ter alguém tecnico e com perfil forte a comandar a equipa vai ser um major step para a Ferrari.
 Veremos que evolução apresentará a Ferrari, que tem cometido erros de leitura e estratégia para as corridas demasiado infantis e básicos. Precisavam realmente de mudanças estruturais. Tenho dúvidas que o Mattia Binotto seja a pessoa ideal, dúvidas que resultam do pouco conhecimento das suas capacidades técnicas e tácticas. Uma mudança a este nível é sinal que identificaram o problema, o tempo vai esclarecer se é solução.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
F1TVPRO com desconto de 50% (F1TV50), boa alternativa para quem não tem o canal da eleven sports
"Grandes resultados requerem grandes ambições."
"Grandes resultados requerem grandes ambições."
F1TVPRO com desconto de 50% (F1TV50), boa alternativa para quem não tem o canal da eleven sports

Termina hoje esta promoção.
"É um orgulho estar no Sporting. Quem não conhece o Sporting sabe muito pouco de futebol"  Tales  3-9-2010
"Grandes resultados requerem grandes ambições."
A Williams falhou o primeiro dia de treinos e vão falhar o segundo. Demasiado mau.
A Williams falhou o primeiro dia de treinos e vão falhar o segundo. Demasiado mau.
E consta que na Quarta também não vão  :rotfl:
Mas já agora @scanferr, porque é que o Schumacher ficou tão indignado? Pelo vídeo parece-me que ele fica sem visibilidade e que o Coulthard estava a tentar abrandar para o deixar passar.  :think:

O Coulthard ia levar uma volta de avanço e abranda mas fica na racing line, não se desvia e o Schumacher não consegue ver nada com tanta chuva e pimba.

O triste é que se isto fosse agora, a corrida tinha sido cancelada porque era "muita" chuva.

Estas coisas fazem parte do desporto  :mrgreen:

O David Coulthard fez de propósito, o Schumacher estava a disputar o mundial com o Hakkinen, a Mclaren tinha claramente melhor carro, e naquele grand prémio o Hakkinen tinha ficado na primeira curva, alias se não me engana a memória aquilo passou-se num celebre Gran premio da Belgica em que na primeira curva ficaram uns 8 ou 9 carros num acidente em cadeia...

Até 2004 foi fanático da formula 1, depois perdi o interesse, antes via os grandes prémios todos, mesmo no Japão e Australia em que davam durante a madrugada de Sábado, a Formula 1 actual perdeu completamente o encanto, os carros até andam menos.

Antigamente um carro de formula 1 era como um animal selvagem, mesmo o próprio ruído do motor, eram carros que tinham pouco apoio aerodinâmico quando comparado com os dias de hoje e tinham motores com mais de 1000 CV, utilizava-se mesmo motores só para fazer a qualificação, com turbos alterados só aguentavam 3 ou 4 voltas  (eram só para qualificar)

A qualificação eram 12 voltas que os pilotos podiam fazer durante uma hora, isso tornava interessante porque as condições da pista ao longo de 1 hora mudam muito, desde a temperatura da pista, ou o estado do tempo, basicamente eram 3 tentativas que cada piloto tinha, e havia também a questão da utilização do combustível que tornava as estratégias de pista interessantes do ponto de vista competitivo...

alias basta comparar, nos 80 e 90, a quantidade de equipas diferentes e motores diferentes que ganharam, e os que ganham agora... na formula 1 actual o piloto conta menos que o carro.
Citar
"O campeonato de 2015/16, se houvesse verdade desportiva, era nosso. (...)
Se for eleito presidente do Sporting, irei marcar reunião com o presidente da Federação e vou contar tudo o que sei!" Frederico Varandas
Vou ficar a espera, e a contar...
https://www.webcountdown.net/?a=LudVyB7
A Fórmula E (mesmo com o ruído dos carros) está mais interessante e espectacular para ver que a Fórmula 1.
Mas já agora @scanferr, porque é que o Schumacher ficou tão indignado? Pelo vídeo parece-me que ele fica sem visibilidade e que o Coulthard estava a tentar abrandar para o deixar passar.  :think:

O Coulthard ia levar uma volta de avanço e abranda mas fica na racing line, não se desvia e o Schumacher não consegue ver nada com tanta chuva e pimba.

O triste é que se isto fosse agora, a corrida tinha sido cancelada porque era "muita" chuva.

Estas coisas fazem parte do desporto  :mrgreen:

O David Coulthard fez de propósito, o Schumacher estava a disputar o mundial com o Hakkinen, a Mclaren tinha claramente melhor carro, e naquele grand prémio o Hakkinen tinha ficado na primeira curva, alias se não me engana a memória aquilo passou-se num celebre Gran premio da Belgica em que na primeira curva ficaram uns 8 ou 9 carros num acidente em cadeia...

Até 2004 foi fanático da formula 1, depois perdi o interesse, antes via os grandes prémios todos, mesmo no Japão e Australia em que davam durante a madrugada de Sábado, a Formula 1 actual perdeu completamente o encanto, os carros até andam menos.

Antigamente um carro de formula 1 era como um animal selvagem, mesmo o próprio ruído do motor, eram carros que tinham pouco apoio aerodinâmico quando comparado com os dias de hoje e tinham motores com mais de 1000 CV, utilizava-se mesmo motores só para fazer a qualificação, com turbos alterados só aguentavam 3 ou 4 voltas  (eram só para qualificar)

A qualificação eram 12 voltas que os pilotos podiam fazer durante uma hora, isso tornava interessante porque as condições da pista ao longo de 1 hora mudam muito, desde a temperatura da pista, ou o estado do tempo, basicamente eram 3 tentativas que cada piloto tinha, e havia também a questão da utilização do combustível que tornava as estratégias de pista interessantes do ponto de vista competitivo...

alias basta comparar, nos 80 e 90, a quantidade de equipas diferentes e motores diferentes que ganharam, e os que ganham agora... na formula 1 actual o piloto conta menos que o carro.
Bem, não concordo que os carros andem menos hoje, não é por acaso que os recordes dos circuitos andam a cair todos e que no ano passado o Kimi tenha feito a volta mais rápida da história da F1 em Monza. O que sucede é que apesar dos motores de antigamente serem mais poderosos, hoje a aerodinâmica permite muito mais downforce nas curvas e o DRS mitiga o efeito do drag nas rectas. Além disso os pneus lisos da Pirelli têm uma área de contacto com o solo muito grande o que confere logo uma diminuição grande do tempo por volta. A potência que foi perdida no motor foi recuperada na aerodinâmica, pneus e nos sistemas de recuperação de energia (MGU-h e MGU-k).

Em termos de engenharia é de destacar isto, como motores menos potentes andam a quebrar recordes de pistas ( grande parte deles caiu entre as épocas de 2017 e 2018. Além disso, antigamente era usado um motor por cada dia num fim de semana de Grande Prémio, hoje são usados três motores para toda a época ( o limite de componentes dos carros estão tabelados), o que é um grande progresso. A eficiência térmica dos motores ( ou unidades de potência como hoje lhes chamam) também é muito maior hoje em dia, a Mercedes chegou até a ultrapassar os 50%...

O problema é que estes avanços prejudicaram a competição ao fazer com que apenas as equipas fornecedoras de motores consigam apresentar carros competitivos ( Redbull é excepção), pois o desenvolvimento do carro tornou-se muito mais dispendioso. Em pista os pilotos estão demasiado dependentes do DRS para ultrapassar, o efeito dirty air limita muito que um piloto siga colado a outro ( os pneus sofrem bastante com isso). Algumas pistas tornam-se autênticas procissões de 60/70 voltas onde os pilotos estão constantemente a gerir o estado dos pneus.

Por fim, outra coisa que acho que não se pode descurar é o som dos motores, pois é algo icónico e que os fãs do desporto adoram. O som daqueles motores V10 era delicioso.

Mas já agora @scanferr, porque é que o Schumacher ficou tão indignado? Pelo vídeo parece-me que ele fica sem visibilidade e que o Coulthard estava a tentar abrandar para o deixar passar.  :think:

O Coulthard ia levar uma volta de avanço e abranda mas fica na racing line, não se desvia e o Schumacher não consegue ver nada com tanta chuva e pimba.

O triste é que se isto fosse agora, a corrida tinha sido cancelada porque era "muita" chuva.

Estas coisas fazem parte do desporto  :mrgreen:

O David Coulthard fez de propósito, o Schumacher estava a disputar o mundial com o Hakkinen, a Mclaren tinha claramente melhor carro, e naquele grand prémio o Hakkinen tinha ficado na primeira curva, alias se não me engana a memória aquilo passou-se num celebre Gran premio da Belgica em que na primeira curva ficaram uns 8 ou 9 carros num acidente em cadeia...

Até 2004 foi fanático da formula 1, depois perdi o interesse, antes via os grandes prémios todos, mesmo no Japão e Australia em que davam durante a madrugada de Sábado, a Formula 1 actual perdeu completamente o encanto, os carros até andam menos.

Antigamente um carro de formula 1 era como um animal selvagem, mesmo o próprio ruído do motor, eram carros que tinham pouco apoio aerodinâmico quando comparado com os dias de hoje e tinham motores com mais de 1000 CV, utilizava-se mesmo motores só para fazer a qualificação, com turbos alterados só aguentavam 3 ou 4 voltas  (eram só para qualificar)

A qualificação eram 12 voltas que os pilotos podiam fazer durante uma hora, isso tornava interessante porque as condições da pista ao longo de 1 hora mudam muito, desde a temperatura da pista, ou o estado do tempo, basicamente eram 3 tentativas que cada piloto tinha, e havia também a questão da utilização do combustível que tornava as estratégias de pista interessantes do ponto de vista competitivo...

alias basta comparar, nos 80 e 90, a quantidade de equipas diferentes e motores diferentes que ganharam, e os que ganham agora... na formula 1 actual o piloto conta menos que o carro.
Bem, não concordo que os carros andem menos hoje, não é por acaso que os recordes dos circuitos andam a cair todos e que no ano passado o Kimi tenha feito a volta mais rápida da história da F1 em Monza. O que sucede é que apesar dos motores de antigamente serem mais poderosos, hoje a aerodinâmica permite muito mais downforce nas curvas e o DRS mitiga o efeito do drag nas rectas. Além disso os pneus lisos da Pirelli têm uma área de contacto com o solo muito grande o que confere logo uma diminuição grande do tempo por volta. A potência que foi perdida no motor foi recuperada na aerodinâmica, pneus e nos sistemas de recuperação de energia (MGU-h e MGU-k).

Em termos de engenharia é de destacar isto, como motores menos potentes andam a quebrar recordes de pistas ( grande parte deles caiu entre as épocas de 2017 e 2018. Além disso, antigamente era usado um motor por cada dia num fim de semana de Grande Prémio, hoje são usados três motores para toda a época ( o limite de componentes dos carros estão tabelados), o que é um grande progresso. A eficiência térmica dos motores ( ou unidades de potência como hoje lhes chamam) também é muito maior hoje em dia, a Mercedes chegou até a ultrapassar os 50%...

O problema é que estes avanços prejudicaram a competição ao fazer com que apenas as equipas fornecedoras de motores consigam apresentar carros competitivos ( Redbull é excepção), pois o desenvolvimento do carro tornou-se muito mais dispendioso. Em pista os pilotos estão demasiado dependentes do DRS para ultrapassar, o efeito dirty air limita muito que um piloto siga colado a outro ( os pneus sofrem bastante com isso). Algumas pistas tornam-se autênticas procissões de 60/70 voltas onde os pilotos estão constantemente a gerir o estado dos pneus.

Por fim, outra coisa que acho que não se pode descurar é o som dos motores, pois é algo icónico e que os fãs do desporto adoram. O som daqueles motores V10 era delicioso.
Concordo.

Vamos ver esta época, que efeito têm as novas regras aerodinâmicas.
Mas já agora @scanferr, porque é que o Schumacher ficou tão indignado? Pelo vídeo parece-me que ele fica sem visibilidade e que o Coulthard estava a tentar abrandar para o deixar passar.  :think:

O Coulthard ia levar uma volta de avanço e abranda mas fica na racing line, não se desvia e o Schumacher não consegue ver nada com tanta chuva e pimba.

O triste é que se isto fosse agora, a corrida tinha sido cancelada porque era "muita" chuva.

Estas coisas fazem parte do desporto  :mrgreen:

O David Coulthard fez de propósito, o Schumacher estava a disputar o mundial com o Hakkinen, a Mclaren tinha claramente melhor carro, e naquele grand prémio o Hakkinen tinha ficado na primeira curva, alias se não me engana a memória aquilo passou-se num celebre Gran premio da Belgica em que na primeira curva ficaram uns 8 ou 9 carros num acidente em cadeia...

Até 2004 foi fanático da formula 1, depois perdi o interesse, antes via os grandes prémios todos, mesmo no Japão e Australia em que davam durante a madrugada de Sábado, a Formula 1 actual perdeu completamente o encanto, os carros até andam menos.

Antigamente um carro de formula 1 era como um animal selvagem, mesmo o próprio ruído do motor, eram carros que tinham pouco apoio aerodinâmico quando comparado com os dias de hoje e tinham motores com mais de 1000 CV, utilizava-se mesmo motores só para fazer a qualificação, com turbos alterados só aguentavam 3 ou 4 voltas  (eram só para qualificar)

A qualificação eram 12 voltas que os pilotos podiam fazer durante uma hora, isso tornava interessante porque as condições da pista ao longo de 1 hora mudam muito, desde a temperatura da pista, ou o estado do tempo, basicamente eram 3 tentativas que cada piloto tinha, e havia também a questão da utilização do combustível que tornava as estratégias de pista interessantes do ponto de vista competitivo...

alias basta comparar, nos 80 e 90, a quantidade de equipas diferentes e motores diferentes que ganharam, e os que ganham agora... na formula 1 actual o piloto conta menos que o carro.
Bem, não concordo que os carros andem menos hoje, não é por acaso que os recordes dos circuitos andam a cair todos e que no ano passado o Kimi tenha feito a volta mais rápida da história da F1 em Monza. O que sucede é que apesar dos motores de antigamente serem mais poderosos, hoje a aerodinâmica permite muito mais downforce nas curvas e o DRS mitiga o efeito do drag nas rectas. Além disso os pneus lisos da Pirelli têm uma área de contacto com o solo muito grande o que confere logo uma diminuição grande do tempo por volta. A potência que foi perdida no motor foi recuperada na aerodinâmica, pneus e nos sistemas de recuperação de energia (MGU-h e MGU-k).

Em termos de engenharia é de destacar isto, como motores menos potentes andam a quebrar recordes de pistas ( grande parte deles caiu entre as épocas de 2017 e 2018. Além disso, antigamente era usado um motor por cada dia num fim de semana de Grande Prémio, hoje são usados três motores para toda a época ( o limite de componentes dos carros estão tabelados), o que é um grande progresso. A eficiência térmica dos motores ( ou unidades de potência como hoje lhes chamam) também é muito maior hoje em dia, a Mercedes chegou até a ultrapassar os 50%...

O problema é que estes avanços prejudicaram a competição ao fazer com que apenas as equipas fornecedoras de motores consigam apresentar carros competitivos ( Redbull é excepção), pois o desenvolvimento do carro tornou-se muito mais dispendioso. Em pista os pilotos estão demasiado dependentes do DRS para ultrapassar, o efeito dirty air limita muito que um piloto siga colado a outro ( os pneus sofrem bastante com isso). Algumas pistas tornam-se autênticas procissões de 60/70 voltas onde os pilotos estão constantemente a gerir o estado dos pneus.

Por fim, outra coisa que acho que não se pode descurar é o som dos motores, pois é algo icónico e que os fãs do desporto adoram. O som daqueles motores V10 era delicioso.
Concordo.

Vamos ver esta época, que efeito têm as novas regras aerodinâmicas.
Atrevia-me a dizer nenhum.
Primeiro porque Ferrari e sauber apresentam asas que tentam imitar o outwash gerado por todos os apêndices do ano anterior e segundo porque outro factor é o fundo plano, o que não foi alvo de novas regras e portanto muito do outwash vai continuar

Duvido seriamente que haja grandes modificações a nível de ultrapassagens
"Grandes resultados requerem grandes ambições."
"Pirelli data suggests Ferrari 0.5s ahead of rivals"

O Franz Tost disse o mesmo no terceiro dia de testes
A mercedes sempre escondeu o potencial do seu carro nos testes/treinos
Alguém me consegue dizer se a F1 TV Pro vale o dinheiro? Ou compensa mais ter a Eleven Sports?
Estou num dilema enorme, sempre tive Sport TV e tenho-a mantido só por causa da F1 e dos jogos do Sporting. A questão é que começa a não fazer muito sentido pagar 30€/mês por um serviço que quase nem tem conteúdo hoje em dia.
Das 3 uma:
F1 TV Pro
Eleven Sports
Uma stream qualquer
Sócio 87.605-0
Alguém me consegue dizer se a F1 TV Pro vale o dinheiro? Ou compensa mais ter a Eleven Sports?
Estou num dilema enorme, sempre tive Sport TV e tenho-a mantido só por causa da F1 e dos jogos do Sporting. A questão é que começa a não fazer muito sentido pagar 30€/mês por um serviço que quase nem tem conteúdo hoje em dia.
Das 3 uma:
F1 TV Pro
Eleven Sports
Uma stream qualquer

Eu aderi a F1 TV Pro e até agora estou satisfeito. Se percebi bem, com este serviço podes escolher o que queres ver, ou seja, se só quiseres ver a corrida do Hamilton, por exemplo, podes escolher a câmara onboard dele e pronto, só vês aquilo. É uma vantagem e desvantagem. Os comentários são em inglês e acho que é a única língua disponível.
A eleven está a apostar bem e acho que pode valer a pena o valor, até pela restante oferta.
Eu aderi ao outro serviço apenas pelo valor, porque basicamente fiquei desempregado recentemente e 25€ ainda consegui pagar, 10/mês não iria conseguir.
"É um orgulho estar no Sporting. Quem não conhece o Sporting sabe muito pouco de futebol"  Tales  3-9-2010
Alguém me consegue dizer se a F1 TV Pro vale o dinheiro? Ou compensa mais ter a Eleven Sports?
Estou num dilema enorme, sempre tive Sport TV e tenho-a mantido só por causa da F1 e dos jogos do Sporting. A questão é que começa a não fazer muito sentido pagar 30€/mês por um serviço que quase nem tem conteúdo hoje em dia.
Das 3 uma:
F1 TV Pro
Eleven Sports
Uma stream qualquer

Eu aderi a F1 TV Pro e até agora estou satisfeito. Se percebi bem, com este serviço podes escolher o que queres ver, ou seja, se só quiseres ver a corrida do Hamilton, por exemplo, podes escolher a câmara onboard dele e pronto, só vês aquilo. É uma vantagem e desvantagem. Os comentários são em inglês e acho que é a única língua disponível.
A eleven está a apostar bem e acho que pode valer a pena o valor, até pela restante oferta.
Eu aderi ao outro serviço apenas pelo valor, porque basicamente fiquei desempregado recentemente e 25€ ainda consegui pagar, 10/mês não iria conseguir.
É altamente usar as câmeras onboard durante as corridas

Sent from my SM-G930F using Tapatalk

"Grandes resultados requerem grandes ambições."