Portugal Paranormal

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Não acredito em nada disso mas, excuse my french, borro-me todo  :mrgreen:
O Hotel da Bela Vista


Este hotel situado na Praia da Rocha, em Portimão, é um local onde várias gerações de funcionários terão avistado um fantasma.

Foi porto de abrigo de refugiados europeus durante a 2.ª Guerra Mundial. Nessa época ter-se-á descoberto que um dos seus funcionários guardara indevidamente cartas dos refugiados, e que o hotel tratou de as encaminhar, recebendo mais tarde respostas de netos e bisnetos dos destinatários.

Diz-se que os espíritos aprisionados dos antigos destinatários se fazem sentir durante a noite, soltando gemidos e lamúrias, que se ouvem pancadas nas paredes e que o fantasma da ex-proprietária vagueia pelos corredores...


Este conheço muitíssimo bem. Fica a poucos metros da casa onde fico, na Rocha. Agora foi recuperado e é um Hotel brutal:
http://www.hotelbelavista.net/pt/


Vem aí a segunda parte. BdC
O Casal das Três Marias

Circulam rumores de que esta casa localizada em Azenhas do Mar (Sintra) estará assombrada, ouvindo-se o choro de meninas.

Conta-se que nela viviam nela três raparigas, todas com o nome de Maria (Ana Maria, Teresa Maria e Joana Maria). A mãe destas raparigas tinha ligações com o oculto chegando até a fazer rituais, mas nunca dentro de casa para que os espíritos não atormentassem as suas filhas. No entanto, as raparigas começaram a ouvir e a ver coisas estranhas e de um momento para o outro desapareceram, tal como a mãe.




Invictus,

Já pensaste em editar um livro com estas histórias? Seria muito interessante! Com um pouco mais de background check, seria muito boa aposta.

SL
As Ruínas do Convento da Quinta de São Paulo



Conta-se que por volta de 1994 um grupo de jovens se dirigiu às ruínas do Convento da Quinta de São Paulo (Setúbal) para praticar um ritual satânico. Nessa ocasião, terão assassinado uma rapariga, cujo fantasma supostamente assombra o local.

Hoje em dia, as ruínas são utilizadas para rituais (ver a segunda foto), consumo de droga e álcool ou para "divertimento" de casais.




Moro em São João do Estoril e como é óbvio em puto mal soube da historias não fiquei descansado até entrar em todas essas casas e mais tarde todas a que estavam abandonadas ou em obras, nunca vi nada mas que sai todo borrado de algumas com barulhos que ouvi ou imaginei.
Também existe uma base militar abandonada ali na Parede, é giro ir la porque é subterrânea, sem luz nenhuma dá sempre para assustar uns amigos.
Tenho ideia que por entre chalets e palacetes, há umas quantas "histórias" na serra.de sintra ...isto para nao falar de certas actividades "cultorais"  no meio da "mata"
Sempre Sporting!
Invictus,

Já pensaste em editar um livro com estas histórias? Seria muito interessante! Com um pouco mais de background check, seria muito boa aposta.

SL

Obrigado pela sugestão! Que eu saiba, já existem dois livros publicados pela jornalista Vanessa Fidalgo sobre o tema...





« Última modificação: Agosto 12, 2014, 15:11 pm por Invictus »
Não há nenhuma história da "cintura do oculto" portuguesa? Falo da costa alentejana a sul de Sines, passei muitos Verões nessa zona quando era miúdo e lembro-me de ouvir falar em rituais satânicos que se praticavam nos pinhais ao longo da costa. Aqui há uns ano uma revista qualquer chegou inlusivamente a fazer uma reportagem sobre histórias e crimes com contornos estranhos nessa zona.
Que tópico do caraças  :xock:
ADORO   :drool:
Sempre gostei destas histórias do oculto , nunca assisti a nada digamos paranormal , e ainda bem que assim o é  :mrgreen: :lol:
Mas sempre gostei destas histórias , aliás a minha série favorita é o Supernatural devido à exploração do sobrenatural e todas aquelas lendas existentes ( a mais tentadora / assustadora é a Bloody Mary  )  :-[
Bom tópico e obrigado pelo aviso Invictus  :mrgreen: :beer:
Tenho ideia que por entre chalets e palacetes, há umas quantas "histórias" na serra.de sintra ...isto para nao falar de certas actividades "cultorais"  no meio da "mata"

Boa sugestão, que merece ser explorada. :great:
Não há nenhuma história da "cintura do oculto" portuguesa? Falo da costa alentejana a sul de Sines, passei muitos Verões nessa zona quando era miúdo e lembro-me de ouvir falar em rituais satânicos que se praticavam nos pinhais ao longo da costa. Aqui há uns ano uma revista qualquer chegou inlusivamente a fazer uma reportagem sobre histórias e crimes com contornos estranhos nessa zona.

Outra boa sugestão de pesquisa. :great:
Que tópico do caraças  :xock:
ADORO   :drool:
Sempre gostei destas histórias do oculto , nunca assisti a nada digamos paranormal , e ainda bem que assim o é  :mrgreen: :lol:
Mas sempre gostei destas histórias , aliás a minha série favorita é o Supernatural devido à exploração do sobrenatural e todas aquelas lendas existentes ( a mais tentadora / assustadora é a Bloody Mary  )  :-[
Bom tópico e obrigado pelo aviso Invictus  :mrgreen: :beer:

Agradecido... :great:
A Casa de Óbidos


Não obstante a sua aparência banal, existe em Óbidos uma moradia associada a histórias sobrenaturais e que, por esse motivo, muda frequentemente de proprietários.

Conta-se que um grupo destemido de bombeiros de Óbidos resolveu dormir uma noite nessa casa. Alegadamente, ninguém dormiu, porque terão ouvido ruídos estranhos durante a noite. Sentiram portas a bater, o vento a passar pela cara e o bafo de alguém a respirar...





A Casa de Óbidos


Não obstante a sua aparência banal, existe em Óbidos uma moradia associada a histórias sobrenaturais e que, por esse motivo, muda frequentemente de proprietários.

Conta-se que um grupo destemido de bombeiros de Óbidos resolveu dormir uma noite nessa casa. Alegadamente, ninguém dormiu, porque terão ouvido ruídos estranhos durante a noite. Sentiram portas a bater, o vento a passar pela cara e o bafo de alguém a respirar...







Se repararem do lado esquerdo do carro logo a seguir às escadas está um homem sem cabeça com uma mangueira!  :twisted: :twisted:
O Sporting somos sempre nós!
A Casa dos Carvalhos de Figueiredo

Conta-se que esta moradia em Carvalhos de Figueiredo (Tomar) é assombrada. Há alguns anos, a casa foi assaltada e os gatunos assassinaram as três pessoas (casal e filho) que lá viviam. Na sequência dessa tragédia, foi herdada pelo irmão do falecido.

Esse irmão não queria a casa e decidiu vendê-la. Quando foi tratar da "papelada" às Finanças e à Câmara Municipal disseram-lhe que o imóvel teria de ser fotografado. E assim aconteceu.

Quando as fotos foram reveladas, algo de estranho aconteceu... Numa das fotografias da fachada encontrava-se o casal assassinado, um em cada janela.

A casa foi vendida a um casal, ao qual explicaram toda a história. A nova proprietária achou por bem, durante as mudanças, levar umas ervas e umas velas para celebrar um ritual de expulsão dos espíritos. Para surpresa dos novos donos, quando voltaram no dia a seguinte, as paredes estavam pretas e os móveis partidos. Nem se chegaram a mudar...

Desde então, mantém-se desabitada.






« Última modificação: Agosto 12, 2014, 22:12 pm por Invictus »
A Casa de Óbidos


Não obstante a sua aparência banal, existe em Óbidos uma moradia associada a histórias sobrenaturais e que, por esse motivo, muda frequentemente de proprietários.

Conta-se que um grupo destemido de bombeiros de Óbidos resolveu dormir uma noite nessa casa. Alegadamente, ninguém dormiu, porque terão ouvido ruídos estranhos durante a noite. Sentiram portas a bater, o vento a passar pela cara e o bafo de alguém a respirar...







Se repararem do lado esquerdo do carro logo a seguir às escadas está um homem sem cabeça com uma mangueira!  :twisted: :twisted:

 :lol: :lol: :lol:
A primeira história é igualzinha a casa vermelha em Peniche.  :great:

Aqui está a tal casa vermelha...




« Última modificação: Agosto 12, 2014, 18:22 pm por Invictus »
A Quinta da Penha Verde


A Quinta da Penha Verde situa-se na Estrada Nova da Rainha, em Sintra, e é unida à Quinta da Fonte dos Cedros por uma ponte.
A 17 de Outubro de 1982, durante mais de 6 horas terão caído pedras do céu sobre dezenas de pessoas, obrigando os caseiros a chamar a GNR e os Bombeiros, que também foram atingidos pelas pedras.   

Através do jornalista Vitor Mendanha e do fotógrafo Hermínio Clemente, o "Correio da Manhã" publicou uma extensa reportagem intitulada "Choveram pedras durante 6 horas sobre uma mulher", acompanhada de fotografias do local dos acontecimentos e de alguns dos protagonistas.

"Durante mais de seis horas caíram pedras do espaço sobre dezenas de pessoas idóneas na Quinta da Penha Verde em Sintra, obrigando os caseiros a chamarem a GNR e os bombeiros daquela vila, os quais também foram atingidos pelos calhaus, respondendo a tiros de rajada sobre inexistentes apedrejadores. Este caso, a que até os soldados da GNR não atribuem razão natural, deu-se no passado domingo e teve como principal intérprete Elvira da Conceição Teodoro, mulher do caseiro Avelino da Costa Gonçalves que cuida, desde há bastante tempo, daquela quinta … pertencente à família Ernesto Rau…".

Declarou José Ribeiro, dos Bombeiros Voluntários de Sintra:

"Domingo à noite…a GNR veio cá ao quartel pedir o nosso gerador e projectores. Quando chegámos à Quinta da Penha Verde chovia pedrada por todo o lado e os guardas andavam ao tiro para o ar e para as moitas, julgando tratar-se de homens que os estavam a apedrejar...".

Acrescentou o jornalista:

"O bombeiro José Ribeiro era acompanhado por outros colegas, como os soldados da paz Joaquim António e Eduardo Silvestre, e começou a fazer pouco da cena, dizendo não acreditar em bruxarias, mas foi nessa altura que lhe aconteceu algo de insólito…."

"Mal disse que não acreditava que estivesse a chover pedras, veio um calhau na minha direcção e, se não me afasto, partia-me a cabeça. Ainda está a marca no portão, e o mais esquisito é que as pedras estavam quentes… Por mais que ela (a mulher do caseiro) fugisse, os projécteis iam lá ter. A certa altura a mulher veio para junto do jipe da GNR e as pedras começaram a cair nesse local. Achei então que vinham do outro mundo pois, mesmo as que acertavam nas outras pessoas, como aconteceu com guardas, não magoavam, mas as que caíam sobre o jipe deixavam marcas na chapa… ".

Prosseguiu o articulista:

"Era já noite cerrada e mais de vinte homens da GNR, vindos dos quartéis de Sintra, Algueirão e Colares, tentavam descobrir ainda a razão da chuva de pedregulhos, alguns deles com o volume duma mão fechada… Também veio um carro-canhão dos BVS para disparar milhares de litros de água… Como, apesar da madrugada ir alta, não cessava o apedrejamento, as forças da ordem e os bombeiros, impotentes para resolverem o problema, regressaram aos quartéis para voltarem no dia imediato, segunda-feira, pois o fenómeno continuou, só terminando quando Elvira da Conceição Teodoro e os filhos abandonaram a quinta para irem viver numa pequena casa perto de Queluz…

O fenómeno das pedras voadoras começou pelas sete horas, quando o caseiro Avelino Gonçalves ouviu bater algumas no portão…. Recorda-se de a primeira sessão de pedrada ter sucedido em Abril do ano passado quando cavava batatas … No entanto desta vez foi demais e até os cães ganiram e fugiram….

O local é isolado, no sopé da serra, a meio caminho entre Sintra e Monserrate…. No posto da GNR conseguimos falar com alguns soldados que lutaram contra as pedras na noite e madrugada do passado domingo, disparando tiros e sendo alvejados por algumas. Um deles garantiu-nos: as pedradas vinham de todos os lados, sem barulho, e uma delas caiu-me no braço, sem me magoar, apesar de ser grande. Outra atingiu um camarada meu na cabeça … e nem sequer o feriu… Desde que vigiassem a mulher do caseiro com a luz dos projectores, os calhaus deixavam de cair mas, mal tiravam a luz de onde ela se encontrava, também a chuva de pedradas regressava em força…
 
Havia que procurar a principal vítima do apedrejamento sem explicação natural e encontrámos Elvira da Conceição Teodoro num bairro pobre perto de Queluz, rodeada pelos seus filhos, todos menores … Aparenta 35 anos mas sofre de epilepsia desde muito nova e a sua vida tem sido um inferno … Elvira da Conceição Teodoro não entrou em contradição sobre o que aconteceu na Quinta da Penha Verde, sendo o seu depoimento precisamente idêntico ao do marido, ao dos bombeiros e ao dos guardas da GNR…".






Adoro estas histórias, já meti este tópico nos favoritos. Parabéns, Invictus, pela ideia! :)
"Por cada leão que cair, outro se levantará." - António Oliveira