Portugal Paranormal

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Este tópico pretende apresentar alegados fenómenos paranormais ocorridos em Portugal. Histórias de casas assombradas, relatos de avistamentos de naves extraterrestres e outras aparentes manifestações sobrenaturais serão aqui ilustradas...



O Castelinho de São João do Estoril


Esta é uma das mais famosas histórias sobre locais alegadamente assombrados no nosso país. Já muitos famosos tentaram comprar a casa, mas as descrições arrepiantes sobre o fantasma da menina que teria morrido nos penhascos perto desta habitação afastaram os futuros proprietários. Em 1983, José Castelo Branco confessou que estava interessado em comprar o castelinho, mas quando visitou esta propriedade acabou por desistir, dizendo que viu uma menina na falésia e que um impulso, que acabou por controlar, quase o fez atirar-se ao mar. Esta experiência sobrenatural que diz ter vivido, afastou-se para sempre do local. Também a mãe de Lili Caneças esteve perto de ficar com esta casa, mas os rumores sobre os fantasmas que habitavam o local tiraram-lhe essa ideia da mente.

 
O Castelinho de São João do Estoril, situado na linha de Cascais, bem perto do mar estará para sempre associado à paranormalidade. Diz quem já visitou a casa, que as ondas do mar produzem um barulho medonho dentro da habitação, o que só por si torna o local bastante assustador.

 
A Câmara Municipal de Cascais tenta explicar este fenómeno e desvenda que por detrás dos relatos de arrepiar poderá estar a história da menina cega, que morava numa casa perto do castelinho, e que terá caído acidentalmente das arribas. Reza a lenda que os pais dessa criança, em sua memória, ofereceram a moradia à Santa Casa da Misericórdia, que durante dez anos a usou como uma instituição de apoio aos cegos. Porém, há quem diga que esta menina que morreu na falésia era a filha dos primeiros proprietários do Castelinho. Há quem conte então, tal como José Castelo Branco relatou, que uma menina com uma boneca na mão passeia pelos muros da propriedade.

Diz-se então, que ao longo de vários anos muitos foram os proprietários desta casa, mas todos acabaram por abandoná-la, com receio daquilo que por lá passava e porque sempre viam a sua família envolvida nalguma desgraça, facto que atribuíam aos poderes maléficos daquela habitação.


Os mais céticos dizem que estas histórias sobrenaturais que envolvem o Castelinho de São João do Estoril correram de boca em boca, tomando proporções que hoje em dia é difícil evitar, mas que apenas revelam o medo, os preconceitos e a ignorância sobre o desconhecido.

Atualmente, o Castelinho é habitado e conhecido como a casa do Dr. Cebola. Foi restaurada e até agora não há notícia de que a família que o habita tenha sofrido algum drama ou presenciado algum fenómeno do além.


« Última modificação: Agosto 12, 2014, 23:38 pm por Invictus »
A Casa de Chá em Caxias


Esta zona de Cascais é povoada de zonas onde as histórias de fantasmas são uma constante. Em Caxias, junto à curva que dá acesso à A5 e bem próximo do farol da Gibalta situa-se uma casa em ruínas, famosa por ser aparentemente assombrada pelos antigos donos, que não querem que o local volte a ser habitado ou que ali se estabeleça um novo negócio. Nesta moradia, hoje em ruínas, funcionava uma famosa Casa de Chá. Prevê-se que toda aquela zona seja recuperada e transformada em zona habitacional e comercial.


« Última modificação: Agosto 11, 2014, 21:41 pm por Invictus »
A Casa das Pedras

Situada na Parede, no concelho de Cascais, esta moradia construída no século XX, com conchas e pedras da praia tem sido alvo de muitas conversas que relatam situações assombradas. Nesta mansão diz-se que se passam fenómenos estranhos, que as luzes se apagam e acendem, que os vultos nas janelas são uma constante e que as portas e as janelas batem constantemente. Quem por lá passa diz que a casa está desabitada e que ninguém a quer comprar, porque os fantasmas atormentam quem já tentou ocupá-la. Neste caso específico, está mais que provado que os relatos não passam de puras fantasias.

A Casa das Pedras é habitada por Fernanda Benedita Azevedo Gomes, de 91 anos, e pelo seu irmão, João Paulo, também nonagenário. A moradia foi mandada construir pelo seu avô, o capitão Manuel de Azevedo Gomes, em 1930, que tinha uma paixão enorme pelo mar e ali tentou recriar um ambiente que lhe fizesse lembrar o oceano. Inicialmente, esta propriedade servia de casa de férias para a família de Fernanda, o que explica o facto de poucas pessoas conhecerem as pessoas que a habitavam. A sua dona atua diz que ali nunca viu uma assombração. A Casa das Pedras foi classificada como património arquitetónico em 1997.


Tópico giro!
Gosto dessas histórias...

Sou céptico, mas gosto.
Nada é bom demais para o SCP!
A Casa Amarela de Ovar


Sobre esta misteriosa casa situada no norte correm duas versões sobre os fantasmas que por lá habitariam. A primeira conta que lá vivia um pai com a sua jovem filha e que esta começou a namorar às escondidas do seu progenitor, já sabendo que este não iria aprovar a relação. No entanto, o pai encontrou os dois namorados inesperadamente e enraivecido atirou-os a um poço. Consta também que dias depois desta desgraça, o pai foi encontrado enforcado no poço.  

A segunda versão diz que naquela casa vivia um empresário de sucesso, que acabou por perder tudo devido a negócios arriscados. Quiseram também retirar-lhe essa mansão onde vivia para pagar dívidas, mas eles recusou-se a sair e acabou por se matar na propriedade. A história conta que quem adquire esta casa, de lá sai rapidamente, assustados com os fenómenos paranormais da habitação. Há quem diga também que já se tentou demolir a Casa Amarela, mas que as máquinas se desligaram sem explicação, não conseguindo concluir os trabalhos.



 
Tópico giro!
Gosto dessas histórias...

Sou céptico, mas gosto.

Também sou céptico, mas procuro manter o espírito aberto a crenças e interpretações cientificamente heterodoxas. :great:
Tópico giro!
Gosto dessas histórias...

Sou céptico, mas gosto.

Também sou céptico, mas procuro manter o espírito aberto a crenças e interpretações menos convencionais daquilo que nos rodeia. :great:

Eu também.
Aliás, eu sou licenciado em Física pelo IST e fiz todo o meu percurso académico rodeado de pessoas que, tal como eu, acreditam, acima de tudo, no método científico. Porém, devo dizer-te que, mesmo nesse ambiente fortemente orientado para interpretações mais racionais dos fenómenos, conheci gente que considero muito credível e que me diz que presenciou situações, no mínimo, interessantes.

Há, de facto, fenómenos que ainda não estão explicados ou que, no mínimo, aparentam violar a lei das probabilidades...
Mas acredito que um dia a ciência chegará lá.
Por enquanto, não.

Eu nunca vi nada de especial.
E atenção que, numa certa fase da minha vida, tentei investigar isso...
Há quem diga que foi porque sou demasiado céptico!
Enquanto eu proprio não vir nada, tenho que duvidar...  :o
« Última modificação: Agosto 11, 2014, 22:03 pm por Strikerr »
Nada é bom demais para o SCP!
A primeira história é igualzinha a casa vermelha em Peniche.  :great:
"Sporting! Minha vida é o Sporting, minha paixão é o Sporting, meu amor é o Sporting, é o Sporting é o Sporting é o Sporting! Meu vício é o Sporting, minha família é o Sporting, Sporting, Sporting, Sporting, é o meu Sporting!"
Acredito no paranormal, mas isso deve-se em parte a influências familiares.

Também é um assunto pelo qual me interesso muito.
Conheço todas as casas menos a que fica no norte pois sempre vivi nesta zona.

A história mais conhecida aqui da zona é a do castelo de São João do Estoril. Acho que grande parte das pessoas conhecem a história e o mito dos diversos compradores que iam visitar a casa e no final recusavam-se a ficar com a casa. Não sei se é verdade ou não.
Na minha garotice passava grande parte do Verão na Praia de Mira onde corria a lenda que havia uma casa assombrada junto à Barrinha. Se era assombrada ou não, não sei. Sei que uma vez apanhei lá alto cagaço. Sabes alguma coisa chuck_Norris:great:

Refiro-me a esta casa:
https://www.google.pt/maps/@40.452607,-8.802023,3a,75y,350.96h,87.36t/data=!3m4!1e1!3m2!1schm7cQqfKP0ojgJp7hXmLw!2e0
''You have forgotten who you are and so have forgotten me. Look inside yourself, Simba. You are more than what you have become. You must take your place in the Circle of Life.'' Mufasa, Lion King, 1994

''These are dark times, there is no denying. Our world has perhaps faced no greater threat than it does today. But I say this to our citizenry: We, ever your servants, will continue to defend your liberty and repel the forces that seek to take it from you!'' Rufus Scrimgeour, Minister for Magic
Tópico muito interessante este caro Invictus  :great:

Tal como o Francisco também eu conheço as primeiras 3 casas (não vivo na zona, mas de vez em quando gosto de ir às praias de Cascais e do Estoril  :mrgreen:). Soube que estas casas eram assombradas pelo meu pai e julgo que existem mais casas com historias parecidas na zona . Em Lisboa, tambem existem algumas julgo que na zona do Lumiar (não tenho a certeza)...
A Casa de Chá em Caxias (só por curiosidade) há uns anos era uma das paixões do meu avô, que considerava toda a área fascinante.

Em relação a estes assuntos costumo ser céptico, no entanto, nunca fiando e por isso nunca me convidem para ir visitar essas casas, mesmo que inconscientemente teria algum receio em visitar as mesmas. Respeito, muito respeito em relação a esta temática, até porque tive um amigo que viveu um período complicado da sua vida ao tentar aprofundar mais o tema...  

p.s. Em Telheiras existe uma igreja antiga e abandonada, um dia eu e varios amigos meus fomos lá, e apesar de ter sido durante o dia e não termos ouvido qualquer barulho estranho, apanhei um valente susto, quando o chão do primeiro piso começou a cair, nesse dia nem consegui dormir...
Um dos aspectos mais interessantes da natureza humana, é que existe muita gente (eu me incluo... :-[)  que em determinadas situações sente algum tipo de receio e de desconforto irracional,  contrariando a lógica mais elementar e à revelia dos conhecimentos científicos.

É como se os "demónios" da superstição e do obscurantismo de milénios passados persistissem em atormentar-nos, pondo à prova o nosso bom-senso...

É uma porta que range em pleno silêncio...é um uivo sinistro que ecoa na noite...é uma silhueta presente no quarto de dormir...



Casa do Diabo em Felgueiras

Na Lixa, em Felgueiras, existe uma casa, agora em ruínas, a quem o povo chama a Casa do Diabo. Reza a história que essa está assombrada e que um casal de agricultores que lá viveu três ou quatro anos passou por situações inexplicáveis. O casal, que não tinha filhos, trabalhava na terra e a mulher fazia ainda alguns bordados para ajudar no orçamentos familiar. Certo dia, quando acabou de bordar uns panos que lhe teriam sido encomendados deixou-os num dos quartos da habitação, dobrados e passados a ferro. No dia seguinte, quando se preparava para entregar a sua encomenda e se dirigiu à divisão onde tinha deixado os panos, estes estavam todos cobertos de urina e remexidos. Na casa só estavam ela e o marido, o que a deixou perplexa.

Conta quem sabe que nesse quarto da Casa do Diabo se passavam fenómenos sobrenaturais: objetos que voavam e móveis que se arrastavam sozinhos. O casal acabou por abandonar a propriedade, amedrontados com a situação.

 
A Casa Mantero Belard na Quinta das Conchas


Nesta quinta situada na Quinta das Conchas, em Lisboa, viveu Francisco Mantero Belard entre 1897 a 1927.

É uma casa senhorial que faz lembrar as velhas mansões coloniais. No seu interior, longas galerias, belas salas com inúmeros frescos e móveis de muito valor. A mansão construída por três pisos, tem uma bonita fachada, uma enorme escadaria e ainda uma torre. Na altura não foi possível visitá-la, agora percebe-se porquê. Lá vivia a mulher de Francisco, que havia conhecido em S. Tomé e Príncipe. Mais tarde, mandou prendê-la numa jaula de 2 metros. Após dezenas de anos em cativeiro, a jovem enlouqueceu. Diz a lenda que a casa está assombrada pelo fantasma da louca e que guarda um tesouro cheio de relíquias trazidas de África.

« Última modificação: Agosto 11, 2014, 23:06 pm por Invictus »
A Casa de Olhão

Conta-se que os habitantes de Olhão crescem a ouvir dizer para nunca entrarem nesta casa, por estar assombrada.

Diz-se que os seus antigos - e ricos - proprietários  terão morreu num incêndio misterioso e que, mais tarde, outra família se mudou para lá, tendo a tragédia se repetido com os mesmos contornos…

O Palácio do Beau-Séjour

Em 1849, a Viscondessa da Regaleira adquiriu a Quinta das Loureiras, em Lisboa, para aí construir uma casa segundo os modelos românticos ingleses assim como um exótico jardim romântico: o "Beau Séjour". O jardim é marcado pela presença de tanques, ilhotas, lagos, coretos e caramanchões, assim como por jogos de luz/sombra entre as clareiras e uma densa vegetação.

Reza a lenda que a sua sobrinha herdeira após a sua morte, viveu uma saga de inúmeros desgostos amorosos de traições e assassinatos, da qual não conseguia ver-se livre, acabando por isolar-se até ao fim da sua vida no palácio amaldiçoado.

O Hotel da Bela Vista


Este hotel situado na Praia da Rocha, em Portimão, é um local onde várias gerações de funcionários terão avistado um fantasma.

Foi porto de abrigo de refugiados europeus durante a 2.ª Guerra Mundial. Nessa época ter-se-á descoberto que um dos seus funcionários guardara indevidamente cartas dos refugiados, e que o hotel tratou de as encaminhar, recebendo mais tarde respostas de netos e bisnetos dos destinatários.

Diz-se que os espíritos aprisionados dos antigos destinatários se fazem sentir durante a noite, soltando gemidos e lamúrias, que se ouvem pancadas nas paredes e que o fantasma da ex-proprietária vagueia pelos corredores...

As Ruínas da Companhia de Comunicações por Cabo Submarino


Em frente da Praia de Carcavelos, e ao lado do colégio St. Julians, as ruínas da antiga Companhia de Comunicações por Cabo Submarino também já foram palco de alegados encontros do outro mundo.

Com o fecho da empresa, a escola permaneceu mas a sede ficou ao abandono. Há pelo menos um relato de um encontro sobrenatural nestas ruínas, com a descrição de uma presença gélida que impede as pessoas de se moverem, sensações de pânico e agonia...

O Sanatório da Serra da Estrela


Construído nos anos 20 a mando dos Caminhos de Ferro, para tratar os seus funcionários, o Sanatório da Serra da Estrela ou dos Ferroviários, albergou durante mais de 40 anos vários doentes de tuberculose.

O edifício foi abandonado nos anos 80 e hoje pairam sobre este local muitas histórias de assombração. Há quem garanta que os espíritos atormentados dos doentes que lá viveram e morreram assustam quem visita o local. O sanatório serve actualmente como Pousada.