Discussão sobre as modalidades do SCP - Geral

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Mas mais grave que isso foi aquela parte dos sócios pagantes, nem 50%, assim é muito complicado!

Só é surpresa para quem tenha andado muito afastado da realidade nos últimos anos...

A direcção já lá está há um ano e o trabalho está à vista de todos...será assim tão descabido esperar que a quotização tivesse aumentado mais que aqueles números, sei lá, passasse para 60% ou assim (claro que não estava à espera que de um momento para o outro a quotização fosse de 100%)? Percebo que muita gente se tivesse afastado na era Godinho e nas anteriores inclusive, mas agora não entendo esta fraca adesão.
Mas mais grave que isso foi aquela parte dos sócios pagantes, nem 50%, assim é muito complicado!

Só é surpresa para quem tenha andado muito afastado da realidade nos últimos anos...

A direcção já lá está há um ano e o trabalho está à vista de todos...será assim tão descabido esperar que a quotização tivesse aumentado mais que aqueles números, sei lá, passasse para 60% ou assim (claro que não estava à espera que de um momento para o outro a quotização fosse de 100%)? Percebo que muita gente se tivesse afastado na era Godinho e nas anteriores inclusive, mas agora não entendo esta fraca adesão.

Obviamente que sim pois muitos terão anos em atraso. Aliás se estavam em desacordo com o anterior status quo teriam pago para poder votar...

Eu não entendo é ter lido que o aumento de sócios estava a ser extraordinário e agora aparecer esta urgência...
Eu sou responsável pelo que escrevo, não pelo que os outros entendem!

Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele, e depois vence-te em experiência.
Mas mais grave que isso foi aquela parte dos sócios pagantes, nem 50%, assim é muito complicado!

Só é surpresa para quem tenha andado muito afastado da realidade nos últimos anos...

A direcção já lá está há um ano e o trabalho está à vista de todos...será assim tão descabido esperar que a quotização tivesse aumentado mais que aqueles números, sei lá, passasse para 60% ou assim (claro que não estava à espera que de um momento para o outro a quotização fosse de 100%)? Percebo que muita gente se tivesse afastado na era Godinho e nas anteriores inclusive, mas agora não entendo esta fraca adesão.

Obviamente que sim pois muitos terão anos em atraso. Aliás se estavam em desacordo com o anterior status quo teriam pago para poder votar...

Eu não entendo é ter lido que o aumento de sócios estava a ser extraordinário e agora aparecer esta urgência...

Extraordinário em termos relativos/percentuais...
Mas mais grave que isso foi aquela parte dos sócios pagantes, nem 50%, assim é muito complicado!

Só é surpresa para quem tenha andado muito afastado da realidade nos últimos anos...

A direcção já lá está há um ano e o trabalho está à vista de todos...será assim tão descabido esperar que a quotização tivesse aumentado mais que aqueles números, sei lá, passasse para 60% ou assim (claro que não estava à espera que de um momento para o outro a quotização fosse de 100%)? Percebo que muita gente se tivesse afastado na era Godinho e nas anteriores inclusive, mas agora não entendo esta fraca adesão.

Obviamente que sim pois muitos terão anos em atraso. Aliás se estavam em desacordo com o anterior status quo teriam pago para poder votar...

Eu não entendo é ter lido que o aumento de sócios estava a ser extraordinário e agora aparecer esta urgência...

Extraordinário em termos relativos/percentuais...

Queres então dizer que o aumento de 5.000 ou 6.000 sócios este ano pouco contribuiu para o aumento de pagantes. É que o mero festejo dos 107.000 sócios é quase vazio de conteúdo se também desses só 49% pagam...(mas isto é outra discussão)
Eu sou responsável pelo que escrevo, não pelo que os outros entendem!

Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele, e depois vence-te em experiência.


Vim lá da reuniao bastante preocupado com o futuro.

Primeiro ponto.
O Bruno foi bem claro nessa separaçao Clube/Sad.
A mim tambem me custa mas temos mesmo de a fazer.
Ele disse claramente algo deste tipo, " era bom que se fizesse uma venda no futebol e se podesse canalizar dinheiro para o clube". Nao pode tem de ficar na Sad.


Disse que em termos de modalidades fez o possivel, para nao acabar com elas como era o cenario que estava em cima da mesa(tirando Futsal que passava para a Sad), na restruturaçao foi possivel passar os 100% da quotizaçao para o Clube e é essa a fonte de receitas para as modalidades. Mesmo os patrocinios vao sendo cada vez menos e alguns foram para as modalidades desviados do Futebol.

Vai haver mais cortes porque o crescimento de associados nao foi o esperado.
Se tem de cortar mais nao pode pensar em integrar as autonomas.

SL

Mas se vai haver mais cortes, como é que se pode dizer que para o ano vamos atacar o título em futebol? É um contra-senso. Aliás, assim que o ouvi pareceu-me contra tudo o que tem vindo a ser anunciado desde o início. Para mim este ano foi atípico e o nosso início de campeonato foi muito acima das expectativas. Será possível repetir? Talvez, mas dizer-se que se vai lutar pelo título implica uma aposta forte para rivalizar com adversários com um poderio enorme.
O que eu esperava era uma chamada à realidade e dizer claramente que estamos a ressuscitar o clube e que andaremos nesta onda nos próximos anos. Se pudermos lutar por títulos, óptimo. Se tal não acontecer, temos que perceber que o caminho que estamos a percorrer é o correto.
Agora continuar a maltratar as modalidades e a apostar o que não temos no futebol....isso é que eu não consigo compreender.
Eu sou contra a figura de Sócio Pagante.

Um clube presta serviços e os adeptos por se identificarem com o mesmo,
compram-lhe os serviços:

- bilhetes para desafios desportivos
- equipamento e vestuário
- usufruir de instalações para a prática desportiva

O SCP tem de se assumir , definitivamente, como uma marca que tem de ser
atrativa pra poder gerar retorno financeiro , para poder proporcionar mais bens e serviços,
que vão gerar mais retornos financeiros, and so on...

Cada decisão tem de ter retorno , ou publicidade concreta ou retorno financeiro.

Esta é a base da questão.

Em relação ao ecletismo, que é a base do espirito Sporting, temos de o manter
mas sempre para formar campeões , não é para andar a brincar às modalidades.
“There seems to be this snobbery around football that everyone has to play the most entertaining football" 
Gary Neville dixit
Mas mais grave que isso foi aquela parte dos sócios pagantes, nem 50%, assim é muito complicado!

Só é surpresa para quem tenha andado muito afastado da realidade nos últimos anos...

A direcção já lá está há um ano e o trabalho está à vista de todos...será assim tão descabido esperar que a quotização tivesse aumentado mais que aqueles números, sei lá, passasse para 60% ou assim (claro que não estava à espera que de um momento para o outro a quotização fosse de 100%)? Percebo que muita gente se tivesse afastado na era Godinho e nas anteriores inclusive, mas agora não entendo esta fraca adesão.

Obviamente que sim pois muitos terão anos em atraso. Aliás se estavam em desacordo com o anterior status quo teriam pago para poder votar...

Eu não entendo é ter lido que o aumento de sócios estava a ser extraordinário e agora aparecer esta urgência...

Extraordinário em termos relativos/percentuais...

Queres então dizer que o aumento de 5.000 ou 6.000 sócios este ano pouco contribuiu para o aumento de pagantes. É que o mero festejo dos 107.000 sócios é quase vazio de conteúdo se também desses só 49% pagam...(mas isto é outra discussão)

Para o aumento de pagantes contribuiu, tanto que uma vez já lhe tinha exposto essa questão, agora é preciso é 'resgatar' os não pagantes, mas tem que haver a noção que isto é uma luta contra o tempo, é agora que é preciso.


Vim lá da reuniao bastante preocupado com o futuro.

Primeiro ponto.
O Bruno foi bem claro nessa separaçao Clube/Sad.
A mim tambem me custa mas temos mesmo de a fazer.
Ele disse claramente algo deste tipo, " era bom que se fizesse uma venda no futebol e se podesse canalizar dinheiro para o clube". Nao pode tem de ficar na Sad.


Disse que em termos de modalidades fez o possivel, para nao acabar com elas como era o cenario que estava em cima da mesa(tirando Futsal que passava para a Sad), na restruturaçao foi possivel passar os 100% da quotizaçao para o Clube e é essa a fonte de receitas para as modalidades. Mesmo os patrocinios vao sendo cada vez menos e alguns foram para as modalidades desviados do Futebol.

Vai haver mais cortes porque o crescimento de associados nao foi o esperado.
Se tem de cortar mais nao pode pensar em integrar as autonomas.

SL

Mas se vai haver mais cortes, como é que se pode dizer que para o ano vamos atacar o título em futebol? É um contra-senso. Aliás, assim que o ouvi pareceu-me contra tudo o que tem vindo a ser anunciado desde o início. Para mim este ano foi atípico e o nosso início de campeonato foi muito acima das expectativas. Será possível repetir? Talvez, mas dizer-se que se vai lutar pelo título implica uma aposta forte para rivalizar com adversários com um poderio enorme.
O que eu esperava era uma chamada à realidade e dizer claramente que estamos a ressuscitar o clube e que andaremos nesta onda nos próximos anos. Se pudermos lutar por títulos, óptimo. Se tal não acontecer, temos que perceber que o caminho que estamos a percorrer é o correto.
Agora continuar a maltratar as modalidades e a apostar o que não temos no futebol....isso é que eu não consigo compreender.

Mas esses cortes afectarão as Modalidades, precisamente pela 'divisão' que já aqui foi referida entre clube e SAD


Vim lá da reuniao bastante preocupado com o futuro.

Primeiro ponto.
O Bruno foi bem claro nessa separaçao Clube/Sad.
A mim tambem me custa mas temos mesmo de a fazer.
Ele disse claramente algo deste tipo, " era bom que se fizesse uma venda no futebol e se podesse canalizar dinheiro para o clube". Nao pode tem de ficar na Sad.


Disse que em termos de modalidades fez o possivel, para nao acabar com elas como era o cenario que estava em cima da mesa(tirando Futsal que passava para a Sad), na restruturaçao foi possivel passar os 100% da quotizaçao para o Clube e é essa a fonte de receitas para as modalidades. Mesmo os patrocinios vao sendo cada vez menos e alguns foram para as modalidades desviados do Futebol.

Vai haver mais cortes porque o crescimento de associados nao foi o esperado.
Se tem de cortar mais nao pode pensar em integrar as autonomas.

SL

Mas se vai haver mais cortes, como é que se pode dizer que para o ano vamos atacar o título em futebol? É um contra-senso. Aliás, assim que o ouvi pareceu-me contra tudo o que tem vindo a ser anunciado desde o início. Para mim este ano foi atípico e o nosso início de campeonato foi muito acima das expectativas. Será possível repetir? Talvez, mas dizer-se que se vai lutar pelo título implica uma aposta forte para rivalizar com adversários com um poderio enorme.
O que eu esperava era uma chamada à realidade e dizer claramente que estamos a ressuscitar o clube e que andaremos nesta onda nos próximos anos. Se pudermos lutar por títulos, óptimo. Se tal não acontecer, temos que perceber que o caminho que estamos a percorrer é o correto.
Agora continuar a maltratar as modalidades e a apostar o que não temos no futebol....isso é que eu não consigo compreender.

Não me parece assim tão simples. Goste-se ou não é o futebol o motor do clube. É este que origina a quase totalidade das receitas. E não falo apenas dos direitos televisivos, patrocinios, GB, merchandising e mais valias na transacções de jogadores. A própria relação dos adeptos, número de sócios e quotização ( que actualmente reverte para o clube ) está muito dependente do desempenho da SAD e da competitividade e sucesso do futebol. E este sofreu um corte de quase 40% de uma época para outra..
Mas mais grave que isso foi aquela parte dos sócios pagantes, nem 50%, assim é muito complicado!

Só é surpresa para quem tenha andado muito afastado da realidade nos últimos anos...

A direcção já lá está há um ano e o trabalho está à vista de todos...será assim tão descabido esperar que a quotização tivesse aumentado mais que aqueles números, sei lá, passasse para 60% ou assim (claro que não estava à espera que de um momento para o outro a quotização fosse de 100%)? Percebo que muita gente se tivesse afastado na era Godinho e nas anteriores inclusive, mas agora não entendo esta fraca adesão.

Obviamente que sim pois muitos terão anos em atraso. Aliás se estavam em desacordo com o anterior status quo teriam pago para poder votar...

Eu não entendo é ter lido que o aumento de sócios estava a ser extraordinário e agora aparecer esta urgência...

Extraordinário em termos relativos/percentuais...

Queres então dizer que o aumento de 5.000 ou 6.000 sócios este ano pouco contribuiu para o aumento de pagantes. É que o mero festejo dos 107.000 sócios é quase vazio de conteúdo se também desses só 49% pagam...(mas isto é outra discussão)

Para o aumento de pagantes contribuiu, tanto que uma vez já lhe tinha exposto essa questão, agora é preciso é 'resgatar' os não pagantes, mas tem que haver a noção que isto é uma luta contra o tempo, é agora que é preciso.

Proporcionalmente diria que a percentagem de pagantes, apesar do aumento do numero de sócios, se mantém praticamente na mesma (os 50%). O ir resgatar os outros será difícil e obrigará a compromissos. Mas não basta dizer que se quer, ou lamentar os factos. Há que pensar, planear estratégias (que na minha opinião não podem passar pela repetição de "receitas" usadas e falhadas) e ir à luta.
Eu sou responsável pelo que escrevo, não pelo que os outros entendem!

Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele, e depois vence-te em experiência.
Eu sou contra a figura de Sócio Pagante.

Um clube presta serviços e os adeptos por se identificarem com o mesmo,
compram-lhe os serviços:

- bilhetes para desafios desportivos
- equipamento e vestuário
- usufruir de instalações para a prática desportiva

O SCP tem de se assumir , definitivamente, como uma marca que tem de ser
atrativa pra poder gerar retorno financeiro , para poder proporcionar mais bens e serviços,
que vão gerar mais retornos financeiros, and so on...

Cada decisão tem de ter retorno , ou publicidade concreta ou retorno financeiro.

Esta é a base da questão.

Em relação ao ecletismo, que é a base do espirito Sporting, temos de o manter
mas sempre para formar campeões , não é para andar a brincar às modalidades.


Isso que advogas é uma empresa, com um conselho de administração decidido em circuito fechado. Era o sonho do Soares Franco.

Obviamente que terá que ter uma exploração equilibrada mas, para te recordar, os estatutos do clube não estabelecem como principio o lucro (do clube, não estou a falar da SAD)

Citar
Artigo 5º
O SPORTING CLUBE DE PORTUGAL tem como fins a educação física, o fomento e a prática do desporto, tanto na vertente da recreação como na de rendimento, as actividades culturais e quanto, nesse âmbito, possa concorrer para o engrandecimento do desporto e do País.

Estritamente de uma empresa, com o lucro ou o retorno como principal objectivo, não serei sequer simpatizante.
« Última modificação: Abril 01, 2014, 13:34 pm por psilva »
Eu sou responsável pelo que escrevo, não pelo que os outros entendem!

Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele, e depois vence-te em experiência.


Isso que advogas é uma empresa, com um conselho de administração decidido em circuito fechado. Era o sonho do Soares Franco.

Obviamente que terá que ter uma exploração equilibrada mas, para te recordar, os estatutos do clube não estabelecem como principio o lucro (do clube, não estou a falar da SAD)


Porquê ir sempre buscar o passado, vamos criar uma gestão empresarial, com objetivos semestrais,
e sobretudo criar um mecanismo de verdadeiro escrutínio.
Primeiro objectivo , estabilidade financeira e orçamentos com superávit.

A SAD interessa ter lucros, até pelos acionistas.
“There seems to be this snobbery around football that everyone has to play the most entertaining football" 
Gary Neville dixit


Isso que advogas é uma empresa, com um conselho de administração decidido em circuito fechado. Era o sonho do Soares Franco.

Obviamente que terá que ter uma exploração equilibrada mas, para te recordar, os estatutos do clube não estabelecem como principio o lucro (do clube, não estou a falar da SAD)


Porquê ir sempre buscar o passado, vamos criar uma gestão empresarial, com objetivos semestrais,
e sobretudo criar um mecanismo de verdadeiro escrutínio.
Primeiro objectivo , estabilidade financeira e orçamentos com superávit.

A SAD interessa ter lucros, até pelos acionistas.

Porque do passado tiramos ensinamentos para o presente e futuro.
De resto, continuas a falar da SAD e eu do Clube. E eu da SAD nunca pus em causa o lucro como objectivo. Nem a gestão equilibrada do clube. Agora, orçamentos com superavit não são objectivos estatutário do clube.
Eu sou responsável pelo que escrevo, não pelo que os outros entendem!

Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele, e depois vence-te em experiência.


Isso que advogas é uma empresa, com um conselho de administração decidido em circuito fechado. Era o sonho do Soares Franco.

Obviamente que terá que ter uma exploração equilibrada mas, para te recordar, os estatutos do clube não estabelecem como principio o lucro (do clube, não estou a falar da SAD)


Porquê ir sempre buscar o passado, vamos criar uma gestão empresarial, com objetivos semestrais,
e sobretudo criar um mecanismo de verdadeiro escrutínio.
Primeiro objectivo , estabilidade financeira e orçamentos com superávit.

A SAD interessa ter lucros, até pelos acionistas.

Buscar o passado?  :inde:

Aquele que nos fez grandes? A nossa história? O que nos permite encher estádios por todo o país quando ganhamos nada há anos e nem perto disso estivemos?

A gestão empresarial, desde que com respeito pelos estatutos do clube e o seu "passado", pelos adeptos e sócios, nunca foi um problema. O problema foi ter-se apostado nesse paradigma como um fim em si mesmo e sem nenhum respeito pelo que referi. Além da incompetência crónica que durou décadas.

Seja como for, as receitas das quotizações, pequenas que sejam ou abaixo do desejável, são contudo uma parte importante das receitas globais do universo Sporting. Não vejo como gestão "empresarial", pelo menos capaz, uma medida que abdique das mesmas e não tenha em atenção os pressupostos que as originam. E tenho como um ataque aos valores dos nossos fundadores e à visão que tenho do clube, a desvalorização do carácter emocional e do sentimento de pertença do associativismo, afinal o cimento que nos mantém vivos.

Os equilibrios orçamentais e a sustentabilidade financeira do grupo têm que ser uma realidade. Não abdicando da identidade do clube. Aliás, reforçando-a.
Os equilibrios orçamentais e a sustentabilidade financeira do grupo têm que ser uma realidade. Não abdicando da identidade do clube. Aliás, reforçando-a.

É com esse "Adamastor" da perda da identidade, que se bloqueia a evolução.
O futuro é sempre incerto , mas se o prepararmos é sempre melhor do que ele
nos obrigar a seguir determinado caminho.
Se o SCP criar , como disse em cima, mecanismos eficazes de escrutínio,
não podemos ter medo de começar uma nova fase.

O SCP tem de ser um exemplo na inovação e excelência, temos de ser seguidos
e não andar a reboque dos outros.
“There seems to be this snobbery around football that everyone has to play the most entertaining football" 
Gary Neville dixit
Os equilibrios orçamentais e a sustentabilidade financeira do grupo têm que ser uma realidade. Não abdicando da identidade do clube. Aliás, reforçando-a.

É com esse "Adamastor" da perda da identidade, que se bloqueia a evolução.
O futuro é sempre incerto , mas se o prepararmos é sempre melhor do que ele
nos obrigar a seguir determinado caminho.
Se o SCP criar , como disse em cima, mecanismos eficazes de escrutínio,
não podemos ter medo de começar uma nova fase.

O SCP tem de ser um exemplo na inovação e excelência, temos de ser seguidos
e não andar a reboque dos outros.

Quero é um Sporting forte e sustentável. Foi o Sporting que inovou com a gestão empresarial e os gestores de topo. Foi o Sporting que inovou com as SADs. Foi o Sporting o primeiro a delinear "projects finance" elogiados pelos parceiros.

Serviu-nos de grande coisa.


Vim lá da reuniao bastante preocupado com o futuro.

Primeiro ponto.
O Bruno foi bem claro nessa separaçao Clube/Sad.


Que pena que seja uma doutrina tão recente.


Vim lá da reuniao bastante preocupado com o futuro.

Primeiro ponto.
O Bruno foi bem claro nessa separaçao Clube/Sad.


Que pena que seja uma doutrina tão recente.

Por mim nao existia  :mrgreen:

SL
Eu sei que tu não concordarias mas agora é muito fácil dizer isso. Eu tinha um peso. Atirei-o para cima de outra pessoa. E agora dirijo-me a ela e digo...epah cuidado e nao te afogues, porque ninguém te pode acudir.

Eu nem quero falar da delapidação que o clube sofreu durante 15 anos a fio à custa da Sad. A troco de quê ? De não ter ferramentas para promover a sua sustentabilidade ?

Eu acho que estamos a chegar a um ponto onde os sócios deviam poder decidir se queriam sequer ter alguma modalidade no clube. Suspende-las , mantendo os escalões de formação.  Canalizar todas as quotas novamente para a SAD. Alguma coisa do género. Já que o discurso é recorrente , auscultar os sócios e decidir dentro daquilo que são os parâmetros actuais.

 Foi o Sporting o primeiro a delinear "projects finance" elogiados pelos parceiros.

Serviu-nos de grande coisa.

Por isso falo de "mecanismos eficazes de escrutínio",
o que se passou na altura foi uma " monstruosa bebedeira de vaidade" e deu no que deu,
só podia :inde:

Simples:
uma estratégia, um plano exequível, controlo dos custos e exigência
no cumprimento das metas.
“There seems to be this snobbery around football that everyone has to play the most entertaining football" 
Gary Neville dixit