[Eleições 2013] Resultados Eleitorais Oficiais

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Eu continuo a achar que a abstenção que temos é um exagero!

Como se explica que 16.461 sócios pagantes e maiores de idade com as quotas em dia (e por isso com capacidade voto) não votem nas eleições mais importantes da história do clube até agora ?!

Excluindo os casos de pessoas que estejam no Estrangeiro, ou longe de Lisboa, mas que supostamente receberam os boletins de voto pelo correio para votarem por correspondência, sinceramente não percebo...

Mas que Sportinguismo é esse ?

Ficaram em casa por causa da chuva ?
Não se quiseram "aborrecer" com as eleições ?
Não gostaram de nenhum candidato e por isso não foram votar ?

Ou só querem ser sócios para poder comprar gamebox ou ter os bilhetes mais baratos ?

Ou têm vidas que não lhes permitiram ir votar.

Receberem os votos na caixa do correio não os deve permitir mesmo votar.

Se calhar foi melhor assim, se já tanto informado foi ignorante então imaginem se os completamente ignorantes fossem votar.

Temos de confessar que o passo de autenticacão da assinatura por um agente/entidade oficial é um bocado primitivo e retira muita da motivacão para votar.

Em vários países como aquele onde vivo actualmente existe um sistema de autenticacão via net com um cartão pessoal (estilo cartão do cidadão) que se coloca numa máquina que se liga (por cabo ou código) ao computador. Esse sistema de privacidade é usado assim para autenticacão nos diversos servicos que o desejem, como a Seguranca Social, o Banco, as Financas, etc.

Como Portugal também cartão de cidadão com chip estou em crer que um sistema desse género seria facilmente implementado por uma empresa do género SIBS.
Isso já é possível. Qualquer empresa que queira fazer a autenticação utilizando o cartão de cidadão já o pode fazer. Basta que o computador cliente tenha um periférico que leia o cartão. Aliás, o site de uma Ordem profissional que eu ajudei a fazer dentro de algum tempo vai permitir que os seus membros façam a autenticação também através do CC (embora permita naturalmente que se possa autenticar pelo método antigo).
Concordo com o reilagarto. O voto por correspondência devia ser exclusivo para os sócios que vivem no estrangeiro.

O clube devia começar desde já a estudar  a implementação do voto electrónico nos núcleos, não em todos porque isso seria logisticamente quase impossível, mas em núcleos escolhidos de forma estratégica devido à sua localização geográfica e tendo em conta a zonas do país com maiores aglomerações de sócios. Julgo que 7 ou 8 núcleos, mais o estádio José Alvalade, seriam suficientes para cobrir todo o país de forma uniforme, somando-se mais dois (Madeira e Açores).  Se no slb isto já se faz, não penso que seja assim tão difícil de implementar no Sporting.

Apesar de parecer na teoria mais justa a ideia de a 1 sócio corresponder somente 1 voto, na verdade num clube isso não é verdade. Mais que não seja pelo facto de para se ser sócio é necessário contribuir com um pagamento, a antiguidade deve ter privilégios. O que estava errado era a enorme discrepância entre os sócios mais antigos e os mais novos, que distorciam os resultados finais e a vontade da maioria, porque um grupo relativamente pequeno de associados tinham o poder de controlar uma eleição.

Com a revisão estatutária, que se seguiu à eleição de 2011, estas diferenças diminuíram, foram criados escalões intermédios e por isso tornaram os resultados apurados mais consentâneos com a vontade popular.

Para se ter uma ideia antes da dita revisão, um associado com uma antiguidade entre 1 e 9 anos de sócio, tinha direito a somente 1 voto, agora entre 1 e 4, tem 1 voto, entre os 5 e 9 anos, 3 votos.

Outro exemplo. Antes um associado com uma antiguidade que o situasse no escalão 40-49 anos, tinha direito a 13 votos. Logo aqui se percebe a enorme discrepância que existia anteriormente: um sócio com 9 anos de antiguidade valia apenas um voto, um outro com 40 tinha 13, facilmente se perde que bastava um candidato dominar os escalões mais antigos, para ter uma eleição ganha. Agora o escalão 40-49, foi divido da seguinte forma: 40-44 anos, 10 votos, 45-49, 11 votos.

E para terminar. No regime anterior o escalão mais alto era para os sócios com 80 ou mais anos de associado, que valiam 25 votos, agora passou a ser assim:  80-84: 18 votos, 85-89: 19 votos, 90 ou +: 20 votos. 

Está tudo explicado aqui:

http://www.supersporting.net/antiguidade-perde-o-posto/

Concordo contigo. Como estava de antes era muito exagerado mas depois das alterações pareceu-me ficar mais justo.

Já aqui foi provado por A+B, que face ao caderno eleitoral de 2013, os novos estatutos tiveram um imapcto de 3% !!!!
se achas justo e relevante 3% então tudo bem...
Sempre Sporting!
Concordo com o reilagarto. O voto por correspondência devia ser exclusivo para os sócios que vivem no estrangeiro.

O clube devia começar desde já a estudar  a implementação do voto electrónico nos núcleos, não em todos porque isso seria logisticamente quase impossível, mas em núcleos escolhidos de forma estratégica devido à sua localização geográfica e tendo em conta a zonas do país com maiores aglomerações de sócios. Julgo que 7 ou 8 núcleos, mais o estádio José Alvalade, seriam suficientes para cobrir todo o país de forma uniforme, somando-se mais dois (Madeira e Açores).  Se no slb isto já se faz, não penso que seja assim tão difícil de implementar no Sporting.

Apesar de parecer na teoria mais justa a ideia de a 1 sócio corresponder somente 1 voto, na verdade num clube isso não é verdade. Mais que não seja pelo facto de para se ser sócio é necessário contribuir com um pagamento, a antiguidade deve ter privilégios. O que estava errado era a enorme discrepância entre os sócios mais antigos e os mais novos, que distorciam os resultados finais e a vontade da maioria, porque um grupo relativamente pequeno de associados tinham o poder de controlar uma eleição.

Com a revisão estatutária, que se seguiu à eleição de 2011, estas diferenças diminuíram, foram criados escalões intermédios e por isso tornaram os resultados apurados mais consentâneos com a vontade popular.

Para se ter uma ideia antes da dita revisão, um associado com uma antiguidade entre 1 e 9 anos de sócio, tinha direito a somente 1 voto, agora entre 1 e 4, tem 1 voto, entre os 5 e 9 anos, 3 votos.

Outro exemplo. Antes um associado com uma antiguidade que o situasse no escalão 40-49 anos, tinha direito a 13 votos. Logo aqui se percebe a enorme discrepância que existia anteriormente: um sócio com 9 anos de antiguidade valia apenas um voto, um outro com 40 tinha 13, facilmente se perde que bastava um candidato dominar os escalões mais antigos, para ter uma eleição ganha. Agora o escalão 40-49, foi divido da seguinte forma: 40-44 anos, 10 votos, 45-49, 11 votos.

E para terminar. No regime anterior o escalão mais alto era para os sócios com 80 ou mais anos de associado, que valiam 25 votos, agora passou a ser assim:  80-84: 18 votos, 85-89: 19 votos, 90 ou +: 20 votos. 

Está tudo explicado aqui:

http://www.supersporting.net/antiguidade-perde-o-posto/

Concordo contigo. Como estava de antes era muito exagerado mas depois das alterações pareceu-me ficar mais justo.

Já aqui foi provado por A+B, que face ao caderno eleitoral de 2013, os novos estatutos tiveram um imapcto de 3% !!!!
se achas justo e relevante 3% então tudo bem...

Alguem ja teve acesso as contas do numero de votos por escalão para cada uma das listas?
Eu continuo a achar que a abstenção que temos é um exagero!

Como se explica que 16.461 sócios pagantes e maiores de idade com as quotas em dia (e por isso com capacidade voto) não votem nas eleições mais importantes da história do clube até agora ?!

Excluindo os casos de pessoas que estejam no Estrangeiro, ou longe de Lisboa, mas que supostamente receberam os boletins de voto pelo correio para votarem por correspondência, sinceramente não percebo...

Mas que Sportinguismo é esse ?

Ficaram em casa por causa da chuva ?
Não se quiseram "aborrecer" com as eleições ?
Não gostaram de nenhum candidato e por isso não foram votar ?

Ou só querem ser sócios para poder comprar gamebox ou ter os bilhetes mais baratos ?

Ou têm vidas que não lhes permitiram ir votar.

Receberem os votos na caixa do correio não os deve permitir mesmo votar.

Se calhar foi melhor assim, se já tanto informado foi ignorante então imaginem se os completamente ignorantes fossem votar.

Temos de confessar que o passo de autenticacão da assinatura por um agente/entidade oficial é um bocado primitivo e retira muita da motivacão para votar.

Em vários países como aquele onde vivo actualmente existe um sistema de autenticacão via net com um cartão pessoal (estilo cartão do cidadão) que se coloca numa máquina que se liga (por cabo ou código) ao computador. Esse sistema de privacidade é usado assim para autenticacão nos diversos servicos que o desejem, como a Seguranca Social, o Banco, as Financas, etc.

Como Portugal também cartão de cidadão com chip estou em crer que um sistema desse género seria facilmente implementado por uma empresa do género SIBS.
Isso já é possível. Qualquer empresa que queira fazer a autenticação utilizando o cartão de cidadão já o pode fazer. Basta que o computador cliente tenha um periférico que leia o cartão. Aliás, o site de uma Ordem profissional que eu ajudei a fazer dentro de algum tempo vai permitir que os seus membros façam a autenticação também através do CC (embora permita naturalmente que se possa autenticar pelo método antigo).

Peço desculpa pela nota, mas a SIBS nada tem a ver com isto, porque a SIBS é uma entidade privada que gere a rede interbancária de serviços de pagamento. Neste caso trata-se apenas de autenticação e isso pode ser explorado utilizando o cartão de cidadão.

Acabar com o voto por correspondência NAO! Nem faz qualquer sentido! Tendo em conta que 12% dos sócios votaram desta forma!!

Já o tinha dito no topico da "votação de sócio correspondente" e poderei voltar a dar sugestões aos serviços do sporting, caso seja necessario na prespectiva de que seja para melhorar o voto em futuras eleiçoes porque o que se passou este ano foi uma vergonha autentica!! Pior que eu ter de me preocupar em ligar, foi a irresponsabilidade no tratamento, sem informação e sem forma de saber de fonte fidedigna o que se estava a passar, ter pagar chamadas de custo acrescido, esperar tempo indeterminado pelos votos sem saber se tinham sido emitidos, enfim uma completa desorganização e desinteresse pelo sócio.
Aqui só tenho a dar os parabens a todos da Mesa que pegaram nesse assunto em mãos e porventura nao fosse uma pessoa com o perfil do dr. Eduardo Barroso e ter vindo pra TV esse assunto ainda estaria na ordem do dia com confusão na noite das eleiçoes. O meu bem haja (mais uma vez) pelos seus prestimos neste campo.

Voltando ao voto descentralizado, penso ter sido inclusive nesse ambito que foi aprovado o voto por correspondencia, para ser possivel acompanhar num futuro proximo as proprias assembleias gerais pela Sporting TV ou site internet e votar remotamente.

Sobre a tecnologia ao fim de 5 anos de implementação do Cartão de Cidadão duvido que ainda exista quem ainda tem o Bilhete de Identidade antigo. Sendo a maioria, senão 99%, dos sócios do Sporting também cidadãos portugueses, excluindo os atletas e pontualmente algum estrangeiro residente com paixão e amor pelo clube. Todos, senão 99% dos sócios do Sporting Clube de Portugal residentes em Portugal continental e ilhas, tem o cartão de cidadão. Logo passiveis da utilização da assinatura digital. Para tal basta apenas terem um leitor USB de 10-15 euros.

De notar que a maioria dos sócios de categoria B 7.981 sócios (antigos correspondentes), onde destes 7.263 vivem em Portugal continental mas fora de Lisboa, 292 nas Regiões Autonomas e 269 na Europa e 157 fora da Europa. Apenas no caso dos emigrantes poderão não ter o novo Cartão de Cidadão. Contudo a maioria quer por razões afectivas quer por trabalho desloca-se ao pais com regularidade, logo nao vejo que nao tenham já os emigrantes todos tambem o Cartão de Cidadão consigo. Segundo sei é tambem facilmente solicitado em qualquer Embaixada ou Consulado com um custo simbolico fixo tal como acontece em Portugal. À volta dos 15 €uros.

Logo restringir o voto apenas nos nucleos é não dar o passo definitivo para o voto electronico descentralizado. Voto esse sem custos pró socio e sem custos pro clube/nucleos.

Só quem não conhece a realidade do pais, pode falar em 8 pontos + 1 na Madeira e +1 nos Açores. Quando ha distritos com mais de 100 kms de raio, o que provoca mais de 200kms mesmo dentro do distrito do nucleo só pra ir votar. Nos Açores é impraticavel por exemplo dada a dispersão geografica pelas diferentes ilhas, com os voos inter-ilhas a custar mais que uma deslocação entre os Açores e a capital portuguesa. Chega a haver casos mesmo nos Açoers, onde a distancia para ir votar pode levar a mais de 150kms ida e volta até Ponta Delgada por exemplo. Ou quando e provavelmente e para grande espanto de muitos, que vao ficar agora a saber, mas a maioria dos sportinguistas nem se encontra na maior ilha dos Açores. Logo uma deslocação entre ilhas é impraticavel e deveras evitavel! Na Madeira por exemplo do ponto mais distante ao Funchal, pode significar uma deslocação de 120kms, como por exemplo desde o Porto Moniz. Não sei quantos sócios do Sporting há no Porto Moniz mas não faz qualquer sentido!!

Estas distancias dentro do proprio distrito, esta dispersao pelas ilhas, pode parecer pouco é verdade, para quem acompanha o Sporting o ano todo, para todo o lado. Que 200kms para votar não é nada!!? Contudo se é pra fazer algo pra melhorar entao que seja pra fazer bem feito!!

Para os mais preocupados a votação será identica à presencial contudo com o voto é enviado a assinatura digital do socio certificada digitalmente pela propria aplicação disponibilizada pelo Estado. Aqui fica uma descrição do processo de autenticação que pode ser feito pelo sócio no conforto do seu lar/local trabalho etc... a milhares de kms de distancia do estadio.

Citar
Como posso assinar um documento eletrónico com o Cartão de Cidadão?

Uma vez instalada a aplicação informática e ligado o leitor do Cartão de Cidadão ao meu computador, redijo e gravo o documento [WORD por exemplo...].

De seguida, insiro o Cartão de Cidadão no leitor, seleciono o certificado de assinatura, digito o meu código de assinatura e confirmo, no fim, a aposição do certificado de assinatura no documento.

Se fizer alguma alteração ao documento, por mais pequena que seja, a assinatura é anulada e, como tal, tenho que voltar a repetir todo o processo de assinatura.


Para os aversos às novas tecnologias, ou sem cartão de cidadão por algum motivo, entao o sistema poderá ser o actual por correspondencia com reconhecimento notarial ou no proprio nucleo com a utilização da assinatura digital do presidente do nucleo ou algum outro membro, desde que no processo esteja presente 1 delegado de cada lista.

Consegue-se desta forma responder a todos os cenarios:
- voto à distancia com cartão de cidadão no domicilio (preferencial e sem qualquer custo)
- voto à distancia com cartão de cidadão no nucleo (opção válida mas com custos na deslocação e disponibilidade de recursos no nucleo)
- voto à distancia com reconhecimento de assinatura e envio postal (desaconselhado mas válido em ultimo caso, porque alem do custo de autenticaçao, tem custo temporal no envio postal)

Uma condição que acho fundamental, os votos por correspondência terminam 2 dias antes das eleiçoes. Para serem processados e colocados os valores numa tabela e os nomes dos sócios riscados dos cadernos eleitorais. Evita-se não só os (3) duplicados como reduz o tempo de contagem, que fica limitado ao fim do voto electronico presencial!
Eu continuo a achar que a abstenção que temos é um exagero!

Como se explica que 16.461 sócios pagantes e maiores de idade com as quotas em dia (e por isso com capacidade voto) não votem nas eleições mais importantes da história do clube até agora ?!

Excluindo os casos de pessoas que estejam no Estrangeiro, ou longe de Lisboa, mas que supostamente receberam os boletins de voto pelo correio para votarem por correspondência, sinceramente não percebo...

Mas que Sportinguismo é esse ?

Ficaram em casa por causa da chuva ?
Não se quiseram "aborrecer" com as eleições ?
Não gostaram de nenhum candidato e por isso não foram votar ?

Ou só querem ser sócios para poder comprar gamebox ou ter os bilhetes mais baratos ?

Ou têm vidas que não lhes permitiram ir votar.

Receberem os votos na caixa do correio não os deve permitir mesmo votar.

Se calhar foi melhor assim, se já tanto informado foi ignorante então imaginem se os completamente ignorantes fossem votar.

Temos de confessar que o passo de autenticacão da assinatura por um agente/entidade oficial é um bocado primitivo e retira muita da motivacão para votar.

Em vários países como aquele onde vivo actualmente existe um sistema de autenticacão via net com um cartão pessoal (estilo cartão do cidadão) que se coloca numa máquina que se liga (por cabo ou código) ao computador. Esse sistema de privacidade é usado assim para autenticacão nos diversos servicos que o desejem, como a Seguranca Social, o Banco, as Financas, etc.

Como Portugal também cartão de cidadão com chip estou em crer que um sistema desse género seria facilmente implementado por uma empresa do género SIBS.
Isso já é possível. Qualquer empresa que queira fazer a autenticação utilizando o cartão de cidadão já o pode fazer. Basta que o computador cliente tenha um periférico que leia o cartão. Aliás, o site de uma Ordem profissional que eu ajudei a fazer dentro de algum tempo vai permitir que os seus membros façam a autenticação também através do CC (embora permita naturalmente que se possa autenticar pelo método antigo).

Peço desculpa pela nota, mas a SIBS nada tem a ver com isto, porque a SIBS é uma entidade privada que gere a rede interbancária de serviços de pagamento. Neste caso trata-se apenas de autenticação e isso pode ser explorado utilizando o cartão de cidadão.

Acabar com o voto por correspondência NAO! Nem faz qualquer sentido! Tendo em conta que 12% dos sócios votaram desta forma!!

Já o tinha dito no topico da "votação de sócio correspondente" e poderei voltar a dar sugestões aos serviços do sporting, caso seja necessario na prespectiva de que seja para melhorar o voto em futuras eleiçoes porque o que se passou este ano foi uma vergonha autentica!! Pior que eu ter de me preocupar em ligar, foi a irresponsabilidade no tratamento, sem informação e sem forma de saber de fonte fidedigna o que se estava a passar, ter pagar chamadas de custo acrescido, esperar tempo indeterminado pelos votos sem saber se tinham sido emitidos, enfim uma completa desorganização e desinteresse pelo sócio.
Aqui só tenho a dar os parabens a todos da Mesa que pegaram nesse assunto em mãos e porventura nao fosse uma pessoa com o perfil do dr. Eduardo Barroso e ter vindo pra TV esse assunto ainda estaria na ordem do dia com confusão na noite das eleiçoes. O meu bem haja (mais uma vez) pelos seus prestimos neste campo.

Voltando ao voto descentralizado, penso ter sido inclusive nesse ambito que foi aprovado o voto por correspondencia, para ser possivel acompanhar num futuro proximo as proprias assembleias gerais pela Sporting TV ou site internet e votar remotamente.

Sobre a tecnologia ao fim de 5 anos de implementação do Cartão de Cidadão duvido que ainda exista quem ainda tem o Bilhete de Identidade antigo. Sendo a maioria, senão 99%, dos sócios do Sporting também cidadãos portugueses, excluindo os atletas e pontualmente algum estrangeiro residente com paixão e amor pelo clube. Todos, senão 99% dos sócios do Sporting Clube de Portugal residentes em Portugal continental e ilhas, tem o cartão de cidadão. Logo passiveis da utilização da assinatura digital. Para tal basta apenas terem um leitor USB de 10-15 euros.

De notar que a maioria dos sócios de categoria B 7.981 sócios (antigos correspondentes), onde destes 7.263 vivem em Portugal continental mas fora de Lisboa, 292 nas Regiões Autonomas e 269 na Europa e 157 fora da Europa. Apenas no caso dos emigrantes poderão não ter o novo Cartão de Cidadão. Contudo a maioria quer por razões afectivas quer por trabalho desloca-se ao pais com regularidade, logo nao vejo que nao tenham já os emigrantes todos tambem o Cartão de Cidadão consigo. Segundo sei é tambem facilmente solicitado em qualquer Embaixada ou Consulado com um custo simbolico fixo tal como acontece em Portugal. À volta dos 15 €uros.

Logo restringir o voto apenas nos nucleos é não dar o passo definitivo para o voto electronico descentralizado. Voto esse sem custos pró socio e sem custos pro clube/nucleos.

Só quem não conhece a realidade do pais, pode falar em 8 pontos + 1 na Madeira e +1 nos Açores. Quando ha distritos com mais de 100 kms de raio, o que provoca mais de 200kms mesmo dentro do distrito do nucleo só pra ir votar. Nos Açores é impraticavel por exemplo dada a dispersão geografica pelas diferentes ilhas, com os voos inter-ilhas a custar mais que uma deslocação entre os Açores e a capital portuguesa. Chega a haver casos mesmo nos Açoers, onde a distancia para ir votar pode levar a mais de 150kms ida e volta até Ponta Delgada por exemplo. Ou quando e provavelmente e para grande espanto de muitos, que vao ficar agora a saber, mas a maioria dos sportinguistas nem se encontra na maior ilha dos Açores. Logo uma deslocação entre ilhas é impraticavel e deveras evitavel! Na Madeira por exemplo do ponto mais distante ao Funchal, pode significar uma deslocação de 120kms, como por exemplo desde o Porto Moniz. Não sei quantos sócios do Sporting há no Porto Moniz mas não faz qualquer sentido!!

Estas distancias dentro do proprio distrito, esta dispersao pelas ilhas, pode parecer pouco é verdade, para quem acompanha o Sporting o ano todo, para todo o lado. Que 200kms para votar não é nada!!? Contudo se é pra fazer algo pra melhorar entao que seja pra fazer bem feito!!

Para os mais preocupados a votação será identica à presencial contudo com o voto é enviado a assinatura digital do socio certificada digitalmente pela propria aplicação disponibilizada pelo Estado. Aqui fica uma descrição do processo de autenticação que pode ser feito pelo sócio no conforto do seu lar/local trabalho etc... a milhares de kms de distancia do estadio.

Citar
Como posso assinar um documento eletrónico com o Cartão de Cidadão?

Uma vez instalada a aplicação informática e ligado o leitor do Cartão de Cidadão ao meu computador, redijo e gravo o documento [WORD por exemplo...].

De seguida, insiro o Cartão de Cidadão no leitor, seleciono o certificado de assinatura, digito o meu código de assinatura e confirmo, no fim, a aposição do certificado de assinatura no documento.

Se fizer alguma alteração ao documento, por mais pequena que seja, a assinatura é anulada e, como tal, tenho que voltar a repetir todo o processo de assinatura.


Para os aversos às novas tecnologias, ou sem cartão de cidadão por algum motivo, entao o sistema poderá ser o actual por correspondencia com reconhecimento notarial ou no proprio nucleo com a utilização da assinatura digital do presidente do nucleo ou algum outro membro, desde que no processo esteja presente 1 delegado de cada lista.

Consegue-se desta forma responder a todos os cenarios:
- voto à distancia com cartão de cidadão no domicilio (preferencial e sem qualquer custo)
- voto à distancia com cartão de cidadão no nucleo (opção válida mas com custos na deslocação e disponibilidade de recursos no nucleo)
- voto à distancia com reconhecimento de assinatura e envio postal (desaconselhado mas válido em ultimo caso, porque alem do custo de autenticaçao, tem custo temporal no envio postal)

Uma condição que acho fundamental, os votos por correspondência terminam 2 dias antes das eleiçoes. Para serem processados e colocados os valores numa tabela e os nomes dos sócios riscados dos cadernos eleitorais. Evita-se não só os (3) duplicados como reduz o tempo de contagem, que fica limitado ao fim do voto electronico presencial!

Já estão a complicar... Word? Redigir e gravar documento? Epá, isso é meter coisas arcaicas num sistema digital.

Quando falei em SIBS, fi-lo porque o sistema sueco foi criado pelos bancos, aqui fica a traducão pra português do artigo da wikipedia:
http://translate.google.com/translate?sl=sv&tl=pt&js=n&prev=_t&hl=pt-PT&ie=UTF-8&eotf=1&u=http%3A%2F%2Fsv.wikipedia.org%2Fwiki%2FE-legitimation



E funciona como na imagem acima, uma máquina que o banco distribui pelos seus clientes gratuitamente e que se pode ligar por código ou usb ao computador. Depois fazes a opcão que tiveres de fazer no site e "assinas" essa opcão com o pin do cartão que metes na máquina. (é mais ou menos o que descreveste tirando a parte primitiva de redigir um documento ???).