Sportinguistas, vamos comprar o SPORTING CP? Eu alinho!

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

A melhor forma de "comprar" o Sporting é termos mais sócios.

Eu já ajudei a fazer vários sócios e sem ser sócios vários adeptos do Sporting.

Se cada um fizer o mesmo, podemos duplicar o nº de sócios e com isso duplicar as receitas da quotização que é uma boa percentagem das receitas para o clube.
A melhor forma de "comprar" o Sporting é termos mais sócios.

Eu já ajudei a fazer vários sócios e sem ser sócios vários adeptos do Sporting.

Se cada um fizer o mesmo, podemos duplicar o nº de sócios e com isso duplicar as receitas da quotização que é uma boa percentagem das receitas para o clube.

Pois, mas o Clube será sempre dos Sócios, pela Lei das Associações, e NINGUÉM o poderia comprar.
O ESPÍRITO de quem criou este tópico, era que os Sócios, Adeptos e Amantes do Sporting resgatassem a Futebol-SAD do risco de ser alienada a entidades externas ao Clube.

E para isso era preciso CAPITAL. E capital de Sócios, Adeptos e Amantes do Sporting Clube de Portugal.
E com esse espírito tinha de ser qualquer coisa como isto:

Já se leram por este Fórum alguns alvitres, para os sócios ou adeptos a isso dispostos, fazerem contribuições ao Sporting, de modo a aliviar o terrível défice que estrangula todo o grupo “empresarial” do Clube.
Uma espécie de operação coração verde.  :mrgreen:

Para além de poder ser objecto risível de comparações óbvias, alienaria a capacidade de intervenção dos “contribuintes”, na aplicação das suas apaixonadas e beneméritas ofertas.
Penso que, dentro de um quadro jurídico a estudar pelos especialistas na área dos fundos, sociedades ou associações, se poderia criar uma forma de participação mais “orgânica e organizada”.

Nesse sentido lanço um alvitre, de cuja exequibilidade legal não tenho nenhuma certeza.

Fundo Sporting Adeptos (fundo mobiliário aberto)
Com as seguintes restrições estatutárias:

1 – O fundo é destinado exclusivamente à aquisição, no mercado primário ou secundário, de acções da Sporting-SAD, salvo o disposto em 6.
2 - O fundo é constituído por unidades de participação nominais, com o valor fixo de 100 euros.
3 – Os subscritores terão participação ilimitada, ao longo da existência do fundo, no número de unidades subscritas.
4 – Não existe limite máximo do capital nominal total.
5 - A sua entrada na Sporting-SAD, de acordo com o estabelecido em 1, só se iniciará depois de as subscrições atingirem os 5.000 euros.
6 - Sempre que o capital disponível ultrapasse os 5.000 euros e não seja possível efectuar aquisições dentro do previsto em 1, será esse capital aplicado em títulos de dívida pública portuguesa, com possibilidade de liquidez imediata.
7 - Todos os subscritores, independentemente do número de unidades que detenham, têm direito apenas a 1 voto em todas as deliberações estatutárias, incluindo a eleição dos gestores e outros membros de administração do fundo.
8 - As unidades de participação são apenas alienáveis por transmissão sucessória.
9 - Todos os lucros obtidos, depois de deduzidos dos encargos fiscais e administrativos são destinados ao reforço de capital do fundo.
10 - A administração do fundo, constituída por eleitos em assembleia de subscritores, não será remunerada e, fará os investimentos e as acções de administração de acordo com os estatutos e o plano aprovado para o período do seu mandato.
11 - O fundo será sempre representado nas assembleias de accionistas da SAD, por um único votante, pertencente à administração do fundo, cujo sentido de voto será previamente deliberado em assembleia de subscritores.
12- O fundo só será extinto pela extinção da SAD, sendo o património remanescente, deduzido das despesas de extinção, distribuído pelos subscritores na proporção das unidades subscritas.

Post Scriptum - A validade e a pertinência desta forma de acção, seria independente de o Clube ser detentor ou não, da maioria do capital da SAD.

« Última modificação: Março 08, 2013, 00:34 am por vpretop »
Por isso mesmo é que coloquei o comprar " "
é fácil ir ao mercado e comprar acções.

depois juntar dinheiro e convencer o clube a vender a SAD aos sócios.

na prática é estilo propor um carro que ande debaixo de água  8)
O ESPÍRITO de quem criou este tópico, era que os Sócios, Adeptos e Amantes do Sporting resgatassem a Futebol-SAD do risco de ser alienada a entidades externas ao Clube ou outros actos de gestão desfavorável.

Mas, para terem FORÇA e VOZ nos destinos do Futebol do Clube tinham de ter uma percentagem de capital relevante.
Capital de Sócios, Adeptos e Amantes do Sporting Clube de Portugal.
Nunca como detentores de acções em nome individual, mas como membros de um GRUPO que agregasse o capital de todos os "voluntários".
E cuja OPINIÃO nas Assembleias de Accionistas reflectisse a opinião da maioria do GRUPO.

Isso é o que seria possível com esta proposta, juridicamente trabalhada, e que não parece que esteja a ser entendida:
 :inde:

Já se leram por este Fórum alguns alvitres, para os sócios ou adeptos a isso dispostos, fazerem contribuições ao Sporting, de modo a aliviar o terrível défice que estrangula todo o grupo “empresarial” do Clube.
Uma espécie de operação coração verde.  :mrgreen:

Para além de poder ser objecto risível de comparações óbvias, alienaria a capacidade de intervenção dos “contribuintes”, na aplicação das suas apaixonadas e beneméritas ofertas.
Penso que, dentro de um quadro jurídico a estudar pelos especialistas na área dos fundos, sociedades ou associações, se poderia criar uma forma de participação mais “orgânica e organizada”.

Nesse sentido lanço um alvitre, de cuja exequibilidade legal não tenho nenhuma certeza.

Fundo Sporting Adeptos (fundo mobiliário aberto)
Com as seguintes restrições estatutárias:

1 – O fundo é destinado exclusivamente à aquisição, no mercado primário ou secundário, de acções da Sporting-SAD, salvo o disposto em 6.
2 - O fundo é constituído por unidades de participação nominais, com o valor fixo de 100 euros.
3 – Os subscritores terão participação ilimitada, ao longo da existência do fundo, no número de unidades subscritas.
4 – Não existe limite máximo do capital nominal total.
5 - A sua entrada na Sporting-SAD, de acordo com o estabelecido em 1, só se iniciará depois de as subscrições atingirem os 5.000 euros.
6 - Sempre que o capital disponível ultrapasse os 5.000 euros e não seja possível efectuar aquisições dentro do previsto em 1, será esse capital aplicado em títulos de dívida pública portuguesa, com possibilidade de liquidez imediata.
7 - Todos os subscritores, independentemente do número de unidades que detenham, têm direito apenas a 1 voto em todas as deliberações estatutárias, incluindo a eleição dos gestores e outros membros de administração do fundo.
8 - As unidades de participação são apenas alienáveis por transmissão sucessória.
9 - Todos os lucros obtidos, depois de deduzidos dos encargos fiscais e administrativos são destinados ao reforço de capital do fundo.
10 - A administração do fundo, constituída por eleitos em assembleia de subscritores, não será remunerada e, fará os investimentos e as acções de administração de acordo com os estatutos e o plano aprovado para o período do seu mandato.
11 - O fundo será sempre representado nas assembleias de accionistas da SAD, por um único votante, pertencente à administração do fundo, cujo sentido de voto será previamente deliberado em assembleia de subscritores.
12- O fundo só será extinto pela extinção da SAD, sendo o património remanescente, deduzido das despesas de extinção, distribuído pelos subscritores na proporção das unidades subscritas.

Post Scriptum - A validade e a pertinência desta forma de acção, seria independente de o Clube ser detentor ou não, da maioria do capital da SAD.

« Última modificação: Março 08, 2013, 00:37 am por vpretop »
A melhor forma de "comprar" o Sporting é termos mais sócios.

Eu já ajudei a fazer vários sócios e sem ser sócios vários adeptos do Sporting.

Se cada um fizer o mesmo, podemos duplicar o nº de sócios e com isso duplicar as receitas da quotização que é uma boa percentagem das receitas para o clube.

Nem é só isso. É meter na cabeça que não estar a pagar quotas (seja que Presidente for, ou em que situação se encontra o clube) é prejudicar o clube onde (hoje em dia) lhe dói mais. Eu sei que muitos têm mais dificuldades financeiras que outros, mas epá, eu não sendo um deles, muito dificilmente deixaria de pagar. Para mim, é das últimas coisas em que penso cortar caso me reveja numa situação de dificuldades financeiras. Façam um esforço, não bebam 20 dos "cafés" que bebem num mês e já dá para pagar/ajudar o nosso clube.

Não votei no Godinho em 2011, e não o queria (feverosamente) como Presidente mas não foi por isso que as deixei de pagar. Muitos fizeram isso, mas pensem assim, se houvesse alguma possibilidade de ele fazer o bem em prol do nosso Clube, essa tornar-se-ia impossível com uma redução drástica das receitas. Se queremos sair desta crise, aqueles (muitos neste fórum) que não são sócios ou não pagam quotas têm de virar essa página...

SL
eu nem 1 euro dava..... dar dinheiro a palhaços para depois ser mal utilizado mais vale tirar a corja de lá e depois meter dinheiro no clube
Falas assim agora.
Eu também já pensei assim.

Quando tiveres contas todos os meses fixas, como carro, casa, água, luz, electricidade, educação, comida, combustível, seguros, internet/tv, outros empréstimos /outras situações minimamente básicas, comecas a pensar de outra forma a não ser que tenhas rendimentos bastante folgados. Hoje em dia já não é como nos bons anos 90.

Acredito que de momento, dos 99 mil sócios registados, 40 mil ou perto tenham as quotas pagas.
A melhor forma de "comprar" o Sporting é termos mais sócios.

Eu já ajudei a fazer vários sócios e sem ser sócios vários adeptos do Sporting.

Se cada um fizer o mesmo, podemos duplicar o nº de sócios e com isso duplicar as receitas da quotização que é uma boa percentagem das receitas para o clube.

Nem é só isso. É meter na cabeça que não estar a pagar quotas (seja que Presidente for, ou em que situação se encontra o clube) é prejudicar o clube onde (hoje em dia) lhe dói mais. Eu sei que muitos têm mais dificuldades financeiras que outros, mas epá, eu não sendo um deles, muito dificilmente deixaria de pagar. Para mim, é das últimas coisas em que penso cortar caso me reveja numa situação de dificuldades financeiras. Façam um esforço, não bebam 20 dos "cafés" que bebem num mês e já dá para pagar/ajudar o nosso clube.

Não votei no Godinho em 2011, e não o queria (feverosamente) como Presidente mas não foi por isso que as deixei de pagar. Muitos fizeram isso, mas pensem assim, se houvesse alguma possibilidade de ele fazer o bem em prol do nosso Clube, essa tornar-se-ia impossível com uma redução drástica das receitas. Se queremos sair desta crise, aqueles (muitos neste fórum) que não são sócios ou não pagam quotas têm de virar essa página...

SL