Procura-se treinador Competente para o Sporting Clube De Portugal

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

@Goncalojbcorreia, acho que quando apresentas o exemplo Jorge Jesus Vs Domingos Paciência e a possibilidade de ser logo campeão, deixas alguns factores importantes fora da equação.

Mas se me permites, responderei aproveitando outro tópico.

Já vi companheiro  :)

Eu concordo em parte, aliás, só um louco não perceberia que existem diferenças, e claras.

Porém, eu não exigia ao Domingos que fizesse "o que Jesus fez".

Exigia ao Domingos, apenas, que estivéssemos mais perto do Porto e a jogar um futebol mais agradável.

As condições do JJ eram suficientes para ser campeão, como foi, e as Domingos não?

Muito provavelmente, está correcto.

Porém, as diferenças entre o Benfica de um e o Sporting de outro, são um mundo.

E é essa diferença abissal entre o futebol praticado e os resultados desportivos de um e de outro, nos seus primeiros anos, que me incomoda.

Lion 73,

Falas bem na ausência de princípios, noutro tópico. Eu referi apenas a falta de resultados, ali, porque esta subentende essa mesma ausência.

Afinal, eu continuo a acreditar que uma equipa que jogue bem está bem mais próxima de vencer de forma continuada. E se o Sporting não o tem conseguido...
[...]
As condições do JJ eram suficientes para ser campeão, como foi, e as Domingos não?

Muito provavelmente, está correcto.

Porém, as diferenças entre o Benfica de um e o Sporting de outro, são um mundo.

E é essa diferença abissal entre o futebol praticado e os resultados desportivos de um e de outro, nos seus primeiros anos, que me incomoda.[...]

Mas é que a Domingos e ao plantel, a partir de determinado momento, não é exigido que pratique bom futebol e monte uma estrutura par ao futuro. É exigido por todos que ganhe, é exigido por muitos que lute pelo título.

O Sporting chega à luz e ninguém diz "ok Domingos, joga de forma agradável e monta a equipa para o futuro". Não, tinha de ganhar. Já antes era assim e mesmo a descer de forma, era exigido que ganhasse. Falava-se a boca cheia no Campeonato e na Liga Europa. Estava tudo ali à mão e ninguém olhava para a equipa e via que continuávamos sem condições para subir tanto a a equipa, que descer a defesa significava descer o rendimento, que o modelo de jogo não tinha sido bem preparado e que as coisas tinham mudado abruptamente, que não havia tempo para treinar devidamente os novos posicionamentos individuais, o jogo colectivo, que continuávamos sem lado direito do ataque.

Foi essa exigência que fez com que André Santos não fosse o natural substituto de Rinaudo, pois exigia-se, a bem da manutenção do sistema, que esse fizesse o mesmo que Rinaudo fazia. E ninguém compreendeu que este demora a carburar e a ganhar forma.

Ninguém percebeu que a equipa tinha de ganhar novas formas de chegar à baliza, pois o lado esquerdo já não tinha segredos. Ninguém percebeu que a equipa tinha sempre 7 ou 8 jogadores contra 9 fechados no seu meio-campo. E que os nossos 2 ou 3 que sobravam não tinham como características construir o jogo ofensivo.

Hoje a equipa não joga nada. Mas mesmo agora, Domingos faz onzes a pensar em ganhar já, muda abruptamente o triângulo, arrisca subir a defesa mesmo sem o tampão, esta não responde bem às duas coisas, parte a equipa... E cada vez perde mais!

Atenção, não estou a defender o treinador. Estou meramente a descrever um cenário que para mim me parece o correcto. Ele cometeu e comete erros, os maiores na pré-época e agora, ao deixar-se continuamente enrolar nesta situação, em vez de romper com ela.

Para mim, treinador e o próprio Sporting no futebol, caíram na armadilha de não manter um plano. Se a pré-época já tinha sido um desastre a construir os pilares para um projecto sólido, se os primeiros jogos até serviram para emendar algumas coisas, mudar o projecto para um mais ambicioso, mas ainda assim assente em fundações muito frágeis acabou com tudo! O edifício ruiu!
“A lot of football success is in the mind. You must believe you are the best and then make sure that you are.” - Bill Shankly
Não acho que tenha sido assim. Aliás, após uma derrota na Luz, resultado sempre difícil de digerir pelos sportinguistas, somou-se o apoio ao Domingos Paciência. Basta ver que o excelente texto do Junky, referente ao Domingos, foi escrito após esse jogo...

Concordo com a questão do André Santos e do Rinaudo. Não foi só uma questão de qualidade, mas também de características. O Domingos tentou jogadores fortes fisicamente (Neto), raçudos (Carriço), com qualidade de passe e de posição (André)...

Nenhum era o que é Rinaudo, um misto de todos. E a equipa ressentiu-se, é verdade.

Eu acho que os adversários começaram a bloquear os ataques do Sporting pelas laterais, sobretudo pela esquerda, e que Domingos não foi capaz de reinventar o modelo, o processo ofensivo, a forma de atacar.

Começámos a "baquear" (existe?) nos adversários, a frustração dos jogadores a vir ao de cima, e chegámos a isto.

A dúvida que tinha, e que tenho, é se Domingos, enquanto treinador, é capaz de dar o próximo passo.

Porque se a ideia é vencer o Campeonato a curto prazo (ou seja, até final da próxima temporada), não só se tem de dar uns retoques no plantel (essencialmente pelas questões físicas), como Domingos tem de reinventar as soluções ofensivas por si pensadas.

Porque estas estão demasiado dependentes de 1/2 jogadores, procuram espaços demasiado longe da área que os adversários não têm grandes dificuldades em suster...

Ah, e a questão da defesa subida. Acho que a defesa ficou mais baixa, após os primeiros 2/3 maus jogos/resultados. O Polga já não fazia passes rasteiros da linha de meio-campo até ao RvW, e passou a fazer passes longos e aéreos, vulgo chutões, para ele.

Ou seja, a linha defensiva baixou face ao que vinha fazendo, o Ricky (como os outros avançados, e até os médios-centro!), por isso, deixou de baixar para vir dar uma linha de passe, e a equipa passou a jogar de forma menos curta, apoiada, central e construtiva.
Não acho que tenha sido assim. Aliás, após uma derrota na Luz, resultado sempre difícil de digerir pelos sportinguistas, somou-se o apoio ao Domingos Paciência. Basta ver que o excelente texto do Junky, referente ao Domingos, foi escrito após esse jogo...

Mas recordo aquela frase muito repetida por aqui: o Fórum SCP nem sempre é uma amostra representativa da realidade leonina.


Eu acho que os adversários começaram a bloquear os ataques do Sporting pelas laterais, sobretudo pela esquerda, e que Domingos não foi capaz de reinventar o modelo, o processo ofensivo, a forma de atacar.

Começámos a "baquear" (existe?) nos adversários, a frustração dos jogadores a vir ao de cima, e chegámos a isto.

Certo. Mas se já não tínhamos as outras e perdemos essa, aliado ao facto de não conseguirmos redescobrir novas... chegámos a isto. É o que digo, a esquerda deu o que tinha a dar, a novidade passou, as outras portas estavam fechadas ou nem existiam (como a diretia) e esse trabalho é feito no tal modelo definido e trabalhado na pré-época.

Eu não ataco os treinos a meio da época, se são de hora e meia (continua a haver o equivoco de nunca o jogador ter dito que eram férias, mas sim que isso era melhor e que estava mais jogador - até Schaars elogiou a nova forma de trabalhar) uo focalizados na preparação do jogo. Para mim o problema é anterior a isso.


A dúvida que tinha, e que tenho, é se Domingos, enquanto treinador, é capaz de dar o próximo passo.

Certo companheiro, é a tua questão e a minha questão.

Logo quando se começou a falar de Domingos como treinador do Sporting, disse o que tinha a dizer. Não gostei da ideia, não gostava de ver o braga a jogar à bola. Domingos apresentou-me uma ideia diferente, mais pressionante, mas atacante. Tive de meter as ideias no saco e calar-me, de bom grado, confesso.

Depois veio o tal posicionamento de base ao modelo global e já não gostei. Não acho um bom sistema, demasiado rígido, pouco maleável, que necessita de jogadores específicos e que nem sempre são fáceis de acertar na contratação. outros compram 3 para acertar em um. Não gosto, não acho positivo. Também assenta numa base muito fixa, mudando 6 titulares, a coisa cede. E se não asfixia o adversário, também cede.

As minhas dúvidas assentam muito nisso: é isso que quer no futuro? Conseguirá colocar isso em campo? Conseguirá ir para além disso? Isso fará de nós campeões? Mais ainda, isso será um sistema para o nosso futuro ou acabará com a saída de determinados jogadores ou treinadores?

Porque se a ideia é vencer o Campeonato a curto prazo (ou seja, até final da próxima temporada), não só se tem de dar uns retoques no plantel (essencialmente pelas questões físicas), como Domingos tem de reinventar as soluções ofensivas por si pensadas.

Porque estas estão demasiado dependentes de 1/2 jogadores, procuram espaços demasiado longe da área que os adversários não têm grandes dificuldades em suster...

Quanto a isso acho que sabes o que penso...  :lol:

Vou-me por a jeito (sim, o tipo que diz que não temos assim tão bom plantel - e friso plantel): pensando num plantel de 23 jogadores no máximo (ideal 22), vejo a necessidade de contratar uns 4 jogadores. Mas realmente soluções e para posições que acho vitais. E que sejam mesmo soluções e não membros permanentes do departamento médico.

Mas isso pensando num determinado modelo. E não, não sei se Domingos será o homem para isso ou não. Mas pelas interrogações que aqui levanto, não pelas que maioritariamente lhe são apontadas. Com a maioria não concordo, porque acho que derivam de outros factores.


Ah, e a questão da defesa subida. Acho que a defesa ficou mais baixa, após os primeiros 2/3 maus jogos/resultados. O Polga já não fazia passes rasteiros da linha de meio-campo até ao RvW, e passou a fazer passes longos e aéreos, vulgo chutões, para ele.

Ou seja, a linha defensiva baixou face ao que vinha fazendo, o Ricky (como os outros avançados, e até os médios-centro!), por isso, deixou de baixar para vir dar uma linha de passe, e a equipa passou a jogar de forma menos curta, apoiada, central e construtiva.

Ultimamente tinha-se tentado subir um pouquinho de novo. Aliás, Onyewu começou a fazer passes curtos a meio-campo, já o Polga só chutava. Mas é uma situação débil, facilmente ocorrem 2 ou 3 ameaças, a equipa não tem meios para resolver isso e eles têm de descer de novo. E a equipa parte-se toda, principalmente sem a inversão do triângulo. Se antes já se partia, agora ainda pior, porque ainda menos atacam ou defendem em cima da defesa do adversário.


« Última modificação: Fevereiro 06, 2012, 23:21 pm por Ravanelli »
“A lot of football success is in the mind. You must believe you are the best and then make sure that you are.” - Bill Shankly
[...]
As condições do JJ eram suficientes para ser campeão, como foi, e as Domingos não?

Muito provavelmente, está correcto.

Porém, as diferenças entre o Benfica de um e o Sporting de outro, são um mundo.

E é essa diferença abissal entre o futebol praticado e os resultados desportivos de um e de outro, nos seus primeiros anos, que me incomoda.[...]

Mas é que a Domingos e ao plantel, a partir de determinado momento, não é exigido que pratique bom futebol e monte uma estrutura par ao futuro. É exigido por todos que ganhe, é exigido por muitos que lute pelo título.

O Sporting chega à luz e ninguém diz "ok Domingos, joga de forma agradável e monta a equipa para o futuro". Não, tinha de ganhar. Já antes era assim e mesmo a descer de forma, era exigido que ganhasse. Falava-se a boca cheia no Campeonato e na Liga Europa. Estava tudo ali à mão e ninguém olhava para a equipa e via que continuávamos sem condições para subir tanto a a equipa, que descer a defesa significava descer o rendimento, que o modelo de jogo não tinha sido bem preparado e que as coisas tinham mudado abruptamente, que não havia tempo para treinar devidamente os novos posicionamentos individuais, o jogo colectivo, que continuávamos sem lado direito do ataque.

Foi essa exigência que fez com que André Santos não fosse o natural substituto de Rinaudo, pois exigia-se, a bem da manutenção do sistema, que esse fizesse o mesmo que Rinaudo fazia. E ninguém compreendeu que este demora a carburar e a ganhar forma.

Ninguém percebeu que a equipa tinha de ganhar novas formas de chegar à baliza, pois o lado esquerdo já não tinha segredos. Ninguém percebeu que a equipa tinha sempre 7 ou 8 jogadores contra 9 fechados no seu meio-campo. E que os nossos 2 ou 3 que sobravam não tinham como características construir o jogo ofensivo.

Hoje a equipa não joga nada. Mas mesmo agora, Domingos faz onzes a pensar em ganhar já, muda abruptamente o triângulo, arrisca subir a defesa mesmo sem o tampão, esta não responde bem às duas coisas, parte a equipa... E cada vez perde mais!

Atenção, não estou a defender o treinador. Estou meramente a descrever um cenário que para mim me parece o correcto. Ele cometeu e comete erros, os maiores na pré-época e agora, ao deixar-se continuamente enrolar nesta situação, em vez de romper com ela.

Para mim, treinador e o próprio Sporting no futebol, caíram na armadilha de não manter um plano. Se a pré-época já tinha sido um desastre a construir os pilares para um projecto sólido, se os primeiros jogos até serviram para emendar algumas coisas, mudar o projecto para um mais ambicioso, mas ainda assim assente em fundações muito frágeis acabou com tudo! O edifício ruiu!

 :arrow: :arrow: :arrow: :arrow: :arrow: :arrow: :arrow: :arrow:
MEGAJOKER não escreve segundo o novo acordo ortográfico! (E com orgulho!)

“Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta.” (Albert Einstein)
Novo treinador?
O mago Merlin não está disponível!

Uma equipa não se constrói numa época, o Domingos comete erros como cometem os jogadores ou outros agentes desportivos, mas não desaprendeu em 6 meses, nem contava ter 4 ou 5 titulares lesionados em simultâneo, mas devia saber que no Sporting passamos rapidamente do 8 ao 80 ou vice-versa. E essa euforia/depressão não ajuda em nada a equipa, estamos a sofrer de um mal que as galinhas sofreram 4 anos (+- o tempo do Bento no Sporting), este é o ano zero, saber que temos o Gosh, Rinaudo, Capel, Ricky, Schaars, Insua, etc só nos pode deixar mais optimistas para um futuro próximo, com um ou outro retoque e mais entrosamento e menos lesões podemos certamente fazer mais e melhor. Claro que o 4º lugar é mau demais, mas a pressão excessiva que se está a colocar também não vai ajudar, parece problema a ser resolvido pelos responsáveis e não pelos adeptos (pelo menos, nesta fase).
Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. Eis o Sporting
O futebol é um desporto ingrato. Este plantel não merecia o discurso pateta do seríamos-campeões-se-não-fossem-as-três-primeiras jornadas que se ouviu a dada altura. Mas vale muito mais do que o que está a fazer.

Há qualquer coisa de paradoxal na depressão em que estamos. Os resultados são inegavelmente fracos. Mas correndo o risco de levar umas pedradas, acho que era difícil fazer melhor no que a contratações diz respeito. Só podemos falar de um verdadeiro flop: Bojinov. O resto são opções sólidas para um XI que luta pelo título: Ínsua, Capel, Elias, Wolfswinkel, Schaars ou até Gootch são muito, mas mesmo muito melhores do que qualquer um dos que tínhamos o ano passado. Outros superaram largamente as expectativas, como Rinaudo ou Carrillo (este último, um talento enorme). Se juntarmos os raros jogadores de qualidade que sobraram do plantel miserável da época passada (Patrício, João Pereira e Matias), devíamos ter aqui uma boa base de trabalho

Com uma equipa montada quase de raíz, seria sempre muito difícil chegar ao título logo no primeiro ano. Mas, face ao valor que os jogadores já demonstraram ter, deveríamos estar a assistir a uma evolução promissora. A discussão que eu estaria à espera de ouvir nesta altura seria sobre os três ou quatro reforços de qualidade que nos permitiriam saltar da condição de equipa prometedora para a de candidato ao título - por exemplo, um central rápido para jogar ao lado de Gootch ou um ponta-de-lança para lutar pela titularidade com Wolfswinkel.

No entanto, isso não está a acontecer. Por isso, é normal que se olhe para o treinador. E, de facto, a evolução mais decepcionante tem sido a de Domingos. Decisões como a de dar a titularidade a Renato Neto num clássico (quando no início da época jogava com 10 jogadores da época anterior por não conhecer os recém chegados) para a seguir o atirar para a bancada ou de jogar com três extremos em Olhão, mostram um treinador às apalpadelas. Os resultados são especialmente deprimentes - fazer igual a Paulo Sérgio com um plantel infinitamente melhor não abona nada em seu favor. Também o seu discurso errático é muto pouco tranquilizador. Por entre gaffes sobre "aproximar o Sporting dos dois grandes", investidas quixotescas contra os "médicos e carpinteiros" (a fazer lembrar os gordos e Shreks de Carvalhal) e queixumes constantes sobre as arbitragens, é difícil não nos sentirmos inquietos sobre a sua liderança.

Isto para dizer que há duas coisas que o Sporting não deve fazer:

- Deixar de investir em jogadores de qualidade e regressar ao padrão dos jogadores contratados só porque são baratos e/ou vêm da formação e sem nada no seu percurso que justifique a aposta. As entradas de R.Neto, Xandão e Ribas foram um regresso a um passado recente de má memória. Espero sinceramente que tenha sido apenas o desespero de Janeiro a funcionar e não um sinal de inversão da política de contratações.
- Começar 2012/13 com um treinador fragilizado e que "saltaria" à mínima adversidade. Se Domingos falhar contra o Nacional e o Marítimo, é exactamente isso que ele vai ser.

Apesar de tudo, acho que estamos no caminho certo e que o que vivemos são dores de crescimento. Se Domingos está a dificultar esse crescimento, pois que saia. E mais vale cedo do que tarde.
« Última modificação: Fevereiro 07, 2012, 00:33 am por Petrovich »
Concordando com praticamente tudo o que dizes Petrovich, não concordo quando te referes a Xandão, que ainda não viste a jogar e a Ribas, que até já mostrou bons pormenores, como um regresso ao passado, das contratações de má memória a custo 0...
Novo treinador?
O mago Merlin não está disponível!

Uma equipa não se constrói numa época, o Domingos comete erros como cometem os jogadores ou outros agentes desportivos, mas não desaprendeu em 6 meses, nem contava ter 4 ou 5 titulares lesionados em simultâneo, mas devia saber que no Sporting passamos rapidamente do 8 ao 80 ou vice-versa. E essa euforia/depressão não ajuda em nada a equipa, estamos a sofrer de um mal que as galinhas sofreram 4 anos (+- o tempo do Bento no Sporting), este é o ano zero, saber que temos o Gosh, Rinaudo, Capel, Ricky, Schaars, Insua, etc só nos pode deixar mais optimistas para um futuro próximo, com um ou outro retoque e mais entrosamento e menos lesões podemos certamente fazer mais e melhor. Claro que o 4º lugar é mau demais, mas a pressão excessiva que se está a colocar também não vai ajudar, parece problema a ser resolvido pelos responsáveis e não pelos adeptos (pelo menos, nesta fase).

Concordo com tudo o que referes e se não fosse o roubo olha que a nossa equipa talvez até comandasse o campeonato e estaríamos a dizer que afinal se tinha construído uma equipa em meses, mas não nos deixaram!

Roubaram-nos forte e ao mesmo tempo beneficiaram os outros fortes e feio. Se a nossa direcção tivesse conseguido estar nos lugares correctos do podre futebol Português, teríamos ido muito mais longe é que desta vez, não foi como em 1999 quando entrou Luís Duque e fomos campeões desta vez roubam os jaulas os corruptos e o braguinha que tem um presidente altamente corrupto e que é um tido como sucessor do Valentim, os outros de jaulas e corruptos é mais do mesmo há 31 anos.

SL

23-03-2013 O dia mais feliz da minha vida como sportinguista.
A partir de agora mandamos nós e o Sporting terá o seu caminho novamente, quero vos agradecer a todos e dizer claramente para que toda a gente oiça:
Viva o Sporting Clube de Portugal! É nosso outra vez!
Palavras do Presidente do Sporting Clube de Portugal, Bruno de Carvalho. Bem-haja Presidente!
23-06-2018 O pior dia da minha vida como sportinguista. Após campanha orquestrada entre lampiões, croquetes e comunicação social, cai o melhor Presidente da história do clube. Obrigado do fundo do coração Presidente por ter trazido um orgulho e alegria que estavam esmagados no meu coração para mim será eterno.
Sinceramente deixei de acreditar que o Domingos consiga fazer o Sporting campeão, não tanto pelas opções que tem tomado, ainda que algumas sejam difíceis de compreender, mas sobretudo pela nervosismo demonstrado no último mês.
Domingos mostrou lidar mal perante a pressão de ter que ficar em terceiro lugar do campeonato, ganhar um grupo ao Gil Vicente e Rio Ave e chegar ao Jamor.
Imagine-se quando lhe for exigido o primeiro lugar no campeonato.
Paulo Bento por exemplo sempre soube aguentar o barco quando os resultados teimavam em não aparecer, e esta capacidade de manter o sangue frio sempre lhe valeu boas pontas finais de época.
No entanto Paulo Bento nunca conseguiu que a equipa se assumisse como candidata ao titulo desde a primeira jornada. Dar este passo é difícil é poucos treinadores do Sporting conseguiram nos últimos trinta anos, não estou a ver o Domingos a conseguir fazer este salto, oxalá me engane.
Com a vitória de ontem Domingos ganhou mais três meses para mostrar o que vale, continuo a defender a sua continuidade no cargo se vencer a taça de Portugal e ficar em terceiro no campeonato. Mas se eu fosse o Duque dava uma telefonadela ao Capello.
Este tópico ainda não foi fechado?! ???
O pior tópico do fórum, que vergonha!
Sem querer desculpabilizar os erros do treinador, vocês acreditam que a troca do mesmo resolve alguma coisa no Sporting? A sério?

Sim  ;)

O Ano passado não acreditava, não tinhamos equipa para isso, este ano temos equipa para sermos campeões e no minimo lutar pelo 2º lugar com os lampiões, e estamos a lutar pelo 4º com o Braga, a culpa não é minha certamente, é de quem não está a conseguir potencializar os jogadores em questão

Temos vários exemplos de treinadores que foram embora do sporting e não se resolveu coisa nenhum... durante o tempo em que deixamos um treinador por mais tempo  até foi quando tivemos melhores resultados. Acho que é sempre necessário algum tempo! Eu não sou o maior fã do Domingos Paciencia, assumo...nem concordei com todas as decisões, etc... 

Todos somos treinadores de bancada, é inevitável. Mas o homem anda no futebol ha mais tempo de que alguns de nós andamos cá,  já treinou outras equipas e teve bons resultados, está com os jogadores todos os dias...Deve saber melhor o que faz, do que nos que estamos de fora!

É a minha maneira de ver o despedimento de treinadores, mas respeito outras opiniões. Contudo não estou a ver nenhum, treinador mt interessante para vir para o sporting neste momento..
Capello está livre :whistle:

Não é Leão  :lol: ::)

PS - É um nome irreal, financeiramente, e não o aprecio particularmente.

Estava apenas a ironizar quanto ao "treinador Leão".

Já eu, queria, quero e quererei, sempre, um treinador competente.

Capaz de pôr o Sporting a jogar ao nível que, regra geral, o talento e a inteligência dos jogadores do SCP têm.
Capello está livre :whistle:

Não é Leão  :lol: ::)

PS - É um nome irreal, financeiramente, e não o aprecio particularmente.

Estava apenas a ironizar quanto ao "treinador Leão".

Já eu, queria, quero e quererei, sempre, um treinador competente.

Capaz de pôr o Sporting a jogar ao nível que, regra geral, o talento e a inteligência dos jogadores do SCP têm.

É só um dos melhores treinadores do mundo com um palmarés invejável. Provavelmente não o aprecias porque há algum tempo que se acomodou a selecções (desde os teus 14 anos) e não tem feito nada de visível. Mas o que ele fez no Milan, Real, Roma foi qualquer coisa de especial.
Obviamente que é irrealista, assim como Marcelo Lippi, um dos meus treinadores favoritos que está no desemprego (porque quer). Quanto ao ser leão, se for em garra, determinação e profissionalismo já é leão o suficiente.
Este tópico ainda não foi fechado?! ???
O pior tópico do fórum, que vergonha!
 :arrow:
23-03-2013 O dia mais feliz da minha vida como sportinguista.
A partir de agora mandamos nós e o Sporting terá o seu caminho novamente, quero vos agradecer a todos e dizer claramente para que toda a gente oiça:
Viva o Sporting Clube de Portugal! É nosso outra vez!
Palavras do Presidente do Sporting Clube de Portugal, Bruno de Carvalho. Bem-haja Presidente!
23-06-2018 O pior dia da minha vida como sportinguista. Após campanha orquestrada entre lampiões, croquetes e comunicação social, cai o melhor Presidente da história do clube. Obrigado do fundo do coração Presidente por ter trazido um orgulho e alegria que estavam esmagados no meu coração para mim será eterno.
Não sei o que fez no Passado. Tendo esse palmarés invejável, naturalmente que não o terá por acaso (e lembro-me de dizer o mesmo a amigos sportinguistas em 2009 quanto á capacidade do Eriksson...).

A ideia que tenho dele dos tempos mais recentes, porventura desde que chegou a Selecções, porém, é a de um treinador pragmático e, em certos aspectos, até medroso.

Eu quero um treinador que potencie o talento e a capacidade dos jogadores do Sporting. Como fazer isso? De inúmeras formas, mas há duas premissas fundamentais.

Uma grande importância à posse da bola por parte da equipa, e uma capacidade de operacionalizar soluções que façam com que, nos jogos, os jogadores mostrem saber o que fazer com ela.

Se assim for, não só se aproveita o talento dos jogadores (alguns, criados e moldados num modelo que defende sempre estas duas premissas), como me dará, a mim e creio que á maioria, sempre entusiasmo ir a Alvalade. Para ver futebol!

Ou seja, não ponho em causa a sua competência, mas, dentro do perfil que idealizaria para um técnico o Sporting C. P., desportiva e financeiramente, não "atacaria" o Capello...
Capello é há muito anos o meu treinador preferido, construiu a melhor equipa de futebol que vi jogar: o Milan de Savicevic que esmagou o Barcelona de Cruiff, Romario e Stoichkov na final da Champions de 1994.
O seu historial é muito simples, foi campeão em todo o lado por onde passou, a exceção é mesmo a seleção inglesa mas também não peçam milagres. Tê-lo no Sporting seria um sonho e a quase certeza que seriamos campeões.
Pode dizer-se que Capello foi o Mourinho dos anos noventa, com a diferença que Capello nunca fez esperas a árbitros em parques de estacionamento.

 Muito caro? Parece-me que esta passagem pela seleção inglesa o desvalorizou um pouco e se o Benfica teve dinheiro para o Trapattoni não percebo porque é que o Sporting não há-de ter dinheiro para o Capello.
Acredito em Domingos e quero que continue como tal acho este tópico ridículo, mas se for para vir Mourinho e para o ver sair pela porta do cavalo, então que venha, já ontem era tarde ia rir-me á fartazana dos entendidos da treta Mourinho a treinador e Vilas Boas a adjunto ia adorar ver o que diziam do especial 1 e do especial 2.

Venham eles cá os aguardo!  :whistle:
« Última modificação: Fevereiro 11, 2012, 14:39 pm por ruitrind »
23-03-2013 O dia mais feliz da minha vida como sportinguista.
A partir de agora mandamos nós e o Sporting terá o seu caminho novamente, quero vos agradecer a todos e dizer claramente para que toda a gente oiça:
Viva o Sporting Clube de Portugal! É nosso outra vez!
Palavras do Presidente do Sporting Clube de Portugal, Bruno de Carvalho. Bem-haja Presidente!
23-06-2018 O pior dia da minha vida como sportinguista. Após campanha orquestrada entre lampiões, croquetes e comunicação social, cai o melhor Presidente da história do clube. Obrigado do fundo do coração Presidente por ter trazido um orgulho e alegria que estavam esmagados no meu coração para mim será eterno.