UEFA Champions League 2011–12

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Dia 9 de junho os defesas de Portugal que se ponham a pau, estes alemães parece que vieram ao seixal tirar o curso de mergulho.
Acho que Drogba devia ser eleito o melhor jogador desta edição da Champions...
Uma parte de mim ( ...pequena diga-se...) nao gostou do vencedor pois fizeram um jogo bastante feio no que toca ao ataque ( sò para ser politicamente correcto  :twisted: ) ! - Mas de resto adorei que o bayern perdesse , ainda por cima em casa , agora jà sabem o que doi ! - Desde aquela eliminatoria nos 8° à uns anos que nao posso com eles ! - È  obvio que se houvesse justiça no futebol , quem  mais fez por ganhar , quem arriscou mais , quem rematou mais , quem teve mais posse de bola  , o bayern seria campeao !-O futebol està em constante mudança , actualmente penso que mesmo entre equipas de poderio semelhante jà nao existe aquela " vergonha " de jogar feio e de defender com o autocarro , um dos poucos campeonatos onde isso ainda nao se verificava , e o futebol era uma correria , o jogo todo de tu cà tu là ,  era precisamente na Inglaterra , mas atè aì as coisas estao a mudar ex: o Chelsea ! -Mas atè para defender assim è preciso qualidades e mesmo depois de estar a perder è preciso ter " outras " qualidades para ir atras do prejuizo , e o Chelsea teve ambas , atè fiquei com a impressao que caso precisassem bastaria  acelerar um pouco o seu jogo e marcariam mais , mas a filosofia do seu treinador è de segurança defensiva acima de tudo , nao arriscar nada e aproveitar eventuais contra golpes ! - O Chelsea teve o seu merito , e o bayern teve o merito mas  deixou-o fugir ! - Uma palavra final para a equipa de arbitragem Portuguesa que a meu ver esteve bastante bem ; prova que eles atè sabem arbitrar , o mal deles è outro ! 
Ter garra para escrever o futuro !

(...)

Fora isto, houve uma quantidade de temas idiotas que por aqui foram mencionados:

  • Mourinho, o tal que já limpou isto 2x, precisar de ir à Farmácia.
  • Bayern de Munique ser "financiado" por uma Farmácia.
  • Pedro Proença ter "roubado" quando até foi o melhor homem dentro das 4 linhas.
  • Didier Drogba, o tal que teve um ano miserável, ser eleito o melhor do mundo.

E para terminar. Tottenham: :lol: :rotfl: :lol:

   Como essa que destaquei foi directamente para mim, aqui te demonstro como a tua afirmação é falsa! Eu não disse que o Bayern de Munich era "financiado" por uma "Farmácia" (nas tuas palavras)! Eu falei em "relação" com "companhia farmacêutica", o que é diferente. Descobre tu as diferenças:
  

   Vai lá ver quem injecta dinheiro no Bayern e a que companhia farmacêutica está ligado. Ao menos no Abrahmovic vejo um rosto. E é humano como o meu (salvaguardadas as devidas diferenças). Ah, e acompanha a equipa e dá a cara.

   Saberás sem dúvida o que significa dizer para alguém ir ver quem injecta dinheiro no Bayern (e não a dizer quem o faz) e a que companhia farmacêutica (não farmácia, por certo uma pessoa tão sapiente como tu saberá a diferença) está relacionado. O próprio Stunner, serena e educadamente, sem alimentar ruído e sem provocações, de forma perspicaz e inteligente, escreveu:
  

Deves estar a confundir com o Bayer Leverkursen.

   Afinal não é assim tão deslocada e descabida a tal hipótese, simplesmente não é, até ver, o caso.

   É a diferença entre ser correcto, e não lavrar no fait-diver, e querer aproveitar-se de uma simples confusão, no máximo dos máximos, para desviar o assunto do ponto da conversa. Algo em que abundam especialistas, aqui pelo Fórum.

    Além do mais, o ponto não era esse, e sim que o Bayern Munich não é propriamente um clube sem dinheiro, seja financiado pela multinacional A, B ou C. Isto num diálogo que travei com o Ponto Final. Onde houve respeito mútuo, ao contrário de quem veio aproveitar-se para meter a foice. Mas fiquem com os vossos fait-divers e as vossas mesquinhices.

   Quanto à do Pedro Proença ter sido o melhor homem dentro das 4 linhas, vou ali já venho. Acho que não há maior idiotia do que essa, se é por aí que querem ir, é por aí que vamos.   :lol:

   Quando um guarda-redes, numa final europeia, em casa do adversário e não em campo neutro como parece que alguns esquecem, mantém a baliza inviolada perto de 80 e tal minutos apesar do sufoco quase constante (sofre um golo numa execução irrepreensível e brilhante do Muller, um remate picado de cabeça na pequena-área praticamente indefensável, que sobe, embate na barra e entra), defende um penalti no prolongamento e mais 2 na decisão por penaltis, anulando a desvantagem inicial e depois dando vantagem à equipa, com uma segurança, tranquilidade e confiança (diria mesmo convicção) impressionantes, além de ter tocado na bola nos outros 2 que não conseguiu defender, e há gente aqui a fazer birra pelo Proença... algo não bate certo. Isto sem falar noutros jogadores, que tu próprio reconheces que tiveram de jogar na raça, no esforço, no sacrifício, enquanto depois destacas o senhor do apito por cima dessa entrega toda que mostraram. Mas basta falar no que foi o MVP na minha opinião, claro, aliás, previ muito cedo, antes de todos os incidentes da partida, que seria provavelmente um dos elementos mais decisivos. Talvez seja essa a razão de tanta... azia. Mas olha, Rennie dizem que funciona, e curiosamente parece que... é da Bayer  :mrgreen:).

   P.S.1: O próprio farinha amparo comentou e bem que houve um toque em Torres passível de grande penalidade, no início do prolongamento, que não foi assinalado, ao contrário do toque de Drogba em Ribéry, mas nem é preciso entrar por aí. Fazer do Proença o "menino d'oiro" desta final é algo tão rebuscado que não percebo onde é que se quer chegar, quando se fala dos melhores em campo. E olha que eu nem sou muito crítico da sua actuação, simplesmente não foi esse mar de rosas que pintam, se bem que não foi também a trampa que alguns fizeram dela, igual a muitas a que nos tem brindado quando arbitra jogos de competições portuguesas. Mas isso é outro fait-diver que se arranjou por aí.

   P.S.2: dizer que Robben e "Schweinscenas" falharam o penalti que bateram... é mesmo não querer ver quem foi que os defendeu. E dizem que o pior cego... é aquele que não quer ver.

Mas sem tirar nem por!
Agora sim, está tudo dito.
Tudo passa! Na noite de 23 para 24 de março de 2013 ficou provado que sim. VIVA O SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!!! É NOSSO OUTRA VEZ!
Petr Cech adivinhou sempre o lado para o qual o adversário ia atirar a bola na marcação de grandes penalidades...  :clap:

Ele e Drogba são o rosto desta desta vitória, sem dúvida.
Só espero que Robben e os alemães estejam com a mesma pontaria no europeu.
Come on Chelse!! :arrow:

É lixado, mas foi preciso ser uma equipa "sem história" a trazer o caneco para Londres!!! :lol:  Ainda teve o "brinde" de ver os cabeçudos do Arsenal, clube "cheio de história" e os otários dos Spurs fora da champions no próximo ano. Brilliant! :great:


Petr Cech é o melhor keeper do mundo a léguas da concorrência. Qual Buffon , qual Casillas qual mer...

Proença absolutamente ridículo, árbitro corrupto bem tentou levar a coisa para os da casa, com resposta à altura de Torres!!! E foi em português e tudo para ele não fingir que não ouvia! :arrow:
«Já vi o suficiente deste JJ e já lhe tirei as medidas. Com ele, o Sporting não vai a lado nenhum»
@SCP Always in forumscp 22-08-17

Queria aproveitar este momento conturbado e preocupante da vida do nosso Clube para publicamente reconhecer que o amigo tinha toda a razão. Ainda mais do que aquela que na altura todos suponhamos ser possível.
@Toca_do_lobo 18/05/2018
Acho que Drogba devia ser eleito o melhor jogador desta edição da Champions...
 :arrow:
Agree.

Apesar do Messi ter marcado 14 golos, o Drogba foi muito importante para a conquista do troféu. E isso vale bem mais que os golos...


Citar
Há coisas na vida que nunca mudam, a nobreza de carácter é uma delas, ou se tem, ou não. Por mais “riqueza” que ostentem, os pobres de espírito sempre o serão. O complexo de inferioridade demonstrado por todas estas atitudes é totalmente incompatível com um clube que para além de títulos quer ser grande, pois a grandeza é muito mais do que o vencer. A grandeza é vencer, é saber vencer, é saber perder, é saber estar, algo que não está ao alcance de todos.

O Sporting Clube de Portugal,
Lisboa, 28 de Outubro de 2013


. Foi com uma enorme tristeza que vi que preferiram meter Neuer [GK] a apontar penaltys do que ele.



Quem não quis marcar foi o Robben. O Heynkes disse que falou 3 vezes com vários jogadores para os convencer a marcar mas vários jogadores recusaram por não se sentirem em condiçoes. Deu a entender que o Robben só não marcou porque não quis.


. Foi com uma enorme tristeza que vi que preferiram meter Neuer [GK] a apontar penaltys do que ele.



Quem não quis marcar foi o Robben. O Heynkes disse que falou 3 vezes com vários jogadores para os convencer a marcar mas vários jogadores recusaram por não se sentirem em condiçoes. Deu a entender que o Robben só não marcou porque não quis.

E agora fazendo um desvio para ir a Madrid e perceber as palavras de Mourinho sobre Ronaldo depois do jogo com o Bayern. "Falha (penaltis) quem tem coragem para os ir bater."
A ser verdade que vários jogadores do Bayern se recusaram a bater o penalti, é uma atitude cobarde e egoísta para com o resto da equipa.
Citar
José Silva:

Pois é tens razão, então o Didier não tem hipótese porque a forma de escolha da FIFA tem demasiada inércia por isso cai sempre nos mesmos.


Bem, há por aí 2 ETs que fazem por disputar esse prémio.


Não faz sentido, na minha opiniäo, pensar-se neste enorme jogador para o prémio de melhor do mundo por uma competição onde fez 8 jogos, apenas porque a sua equipa a ganhou. A mesma equipa que ficou em sexto lugar na liga doméstica e quando há quem tenha feito mais de 50 jogos no ano a um nível extraordinário.

Prémios para qualquer jogador do Chelsea? Os correspondentes à carreira na Champions.

Essa cena dos ETs tem que ser contextualizada, hoje a liga espanhola é muito desequilibrada e marcar 50 golos nessa liga vale o que vale. Leonel Messi este ano falhou em todos os jogos a doer e para mim são esses que contam.
Ronaldo fez uma boa Liga dos Campeões mas ficou-se pelas meias-finais. Foi decisivo no jogo do título contra o Barcelona por isso sobrepõe-se a meu ver a Messi. Mas porque é que há-de ser a liga espanhola a ditar quem é o melhor jogador do mundo?
A competição de clubes mais importante do mundo é a Liga dos Campeões.
Drogba levou o Chelsea às costas para ganhar a liga dos campeões, sendo decisivo em todas as eliminatórias desde os quartos de final até à final, noutros tempos isto chegaria para receber a distinção da France Football. Embora ponha um parêntesis porque não sei o que se vai passar no Euro, pelo que vi até agora acho Didier Drogba merecia esta distinção.
Mas não tenho a menor ilusão o modo de escolha do melhor do ano está viciado à partida. E por isso será decidido entre os "dois ETs"  


. Foi com uma enorme tristeza que vi que preferiram meter Neuer [GK] a apontar penaltys do que ele.



Quem não quis marcar foi o Robben. O Heynkes disse que falou 3 vezes com vários jogadores para os convencer a marcar mas vários jogadores recusaram por não se sentirem em condiçoes. Deu a entender que o Robben só não marcou porque não quis.

E agora fazendo um desvio para ir a Madrid e perceber as palavras de Mourinho sobre Ronaldo depois do jogo com o Bayern. "Falha (penaltis) quem tem coragem para os ir bater."
A ser verdade que vários jogadores do Bayern se recusaram a bater o penalti, é uma atitude cobarde e egoísta para com o resto da equipa.
Pelo contrário, é um atitude que mete os interesses da equipa acima dos seus. Se não se sentem em condições para os ir marcar, que vão lá fazer? Se o jogador é fraco psicologicamente, a % de falhar o penalty aumenta logo bastante (eu não consigo imaginar a pressão a que está sujeito um jogador que vai marcar um penalty de uma grande final). Posto isto, só fazem bem em não ir marcar. Se é para falhar, mais vale ir outro.


Citar
Há coisas na vida que nunca mudam, a nobreza de carácter é uma delas, ou se tem, ou não. Por mais “riqueza” que ostentem, os pobres de espírito sempre o serão. O complexo de inferioridade demonstrado por todas estas atitudes é totalmente incompatível com um clube que para além de títulos quer ser grande, pois a grandeza é muito mais do que o vencer. A grandeza é vencer, é saber vencer, é saber perder, é saber estar, algo que não está ao alcance de todos.

O Sporting Clube de Portugal,
Lisboa, 28 de Outubro de 2013


. Foi com uma enorme tristeza que vi que preferiram meter Neuer [GK] a apontar penaltys do que ele.



Quem não quis marcar foi o Robben. O Heynkes disse que falou 3 vezes com vários jogadores para os convencer a marcar mas vários jogadores recusaram por não se sentirem em condiçoes. Deu a entender que o Robben só não marcou porque não quis.

E agora fazendo um desvio para ir a Madrid e perceber as palavras de Mourinho sobre Ronaldo depois do jogo com o Bayern. "Falha (penaltis) quem tem coragem para os ir bater."
A ser verdade que vários jogadores do Bayern se recusaram a bater o penalti, é uma atitude cobarde e egoísta para com o resto da equipa.
Pelo contrário, é um atitude que mete os interesses da equipa acima dos seus. Se não se sentem em condições para os ir marcar, que vão lá fazer? Se o jogador é fraco psicologicamente, a % de falhar o penalty aumenta logo bastante (eu não consigo imaginar a pressão a que está sujeito um jogador que vai marcar um penalty de uma grande final). Posto isto, só fazem bem em não ir marcar. Se é para falhar, mais vale ir outro.

Pelo contrário, é uma atitude que mete os seus interesses acima dos da equipa pois não quer ficar com essa responsabilidade.
Uma coisa é o Robben dizer que não se sente em condições de bater e o treinador toma a decisão com base no feedback que tem dele e de outros jogadores. Outra é o Robben dizer que não bate e dessa forma tomar uma decisão que deve ser o treinador a tomar, já para não falar, que levando a questão ao extremo, ele sendo contratado pelo clube, está a recusar-se a prestar um serviço ao mesmo.
Se não, proponho o seguinte cenário:
Todos os jogadores se recusam a bater o penalti porque não se sentem em condições. Quem marca? O roupeiro?!
Se todos disserem que não se sentem em condições, o treinador assume a responsabilidade de os escolher.
Se não, proponho o seguinte cenário:
Todos os jogadores se recusam a bater o penalti porque não se sentem em condições. Quem marca? O roupeiro?!
Se todos disserem que não se sentem em condições, o treinador assume a responsabilidade de os escolher.
E quem é que diz que o treinador obrigou os jogadores a marcar e eles recusaram essa ordem?

Uma coisa é tentar convencer o jogador a ir marcar o penalty, mas naquela onda de "tu consegues, blablabla". Outra é dizer ao jogador "tens que ir marcar" e ele recusar-se.

Não é que eu perceba muito disto, mas eu, como treinador, não ia obrigar ninguém a marcar um penalty...


Citar
Há coisas na vida que nunca mudam, a nobreza de carácter é uma delas, ou se tem, ou não. Por mais “riqueza” que ostentem, os pobres de espírito sempre o serão. O complexo de inferioridade demonstrado por todas estas atitudes é totalmente incompatível com um clube que para além de títulos quer ser grande, pois a grandeza é muito mais do que o vencer. A grandeza é vencer, é saber vencer, é saber perder, é saber estar, algo que não está ao alcance de todos.

O Sporting Clube de Portugal,
Lisboa, 28 de Outubro de 2013
Quem não quis marcar foi o Robben. O Heynkes disse que falou 3 vezes com vários jogadores para os convencer a marcar mas vários jogadores recusaram por não se sentirem em condiçoes. Deu a entender que o Robben só não marcou porque não quis.

Eu também não obrigava ninguém depois de se recusarem. O que está aqui em questão não é o treinador mas sim a atitude do jogador. Pode parecer um mero detalhe, mas entre recusares-te e demonstrares pouca confiança vai uma diferença enorme e a meu ver, demonstra o carácter do jogador e o respeito pelo grupo e clube.
Quem não quis marcar foi o Robben. O Heynkes disse que falou 3 vezes com vários jogadores para os convencer a marcar mas vários jogadores recusaram por não se sentirem em condiçoes. Deu a entender que o Robben só não marcou porque não quis.

Eu também não obrigava ninguém depois de se recusarem. O que está aqui em questão não é o treinador mas sim a atitude do jogador. Pode parecer um mero detalhe, mas entre recusares-te e demonstrares pouca confiança vai uma diferença enorme e a meu ver, demonstra o carácter do jogador e o respeito pelo grupo e clube.
O Robben, no último mês, falhou o penalty do título e o penalty da Champions. É mais que normal ele "recusar" marcar o penalty por não se sentir em condições de o marcar---


Citar
Há coisas na vida que nunca mudam, a nobreza de carácter é uma delas, ou se tem, ou não. Por mais “riqueza” que ostentem, os pobres de espírito sempre o serão. O complexo de inferioridade demonstrado por todas estas atitudes é totalmente incompatível com um clube que para além de títulos quer ser grande, pois a grandeza é muito mais do que o vencer. A grandeza é vencer, é saber vencer, é saber perder, é saber estar, algo que não está ao alcance de todos.

O Sporting Clube de Portugal,
Lisboa, 28 de Outubro de 2013
Vou continuar na minha. Ele pode e deve dizer, que não se sente bem para bater o penalti. O que até é compreensível tendo em conta o que disseste, mas na minha opinião não deve, não pode recusar-se! Essa decisão é do treinador.
Mas passando à frente, é nestes detalhes também que se vêem os grandes jogadores. Tanto técnicamente como mentalmente.
Vou continuar na minha. Ele pode e deve dizer, que não se sente bem para bater o penalti. O que até é compreensível tendo em conta o que disseste, mas na minha opinião não deve, não pode recusar-se! Essa decisão é do treinador.
Certo, mas o treinador também não vai obrigar um jogador a marcar o penalty. A minha interpretação da notícia é que o treinador tentou fazer com que o Robben e os outros 2 mudassem de "se marcar vou falhar" para "se marcar vou acertar com o golo". Como não conseguiu, escolheu outros...


Citar
Há coisas na vida que nunca mudam, a nobreza de carácter é uma delas, ou se tem, ou não. Por mais “riqueza” que ostentem, os pobres de espírito sempre o serão. O complexo de inferioridade demonstrado por todas estas atitudes é totalmente incompatível com um clube que para além de títulos quer ser grande, pois a grandeza é muito mais do que o vencer. A grandeza é vencer, é saber vencer, é saber perder, é saber estar, algo que não está ao alcance de todos.

O Sporting Clube de Portugal,
Lisboa, 28 de Outubro de 2013