Música Electrónica - House, Electro, Trance, DnB, Dubstep

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Devo ir.  :mais:
Também vai ao Gare em Maio.

28/2 no Lux.
Não aconselho ninguém a faltar.

Não sei se é da idade se é das centenas de vezes que fui ao Lux mas com este assalto de turismo massivo em Lisboa, o Lux tem perdido cada vez mais a sua essência, claro que a programação continua top notch não fosse o Rui Vargas o curador mas o ambiente está cada vez mais esquisito e a aura de Berlin que o Lux sempre teve onde os freaks e a comunidade LGBT eram presença assídua já se desvaneceu, antes ia ao Lux encontrava sempre 15/20 pessoas daquele grupinho mais restrito das pessoas que andam sempre em todas as festas que a gente sabe e que se conhecem todos uns aos outros, hoje entro no Lux e nao conheço ninguém, esse pessoal também me parece que já deixou de frequentar o espaço pelo menos com a mesma frequência o que quer dizer que a clientela regular mudou substancialmente nos últimos 3/4 anos.

Cada vez tenho menos vontade de lá ir, prefiro as festas independentes de labels em espaços improvisados e aleatórios.



Como (antigo) habitual frequentador do Lux, concordo com tudo.

Menos a parte do Rui Vargas que, coitado, é só horrível.

28/2 no Lux.
Não aconselho ninguém a faltar.

Não sei se é da idade se é das centenas de vezes que fui ao Lux mas com este assalto de turismo massivo em Lisboa, o Lux tem perdido cada vez mais a sua essência, claro que a programação continua top notch não fosse o Rui Vargas o curador mas o ambiente está cada vez mais esquisito e a aura de Berlin que o Lux sempre teve onde os freaks e a comunidade LGBT eram presença assídua já se desvaneceu, antes ia ao Lux encontrava sempre 15/20 pessoas daquele grupinho mais restrito das pessoas que andam sempre em todas as festas que a gente sabe e que se conhecem todos uns aos outros, hoje entro no Lux e nao conheço ninguém, esse pessoal também me parece que já deixou de frequentar o espaço pelo menos com a mesma frequência o que quer dizer que a clientela regular mudou substancialmente nos últimos 3/4 anos.

Cada vez tenho menos vontade de lá ir, prefiro as festas independentes de labels em espaços improvisados e aleatórios.



Como (antigo) habitual frequentador do Lux, concordo com tudo.

Menos a parte do Rui Vargas que, coitado, é só horrível.
Como dj tem a tarefa ingrata de aquecer para gajos muito mais entusiasmantes que ele.
Como curador tem bom gosto sem dúvida.
Horrível mesmo é a Yen Sung :rotfl:
Chat shit get banged.



Enviado do meu FREDDY através do Tapatalk