Votação

Por onde têm de passar as mudanças no Sporting?

por lado nenhum, este é apenas um mau período e vamos ultrapassá-lo
3 (1.8%)
pela demissão do presidente e convocação de eleições
60 (36.6%)
pela estrutura em geral, mas mantendo a SAD
18 (11%)
por toda a estrutura, incluindo a dissolução da SAD
73 (44.5%)
pela refundação do clube
10 (6.1%)

Votos totais: 156

Sporting Clube de Portugal: fim à vista ou alarmismo de mau gosto?

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Mas se a SAD declara-se falência, não poderia ser criada uma nova sem que o clube sofresse muito com isso?? Eu digo isto, porque em Portugal, já muitas empresas declaram falência, e depois abrem com novos nomes?

Desculpem a minha ignorância, mas isso não seria possível?

Segundo a lei, se um clube dissolve a sua SAD, tem de recomeçar a competir no escalão mais baixo possível - no nosso caso, a II Divisão distrital da Associação de Futebol de Lisboa. Foi o que aconteceu com o Salgueiros e o Farense. Se o tiver feito por falência, o clube não poderá voltar a competir nas divisões nacionais até saldar todas as suas dívidas (não sei como é que o Farense resolveu este problema).

Na prática, não acredito que houvesse interesse nem coragem para atirar o Sporting para a II Liga, quanto mais para as distritais. Somos "too big to fail" - como escrevi, damos demasiado dinheiro a ganhar em bilheteira e direitos televisivos aos outros clubes (incluindo Benfica e Porto) para que alguém tenha interesse em pôr-nos fora da I Liga.

O problema é que isso implicaria que muita gente (incluindo todos os pequenos accionaistas) perderia muito dinheiro - e sobretudo, muito gente perderia poder e capacidade de influência (Olivedesportos anyone?). O que significa que a oposição a uma falência seria fortíssima e envolveria quase todo o círculo de poder em Alvalade.

Acho que se devem ter todas as hipóteses em cima da mesa e discuti-las francamente. Mas a extinção da SAD não me parece um caminho viável.
Votei obviamente na opcão: "pela demissão do presidente e convocação de eleições".

A dissolução da SAD é uma não-solução, é admitir que o Sporting tem de desaparecer para surgir algo novo no seu lugar (aproveitando o capital disperso de Sportinguismo que iria existir)... mas não seria nunca o Sporting. Seja como for, no caso de "morte" do clube - ou seja, tornando-se este insolvente ou algo do género como aconteceu com o Boavista - não restaria outra solução e seria esse o novo clube que iria abraçar de alma e coração.

A demissão do presidente e convocação de eleições antecipadas é a única forma de respeitar os estatutos e elevar ao expoente máximo os fundamentos do Sporting: uma associação desportiva gerida por sócios eleitos pelos seus pares. E se os sócios continuarem a ser inconscientes, preconceituosos e cobardes votando em soluções gastas, ultrapassadas e prejudiciais ao clube contribuindo assim para o seu fim então que seja... seria a lei natural das coisas e um fim minimamente digno - nasce pela mão dos sócios, acaba às mãos dos sócios. :arrow:
Votei obviamente na opcão: "pela demissão do presidente e convocação de eleições".

A dissolução da SAD é uma não-solução, é admitir que o Sporting tem de desaparecer para surgir algo novo no seu lugar (aproveitando o capital disperso de Sportinguismo que iria existir)... mas não seria nunca o Sporting. Seja como for, no caso de "morte" do clube - ou seja, tornando-se este insolvente ou algo do género como aconteceu com o Boavista - não restaria outra solução e seria esse o novo clube que iria abraçar de alma e coração.

A demissão do presidente e convocação de eleições antecipadas é a única forma de respeitar os estatutos e elevar ao expoente máximo os fundamentos do Sporting: uma associação desportiva gerida por sócios eleitos pelos seus pares. E se os sócios continuarem a ser inconscientes, preconceituosos e cobardes votando em soluções gastas, ultrapassadas e prejudiciais ao clube contribuindo assim para o seu fim então que seja... seria a lei natural das coisas e um fim minimamente digno - nasce pela mão dos sócios, acaba às mãos dos sócios. :arrow:

Obrigado, poupaste-me o teclado! é esta também a minha opinião.
Obrigado pela explicação Petrovich  :great:.

O que eu preferia, sem duvida era a demissão de toda a estrutura dirigente, e a realização de eleições antecipadas, e que ganhasse alguém que acima de tudo amasse o clube como todos nós amamos. Alguém que fosse capaz de devolver o clube aos Sportinguistas.

Uma extinção da SAD, ou uma Refundação, seria sempre, mas sempre o ultimo recurso.
Mas se a SAD declara-se falência, não poderia ser criada uma nova sem que o clube sofresse muito com isso?? Eu digo isto, porque em Portugal, já muitas empresas declaram falência, e depois abrem com novos nomes?

A Sporting SAD, e o Sporting Clube, são dois organismos diferentes, e de modo a não perdermos o que já esta na posse da SAD, não seria possivel passar as mais valias (academia etc) para o Sporting Clube, declarar falência da SAD, e formar uma nova SAD, e voltar a passar as mais valias para a mesma de modo a chamar investidores para a nova SAD?



Desculpem a minha ignorância, mas isso não seria possível?



Isso fazia mais sentido!

Epá nunca serei a favor do Sporting declarar falencia e ir para divisões inferiores.
Nunca nunca nunca! Recuso-me e não quero saber de mais nada, só essa ideia enoja me

Desculpem lá mas nada disso faz sentido nenhum!

Respeito quem defende uma refundação, como já foi feito noutros clubes por essa europa fora, e até alguns cá em Portugal, nomeadamente nas modalidades semi-amadoras.

Esqueçam a ideia de falir a SAD e continuar com o clube! Porque a maior parte do passivo está no clube! Porque o clube é responsável pelo passivo da SAD em caso de falência desta! Mas principalmente porque mesmo que fosse viável, seria [uma chico-espertice que nos baixaria a um nível abaixo dos nossos rivais, e mancharia o nosso orgulho para sempre.Sinceramente acho que quem defende esta ideia ou é muito jovem para compreender conceitos abstractos como honra, orgulho e responsabilidade, ou está completamente contaminado pelas visões mercadistas da vida em sociedade!
É legítimo defender o fim da SAD, mas extinguindo-a. Para isso seria necessário recomprar todas as acções que estão dispersas fora do clube e conseguir contornar a lei das sociedades desportivas, que, se não estou em erro, determina que após ter passado a representação desportiva para uma SAD, um clube só pode reaver a representação desportiva começando nas divisões inferiores.

Não vamos lá com atalhos! Quem defende uma refundação tem que ter a consciência que se propõe começar do ZERO, tal como fizeram os fundadores!


Subscrevo... especialmente o que sublinhei e posto aqui o que já tinha escrito e não consegui enviar:

Esta instituição é centenária, tem um nome a defender e como diz o LevezinhO tem como seu maior património o humano, os sportinguistas. Não vejo bons olhos qualquer tipo de jogada que signifique o sujar do bom nome do clube. As responsabilidades são para serem cumpridas. Nas falências encapotadas que vemos por este país, os bens são primeiramente  desviados para nome de terceiros e os administradores ficam anos sem poder exercer a actividade onde estavam inseridos.

Hipotéticamente esquecendo a questão ética e face a visibilidade do clube, não vejo encapotamentos possíveis. Dificilmente se conseguiria novamente crédito junto da banca e podem tomar os bancos como papões, mas são fundamentais para o funcionamento de qualquer empresa.

Saliento que uma coisa é a extinção da SAD outra é a refundação, termo que muito leio aqui.

Em primeiro lugar assumo que não estou muito por dentro da realidade da SAD e das suas movimentações, mas pelo que leio aqui e nos jornais o passivo aumentou imenso e está agora num nível gigantesco. Também acho que gerir os clubes como empresas (apesar de a realidade ser cada vez mais essa) retira a essência do desporto, afasta os adeptos das equipas e enche mais facilmente os bolsos a oportunistas que vivem à custa dos negócios desportivos e, sobretudo, do futebol.

Longe de querer duvidar do que aqui foi dito, acho difícil que a extinção das SADs mande obrigatoriamente os clubes para a última divisão. Afinal, estes são, penso eu, soberanos no modelo de gestão que adoptam. Mas mesmo que assim seja, acho que ninguém teria coragem de pôr o Sporting (ou outro grande qualquer) a jogar na Segunda Divisão Distrital, e iriam surgir fortes movimentações contra isso. Portanto, e embora sem certezas, talvez me incline mais para a dissolução da SAD, apesar de conseguir entender pontos de vista contrários.
«What's with these new bands? Everyone knows Rock attained perfection in 1974, it's a scientific fact!»

Sem ajudas de regimes nem cafés com leite... SPORTING, A MAIOR POTÊNCIA DESPORTIVA NACIONAL
Mas se a SAD declara-se falência, não poderia ser criada uma nova sem que o clube sofresse muito com isso?? Eu digo isto, porque em Portugal, já muitas empresas declaram falência, e depois abrem com novos nomes?

A Sporting SAD, e o Sporting Clube, são dois organismos diferentes, e de modo a não perdermos o que já esta na posse da SAD, não seria possivel passar as mais valias (academia etc) para o Sporting Clube, declarar falência da SAD, e formar uma nova SAD, e voltar a passar as mais valias para a mesma de modo a chamar investidores para a nova SAD?



Desculpem a minha ignorância, mas isso não seria possível?



Isso fazia mais sentido!

Epá nunca serei a favor do Sporting declarar falencia e ir para divisões inferiores.
Nunca nunca nunca! Recuso-me e não quero saber de mais nada, só essa ideia enoja me

Desculpem lá mas nada disso faz sentido nenhum!

Respeito quem defende uma refundação, como já foi feito noutros clubes por essa europa fora, e até alguns cá em Portugal, nomeadamente nas modalidades semi-amadoras.

Esqueçam a ideia de falir a SAD e continuar com o clube! Porque a maior parte do passivo está no clube! Porque o clube é responsável pelo passivo da SAD em caso de falência desta! Mas principalmente porque mesmo que fosse viável, seria uma chico-espertice que nos baixaria a um nível abaixo dos nossos rivais, e mancharia o nosso orgulho para sempre.

Sinceramente acho que quem defende esta ideia ou é muito jovem para compreender conceitos abstractos como honra, orgulho e responsabilidade, ou está completamente contaminado pelas visões mercadistas da vida em sociedade!

É legítimo defender o fim da SAD, mas extinguindo-a. Para isso seria necessário recomprar todas as acções que estão dispersas fora do clube e conseguir contornar a lei das sociedades desportivas, que, se não estou em erro, determina que após ter passado a representação desportiva para uma SAD, um clube só pode reaver a representação desportiva começando nas divisões inferiores.

Não vamos lá com atalhos! Quem defende uma refundação tem que ter a consciência que se propõe começar do ZERO, tal como fizeram os fundadores!


 :arrow: Não diria melhor, vizinho
A dissolução da SAD significaria que, a Sporting SAD deixaria de existir:

Ponto negativo:
 
.o património da SAD nomeadamente a academia e passes de jogadores seriam usados para cobrir o passivo deixado pela mesma, o que significaria que o Sporting teria de libertar os jogadores é verdade, o Sporting clube teria de começar penso que na 2 divisão B;

Ponto positivo:

 .o Sporting clube ficaria livre desse passivo, o que ate poderia permitir resgatar parte dos passes, e continuaria a ter o Estadio José de Alvalade, o multidesportivo e o terreno para a futura casa das modalidades;

Alarmismo puro! Sim, existe o Sporting que cada um deseja, e a esse nível é possível que o sonho não possa vir a ser cumprido, agora o clube nunca acabará. Poderá eventualmente é reduzir-se a uma condição menor, infelizmente... o caminho pelo menos já está a ser percorrido para essa realidade.
Diz-me, Dorian, com o futebol na segunda B, terceira ou na distrital, com que receitas é que o SCP vai pagar as responsabilidades financeiras associadas ao Estádio e à Academia ( que estão nas mãos da banca e servem de garantia real ).
O Sporting clube e a SAD estão em falência técnica. O primeiro ponto que eu antevejo é a necessidade de modificar os regulamentos de forma que a falência de uma SAD não tenha consequências desportivas e o clube possa substituir uma SAD nas competições nacionais. Isto não será difícil porque 90% das SADs em Portugal vão ficar insolventes nos próximos 3 anos e quase todos os clubes vão estar interessados nisso.

Para já uma nova direcção do clube precisa de:
- Descapitalizar a SAD passando os activos (Academia, passes de jogadores) para o Sporting Clube de Portugal, de forma a penalizar os credores ao máximo numa inevitável futura falência. Numa falência os accionistas perdem tudo, os credores ficam com os activos.
- Reestruturação da dívida do clube com os credores (banca), forçando um "haircut" (corte de cabelo) na dívida do clube de pelo menos 20 a 30% e alargando o prazo de pagamento por mais anos da dívida remanescente.

Claro que estas medidas vão mexer com os interesses de muita gente, mas a alternativa é a falência de um clube centenário com uma grande História. Credores e accionistas terão também de pagar pelos seus erros de investimento.
« Última modificação: Dezembro 18, 2010, 17:30 pm por o Miguel »
Mourinho worked with Malcolm Allison and I at Vitoria Setubal and I can see Malcolm’s influence on Jose. He is the best coach in the world and I can see Malcolm in 90 per cent of the things that he does. - Roger Spry
Diz-me, Dorian, com o futebol na segunda B, terceira ou na distrital, com que receitas é que o SCP vai pagar as responsabilidades financeiras associadas ao Estádio e à Academia ( que estão nas mãos da banca e servem de garantia real ).

As mesmas que tem agora:

.A receita televisiva, Sporting mesmo na segunda B iria continuar a ter mais audiência que a maior parte dos clubes na primeira liga;
.Os patrocínios;
.As quotas dos sócios;
. A receita de jogo;


Agora é verdade que a receita televisiva e o valor dos patrocinios seriam mais baixos enquanto não regressar-se-mos à primeira liga, mas tambem numa divisão inferior não existiria necessidade de um orçamento tão alto para conseguir os objectivos.

Quanto as cotas e receitas de jogo, as primeiras é preciso não esquecermos que 75% da receita actual vai para a SAD com a extinção da mesma ira tudo para o clube, o que actualmente ronde em números redondos penso que 10M de euros.
As receitas de jogo estas não tenho tanta certeza se iriam diminuir, a juventos quando teve de descer para a serie B, teve a maior média de assistências do últimos anos, porque? porque nos momentos díficeis quem fica são os puros os verdadeiros, não é por acaso que quando o barco esta a afundar os primeiros a fugir são as ratazanas.

E eu ate acho que existem adeptos que estão de costas voltadas para o clube, e que nun momento dificil como esse iriam aparecer, existe muito adepto do Sporting "adormecido" pelo menos aqui no norte.

Mas atenção eu não estou a defender esta solução como a ideal, apenas que não deve ser colocada à partida de lado. Se tivermos de dar um passo a trás para dar dois em frente, não deixo de ser sócio e adepto do Sporting por causa disso.


Diz-me, Dorian, com o futebol na segunda B, terceira ou na distrital, com que receitas é que o SCP vai pagar as responsabilidades financeiras associadas ao Estádio e à Academia ( que estão nas mãos da banca e servem de garantia real ).

Não vai, simples. Como poderia fazê-lo? Nem os custos inerentes às operações da Academia o Sporting conseguiria pagar. Começar de novo, seja o que isso for, significaria ficar somente com as cores e o equipamento, porque tudo o resto teria de ser alienado.

Dorian,

As receitas televisivas não seriam as de hoje, muito pelo contrário; a receita vinda da bilheteira não seria a mesma (o clube seria obrigado a reduzir os preços); a quotização depende (muitos deixariam de ser sócios, até porque o clube deixa de poder oferecer algo em troca, pelo menos inicialmente); os patrocínios seguiriam o mesmo caminho das receitas televisivas. Que marca irá querer pagar a um clube que milita numa divisão secundária? Eles quererão patrocinar o Sporting, não tenho dúvidas, mas jamais por valores minimamente similares aos actuais.

A única maneira de garantir um nível de receita decente seria apresentar um projecto espectacular aos sócios, fazendo com a massa associativa do Sporting se una em torno do clube, mas duvido seriamente da capacidade em fazê-lo. O processo de refundação, que duvido que venha a acontecer, será um caso sujo, sem dúvida, muitas acusações, e sempre como nome do clube na lama.

Basta para isso analisarmos casos de clubes respeitados que desceram de divisão. O Newcastle United passou de cerca de 110 milhões de euros de receita para cerca de 60 milhões de euros. A venda de merchandising manteve os valores normais, mas todas as restantes rubricas caíram abruptamente: televisão, publicidade e bilheteira.
« Última modificação: Dezembro 18, 2010, 17:34 pm por danielw »
[...]
Quanto a quem teme pelo futuro do Sporting, não temam, pois haverá Sporting enquanto houver gente cobarde, ingrata e dúplice (os três eixos do Sportinguismo contemporâneo).
[...]
Votei obviamente na opcão: "pela demissão do presidente e convocação de eleições".

A dissolução da SAD é uma não-solução, é admitir que o Sporting tem de desaparecer para surgir algo novo no seu lugar (aproveitando o capital disperso de Sportinguismo que iria existir)... mas não seria nunca o Sporting. Seja como for, no caso de "morte" do clube - ou seja, tornando-se este insolvente ou algo do género como aconteceu com o Boavista - não restaria outra solução e seria esse o novo clube que iria abraçar de alma e coração.

A demissão do presidente e convocação de eleições antecipadas é a única forma de respeitar os estatutos e elevar ao expoente máximo os fundamentos do Sporting: uma associação desportiva gerida por sócios eleitos pelos seus pares. E se os sócios continuarem a ser inconscientes, preconceituosos e cobardes votando em soluções gastas, ultrapassadas e prejudiciais ao clube contribuindo assim para o seu fim então que seja... seria a lei natural das coisas e um fim minimamente digno - nasce pela mão dos sócios, acaba às mãos dos sócios. :arrow:

    :arrow:  :arrow:  :arrow:
A dissolução da SAD significaria que, a Sporting SAD deixaria de existir:

Ponto negativo:
 
.o património da SAD nomeadamente a academia e passes de jogadores seriam usados para cobrir o passivo deixado pela mesma, o que significaria que o Sporting teria de libertar os jogadores é verdade, o Sporting clube teria de começar penso que na 2 divisão B;

Ponto positivo:

 .o Sporting clube ficaria livre desse passivo, o que ate poderia permitir resgatar parte dos passes, e continuaria a ter o Estadio José de Alvalade, o multidesportivo e o terreno para a futura casa das modalidades;



Não estás a atingir a sofisticação da coisa. Com as cláusulas de cross-default que constam do project finance, o Sporting é responsável pelo passivo da SAD. Num processo de insolvência da SAD, será liquidado o activo desta para cobertura do seu passivo, e as dívidas que ficam por pagar continuarão a ser responsabilidade do Sporting Clube.

Este problema deve ser encarado na posse de todos os elementos e sem lirismos.

A SAD, em si mesma e enquanto forma jurídica de organização de uma actividade, não tem problema nenhum. É verdade que traz implícita uma ideia de participação de investidores no capital dos clubes, mas com a norma que permite a estes deter 40% mais o resto através de uma SGPS, esse problema não se coloca.

Convenhamos também que, se não fosse o facto de o Sporting ter uma SAD (ou mais propriamente, uma SAD cotada em bolsa), obrigada a determinados deveres de transparência, nós não saberíamos nem uma ínfima parte dos podres de gestão que têm sido cometidos no Clube. Não é por acaso que a crónica da ruína económico-financeira do Sporting pode ser lida no site da CMVM - essa é precisamente uma consequência dos deveres de comunicação da SAD.

A isto acresce que a saída do modelo SAD implicaria a assunção de responsabilidades pessoais pelos futuros dirigentes do Clube quanto aos eventuais prejuízos da sua gestão, o que como é evidente é algo que ninguém no seu perfeito juízo estaria disposto a aceitar.

Por fim, temos a questão já referida de não podermos voltar a ter futebol profissional no Sporting senão sob a forma de SAD (não se trata apenas de recomeçar na III Divisão, é mesmo não poder voltar a participar em competições profissionais).

Dizem que a SAD não trouxe aquilo que prometeu. Pois, mas aí a culpa não foi dela - foi dos indivíduos que a geriram. Competência, rigor e profissionalismo não são atributos das formas jurídicas de pessoas colectivas, mas sim das pessoas que as dirigem.

Não podemos, nem precisamos, de extinguir a SAD. Pessoas como o Abílio Fernandes deviam ter algum sentido de responsabilidade e noção das enormidades que dizem. Mas não têm, porque apesar dos lugares que ocuparam, de terem acesso à imprensa e de passarem por entendidos na realidade do Clube, conhecem menos sobre o Sporting, sobre os seus problemas, os VMOCs, o passivo, o estádio, a academia, o património não desportivo, etc., do que a maioria dos frequentadores deste fórum (e eu sei do que estou a falar).

Se o que está em causa é recuperar o domínio total, então bastaria à Sporting SGPS lançar uma OPA sobre o capital da SAD. É claro que não se poderia pagar ao vulgo sportinguista que comprou acções por carolice os mesmos 2€ pagos a um sportinguista de estirpe superior como o Sr. Baltazar. E assim, feitas as contas ao que seria necessário gastar atento o valor de cotação das acções, não estaremos sequer perante nenhuma exorbitância - talvez se fizesse a festa ao preço de um Pongolle.

E poderia nem haver problemas com o Sr. Oliveira, porque caso o proponente de uma OPA consiga ficar com mais de 90% do capital, tem o direito de aquisição potestativa do capital que faltar para o domínio total.
Não me vou alongar muito.
Simplesmente para mostrar, ou reforçar, a minha tristeza em relação à escassez de votos na opção refundação do clube.
Parece-me torpe, tacanho, ridiculo, as pessoas pensarem que é com a mudança de caras que as coisas vão mudar.
O perigo de morte é efectivo, mas se calhar até benéfico.
O Sporting padece de um mal desde a sua fundação. Filosofia totalmente errada e desfazada em relação à realidade portuguesa. Não temos de ser um clube de elites, mas sim reforçar as bases populares de apoio que temos. Temos de existir para servir os sportinguistas, e não para que chulos se sirvam do clube.
Revolução cultural já no Sporting!!!!
Somos um clube com massa de apoio popular, e não tem de ser a burguesia mais tacanha a continuar a governar-nos.....
Exacto, mais uma vez somos "DIFERENTES", REFUNDAMOS um CLUBE CENTENÁRIO, é mais FÁCIL E CÓMODO!!!! Sou do tempo em que a solução era o "BINGO", o "POSTO de COMBUSTIVEL", os "MECENAS"....Até que surgiu a "MODA" das SAD´S... Resultado?! Sempre o mesmo.. CLUBES FALIDOS e INDIVIDUOS com maior ou menor historial clubistico a AUTO PROMOVEREM -SE!!!!  :wall: :wall: :wall: :wall: :wall:
"Pior do que não ver é NÃO QUERER VER!!!"

"Se o RIDICULO MATASSE...NÃO HAVIA LAMPIÕES!"
O Sporting clube e a SAD estão em falência técnica. O primeiro ponto que eu antevejo é a necessidade de modificar os regulamentos de forma que a falência de uma SAD não tenha consequências desportivas e o clube possa substituir uma SAD nas competições nacionais. Isto não será difícil porque 90% das SADs em Portugal vão ficar insolventes nos próximos 3 anos e quase todos os clubes vão estar interessados nisso.
Não será difícil? Caso não saibas, não são os clubes, a Liga ou a Federação que poderão tomar tal decisão. É o Parlamento! Achas que o facto de todas as SADs viverem acima das suas possibilidades é argumento para mudar a lei?

Para já uma nova direcção do clube precisa de:
- Descapitalizar a SAD passando os activos (Academia, passes de jogadores) para o Sporting Clube de Portugal, de forma a penalizar os credores ao máximo numa inevitável futura falência. Numa falência os accionistas perdem tudo, os credores ficam com os activos.
Penalizar os credores . . . deixa-me ver se entendi: penalizar os credores significa premiar os devedores! É um belo modo de vida, que na minha opinião se chama roubo!

O FLL, da forma clara e brilhante que o caracteriza, já explicou porque é que essa tese de falir a SAD e deixar os credores a arder não resulta. As cláusulas de cross default significam que quando os bancos emprestam dinheiro a uma das empresas do grupo, todas as outras empresas se tornam automaticamente solidárias pelo cumprimento do pagamento.

- Reestruturação da dívida do clube com os credores (banca), forçando um "haircut" (corte de cabelo) na dívida do clube de pelo menos 20 a 30% e alargando o prazo de pagamento por mais anos da dívida remanescente.
Brilhante! Primeiro deixas os credores a arder com a falência da SAD, depois vais ter com eles para renegociar a dívida do clube!
Com corte de cabelo pelo meio e tudo!

Claro que estas medidas vão mexer com os interesses de muita gente, mas a alternativa é a falência de um clube centenário com uma grande História. Credores e accionistas terão também de pagar pelos seus erros de investimento.
Tens que me explicar melhor porque é que eu tenho que pagar pelo meu erro de ter 122 acções do Sporting. 
Sou claramente CONTRA a refundação. O meu clube do coração, o que amo e me faz sofrer, é o Sporting Clube de Portugal, fundado em 1906. Qualquer alteração feita fará com que nunca mais seja a mesma coisa. O que urge é retirar Bettencourt rapidamente de lá, tal como a corja que o acompanha. Eu vou fazer o meu papel, vou comprar gamebox segunda volta quando voltar para Portugal, vou estar lá sempre a apoiar a equipa durante o jogo e a pressionar os incompetentes no final. vou estar sempre presente em esperas em aeroportos ou seja onde for. Eu já defendi Bettencourt mas acordei e vejo que é preciso afastá-lo urgentemente. Comigo, a oposição conta para tudo. E acho que é uma questão de tempo até a maioria acordar e tornar insustentavel o ambiente aos pulhas que andam a destruir o nosso clube. Por isso digo, prefiro perder em setúbal, de preferência por 3 ou 4, a ver se com um passo a trás damos não dois, mas 10 passos a frente. Não duvidem que sair Bettencourt representa um passo fundamental para o ressurgir do GRANDE Sporting que eu aprendi a amar.
estamos a passar a pior fase da Historia do clube mas penso que a tese da refundaçao nao tem qqr cabimento. O real perigo é o SCP perder competitividade desportiva e tornar-se num Braga ou Guimaraes e por mto que me custe esse tem sido o nivel destas 2ultimas epocas mas quero acreditar que a direcçao que subs esta vai ser + competente e devolver o Clube ao nivel que merece.

Ao contrario dos clubes que falaram aqui Salgueiros,Boavista, Farense o SCP tem activos de grande valor e se forem bem explorados a saida para esta crise pode ser bem + rapida do que parece

« Última modificação: Dezembro 19, 2010, 17:47 pm por Ace-XXI »
NÓS SOMOS DA RAÇA QUE NUNCA SE VERGARÁ! Por cada leão que cair outro se levantará!