Votação

Venda do nome do estádio José Alvalade

Sou a favor
Sou contra

Venda do nome do estádio José Alvalade

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Eu canalizava o dinheiro do Naming para fazer as melhorias no estádio.

Cadeiras, Relvado, Fosso, Alvaláxia, limpeza, pois é o primeiro impacto que as pessoas teem e isso é muito importante.

O Centro Comercial Alvaláxia foi vendido, ou concessionado durante um largo período de tempo, se não estou em erro, durante o mandato do Soares Franco. O Sporting neste momento, nada pode interferir com esse espaço. Tenho ideia, que os valores da venda rondaram na altura os 50 milhões de euros. Corrijam-me se estiver enganado, em relação a este assunto, que na minha opinião devia ser dos mais escrutinados na auditoria.
Foram só mais uns milhões que se esfumaram, entre mandatos que aumentaram drasticamente o passivo. 
Alvalaxia de facto não nos pertence.
Não tenho certeza absoluta, mas penso que não é concessão, penso que não nos pertence e ponto final.

O mesmo acontece com o espaço da clinica CUF.


Gostava de ser aquela imagem vergonhoso que foi apresentada na assembleia com o nosso património antes de estádio novo e hoje. É ridículo o pouco que agora temos e custa ainda mais lembrar que há partes do estádio como os exemplos em cima que não são nossos.
Ser do Sporting é ser diferente !
Alvalaxia de facto não nos pertence.
Não tenho certeza absoluta, mas penso que não é concessão, penso que não nos pertence e ponto final.

O mesmo acontece com o espaço da clinica CUF.


Gostava de ser aquela imagem vergonhoso que foi apresentada na assembleia com o nosso património antes de estádio novo e hoje. É ridículo o pouco que agora temos e custa ainda mais lembrar que há partes do estádio como os exemplos em cima que não são nossos.

Todos os elementos não desportivos mesmo que anexos ao estádio não são do Sporting, ponto final. Isto é um problema em toda a linha e em larga escala.

Em primeiro lugar não conseguimos fazer alterações de fundo no estádio e área envolvente sem acordo e participação dos outros donos.

Segundo, a longo prazo (2040/2050), se quisermos trocar o estádio por outro mais moderno no mesmo local implicaria adquirir os espaços aos outros donos para os destruir, ou seja, um custo muito superior.

E terceiro, e mais significativo no presente, é que por pura falta de capacidade negocial e de gestão passada, o Sporting perdeu activos que neste momento podiam significar uma renda anual importante. (ainda mais agora que a NOS foi para o Campo Grande)
"Eu desejo um Sporting honesto e forte. Que quando um dia ganhar tudo não se lhe possa apontar nada." 2007-08-10
Alvalaxia de facto não nos pertence.
Não tenho certeza absoluta, mas penso que não é concessão, penso que não nos pertence e ponto final.

O mesmo acontece com o espaço da clinica CUF.


Gostava de ser aquela imagem vergonhoso que foi apresentada na assembleia com o nosso património antes de estádio novo e hoje. É ridículo o pouco que agora temos e custa ainda mais lembrar que há partes do estádio como os exemplos em cima que não são nossos.

Todos os elementos não desportivos mesmo que anexos ao estádio não são do Sporting, ponto final. Isto é um problema em toda a linha e em larga escala.

Em primeiro lugar não conseguimos fazer alterações de fundo no estádio e área envolvente sem acordo e participação dos outros donos.

Segundo, a longo prazo (2040/2050), se quisermos trocar o estádio por outro mais moderno no mesmo local implicaria adquirir os espaços aos outros donos para os destruir, ou seja, um custo muito superior.

E terceiro, e mais significativo no presente, é que por pura falta de capacidade negocial e de gestão passada, o Sporting perdeu activos que neste momento podiam significar uma renda anual importante. (ainda mais agora que a NOS foi para o Campo Grande)


A parte a bold é a essencial!

A imagem que me referi, alguém arranja?
Ser do Sporting é ser diferente !
Daqui se conclui que o Soares Franco foi de todos os presidentes após 1995 o que mais mal fez ao Sporting. Quer a nível de património, quer a nível de cultura vencedora.
Daqui se conclui que o Soares Franco foi de todos os presidentes após 1995 o que mais mal fez ao Sporting. Quer a nível de património, quer a nível de cultura vencedora.
Soares Franco veio essencialmente fazer de "troika". Com Roquette ganhámos um campeonato, com Dias da Cunha outro, e nesta fase o projecto roquete esteve numa fase dir-se-ia expansionista, com investimentos vários (o Estádio sendo um deles) apostando em arranjar condições para ganhar, etc. Com Soares Franco começou a aparecer a factura, e a partir daí começou um período de "austeridade" que se foi prolongando, e que teve na venda do património, o seu climax decisivo. Aliás, foi nesta fase que me inscrevi aqui no fórum, como reacção aliás, à minha tomada de consciência do quão grave era o que se estava a passar no Sporting. A partir de Soares Franco e sem património, foi o descalabro completo, como seria de prever.

Em suma, para sermos "justos", Roquette e Dias da Cunha e sobretudo a sua gestão inacreditavelmente incompetente/danosa criaram as condições necessárias para que com Soares Franco se optasse por vender os anéis para fazer face ao enorme buraco de divida que se criou. A solução (vender património) foi vista na altura como péssima por alguns Sportinguistas, mas passou confortavelmente nas AG's, vivíamos tempos em que o Projecto Roquette ainda tinha enorme credibilidade. O que se passou a seguir deu-nos razão! Não será portanto justo dizer que foi Soares Franco o principal "culpado". Foram todos, a começar pelos que criaram um buraco financeiro gigantesco fruto de um projecto megalómano, insustentável, e sobretudo pessimamente gerido (derrapagens nos orçamentos, negócios nebulosos, cunhas e favores, etc), passando pela "troika" Soares Franco e JEB (este tendo-se revelado um total incapaz), e acabando numa direcção de loucos varridos como foi a do Godinho que ia enterrar definitivamente o Sporting como o conhecíamos.
E ainda continuamos na troika, a diferença é que neste momento quem nos está a gerir fá-lo de uma forma a que não prejudique o património do clube. Bem pelo contrário.
Fazer mais com menos.

Digo mais, se algum dia tivermos uma almofada financeira para tal, seria boa ideia recomprar algum do património perdido ao invés de uma ou duas trutas.