O que é que lêem, nestas noites...?

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Depois da saga de sci-fi Red Rising de Pierce Brown (Alvorada Vermelha em português, mas leiam em inglês se puderem) a que já aludi aqui neste tópico e que pessoalmente considero uma grandíssima obra da ficção científica com potencial para ainda mais (e vem nova trilogia, pelos vistos), vou agora para outra trilogia, The Broken Earth, da N K Jemisin, começando pelo The Fifth Season:



Depois deixo feedback.

Não queria deixar passar a oportunidade de comentar este livro que terminei recentemente... à atenção da @Olga já agora

Grande livro, grande história, escrito de forma muito bela e elegante (algo pouco convencional em sci-fi). Não é um livro “fácil”, como já referi anteriormente, porque todo o universo nos é apresentado aos bocadinhos e é tudo tão novo e tão pouco ortodoxo que nem sempre é fácil de acompanhar. Adoro o estilo subtil e a forma como a autora conta a história nas entrelinhas, o que contribui também para alguma demora na leitura, uma vez que existem muitas vezes significados de grande intensidade contidos em pequenas frases.

Se posso fazer algum reparo é o facto da história ter uma continuação óbvia... ie, não é daqueles livros que termina com um final daqueles finais e isso pode deixar alguns frustrados... não é o meu caso, que já mandei vir os outros dois volumes. ;D

Das melhores obras de ficção científica que li nos últimos tempos. O estilo é algo particular e a história não agradará a todos, mas não é difícil perceber por que razão venceu o prémio Hugo ha um par de anos atrás.

Entretanto...

Já li o segundo volume, The Obelisk Gate



E já vou no terceiro, The Stone Sky



Como já descrevi antes, trata-se de um estilo de escrita muito peculiar e onde muito é captado nas entrelinhas. O Obelisk Gate dá continuidade à história que já vinha do Fifth Season e aprofunda o grande story-arc da obra. Apesar de um slow-start, tem revelações e twists suficientes para nos manter agarrados. Não me lembro de ler algo tão único e complexo numa obra de sci-fi fantasy.

O Stone Sky não destoa até agora, e vamos ver como tudo isto termina, porque pela forma como as histórias se desenrolam em separado, tudo aparenta para que o seu cruzamento vá dar algo de épico.


Volto a sublinhar que os três livros venceram o Prémio Hugo de sci-fi em três anos consecutivos (os últimos três)!
@Paracelsus segui a tua sugestão quanto à triologia alvorada vermelha...ADOREI. Quero mais do género! Visto que foram os primeiros livros do género sci-fi que li, para além do fifth season o que me aconselhas, mesmo contando com os mais antigos? Dizem que o dune é talvez a melhor obra de sci-fi, o que achas?
Muito provavelmente já aqui foi falado mas não me recordo:

Se gostam de sci-fi então "Wool" de Hugh Howey, também designado por "Silo" 1-3 ou "The Wool Trilogy" (a forma como a história nasceu e foi publicada levou a esta complicação) é algo que recomendo vivamente.

Mesmo quem não aprecia muito o género não ficou indiferente à história e à escrita de Howey.

De alguma forma, passe o exagero, é uma espécie de "Admirável Mundo Novo" contemporâneo.



Os direitos para cinema chegaram a ser comprados pela 20th Century Fox em ligação ao produtor Ridley Scott mas parece que vão acabar por fazer uma série e não um filme.
@Paracelsus segui a tua sugestão quanto à triologia alvorada vermelha...ADOREI. Quero mais do género! Visto que foram os primeiros livros do género sci-fi que li, para além do fifth season o que me aconselhas, mesmo contando com os mais antigos? Dizem que o dune é talvez a melhor obra de sci-fi, o que achas?

@Bala10 ainda bem que gostaste, é sem duvida uma excelente leitura. :great:

Falar sobre o Dune é sempre difícil pra mim porque sou extremamente parcial. Foi o livro que me criou o bichinho da sci-fi, pra mim a obra que mais me marcou dentro do género. O Dune é mais fantasy sci-fi do que apenas sci-fi (assim como o Fifth Season, por exemplo... vais descobrir rapidamente que cada autor escreve sci-fi de maneira muito diferente e própria e que o próprio género é do mais variado que há). Talvez a prosa do Frank Herbert nao seja a mais erudita que há, mas a história é muito boa, muito ao estilo profético, e com enorme grau de “epicness”.

Outras sugestões: “Do Androids Dream of Electric Sheep?” de Philip K Dick (que mesmo que nunca tenhas ouvido conheces por ser o autor de sci-fi com mais filmes feitos como adaptações das suas histórias, por exemplo Minority Report ou Total Recall). Também aquele o é, neste caso “Blade Runner”. O livro conta uma história bem mais complexa e que é ilustrativa de uma certa corrente de sci-fi daquela época dos anos 60 e 70 (outros exemplos são Um Estranho numa Terra Estranha do Robert Heinlein, mas pra mim o Blade Runner é a obra de referência). O “Ender’s Game” do Orson Scott Card também é um livro bastante entretido pra se ler e já é mais moderno (anos 80).

Se queres entretanto sci-fi mais “pura”, então tens autores como o Arthur C Clarke (exemplo “Rendezvous with Rama”) ou o Poul Anderson.

Existem muitos mais autores e exemplos, mas isso fica pra depois.

Por fim, a trilogia Broken Earth da J K Nemisin é sem duvida qualquer coisa, e que me apanhou desprevenido, não estava à espera que me marcasse tanto, ainda por cima não sendo um verdadeiro “page-turner”. E o terceiro livro em que já vou a meio já está a rebentar com a escala até agora. ;D
@Paracelsus segui a tua sugestão quanto à triologia alvorada vermelha...ADOREI. Quero mais do género! Visto que foram os primeiros livros do género sci-fi que li, para além do fifth season o que me aconselhas, mesmo contando com os mais antigos? Dizem que o dune é talvez a melhor obra de sci-fi, o que achas?

@Bala10 ainda bem que gostaste, é sem duvida uma excelente leitura. :great:

Falar sobre o Dune é sempre difícil pra mim porque sou extremamente parcial. Foi o livro que me criou o bichinho da sci-fi, pra mim a obra que mais me marcou dentro do género. O Dune é mais fantasy sci-fi do que apenas sci-fi (assim como o Fifth Season, por exemplo... vais descobrir rapidamente que cada autor escreve sci-fi de maneira muito diferente e própria e que o próprio género é do mais variado que há). Talvez a prosa do Frank Herbert nao seja a mais erudita que há, mas a história é muito boa, muito ao estilo profético, e com enorme grau de “epicness”.

Outras sugestões: “Do Androids Dream of Electric Sheep?” de Philip K Dick (que mesmo que nunca tenhas ouvido conheces por ser o autor de sci-fi com mais filmes feitos como adaptações das suas histórias, por exemplo Minority Report ou Total Recall). Também aquele o é, neste caso “Blade Runner”. O livro conta uma história bem mais complexa e que é ilustrativa de uma certa corrente de sci-fi daquela época dos anos 60 e 70 (outros exemplos são Um Estranho numa Terra Estranha do Robert Heinlein, mas pra mim o Blade Runner é a obra de referência). O “Ender’s Game” do Orson Scott Card também é um livro bastante entretido pra se ler e já é mais moderno (anos 80).

Se queres entretanto sci-fi mais “pura”, então tens autores como o Arthur C Clarke (exemplo “Rendezvous with Rama”) ou o Poul Anderson.

Existem muitos mais autores e exemplos, mas isso fica pra depois.

Por fim, a trilogia Broken Earth da J K Nemisin é sem duvida qualquer coisa, e que me apanhou desprevenido, não estava à espera que me marcasse tanto, ainda por cima não sendo um verdadeiro “page-turner”. E o terceiro livro em que já vou a meio já está a rebentar com a escala até agora. ;D

Começar então pelo Dune  :drool:
E depois começar a cavar

Muito obrigado pelas sugestões e se te lembrares de mais alguma, por favor apita  :great:

A ler os Soldados de Salamina do Javier Cercas - https://pt.wikipedia.org/wiki/Soldados_de_Salamina.

Um livro espectacular, há muito tempo que não lia algo tão interessante.


Vi na FNAC, comprei logo,... Revi novamente todo esse combate aqui no YouTube, onde já o tinha acompanhado anos atrás...
Bem miúdo, Lembro-me bem do regresso de Cassius Clay com o Joe Frazier... E do aparecimento meteórico do titã invencível George Foreman que todos batia com facilidade logo aos primeiros assaltos... Era evidente que Cassius Clay iria ser demolido rapidamente... Fiquei estupefacto como todo o mundo... Até que, finalmente, pude ver o combate completo. Estratégia soberba, poder de encaixe fantástico, rapidez estonteante, precisão cirúrgica nos golpes..., o titã estava a ser magoado, enquanto o "maior de sempre" parecia nem sentir os golpes... Vejam no YouTube... O campeão invencível foi transformado num cepo que combatia como um cepo.
"É fraqueza entre ovelhas ser Leão." (Lusíadas, I-68)

Vi na FNAC, comprei logo,... Revi novamente todo esse combate aqui no YouTube, onde já o tinha acompanhado anos atrás...
Bem miúdo, Lembro-me bem do regresso de Cassius Clay com o Joe Frazier... E do aparecimento meteórico do titã invencível George Foreman que todos batia com facilidade logo aos primeiros assaltos... Era evidente que Cassius Clay iria ser demolido rapidamente... Fiquei estupefacto como todo o mundo... Até que, finalmente, pude ver o combate completo. Estratégia soberba, poder de encaixe fantástico, rapidez estonteante, precisão cirúrgica nos golpes..., o titã estava a ser magoado, enquanto o "maior de sempre" parecia nem sentir os golpes... Vejam no YouTube... O campeão invencível foi transformado num cepo que combatia como um cepo.
Li várias obras desse autor e nunca me convenceram que valia os prémios que recebeu.
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Segui a recomendação do @Chev Chelios e comprei o SPQR. Estava a 50% de desconto direto no Continente (14,40€).


 Terminei As Benevolentes. É um livraço, a comparação com o Guerra e Paz faz muito sentido. É, para mim, dos melhores romances escritos este século. Creio que o número de páginas, a letra miudinha, os parágrafos de quase uma página, afastem imensos leitores, contudo vale a pena o esforço. A dimensão humana ao pormenor.

 

 Entretanto, iniciei a leitura deste:

 
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Mudando um pouco, estou a acabar este:
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Sou um semi-nabo da informática por isso não tenho a certeza se sei pôr imagens como deve ser.

Mas aqui vão duas sugestões que acho servirem para quase toda a gente:

THINKING, FAST AND SLOW - Daniel Kahneman

WHY THE WEST RULES FOR NOW - Ian Morris


Neste momento ando a ler (não, não sou hipster :mrgreen:):


LIVRO DO DESASSOSSEGO - Fernando Pessoa

TO KILL A MOCKINGBIRD - Harper Lee
Mudando um pouco, estou a acabar este:

Terminado. Segue-se um clássico.
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Um livro mais que actual , para se ver que nada mudou na politica portuguesa , a politica portuguesa sempre foi isto , só mudou a percepção , muito por causa da internet e por causa disto , esta pôr em causa as narrativas oficiais.

Vieira 04/04/2017

" Lentamente temos estado a colaborar em unir o Sporting. Vamos ignora lo " em relação a Bruno de Carvalho.

"Brunismo" expressão usada 1º por Pedro Guerra no Prolongamento.
Mudando um pouco, estou a acabar este:

Terminado. Segue-se um clássico.

Já acabei o «Directa». À parte um penúltimo capítulo algo confuso (não deve ter sido escrito na mesma altura que o resto), achei-o bastante bom.
Segue-se o «O Ângulo Raso», de Fernanda Botelho...

«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
 A iniciar a leitura de Viagens com o Charley, John Steinbeck.

“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
 A iniciar a leitura de Viagens com o Charley, John Steinbeck.

Lembro-me de ter achado esse livro um pouco menos conseguido que os mais famosos. Mas lê-se bem.
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Mudando um pouco, estou a acabar este:

Terminado. Segue-se um clássico.

Já acabei o «Directa». À parte um penúltimo capítulo algo confuso (não deve ter sido escrito na mesma altura que o resto), achei-o bastante bom.
Segue-se o «O Ângulo Raso», de Fernanda Botelho...


Já tem outro em espera...

Edit: Começado. Bem mais interessante do que esperava.
« Última modificação: Agosto 14, 2019, 20:33 pm por one_o_six »
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
 A iniciar a leitura de Viagens com o Charley, John Steinbeck.



 Interessante. Mesmo que fugindo ao estilo que levou o John Steinbeck ao Nobel.

 

 Entretanto, mais uma volta por José Saramago.

 

 
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp