Associação de Adeptos Sportinguistas

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Press release da AAS :

Domingo, 12 de Outubro de 2008
Reunião inédita com a Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto
 
Prosseguindo o seu périplo de contactos, a AAS reuniu-se no passado dia 10 de Outubro com a Secretaria de Estado da Juventude e Desporto, representada pelo Dr.Nuno Laurentino, no intuito de apresentar as principais preocupações dos adeptos do futebol, e os do Sporting em particular.


Foram abordados temas como a bilhética, o horário e dias dos jogos, a excessiva agressividade e violência policial nos estádios, a dependência do futebol português da Olivedesportos e as consequências nefastas daí decorrentes no bolso de todos nós e as diferenças nos direitos televisivos entre Portugal e alguns países europeus. O recente Congresso Europeu de Adeptos, onde a AAS representou o Sporting e Portugal foi também alvo de discussão, bem como o papel do Estado no futebol português.


As diversas propostas da AAS foram recebidas de forma positiva, sendo que entendemos destacar publicamente a proposta de regulamentar preços máximos para bilhetes de futebol, indexados ao ordenado mínimo nacional. Em suma, mais do que regulamentar, acreditamos ser necessário iniciar um processo de “moralização” do futebol português. Ficou patente a coincidência de opiniões entre as duas entidades e não está colocada de parte a colaboração da Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto com a AAS na organização de determinados eventos.


Estes contactos da AAS (UEFA e Estado português) aos quais se seguirá a Liga de Clubes, têm como objectivo juntar vozes à discussão dos problemas actuais do futebol português e procurarmos, em conjunto, melhorarmos as condições para os adeptos, em especial para os sportinguistas uma vez estarmos perante problemas estruturais transversais a todos nós.




Moralização e Responsabilização – palavras chaves que deverão entrar no vocabulário de todos os agentes desportivos nacionais.




Comité Executivo


Associação de Adeptos Sportinguistas, AAS
Press release da AAS :

Domingo, 12 de Outubro de 2008
Reunião inédita com a Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto
 
Prosseguindo o seu périplo de contactos, a AAS reuniu-se no passado dia 10 de Outubro com a Secretaria de Estado da Juventude e Desporto, representada pelo Dr.Nuno Laurentino, no intuito de apresentar as principais preocupações dos adeptos do futebol, e os do Sporting em particular.


Foram abordados temas como a bilhética, o horário e dias dos jogos, a excessiva agressividade e violência policial nos estádios, a dependência do futebol português da Olivedesportos e as consequências nefastas daí decorrentes no bolso de todos nós e as diferenças nos direitos televisivos entre Portugal e alguns países europeus. O recente Congresso Europeu de Adeptos, onde a AAS representou o Sporting e Portugal foi também alvo de discussão, bem como o papel do Estado no futebol português.


As diversas propostas da AAS foram recebidas de forma positiva, sendo que entendemos destacar publicamente a proposta de regulamentar preços máximos para bilhetes de futebol, indexados ao ordenado mínimo nacional. Em suma, mais do que regulamentar, acreditamos ser necessário iniciar um processo de “moralização” do futebol português. Ficou patente a coincidência de opiniões entre as duas entidades e não está colocada de parte a colaboração da Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto com a AAS na organização de determinados eventos.


Estes contactos da AAS (UEFA e Estado português) aos quais se seguirá a Liga de Clubes, têm como objectivo juntar vozes à discussão dos problemas actuais do futebol português e procurarmos, em conjunto, melhorarmos as condições para os adeptos, em especial para os sportinguistas uma vez estarmos perante problemas estruturais transversais a todos nós.




Moralização e Responsabilização – palavras chaves que deverão entrar no vocabulário de todos os agentes desportivos nacionais.




Comité Executivo


Associação de Adeptos Sportinguistas, AAS


Muito bem!!!

São essas as iniciativas que estão a tentar com que o adepto de futebol não morra, velhos habitos, velhas maneiras!

Força!   :clap:


Nem preconceito nem repressão acabarão com a nossa paixão!

Sporting Sempre!
A AAS tem novidades no blog. Vejam aqui.
Pretendo ficar amarrado àquilo que foi o sonho de um fundador do Clube.

"Quando se afirma que o mal está no Clube porque a SAD funciona lindamente, estamos chegados a um nível de despudor e de falta de vergonha poucas vezes visto desde que Édipo matou o pai e casou com a mãe."

A AAS tem novidades no blog. Vejam aqui.

E já agora por que não... a Wiki também já tem um artigo sobre a AAS.

;)
continuem o bom trabalho. nao estao sozinhos  :great:
 
Sugiro uma leitura atenta do último post no blog da AAS.
Para se ter uma ideia da real diferença entre o nosso país e a Europa do futebol. E que diferença...

Mas a AAS está presente nestes eventos internacionais por razões estratégicas. Saber o que se passa, aprender com os erros dos outros e antecipar, eventualmente, problemas no nosso clube.

E tem-se aprendido muita coisa.
Mas acreditem que eles também têm aprendido connosco. Sublinham sempre a nossa força de vontade, determinação e carácter.
Estamos a preparar eventos nacionais sportinguistas onde esperamos poder contar com a presença de todos os amigos sportinguistas, de norte a sul do país, de portugal e fora de Portugal.

Abraço
Acabou a brincadeira!
Moralização, Responsabilização, Respeito são as palavras de ordem.

"
COMUNICADO 7 / 2008

Pedido de Abertura de Processo Disciplinar a
Assessor Jurídico da Sporting SAD


A AAS teve acesso a este lamentável email enviado pelo Sr.Hugo Vaz Serra, assessor jurídico duma empresa do Grupo Sporting - no caso Sporting, SAD.

Aproveitando a reunião anteriormente aprazada a ter lugar na próxima segunda-feira, pelas 17h30, entre a AAS e o Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal, vai ser solicitada a abertura de um processo disciplinar a este funcionário do clube/SAD requerendo a AAS, desde já, que o mesmo culmine com a demissão do referido funcionário.


A militância começa no respeito pelo comum adepto e associado do clube. E todos os funcionários do clube que não respeitem essa máxima, deverão ser responsabilizados!


O conteúdo do email dispensa mais comentários:

"Caros,

Ontem teve lugar no auditório do Estádio José Alvalade uma reunião da AG do SCP para votar o Regulamento do Congresso Leonino,o qual foi aprovado por quase 85% dos votos. Ainda assim, houve espaço e tempo para alguns contestatários darem uma imgaem do nosso clube que não corresponde à realidade. O que me preocupa é que esses arruaceiros têm, alguns, mais de 20 anos de filiação e, por esse motivo, direito a 7 votos.

No entanto, devido ao facto de a antiguidade ser um posto no nosso clube, os Stromp e os Cinquentenários acabaram por conferir tranquilidade.

Neste cenário, fiquei com a clara sensação que há uma lacuna no que respeita a associados com cultura e formação nas nossas faixas etárias, que possam inclusive vir a fazer uma ligação pacífica e proveitosa aos associados de maior antiguidade.

O Congresso Leonino decorrerá em 28 e 29 de Março em Santarém, no centro de Congressos (CNEMA), sendo requisito de participação ter 5 anos de associado, ser designado por um grupo de consócios até perfazer 25 votos (incluido os do próprio), pagar inscrição de cerca de 45€ (inclui refeições), e debaterá quatro temas, divididos por 4 secções:a) Sócios e Adeptosb) Módelo estratégico do Futebolc) Desafios do Ecletismod) Modelo de Sustentabilidade FinanceiraCada Delegado tem direito a apresentar recomendações, até dia 27 de Fevereiro, que posteriormente poderá defender oralmente no Congresso, ver as mesmas debatidas na secção respectiva e, finalmente, votadas em plenário.Em época de eleições, é uma boa altura para pensar de que forma poderemos nós contribuir, semear e ajudar a traçar o rumo do nosso Clube. Actuando em conjunto, temos demasiados votos para ficar indiferentes."çar o rumo do nosso Clube. Actuando em conjunto, temos demasiados votos para ficar indiferentes."
Comité Executivo
Associação de Adeptos Sportinguistas
"
Já tinha lido tal aberração de email na Centúria Leonina e por lá também não gostaram nada.

Mas esta atitude tomada pela AAS é de louvar :clap:
Chega de faltar ao respeito dos sócios que tanto dão pelo e ao Clube.


"
O Site oficial da Associação de Adeptos Sportinguistas foi finalmente lançado e tem agora todas as funcionalidades disponiveis, desde a consulta da organização da Associação, a sua missão, a adesão online e consequente consulta dos estatutos até à participação num Fórum exclusivo a associados da AAS onde se debate o clube, a Associação e a comunicação entre os associados e a sua associação se promove.

Será, doravante, este o endereço onde poderemos comunicar :
http://www.aasporting.com/

Esperamos por si! O Sporting também!

Comité Executivo,
Associação de Adeptos Sportinguistas, AAS
"
Convido-vos a visitar o site da AAS e a verem o video de Natal que foi feito para todos os sportinguistas.

Boas festas a todos!

Abraço
A "nova" reestruturação financeira delineada para o SCP

Como é do conhecimento público, o presidente da Direcção do Sporting Clube de Portugal apresentou os seus planos para a reestruturação financeira do clube. Anunciado como um novo plano, importa recordar que em anterior Assembleia-Geral as medidas agora propostas foram recusadas pelos associados do Sporting Clube de Portugal. Razão pela qual aparecem de novo, camufladas num “novo” plano de reestruturação financeira.

O “novo” plano assenta em dois pontos basilares :

1. Emissão de VMOCs (Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis) no valor de 55 M€, por parte da Sporting, SAD

2. Passagem dos direitos televisivos da Sporting Comércio e Serviços do clube para a SAD a troco de 55M€1.

É crucial para o futuro do Sporting Clube de Portugal que todos entendam o que está em causa, antes de criticarem ou manifestarem apoio a estas medidas.

A figura das VMOCs obriga o emitente – Sporting SAD, no caso – a proceder ao reembolso do valor em espécie, na data de vencimento. No caso, propõe-se que o reembolso seja efectuado através da entrega de acções da Sporting SAD. Se for tido em conta o valor actual do capital social da Sporting SAD – 40M€, facilmente se percebe que o Sporting deixará de ter qualquer hipótese de ter a maioria do capital da SAD após o vencimento das VMOCs.

A emissão de VMOCs foi objecto de decisão na Assembleia Geral de Maio de 2008, ou seja, há menos de um ano.

Aliada a esta operação, surge a “venda” dos direitos televisivos da Sporting Comércio e Serviços à Sporting SAD no valor de 55M€. Valor este utilizado, posteriormente, para abater o passivo do clube. É ainda de realçar que um dos accionistas da Sporting SAD detém o monopólio de negociação dos direitos televisivos nos campeonatos profissionais portugueses.

Mais uma vez, esta deliberação foi levada à consideração dos associados do Sporting na assembleia magna de Maio de 2008. A direcção do clube pretende colocar novamente a votos esta mesma medida. E, mais uma vez, se impõe a pergunta: porquê nova deliberação quando esta já foi a votos?

Paralelamente, prepara-se um Congresso Leonino onde um dos temas em análise é precisamente o “Modelo de Sustentabilidade Financeira do clube”.

Não será legítimo que os associados pretendam dar valor a esse mesmo Congresso e adiar eventuais medidas desta dimensão para depois do Congresso? Não será de esperar moções interessantes por parte dos diversos associados que permita outro tipo de plano de reestruturação financeira para o Sporting Clube de Portugal?

Não será também legítimo respeitar as decisões anteriormente tomadas em Assembleia-Geral do clube (o orgão máximo do Sporting Clube de Portugal) pelos sócios ?

Nós, na AAS, exigimos que tal orgão estatutário seja respeitado e não sejam tomadas, pelo menos até final deste mandato, medidas hipotecárias do futuro do Sporting Clube de Portugal.

Nós, na AAS, não nos revemos num clube-empresa onde os associados se tornam meros consumidores com as nefastas consequências que daí advêm : 27.000 sócios efectivos com as quotas em dia e uma grave crise de "militância". Com as dramáticas situações que outros clubes-empresa atravessam nos dias de hoje – Chelsea à venda, Newcastle United abandonado por anterior dono, por exemplo. Veja-se o exemplo do Hamburger SV. Clube que compete na exigente Liga alemã mas que, evitando a “entrada do negócio no seu futebol”, se mantém hoje apenas como uma Associação e compete pelos primeiros lugares da I Liga Alemã – está actualmente a apenas dois pontos do I classificado.

Nós, na AAS, vemos as SADs como uma imposição legal como forma de aumentar o rigor e a transparência na gestão dos clubes em Portugal e não o contrário.

“Porque o futebol deve ser um desporto de alta-competição gerido como um negócio e não o contrário” – Andy Durnham, Secretário de Estado do Desporto em Inglaterra. Declaração emitida em Londres, no Congresso da organização Supporters Direct para a qual a AAS foi convidada.

Foi lá que o futebol nasceu. Foi lá que algumas destas situações se manifestaram pela primeira vez. Aprendamos, de vez, com os erros dos outros.

Pelo presente, e sobretudo pelo futuro do Sporting Clube de Portugal!

Sporting Sempre!

Comité Executivo

Associação de Adeptos Sportinguistas, AAS

www,aasporting.com
penso Sporting...logo existo!!!
A "nova" reestruturação financeira delineada para o SCP

Como é do conhecimento público, o presidente da Direcção do Sporting Clube de Portugal apresentou os seus planos para a reestruturação financeira do clube. Anunciado como um novo plano, importa recordar que em anterior Assembleia-Geral as medidas agora propostas foram recusadas pelos associados do Sporting Clube de Portugal. Razão pela qual aparecem de novo, camufladas num “novo” plano de reestruturação financeira.

O “novo” plano assenta em dois pontos basilares :

1. Emissão de VMOCs (Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis) no valor de 55 M€, por parte da Sporting, SAD

2. Passagem dos direitos televisivos da Sporting Comércio e Serviços do clube para a SAD a troco de 55M€1.

É crucial para o futuro do Sporting Clube de Portugal que todos entendam o que está em causa, antes de criticarem ou manifestarem apoio a estas medidas.

A figura das VMOCs obriga o emitente – Sporting SAD, no caso – a proceder ao reembolso do valor em espécie, na data de vencimento. No caso, propõe-se que o reembolso seja efectuado através da entrega de acções da Sporting SAD. Se for tido em conta o valor actual do capital social da Sporting SAD – 40M€, facilmente se percebe que o Sporting deixará de ter qualquer hipótese de ter a maioria do capital da SAD após o vencimento das VMOCs.

A emissão de VMOCs foi objecto de decisão na Assembleia Geral de Maio de 2008, ou seja, há menos de um ano.

Aliada a esta operação, surge a “venda” dos direitos televisivos da Sporting Comércio e Serviços à Sporting SAD no valor de 55M€. Valor este utilizado, posteriormente, para abater o passivo do clube. É ainda de realçar que um dos accionistas da Sporting SAD detém o monopólio de negociação dos direitos televisivos nos campeonatos profissionais portugueses.

Mais uma vez, esta deliberação foi levada à consideração dos associados do Sporting na assembleia magna de Maio de 2008. A direcção do clube pretende colocar novamente a votos esta mesma medida. E, mais uma vez, se impõe a pergunta: porquê nova deliberação quando esta já foi a votos?

Paralelamente, prepara-se um Congresso Leonino onde um dos temas em análise é precisamente o “Modelo de Sustentabilidade Financeira do clube”.

Não será legítimo que os associados pretendam dar valor a esse mesmo Congresso e adiar eventuais medidas desta dimensão para depois do Congresso? Não será de esperar moções interessantes por parte dos diversos associados que permita outro tipo de plano de reestruturação financeira para o Sporting Clube de Portugal?

Não será também legítimo respeitar as decisões anteriormente tomadas em Assembleia-Geral do clube (o orgão máximo do Sporting Clube de Portugal) pelos sócios ?

Nós, na AAS, exigimos que tal orgão estatutário seja respeitado e não sejam tomadas, pelo menos até final deste mandato, medidas hipotecárias do futuro do Sporting Clube de Portugal.

Nós, na AAS, não nos revemos num clube-empresa onde os associados se tornam meros consumidores com as nefastas consequências que daí advêm : 27.000 sócios efectivos com as quotas em dia e uma grave crise de "militância". Com as dramáticas situações que outros clubes-empresa atravessam nos dias de hoje – Chelsea à venda, Newcastle United abandonado por anterior dono, por exemplo. Veja-se o exemplo do Hamburger SV. Clube que compete na exigente Liga alemã mas que, evitando a “entrada do negócio no seu futebol”, se mantém hoje apenas como uma Associação e compete pelos primeiros lugares da I Liga Alemã – está actualmente a apenas dois pontos do I classificado.

Nós, na AAS, vemos as SADs como uma imposição legal como forma de aumentar o rigor e a transparência na gestão dos clubes em Portugal e não o contrário.

“Porque o futebol deve ser um desporto de alta-competição gerido como um negócio e não o contrário” – Andy Durnham, Secretário de Estado do Desporto em Inglaterra. Declaração emitida em Londres, no Congresso da organização Supporters Direct para a qual a AAS foi convidada.

Foi lá que o futebol nasceu. Foi lá que algumas destas situações se manifestaram pela primeira vez. Aprendamos, de vez, com os erros dos outros.

Pelo presente, e sobretudo pelo futuro do Sporting Clube de Portugal!

Sporting Sempre!

Comité Executivo

Associação de Adeptos Sportinguistas, AAS

www,aasporting.com

Há cada argumento, essa do Hamburger estar a dois pontos do primeiro lugar ... nós estamos a quantos? E já agora um dos primeiros do campeonato alemão é quem (além do Bayern)? E qual foi o percurso dessa equipa de há uns anos para cá? E como é que chegou tão depressa ao topo? Ainda acusam a actual direcção de demagogia ...
Há cada argumento, essa do Hamburger estar a dois pontos do primeiro lugar ... nós estamos a quantos? E já agora um dos primeiros do campeonato alemão é quem (além do Bayern)? E qual foi o percurso dessa equipa de há uns anos para cá? E como é que chegou tão depressa ao topo? Ainda acusam a actual direcção de demagogia ...

É esse o único comentário que tens a fazer ao comunicado?

Concordas que seja apresentada uma reestruturação decisiva para o futuro do clube a apenas 6 meses das eleições, condicionando em grande medida o próximo mandato?

Concordas que a 6 meses das eleições seja novamente apresentada aos sócios uma reestruturação que já foi sujeita a AG e recusada pelos sócios?

Parece-te bem passar para a SAD o poder de negociação dos direitos televisivos, sendo um dos principais accionistas da SAD a empresa com a qual vamos ter que negociar?

Não te parece também demagogia que seja noticiada a redução do passivo em 100M€, quando 55 desses 100 correspondem na realidade à contracção de mais passivo (VMOCS), com a agravante de conduzirem, de forma encapotada, à redução da presença do clube na SAD?



A "nova" reestruturação financeira delineada para o SCP

Como é do conhecimento público, o presidente da Direcção do Sporting Clube de Portugal apresentou os seus planos para a reestruturação financeira do clube. Anunciado como um novo plano, importa recordar que em anterior Assembleia-Geral as medidas agora propostas foram recusadas pelos associados do Sporting Clube de Portugal. Razão pela qual aparecem de novo, camufladas num “novo” plano de reestruturação financeira.

O “novo” plano assenta em dois pontos basilares :

1. Emissão de VMOCs (Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis) no valor de 55 M€, por parte da Sporting, SAD

2. Passagem dos direitos televisivos da Sporting Comércio e Serviços do clube para a SAD a troco de 55M€1.

É crucial para o futuro do Sporting Clube de Portugal que todos entendam o que está em causa, antes de criticarem ou manifestarem apoio a estas medidas.

A figura das VMOCs obriga o emitente – Sporting SAD, no caso – a proceder ao reembolso do valor em espécie, na data de vencimento. No caso, propõe-se que o reembolso seja efectuado através da entrega de acções da Sporting SAD. Se for tido em conta o valor actual do capital social da Sporting SAD – 40M€, facilmente se percebe que o Sporting deixará de ter qualquer hipótese de ter a maioria do capital da SAD após o vencimento das VMOCs.

A emissão de VMOCs foi objecto de decisão na Assembleia Geral de Maio de 2008, ou seja, há menos de um ano.

Aliada a esta operação, surge a “venda” dos direitos televisivos da Sporting Comércio e Serviços à Sporting SAD no valor de 55M€. Valor este utilizado, posteriormente, para abater o passivo do clube. É ainda de realçar que um dos accionistas da Sporting SAD detém o monopólio de negociação dos direitos televisivos nos campeonatos profissionais portugueses.

Mais uma vez, esta deliberação foi levada à consideração dos associados do Sporting na assembleia magna de Maio de 2008. A direcção do clube pretende colocar novamente a votos esta mesma medida. E, mais uma vez, se impõe a pergunta: porquê nova deliberação quando esta já foi a votos?

Paralelamente, prepara-se um Congresso Leonino onde um dos temas em análise é precisamente o “Modelo de Sustentabilidade Financeira do clube”.

Não será legítimo que os associados pretendam dar valor a esse mesmo Congresso e adiar eventuais medidas desta dimensão para depois do Congresso? Não será de esperar moções interessantes por parte dos diversos associados que permita outro tipo de plano de reestruturação financeira para o Sporting Clube de Portugal?

Não será também legítimo respeitar as decisões anteriormente tomadas em Assembleia-Geral do clube (o orgão máximo do Sporting Clube de Portugal) pelos sócios ?

Nós, na AAS, exigimos que tal orgão estatutário seja respeitado e não sejam tomadas, pelo menos até final deste mandato, medidas hipotecárias do futuro do Sporting Clube de Portugal.

Nós, na AAS, não nos revemos num clube-empresa onde os associados se tornam meros consumidores com as nefastas consequências que daí advêm : 27.000 sócios efectivos com as quotas em dia e uma grave crise de "militância". Com as dramáticas situações que outros clubes-empresa atravessam nos dias de hoje – Chelsea à venda, Newcastle United abandonado por anterior dono, por exemplo. Veja-se o exemplo do Hamburger SV. Clube que compete na exigente Liga alemã mas que, evitando a “entrada do negócio no seu futebol”, se mantém hoje apenas como uma Associação e compete pelos primeiros lugares da I Liga Alemã – está actualmente a apenas dois pontos do I classificado.

Nós, na AAS, vemos as SADs como uma imposição legal como forma de aumentar o rigor e a transparência na gestão dos clubes em Portugal e não o contrário.

“Porque o futebol deve ser um desporto de alta-competição gerido como um negócio e não o contrário” – Andy Durnham, Secretário de Estado do Desporto em Inglaterra. Declaração emitida em Londres, no Congresso da organização Supporters Direct para a qual a AAS foi convidada.

Foi lá que o futebol nasceu. Foi lá que algumas destas situações se manifestaram pela primeira vez. Aprendamos, de vez, com os erros dos outros.

Pelo presente, e sobretudo pelo futuro do Sporting Clube de Portugal!

Sporting Sempre!

Comité Executivo

Associação de Adeptos Sportinguistas, AAS

www,aasporting.com

Há cada argumento, essa do Hamburger estar a dois pontos do primeiro lugar ... nós estamos a quantos? E já agora um dos primeiros do campeonato alemão é quem (além do Bayern)? E qual foi o percurso dessa equipa de há uns anos para cá? E como é que chegou tão depressa ao topo? Ainda acusam a actual direcção de demagogia ...

O que se quer fazer ver, com a o exemplo do Hamburgo sv é que um clube que é uma associação sem  SAD pode competir de igual para igual com outros  que têm. Acho que é facil de perceber...digo eu!!!
penso Sporting...logo existo!!!
Há cada argumento, essa do Hamburger estar a dois pontos do primeiro lugar ... nós estamos a quantos? E já agora um dos primeiros do campeonato alemão é quem (além do Bayern)? E qual foi o percurso dessa equipa de há uns anos para cá? E como é que chegou tão depressa ao topo? Ainda acusam a actual direcção de demagogia ...

É esse o único comentário que tens a fazer ao comunicado?

Concordas que seja apresentada uma reestruturação decisiva para o futuro do clube a apenas 6 meses das eleições, condicionando em grande medida o próximo mandato?

Concordas que a 6 meses das eleições seja novamente apresentada aos sócios uma reestruturação que já foi sujeita a AG e recusada pelos sócios?

Parece-te bem passar para a SAD o poder de negociação dos direitos televisivos, sendo um dos principais accionistas da SAD a empresa com a qual vamos ter que negociar?

Não te parece também demagogia que seja noticiada a redução do passivo em 100M€, quando 55 desses 100 correspondem na realidade à contracção de mais passivo (VMOCS), com a agravante de conduzirem, de forma encapotada, à redução da presença do clube na SAD?


Claro que é bigfoot!

Ao resto não lhe interessa fazer comentários. Pegou por ali porque é a única ponta por onde ele pode pegar para desviar a conversa.

Dizer que esta direcção reduziu o passivo em 100 M€ não é demagogia - é pura e simplesmente mentira!
Há cada argumento, essa do Hamburger estar a dois pontos do primeiro lugar ... nós estamos a quantos? E já agora um dos primeiros do campeonato alemão é quem (além do Bayern)? E qual foi o percurso dessa equipa de há uns anos para cá? E como é que chegou tão depressa ao topo? Ainda acusam a actual direcção de demagogia ...

É esse o único comentário que tens a fazer ao comunicado?

Concordas que seja apresentada uma reestruturação decisiva para o futuro do clube a apenas 6 meses das eleições, condicionando em grande medida o próximo mandato?

Concordas que a 6 meses das eleições seja novamente apresentada aos sócios uma reestruturação que já foi sujeita a AG e recusada pelos sócios?

Parece-te bem passar para a SAD o poder de negociação dos direitos televisivos, sendo um dos principais accionistas da SAD a empresa com a qual vamos ter que negociar?

Não te parece também demagogia que seja noticiada a redução do passivo em 100M€, quando 55 desses 100 correspondem na realidade à contracção de mais passivo (VMOCS), com a agravante de conduzirem, de forma encapotada, à redução da presença do clube na SAD?





Qual é o problema da restruturação (não sei se será decisiva, é importante sem dúvida) ser apresentada agora? Ela só passará se os sócios quiserem. Issso é válido agora, como daqui a uma ano, como daqui a dois anos. A actual direcção pensa que esta é a melhor solução para o clube, por isso apresentou-a. Uma direcção serve para isto mesmo para apresentar soluções para os problemas e implementá-las caso tenha o poder para tal. Isto não é nenhuma manobra eleitoral, até porque os dois pontos em questão são polémicos e muito longe de recolher unanimidade entre os sócios. Manobra eleitoral era se viesse anunciar a contratação de alguma "truta" para o futebol.
O que foi recusado pelos sócios não foi a mesma proposta (a outra englobava a passagem do estádio e academia para a SAD). Quanto ao termo recusar acho mal empregue, pois a maior parte dos sócios até estava de acordo ... só que os estatutos obrigam uma maioria qualificada. A lei do aborto tambem foi referendada duas vezes, por isso não vejo mal nenhum a direcção propor uma 2ª vez alguns dos pontos que foram "recusados" na 1ª vez, desde que sinta que exista uma maioria que concorda com a direcção, parece-me lógico que faça isso.
Já disse anteriormente que tudo o que diz respeito ao futebol deve ser gerido pela SAD, o que inclui óbviamente os direitos televisivos. Quanto a um dos accionistas da SAD ser um dos possiveis fornecedores desse serviço ... são as leis do mercado que têm este grande inconveniente ético mas que acontecem nos negócios em geral e não no futebol em particular (e o Sporting não é caso único). Tambem será fácilmente auditável se o Sporting recusar uma proposta mais vantajosa de outro fornecedor deste tipo de serviços. Que eu saiba quando o Sporting negociou os direitos televisivos, a SportTV era a melhor proposta (se é que havia outra ...).
Não é demagogia é um facto, diminuiu-se o passivo, perde o clube poder de decisão. Se isso é bom ou mau ...  para mim é uma possivel solução. Conforme já disse anteriormente, quem investe em alguma coisa, é porque acredita que essa coisa vai ter sucesso e vai lhe dar retorno. Por isso não me deixa aprensivo, o Sporting não ter a maioria na SAD. Até porque acredito que essas acções vão ficar espalhadas e não vão para alguem em particular, o que torna muito menos provavel uma hostilização ao clube por parte de algum accionista. Depois tambem acho que ninguem em seu perfeito juizo, tentará algo de hostil contra o cluibe sabendo o fanatismo que o desporto (especialmente o futebol) acarreta e que certamente em caso de conflito iria ter graves problemas pessoais com esse tipo de atitude.
A "nova" reestruturação financeira delineada para o SCP

Como é do conhecimento público, o presidente da Direcção do Sporting Clube de Portugal apresentou os seus planos para a reestruturação financeira do clube. Anunciado como um novo plano, importa recordar que em anterior Assembleia-Geral as medidas agora propostas foram recusadas pelos associados do Sporting Clube de Portugal. Razão pela qual aparecem de novo, camufladas num “novo” plano de reestruturação financeira.

O “novo” plano assenta em dois pontos basilares :

1. Emissão de VMOCs (Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis) no valor de 55 M€, por parte da Sporting, SAD

2. Passagem dos direitos televisivos da Sporting Comércio e Serviços do clube para a SAD a troco de 55M€1.

É crucial para o futuro do Sporting Clube de Portugal que todos entendam o que está em causa, antes de criticarem ou manifestarem apoio a estas medidas.

A figura das VMOCs obriga o emitente – Sporting SAD, no caso – a proceder ao reembolso do valor em espécie, na data de vencimento. No caso, propõe-se que o reembolso seja efectuado através da entrega de acções da Sporting SAD. Se for tido em conta o valor actual do capital social da Sporting SAD – 40M€, facilmente se percebe que o Sporting deixará de ter qualquer hipótese de ter a maioria do capital da SAD após o vencimento das VMOCs.

A emissão de VMOCs foi objecto de decisão na Assembleia Geral de Maio de 2008, ou seja, há menos de um ano.

Aliada a esta operação, surge a “venda” dos direitos televisivos da Sporting Comércio e Serviços à Sporting SAD no valor de 55M€. Valor este utilizado, posteriormente, para abater o passivo do clube. É ainda de realçar que um dos accionistas da Sporting SAD detém o monopólio de negociação dos direitos televisivos nos campeonatos profissionais portugueses.

Mais uma vez, esta deliberação foi levada à consideração dos associados do Sporting na assembleia magna de Maio de 2008. A direcção do clube pretende colocar novamente a votos esta mesma medida. E, mais uma vez, se impõe a pergunta: porquê nova deliberação quando esta já foi a votos?

Paralelamente, prepara-se um Congresso Leonino onde um dos temas em análise é precisamente o “Modelo de Sustentabilidade Financeira do clube”.

Não será legítimo que os associados pretendam dar valor a esse mesmo Congresso e adiar eventuais medidas desta dimensão para depois do Congresso? Não será de esperar moções interessantes por parte dos diversos associados que permita outro tipo de plano de reestruturação financeira para o Sporting Clube de Portugal?

Não será também legítimo respeitar as decisões anteriormente tomadas em Assembleia-Geral do clube (o orgão máximo do Sporting Clube de Portugal) pelos sócios ?

Nós, na AAS, exigimos que tal orgão estatutário seja respeitado e não sejam tomadas, pelo menos até final deste mandato, medidas hipotecárias do futuro do Sporting Clube de Portugal.

Nós, na AAS, não nos revemos num clube-empresa onde os associados se tornam meros consumidores com as nefastas consequências que daí advêm : 27.000 sócios efectivos com as quotas em dia e uma grave crise de "militância". Com as dramáticas situações que outros clubes-empresa atravessam nos dias de hoje – Chelsea à venda, Newcastle United abandonado por anterior dono, por exemplo. Veja-se o exemplo do Hamburger SV. Clube que compete na exigente Liga alemã mas que, evitando a “entrada do negócio no seu futebol”, se mantém hoje apenas como uma Associação e compete pelos primeiros lugares da I Liga Alemã – está actualmente a apenas dois pontos do I classificado.

Nós, na AAS, vemos as SADs como uma imposição legal como forma de aumentar o rigor e a transparência na gestão dos clubes em Portugal e não o contrário.

“Porque o futebol deve ser um desporto de alta-competição gerido como um negócio e não o contrário” – Andy Durnham, Secretário de Estado do Desporto em Inglaterra. Declaração emitida em Londres, no Congresso da organização Supporters Direct para a qual a AAS foi convidada.

Foi lá que o futebol nasceu. Foi lá que algumas destas situações se manifestaram pela primeira vez. Aprendamos, de vez, com os erros dos outros.

Pelo presente, e sobretudo pelo futuro do Sporting Clube de Portugal!

Sporting Sempre!

Comité Executivo

Associação de Adeptos Sportinguistas, AAS

www,aasporting.com

Há cada argumento, essa do Hamburger estar a dois pontos do primeiro lugar ... nós estamos a quantos? E já agora um dos primeiros do campeonato alemão é quem (além do Bayern)? E qual foi o percurso dessa equipa de há uns anos para cá? E como é que chegou tão depressa ao topo? Ainda acusam a actual direcção de demagogia ...

O que se quer fazer ver, com a o exemplo do Hamburgo sv é que um clube que é uma associação sem  SAD pode competir de igual para igual com outros  que têm. Acho que é facil de perceber...digo eu!!!

Se era esse o caso, podias ter ido buscar o Barcelona.
Há cada argumento, essa do Hamburger estar a dois pontos do primeiro lugar ... nós estamos a quantos? E já agora um dos primeiros do campeonato alemão é quem (além do Bayern)? E qual foi o percurso dessa equipa de há uns anos para cá? E como é que chegou tão depressa ao topo? Ainda acusam a actual direcção de demagogia ...

É esse o único comentário que tens a fazer ao comunicado?

Concordas que seja apresentada uma reestruturação decisiva para o futuro do clube a apenas 6 meses das eleições, condicionando em grande medida o próximo mandato?

Concordas que a 6 meses das eleições seja novamente apresentada aos sócios uma reestruturação que já foi sujeita a AG e recusada pelos sócios?

Parece-te bem passar para a SAD o poder de negociação dos direitos televisivos, sendo um dos principais accionistas da SAD a empresa com a qual vamos ter que negociar?

Não te parece também demagogia que seja noticiada a redução do passivo em 100M€, quando 55 desses 100 correspondem na realidade à contracção de mais passivo (VMOCS), com a agravante de conduzirem, de forma encapotada, à redução da presença do clube na SAD?


Claro que é bigfoot!

Ao resto não lhe interessa fazer comentários. Pegou por ali porque é a única ponta por onde ele pode pegar para desviar a conversa.

Dizer que esta direcção reduziu o passivo em 100 M€ não é demagogia - é pura e simplesmente mentira!

Bastava teres esperado uns minutinhos ...
O que foi recusado pelos sócios não foi a mesma proposta (a outra englobava a passagem do estádio e academia para a SAD). Quanto ao termo recusar acho mal empregue, pois a maior parte dos sócios até estava de acordo ... só que os estatutos obrigam uma maioria qualificada. A lei do aborto tambem foi referendada duas vezes, por isso não vejo mal nenhum a direcção propor uma 2ª vez alguns dos pontos que foram "recusados" na 1ª vez, desde que sinta que exista uma maioria que concorda com a direcção, parece-me lógico que faça isso.

Olhe que não Dr. Moura, olhe que não! Na AG de 30 de Maio não tiveram coragem para tanto...8)

Trata-se apenas de um lapso de memória ou de um whisful thinking?

Acho bem a comparação com o referendo sobre o aborto. Existem bastantes semelhanças...
O que foi recusado pelos sócios não foi a mesma proposta (a outra englobava a passagem do estádio e academia para a SAD). Quanto ao termo recusar acho mal empregue, pois a maior parte dos sócios até estava de acordo ... só que os estatutos obrigam uma maioria qualificada. A lei do aborto tambem foi referendada duas vezes, por isso não vejo mal nenhum a direcção propor uma 2ª vez alguns dos pontos que foram "recusados" na 1ª vez, desde que sinta que exista uma maioria que concorda com a direcção, parece-me lógico que faça isso.

Olhe que não Dr. Moura, olhe que não! Na AG de 30 de Maio não tiveram coragem para tanto...8)

Trata-se apenas de um lapso de memória ou de um whisful thinking?

Acho bem a comparação com o referendo sobre o aborto. Existem bastantes semelhanças...

A proposta da passagem do estádio para a SAD foi falada tal como estas agora. O que foi levado à assembleia geral foi diferente, tal como o que poderá vir ser levado à própria assembleia geral possa a vir ser diferente. Tal como na politica há propostas que se lançam e que depois podem ir à votação com alterações ou até com artigos retirados, não é preciso ser Dr, para perceber isso.

Quanto à semelhança com a lei do aborto nenhuma, quanto à analogia é um exemplo perfeito.