NOVA EXPRESSÃO reforça participação na SAD Sporting

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

E tens dúvidas que encostados à parede, se não aparecer nenhuma alternativa, estes aprovam a venda das acções? Não se vendeu já o património não desportivo?
Mas o que é que cu tem a ver com as calças?
São questões manifestamente diferentes!
Citar
São questões manifestamente diferentes!

Achas? Mas estavam ambas no programa eleitoral do actual presidente. Portanto, ele se quiser pode dizer que tem todo o direito de o propor aos sócios, e se estiverem todos a dormir ainda se aprova em AG para que seja o Conselho Leonino a aprovar a venda das acções, como se fez com a venda do património não desportivo. Tenho a certeza que se arranja maneira de dourar a pílula.
FORÇA LEÕES!!
Citar
São questões manifestamente diferentes!

Achas? Mas estavam ambas no programa eleitoral do actual presidente. Portanto, ele se quiser pode dizer que tem todo o direito de o propor aos sócios, e se estiverem todos a dormir ainda se aprova em AG para que seja o Conselho Leonino a aprovar a venda das acções, como se fez com a venda do património não desportivo. Tenho a certeza que se arranja maneira de dourar a pílula.
Estava no programa eleitoral que ele ia vender acções até que o Sporting Clube de Portugal perdesse a maioria do capital?
É isso que estamos a discutir, correcto?

Eu encaro como uma pequena luz ao fundo do túnel...

Eu espero é que não seja o comboio...
Entre delegar a decisão da venda de património não desportivo e a perda de controlo da SAD há uma grande diferença. Não acredito que tal coisa seja aprovada de ânimo leve e a única possibilidade que vejo para isso passar em AG é a mesma não ser noticiada e, como tal, os sócios não comparecerem.
SPORTING SEMPRE!

Uma paixão para além da verde e branca:

Citar
Estava no programa eleitoral que ele ia vender acções até que o Sporting Clube de Portugal perdesse a maioria do capital?
É isso que estamos a discutir, correcto?

Sim. Se a memória não me falha estava mesmo no programa eleitoral. E se não estava, pelo menos falou nisso em mais do que uma entrevista, inclusive na que deu ao Trio de Ataque, da RTPN. Aliás, foi o Rui Oliveira e Costa que preparou a introdução desse tema, de modo a que falar numa coisa dessas fosse "normalíssima". FSF já disse mais do que uma vez que o Sporting não "precisa" de ter 50% do capital da SAD, ou mais, mas que não podia falar nisso já, para não ter problemas com a CMVM, e que quando houvesse novidades di-lo-ía. O que pressupõe que está a tratar disso. É assim, ou não é? Não creio ter compreendido mal.

Nesta matéria sou muito pessimista e contra, por causa do tipo de agentes que se movimentam no mercado. Se se encontrasse investidores sérios e de longo prazo, era óptimo. Mas isso é "wishful thinking", porque quem tem capital em Portugal são especuladores, que só trariam ainda mais instabilidade ao futebol do Sporting. Alguém gostava de ter um Joe Berardo, mesmo que do "Sporting", a interferir no futebol do clube? Se um sujeito destes conseguiu desestabilizar completamente o maior banco privado português, imagine-se o que poderia suceder ao futebol do Sporting se levasse com um "tubarão" destes... ^-^
FORÇA LEÕES!!
Acho que se lerem bem esta noticia, é fácil de ver que começam a haver manobras de fundo para que se possa mais tarde ou mais cedo, ter um grupo com força suficiente no universo acionista para no futuro poder concorrer contra a corja que está lá.

Pedro Baltazar (não, não conheço pessoalmente), é um homem que já mostrou grande sportinguismo e até safou o clube em momentos de aflição financeira, se está a fazer isto, ao contrário do que o Morpheus está a dizer, não é para tentar lucrar seja o que for (só otários investem em clubes tugas a espera de lucro, para isso investe-se na Brisa ou na EDP), mas sim para adquirir mais força nos meandros da oligarquia.

Há muita gente aqui a pedir alternativas, no meu entender (posso estar a ser lirico) começa a desenhar-se uma, quanto tempo vai demorar, ou se se vai deixar comprar por lugares no "status quo" ou noutro posto qualquer, logo veremos.

Eu encaro como uma pequena luz ao fundo do túnel...

Eu disse o que disse de maneiro irónica. Queria simplesmente demostrar que uma pessoa de créditos firmados não investiria numa empresa que alegadamente está tão mal.   
     
« Última modificação: Janeiro 08, 2008, 18:25 pm por Morpheus »
Acho que se lerem bem esta noticia, é fácil de ver que começam a haver manobras de fundo para que se possa mais tarde ou mais cedo, ter um grupo com força suficiente no universo acionista para no futuro poder concorrer contra a corja que está lá.

Pedro Baltazar (não, não conheço pessoalmente), é um homem que já mostrou grande sportinguismo e até safou o clube em momentos de aflição financeira, se está a fazer isto, ao contrário do que o Morpheus está a dizer, não é para tentar lucrar seja o que for (só otários investem em clubes tugas a espera de lucro, para isso investe-se na Brisa ou na EDP), mas sim para adquirir mais força nos meandros da oligarquia.

Há muita gente aqui a pedir alternativas, no meu entender (posso estar a ser lirico) começa a desenhar-se uma, quanto tempo vai demorar, ou se se vai deixar comprar por lugares no "status quo" ou noutro posto qualquer, logo veremos.

Eu encaro como uma pequena luz ao fundo do túnel...

Eu disse o que disse de maneiro irónica. Queria simplesmente demostrar que uma pessoa de créditos firmados não investiria numa empresa que alegadamente está tão mal.   
     
Sim. Se a memória não me falha estava mesmo no programa eleitoral.
Descupa, mas não estava!
O que FSF sempre disse é que veria com bons olhos a alienação de algum capital da SAD (que o Sporting detinha) para atraír novos investidores.
Nunca, repito, nunca se pôs a hipótese de o clube perder o controlo da SAD.
Além da aprovação dos sócios, teria de haver uma alteração profunda dos estatutos para permitir algo semelhante.
Sim. Se a memória não me falha estava mesmo no programa eleitoral.
Descupa, mas não estava!
O que FSF sempre disse é que veria com bons olhos a alienação de algum capital da SAD (que o Sporting detinha) para atraír novos investidores.
Nunca, repito, nunca se pôs a hipótese de o clube perder o controlo da SAD.
Além da aprovação dos sócios, teria de haver uma alteração profunda dos estatutos para permitir algo semelhante.

E eu a pensar que quando se entra em bolsa ficasse exposto a uma opa!? Criticar portanto a venda de acções é estéril e perfeitamente inutil. Ao haver intervenção por parte dos sócios esta deveria ter acontecido aquando da decisão de entrar em bolsa mas nunca agora.
As accões da SAD, no final do 1º semestre de 2007, estavam assim "distribuídas":

- Sporting SGPS, SA - 60%

- Sporting Clube de Portugal - 16,3%

- Sportinveste (Joaquim Oliveira) - 10%

- Nova Expressão - 3,8% (Reforçou de 4,21% para 6,12% no final do ano passado, numa operação de compra fora de bolsa...)

O restante pertence a pequenos accionistas, incluindo José Maria Ricciardi, um dos maiores nesta categoria.


http://www.sporting.pt/IncSporting/pdf/investor_relations/Rel%20e%20Contas%2006-07.pdf

http://www.record.pt/noticia.asp?id=770498&idCanal=24
FORÇA LEÕES!!
Sim. Se a memória não me falha estava mesmo no programa eleitoral.
Descupa, mas não estava!
O que FSF sempre disse é que veria com bons olhos a alienação de algum capital da SAD (que o Sporting detinha) para atraír novos investidores.
Nunca, repito, nunca se pôs a hipótese de o clube perder o controlo da SAD.
Além da aprovação dos sócios, teria de haver uma alteração profunda dos estatutos para permitir algo semelhante.

A alienação que FSF defendeu (e creio que continua a defender, apesar de dourar um pouco mais a pilula) é a redução até aos 40%, idealmente, ou até aos 50,1 se os sócios não deixarem passar a primeira.

Quem nunca colocou a hipotese do clube perder o controlo da SAD foi FSF, porque se "agarra" à legislação actual, que prevê uma protecção a quem tenha acções tipo A (que no caso da SAD só pode ser o Sporting), embora seja publico que isso vá mudar em breve, ou porque dá o exemplo de outras empresas (deu o da PT), "esquecendo-se" de referir a tremenda dispersão de capital, que se traduz pelo facto do maior accionista não chegar a ter 10% de acções.

E já nem vale a pena comentar o facto do patrimonio imobiliário desportivo, o tal que era "intocável", passar para a SAD, deixando assim o Sporting de ser dono de quase 50% dele. É só seriedade!!!

Bom, a verdade é que se algo assim passa em AG, não seria já grande surpresa para mim!
...
Bom, a verdade é que se algo assim passa em AG, não seria já grande surpresa para mim!

Nao e dificil que passe. A maior parte das pessoas nao entendera o que se esta a passar, e alem disso vai , primeiro, ouvir um discurso algures entre o catastrofico e o suavizante, e depois, ser colocada perante o 'ou isto e vamos ter uma equipa para lutar na Europa, ou entao e a catastrofe e o diluvio universal'. Ah, e o FSF ameacara tambem que nao se candidata as eleicoes.
No meu mundo imaginário o Sporting contracta o ... blah, nao contracta ninguem porque de certeza um dos juniores da academia e melhor.
Sim. Se a memória não me falha estava mesmo no programa eleitoral.
Descupa, mas não estava!
O que FSF sempre disse é que veria com bons olhos a alienação de algum capital da SAD (que o Sporting detinha) para atraír novos investidores.
Nunca, repito, nunca se pôs a hipótese de o clube perder o controlo da SAD.
Além da aprovação dos sócios, teria de haver uma alteração profunda dos estatutos para permitir algo semelhante.

A alienação que FSF defendeu (e creio que continua a defender, apesar de dourar um pouco mais a pilula) é a redução até aos 40%, idealmente, ou até aos 50,1 se os sócios não deixarem passar a primeira.

Quem nunca colocou a hipotese do clube perder o controlo da SAD foi FSF, porque se "agarra" à legislação actual, que prevê uma protecção a quem tenha acções tipo A (que no caso da SAD só pode ser o Sporting), embora seja publico que isso vá mudar em breve, ou porque dá o exemplo de outras empresas (deu o da PT), "esquecendo-se" de referir a tremenda dispersão de capital, que se traduz pelo facto do maior accionista não chegar a ter 10% de acções.

E já nem vale a pena comentar o facto do patrimonio imobiliário desportivo, o tal que era "intocável", passar para a SAD, deixando assim o Sporting de ser dono de quase 50% dele. É só seriedade!!!

Bom, a verdade é que se algo assim passa em AG, não seria já grande surpresa para mim!

A mim nem me faz tanta confusão a venda de parte do capital da SAD, desde que o Sporting não fique com menos que 50% (é uma barreira psicológica muito forte). Basta ver o caso do Benfica (a nível nacional) e de clubes ingleses como o Manchester (esse até foi comprado)...

O que mais me preocupa em todo este processo é o aumento de capital proposto por Soares (pouco) Franco, passando a Academia e o Estádio para a SAD. Alienando as acções da SAD é como se estivéssemos a vender as duas infraestruturas...

É caso para perguntar: quando já não tivermos nem estádio, nem academia, nem um campo pelado para jogarmos, será que já podemos começar a apostar no capital humano?!