Aikido

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

27-07-2015
Alvalade recebeu mestre Corralini


No passado fim-de-semana, a secção de aikido recebeu um estágio de três dias do mestre Paolo Corralini, sendo já o terceiro ano que acede a esta iniciativa.

Paolo Corralini é italiano, dentista e habita na região de Ancona, junto ao mar adriático. Pratica aikido desde 1969 e começou a ensinar em 1974. “Desde os meus 16 anos que sigo os mestres japoneses. Em 1984 tive a felicidade, diria mesmo o milagre, de conhecer o mestre Morihiro Saito que era muito próximo do fundador do aikido, Morihei Ueshiba – vivia a quatro quilómetros de sua casa e viveu 25 anos, durante 24 horas por dia, com Ueshiba. Então era ele quem estava mais perto do mestre e foi ele quem, depois da morte de Ueshiba, tinha maiores possibilidades de passar a mensagem aos discípulos, tal e qual como Ueshiba a propôs. Quando o conheci no Japão comecei a ir lá um a dois meses por ano até à sua morte, em 2012. Seguia-o muito pelo Mundo e fiquei com a missão de manter intacta a mensagem da modalidade”, refere Paolo Corralini.

A mensagem do aikido – uma arte marcial não competitiva que consiste em melhorar a técnica e mudar individualmente para, depois, colectivamente, mudar o Mundo – difere em dois tipos: a tradicional – ensinada por Corralini – e a moderna. O mestre italiano explica as diferenças.

“Se traduzirmos ‘tradição’ significa conduzirmos algo sem modificarmos através dos anos. Muita gente diz que o aikido deve estar em contínuo movimento e por isso é aceitável a sua evolução. É uma teoria que também pode ser aceite. Mas quem pensa no modo tradicional pensa que o seu criador era um génio, e que criou uma arte marcial maravilhosa seja do ponto de vista técnico seja do ponto de vista espiritual; uma mensagem para o Mundo inteiro, de paz, de amor, de ordem, de fraternidade e de respeito pela religião. Penso, e por sorte não sou o único, que não é possível mudar uma arte que já por si é perfeita, por isso mantenho-a tradicional e deste modo mantemos a mensagem inicial intacta, tal como era”, avança.

Paolo Corralini viaja duas a três vezes pelos 17 países que, actualmente, segue a mensagem tradicional do aikido. “É uma questão de descoberta. As pessoas veem este aikido e enamoram-se; pesquisam pela internet e ganham interesse e aos poucos vão importando o aikido tradicional. Está em crescendo o interesse do aikido tradicional que reporta ordem onde há caos”, finaliza.

Quantos aos mestres ‘leoninos’, Jorge Costa e José Croca, a iniciativa ajuda em muito à evolução da modalidade em Portugal. “Vai ajudar a modalidade. É um dos mestres mais conceituados do Mundo, esteve muitos anos ao lado do mestre que esteve mais próximo do fundador”, diz o primeiro. José Croca agradeceu ao Clube ‘leonino’ a colaboração no evento. “Se não fosse o Sporting nunca conseguiríamos verbas para trazer o mestre Paolo Corralini, pelo que só podemos agradecer à direcção o apoio prestado. Aliás o aikido sempre teve um ‘cantinho’ nas instalações do Clube o que é de louvar”, referiu o mestre que já pratica a modalidade desde 1988. “Estou no Sporting há 20 anos. Felizmente consegui criar escola porque eu saio e tudo continua”, finaliza.

http://www.sporting.pt/Noticias/Modalidades/OutrasModalidades/notoutrasmod_aikidocorralini_270715_152428.asp