Andebol

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Não sou de "bater no ceguinho" ... Mas o Magalhães é horrível... Este lance é ridiculo ... Podendo a equipa empatar...
Vá lá, deu para ganhar à rasca...
Estamos bem encaminhados.
Não sou de "bater no ceguinho" ... Mas o Magalhães é horrível... Este lance é ridiculo ... Podendo a equipa empatar...

Nem no Porto tem jogado alguma coisa, mas há jogadores que são convocados pelo estatuto e ele é um deles.

Mas depois de no jogo passado ter visto o André Gomes (outro jogador do fecepe, coincidências) a jogar a lateral-direito já acredito em tudo.
Citar
Portugal sofreu mas venceu

A Seleção Nacional de andebol voltou a competir e venceu os dois primeiros jogos da fase de apuramento para o Campeonato da Europa de 2020, primeiro em casa, com a Roménia (21-13), depois na Lituânia (23-24).

Neste segundo encontro, a equipa das Quinas chegou ao intervalo com os acontecimentos controlados, a vencer por dois, mas depois teve de se deparar com a reação dos homens da casa, que até estiveram a ganhar por quatro bolas. Após um pedido de paragem do tempo de jogo por Paulo Jorge Pereira, a formação lusa deu a volta e venceu. Destaque para as exibições de Gilberto Duarte (sete golos em oito remates) e Alfredo Quintana (14 defesas e um golo).


O Jogo

porco só venceu por 1 em braga
"É um orgulho estar no Sporting. Quem não conhece o Sporting sabe muito pouco de futebol"  Tales  3-9-2010
Fruteiros a eliminar os favoritos alemães... c 1 jogo quase perfeito
Fruteiros a eliminar os favoritos alemães... c 1 jogo quase perfeito


Bom para Portugal, parabéns aos frutas.
Querem expulsar me. Mas não se importam de continuar a ca ter o tal user dakine, o tal que fazia parte da área de influência de pedro madeira rodrigues e depois virou para o ex presidente quando lhe cheirou a tacho e após levar chuto num jantar onde amigos meus da juventude popular estiveram, voltou a ficar contra ele. Eu não preciso disso. Tenho coluna.. Ah e ja agora fica a informação que ele chegou a ser militante da JP tambem, mas abandonou depois.
Citar
Gigantes!
Por Francisco Reis - 26/11/2018

O Sporting, o Porto e o Madeira Sad conseguiram seguir em frente nas competições europeias. Prestações gigantes para as equipas portuguesas que têm agora mais trabalho pela frente. O Benfica não teve a mesma sorte e foi eliminado da Taça EHF.

O Sporting nem precisou de jogar as duas finalíssimas que completavam o calendário da fase de grupos da Liga dos Campeões. Bastou uma frente ao Besiktas Mogaz para levar os leões à próxima fase da prova – um feito inédito, que nenhuma equipa portuguesa alcançou até hoje no novo formato da competição. O Tatran Presov acabou por ser derrotado pelo Chekhovski Medvedi, antecipando o apuramento dos verde e brancos, que asseguraram o 2º lugar do grupo. Agora falta o playoff de acesso aos 1/8 de final.

O rendimento do Sporting na prova é, de facto, espetacular – em nove jogos, registaram sete vitórias e duas derrotas (ambas em casa), e um total de 276 golos marcados (segundo melhor registo do grupo) e 248 sofridos (terceira melhor defesa do grupo) – um saldo positivo de 28 golos.

O caminho até agora é impressionante e destaco, ainda, a posição de Carlos Ruesga na lista de melhores marcadores. O espanhol é o 8º jogador com mais golos da Liga dos Campeões, com 46 tentos (16% dos golos do Sporting): um pilar essencial do plantel, treinado por Hugo Canela.

O Benfica e o Porto tinham uma tarefa muito complicada na 3ª eliminatória da Taça EHF.

O Porto, ao contrário daquilo que seria esperado, conseguiu virar a eliminatória frente ao 2º classificado da Bundesliga, Magdeburg, e apurar-se para a fase de grupos. Uma exibição de excelência premiou os dragões com uma vitória por 34-27. Os alemães, que já venceram a Liga alemã e eram favoritos, traziam uma vantagem de 3 golos do 1º jogo, mas o Porto mostrou um andebol de excelência e de grande eficácia. O Magdeburg foi finalista da Taça EHF no ano passado, ficando, nesta fase, pelo caminho. Com base naquilo que o Porto mostrou nesta eliminatória, é justo dizer que a equipa portuguesa pode ter uma palavra a dizer nesta competição.

O Madeira Sad também tem motivos para festejar. Os madeirenses venceram os dois jogos da 3ª eliminatória e garantiram um lugar nos 1/8 de final da Taça Challenge. Frente ao JD Techniek Hurry-Up, o Madeira Sad venceu por 21-37 no 1º jogo e por 32-28 no 2º –domínio da equipa portuguesa, com um resultado bastante expressivo no agregado das duas mãos (69-49).

Já o Benfica foi eliminado pelo Hannover-Burgdorf, que ocupa o 10º lugar da Bundesliga. Os alemães venceram o 1º jogo da eliminatória por cinco golos, o que acabou por sentenciar as águias – um empate no 2º jogo a 33 golos não serviu para o Benfica seguir em frente na prova.

A prestação das equipas portuguesas é, até agora, muito positiva: o Sporting apresenta o maior destaque ao alcançar uma vitória inédita do andebol português. É um grande sinal para o futuro. O Porto tinha uma tarefa quase impossível, mas conseguiu surpreender o Magdeburg e chegar à fase de grupos da Taça EHF, contrariando a teórica superioridade dos alemães. O Madeira Sad correspondeu às expetativas e o Benfica acabou por cair perante outra equipa alemã, o Hannover-Burgdorf.


Bola na Rede
Intervalo: fruteiros, 13 x toupeiras, 9.
Citar
CAMPEÕES DA EUROPA COM AJUDA LEONINA
Por Sporting CP
03 Dez, 2018
ANDEBOL EM CADEIRA DE RODAS
Rui Rodrigues e Serghei Mitrofan foram os atletas do Sporting presentes

A selecção nacional de andebol em cadeira de rodas conquistou este fim de semana o Torneio Europeu da modalidade ao vencer na final a congénere croata por 20-7.

Com os leões Rui Rodrigues e Serghei Mitrofan sempre em grande destaque, a selecção nacional culminou a prova 100% vitoriosa tendo vencido até a final as selecções da Holanda, Hungria e novamente a Croácia. A treinadora da equipa do Sporting CP/CP Messines também esteve integrada na equipa técnica nacional e ajudou Portugal a conquistar o mais alto patamar do andebol em cadeira de rodas a nível europeu, tendo o representante da EHF a elogiado trabalho levado a cabo nesta modalidade.

É de recordar que equipa de andebol em cadeira de rodas é actual vice-campeã nacional e vencedora da Taça de Portugal. No dia em que festejamos o 4º aniversário do Gabinete Paralímpico do Sporting Clube de Portugal, são mais 3 os leões a entrarem na história como campeões da Europa.


https://www.sporting.pt/pt/noticias/modalidades/desporto-paralimpico/andebol-em-cadeira-de-rodas/2018-12-03/campeoes-da-europa

Gilberto e Alexis Borges no Montpellier, no próximo ano.
Grande humilhaçao contra a dinamarca, infelizmente o Mikkel Hansen estava em modo deus....
"Eu posso não ter escrito SPORTINGUISTA na testa mas tenho no coração"

Lloris; Pavard, Varane, Umtiti, Hernández; Kanté, Pogba, Matuidi; Mbappé, Griezmann, Giroud; Tolisso, N'Zonzi, Fekir - Merci (15/07/2018, Moscou)
Vitória incontestável da Dinamarca, que muda o paradigma do andebol europeu e mundial com a conquista de um título inédito sem um lateral direito canhoto.
Introduziram variantes à forma como se ataca que podem marcar uma era no andebol...
Mikkel Hansen finalmente a assumir dentro de campo, sem margem para dúvidas, porque é o Lebron do andebol...e Niclas Landin a tornar as balizas mais pequenas do que as de hóquei em patins.
A juntar a tudo isso...o que sempre deu campeonatos...a defesa!
Noruega com muito para dar nos próximos anos com 4 jogadores de topo...Sagosen, Rod, Jondal (simplesmente fantástico) e o Bjornsen . Precisam arranjar um GR de topo e alguém que substitua o Myrhol com a mesma qualidade pois certamente vai abandonar a seleção.
Citar
Noruega 22-31 Dinamarca: À quarta é que é de vez
Por Francisco Reis - 27/01/2019

A Dinamarca levou a melhor no encontro que colocou pela primeira vez estas duas seleções frente a frente numa final do mundial. Num jogo com um nível elevadíssimo, Mikkel Hansen e companhia conseguiram conquistar este título inédito para a Dinamarca, na 4ª final disputada pela equipa dinamarquesa.

Nenhuma das seleções era uma estreante em finais do campeonato do mundo apesar de nunca terem conquistado o troféu. A Noruega jogava a sua 2ª final na história das 26 edições desta competição.

A primeira parte iniciou-se com Mikkel Hansen a falhar um livre de 7 metros na primeira jogada do jogo. Os dinamarqueses não desanimaram e foram correndo atrás da Noruega, tendo chegado à vantagem aos seis minutos (3-4). Enorme equilíbrio das duas seleções finalistas, a apresentarem enorme dinâmica ofensiva e combatividade.

No decorrer do jogo, a Dinamarca conseguiu-se distanciar demonstrando maior eficácia nos momentos chave. A Noruega passou por uma fase menos boa em que permitiu aos adversários colocarem-se na frente por 4 golos aos 13 minutos (5-9). O treinador da seleção norueguesa, Berge, reagiu e pediu o primeiro timeout do encontro. A equipa melhorou animicamente e diminuiu a desvantagem mas a seleção Dinamarquesa estava determinada em conquistar o primeiro campeonato do mundo da sua história. A primeira parte não correu bem à Noruega e isso refletia-se no marcador.

Ao intervalo a Dinamarca vencia por 11-18 e o vencedor já se adivinhava. Uma primeira metade sem erros da equipa da casa, que não deu grandes hipóteses aos jogadores noruegueses. A noruega apresentou grande dificuldade em marcar golos e em criar situações de seis metros em zonas centrais, tentando solucionar muitas vezes nas pontas.

A segunda parte começou com o equilíbrio que já se tinha sentido no início do jogo, com a eficácia dinamarquesa, e com uma enorme exibição do guarda-redes, Niklas Landin. A seleção norueguesa não apresentou melhorias justificativas de uma surpresa no jogo.

Aos 15 minutos da segunda parte a Dinamarca aplicou um parcial de 6-0 à Noruega, que sentenciou uma possível reviravolta no marcador. A coesão defensiva e a excelência ofensiva dinamarquesas acabaram por “esmagar” a seleção da Noruega. Apesar de ser uma excelente equipa, ter realizado um Mundial brilhante e muitas soluções, não se conseguiram mostrar à altura desta Dinamarca que já merecia um campeonato do mundo. O jogo terminou 22-31 – uma vitória justa e por uma vantagem que espelha o que se passou ao longo da partida. O melhor marcador da Dinamarca foi Mikkel Hansen com sete golos e uma exibição de gala enquanto o da Noruega foi Joendall com 10 golos marcados.

Foi à 4ª final disputada que a Dinamarca conquistou este troféu depois de se ter mostrado superior a todas as seleções que enfrentou na competição.

No jogo que decidia o 3º e o 4º lugar, a França derrotou a Alemanha e assegurou a medalha de bronze, depois de ter vencido os últimos dois campeonatos do mundo de andebol.


Bola na Rede
Há rumores de q o conhecido René Toft Hansen tem proposta dos lamps para a próxima época
Our culture is not for sale..! Sporting Sempre