Política Nacional

coelho scp e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Camarate, um mistério que vai ficar por resolver

Citar
O Augusto Cid deixou-nos na passada semana. Para muitos portugueses Augusto Cid foi um dos principais, senão o principal, cartoonista em Portugal depois do 25 de Abril. A objectividade e o humor dos seus desenhos, publicados em diferentes jornais como a Vida Mundial, o Diabo, o Independente, o Sol, assim como na TVI, eram inconfundíveis e tinham o mérito de nos fazer reflectir sobre o conceito do bem e do mal, e sobre os comportamentos humanos, seja quando revelavam mérito e deviam ser elogiados, seja quando eram reprováveis e deviam ser censurados. Este percurso talentoso como cartoonista iniciou-se nos EUA, onde frequentou o curso dos liceus, tendo depois passado a entregar os seus desenhos sobre política americana, a um pequeno jornal chamado “Laguna Beach”. Regressado a Portugal, e utilizando por regra os seus desenhos, publicou mais de trinta livros, entre 1975 e 2016.


Mas Augusto Cid notabilizou-se também como escultor, tanto de grandes como de pequenas obras, sempre marcadas por um pormenor e simbolismo cativante. Exemplos de esculturas suas encontra-se uma homenagem às vítimas do 11 de Setembro de 2001, colocada no cruzamento das avenidas de Roma com a dos Estados Unidos da América, em Lisboa, ou a estátua a Nuno Álvares Pereira, colocada na avenida Torre de Belém, em Lisboa, que foi inaugurada pelo Senhor Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em 6 de Novembro de 2016. Devido à sua notável obra como cartoonista e escultor, foi homenageado como comendador da Ordem do Infante D. Henrique, em 1994.

Essa foi a sua obra pública. Eu tive contudo a sorte de ser seu amigo, e dessa forma conhecer melhor o seu carácter e os valores que defendia. Conheci Augusto Cid em 1983, quando pediu para falar comigo. Sabia que, desde 1980, se dedicava a investigar o que verdadeiramente havia sucedido no desastre de Camarate, onde morreram Francisco Sá Carneiro, Adelino Amaro da Costa, o meu irmão António Patrício Gouveia e mais quatro acompanhantes. Disse-me que as chamadas “investigações oficiais” não estavam a ser sérias nem rigorosas, tendo-me apresentado vários exemplos dessa realidade. Referiu-me também que se não fossem os familiares das vítimas a interessarem-se por este assunto, e a desenvolverem a sua própria investigação, existia um risco real de ficar para a história uma descrição falsa do que havia sucedido. Aceitei passar a participar nas reuniões de trabalho do grupo de pessoas que se dedicavam a esta investigação, e que incluíam Dinah Alhandra, Alexandre Bettencourt, José Ribeiro e Castro, José Luís Ramos, Marcelo Rebelo de Sousa, Jorge Xavier de Brito, Rosário Carneiro, Manuela Vaz da Silva Pires e mais tarde, Ricardo Sá Fernandes. Foi realizado um trabalho profundo e rigoroso de investigação, que se prolongou de 1981 a 2015, data em que terminou a X Comissão Parlamentar de Inquérito sobre Camarate.

Durante esses mais de 32 anos, tive oportunidade de apreciar a determinação e a honestidade de Augusto Cid nesta luta pela descoberta da verdade. Logo em 1982 recebeu uma proposta, dada por um director de informação da RTP, para deixar as investigações sobre Camarate, e passar a trabalhar em Paris. Nessa proposta de trabalho foi-lhe também entregue um cheque, tendo-lhe sido dito que o podia depositar na sua conta bancária, depois de o preencher com o número de zeros que entendesse. Chegado a Paris, constatou que o âmbito do trabalho que lhe era oferecido era inexistente, e que o único objectivo desse convite era que desistisse de investigar Camarate. Decidiu então regressar a Lisboa, tendo também recusado o referido cheque. Tinha assim rejeitado a possibilidade de se tornar rico, a troco de deixar de seguir os seus princípios.

Tendo recebido, logo em 1981, um convite de Vera Lagoa para trabalhar no Jornal “O Diabo”, passou a utilizar esse jornal para realizar e divulgar as suas investigações sobre Camarate, o que muito incomodou os responsáveis pela forma deturpada como estavam a ser conduzidas as investigações da Polícia Judiciária. Foi um meio importante de que dispôs, pois de forma clara e persistente, foi demonstrando porquê as chamadas investigações oficiais não tinham qualquer credibilidade, pretendendo apenas classificar esse desastre como um acidente. Realizou contudo essas investigações de forma profunda e rigorosa, de modo a poder falar, com autoridade, sobre o que havia sucedido. Como exemplo desse estudo rigoroso deslocou-se, por sua conta, aos EUA, apenas para adquirir os melhores livros e estudos sobre acidentes na descolagem de pequenas aeronaves. Tornou-se assim num conhecedor deste assunto.

Não se amedrontou também perante a Polícia Judiciária que, desde 1980, defendia e pretendia divulgar a teoria de que Camarate havia sido um simples acidente, porque alguém havia roubado a gasolina contida na asa esquerda do avião Cessna. Com efeito, teve que se submeter a interrogatórios da Polícia Judiciária que pretendiam, de forma intimidatória, que Augusto Cid aceitasse a tese do acidente sobre Camarate. Chegaram a referir que corria a risco de ser preso pela forma como estava a realizar as suas investigações. Augusto Cid soube contudo responder tranquilamente, com base no estudo rigoroso que havia realizado, o que impediu a Polícia Judiciária de encontrar incoerências no seu testemunho. Não foi uma experiência fácil, mas o seu carácter e integridade permitiram não só que respondesse de forma coerente a esses interrogatórios, como a prosseguir, nos anos seguintes, o seu trabalho de apuramento da verdade.

Em 1986, a Comissão Parlamentar de Inquérito sobre Camarate, recebeu uma carta da NTSB – National Transportation Safety Board, que é a principal instituição norte-americana na investigação de acidentes aéreos, enviada pela embaixada dos EUA em Lisboa. Referia essa carta que o avião Cessna havia caído por ter excesso de peso, dando por encerrada a investigação deste caso, sem mais explicações. Augusto Cid considerou que esta carta era suspeita e não se afigurava correcta, pelo que decide ir, em Outubro de 1986, à sede do NTSB, em Washington. Aí mostrou a um seu directorcópia da suposta carta do NTSB, ao que o seu interlocutor referiu que essa carta não era verdadeira e que ao constatar esse facto de tão grande gravidade, tinha que dar por concluída a reunião. Augusto Cid ficou então a saber que alguém com responsabilidade ligado aos EUA queria transmitir a mensagem de que Camarate tinha sido um acidente, utilizando o nome da NTSB. Esta circunstância nunca teria sido descoberta sem o empenho e a iniciativa de Augusto Cid.

Estes são apenas alguns exemplos da persistência e dedicação de Augusto Cid sobre a investigação realizada acerca das causas da queda do avião em Camarate. Sem Augusto Cid este desastre teria, para sempre, sido descrito como um mero acidente, e os portugueses teriam vivido com uma mentira relativamente à morte do seu Primeiro-Ministro e Ministro da Defesa Nacional. Sacrificou a profundamente a sua vida profissional e financeira para conseguir divulgar a verdade, como sucedeu nomeadamente com a SIC, com o Jornal Expresso, e com todas as publicações do grupo Impresa, onde deixou de poder trabalhar devido ao conflito que mantinha com Francisco Pinto Balsemão relativamente a Camarate. E adoptou este comportamento determinado devido à sua luta pela verdade, mas também pela admiração que mantinha particularmente por uma das vítimas: Francisco Sá Carneiro. Não conheço muitas pessoas que prefiram ser prejudicadas em vez de cederem nos seus princípios. Mas se hoje os portugueses sabem que Francisco Sá Carneiro, Adelino Amaro da Costa, António Patrício Gouveia e demais acompanhantes morreram devido a um atentado, após os trabalhos de dez Comissões Parlamentares de Inquérito, devem-no a Augusto Cid.

Augusto Cid era uma pessoa integra, de carácter e determinada, mas sempre tranquila e afável com as pessoas com quem lidava. Mas dedicava também uma grande importância e atenção à sua família, tendo, conjuntamente com a sua mulher, conseguido tornar feliz as suas três filhas e cinco netas.

Deixou-nos na passada semana, mas permanecerá para sempre, entre os que o conheceram, o seu exemplo de honestidade intelectual e de coragem na luta pelos seus ideias. Obrigado, Augusto Cid.

https://observador.pt/opiniao/o-meu-amigo-augusto-cid/
A questão não é tornar qualquer mobilidade ao mesmo preço até porque seria impossivel.

A questão é a discriminação consoante a localização. As pessoas que se movem de carro ( fora das areas metropolitanas são quase todas) não só não foram ajudas como foram preudicadas com um brutal aumento dos impostos nos combustiveis.

Se o objectivo é esse então o exemplo é ridículo, porque o foco estar em quem se da ao luxo de trabalhar a 50km do local de trabalho sem ter qualquer tipo de transporte até lá sem ser o carro e só receber 700€ por mês é simplesmente uma má decisão de vida, com muitos ou poucos impostos sobre o combustível.

Por que não dizem que não concordam com os impostos sobre combustíveis porque da desvantagem na praticalidade do dia-a-dia a quem faz a sua vida fora das cidades onde tudo está à distância de carro e não a pé ou de outro transporte.

Continuas sem ver o ponto e tens um completo desconhecimento da realidade portuguesa e da quantidade de pessoas que usam o carro para fazer distancias de 20/30km para cima a ir para o trabalho.

Isto para não falar que o metro de lisboa já é caótico. Quero ver como fica agora com o aumento de procura.

São muitas? São... demasiadas. Estão mal habituados. Existe uma razão que faz as pessoas procurarem casa perto das zonas com estação de metro ou autocarro ou etc de onde se possam daí deslocar para o emprego (se este for numa grande cidade), em Portugal e em todo o lado.

Sobre o metro sobrelotado, isso é um problema de quem gere a empresa. Se calhar os bilhetes e passes são demasiado baratos ou se calhar já faziam estações mais funcionais e menos “obra de arte” (só que fica bem também para a malta se pavonear aos turistas de possuírem um metro com tal beleza nas suas estações ;D ).

Mal habituadas?? Que raio...

Mas é assim tão estranho trabalhar a 30 km de distancia de casa?
Seja porque a mulher trabalhar num lado e o marido noutro, por terem ordenados baixos e terem de arranjar casa mais barata na periferia das cidades, preferirem viver fora da cidade.

Mas agora tem de estar tudo encafuado ao monte dentro das cidades? Era só o que faltava. Até porque seria incomportável. É mais que normal haver mobilidade e as pessoas poderem trabalhar num sitio e viverem noutro.

Sim, mal habituados. Sol na eira e chuva no nabal. Morarem longe e pagarem tanto pra se deslocar quanto quem mora perto ou morarem perto e pagarem tanto para morar lá quanto quem mora longe com uma casa/apartamento do mesmo tamanho e com as mesmas comodidades. Not possible. Tem que se escolher de acordo com as prioridades de cada um.

Existem inclusivamente rankings de competitivas entre capitais europeias onde se avaliam os preços da habitação e etc para definir níveis de competitividade. Há capitais europeias, Londres, Oslo e Estocolmo à cabeça, onde o preço da habitação é a tal ponto elevado que se torna um facto desvantajoso para empresas de determinados ramos, por exemplo o tecnológico... ou pagam os olhos da cara para recrutar malta ou então as pessoas vão procurar emprego noutra capital europeia/noutro lado. Ora, e por que é que isto acontece se, segundo a tua lógica, bastava irem todos morar a 30km de distância ou mais e deixavam de existir estes problemas. Devias tentar um cargo na área de planeamento urbano na comissão europeia.
Olha ai @Paracelsus , o quão os Portugueses estão mal habituados  :lol: :lol: :lol: :lol:

Ai gastam mais combustivel per capita do que cá  :lol: :lol:

https://www.nationmaster.com/country-info/stats/Energy/Gasoline/Road-sector-gasoline-fuel-consumption-per-capita/Kg-of-oil-equivalent

https://www.nationmaster.com/country-info/stats/Energy/Road-sector-diesel-fuel-consumption/Kt-of-oil-equivalent-per-million

Países muito grandes em área ou cheios de papel vão ter elevados consumos, não é preciso pensar muito pra chegar aí.

Depois falta aí um factor não descrito, podem fazer as contas por total de carros em cada país em vez de capita, se calhar da outra ideia da coisa.
E por que é que quem usa carro não há-de ser prejudicado em relação a quem usa transporte? Mas tanta conversa com o não sei quê do ambiente e depois criticam-se medidas de carácter ambientalista (não vou entrar na conversa da utilização real desses recursos posteriormente)? Até parece que Portugal é um país gigantesco onde se tem obrigatoriamente de percorrer grandes distâncias a toda a hora.

Sabes o que é? Os portugueses estão mal habituados, é o que é. Eu sei que se calhar este statement não entra verdadeiramente porque às vezes é preciso estar de fora um tempo até isto entrar, mas é como os franceses que também estão (ou estavam) mal habituados (em relação a outros aspectos, claro) e vão ter de acordar para a realidade.

 Decisão de carácter ambientalista? Nem tu acreditas no que afirmas. De carácter eleitoralista. Quanto ao ambiente, aos veículos automóveis, este Governo veio criticar a opção por automóveis a gasóleo e posteriormente autoriza o Estado a comprar automóveis a gasóleo, para veres bem o quão preocupados estão com o ambiente.

 É o erro da tua análise, vês esta decisão de um ponto de vista estrutural, quando ela é meramente eleitoralista.

 Os portugueses estão é cansados de pagar impostos e terem um Estado cada vez mais degradado, cada vez mais a falhar no seu papel e cada vez mais a consumir despesa. Isso sim, é que realmente cansa e mói o português.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
E por que é que quem usa carro não há-de ser prejudicado em relação a quem usa transporte? Mas tanta conversa com o não sei quê do ambiente e depois criticam-se medidas de carácter ambientalista (não vou entrar na conversa da utilização real desses recursos posteriormente)? Até parece que Portugal é um país gigantesco onde se tem obrigatoriamente de percorrer grandes distâncias a toda a hora.

Sabes o que é? Os portugueses estão mal habituados, é o que é. Eu sei que se calhar este statement não entra verdadeiramente porque às vezes é preciso estar de fora um tempo até isto entrar, mas é como os franceses que também estão (ou estavam) mal habituados (em relação a outros aspectos, claro) e vão ter de acordar para a realidade.

 Decisão de carácter ambientalista? Nem tu acreditas no que afirmas. De carácter eleitoralista. Quanto ao ambiente, aos veículos automóveis, este Governo veio criticar a opção por automóveis a gasóleo e posteriormente autoriza o Estado a comprar automóveis a gasóleo, para veres bem o quão preocupados estão com o ambiente.

 É o erro da tua análise, vês esta decisão de um ponto de vista estrutural, quando ela é meramente eleitoralista.

 Os portugueses estão é cansados de pagar impostos e terem um Estado cada vez mais degradado, cada vez mais a falhar no seu papel e cada vez mais a consumir despesa. Isso sim, é que realmente cansa e mói o português.

Se ainda fosse verdade o que disseste, só que não, em praticamente todos os países a taxa sobre o diesel tem vindo a aumentar em crescendo desde 2015, não apenas por ser considerado tecnologia obsoleta para o futuro como considerada a parte ambiental da coisa. Não quero com isto dizer que esteja plenamente de acordo, mas é garantido que um dos argumentos mais fortes contra o diesel é o ambientalista... e eu também tenho um carro diesel comprado ha 2 anos, e depois?
Se ainda fosse verdade o que disseste, só que não, em praticamente todos os países a taxa sobre o diesel tem vindo a aumentar em crescendo desde 2015, não apenas por ser considerado tecnologia obsoleta para o futuro como considerada a parte ambiental da coisa. Não quero com isto dizer que esteja plenamente de acordo, mas é garantido que um dos argumentos mais fortes contra o diesel é o ambientalista... e eu também tenho um carro diesel comprado ha 2 anos, e depois?

 Estou apenas a apontar a contradição do Governo. Nada mais. Por mim, enquanto existir automóveis a diesel no mercado, qualquer cidadão pode o comprar, no pleno uso da sua liberdade.

 Esta decisão de baixar o preço dos passes sociais é tão em prol do ambiente, como aquela criação dos taxas verdes que vinham encapotadas como em prol do ambiente e fazendo parte da política do Governo de outrora. Uma decisão é meramente eleitoralista e outra somente para aumentar a receita, tudo medidas avulso que até encaixa na retórica sobre o ambiente.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
O movimento 5.7 é claramente uma mais valia. Precisamos de mais think-tanks a pensar politicas de direita em Portugal. Há em tantos países, até na america lanina (no chile - fundacion para el progresso), organizações destas pro-liberalismo e aqui na pasmaceira ... nada.

O movimento tem bons pensadores e pessoas competentes.

Está a ser agora a apresentação do manifesto, ao qual só não fui por falta de agenda.

Fica aqui(ainda não li): https://cincopontosete.pt/wp-content/uploads/2019/03/manifesto.pdf

E um bom texto do JMT sobre https://www.publico.pt/2019/03/23/politica/opiniao/movimento-57-abalo-politica-cristaleira-1866453

Mudando de assunto, então a assunção cristas anda-se a prestar a estas palhaçadas? Completamente degradante. Miserável. f***-**. (link do video no site - https://www.publico.pt/2019/03/23/politica/opiniao/diario-1866502)

Citar
O que julga ela que está a fazer? O que julga ela que está a fazer, quando aceita ir a um programa da “noite lisboeta” tão deprimente como o Cabaré da Coxa? O que julga ela que está a fazer, quando aceita que lhe chamem milf (para quem não saiba, e ela declarou toda contente que sabia, milf significa o seguinte: mother I’d like to fuck) e ouve, com toda a tranquilidade, os piores palavrões da língua? O que julga ela que está a fazer, quando depois de uma entrevista pró-forma a obrigam a engolir uma arenga de Pedro Abrunhosa sobre o populismo e, a seguir, a ignoram até ao fim do programa?

Não consigo perceber esta mulher, dando de barato que tem uma inteligência média. O CDS não pode e não deve procurar na liberdade de costumes uma respeitabilidade de “esquerda” de que não precisa e que só o pode prejudicar. Assunção Cristas e a sua incompreensível direcção tentaram ser “modernos” e vão acabar tristemente sem os votos do PSD com que contavam. Nenhum partido pode encarnar a modernidade, porque todos existem no tempo. O que Assunção Cristas, de facto, fez hoje foi degradar a sua condição política e com ela, também, a condição dos políticos.




Mais do mesmo.



Liberalismo contra o Centralismo?... Talvez não deixar esquecer que o Liberalismo eclodiu no sec XIX na defesa de modelos precisamente Centralistas considerados progressistas ante o "Descentralismo" dos caciques locais rotulados de Feudais e Reacionários... Só para lembrar que os Liberais eram bem centralistas e que isso era ser progressista... Reformar a administração pública numa perspetiva Centralista era um projeto Liberal... Só para lembrar...  :whistle:
"É fraqueza entre ovelhas ser Leão." (Lusíadas, I-68)
Mais do mesmo.



Liberalismo contra o Centralismo?... Talvez não deixar esquecer que o Liberalismo eclodiu no sec XIX na defesa de modelos precisamente Centralistas considerados progressistas ante o "Descentralismo" dos caciques locais rotulados de Feudais e Reacionários... Só para lembrar que os Liberais eram bem centralistas e que isso era ser progressista... Reformar a administração pública numa perspetiva Centralista era um projeto Liberal... Só para lembrar...  :whistle:

Estás a falar de um centralismo diferente.
O BE e o PCP marcaram presença na manifestação dos professores a mostrar solidariedade para com os mesmos. Há sempre estas hipocrisias destes dois partidos políticos, dado que este Governo existe porque eles assim o entenderam na Assembleia da República. Que cata-ventos políticos.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Citar
O Benfica e o seu presidente Luís Filipe Vieira anunciaram que vão processar a eurodeputada Ana Gomes depois de, em entrevista ao jornal Record, ter dito que “há um passado de delinquência ligado” ao presidente do clube vermelho e branco. Segundo o Diário de Notícias, que avança a notícia citando fonte oficial do Benfica, Ana Gomes vai ser alvo de uma queixa por alegadas “calúnias, falsas declarações e difamação” após ter apontado o dedo a Luís Filipe Vieira e ter defendido o hacker Rui Pinto — que ficou em prisão preventiva esta 6.ª feira pela alegada prática de seis crimes envolvendo o Sporting e a empresa Doyen.

O cidadão LFV foi CONDENADO POR ROUBO, em tribunal. E acrescento que foi o único dos réus que não se mostrou arrependido dos actos cometidos.
Ana Dias apenas se limitou a recordar um facto que é do conhecimento de todos. E estes pulhas vão por-lhe um processo por "calúnias, falsas declarações e difamação".  :rotfl:
Raça asquerosa e retardada, esta dos rabolhos.

Na volta já limpou o cadastro nos registos da justiça.

E a Ana Gomes ainda se arrisca a ser condenada por difamação.

Só lhes falta mesmo isso reescrever a história.

Portugal caminha directamente e abertamente para isto.



Vieira 04/04/2017

" Lentamente temos estado a colaborar em unir o Sporting. Vamos ignora lo " em relação a Bruno de Carvalho.

"Brunismo" expressão usada 1º por Pedro Guerra no Prolongamento.


E a diferença é:



Fácil deduzir qual é o homem do camião e qual o do tanque...  :whistle:
« Última modificação: Março 25, 2019, 19:39 pm por Erdos »
"É fraqueza entre ovelhas ser Leão." (Lusíadas, I-68)
Mais do mesmo.



Ui, tomara eu que o maior problema de viver no interior fosse o transporte ser apenas automóvel (que na maioria dos casos é verdade).  :lol:

Isso serve mais para atacar Lisboa com um aparente passar a mão pela cabeça do interior. Provavelmente feito por alguém que não vive no interior.
“A lot of football success is in the mind. You must believe you are the best and then make sure that you are.” - Bill Shankly
 Esse quadro já está desactualizado. O nepotismo é muito mais profundo do que o que vemos à superfície.

 Reflitamos. É o que o BE pede ao Governo. Também me parece o mais adequado. 
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Mais do mesmo.



Ui, tomara eu que o maior problema de viver no interior fosse o transporte ser apenas automóvel (que na maioria dos casos é verdade).  :lol:

Isso serve mais para atacar Lisboa com um aparente passar a mão pela cabeça do interior. Provavelmente feito por alguém que não vive no interior.

Não deixa de ser verdade que há um fluxo de fundos do interior, onde nem sequer há transportes públicos (Viseu não tem sequer linha férrea, por exemplo), para financiar a variedade e oferta de transportes públicos no Litoral.

Outro exemplo que podia ser dado, dividir o custo das auto-estradas pelos quilómetros percorridos e comparar o preço nas zonas metropolitanas face ao resto do país.

Ou ver a enorme oferta de habitação social nas mesmas zonas metropolitanas, enquanto no resto do país os restantes cidadãos suportam um peso do IMI que é absolutamente obsceno face à riqueza que é gerada com muita dificuldade em zonas menos favorecidas economicamente.

No fundo, nas grandes metrópoles o Estado dá tudo. Fora daí, cada um por si. Democracia, dizem eles.





Outra nota: o ano passado tive que gramar com o bazófias do PM a vangloriar-se da efectividade das suas medidas relativamente ao combate aos fogos, depois dos desastres de Pedrógão e Centro do País no ano anterior. Qualquer pessoa com 2 dedos de testa percebe que chovendo o verão todo com alguma recorrência, até os inúteis que lá estavam o ano anterior tinham dado conta do recado.

Neste momento vejo ao lado de casa uma coluna de fumo, andam mais de 100 bombeiros em Cantanhede (novamente, tem sido todos os anos) e ao avião que já lá andava juntam-se agora mais 2 que passaram mesmo agora por cima de mim.

Estamos em Março. Mais Pedrógãos se aproximam, infelizmente. E porque era bom que parassem de gozar com o pagode, se calhar está mesmo na altura de caírem os governos que tiverem a cair até isto mudar, sejam eles rosa, laranja ou às pintinhas. Área ardida não exijo que se resolva, mas se em Março estamos assim, espero não haver mais nenhuma desgraça no verão, porque isto tem tudo, a humidade é quase nula e esta semana tivemos ventos terríveis, isto se pega nessa altura, ninguém segura fogo nenhum. Em Março.

Meteram-se em bicos de pés quando não passou de um mérito conjuntural. E isso agora vai rebentar nas mãos.
- You're a real stone player, aren't you, Ma? You threatened to smother his children.
- What does that mean?
- You know, everyone thought Dad was the ruthless one. But I gotta hand it to you. If you'd been born after those feminists, you woulda been the real gangster.
- I don't know what you're talking about!
Mais um avião a passar, agora é fácil, são 1/2 dúzia de fogos no país inteiro, estava tudo a coçar os tomates, mobiliza-se a malta toda.

O problema será quando houverem 3 ou 4 fogos no mesmo distrito, em que cada um deles tem mais de 700 homens de efectivo, como aconteceu no distrito de Aveiro há 3 anos. Aí nem 100 aviões vão resolver o problema.

Uma nota positiva: tem havido algum enforcing relativamente à aplicação das distâncias de segurança em termos de limpeza das matas e arboredos perto de parques habitacionais. Talvez este "abrolhos" fora da época sirva para dar moral e acabar o que falta.
- You're a real stone player, aren't you, Ma? You threatened to smother his children.
- What does that mean?
- You know, everyone thought Dad was the ruthless one. But I gotta hand it to you. If you'd been born after those feminists, you woulda been the real gangster.
- I don't know what you're talking about!


É obviamente uma questão de Mérito... Ou algum ingénuo acredita que há maior Mérito do que ser "bem nascido"..., o que evidentemente varia com a aristocracia própria de cada regime, e os regimes vão mudando... Mas há sempre uma aristocracia, mais ou menos velada, que constitui a classe ou estrato dirigente...  :whistle:
"É fraqueza entre ovelhas ser Leão." (Lusíadas, I-68)
Está encontrado o Espadinha deste partido e governo de lampiões.

Tanto insulto só porque o Sérgio Conceição não cumprimentou  o herói dele.








Depois disto lá veio o croquete amigue do partido xuxalista e colega do parlamento europeu em defesa do seu compincha.







Não será certamente coincidência que no partido xuxalista só haja lampiões e croquetes.
« Última modificação: Março 31, 2019, 15:04 pm por Green Lion 1906 »
Vieira 04/04/2017

" Lentamente temos estado a colaborar em unir o Sporting. Vamos ignora lo " em relação a Bruno de Carvalho.

"Brunismo" expressão usada 1º por Pedro Guerra no Prolongamento.