Wiki Sporting - a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções

Randolph Galloway

Da Wiki Sporting, a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal
Ir para: navegação, pesquisa
Dados de Randolph Galloway Galloway.jpg
Nome: Randolph Galloway
Nascimento: 22 de Dezembro de 1899
Naturalidade: Sunderland - Inglaterra
Posição: Treinador
Escalão Época Clube Obs. Jogos V E D Titulos
1929/30 Sp.Gijon
1930/31 Sp.Gijon
1931/32
1932/33
1933/34
1934/35
1935/36
1936/37
1937/38
1938/39
1939/40
1940/41
1941/42
1942/43
1943/44
1944/45
1945/46
1946/47
1947/48
1948/49
1949/50 Young Fellows Zurich
1ª Divisão 1950/51 SPORTING 31 21 5 5 Campeonato Nacional
1ª Divisão 1951/52 SPORTING 36 25 3 8 Campeonato Nacional
1ª Divisão 1952/53 SPORTING 32 22 5 5 Campeonato Nacional
1953/54
1ª Divisão 1954/55 V.Guimarães
Total = 99 68 13 18

Randolph Galloway jogou como avançado em equipas como Sunderland Tramways, Derby County, Nottingham Forest, Luton Town e Coventry City, antes de se transferir para o Tottenham na época de 1928/29, mas uma lesão acabou por o impedir de se afirmar naquele grande clube londrino. Terminou então a sua carreira de jogador no Grantham Town.

Em Novembro de 1929 mudou-se para Espanha, onde iniciou a sua carreira de treinador no Sporting Gijon, passando mais tarde pelo Racing Santander e pelo Valência.

Posteriormente esteve na Costa Rica e no Uruguai onde treinou o Penarol antes de regressar à Europa para trabalhar na Suíça.

Chegou ao Sporting já com 50 anos quando, após o abandono de Peyroteo, tinha sido interrompido um ciclo de três títulos consecutivos, e recolocou a equipa no caminho das vitórias, conquistando o segundo tri-campeonato do Clube, ao mesmo tempo que fazia a renovação da equipa.

Contou inicialmente com a colaboração de Fernando Vaz e mais tarde de Álvaro Cardoso, lançando na equipa jogadores como Passos, Juca, Carlos Gomes, João Martins, Caldeira e Joaquim Pacheco que transformou em defesa esquerdo, numa altura em que alguns históricos como Manecas, Azevedo, Juvenal, Veríssimo, Canário e Jesus Correia iam pendurando as botas, mas mesmo assim conseguiu manter a equipa na senda vitoriosa que tinha habituado os seus adeptos, apesar dos falhanços na Taça Latina.

Saiu em 1953 porque quis, e fê-lo pela porta grande como um verdadeiro cavalheiro britânico respeitado por todos, deixando a conclusão do tetra para a dupla que lhe sucedeu, constituída por Tavares da Silva e Joseph Szabo.

Regressou a Portugal um ano mais tarde para orientar o Vitória de Guimarães, onde no entanto não foi bem sucedido ficando ligado à descida de divisão dos vimaranenses.

Faleceu a 19 de Outubro de 1958.

To-mane 15h55min de 14 de Março de 2009 (WET)