Wiki Sporting - a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções

Paulo Bento

Da Wiki Sporting, a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal
Ir para: navegação, pesquisa
Dados de Paulo Bento Paulo Bento.jpg
Nome: Paulo Jorge Gomes Bento
Nascimento: 20 de Junho de 1969
Naturalidade: Lisboa - Portugal
Posição: Médio e Treinador
Escalão Época Clube Jogos Golos Titulos Internacionalizações
S17 S19 S21 BB AA Golos
3ª Divisão 1988/89 Fut. Benfica
1ª Divisão 1989/90 E.Amadora Taça de Portugal
1ª Divisão 1990/91 E.Amadora
1ª Divisão 1991/92 V.Guimarães 1 0
1ª Divisão 1992/93 V.Guimarães
1ª Divisão 1993/94 V.Guimarães 1 0
1ª Divisão 1994/95 Benfica 1 0
1ª Divisão 1995/96 Benfica Taça de Portugal 1 0
1ª Divisão 1996/97 Oviedo 5 0
1ª Divisão 1997/98 Oviedo
1ª Divisão 1998/99 Oviedo 6 0
1ª Divisão 1999/00 Oviedo 11 0
1ª Divisão 2000/01 SPORTING 37 0 Supertaça 3 0
1ª Divisão 2001/02 SPORTING 40 2 Campeonato Nacional
Taça de Portugal
6 0
1ª Divisão 2002/03 SPORTING 34 1 Supertaça
1ª Divisão 2003/04 SPORTING 14 0
Total = 125 3 35 0
Escalão Época Clube Jogos V E D Titulos
Juniores 2004/05 SPORTING 36 26 6 4 Campeonato Nacional
Juniores 2005/06 SPORTING Campeonato Nacional
1ª Divisão 2005/06 SPORTING 32 22 6 4
1ª Divisão 2006/07 SPORTING 42 27 10 5 Taça de Portugal
1ª Divisão 2007/08 SPORTING 56 32 10 14 Supertaça
Taça de Portugal
1ª Divisão 2008/09 SPORTING 46 30 6 10 Supertaça
1ª Divisão 2009/10 SPORTING 18 7 9 2
Selecção A 2010/11 FPF
Selecção A 2011/12 FPF
Selecção A 2012/13 FPF
Selecção A 2013/14 FPF
Selecção A 2014/15 FPF
Total J=
Total = 194 118 41 35

Paulo Bento começou a jogar nas camadas jovens do Palmense, mas foi no Futebol Benfica, um pequeno clube da Capital, que João Alves o descobriu em 1989, levando-o para o Estrela da Amadora.

Na Reboleira esteve duas temporadas e ganhou uma Taça de Portugal, contribuindo de forma decisiva para essa conquista única na história do clube, ao marcar um golo na Finalíssima que o Estrela ganhou por 2-0 ao Farense.

Em 1991 foi contratado pelo Vitória de Guimarães, onde esteve três épocas e confirmou as suas qualidades de médio defensivo muito disciplinado tacticamente e de excelente organizador de jogo, que o levaram à Selecção A, onde se estreou num particular frente à Espanha, disputado a 15 de Janeiro de 1992 que terminou empatado a zero.

As suas excelentes prestações em Guimarães levaram o Benfica a comprar o seu passe em 1994, tendo então conquistado mais uma Taça de Portugal, na trágica final do "very-light".

Depois de duas épocas na Luz, foi vendido ao Oviedo de Espanha, onde se afirmou como titular indiscutível durante quatro temporadas a jogar na liga mais competitiva da Europa, numa altura em que também assegurou um lugar cativo na Selecção Nacional que representou por 35 vezes, tendo estado presente nas fases finais do Europeu de 2000 e do Mundial de 2002.

Já era um líder dentro do campo

Após o Europeu de 2000 numa altura em que foi suspenso pela UEFA, devido ao polémico final do Portugal-França das meias-finais dessa competição, foi contratado pelo Sporting onde encerrou a sua carreira, depois de ter conseguido finalmente sagrar-se Campeão Nacional, conquistando ainda a sua terceira Taça de Portugal e duas Supertaças.

No fim da temporada de 2003/04 quando já tinha perdido o lugar de trinco para Custódio, pendurou as botas e passou então a ser o treinador dos Juniores do Sporting, onde logo na sua primeira época foi Campeão Nacional à frente de um grupo onde pontificavam alguns jogadores que mais tarde lançaria na equipa principal.

A 21 de Outubro de 2005, na sequência da crise que levou Soares Franco à Presidência do Sporting, foi promovido a treinador da equipa principal, substituindo José Peseiro quando ainda nem tinha as habilitações necessárias para orientar um clube das Ligas profissionais.

Impôs rapidamente a sua forte personalidade, disciplinando o balneário e uma adoptando uma filosofia de jogo oposta à do seu antecessor, construindo a equipa de trás para a frente, privilegiando a disciplina táctica e a solidez defensiva.

Conseguiu assim recuperar a equipa, e na sua primeira temporada chegou a discutir os títulos que ainda estavam em disputa, perdendo a Taça de Portugal nas meias-finais por penaltis no Dragão, e o jogo decisivo do Campeonato em Alvalade, em ambos os casos para o FC Porto.

Orientando a equipa

Nas três temporadas que se seguiram ganhou duas Supertaças, duas Taças de Portugal, e repetiu o 2º lugar no Campeonato atingido na época anterior, uma das vezes ficando apenas a um ponto do desejado título, e assim conseguiu o feito inédito de qualificar o Sporting para a Liga dos Campeões três vezes seguidas, tornando-se no treinador com mais jogos disputados pelo Clube nas competições europeias e o segundo com mais tempo à frente da equipa principal e com mais jogos disputados nessa condição, só superado pelo histórico Joseph Szabo.

No dia 4 de Novembro de 2008, conseguiu mais um feito inédito, quando o Sporting garantiu pela primeira vez na sua história a passagem aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, ao vencer em Alvalade o Shakhtar Donetsk por 1-0.

Faltou-lhe o titulo de Campeão, objectivo claramente assumido para a temporada de 2008/09, mas que voltou a falhar. Apesar de já acusar um certo desgaste, provocado por alguns atritos com jogadores a quem não perdoava actos de indisciplina, e pela habitual contestação da parte dos adeptos mais exigentes, que o acusavam de ser demasiado teimoso e se queixavam da qualidade do futebol apresentado pela equipa, Paulo Bento não resistiu aos apelos de José Eduardo Bettencourt que na campanha para as eleições de 2009 lançou o slogan "Bento forever", e renovou o seu contrato com o Sporting por mais duas temporadas, quando já se anunciava o fim do seu ciclo em Alvalade.

A época de 2009/10 começou de uma forma desastrada, e a sucessão de maus resultados e exibições ainda piores, fez crescer a contestação ao treinador e tornou a situação insustentável. Assim no dia 6 de Novembro de 2009 Paulo Bento apresentou a sua demissão do cargo de técnico do Sporting, saindo tal como sempre havia dito, sem cobrar nem um cêntimo para além do seu último dia de trabalho, em mais uma demonstração de grande nobreza e carácter, e com um lugar garantido na história do Sporting Clube de Portugal.

Em 2007 foi distinguido com o Prémio Stromp na categoria Técnico.

Depois de dez meses parado, durante os quais chegou a ser apontado como o provável sucessor de Jesualdo Ferreira no FC Porto, Paulo Bento foi anunciado como o novo Seleccionador Nacional, no dia 21 de Setembro de 2010, substituindo Carlos Queirós, na sequência de um polémico processo que culminou com o desastrado arranque da campanha do Euro 2012, e aceitando a difícil missão de inverter a situação complicada em que se encontrava a Selecção Nacional.

Conseguiu reconstruir a nossa Selecção que levou até ao Europeu de 2012, onde Portugal chegou até às meias finais, sendo eliminado penaltis pela toda poderosa Espanha, depois de um percurso brilhante.

Seguiu-se o apuramento para o Mundial de 2014, que só foi conseguido no play-off e depois de alguns sobressaltos, que não auguravam nada de bom para a fase final que se disputou no Brasil, onde Portugal não passou da fase de grupos.

Apesar destes resultados a FPF renovou o seu contrato com Paulo Bento, atribuindo-lhe a missão de proceder à renovação da Selecção Nacional, na campanha para o Europeu de 2016, mas uma escandalosa derrota com a Albânia em Aveiro, logo no primeiro jogo da fase de qualificação, colocou o Seleccionador numa posição muito difícil e no dia 11 de Setembro de 2014 Paulo Bento rescindiu o seu contrato com a FPF.

To-mane 12h15min de 27 de Janeiro de 2009 (WET)