Skip to main content
Esta página é sobre o jogador de andebol Mário Santos dos anos 1980. Se procura o mesatenista do mesmo nome dos anos 1940, consulte Mário Fernandes dos Santos.
Dados de Mário Santos 8586 MarioSantos.jpg
Nome José Mário Santos
Nascimento 14 de Abril de 1959
Naturalidade Luanda (Angola)
Posição Lateral

Natural de Luanda, os primeiros contatos que teve com o desporto de competição foram na modalidade do Basquetebol, face à sua popularidade na então colónia portuguesa.

Depois do 25 de Abril de 1974, Mário Santos move-se com a sua família para Portugal e foi na equipa de juniores do Liceu de Sao João do Estoril em 1977 que começou a praticar andebol. Pouco tempo depois, transfere-se para o GD Cascais, onde trabalha pela primeira vez com Ângelo Pintado e é ao serviço do Cascais que soma a sua primeira internacionalização por Portugal, sendo chamado aos à selecção de esperanças em 1979/80.

As boas exibições no Cascais começam a valer o assédio de diversos clubes, principalmente Belenenses e Sporting mas a transição dar-se-ia apenas em 1982/83, ingressando no Sporting e conquistando a Taça de Portugal logo na primeira época, apontando quatro golos na final frente ao Encarnação.

Além da sua estatura alta, Mário Santos aliava uma imprevisibilidade de remate a uma forte impulsão para conseguir ultrapassar as defensivas adversárias, constituíndo uma arma importante na primeira linha do Sporting, juntamente com Carlos Franco, Manuel Silva Marques e Fernando Areias.

Depois de conquistar o título nacional em 1983/84 e ter sido considerado o melhor jogador do campeonato nacional na temporada seguinte, é convocado pela primeira vez para a selecção nacional pela mão de Carlos Manita, para participar no Torneio Internacional de Lisboa em 1985. Faria também parte dos seleccionados para o Mundial "C" de 1986.

Em 1986/87, o Sporting sofre uma importante baixa com a sua partida para a Suécia onde se estabelece familiar e profissionalmente, mantendo a atividade no andebol ao serviço do Malmoe, mas regressaria a Portugal para disputar a fase final pelos leões, ajudando a alcançar o segundo lugar no campeonato.

Depois de duas épocas na Suécia, regressa a Portugal para cumprir mais duas temporadas ao serviço do Sporting (1989/90 e 1990/91), radicando-se depois definitivamente na Suécia.

Num total de 7 épocas ao serviço da equipa principal do Sporting, conquistou 2 Campeonatos Nacionais e uma Taça de Portugal.

Visitou Alvalade e a equipa leonina na pré-época de 2010/11, desejando uma boa campanha à equipa então comandada por Paulo Faria, recordando os bons momentos vividos com a camisola verde-e-branca.