Skip to main content
Esta página é sobre o defesa Pacheco (1950-1959). Se procura o extremo esquerdo, Pacheco (1993-1995), consulte António Pacheco. Se procura o avançado, Pacheco (1934/35), consulte Pacheco.
Dados de Joaquim Pacheco Joaquimpacheco.jpg
Nome Joaquim Pedro Pacheco
Nascimento 30 de Março de 1926
Naturalidade Macau
Posição Defesa
Escalão Época Clube Jogos Golos Titulos Internacionalizações
JUV JUN ESP BB AA Golos
1ª divisão 1950/51 SPORTING 9 7 Campeonato Nacional
1ª divisão 1951/52 SPORTING 10 0 Campeonato Nacional
1ª divisão 1952/53 SPORTING 30 0 Campeonato Nacional
1ª divisão 1953/54 SPORTING 0 0
1ª divisão 1954/55 SPORTING 22 0
1ª divisão 1955/56 SPORTING 27 0
1ª divisão 1956/57 SPORTING 18 0
1ª divisão 1957/58 SPORTING 27 1 Campeonato Nacional 1 0
1ª divisão 1958/59 SPORTING 14 0
1ª divisão 1959/60 Leixões
1ª divisão 1960/61 Leixões
1ª divisão 1961/62 Leixões
Total = 157 8 1 1 0

Joaquim Pacheco começou a jogar futebol em Macau no Argonauta, uma colectividade daquela colónia portuguesa da altura, no entanto a guerra paralisou os campeonatos e Pacheco dedicou-se ao "jogo da bolinha", uma variante de futebol de sete, jogada com uma bola mais pequena.

Em 1946 ingressou na Polícia e passou então a jogar pelo grupo Desportivo da Polícia de Macau, onde se evidenciou como um perigoso avançado-centro.

Pacheco chegou a Portugal pelas mãos de António da Conceição, antigo atleta do Sporting, vinha com fama de goleador, numa altura em que o Clube ainda procurava um substituto para Peyroteo.

Estreou-se na equipa de reservas do Sporting num jogo contra o Benfica, e seria também num derby que se viria a estrear na equipa principal, mas na sua primeira época em Portugal apenas fez 9 jogos, nos quais marcou 7 golos, saindo do onze titular após um empate a zero com o Oriental.

No final da época de 1951/52 Randolph Galloway resolveu apostar Pacheco como defesa, e foi nessa posição que o macaense se impôs como titular do Sporting na temporada seguinte, na qual conquistou o seu 3º Campeonato Nacional, mas que terminou da pior forma para ele, quando contraiu uma grave lesão que o afastou dos campos durante mais de um ano.

Regressaria no decorrer da época de 1954/55, acabando por recuperar o seu lugar, e tornando-se internacional A na temporada de 1957/58, numa altura em que conquistou o seu 4º Campeonato Nacional.

Pacheco era um defesa duro do qual por vezes se dizia: "passa a bola não passa o homem, passa o homem a bola fica", e em 1959 terminou a sua ligação de 9 temporadas ao Sporting, com 157 jogos realizados ao serviço do Clube, nos quais marcou 8 golos, prosseguindo a sua carreira no Leixões, onde ainda jogou mais três épocas.

Mais tarde foi treinador adjunto de Mário Lino, antes de regressar a Macau onde durante muitos anos trabalhou no Hotel Lisboa.

Em 2006 foi distinguido com o Prémio Stromp na categoria Saudade.

To-mane 15h59min de 14 de Maio de 2010 (WEST)