Wiki Sporting - a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções

Cristiano Ronaldo

Da Wiki Sporting, a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal
Ir para: navegação, pesquisa
Dados de Cristiano Ronaldo Cristiano Ronaldo.jpgCronaldo2.jpg
Nome: Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro
Nascimento: 5 de Fevereiro de 1985
Naturalidade: Funchal - Portugal
Posição: Avançado
Escalão Época Clube Jogos Golos Titulos Internacionalizações
S16 S17 S18 S19 S20 S21 OLI AA Golos
Escolas 1994/95 Andorinha
Infantis 1994/95 Nacional
Infantis 1995/96 Nacional Campeonato Regional
Infantis 1996/97 SPORTING
Iniciados 1997/98 SPORTING
Iniciados 1998/99 SPORTING
Juvenis 1999/00 SPORTING
Juvenis 2000/01 SPORTING 7 6
Juniores 2001/02 SPORTING 9 6
Total = 7 9 12
2ª B 2002/03 SPORTING B 2 0
1ª Divisão 2002/03 SPORTING 31 5 5 6 3
Premier League 2003/04 Man.United Taça de Inglaterra 4 13 1+2
Premier League 2004/05 Man.United 3 10 2+7
Premier League 2005/06 Man.United League Cup 15 3
Premier League 2006/07 Man.United Premier League 8 5
Premier League 2007/08 Man.United FA Community Shield
Premier League
Liga dos Campeões
12 4
Premier League 2008/09 Man.United Mundial de Clubes
League Cup
Premier League
7 1
1ª Divisão 2009/10 Real Madrid 11 1
1ª Divisão 2010/11 Real Madrid Taça do Rei 5 3
1ª Divisão 2011/12 Real Madrid La Liga 14 9
1ª Divisão 2012/13 Real Madrid Supertaça 9 4
1ª Divisão 2013/14 Real Madrid Taça do Rei
Liga dos Campeões
10 11
1ª Divisão 2014/15 Real Madrid Supertaça Europeia
Total = 2 0
Total = 31 5 5 10 3 114 6+50

Esta é a história do maior emblema da formação do Sporting Clube de Portugal, um menino de origens muito humildes, que nasceu na freguesia de Santo António no Funchal e que só pensava em ser jogador de futebol, de tal forma que pelo seu aniversário a única prenda que pedia era uma bola.

De manhã até à noite a sua vida era jogar futebol e já nessa altura desafiava os mais velhos, tendo mesmo participado em torneios junto com adultos. Essa seria de resto a regra da sua carreira, andar sempre pelo menos um ano à frente em relação aos outros da sua idade.

No último jogo pelo Sporting

Oficialmente começou a jogar Futebol nas escolas do Andorinha, uma pequena colectividade da Madeira onde o seu pai era o roupeiro, mas despertou imediatamente o apetite dos dois maiores clubes da ilha, acabando por ir para o Nacional por influência do seu padrinho. No entanto só lá esteve duas épocas, pois foi logo detectado pela equipa de "olheiros" liderada por Aurélio Pereira e, assim chegou ao Sporting com apenas 11 anos de idade.

Sozinho em Lisboa os seus primeiros anos foram muito difíceis, numa altura em as saudades da família se misturavam com algumas dificuldades de adaptação a uma nova realidade, mas a sua ambição e enorme força de vontade, superaram tudo isso e rapidamente começou a queimar etapas no seu processo de formação, jogando sempre nas equipas do escalão acima do seu e chegando às selecções nacionais jovens.

O seu enorme talento não passou despercebido ao olho clínico de Lazlo Boloni, que o topou mal chegou ao Sporting e o fez alinhar em 5 jogos da pré-época de 2001/02, estreando logo a marcar um golo contra o Atlético. No entanto nessa altura considerou-se que era preferível mantê-lo na equipa de Juniores, pois ele tinha apenas 16 anos e ainda era Juvenil.

Na temporada seguinte o salto foi inevitável. Ainda fez alguns jogos pela Equipa B, que na altura disputava o Campeonato Nacional da 2ª Divisão B, mas foi progressivamente entrando na equipa principal, estreando-se oficialmente no dia 14 de Agosto de 2002, num jogo disputado no Estádio José Alvalade a contar para a pré eliminatória da Liga dos Campeões, em que o Sporting empatou a zero com o Inter de Milão. No final dessa época totalizou 31 jogos oficiais, nos quais marcou 5 golos, números notáveis para um Júnior de primeiro ano, que já começava a despertar o interesse dos grandes clubes europeus.

Na Selecção

Nessa altura também deu um salto nas Selecções, passando directamente dos Juvenis (sub-17) para as Esperanças (sub-20 e sub-21), mas apenas esteve pouco mais de um ano nesses escalões, pois em Agosto de 2003 estreou-se na Selecção Nacional A, entrando na segunda parte de um jogo particular com o Cazaquistão. Daí para a frente passou a fazer parte do grupo de Scolari, tendo sido seleccionado para a fase final do Europeu de 2004 disputado em Portugal, onde assumiu a titularidade numa equipa que chegou à Final dessa competição, na qual foi considerado o melhor jogador jovem e escolhido para o onze ideal do torneio. Tudo isto quando ainda tinha idade de Júnior.

Outro marco na carreira de Cristiano Ronaldo foi a sua passagem pelos Jogos Olímpicos de 2004 que se disputaram em Atenas, onde marcou dois golos, apesar da fraca prestação da nossa Selecção nessa prova.

No entanto o grande salto tinha acontecido um ano antes, quando em de Agosto de 2003, o Sporting ganhou por 3-1 ao Manchester United, no jogo de inauguração do novo Estádio José Alvalade, com Cristiano Ronaldo a dar um verdadeiro festival de bola. Reza a lenda que foram os próprios jogadores do Manchester na viagem de regresso a Inglaterra, a convencer Sir Alex Ferguson a contratar aquele jovem prodígio e, assim o Clube inglês accionou a cláusula de rescisão do seu contrato, que estava fixada no valor de 15 milhões de Euros, levando-o para Manchester, onde lhe foi entregue a mítica camisola 7 do United, que tinha pertencido a jogadores históricos daquele grande clube, como George Best, Brian Robson, Eric Cantona e David Beckham.

Rapidamente Cristiano Ronaldo se impôs na equipa principal do Manchester United, tornando-se na sua grande figura e coleccionando títulos num Clube onde ganhou tudo, ao mesmo tempo que a nível individual ia confirmando o seu talento ímpar de avançado completo, capaz de aliar a técnica à velocidade e à força, que o tornavam num jogador imprevisível e estonteante, ainda por cima dotado de um excelente pontapé e com um faro pelo golo assinalável, isto para além de se ter tornado num especialista na marcação de livres e penaltis e, de até ser capaz de aparecer na área a finalizar de cabeça, graças ao seu porte físico e à sua impressionante impulsão. Tudo isto permitiu-lhe tornar-se numa verdadeira máquina de fazer golos, apesar de não ser propriamente um ponta de lança e de jogar habitualmente decaído para os flancos.

Nessa altura já era um dos jogadores mais influentes da Selecção Nacional, chegando com apenas 21 anos de idade ao seu primeiro Campeonato Mundial, que na ocasião se disputou em 2006 na Alemanha, onde Portugal ficou no 4º lugar e ele foi eleito o 2º melhor jogador jovem do torneio, atrás de Podolski, um jogador da equipa da casa.

Com o troféu da Liga dos Campeões

Na época de 2006/07 foi finalmente Campeão pelo Manchester United, depois de nos anos anteriores já ter ganho uma Taça de Inglaterra e uma Taça da Liga, sendo simultaneamente eleito o melhor jogador da Premier League.

No final do ano de 2007 ficou em 2º lugar na Bola de Ouro do France Football, apenas superado por Kaká e, foi considerado o 3º melhor jogador do mundo pela FIFA, atrás de Kaká e de Messi.

Mas o melhor estava guardado para a temporada seguinte, quando depois de ajudar o Manchester a ganhar a Supertaça de Inglaterra, explodiu verdadeiramente levando o United não só à revalidação do título nacional, mas também à conquista da Liga dos Campeões, sagrando-se como o melhor jogador e o melhor marcador das duas competições, numa temporada onde em 49 jogos marcou 42 golos, 31 dos quais no campeonato, o que lhe valeu a conquista da Bota de Ouro, troféu que consagra o melhor marcador dos campeonatos dos países europeus.

No final do ano de 2007 já tinha sido distinguido com o Prémio Stromp na categoria Especial, como reconhecimento do facto de ser o grande emblema da formação do Sporting Clube de Portugal.

Já como um dos Capitães da Selecção Nacional, chegou à fase final do Europeu de 2008 muito desgastado e com uma lesão que o levou à mesa de operações após a conclusão dessa prova, onde ele tal como Portugal, teve uma actuação um pouco abaixo das expectativas, que se misturou com a polémica à volta de uma hipotética transferência para o Real Madrid, que não se viria a concretizar nessa ocasião.

Mas até porque não houve grandes destaques individuais nesse Europeu, Cristiano Ronaldo recebeu as justas compensações pela espectacular temporada realizada e foi eleito por colegas, jornalistas e treinadores, como o melhor jogador do ano, ganhando sucessivamente os prémios: "Jogador do Ano FIFPro 2008", "Bola de Ouro do France Football 2008" e "Melhor Jogador do Mundo FIFA 2008", isto depois de no final do ano ter contribuído para a conquista do Mundial de Clubes, com a assistência para o golo decisivo de Rooney, numa época onde ainda ao serviço do Manchester United foi tri-Campeão de Inglaterra e voltou a ganhar uma Taça da Liga inglesa.

Com apenas 24 anos Cristiano Ronaldo tinha chegado ao topo do Mundo do Futebol e, agora o mais difícil seria manter-se lá, mas o verdadeiro desafio para ele era o de subir ao patamar acima, aquele onde apenas estão meia dúzia "monstros sagrados" do futebol mundial, daí que tenha forçado a saída para um campeonato onde poderia confrontar-se directamente com Lionel Messi, o único jogador do mundo do mesmo nível do que ele e, com o Barcelona que para muitos era a melhor equipa de futebol de todos os tempos.

Assim a 11 de Junho de 2009 concretizou-se a transferência mais cara de sempre da história do futebol, com o Real Madrid a pagar cerca de 94 milhões € ao Manchester United pelo passe de Cristiano Ronaldo, que se tornou também no futebolista mais bem pago do mundo ao assinar um contrato por seis temporadas, passando a receber cerca de 13 milhões € por época e, no final desse ano voltou a ser o 2º classificado na "Bola de Ouro do France Football", para além de desta vez também ter ficado em 2º lugar no troféu "Melhor Jogador do Mundo FIFA 2009", em ambos os casos atrás de Lionel Messi.

Ainda em 2009 tornou-se no primeiro jogador a ganhar o Prémio Ferenc Puskás, instituído nessa altura pela FIFA para distinguir o golo mais bonito do ano, que na circunstância foi marcado por Cristiano Ronaldo com um remate a 40 metros da baliza, no decorrer de um jogo entre o Manchester United e o FC Porto, a contar para os quartos-de-final da Liga dos Campeões.

No Real Madrid

No sua primeira época em Madrid, Ronaldo marcou 33 golos, mas as suas excelentes prestações individuais não corresponderam a títulos e ele acabou por chegar muito desgastado ao Mundial de 2010, onde após a eliminação de Portugal nos oitavos de final, manifestou algum desagrado pela forma como a equipa jogou, contribuindo para as polémicas que levaram ao despedimento do Seleccionador Carlos Queirós.

Na época seguinte, sob o comando de José Mourinho, conquistou a Taça do Rei, um troféu que o Real Madrid já não ganhava há 18 anos, marcando o golo da vitória, na Final disputada frente ao Barcelona e, estabeleceu um novo recorde de golos no Campeonato espanhol, ao apontar 40, conquistando novamente a Bota de Ouro, numa temporada em que marcou um total de 53 golos, tornando-se no jogador que mais golos marcou numa só época em Espanha, superando o recorde anterior de 49 golos que pertencia ao húngaro Ferenc Puskás.

Na temporada de 2011/12 voltou a superar-se, marcando 46 golos no Campeonato e 60 em todas as competições, levando o Real Madrid à conquista da Liga espanhola, tendo marcado o golo da vitória no jogo decisivo com o Barcelona, que se disputou em Camp Nou.

No final da época voltou a ser uma das grandes figuras de um torneio internacional, ajudando Portugal a chegar às meias-finais do Europeu de 2012, onde foi um dos melhores marcadores da prova, em que a Selecção Nacional só caiu nos penaltis, perante a toda poderosa e futura Campeã Espanha.

Nessa altura estava ao rubro a sua rivalidade com o astro argentino do Barcelona Lionel Messi, que entre 2010 e 2012 conquistou mais 3 Bolas de Ouro, troféu que nesse período ficou sobre a égide da FIFA, fundindo a histórica Bola de Ouro do France Football com o mais recente troféu do Melhor Jogador do Mundo FIFA, mas quer em 2011, quer em 2012, muitos foram aqueles que defenderam que o 2º lugar atribuído a Cristiano Ronaldo era manifestamente curto para as suas magnificas prestações e que não era justo que Messi já tivesse quatro Bolas de Ouro, contra apenas uma de Cristiano Ronaldo.

A época de 2012/13 não foi brilhante para o Real Madrid, mas Cristiano Ronaldo voltou a estar em grande, sendo decisivo para a conquista da Supertaça de Espanha, ao marcar um golo em cada um dos dois jogos dessa competição, em mais um confronto com o Barcelona. Para além disso foi o melhor marcador da Liga dos Campeões com 12 golos apontados, marcando um total de 55 golos, em 55 jogos disputados nessa temporada.

Sócio 100.000

A 28 de Abril de 2013 Cristiano Ronaldo foi apresentado como o sócio número 100 mil do Sporting Clube de Portugal. A novidade surgiu na forma de mensagem em vídeo exibido no intervalo do jogo entre o Sporting e o Nacional.

Nessa mensagem Ronaldo disse:

“É um orgulho ser o sócio 100 mil do nosso Sporting, do clube onde me formei e pelo qual tenho grande carinho. Fazer parte desta família deixa-me muito contente. Estamos todos juntos para que o Sporting possa ganhar muitos títulos. Um grande abraço.”

Poucos meses depois numa entrevista afirmou:

"No meu currículo ainda me falta o título de campeão pelo Sporting. Não sei se acontecerá ou não, porque ninguém sabe o que vai suceder no futuro, mas que seria um orgulho... lá isso seria."

De resto Cristiano Ronaldo sempre demonstrou um enorme respeito e gratidão para com o Clube que o formou e, nas duas ocasiões em que marcou um golo ao Sporting não festejou. Também nunca se esqueceu da importância que Aurélio Pereira teve na sua carreira.

Em Setembro de 2013, Cristiano Ronaldo prolongou seu vínculo com o Real Madrid até 2018, pondo fim às especulações sobre uma possível saída, em virtude do assédio da parte do Manchester City e do Paris Saint Germain, clubes que estavam nas mãos de milionários dispostos a fazerem uma loucura para garantirem o concurso do avançado português, que nessa altura voltou a ser o futebolista mais bem pago do mundo, passando a receber cerca de 17 milhões de Euros por ano.

A segunda Bola de Ouro

No dia 13 de Janeiro de 2014 Cristiano Ronaldo ganhou a sua segunda Bola de Ouro, esta referente ao ano de 2013, no qual tinha marcado 69 golos em 59 jogos oficiais, com destaque para os 4 que levaram Portugal ao Campeonato Mundial, depois de duas vitórias sobre a Suécia, num "play-off" histórico para a nossa Selecção.

Esta consagração foi recebida pelo jogador com grande emoção e constituiu um justo prémio para um ano onde voltou a conseguir algum feitos enormes, continuando a derrubar recordes, chegando aos 47 golos ao serviço de Portugal, igualando assim Pauleta como o melhor marcador de sempre da Selecção Nacional e, tornando-se no 5º melhor marcador da história do Real Madrid, com 209 golos em 205 jogos. Para além disso foi o primeiro jogador a marcar golos em todos os jogos de uma fase de grupos da Liga dos Campeões, numa competição onde também estabeleceu um novo recorde de golos no ano civil, com 15 remates certeiros, passando a ser o 3º melhor marcador de sempre na história desta prova.

No dia 20 de Janeiro de 2014 o Presidente da República portuguesa Cavaco Silva atribuiu a Cristiano Ronaldo, o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, condecoração que de acordo com o site da Presidência, visava "distinguir um símbolo de Portugal em todo o mundo, que contribui para a projecção do País, e um exemplo de tenacidade para as novas gerações."

Em Março, num jogo particular no qual Portugal goleou os Camarões por 5-1, Cristiano Ronaldo foi o autor de mais dois golos, tornando-se no melhor marcador de sempre da Selecção Nacional, ao mesmo tempo que chegava às 110 internacionalizações AA, igualando Fernando Couto no 2ºlugar da lista dos jogadores mais internacionais de sempre.

Apesar de ter sofrido uma lesão que o afastou da Final da Taça do Rei e de vários jogos do Campeonato de Espanha, na época de 2013/14 voltou a ser o "pichichi" com 31 golos marcados, que lhe valeram a sua terceira Bota de Ouro, desta vez em igualdade com o ponta de lança do Liverpool Luís Suarez.

No dia 24 de Maio de 2014 marcou de penalti o seu 60º golo da temporada, com o qual o Real Madrid selou a vitória por 4-1 sobre o Atlético de Madrid, na Final da Liga do Campeões, uma prova na qual Cristiano Ronaldo totalizou 17 golos, estabelecendo um novo recorde da competição, sendo assim determinante para a conquista da tão desejada "décima".

Chegou ao Mundial do Brasil ainda não totalmente recuperado da lesão de que padecia há várias semanas e, as suas prestações não foram brilhantes, tais como as de Portugal que ficou pelo caminho logo na fase de grupos.

No dia 12 de Agosto de 2014 iniciou da melhor forma a nova temporada, ao marcar os dois golos com que o Real Madrid derrotou o Sevilha, conquistando a Supertaça Europeia e, no final desse mês foi eleito numa votação presencial efectuada por 54 jornalistas representantes dos países filiados na UEFA, o Melhor Jogador da Europa na época de 2013/14, conquistando o único grande prémio individual que lhe faltava e tonando-se no primeiro jogador a ganhar no mesmo ano este troféu, a Bota de Ouro e a Bola de Ouro.

To-mane 13h31min de 29 de Janeiro de 2009 (WET)