Wiki Sporting - a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes

Conquista da Taça das Taças em Hóquei em Patins - 1985

Da Wiki Sporting, a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal

O Percurso até à Final

Após a conquista da Taça dos Campeões Europeus em 1977, da Taça das Taças em 1981 e da Taça CERS em 1984, o Hóquei Patins do Sporting Clube de Portugal queria mais e mais vitórias.

Na época de 1984/85 o Sporting iria disputar a Taça das Taças, treinado por Luís Barata e tendo por plantel: Ramalhete (gr), José Rosado, José Carlos, Pedro Trindade, Campelo, Sérgio Nunes, Camané, Vítor Oliveira e Carlos Serra (gr).

A Equipa. Em cima: Trindade, Campelo, Serginho e Vitor Oliveira. Em baixo: Rosado, Ramalhete, Serra e José Carlos.

Na primeira eliminatória (1/4 Final) o sorteio ditou em sorte ao Sporting a frágil equipa francesa do La Vandeene. O que permitiu ao Sporting passear tranquilamente a sua classe, indo a França ganhar por uns arrasadores 21 - 6 para depois em Alvalade repetir o massacre com uns esclarecedores 19 - 3.

O Sporting chegou assim com tremenda facilidade às meias-finais, onde teve pela frente uma poderosa equipa espanhola, o Corunha.

Adivinhando dificuldades em Espanha e jogando a primeira mão em casa, cabia ao Sporting amealhar em Alvalade um resultado que lhe permitisse viajar para a Galiza com a maior tranquilidade possível, e foi um Sporting cheio de garra e vontade que tomou conta do jogo e face a uma grande equipa logrou ganhar por 8 - 5.

Foi pois com três golos de vantagem que uma motivada e confiante equipa do Sporting viajou até à Corunha onde com calma e serenidade foi controlando os acontecimentos, não conseguindo o Corunha mais do que vencer pela margem mínima, 4 - 3.

A Final

Um dos oito golos do Sporting
Ramalhete com a Taça

Na final o Sporting iria defrontar um surpreendente Walsum da Alemanha, que contra todas as expectativas, tinha eliminado na outra meia-final o gigante Réus de Espanha.

Final disputada num formato a duas mãos, coube ao Sporting viajar primeiro até à Alemanha, onde viu o porquê do Réus ter sido eliminado, não conseguindo mais que um empate 1 - 1, deixando tudo em aberto para a segunda mão em Alvalade a disputar a 29 de Junho de 1985.

Nesse dia e perante um mar de gente que como habitual fazia transbordar o Pavilhão de Alvalade, o Walsum mostrou que estava ali para discutir o resultado e inaugurou o marcador.

Debaixo de um calor abrasador o jogo era disputado de modo bastante intenso e foi um Sporting, comandado por Pedro Trindade com Serginho a denotar veia goleadora, que deu a volta ao marcador chegando ao final da primeira parte com uma vantagem de 3 - 1.

Na segunda parte sobressaiu Ramalhete sempre seguro face a um Walsum que vendeu cara a derrota por 8 - 4.

Estava assim escrita mais uma página de glória, que como habitual, acabou em festa num pavilhão a abarrotar de gente e de onde parecia que ninguém queria arredar pé!