Wiki Sporting - a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções

A chorar pelo Belenenses

Da Wiki Sporting, a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal
Ir para: navegação, pesquisa

Depois do até aí inédito tetra campeonato conquistado na época de 1953/54, a renovação da equipa do Sporting não era tarefa fácil, numa altura em que o que os violinos davam os seus últimos acordes, deixando uma pesadíssima herança.

Na época seguinte, o Sporting cedo se viu afastado da corrida pelo título, disputado ombro a ombro entre Belenenses e Benfica que chegavam à última jornada separados apenas por um ponto. No entanto, e apesar da sua vantagem, os azuis tinham de ganhar ao Sporting no derradeiro jogo do campeonato, a disputar nas Salésias.

O Sporting era treinado por Alejandro Scopelli, que tinha vindo para Portugal precisamente para o Belenenses e com o qual tinha reconhecidas afinidades, o que logo levantou suspeitas da parte dos benfiquistas que precisavam da ajuda dos Leões para ganharem aquele campeonato.

O jogo realizou-se no dia 24 de Abril de 1955 e a festa estava preparada em Belém. O Sporting, que nesse dia nada tinha a ganhar ou a perder, alinhou com: Carlos Gomes; Caldeira e Galaz; Armando Barros, Passos e Juca; Hugo, Travassos, Mokuna, João Martins e Albano.

Marcou cedo o Belenenses por intermédio de Perez, mas pouco depois Albano empatava de penalti. Perto do intervalo, Matateu recolocou os homens da Cruz de Cristo na frente do campeonato.

A 2ª parte foi um interminável suplício para o Belenenses, com os minutos a se transformarem em horas e o terceiro golo a não aparecer. Até que a 4 minutos do fim, João Martins faz o golo do empate para o Sporting, numa altura em que os adeptos do Belenenses já se precipitavam a atirar os foguetes preparados para a festa.

Num gesto imediato que se seguiu ao golo, João Martins pediu desculpa a Carlos Silva, mas o mal estava feito e a verdadeira festa foi do Benfica.

Nas Salésias, depois do apito final, rolaram lágrimas pelas faces de jogadores, dirigentes e adeptos e João Martins não foi capaz de se conter e também chorou com eles.


To-mane 20h29min de 20 de Outubro de 2008 (WEST)