Ralis

0 Membros e 2 Visitantes estão a ver este tópico.

Ontem fui a Fridão fritar os cornos para ver esta loucura. Queria ir pra ZE 23 mas não sei com ela; acabei por ficar perto de um gancho brutal, e que tinha entrada de asfalto pra terra.

Os VW são muito bons, demais até. Até o WV 2 do Mikkelsen dá-lhe na horas. Fora esses curti ver o DS3 do Meeke e o Ostberg.

Alguns tugas com RC4's deram mais espectáculo que WRC2 e WRC3. Se bem que nem todos chegaram ao fim do dia. :lol:

Que ganhe o Latvala.
Ganhou mesmo o Latvala! A primeira vez em Portugal.

E o Mikkelsen desde Portugal tem um carro igual ao dos outros dois.
"É um orgulho estar no Sporting. Quem não conhece o Sporting sabe muito pouco de futebol"  Tales  3-9-2010
Muito bom! Desde o Makinen que um finlandês já não ganhava em Portugal.

3 VW no pódio.  :lol:

Não dão hipótese.
Deixo aqui o artigo (que pode ser encontrado em www.bolanarede.pt/modalidades/desportos-motorizados/as-bodas-de-ouro-do-melhor-rali-do-europeu) que escrevi de antevisão do Sata Rallye Açores que decorre este fim de semana. Irei fazer um artigo diário para este site, se quiserem ir acompanhando.

Citar
As bodas de ouro do melhor rali do Europeu

Meio século de história, é esta bonita idade que o Sata Rallye Açores assinalada este ano, e celebra-o com uma lista de inscritos de luxo, apesar de mais fraca do que inicialmente previsto.

São 74 pilotos inscritos – recorde da prova – e que estão divididos por três campeonatos, Europeu (ERC), Nacional de Ralis (CNR) e Campeonato dos Açores (CRA). Destes 74, 19 contam com carros RC2, a categoria máxima permitida na prova.

A luta pela vitória promete ser animada, com a maioria dos principais nomes do ERC presentes na prova e aos quais é necessário contar com os principais pilotos do CNR. Os grandes candidatos à vitória acabam por ser mesmo os pilotos do ERC, como os nomes de Craig Breen (Peugeot 208 T16), Kajetan Kajetanowicz (Ford Fiesta R5) e Bruno Magalhães (Peugeot 208 T16), a quem tem de se juntar o piloto da casa, Ricardo Moura (Ford Fiesta R5). Outros nomes que não podem ser esquecidos nesta luta, mas que meto numa segunda linha, são Robert Consani (Citroen DS3 R5), José Pedro Fontes em carro igual e João Barros (Ford Fiesta R5). É impossível dizer quem vai ganhar, até porque existe sempre a dúvida da fiabilidade dos carros da marca do leão.

Esta luta promete animar muito o rali mas não será a única com grande interesse. O campeonato europeu júnior (JERC) é cada vez mais uma aposta ganha dentro do ERC e tem vários pilotos de qualidade nos seus inscritos. As principais apostas da minha parte vão para Chris Ingram, Diogo Gago e Vasiliy Gryazin, todos em Peugeot 208 R2. Por outro lado, o atual líder da competição, Emil Bergkvist em Opel Adam R2, não pode ser esquecido, mas ao fazer a sua estreia na prova deve ter mais dificuldades que qualquer um dos três antes ditos. O pequeno carro alemão é, de resto, uma das melhores surpresas da temporada e um dos carros que quero mesmo acompanhar com atenção.

Quanto ao CNR, o grande candidato tem de ser Moura, mas José Pedro Fontes e João Barros vão dar luta e não se pode afirmar que será o açoriano a vencer. A grande ausência é a de Pedro Meireles, que depois de ter dado um toque nos testes para o Rali de Portugal ainda não viu os problemas do seu Skoda Fabia R5 serem resolvidos, e com isto viu gorada a sua vinda aos Açores. Com esta ausência também ficou gorada a presença dos quatro carros R5 que existem neste momento: Peugeot, Ford, Citroen e Skoda.

Noutro prisma que não o competitivo, como açoriano não escondo o orgulho que sinto ao ver no Facebook e Twitter dos pilotos nacionais e estrangeiros tantas imagens e comentários sobre São Miguel e a prova. Destas vou destacar umas frases de Chris Ingran: “Os Açores são o melhor rali no ERC. Tu não encontras PEC’S [Provas Especiais de Classificação] como aqui em nenhum lugar do mundo – mudanças súbitas, rápidas, estreitas, exigentes e todos na mais deslumbrante paisagem. E depois tens as Sete Cidades, para mim a melhor PEC em todo o ERC de longe”. A opinião é repetida por muitos, e ainda bem que assim é.

Quem não pode ir para as estradas pode sempre ver na TV, apesar de este ano a cobertura ser mais diminuta. A RTP Açores (já disponível no Continente no número 202 da MEO, 189 da NOS, 149 da Vodafone e 28 da Cabovisão) tem as seguintes transmissões (hora dos Açores):

3 Junho – Quarta Feira

20:30 – DIRETO – Apresentação Equipas e Prova Citadina

4 Junho – Quinta Feira

17:00 – DIRETO – SS1 Grupo Marques

23:00 – Especial Sata Rallye Açores (Resumo)

5 Junho – Sexta feira

23:00 – Especial Sata Rallye Açores (Resumo)

6 Junho – Sábado

12:42 – DIRETO – SS14 Grupo Marques

19:00 – DIRETO – Cerimónia do Pódio

22:30 – Especial Sata Rallye Açores (Resumo)

Quanto à Eurosport, este ano apenas emite resumos diários todos os dias às 21h30, mais uma vez hora dos Açores.

Pode acompanhar os rescaldos aqui no Bola na Rede ao fim de cada dia de prova, ou seja, de quinta feira a sábado.
"É um orgulho estar no Sporting. Quem não conhece o Sporting sabe muito pouco de futebol"  Tales  3-9-2010
Foi uma grande prova nos Açores. Vitória do Craig Breen sobre Kajto que apenas ficou decidida no último dia. Diogo Gago conseguiu o segundo lugar entre os juniores.

Provas como a deste fim de semana valem a pena assistir
"É um orgulho estar no Sporting. Quem não conhece o Sporting sabe muito pouco de futebol"  Tales  3-9-2010
E, sem grandes surpresas, Ogier tricampeão mundial.
''JUNTOS SOMOS MAIS E MELHORES. VAMOS SPORTING, VAMOS EQUIPA!'' - JOÃO BENEDITO
E, sem grandes surpresas, Ogier tricampeão mundial.

Neste aspecto os Rallyes estao a ficar peor que a Formula 1. Nao existe oposicao para a VW, alguem sabe se vai haver equipas novas de fabrica para o ano? Fazia jeito uma Citroen 100% oficial a apostar nos Rallies.

No tempo do Loeb isto tambem se passava mas sinceramente acho que o Ogier é bem pior piloto que o Loeb e que a influencia do carro é maior hoje, se repararem bem nos tempos do Loeb era muito raro haver podios 100% Citroens (acho que isso nunca se passou) ou ate mesmo 1° e 2°.
A Toyota só regressa em 2017. Até lá a Citroen deve sair do WRC
"É um orgulho estar no Sporting. Quem não conhece o Sporting sabe muito pouco de futebol"  Tales  3-9-2010
Neste aspecto os Rallyes estao a ficar peor que a Formula 1. Nao existe oposicao para a VW, alguem sabe se vai haver equipas novas de fabrica para o ano? Fazia jeito uma Citroen 100% oficial a apostar nos Rallies.

No tempo do Loeb isto tambem se passava mas sinceramente acho que o Ogier é bem pior piloto que o Loeb e que a influencia do carro é maior hoje, se repararem bem nos tempos do Loeb era muito raro haver podios 100% Citroens (acho que isso nunca se passou) ou ate mesmo 1° e 2°.

Equipas de fábrica novas apenas em 2017, com o regresso da Toyota.  :great: Mas veremos se até lá não teremos o muito provável saltar fora da Citroen.

Em relação ao tempo do Loeb, há que distinguir alguns períodos. Primeiro, o binómio francês Loeb-Citroen era brutal, algo que raramente se viu nas história dos ralis. Tanto o Xsara, como mais ainda o C4, como o Ds3, foram carros feitos por ele e para ele, completamente à sua medida, uma luva autêntica, maximizando a performance dos dois. O carro era muito bom, mas brilhava sobretudo nas mãos de Loeb. Daí nunca ter dominado os degraus ao nível do que se vê hoje.

Em relação à distinção que dizia, houve fases. A Citroen conseguiu algo identico em 2009-2010, sobretudo no segundo.
Antes disso era mais complicado. Até aí os franceses passaram por anos onde havia muito mais e melhores pilotos equipas de fábrica competitivos, o que levava a pódios mais variáveis, e anos onde havendo menos equipas o principal adversário (Ford) estava a um nível semelhante (Gronholm muito experiente, Hirvonen mais jovem na sua melhor fase e um super promissor Latvala a surgir, num Focus que era também um excelente carro, e vencedor) e o companheiro de equipa, Sordo, era mediano e raramente conseguia acompanhar o nível. Nesta atura diversas vezes Loeb terminava as provas acompanhado pelos dois Fords.

Em 2009 e 2010 o domínio da Citroen acentua-se, graças a dois factores principais: ultimas gerações do Focus menos competitivas e o aparecimento de Ogier. Será inferior a Loeb, mas não concordo que haja esse grande diferença que dizes.  ;) Sempre foi foi um piloto muito bom desde muito novo e a diferença para o Sordo era mais que notória, com o novo Seb a andar muitas vezes na luta com o antigo. Os três dominaram os pódios nesse período, por vezes em conjunto.

Com anos seguintes e a nova geração dos WRC, desvanece-se um pouco esse domínio devido ao reequilibrio de forças: o Fiesta está bem mais próximo do DS3 que o antecessor estava do C4. Mesmo assim graças ao Ogier, Solberg em privado e depois Hirvonen e anos mais claudicantes de Latvala há alguns pódios com dois Citroen. Depois da saída de Loeb e surgimento dos alemães, acontece o que temos visto: brincadeira de crianças.


Resumindo a prosa, a Volkswagen consegue hoje em dia um domínio que destrona mesmo os melhores anos da Citroen.

Melhor piloto do campeonato (Ogier, num estilo muito semelhante a Loeb, muito certinho, fiável e rápido em qualquer piso), segundo melhor piloto do campeonato (Latvala, menos fiável e certinho, mas muito muito rápido) e um terceiro piloto de qualidade (Mikkelsen).
Melhor carro do campeonato a milhas. A forma como os alemães prepararam a sua entrada no WRC devia vir nos livros: apresentaram o carro com uma antecedência nunca vista (quase 3 anos antes!!) e testaram, recolheram, desenvolveram durante imenso tempo. Como pod€m, dão-se ao luxo de ir buscar o mais promissor piloto à marca campeã, um gajo que já na altura ganhava provas e rivalizava com o mais campeão de sempre da modalidade, e pô-lo um ano a fazer o campeonato secundário com o outro carro de rally do grupo, o Fábia, para tirar dados em cada uma das provas e ajudar a esse desenvolvimento do Polo, aplicando o tal binómio que surgiu com Loeb. Juntam-lhe o piloto principal da outra marca concorrente.
Concorrência para o fracote, que quer mas não pode (Hyundai) e que pode mas não quer (Citroen e Ford em desinvestimento), com pilotos de um nível que não passa do razoável.

Estou como tu: não vejo quem pare isto.
"Sou um “produto” totalmente feito, moldado e limado pelo Sporting. Tudo o que tenho, não materialmente (mas também), é-me dado pela dimensão que Nós – Sporting -  temos. Muitos não me conhecem, mas dizem “vai ali o GR do Sporting.” Ter este apelido é o meu maior agradecimento..." - João Benedito, Orgulho Leonino
Hoje temos o regresso do CNR com o Serras de Fafe. 14 R5, 1 S2000 e alguns bons pilotos nos R2. Se fosse sempre assim no nacional de ralis seria muito bom. Aqui fica o que escrevi: http://www.bolanarede.pt/modalidades/desportos-motorizados/o-melhor-de-sempre/

Este fim de semana temos também WRC, o passeio de Ogier continua. Que 2017 melhore isto com o novo C3 a ser melhor opositor para o Polo, parece que a Citroen voltou a apostar tudo nos ralis.

Por fim no próximo fim de semana regressa o ERC com a presença de alguns portugueses.
"É um orgulho estar no Sporting. Quem não conhece o Sporting sabe muito pouco de futebol"  Tales  3-9-2010