M.Fernandes caminho do Everton ?!

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Sinceramente acho uma palhaçada essa recorrente "piada" sobre o Veloso.

Se o SCP tivesse no seu plantel um jogador homossexual, esse é um problema do jogador, da sua esfera íntima. A mim o que me interessa é que jogue bem e permita que SCP ganhe. O resto é conversa... :arrow:

Sem dúvida mas infelizmente há muita gente que não pensa assim e por vezes este tipo de rumores não são nada benéficos para as carreiras dos jogadores ainda para mais numa fase tão prematura da sua carreira.  :(
O que me choca mais nestas brincadeiras e que sao os Sportinguistas
a levantar estas calunias,so porque viram qualquer coisa no festejo de um golo.
 Se fossem os adversarios teriamos que calar,mas os proprios Sportinguistas!
 Se isto chegar ao conhecimento do rapaz,pode ser que o resultado nao seja muito favoravel ao Sporting.
O que mais nos interessae que ele continue a ser o jogador que tem sido ate aqui,se possivel melhorar ainda.
Sporting,es a minha paixao.
Estarei sempre contigo ate morrer.
 Forca Sporting!
Citar
Manuel Fernandes no Valência por seis anos
O destino de Manuel Fernandes, jogador do Benfica, é o Valência, depois de as negociações com os ingleses do Everton terem falhado. A transferência rondará os 15 milhões de euros.

Os espanhóis já confirmaram no seu site oficial o acordo com o jogador e com o Benfica, faltando apenas os habituais testes médicos para que a transferência se consuma.

O internacional português vai assinar por seis temporadas, sendo que o valor da cláusula de rescisão será fixado em 60 milhões de euros. O médio deverá ser apresentado nos próximos dias.

O médio vai juntar-se, assim, no clube espanhol ao seu antigo companheiro de equipa Miguel e ao ex-sportinguista Caneira
Abola
O Manelito não queria ir para o Everton nem para o futebol inglês. O desgraçado queria mesmo era sair do recreativo de carnide.
ex-dmalmeida
David Almeida - LE S: A27 F: 22 N: 39 Sócio Nº 14864
Σπόρτινγκ - Assim se escreve Sporting em grego. Спортинг - em Russo. Em japonês é スポルティング・リスボン.
O Manelito não queria ir para o Everton nem para o futebol inglês. O desgraçado queria mesmo era sair do recreativo de carnide.

 :rotfl: :rotfl:
Parece que o Manuel Fernandes foi para o Almanaque do Benfica desancar no clube e acabar com alguns dos dogmas vigentes naquele clubezinho, com o ter dito que o Veiga não era o responsável por qualquer sucesso do clube :lol:. Aqui fica a entrevista incompleta:

NO DIA EM QUE SAIU PARA inglaterra O JOVEM JOGADOR DECIDIU QUE NUNCA MAIS JOGAVA PELOS ENCARNADOS E EMBORA LUÍS FILIPE VIEIRA TENHA FEITO UM «FORCING» NÃO HAVIA NADA A FAZER
«No Benfica não acreditaram em mim»
Enviados-especiais de «A BOLA»
Fotos de

Alexandre

Pona/ASF
Reportagem de

José Manuel Freitas
VALÊNCIA — Foi uma das grandes figuras da pré-época benfiquista e muitos adeptos acreditaram que Manuel Fernandes podia regressar em definitivo ao clube. Afinal, magoado com aquilo que se passou quando esteve lesionado, o jovem futebolista já estava decidido a não continuar na Luz e disso deu conta a Luís Filipe Vieira três meses antes de terminar a temporada. Essa e outras histórias das passagens pelos encarnados são contadas nesta entrevista, realizada em Valência dois dias antes de se estrear pelo clube onde também jogam Caneira e Miguel.

— Quais são os verdadeiros motivos por que não quis continuar no Benfica?

— Essencialmente porque quando estive lesionado, há ano e meio, não fui bem tratado e esperava mais respeito da parte do clube, quando sempre o respeitei em todos os sentidos. Podem dizer agora o que quiserem mas nunca faltei ao respeito ao Benfica em nenhuma ocasião. Inclusivamente, cheguei a jogar lesionado e nunca me queixei sobre isso, por mim e pelo próprio clube, porque foi o Benfica que me ajudou a crescer e a lançar. Só que isso não me obrigava a aceitar determinadas coisas por parte de algumas pessoas.

— Diz que chegou a jogar lesionado. O Benfica sabia dessa situação?

— Eu queixava-me, aquilo que dizia não se escrevia, mas também não me estou a desculpar com essa situação, pois podia jogar mal e estar bem fisicamente, situação que se calhar até aconteceu. Dizia o que se passava mas não era ouvido e chegaram a dizer-me que não era verdade, que não estava lesionado, que o problema era da minha cabeça, e isso para mim foi uma evidente falta de respeito.

— Portanto, queixas graves do departamento médico é que o levaram a deixar o clube?

— Sim, o departamento médico tem muito a ver com a minha decisão, porque não fui devidamente tratado. O meu caso foi o primeiro mas depois aconteceram mais, que só vieram contrariar aquilo que na altura diziam ser mil e uma desculpas da minha parte para dizer que estava lesionado. Até podem dizer que não ia aos tratamentos ou que não fazia o trabalho que me diziam, o que é ridículo, pois estou um ano fora e no regresso... estou bom. Só não vê quem não quer. Mais jogadores tiveram esse tipo de problemas e nem sequer vale a pena estar a aprofundar a questão pois sabia-se o que estava a acontecer.

«Lesão era psicológica»

— Acha que a remodelação operada no departamento médico teve muito a ver com o que se passou consigo, uma vez que o Benfica apostava no seu regresso?

— Não acredito que tivesse chegado aí. Foi uma decisão da Direcção, se calhar devido a outros casos, não especificamente devido ao meu, mas daí ter ficado a pensar porque é que não tomaram qualquer decisão sobre aquilo que se passou comigo mas com outros jogadores.

— Tem mais razões de queixa de Rodolfo Moura, como se ouviu em surdina em certos círculos?

— Falo do departamento médico e não desta ou daquela pessoa, porque fui tratado por várias pessoas, várias pessoas tiveram opinião sobre o caso mas nunca acreditaram na minha palavra. Jamais tive qualquer tipo de lesão ou de queixa e na única vez em que me lesionei gravemente não acreditaram em mim.

— Clarifique as coisas: dizia aos responsáveis que tinha dores na zona púbica e a resposta é que o seu problema era psicológico?

— O que me diziam é que estava a inventar uma desculpa por não estar a jogar bem, que podia ter alguma dor mas seria algo que passaria com o tempo, que era coisa psicológica. O certo é que o tempo passou e eu continuava com dores.

— Chegou a ser operado à pubalgia?

— Fui operado a duas hérnias inguinais e tinha pubalgia também.

— Conseguiu ultrapassar esse problema?

— Graças ao Portsmouth. As coisas não correram tão bem como se esperava noutros aspectos mas nesse plano devo em parte a eles ter conseguido recuperar.

«Desejo tudo de bom ao Benfica»

— Dividiu a época passada entre Portsmouth e Everton mas no início da actual regressou ao Benfica. Quando voltou deixou claro que queria sair?

— Tive uma conversa com o presidente três meses antes do final da temporada, disse-lhe que não queria voltar ao Benfica e, se houvesse possibilidade de acordo com o Everton, desejava manter-me em Inglaterra. Ele disse-me «tudo bem», que não havia problema, mas como entretanto a situação não se resolveu, e iniciou-se a pré-época, comecei a trabalhar no Seixal. Mas a minha decisão estava tomada.

— Nem mesmo com as mudanças operadas no Benfica decidiu alterar a sua vontade?

— Não sou homem de mudar de palavra. Já tinha dito ao presidente que não queria continuar e nada me fazia mudar. As coisas mudaram mas mudaram tarde de mais para mim.

— Pelo que lhe fizeram não foi capaz de perdoar...

— Não quero ir por esse caminho. Fizeram-me mal, é verdade, por não terem dado ouvidos aquilo que lhes dizia, mas o que mais me marcou foi a falta de respeito que tiveram para comigo, para mais quando nunca faltei ao respeito a ninguém individualmente, muito menos à instituição.

— Cortou com todas as amarras com o Benfica ou continua benfiquista? Presume-se que seja o seu clube...

— Não digo que sou adepto desde pequenino, porque quando era miúdo não tinha clube, mas com o passar do tempo afeiçoei-me ao Benfica, sou benfiquista, e desejo-lhe tudo de bom.

— Percebendo-se que a relação ficou complicada, foi alvo de pressões ou teve mesmo pessoas a aborrecê-lo?

— Nesse aspecto não tenho nada a dizer. Até me sinto lisonjeado por não ter sido alvo de quaisquer pressões, pois havia pessoas que desejavam a minha continuidade.

— Quem é que desejava que ficasse? O presidente Luís Filipe Vieira?

— Sim, também, assim como o treinador, mas eu já estava decidido. É que a minha decisão não foi tomada há um mês ou dois mas há muito tempo, quando fui para o Portsmouth. Só que mais uma vez... julgaram que o Manuel Fernandes não estava a falar a sério.

— Ficou com uma boa relação com Luís Filipe Vieira?

— Sim, sim. Nada tenho para dizer do presidente. Apesar de não querer que eu saísse, e tê-lo afirmado publicamente, não podia fazer muito em relação a isso. E também facilitou a minha saída.

— Está magoado mas deixa o Benfica esquecendo-se de tudo aquilo que o clube fez por si? Não está a centrar no todo benfiquista algumas questões muito específicas?

— Volto a repetir: do clube não tenho nada a dizer. Joguei no Benfica dos 8 aos 20 anos, não tenho qualquer tipo de queixa relativamente à instituição, que é grande, e ajudou-me a crescer como jogador e também como homem. Jamais direi que sou eu contra o Benfica mas com certas pessoas já não dava.

— E com a massa associativa? Sente-se magoado com os adeptos?

— Nada, nada. Os adeptos são todos iguais. Se tudo vai bem, tudo bem; se as coisas vão mal, são más para todos. Na minha primeira época foi tudo cor-de-rosa, depois as coisas começaram a correr mal, já não era aquilo que estavam à espera, já não prestava. O futebol é assim mas não guardo rancor nenhum, pois já estava à espera de uma reacção dessas.


in A Bola
Citar
— Cortou com todas as amarras com o Benfica ou continua benfiquista? Presume-se que seja o seu clube...

Estes jornaleiros... Incrível.  :wall:

Citar
Na minha primeira época foi tudo cor-de-rosa

Aqui enganou-se na época...  :twisted: