Fórum SCP

José Travassos - Estórias e Curiosidades...

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Jornal Sporting 12/10/88

Provavelmente o melhor jogador que já envergou a mítica camisola verde e branca...

- Antes de representar o Sporting em futebol, Travassos já o fazia no atletismo, na vertente de velocidade pura. Fazia os 100 metros em 10,9 segundos;

- Foi cobiçado pelo Futebol Clube do Porto mas como era Sportinguista, foi no Sporting que fez toda a sua carreira, começando com um ordenado de 750$00;

- Chegou a ser pretendido por Real Madrid, Vasco da Gama e Inter de Milão. Os espanhóis ofereceram-lhe um contrato de dois anos e oitocentos contos, em 1950. Mas conforme dizia o Zé da Europa: "nunca quis sair do Sporting";

- José Travassos casou na véspera de uma recepção ao Boavista. No dia após o casamento, alinhou de início, jogou maravilhosamente e o Sporting venceu por 12-0. Perante uma vitória robusta e exibição de gala, Manuel Marques (o célebre Manecas) abeirou-se de Travassos e disse-lhe: "Podias casar todos os sábados, Zé!!";

- No início da sua carreira, dias antes de disputar o seu primeiro derby, passeava Travassos em Lisboa, na Rua da Prata. Foi abordado por um associado do clube, na Ourivesaria David, que lhe prometeu um despertador de qualidade, caso o Sporting vencesse e ele marcasse três golos. O Sporting venceu o Benfica por 6-1, Travassos marcou três golos e, na segunda-feira seguinte, recebeu o despertador (sempre o guardou religiosamente, daí que eu calcule que a família ainda o tenha).

Os outros Violinos vistos por Travassos:

Jesus Correia - "Um óptimo rapaz de extrema correcção, pessoas destas já não se «usam», incapaz de uma atitude menos digna, menos educada. Em suma: um «gentleman»."

Manuel Vasques - "Companheiro que me acompanhou em mais que uma situação, no atletismo, no futebol. Depois, na actividade profissional. Nada a apontar em seu desabono. Uma amizade de sempre. Inquebrantável."

Fernando Peyroteo - "Uma saudade. Um irmão mais velho, conselheiro dos mais novos. Ajudou-nos bastante."

Albano Pereira - "A simplicidade em pessoa. Brincalhão, a maldade não conseguia penetrar na sua pessoa. Animava muito o trabalho colectivo, inspirando contagiante boa disposição."
Vítor Damas (1947-2003)

2 Campeonatos Nacionais (69/70 e 73/74)
3 Taças de Portugal (70/71, 72/73 e 73/74)
Obrigado coraçao de leao :wink:
"A 18 de Julho de 1911, os jogadores do Sporting recusaram-se a entrar em campo para defrontar a equipa do Benfica, alegando que estes não eram dignos de pisar as suas instalações"

Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. Eis o Sporting!
Se tivesse uma máquina do tempo para ver esses jogadores  :wink:

Obrigado Coração de Leão  8)
Obrigado Coracao de Leao, por nos recordares aqui estes grandes
jogadores que fazem parte da historia do Sporting.

 Foi um grande jogador!
Sporting,es a minha paixao.
Estarei sempre contigo ate morrer.
 Forca Sporting!
O nosso Obrigado por partilhares algumas das nossas belas histórias!!!
The art of war is simple enough.
Find out where your enemy is ( LAMPS ).Get at him as soon as you can.
Strike him as hard as you can and keep moving!!
ANNTI-LAMPIÕES!!!
"Aviso: - este tópico não tem respostas há120 dias.
A não ser que tenha a certeza que quer responder, considere iniciar um novo tópico."  :xock:


Nas férias grandes de verão, no mid/late 80´s , passava o tempo entre a Costa da Caparica, nomeadamente  na "Praia Nova", e tudo o que poderia haver para fazer em Lisboa nesses tempos, Zoo, Feira Popular, Cinema no S.Jorge e no Tivoli... Era um miúdo ;)
Alvalade de Julho até ao fim de Agosto era muito parado...

Tenho uma colecção de livros Disney chamada "Biblioteca do Escuteiro-Mirim", lançada, talvez entre 84/85, que alguns por aqui se devem lembrar. Num dos 20 exemplares saídos quinzenalmente, o jogador em destaque, na secção de "bola na rede", era "José Travassos" , O Zé da Europa... !!! Um jogador do meu SCP, no meio dos Puskás , Di Stefano, Cruyff, Rivelino, Zico, Platini, Beckenbauer. Fiquei siderado.


Esse "José Travassos" era o mesmo que brincava com os netos na praia Nova na Costa. Que trocava, mesmo já não sendo novo, uns toques numa qualquer bola de cautchú, com a malta que por ali parava nesses tempos.

O livro tem o autografo do Grande José Travassos na sua imagem...

Ainda hoje são momentos que vivo com emoção!




Há anos, era ainda um rapazito como qualquer outro, comprei, numa ida no fim-de-semana com o meu pai e mãe a uma feira junto do Rio Tejo, um quadro muito antigo com o José Travassos na equipa dos melhores da Europa, daí o nome, merecido, de Zé da Europa.

Um dos verdadeiros e originais símbolos do Sporting, um jogador que ajudou a construir o clube. Este faz parte do grupo que eu chamo carinhosamente de "Os Originais", jogadores, homens honrados, que tiveram activa participação na construção da dimensão que hoje define o Sporting como um símbolo do desporto nacional e dos portugueses.

Pena do dia em que o vi numa cadeira de rodas numa gala qualquer da RTP.
Pode não ser o tópico correto, mas aqui fica um artigo do site para que escrevo

Citar
O meu Pai, conhecido por José Ilha, era sportinguista. Falava-me de Azevedo; Jesus Correia; Vasques; Peyroteo; Travassos e Albano. Mais tarde, conheci de vista um tal Manolo e rezava a lenda que era muito bom, mas tivera o azar de estar tapado pelo grande Albano. Este Sporting entrou na lenda e na mitologia do futebol português. Na época dos contos paternos sobre o seu Sporting vivia-se a irrupção do Eusébio no futebol português. O meu Pai, orgulhoso do seu clube e admirador do Travassos, dizia-me: ”tal como o Eusébio, o Travassos também foi raptado e escondido. O Porto queria ficar com ele e levou-o para o norte; escondeu-o porque o rapaz era leão. Davam-lhe muito dinheiro e emprego, mas o Travassos conseguiu enganá-los; regressou a casa dos pais e assinou logo pelo Sporting. Também lhe deu muito dinheiro e montou-lhe um negócio com outro violino; com o Vasques: a Cofril que se dedica ainda hoje aos frigoríficos”.

Nesse tempo, muitos futebolistas praticavam várias modalidades. O Travassos não era um desses e, na CUF, clube onde se estreou sendo bem menor de idade, praticava, além do futebol, o atletismo. Era um grande velocista e chegou a fazer os cem metros em onze segundos. Mas, o futebol é o futebol e ganhou a partida. Fazendo, finalmente, parte do Sporting Clube de Portugal chegou a hora da estreia. Chegou a hora de enfrentar o máximo rival: Sport Lisboa e Benfica. Batia à porta a época 46/47. José Travassos fez nada mais, nada menos do que três golos; o Benfica saiu com a pesada carga de 6-I. A seleção não se fez esperar; realizou trinta e seis jogos e corria o ano I955 quando recebeu um telefonema que encolhe e não deixa acreditar: estava convocado para defender a Seleção de Europa contra Inglaterra. A Federação inglesa comemorava o seu septuagésimo quinto aniversário.

O meu Pai relatava a convocatória pela Seleção de Europa como se tratasse de um feito próprio de um génio: ”jogou pela Seleção de Europa; foi o primeiro português a jogar com os melhores jogadores de Europa e não só jogou, como fez um grande jogo e depois deu-se ao luxo de criticar o comportamento de estrelas como Kopa e do Puskas. Quando regressou foi aclamado e automaticamente lhe puseram um nome especial: Zé da Europa. Era um centrocampista resistente que metia a bola para um companheiro pelo cu da agulha. Era fino e marcava grandes golos; um deles chama-se «roda de moinho»”.

O Zé da Europa ganhou mais de dez títulos com o Sporting, sendo oito deles campeonatos nacionais. O Sporting jamais teve tanta glória e jamais forjou tanta lenda. Hoje não se pode ver o Sporting sem ter em conta essa equipa fabulosa. O Sporting que venceu a velha Taça das Taças pode ser uma referência mas jamais terá a aura mítica que alcançou o Sporting dos cinco violinos comandados pelo José Travassos. As lesões produto da beligerância dos adversários foram uma constante; dos quatro meniscos, ficou sem três. Bateu o ano de I958 e disse adeus ao futebol. Nesse dia foi-se um dos quatro mitos do futebol português; primeiro foi o Azevedo; depois o Zé da Europa; seguidamente o Matateu e finalmente o Eusébio. Posteriormente, chegaram os Figos e os Ronaldos, mas esses não tiveram que passar além da Taprobana.
José Luis Montero

http://www.bolanarede.pt/?p=9279&fb_action_ids=749114788447116&fb_action_types=og.likes
"É um orgulho estar no Sporting. Quem não conhece o Sporting sabe muito pouco de futebol"  Tales  3-9-2010
Adoro ler estes textos, quem me dera que houvesse videos do sporting da decada de 40, é algo que a maioria de nós tem pena, nao podermos alguns dos maiores a jogar por nós..

Esse Azevedo que falam no final é o GR leonino?