Arbitragem 2017/2018 - Lances da Jornada

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

   Serve este tópico, em época de estreia e teste do VAR (Video Assistant Referee) nas principais competições nacionais (após o primeiro ensaio na final da Taça de Portugal da época transacta), para mostrar os lances mais grosseiros que nenhum elemento das equipas de arbitragem viu, ou quis ver, as decisões mais aberrantes do ponto de vista técnico e do critério disciplinar.

   Semanalmente, ou jornada a jornada, serão colocados aqui os lances mais escandalosos, dentro do possível e contando com a colaboração de todos. A melhor forma será através de gifs ou pequenos excertos em vídeo dos lances em causa, seguidos da descrição da acção do árbitro e do seu critério no juízo do lance, para que fique claro o rigor (ou a falta dele) dos senhores do apito em Portugal, no que ao futebol profissional diz respeito. Se necessário for, a transcrição da lei do jogo que está em causa e não foi cumprida, para aqueles cuja gravidade das imagens não bastar para compreender de que estamos a falar de futebol, e não de vale-tudo ou artes marciais mistas.

   Com 3 jornadas decorridas até agora, lances não faltam que exibem a dualidade de critérios gritante e o proteccionismo a certos jogadores de certos clubes, em prejuízo da igualdade de tratamento e da imparcialidade que os árbitros devem ter com todos os jogadores de todos os clubes, e já contando com o auxílio precioso do vídeo-árbitro, que mesmo assim tem deixado passar os maiores atropelos às regras do jogo.



   Liga NOS - 14.ª jornada
   (números totais)


   Golos

   Sporting: 9 assinalados contra e a favor 30 / 1 mal assinalados contra e a favor 0 / 1 por assinalar contra e a favor 1
   FC Porto: 6 assinalados contra e a favor 36 / 0 mal assinalados contra e a favor 0 / 0 por assinalar contra e a favor 0
   Benfica  : 9 assinalados contra e a favor 32 / 0 mal assinalados contra e a favor 3 / 0 por assinalar contra e a favor 0
   
   Penaltis

   Sporting: 1 assinalados contra e a favor 4 / 0 mal assinalados contra e a favor 0 / 0 por assinalar contra e a favor 3
   FC Porto: 0 assinalados contra e a favor 2 / 0 mal assinalados contra e a favor 0 / 2 por assinalar contra e a favor 4
   Benfica  : 1 assinalados contra e a favor 4 / 0 mal assinalados contra e a favor 2 / 4 por assinalar contra e a favor 0

   Offsides

   Sporting: 29 assinalados contra e a favor 17 / 0 mal assinalados contra e a favor 2 / 0 por assinalar contra e a favor 1
   FC Porto: 38 assinalados contra e a favor 13 / 1 mal assinalados contra e a favor 0 / 0 por assinalar contra e a favor 0
   Benfica  : 35 assinalados contra e a favor 31 / 0 mal assinalados contra e a favor 2 / 1 por assinalar contra e a favor 0

   Faltas

   Sporting: 217 faltas cometidas e sofridas 247 / 15,5 média de faltas por jogo cometidas e sofridas 17,6
   FC Porto: 219 faltas cometidas e sofridas 214 / 15,6 média de faltas por jogo cometidas e sofridas 15,3
   Benfica  : 251 faltas cometidas e sofridas 198 / 17,9 média de faltas por jogo cometidas e sofridas 14,1

   Cartões

   Sporting: 26 (+0) atribuídos contra e a favor 33 (+0) / 0 (+0) mal atribuídos contra e a favor 0 (+0) / 0 (+0) por atribuir contra e a favor 0 (+2)
   FC Porto: 26 (+1) atribuídos contra e a favor 38 (+2) / 0 (+0) mal atribuídos contra e a favor 0 (+0) / 0 (+4) por atribuir contra e a favor 0 (+1)
   Benfica  : 26 (+1) atribuídos contra e a favor 27 (+2) / 0 (+0) mal atribuídos contra e a favor 0 (+0) / 0 (+7) por atribuir contra e a favor 0 (+2)

   Média de faltas por cartão dos adversários dos grandes

   Sporting: 247/33 = 1 cartão amarelo a cada 7,5 faltas dos adversários.
   FC Porto: 214/38 = 1 cartão amarelo a cada 5,7 faltas dos adversários. (+2 vermelhos por acumulação)
   Benfica  : 198/27 = 1 cartão amarelo a cada 7,3 faltas dos adversários. (+1 vermelho directo + 1 vermelho por acumulação)

   Média de faltas por cartão dos grandes

   Sporting: 217/26 = 1 cartão amarelo a cada 8,3 faltas.
   FC Porto: 219/26 = 1 cartão amarelo a cada 8,4 faltas. (+1 vermelho por acumulação)
   Benfica  : 233/26 = 1 cartão amarelo a cada 9,7 faltas. (+1 vermelho por acumulação)

   Folha Disciplinar

   Sporting: 1 folha limpa contra e a favor 1 / 5 1 amarelo contra e a favor 3 / 5 2 amarelos contra e a favor 1
                                                                             0 1 vermelho contra e a favor 0 / 0 2 vermelhos contra e a favor 0
   FC Porto: 0 folha limpa contra e a favor 2 / 3 1 amarelo contra e a favor 2 / 4 2 amarelos contra e a favor 3
                                                                             1 1 vermelho contra e a favor 2 / 0 2 vermelhos contra e a favor 0
   Benfica  : 2 folha limpa contra e a favor 3 / 2 1 amarelo contra e a favor 3 / 4 2 amarelos contra e a favor 4
                                                                             1 1 vermelho contra e a favor 2 / 0 2 vermelhos contra e a favor 0

   Castigos / suspensões

   Sporting: 0 jogadores
   n.º castigos (x0):
   n.º de jogos (x0):

   FC Porto: 2 jogadores [4 expulsões perdoadas: Maxi Pereira (x1) e Felipe (x3)]
   n.º castigos (x2): Danilo (x1); Corona (x1)
   n.º de jogos (x2): Danilo (x1); Corona (x1)

   Benfica  : 1 jogador [7 expulsões perdoadas: Eliseu (x2), Pizzi (x1), Luisão (x2), Salvio (x1), Jonas (x1)]
   n.º castigos (x1): Zivkovic (x1)
   n.º de jogos (x1): Zivkovic (x1)



   Lista de partidas disputadas
   (competições nacionais)


   Liga NOS -   1.ª jornada [Desportivo das Aves 0-2 Sporting CP / FC Porto 4-0 Estoril-Praia / Benfica 3-1 Braga]
   Liga NOS -   2.ª jornada [Sporting CP 1-0 Vitória de Setúbal / Tondela 0-1 FC Porto / Chaves 0-1 Benfica]
   Liga NOS -   3.ª jornada [Vitória de Guimarães 0-5 Sporting CP / Benfica 5-0 Belenenses / FC Porto 3-0 Moreirense]
   Liga NOS -   4.ª jornada [Rio Ave 1-1 Benfica / Sporting CP 2-1 Estoril-Praia / Braga 0-1 FC Porto]
   Liga NOS -   5.ª jornada [Feirense 2-3 Sporting CP / Benfica 2-1 Portimonense / FC Porto 3-0 Chaves]
   Liga NOS -   6.ª jornada [Sporting CP 2-0 Tondela / Boavista 2-1 Benfica / Rio Ave 1-2 FC Porto]
   Liga NOS -   7.ª jornada [FC Porto 5-2 Portimonense / Moreirense 1-1 Sporting CP / Benfica 2-0 Paços de Ferreira]
   Liga NOS -   8.ª jornada [Sporting CP 0-0 FC Porto / Marítimo 1-1 Benfica]
   Liga NOS -   9.ª jornada [FC Porto 6-1 Paços de Ferreira / Desportivo das Aves 1-3 Benfica / Sporting CP 5-1 Chaves]
   Liga NOS - 10.ª jornada [Benfica 1-0 Feirense / Rio Ave 0-1 Sporting CP / Boavista 0-3 FC Porto]
   Liga NOS - 11.ª jornada [FC Porto 2-0 Belenenses / Vitória de Guimarães 1-3 Benfica / Sporting CP 2-2 Braga]
   Liga NOS - 12.ª jornada [Desportivo das Aves 1-1 FC Porto / Paços de Ferreira 1-2 Sporting CP / Benfica 6-0 Vitória de Setúbal]
   Liga NOS - 13.ª jornada [Sporting CP 1-0 Belenenses / FC Porto 0-0 Benfica]
   Liga NOS - 14.ª jornada [Benfica 3-1 Estoril-Praia / Boavista 1-3 Sporting CP / Vitória de Setúbal 0-5 FC Porto]

   Taça de Portugal/Placard - 3.ª eliminatória [Oleiros 2-4 Sporting CP / Lusitano 0-6 FC Porto / Olhanense 0-1 Benfica]
   Taça de Portugal/Placard - 4.ª eliminatória [Sporting CP 2-0 Famalicão / FC Porto 3-2 Portimonense / Benfica 2-0 Setúbal]
   Taça de Portugal/Placard - 1/8 de final        [Sporting CP 4-0 Vilaverdense /  Rio Ave 3-2 Benfica / FC Porto - Vitória de Guimarães]

   Supertaça de Portugal Cândido de Oliveira [Benfica 3-1 Vitória de Guimarães]

   Taça da Liga/CTT - 1.ª jornada (fase de grupos) [Sporting CP 0-0 Marítimo / Benfica 1-1 Braga / FC Porto 0-0 Leixões]

   Liga LEDMAN Pro -  3.ª jornada [Real Massamá 1-2 Sporting CP B]

Citação de: AndreCruzomago
TABELA CLASSIFICATIVA REAL:

1º SPORTING- 36 PONTOS - atualmente tem 36 pontos
2º FC PORTO - 34 PONTOS - atualmente tem 36 pontos
3º BENFICA   - 28 PONTOS - atualmente tem 33 pontos

« Última modificação: Dezembro 14, 2017, 20:00 pm por HULK VERDE »
"Isto aqui não é a operação lava-jacto, isto é mas é a operação lava-porta-aviões"
Rui Trindade

Hic Sunt Leones
   Supertaça Cândido de Oliveira 2017

   Vitória de Guimarães - Benfica [05.08.2017]
   Tackle de Jonas por trás, com tesourada nas pernas de Celis (cartão amarelo, no mínimo por mostrar); cotovelada de Jardel ao saltar na cabeça de Hurtado (falta e cartão amarelo, no mínimo, por mostrar); pontapé de sola por trás de Jardel na perna de Rafael Martins (cartão vermelho por mostrar); entrada a pés juntos de Luisão sobre o mesmo Rafael Martins (outro cartão amarelo por mostrar). Artur Soares Dias e seus auxiliares, incluindo video-árbitro, fizeram vista grossa aos  lances consecutivos de Jardel (m. 31 e 32), cada um deles suficiente para expulsão, e no mínimo dos mínimos cartão amarelo em cada um daria expulsão. Nos outros lances limitou-se a assinalar falta, ficando a sanção disciplinar por executar.
   (vários erros técnicos e, sobretudo, disciplinares grosseiros, todos eles a beneficiar o Benfica)

?s=08

   
Relatório do jogo (sítio oficial Federação Portuguesa de Futebol)

   Consultando o relatório do jogo, podemos verificar que a equipa encarnada viu apenas um cartão amarelo, Seferovic (58), e a equipa do Vitória foi admoestada com 2 cartões amarelos, Josué (88) e Rafael Martins (92), um dos jogadores que mais sofreu com a violência das entradas dos jogadores do Benfica. Curioso é que ainda acabaram com mais cartões amarelos que a outra equipa, que praticamente passou imune às leis do jogo, quer no capítulo técnico, quer no capítulo disciplinar. De frisar que houve um lance de possível grande penalidade a favor do Vitória de Guimarães, cometida por Salvio, do Benfica, ao levantar o braço interceptando a bola dentro da sua grande área. Consultado o vídeo-árbitro, este mandou seguir o jogo, mais uma vez decidindo a favor do Benfica.

Casos, por Marco Ferreira, in Record (06/08/2017)


Tribunal, in O Jogo (06/08/2017)


   Uma péssima arbitragem de Artur Soares Dias na estreia das provas oficiais da época 2017/2018, como os factos comprovam sem qualquer margem para dúvidas, com inúmeras falhas técnicas, superadas apenas pelas falhas disciplinares que favoreceram claramente a equipa do Benfica, que acabou o jogo com apenas um cartão amarelo e sem qualquer expulsão, além de ter beneficiado de uma decisão de video-árbitro que não conseguiu ver um penalti nítido a favor do Vitória de Guimarães por corte da bola com o braço de Salvio. Sem esquecer que o primeiro golo do encontro, que dá a vantagem inicial ao Benfica, nasce de uma falta de Seferovic não sancionada, nem com o apoio do vídeo-árbitro. Curiosamente, quase todos estes lances silenciados, abafados ou distorcidos pelos orgãos de comunicação social, quer de âmbito desportivo, quer generalista.

   Vídeo-árbitros: Jorge Sousa e Hugo Miguel foram chamados a opinar sobre o lance de possível grande penalidade de Salvio, não dando provimento e mandando seguir o jogo sem castigo máximo. Em nenhum momento do jogo rectificaram qualquer uma das inúmeras más decisões da equipa de arbitragem de campo, que contou com Rui Licínio e Rui Teixeira como auxiliares e Manuel Mota como 4.º árbitro.
« Última modificação: Agosto 25, 2017, 19:00 pm por HULK VERDE »
"Isto aqui não é a operação lava-jacto, isto é mas é a operação lava-porta-aviões"
Rui Trindade

Hic Sunt Leones
   Liga NOS 2017/2018 - 1.ª jornada

   Desportivo das Aves - Sporting CP [06.08.2017]
   Nada de registo. Faltas de parte a parte num total de 15 assinaladas por Tiago Martins a cada equipa, sem exibição de cartões, excepto num lance a acabar o jogo punindo um jogador da equipa da casa.
   (jogo praticamente sem casos, critério disciplinar largo mas equânime)



   Segundo a ficha de jogo, o único jogador a ver cartão amarelo foi Ponck (90+2), já nos descontos de tempo no final do jogo. Arbitragem decente e positiva de Tiago Martins, nenhum erro grosseiro assinalável.

   Vídeo árbitro: João Pinheiro e Nuno Roque praticamente não tiveram de intervir, dada a inexistência de casos.

   FC Porto - Estoril-Praia [09.08.2017]
   Um penalti cometido por Moreira, que soca Marcano ao falhar a bola (11), ficou por assinalar. Dois foras-de-jogo bem assinalados a jogadores da equipa da casa, Aboubakar (14) e Corona (37), com golos invalidados por Hugo Miguel por indicação dos árbitros auxiliares. O mais insólito foi mesmo o 1.º golo da partida, apontado por Marega (35), após um atraso ao guarda-redes (?) a isolá-lo praticamente de baliza aberta e sem oposição para inaugurar o marcador.
   (um penalti por assinalar, critério disciplinar largo mas equânime)



   Como se pode ver pela ficha de jogo, um cartão amarelo exibido a um jogador do Estoril-Praia, Allano (51), e outro a Danilo (77) do FC Porto. Arbitragem decente e positiva de Hugo Miguel, mas com um erro grosseiro assinalável, o lance em que Marcano é socado na cabeça por Moreira, guarda-redes do Estoril (11), ao saltarem para disputar a bola com alguns jogadores à mistura, ficando um penalti por assinalar.

   Vídeo árbitro: Luís Ferreira e Rui Cidade nada influíram no lance do penalti não assinalado, que ficou por corrigir, valendo a avaliação dos árbitros de campo, ainda com o jogo empatado a 0. Por outro lado, corrigiram a decisão de invalidar o golo a Marcano (71), o 4.º da equipa do FC Porto, comunicando à equipa de arbitragem de campo a legalidade do golo. Esta comunicação foi divulgada pela FPFutebolOficial a 11 de Setembro de 2017 no Youtube (vídeo abaixo).


   Benfica - Braga [09.08.2017]
   A melhor caracterização da arbitragem liderada por Carlos Xistra: em caso de dúvida, decidiu sempre a favor do Benfica, excepto num lance de possível penalti reclamado sobre Jardel (45+1), em que este se envolve dentro da grande-área após a marcação de um pontapé de canto com um jogador do Braga, onde ambos se agarram e impedem mutuamente, daí as dúvidas com o árbitro a deixar seguir.
   O caso mais polémico do encontro, no que diz respeito à influência directa no resultado, foi o do fora-de-jogo (mais um, depois do golo invalidado a Hassan (53) por suposto fora-de-jogo milimétrico) que em benefício da dúvida favoreceu a defesa - do Benfica - e não o ataque - do Braga - ao contrário do que é suposto acontecer segundo os regulamentos, invalidando o golo de Ricardo Horta (70) com Seferovic a colocar o jogador do Braga em jogo. Além destes 3 lances mais polémicos, algumas faltas sem a devida punição disciplinar.
   (erro grave favorável ao Benfica)


Lance do golo anulado a Ricardo Horta (70) por pretenso fora-de-jogo, panorâmica (imagem BTV)

Análise perspéctica a partir da imagem anterior (Baluarte Dragão)

Lance do golo anulado a Ricardo Horta (70) por pretenso fora-de-jogo (imagem BTV)

Análise perspéctica a partir da imagem anterior (Baluarte Dragão)


Lance do golo anulado a Ricardo Horta (70) por pretenso fora-de-jogo, in A Bola (10.08.2017)


   Neste jogo, dois cartões amarelos para jogadores do Benfica, Eliseu (39) e Jonas (52), três cartões para jogadores do Braga, Rui Fonte (29), Jefferson (37) e Danilo (78). Todas as decisões da equipa de arbitragem liderada por Carlos Xistra, em caso de dúvida, foram favoráveis à equipa da casa, sendo o mais polémico e gritante o golo anulado a Ricardo Horta com Seferovic a colocar em jogo os jogadores do Braga.

   Vídeo-árbitro: Fábio Veríssimo também não foi capaz de rectificar a decisão de anular o golo de Ricardo Horta, tal como o seu auxiliar Venâncio Tomé.
« Última modificação: Setembro 12, 2017, 17:28 pm por HULK VERDE »
"Isto aqui não é a operação lava-jacto, isto é mas é a operação lava-porta-aviões"
Rui Trindade

Hic Sunt Leones
   Liga NOS 2017/2018 - 2.ª jornada

   Sporting CP - Vitória de Setúbal [11.08.2017]
   Bruno Paixão entrou no jogo tentando ser discreto, mas começou por deixar passar uma falta clara favorável ao Sporting no lado esquerdo do ataque, que poderia levar perigo de bola parada à área da equipa visitante. Depois ninguém viu o empurrão com os dois braços nas costas de Coates, após o lançamento lateral de Piccini, dentro da área do Vitória de Setúbal, lance evidente de grande penalidade que ficou por assinalar. Perante as sucessivas e habituais arbitrariedades, em que só via o que queria, ou não via por exemplo uma dissimulada rasteira dentro da área da equipa sadina, sem que tivesse sido uma arbitragem muito má, finalmente ao minuto 87 lá descortinou mais um penalti, desta vez sobre Bas Dost que ao saltar foi desviado da trajectória da bola pelo encosto do adversário nas suas costas.
   (uma ou outra falta e dois penaltis mais ou menos dissimulados e subreptícios por assinalar em prejuízo do Sporting, um em cada parte)


Casos, por Marco Ferreira in Record (12.08.2017)

Tribunal, in O Jogo (12.08.2017)


   Segundo a ficha de jogo, o único jogador do Sporting a ver cartão amarelo foi Bruno César (90+1), já nos descontos de tempo no final do jogo. O Vitória teve dois jogadores amarelados, João Teixeira (42) e Nuno Pinto (88). Arbitragem mediana, para o fraco, de Bruno Paixão, a poupar-se nos cartões e a dar algum azo a anti-jogo da equipa sadina. Podia ter sido pior, mas também podia ter sido bem melhor.

   Vídeo árbitro: Hugo Miguel e Ricardo Jorge Santos nada influíram no(s) lance(s) do(s) penalti(s) não assinalado(s), ficando por corrigir, valendo a avaliação errada dos árbitros de campo.

   Tondela - FC Porto [13.08.2017]
   Fábio Veríssimo fez uma arbitragem com critério disciplinar ligeiro e alguma permissividade, mas sem erros particularmente graves, exceptuando talvez o lance envolvendo Ricardo Costa e Marega (10), derrubado à entrada da grande-área, junto à linha de fundo, do lado direito do ataque, não assinalado. Existe o lance dentro da grande-área em que Marega disputa a bola com o guardião do Tondela (64), mas com este a chegar primeiro à bola e o jogador do Porto a forçar o contacto, pelo que aparentemente a decisão foi correcta em mandar seguir.
   (jogo praticamente sem casos, um ou outro erro técnico e critério disciplinar permissivo mas equânime)



   Como se pode ver pela ficha de jogo, três cartões amarelos exibidos a jogadores do Tondela: Murilo (50) e Tomané (50) duma assentada, e outro a Ricardo Costa (72), e dois cartões a jogadores do FC Porto, Felipe (57) e Corona (78). Arbitragem permissiva e mediana de Fábio Veríssimo, nenhum erro muito grosseiro assinalável, excepção feita às duas expulsões perdoadas, uma a Felipe (86), e talvez a Ricardo Costa do Tondela, por acumulação de cartões, com um cartão amarelo perdoado a cada um.

   Vídeo árbitro: Hélder Malheiro e Nuno Roque tiveram nenhuma influência visível no desenrolar da partida, onde pouco mais houve que os lances de Ricardo Costa e Felipe para corrigir.

   Chaves - Benfica [14.08.2017]
   Jorge Sousa começou por exibir o primeiro cartão amarelo bem cedo, por falta de André Almeida (14) junto à linha lateral, travando a progressão do adversário ostensivamente. Começou bem e prometeu ser rigoroso, mas pouco depois se começou a perceber que havia em campo um jogador, talvez o que mais faltas fez, com uma espécie de imunidade disciplinar, Eliseu. Decidiu sempre a favor do Benfica nas faltas que este fez, perdoando-lhe o cartão amarelo aqui e ali. Por exemplo, no pontapé na canela de Matheus Pereira e na falta sobre o mesmo num lance à entrada da área, onde nem sequer a falta assinalou. Tantas vezes fez vista grossa ao jogo faltoso de Eliseu, que acabou por ter de mostrar cartão amarelo (que podia ser vermelho) a Matheus Pereira, já mesmo ao cair do pano. Coerências.
   (alguns erros técnicos e dualidades de critério disciplinar favoráveis ao Benfica)



   Neste jogo, dois cartões amarelos para jogadores do Benfica, André Almeida (14) e Jiménez (90+4). No entanto, das várias faltas cometidas por Eliseu ao longo do jogo, principalmente sobre Matheus Pereira, jogador emprestado ao Chaves pelo Sporting CP, pelo menos uma delas não foi assinalada, como a que cometeu à entrada da área encarnada depois de o perseguir por todo o meio-campo, após ter sido ultrapassado em drible, e duas foram assinaladas mas ficando o respectivo cartão amarelo por exibir.
   Todas as decisões e falhas técnicas e disciplinares da equipa de arbitragem liderada por Jorge Sousa, foram favoráveis ao Benfica, até ao último minuto do jogo e dos descontos de tempo, em que poupou a expulsão a Matheus Pereira (90+5), com um cartão amarelo que até podia ter sido vermelho, por pontapear Rafa nas pernas. Critério que não aplicou a Eliseu ao longo de todo o jogo, acabando sem ver cartão algum.

   Vídeo árbitro: Tiago Martins e Pedro Mota nada influíram nos lance não assinalados e/ou não admoestados disciplinarmente, que ficaram por penalizar, valendo a avaliação errada dos árbitros de campo.
« Última modificação: Agosto 28, 2017, 02:16 am por HULK VERDE »
"Isto aqui não é a operação lava-jacto, isto é mas é a operação lava-porta-aviões"
Rui Trindade

Hic Sunt Leones
   Liga NOS 2017/2018 - 3.ª jornada

   Vitória de Guimarães - Sporting CP [19.08.2017]
   Celis agride Bruno Fernandes com cotovelo na face e pisa deliberadamente o tornozelo de Fábio Coentrão - decisão de Hugo Miguel: nem falta nem cartão no primeiro lance, no segundo apenas falta. Veria cartão amarelo aos 87 minutos por lance semelhante ao do pisão no tornozelo. Completou o jogo.
   (erros graves em prejuízo do Sporting Clube de Portugal)



   Segundo a ficha de jogo, o primeiro jogador de campo a ver cartão foi Adrien Silva (68), do Sporting CP. Bruno Fernandes (90+2), um dos jogadores que mais sofreu com entradas de pitons, cotoveladas e outras, foi o outro jogador leonino a ver cartão amarelo. Do lado do Vitória, 3 cartões amarelos mostrados, Rafael Miranda, Marcos Valente (74) e o tal de Celis (87).

   Vídeo-árbitro: Jorge Sousa e seu auxiliar Álvaro Mesquita não relataram qualquer agressão de Celis, que só foi amarelado praticamente na última intervenção que fez, pisando mais uma vez o tornozelo/calcanhar do jogador que marcava. Um mau exemplo, ou seja, foi daqueles casos em que o vídeo-árbitro limitou-se a fazer figura de corpo presente, mas foi como se estivesse ausente.

   Benfica - Belenenses [19.08.2017]
   Eliseu pisa deliberadamente Diogo Viana deitado no relvado - decisão de Rui Costa: nem falta nem cartão. Lançamento lateral favorável ao Benfica.
   (erro grave favorável ao Benfica)



 
CONSELHO DE ARBITRAGEM RECONHECE QUE ELISEU DEVIA TER VISTO VERMELHO
BENFICA 21-08-2017 18:06
Por
Redação
O Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol reconheceu, esta segunda-feira, durante reunião na Cidade do Futebol com comentadores de futebol com espaço nas televisões, que o árbitro Rui Costa errou ao não mostrar cartão vermelho a Eliseu ao minuto 60 do encontro entre Benfica e Belenenses, depois da entrada do lateral-esquerdo dos encarnados sobre Diogo Viana.

E entende, também, que o videoárbitro (VAR) do encontro de sábado passado, Vasco Santos, errou também ao não dar essa indicação ao colega no relvado - os lances para expulsão, recorde-se, estão previstos no protocolo do International Board como um dos momentos em que o VAR deve intervir.

O erro foi reconhecido durante uma iniciativa do CA, que recebeu na manhã desta segunda-feira comentadores com espaço em televisões, para divulgar e dar alguns esclarecimentos sobre o VAR. Foram mostradas imagens de diversos lances para tirar dúvidas, mas a reter há a ideia de que as coisas têm, nestas primeiras três jornadas, corrido muito bem, algo que o erro assumido neste lance de Eliseu não coloca em causa, até porque desde o início os responsáveis da arbitragem admitiram estar sujeitos a erro, em especial nesta fase inicial.


   Neste jogo, apenas um jogador teve sanção disciplinar, Florent (54), do Belenenses. Folha limpa para o Benfica. Estranho, no mínimo.

   Vídeo-árbitro: Vasco Santos foi incapaz de rectificar a absurda decisão de Rui Costa, que marcou falta favorável ao Benfica, numa omissão do que se passou tão ou mais absurda (ouviremos algum dia a gravação áudio entre ambos? Isto se houve sequer comunicação...).

   FC Porto - Moreirense [20.08.2017]
   Maxi Pereira agrediu Peña com braço na face - decisão de Manuel Oliveira: nem falta nem cartão. No lance de possível grande penalidade sobre Corona (36) idem, mas aí já o Moreirense perdia por 2 a 0, pelo que a ter errado, não teve muito impacto no resultado final.
   (critério disciplinar favorável ao FC Porto, permissivo e proteccionista, erro grave ao não expulsar Maxi Pereira, eventual penalti por marcar contra o Moreirense)


MAXI USOU O SEU BRAÇO ESQUERDO PARA TRAVAR A PASSAGEM DE PEÑA.
Este incidente, até por ser atípico, merece uma análise mais detalhada:

Por um lado, percebeu-se pelas imagens que houve infração óbvia, que devia ter sido sancionada disciplinarmente. Percebeu-se também que a ação do lateral foi deliberada;
Por outro lado, não foi claro que essa atitude tenha configurado uma clara conduta violenta. Ou seja, nas imagens que vimos (e revimos) não é totalmente evidente o que Maxi tentou fazer: obstruir ilegalmente a progressão de Peña ou atingi-lo de forma grosseira e/ou violenta?
Honestamente, não consigo fazer esse juízo de valor com certeza total. E se colocarmos clubismos à parte, penso que estaremos de acordo quanto a isso.

Este lance reforça a ideia que há muito vos tento passar: por vezes, não há carimbos.

A linha entre o limite máximo da incorreção e o limite mínimo da agressão é muito ténue.

Certo, certo é o seguinte: no mínimo dos mínimos, este era lance para amarelo por comportamento antidesportivo.

Certo também é que se o árbitro tivesse optado pelo vermelho direto, ninguém poderia por em causa a justiça dessa interpretação.

PERCEBE-SE O MOTIVO PELO QUAL O VA NÃO PODERIA APOIAR AQUI O SEU COLEGA: O ERRO INICIAL NÃO FOI 100% EVIDENTE.


   Como se pode ver pela ficha de jogo, nem um cartão amarelo exibido ao FC Porto, dois cartões amarelos para jogadores do Moreirense, Neto (68) e Sagna (87). Continua o critério largo, mais para uns que para outros.

   Vídeo-árbitro: Tiago Martins e seu auxiliar Pedro Mota não vislumbraram, ou não informaram, qualquer agressão de Maxi Pereira (?).
« Última modificação: Outubro 28, 2017, 05:13 am por HULK VERDE »
"Isto aqui não é a operação lava-jacto, isto é mas é a operação lava-porta-aviões"
Rui Trindade

Hic Sunt Leones
   Liga LEDMAN Pro 2017/2018 - 3.ª jornada

   Real Massamá - Sporting CP B [20/08/2017]
   Desta vez, o árbitro melhor classificado da época anterior, Jorge Sousa (depois de se ter forçado ao retiro em 2015/2016, para não ser encostado, voltando com novo chip na época passada, para conseguir ficar à frente de toda a gente, sabe-se lá como), fez curto-circuito, e vai de injuriar o guarda-redes da equipa B do Sporting, Stojkovic. Do posterior lance de livre-directo resulta o primeiro golo do jogo, de livre directo. O Sporting B deu a volta nos últimos minutos da partida, conseguindo o árbitro expulsar um jogador do Sporting, após o golo da reviravolta por, supostamente... palavras.
   (erro grave em prejuízo... da própria credibilidade do "melhor" árbitro português, internacional com as insígnias da FIFA)


   Assim vai o futebol português. Pontualmente, sempre que se justifique, será abordado o campeonato da 2.ª liga, até porque os erros são tão ou mais grosseiros, mesmo que os árbitros, como se vê neste caso, até sejam os melhores classificados, com insígnias da FIFA e da... ordinarice (para não dizer trafulha).

Alexandre Pais, in Record (21/08/2017)
« Última modificação: Agosto 22, 2017, 04:10 am por HULK VERDE »
"Isto aqui não é a operação lava-jacto, isto é mas é a operação lava-porta-aviões"
Rui Trindade

Hic Sunt Leones
Conselho de Disciplina solicita processo a Jorge Sousa

RTP 21 Ago, 2017, 21:43 / atualizado em 22 Ago, 2017, 07:52 | Futebol Nacional
Conselho de Disciplina solicita processo a Jorge SousaLegenda da Imagem |

Jorge Sousa esteve em destaque pela negativa face às palavras que dirigiu ao guarda-redes do Sporting B, Stojkovic, durante o jogo deste fim de semana com o Real Massamá.

Sob a mira dos microfones, o árbitro Jorge Sousa pode vir a ser castigado com um a cinco jogos de suspensão face ao modo como se dirigiu ao jogador do Sporting B, Stojkovic.

Atento, o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) reagiu de imediato, pois as críticas do clune 'leonino' fooram imensas. A CD solicitou assim, esta segunda-feira, junto da Comissão de Instrutores da Liga de Clubes, a abertura de um processo sumário (sumaríssimo) ao árbitro Jorge Sousa, pois as palavras  - bem audíveis - em video que circula nas redes socias, falam por si.

Jorge Sousa suspenso por três jogos

RTP 22 Ago, 2017, 17:53 | Futebol Nacional
Jorge Sousa suspenso por três jogosJorge Sousa, árbitro internacional português | Lusa

O árbitro internacional Jorge Sousa vai ser suspenso por três jogos devido a palavras dirigidas a Stojkovic, guarda-redes da equipa B dos leões, no jogo frente ao Real do último fim de semana.

A Comissão de Instrução da Liga considerou que Jorge Sousa infrigiu o artigo que condena os árbitros que se dirijam de forma menos correta e educada a jogadores.

O árbitro, de 42 anos, fica assim afastado dos relvados durante três encontros, depois de José Manuel Meirim, presidente do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, ter pedido a abertura de um processo sumário ao internacional português.

"Isto aqui não é a operação lava-jacto, isto é mas é a operação lava-porta-aviões"
Rui Trindade

Hic Sunt Leones
Gabo-te a paciência. Vais ter muito trabalhinho.
«O importante é ganhar. Quer se goste mais de umas coisas e menos de outras, quer se tenha uma opinião mais para a esquerda ou mais para a direita, o que realmente importa é que cada um de nós ponha sempre os interesses do Sporting Clube de Portugal acima de qualquer gosto particular, de qualquer ataque dos nossos adversários, e tão alto que nada nem ninguém nos impeça de sermos cada vez mais fortes, ganhadores e campeões».
   Obrigado. Conto com a ajuda dos membros válidos deste Fórum que realmente sabem ver onde estão os inimigos e carrascos do Sporting, e defender o Clube deles.
"Isto aqui não é a operação lava-jacto, isto é mas é a operação lava-porta-aviões"
Rui Trindade

Hic Sunt Leones
Força Hulk! Excelente tópico!
Curioso que nas pontuações da Bola os de Guimarães tenham quase todos 3 e nem um do Belenenses tem 3.
7 também são mais pródigos no Benfica que no Sporting.
Bom trabalho, vais ganhar cabelo branco até ao fim da época!!
Isto é o tópico.

E deveria estar fixo lá em cima.
   Tópico actualizado com a 1.ª e 2.ª jornadas. Agradeço o apoio de todos. Qualquer reparo, informação, peças em vídeo ou digitalizadas, opiniões, podem enviar-me por Mensagem Privada que eu responderei devidamente.

   Quanto à sugestão do de fixar o tópico no topo, deixo à moderação o critério.
"Isto aqui não é a operação lava-jacto, isto é mas é a operação lava-porta-aviões"
Rui Trindade

Hic Sunt Leones
Hoje o Filipe Augusto devia ter sido expulso e falta que origina o suposto penalty não era falta.

Tanto não era falta que o Pelé nesse lance levou amarelo por se deitar no chão a rir depois de ver que tinha sido marcada falta :lol:
Hoje o Filipe Augusto devia ter sido expulso e falta que origina o suposto penalty não era falta.

Tanto não era falta que o Pelé nesse lance levou amarelo por se deitar no chão a rir depois de ver que tinha sido marcada falta :lol:

   Vou editar o jogo, já há "compêndios" compactos.
"Isto aqui não é a operação lava-jacto, isto é mas é a operação lava-porta-aviões"
Rui Trindade

Hic Sunt Leones
   Liga NOS 2017/2018 - 4.ª jornada
   
   Rio Ave - SL Benfica [26.08.2017]
   Eliseu mais uma vez foi o artista (marcial) principal, com uma entrada em campo que não passou despercebida a ninguém, excepto talvez à equipa de arbitragem e ao vídeo-árbitro. Nenhum foi capaz de descortinar duas ou três agressões, se contarmos com a projecção de Francisco Geraldes ao solo (23s) com que iniciou a contenda. Praticou wrestling, full contact, com uma cotovelada (17), e até pontapeou um jogador caído aos seus pés no peito, com a bola fora de campo (4). Quando a capacidade futebolística não abunda, parece que o jogo violento impera impunemente. Recorde-se que já devia estar de castigo pela agressão da anterior jornada, o pisão ostensivo ao saltar sobre as pernas de Diogo Viana que interceptou em carrinho a bola à sua frente, seguindo o jogo com lançamento de linha lateral favorável ao Benfica. Além dos habituais golpes de Eliseu, outro artista parece querer seguir-lhe as pisadas, Pizzi (73). É ver a determinação e o à vontade com que pontapeou Francisco Geraldes nas pernas, mesmo em frente ao árbitro e com o jogo parado, com todas as atenções focadas naquela zona do campo. É caso para perguntar por que motivo estes casos grosseiros, de tão evidentes que são, e ainda mais graves se tornarem pela (in)consequente impunidade, nunca aparecem nos resumos seja das televisões, dos vídeos dos casos Sapo Desporto, nos resumos do Rui Santos, etc...
   O árbitro Hugo Miguel fez uma arbitragem tímida, alguns lapsos técnicos, invariavelmente o critério foi largo, demasiado até, protegendo sempre o jogo violento dos praticantes do costume. Erros muito frequentes da equipa de arbitragem, e um penalti muito polémico, pela frequência com que ocorre em todos os jogos (agarrões em bolas paradas), sendo raramente assinalado, a permitir ao Benfica o empate em Vila do Conde. No mesmo lance parece haver outros jogadores a cometer exactamente a mesma falta, atacantes sobre defesas assim como defesas sobre atacantes. Além do mais, o próprio livre-directo que dá origem ao lance do penalti (um cruzamento mal tirado com a bola a sobrevoar toda a gente na área, fora do alcance e não jogável), parece ser mal assinalado, pois existe um corte na bola na direcção perpendicular à do movimento de Pizzi.
   (erros disciplinares graves favoráveis ao Benfica)


A falta (?) sobre Pizzi assinalada por Hugo Miguel, na origem do livre de que resulta o penalti (?)




   Muita parra, pouca uva. Critério disciplinar demasiado macio para a agressividade mais do que perigosa de alguns jogadores do Benfica, nomeadamente Pizzi (73) e Eliseu (23s; 4; 17), que voltou a escapar impune (será imune a ser expulso, seja por acumulação de amarelos, seja por exibição de vermelho directo?). Dois jogadores do Benfica amarelados, Filipe Augusto (55) e Zivkovic (90+4), no tête-à-tête final que Hugo Miguel não puniria, não fosse o auxiliar ter visto e os jogadores do Rio Ave chamado o árbitro à atenção. A decisão salomónica foi punir igualmente Marcelo (90+4). Também do Rio Ave, foram amarelados Óscar Barreto (31), Nadjack (64) e Tarantini (66), num total de 4 jogadores.

   Vídeo-árbitro: Fábio Veríssimo foi incapaz de cumprir a missão mais que possível, com os meios ao seu dispor, assim como Pedro Felisberto. Não viu nenhuma agressão, quando elas foram bem visíveis. Começa a tornar-se um hábito o vídeo-árbitro e as equipas de arbitragem deixarem passar tudo o que são agressões de jogadores do Benfica, seja no Estádio da Luz, seja fora de casa. (Não creio que tenha havido sequer comunicação com o árbitro principal e seus auxiliares, saberemos algum dia?)

   Sporting CP - Estoril-Praia [27.08.2017]
   Luís Godinho pautou-se por uma arbitragem tecnicamente quase irrepreensível, mas que pecou por alguma dualidade de critérios a nível disciplinar, poupando alguns cartões amarelos (ainda assim exibiu 8 no total, bastantes para os que têm sido exibidos nos jogos dos 3 grandes até à 4.ª jornada do campeonato). Porém, e mesmo descontando o lance de possível grande penalidade sobre Bas Dost, agarrado e imobilizado à boca da baliza, dando o benefício da dúvida ao critério do árbitro, e considerando que não teve a devida assistência e ajuda do vídeo-árbitro e do seu auxiliar de campo, ia sendo traído pelo outro árbitro auxiliar que não vislumbrou o fora-de-jogo que permitiu ao jogador do Estoril fazer o golo do empate à beira do fim. Valeu que desta vez o vídeo-árbitro intercedeu e corrigiu a falha técnica da equipa de arbitragem. Imediatamente antes confirmou também o golo invalidado ao Sporting.
   (erros em prejuízo do Sporting Clube de Portugal; critério disciplinar errático)



   Como é habitual, para não dizer tradicional, foi um jogador do Sporting CP o primeiro a ver cartão, Battaglia (35); Bruno Fernandes (66) e Acuña (74) completam o conjunto de 3 cartões amarelos a jogadores leoninos. Bruno Fernandes, voltou a sofrer com entradas de pitons e outras (se metade dessas valessem o mesmo critério aos adversários do Sporting... Kléber por exemplo escapou sem cartões, mas simulou penalti - lance do video-árbitro solicitado por alegada falta de Mathieu, inexistente - e ainda atingiu Petrovic nas canelas (71) quando já este tinha passado). Do lado do Estoril, 5 cartões amarelos mostrados: Duarte Valente (45), Lucas Evangelista (53), André Claro (59), Pedro Monteiro (75) e Diakhité (90+1), a entrar de sola em lance disputado com Bruno Fernandes.
   Este foi, dos jogos analisados até agora, o que teve mais cartões amarelos (8), seguido do jogo de hoje em Braga (7) e o de ontem em Vila do Conde (6). O critério disciplinar apertou à 4.ª jornada, ou melhor, a frequência do número de cartões amarelos exibidos aumentou, pois ainda assim ficou cartão vermelho por mostrar a (Eliseu) e, pelo que se viu hoje em Alvalade, alguns amarelos ficaram por dar.

   Vídeo-árbitro: A dupla Tiago Martins e o auxiliar Tiago Rocha solicitou a análise do lance em que Kléber se projectou de encontro às pernas de Mathieu na grande-área do Sporting, que após observação do árbitro principal, não teve provimento, mandando seguir: decisão correcta do árbitro, foi um corte legal na bola e uma projecção de Kléber (que escapou ao cartão amarelo). No penalti cometido sobre Bas Dost (seguindo o critério da arbitragem no dia anterior em Vila do Conde, onde um agarrão/puxão/imobilização de um atacante dentro da grande área foi convertido em grande penalidade), nenhum teve dúvidas que levassem o árbitro a observar e analisar com recurso ao vídeo o lance em causa, que passou sem penalização. Até aqui, nada parecia estar a funcionar como deve ser na Cidade do Futebol, acreditando que a equipa de arbitragem em Alvalade seguiu sempre o critério técnico que lhe pareceu correcto e aplicável.
   Tudo se inverteu nos últimos minutos de jogo, já nos descontos de tempo, onde foi a equipa de arbitragem em campo a não estar tão bem e o vídeo-árbitro a repor a verdade desportiva, anulando primeiro um golo ao Sporting, por fora-de-jogo a Piccini ao assistir Bas Dost, e logo depois um outro golo ao Estoril, também por fora-de-jogo, mesmo quase a acabar.
   Portanto, apesar de erros de avaliação que poderiam (ou podem) ter adulterado os números finais do resultado, acabou por ser o vídeo-árbitro a impedir que a vitória do Sporting fosse afectada já nos minutos finais, visto que o auxiliar não detectou o fora-de-jogo no golo anulado ao Estoril e este passou em claro ao árbitro. Assim sendo, a imagem que fica da actuação do vídeo-árbitro é a de que tudo acabou bem, mas andou bastante tremida até aos minutos finais, pela dualidade de critérios que transmitiu quando solicitou ao árbitro a observação e análise de um lance inexistente de penalti a favor do Estoril, e quando não o fez noutro lance mais evidente à luz dos critérios aplicados noutro jogo desta mesma jornada, que seria penalti a favor do Sporting. Seguem-se os vídeos dos últimos lances da partida, o fora-de-jogo de Piccini no golo de Bas Dost (92), e o fora-de-jogo que precede o golo do Estoril Praia (95), que nem os assistentes nem o árbitro viram, e que foram comunicados e corrigidos pelo vídeo-árbitro. Estes vídeos foram divulgados a 10 de Setembro de 2017, pela FPFutebolOficial, no Youtube.



   Braga - FC Porto [27.08.2017]
   Carlos Xistra teve um jogo bem disputado para arbitrar mas que nunca se tornou complicado nem violento, sem excessos de agressividade. Soube dirigir o jogo com um critério técnico ajustado, ajuizou bem disciplinarmente, sem precisar de complicar, e sem ser praticamente necessária a ajuda do vídeo-árbitro. Apenas um lance de possível penalti sobre Aboubakar suscitou algumas dúvidas, talvez com os "novos critérios" de Vila do Conde se pudesse considerar que ficou por marcar mais uma grande penalidade.
   (arbitragem positiva e equilibrada sem grandes problemas ou casos; critério disciplinar equânime)



   4 cartões amarelos exibidos ao FC Porto pela equipa de arbitragem: Oliver (24), Corona (39), Danilo (90+2) e Ricardo (90+3). 3 cartões amarelos para jogadores do Braga, Fransérgio (27) Xadas (30) e Sequeira (82). O critério disciplinar realmente tornou-se um pouco mais apertado, apesar do cartão amarelo por mostrar a Brahimi (47), e o FC Porto, dos candidatos ao título, é o que soma mais cartões amarelos num único jogo.

   Vídeo-árbitro: Bruno Esteves e seu auxiliar Nuno Pereira praticamente não tiveram que intervir, e no lance do possível penalti corroboraram a decisão da equipa de arbitragem em campo, não vendo motivo suficiente para marcação de grande penalidade.
« Última modificação: Outubro 28, 2017, 03:47 am por HULK VERDE »
"Isto aqui não é a operação lava-jacto, isto é mas é a operação lava-porta-aviões"
Rui Trindade

Hic Sunt Leones
Hoje o Filipe Augusto devia ter sido expulso e falta que origina o suposto penalty não era falta.

Tanto não era falta que o Pelé nesse lance levou amarelo por se deitar no chão a rir depois de ver que tinha sido marcada falta :lol:

Isto aconteceu mesmo?  :lol:

 :venia:
Hoje o Filipe Augusto devia ter sido expulso e falta que origina o suposto penalty não era falta.

Tanto não era falta que o Pelé nesse lance levou amarelo por se deitar no chão a rir depois de ver que tinha sido marcada falta :lol:

Isto aconteceu mesmo?  :lol:

 :venia:

Yap, alguém que arranje gif  :lol:

E o pelé é lampião, fará se não fosse.
O lampião miguel até deve ter ficado com vergonha alheia.
  E anda um caramelo qualquer no tópico da LiGa NOS a afirmar perentoriamente, que foi penalty bem assinalado. O VAR não muda enquanto estes palhaços andarem por aí bem descamisadinhos nas suas vidas saloias! São gentinha do mais baixo que existe, e Portugal está repleto destes m***** corruptos!