Do trauma à confiança

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Vamos lá ver: o momento é de reflexão interna. O momento é o de reflectir sobre os erros e corrigir deficiências. O momento é o de ajustar comportamentos à realidade dos factos. O momento é o de iniciar o caminho de reconquista da maior perca que tivemos neste inicio de temporada: a confiança dos jogadores e dos adeptos.

A realidade nua e crua é a de que o Sporting "aceita" participar numa competição viciada, onde todos os elementos favorecem o mais directo rival. Todos estão cientes de que, à mínima dificuldade que se atravesse no caminho do carnide, o colinho / voucher ou a mala aparecem e dão logo uma ajuda preciosa. Todos também estão conscientes de que, se o Sporting se colocar a jeito (tal como aconteceu em Guimarães), os homens do apito não perdoam, inclinando o campo contra a nossa equipa. Perante um cenário destes e tendo em conta a vergonha do que se passou no campeonato anterior, o Sporting inicia esta temporada com um trauma: o de que a equipa não pode, em nenhuma circunstancia, perder pontos.

A explicação é simples: o campeonato anterior deu a entender que jogar o melhor futebol não chega. Deu também a entender que, assim que os lampiões chegam ao topo, são invencíveis (e não será, certamente, por causa do seu potencial). Logo, nesta época o Sporting tem uma dupla pressão: tentar ganhar o campeonato contra um rival que tem a vida facilitada em 80% dos jogos. Isto faz de cada perca de pontos do Sporting uma tragédia. A equipa sente isso e está a vacilar em momentos importantes das partidas.

A impressão que se transmite para a bancada é a de que nunca se sabe se o jogo já está ganho. Isso revela, acima de tudo, falta de estaleca a nível psicológico de grande parte da equipa. Esse é, sem duvida, o aspecto mais relevante a melhorar. Um exemplo claro é a nossa defesa: os atletas que são agora acusados de pernetas e incapazes foram os mesmos que nos deram uma defesa de betão em grande parte da época passada. O que mudou? Parece evidente que, uma das explicações, estará na pressão adicional de serem campeões numa competição viciada, onde falhar não é opção.  Os jogadores sabem disso e os adeptos também.

Por isso, todo e qualquer desaire da equipa do Sporting assume proporções apocalípticas. Todos sentimos que cada ponto perdido é quase impossível de recuperar. É este o preço a pagar quando se compete em condições desiguais. É este também o maior desafio que o corpo técnico tem de superar. A equipa tem de recuperar a confiança no seu potencial e esquecer o que se passa à sua volta. Esse será o factor essencial para que, nos próximos jogos, os adeptos possam voltar a acreditar na equipa.

Neste aspecto, a massa adepta também terá de dar uma resposta positiva nos tempos que se seguem. Bem sei, será difícil estar numa partida e viver com a duvida do "Será que dois a zero é suficiente?" ou "O adversário reduziu para três a um, será que a equipa vai abanar?". Mesmo que os adeptos sintam essa insegurança, o pior que podem fazer é transmiti-la para o terreno de jogo. Se por um lado terá de ser a equipa a reconquistar a confiança dos adeptos também não podem ser estes a colocar obstáculos a que esse processo se conclua com sucesso.

O Sporting tem o treinador, a equipa e o presidente certos. É altura de nos virarmos para dentro, continuando a batalhar nos bastidores para a tão necessária limpeza do futebol português. Da mesma forma que é urgente desmistificar a noção de que os lampiões são inderrubáveis também convém ter a consciência de que ninguém leva a sério fanfarrões desbocados. Por fim, mais importante do que recuperar na classificação é a recuperação do capital de confiança que este inicio de época abalou. Se tal acontecer, tudo o resto virá por acréscimo.

Minoritariamente...pelo verdadeiro Sporting!

http://endlessnomadeu.blogspot.pt/
At last ... Um post consciente, sereno, útil. E verdadeiro. Obrigada.
"É altura de nos virarmos para dentro"

Assunção clara de que não o temos feito. 7 jornadas realizadas, ainda vamos a tempo...

Quanto aos lampiões serem inderrubaveis, serao-no mas claramente em poucos campos/jogos.

Nós, Porto, Guimarães e pouco +
15-18pts sera o max k eles irão perder
Sendo k nos ja estouramos 5 a margem esta a ficar curta

Discordo de quase tudo, com exceção do último parágrafo.

Primeiro, a histeria quando se perde pontos não tem nada a ver com o que o Benfica faz ou deixa de fazer. Vem do facto de não ganharmos nada de jeito há muitos anos.  Isto faz com que os adeptos do Sporting já nem se lembrem de como é ganhar campeonato. Não se lembram, por exemplo, que da última vez que fomos campeões, tínhamos um empate e duas derrotas à 4ª jornada. Também não se lembram que, da penúltima vez que fomos campeões, tínhamos apenas 2 vitórias à 5ª jornada. Por isso, pensam que só é possível ser campeão com 34 vitórias e que é em Setembro ou Outubro que se decidem os campeonatos.

Depois, é óbvio que esta equipa está sob pressão. Novamente isto não tem nada a ver com supostas "competições viciadas" (a sério, se acham mesmo que está tudo combinado, porque é que continuam a ver?!). Tem a ver com o facto de a equipa estar há 14 anos sem ser campeã. Era o que mais faltava era não haver pressão! O que foi anormal foi aquele período em que os anos de insucesso se acumulavam e a apatia era geral e se dizia que o 2º lugar já era muito bom.

Aliás, a conversa do "melhor futebol" da época passada só mostra o quão longe este tem clube estado das grandes decisões. Como conseguimos, pela primeira vez numa década, montar um assalto sério ao título e esse assalto falhou, achamos que é o fim do mundo e que só uma conspiração de proporções cósmicas impediu o que estava escrito nas estrelas. Não! Falhou porque, como em todo lado, é difícil ganhar à primeira. E é sempre muito mais fácil ao campeão defender o título do que ao aspirante conquistá-lo. Seja no futebol, no ténis ou no boxe. Uma equipa que está habituada a ganhar já viveu momentos maus e sabe o que vale. Sabe que e que, às vezes, não é preciso ser o melhor para ganhar. Que o importante é manter a cabeça fria. E que uma derrota não é o fim do mundo. Já uma equipa que não está habituada, é sempre mais frágil porque está a sempre a pisar terreno novo. O desporto é assim.

Eu, se calhar por que já tenho muitos anos disto, não estou excessivamente preocupado com estes últimos resultados. Primeiro, porque prefiro que aconteçam agora, quando há muito tempo para corrigir o falhas, do que em Fevereiro ou Março, quando o campeonato se decide. Como, de resto, se viu na época passada.

Depois, porque o que aconteceu ontem foi tão bizarro que é difícil perceber o que significa. Quantas vezes é que uma equipa que está a ganhar por 3-0 e a ter um domínio esmagador se deixa empatar? Há muito de improvável no que se passou ontem - e portanto irrepetível.

Mas também é verdade que é a 2ª vez em 2 jogos fora em que a equipa entra em colapso total quando sofre um golo. Cinco minutos depois do segundo golo do Guimarães, já eu tinha a certeza de que o empate era inevitável. Deixámos de jogar, passámos a perder todos os duelos, a errar passes, a ter perdas de bola estúpidas, a falhar marcações, a entrar em pânico cada vez que um gajo de branco pegava na bola. Parecia que outra equipa tinha entrado em campo sem ninguém dar por isso. Foi assombroso. Parecia magia. O empate é naquele lance mas podia ser daí a 2 ou 3 minutos, tamanho era o descontrolo dos jogadores do Sporting. Honestamente, o treinador do Guimarães ficou satisfeito com empate, mas eu acho que a vitória estava perfeitamente ao alcance da sua equipa naquela altura.

Logo, não está tudo bem. É preciso olhar para estes jogos e perceber o que falhou. E corrigir. Mas sem dramas. Estamos no início de Outubro, a uma vitória do primeiro lugar. Com 27 jornadas para disputar, isso significa zero.
"It is not the critic who counts; not the man who points out how the strong man stumble or where the doer of deeds could have done them better. The credit belongs  to the man who is actually in the arena, whose face is marred by dust and sweat and sand; who strives valiantly, who errs, who comes short again and again, because there is no effort without error and shortcoming; but who actually strive to do the deeds, who knows the great enthusiasms, the great devotions; who spends himself in a worthy cause; who at best knows in the end the triumph of high achievement, and who at worst, if he fails, at least fails while daring greatly, so that his place shall never be with those cold and timid souls who neither know victorly nor defeat."
Discordo de quase tudo, com exceção do último parágrafo.

Primeiro, a histeria quando se perde pontos não tem nada a ver com o que o Benfica faz ou deixa de fazer. Vem do facto de não ganharmos nada de jeito há muitos anos.  Isto faz com que os adeptos do Sporting já nem se lembrem de como é ganhar campeonato. Não se lembram, por exemplo, que da última vez que fomos campeões, tínhamos um empate e duas derrotas à 4ª jornada. Também não se lembram que, da penúltima vez que fomos campeões, tínhamos apenas 2 vitórias à 5ª jornada. Por isso, pensam que só é possível ser campeão com 34 vitórias e que é em Setembro ou Outubro que se decidem os campeonatos.

Depois, é óbvio que esta equipa está sob pressão. Novamente isto não tem nada a ver com supostas "competições viciadas" (a sério, se acham mesmo que está tudo combinado, porque é que continuam a ver?!). Tem a ver com o facto de a equipa estar há 14 anos sem ser campeã. Era o que mais faltava era não haver pressão! O que foi anormal foi aquele período em que os anos de insucesso se acumulavam e a apatia era geral e se dizia que o 2º lugar já era muito bom.

Aliás, a conversa do "melhor futebol" da época passada só mostra o quão longe este tem clube estado das grandes decisões. Como conseguimos, pela primeira vez numa década, montar um assalto sério ao título e esse assalto falhou, achamos que é o fim do mundo e que só uma conspiração de proporções cósmicas impediu o que estava escrito nas estrelas. Não! Falhou porque, como em todo lado, é difícil ganhar à primeira. E é sempre muito mais fácil ao campeão defender o título do que ao aspirante conquistá-lo. Seja no futebol, no ténis ou no boxe. Uma equipa que está habituada a ganhar já viveu momentos maus e sabe o que vale. Sabe que e que, às vezes, não é preciso ser o melhor para ganhar. Que o importante é manter a cabeça fria. E que uma derrota não é o fim do mundo. Já uma equipa que não está habituada, é sempre mais frágil porque está a sempre a pisar terreno novo. O desporto é assim.

Eu, se calhar por que já tenho muitos anos disto, não estou excessivamente preocupado com estes últimos resultados. Primeiro, porque prefiro que aconteçam agora, quando há muito tempo para corrigir o falhas, do que em Fevereiro ou Março, quando o campeonato se decide. Como, de resto, se viu na época passada.

Depois, porque o que aconteceu ontem foi tão bizarro que é difícil perceber o que significa. Quantas vezes é que uma equipa que está a ganhar por 3-0 e a ter um domínio esmagador se deixa empatar? Há muito de improvável no que se passou ontem - e portanto irrepetível.

Mas também é verdade que é a 2ª vez em 2 jogos fora em que a equipa entra em colapso total quando sofre um golo. Cinco minutos depois do segundo golo do Guimarães, já eu tinha a certeza de que o empate era inevitável. Deixámos de jogar, passámos a perder todos os duelos, a errar passes, a ter perdas de bola estúpidas, a falhar marcações, a entrar em pânico cada vez que um gajo de branco pegava na bola. Parecia que outra equipa tinha entrado em campo sem ninguém dar por isso. Foi assombroso. Parecia magia. O empate é naquele lance mas podia ser daí a 2 ou 3 minutos, tamanho era o descontrolo dos jogadores do Sporting. Honestamente, o treinador do Guimarães ficou satisfeito com empate, mas eu acho que a vitória estava perfeitamente ao alcance da sua equipa naquela altura.

Logo, não está tudo bem. É preciso olhar para estes jogos e perceber o que falhou. E corrigir. Mas sem dramas. Estamos no início de Outubro, a uma vitória do primeiro lugar. Com 27 jornadas para disputar, isso significa zero.
Concordo com a tua análise.
Quanto ao que está mal, eu já apresentei a minha análise várias vezes neste fórum:
- Jogamos em 4-4-2 que na prática é um 4-2-4; o nosso ponto fraco está nas laterais mas não somente pelo valor individual dos mesmos!
- O nosso posicionamento defensivo deixa muito a desejar porque o William não contribui assim tanto para a fase defensiva, não é forte nas coberturas, aliás como ontem se viu com o Hernâni no penalty. Isto faz com os nossos centrais saiam muito da sua zona para ir dobrar às linhas.
- Temos permitido muitos cruzamentos para a zona de finalização, seja de bola corrida, cantos ou livres e como é sabido é aí que se fazem os golos.

JJ tarda em ver isto e temo que mais resultados negativos se sigam porque simplesmente ele ignora a nossa permeabilidade!
Há que controlar a bola quando em vantagem e há que repensar a equipa em situação defensiva. Não estou nada satisfeito com as prestações dos laterais esquerdos nem direitos, mas para mim o William também não cumpre o seu papel.
Discordo de quase tudo, com exceção do último parágrafo.


Discordo obviamente com os teus pontos de vista, salientando as seguintes frases:

Citar
... a histeria quando se perde pontos não tem nada a ver com o que o Benfica faz ou deixa de fazer. Vem do facto de não ganharmos nada de jeito há muitos anos.

Basta ver os comentários sempre que o Sporting faz um mau resultado e percebe-se perfeitamente que o desaire e' empolado em virtude da inevitável comparação com a suposta invencibilidade lampia. Insisto: os adeptos sabem disso e os jogadores também.

Citar
...a sério, se acham mesmo que está tudo combinado, porque é que continuam a ver?!

Porque as pessoas são malucas pelo Sporting. Qual e' a alternativa? Deixar de ver? Deixar de acompanhar o clube? Isso resolveria alguma coisa? O Sportinguista vive na permanente esperança de uma competição justa e isso e' algo que ninguém pode questionar.

Citar
Tem a ver com o facto de a equipa estar há 14 anos sem ser campeã.

Os jogadores e equipa técnica pensam la' nos 14 anos. A maioria chegou recentemente 'a equipa principal e esta'-se a marimbar se o ultimo campeonato foi ganho há 5 ou há 10 anos. As equipas vivem o presente e as condicionantes da competição que enfrentam. A prova de que o passado distante não interessa foi o excelente final de campeonato da época anterior, em que a equipa não vacilou por um instante. O que não se contava era com a inenarrável capacidade competitiva do rival.

Citar
... pela primeira vez numa década, montar um assalto sério ao título e esse assalto falhou, achamos que é o fim do mundo e que só uma conspiração de proporções cósmicas impediu o que estava escrito nas estrelas. Não! Falhou porque, como em todo lado, é difícil ganhar à primeira.

O presidente denunciou os vouchers porque estava preocupado com a dieta dos árbitros. O Sporting queria Vítor Pereira fora do Conselho de Arbitragem porque achava que ele era feio. O jogo da mala não passa de uma versão adulta do jogo do Ganso. As escutas telefónicas são da autoria de cómicos imitadores. O café e a fruta foram devaneios de gente sem nada para fazer. O Marco Ferreira foi um tontinho que chegou a arbitro. Sim, são tudo conspirações de proporções cósmicas. Somos mesmo calimeros.

Citar
Há muito de improvável no que se passou ontem - e portanto irrepetível.

Escutei frases muito semelhantes depois dos 3 golos sofridos em Vila do Conde. Viu-se....


Uma ultima nota apenas para focar outro aspecto: a velha cassete de que o Sporting não se pode queixar dos árbitros de pois de um mau resultado já tem 30 anos. E' a mentalidade que os nossos oponentes, com o apoio dos media, nos conseguiram incutir. "Ah e tal, se perderam ou empataram, toca a fazer auto-critica a torto e a direito, porque a culpa e' nossa e o errito do arbitro não serve como desculpa!". Nunca alinhei em cassetes calimeristas: muitas vezes, o desequilibrar da balança num jogo que esta' a correr mal vem do sentido que os corruptos dos árbitros portugueses lhe quiserem dar. Para o carnide, fazem sempre pender a balança para o lado deles. No nosso caso, sempre que nos colocamos a jeito, já sabemos o que vai acontecer. E no fundo, enquanto nos entretemos em sessões de auto-imolação, são esses (e outros) detalhes que definem campeonatos.

 
Minoritariamente...pelo verdadeiro Sporting!

http://endlessnomadeu.blogspot.pt/
Ter confiança nesta altura não é fácil.
1º Estamos a perder pontos estupidamente, como aconteceu o ano passado e que acabaram por nos afastar do título.
2º O nosso adversário directo da época passada, continua na senda de não perder pontos com as equipas do "outro" campeonato.
3º Neste momento com esta prestação até estamos a dar alento ao outro adversário directo que parecia moribundo.
4º E por último vejam a prestação de JJ na segunda época que treinou os lamps e depois de ter sido campeão no 1º ano c/76P:  2º lugar c/ 63 pontos a 21 pontos do 1º.
Tenho pena, mas neste momento, não tenho confiança, estou é desconfiado que...
Concordo na generalidade com a análise do @Petrovich . Mas também com alguns pontos do texto do @JSabino .

O Sporting vive um contexto em que criou condições de aspirações reais ao título e provou na prática no ano passado, que há capacidade instalada para ser campeão, mas é também um contexto hostil, onde o detentor do título é estruturalmente fortíssimo ( dentro e fora das 4 linhas ) e a pressão mediática é fortíssima, que o Sporting aparece como o desafiante que coloca em causa o domínio vermelho e os pressupostos que valeram esse domínio e se estabelece como um sério incómodo ao actual status quo.

Quantos foram, neste plantel e que compõem a estrutura base, campeões? O Sporting mostrou no ano passado e tem mostrado pontualmente o problema dos comuns desafiantes aos títulos. Não sabem o que é ganhar, não sabem o que é preciso para ganhar e se sentem o rival titulado a errar pouco, começa a tremideira.

Não há volta a dar. Haja ou não haja confiança. É cerrar os dentes, dar as mãos e lutar em cada jogo, como se fosse a própria vida em causa.

Já passámos por demasiado para agora deitar a toalha ao chão em inícios de campeonato e por 3 pontos de distância ao primeiro.

Sejam homenzinhos, jogadores e adeptos. Há muito jogo para disputar para choradinhos em cima do do leite derramado.

A trampa já está feita. É limpar e cerrar fileiras, que há muito para conquistar.

Ah Leão! É assim mesmo! Gostei
SL
Citar
... a histeria quando se perde pontos não tem nada a ver com o que o Benfica faz ou deixa de fazer. Vem do facto de não ganharmos nada de jeito há muitos anos.

Basta ver os comentários sempre que o Sporting faz um mau resultado e percebe-se perfeitamente que o desaire e' empolado em virtude da inevitável comparação com a suposta invencibilidade lampia. Insisto: os adeptos sabem disso e os jogadores também.

Empolados?! Uma equipa que sofre três golos num quarto de hora pela segunda vez consecutiva em jogos fora, é suposto acontecer o quê? A imprensa assobiar para o lado e dizer que são coisas que acontecem todos os dias? Os adeptos darem palmadinhas nas costas dos jogadores?

Não percebo este choradinho. A malta ofende-se porque uma vitória na Supertaça não é tratada pela Bola como um triunfo na Liga dos Campeões. Mas depois, na hora do desaire, quer ser tratado com a condescendência com que o boletim de Marvila trata os jogos do Oriental.

Vamos lá a ver. O Sporting é um grande clube, com milhões de adeptos espalhados pelo mundo. Como tal, tudo o que acontece nele, bom ou mau, é ampliado por mil pela comunicação social. Muito mal estaríamos se isso não acontecesse.

Citar
...a sério, se acham mesmo que está tudo combinado, porque é que continuam a ver?!

Porque as pessoas são malucas pelo Sporting. Qual e' a alternativa? Deixar de ver? Deixar de acompanhar o clube? Isso resolveria alguma coisa? O Sportinguista vive na permanente esperança de uma competição justa e isso e' algo que ninguém pode questionar.

Tretas. A malta não passa é sem a sua teoria da conspiração para justificar os desaires na 2ª de manhã no trabalho.  O Sporting é o clube com mais modalidades no país, pelo que há muito campo e pavilhão onde apoiar o clube. Muitas das suas equipas e atletas, do andebol ao ténis de mesa, ficariam delirantes com uma fração do apoio que a equipa de futebol tem. Eu, se não acreditasse que, tudo somado, são o mérito e a sorte a decidir os campeonatos, já há muito me teria desligado do futebol.

Os jogadores e equipa técnica pensam la' nos 14 anos. A maioria chegou recentemente 'a equipa principal e esta'-se a marimbar se o ultimo campeonato foi ganho há 5 ou há 10 anos. As equipas vivem o presente e as condicionantes da competição que enfrentam. A prova de que o passado distante não interessa foi o excelente final de campeonato da época anterior, em que a equipa não vacilou por um instante. O que não se contava era com a inenarrável capacidade competitiva do rival.

A sério? Experimenta perguntar aos jogadores se eles não sentem o peso do insucesso num clube. A sério. Pergunta-lhes se não sentem as diferenças entre clubes. Os jogadores não são robots e os clubes não são marcas de esparguete. Uma equipa de futebol é composta por dezenas de pessoas e dirigida para uma outra dezena. Está impregnada de cultura de clube e de memória, para o bem e para o mal - no nosso caso, mais para o mal do que para o bem.

Quanto ao exemplo, acho que me estás a dar razão. Tivessem os nossos jogadores experiência de campeões e nunca aquela vantagem teria sido perdida. Foi um caso sério de medo cénico.

O presidente denunciou os vouchers porque estava preocupado com a dieta dos árbitros. O Sporting queria Vítor Pereira fora do Conselho de Arbitragem porque achava que ele era feio. O jogo da mala não passa de uma versão adulta do jogo do Ganso. As escutas telefónicas são da autoria de cómicos imitadores. O café e a fruta foram devaneios de gente sem nada para fazer. O Marco Ferreira foi um tontinho que chegou a arbitro. Sim, são tudo conspirações de proporções cósmicas. Somos mesmo calimeros.

Para sermos justos, os adeptos de futebol são, regra geral, calimeros. Só que se nota mais no nosso caso porque não ganhamos há muito tempo - coisa que espero esteja para acabar depressa (o jejum, não a calimerice - dessa já perdi a esperança há muito...). A sério, pagava para alguém juntar as impressões de adeptos do Sporting, Benfica e Porto sobre meia dúzia de jogos envolvendo uns e outros...

Sobre o Apito Dourado, duas coisas: primeiro, eu tenho memória e lembro-me bem do comportamento vergonhoso que a direção do Sporting da altura teve , com aplauso da grande maioria aqui. Tudo porquê? Porque um castigo ao Porto faria com que o Benfica pudesse disputar uma pré-eliminatória da Liga dos Campeões, vejam lá! Vejam onde chega a doença! Portanto, para esse peditório das vestais ofendidas com a "corrupção", já dei. Segundo, que eu saiba, o esquema do Apito Dourado foi desmantelado. É verdade que o Porto escapou a um justo castigo - que seria perda dos títulos de 2003 e 2004 e a descida de divisão - mas a vida não é perfeita e nós somos últimos a poder reclamar disso.

Quanto aos "vouchers", estamos a falar das ofertas que cabem nos regulamentos? Alguém levou aquilo a sério? Não era apenas parte da gritaria em que temos de nos envolver meia-volta com os gajos do lado de lá (e eles connosco)? Sei que, como dizia o Major nas escutas, isto precisa de um pouco de folclore de vez em quando para animar. Mas comparar os vouchers ao Apito Dourado... enfim.

Mais a sério, a viciação de resultados é o perigo número 1 para a modalidade - tornado exponencial com o negócio das apostas. Deve ser alvo de constante vigilância e os clubes e jogadores envolvidos devem exemplarmente punidos. Mas o vício de denegrir as competições por tudo e por nada também não devia ficar sem castigo.

Citar
Há muito de improvável no que se passou ontem - e portanto irrepetível.

Escutei frases muito semelhantes depois dos 3 golos sofridos em Vila do Conde. Viu-se....

Lê lá o parágrafo seguinte que escrevi, s.f.f. Também podemos fazer uma aposta sobre quantas vezes mais é que o Sporting vai perder uma vantagem de três golos nos próximos 10 anos - eu aposto no zero. Já agora, o que é que os "árbitros malandros, corruptos e gatunos" tiveram a ver com estes colapsos, mesmo?


Nunca alinhei em cassetes calimeristas: muitas vezes, o desequilibrar da balança num jogo que esta' a correr mal vem do sentido que os corruptos dos árbitros portugueses lhe quiserem dar. Para o carnide, fazem sempre pender a balança para o lado deles. No nosso caso, sempre que nos colocamos a jeito, já sabemos o que vai acontecer.

Sem comentários...
« Última modificação: Outubro 03, 2016, 17:39 pm por Petrovich »
"It is not the critic who counts; not the man who points out how the strong man stumble or where the doer of deeds could have done them better. The credit belongs  to the man who is actually in the arena, whose face is marred by dust and sweat and sand; who strives valiantly, who errs, who comes short again and again, because there is no effort without error and shortcoming; but who actually strive to do the deeds, who knows the great enthusiasms, the great devotions; who spends himself in a worthy cause; who at best knows in the end the triumph of high achievement, and who at worst, if he fails, at least fails while daring greatly, so that his place shall never be with those cold and timid souls who neither know victorly nor defeat."


Citar
Não percebo este choradinho. A malta ofende-se porque uma vitória na Supertaça não é tratada pela Bola como um triunfo na Liga dos Campeões. Mas depois, na hora do desaire, quer ser tratado com a condescendência com que o boletim de Marvila trata os jogos do Oriental.

Equivoco da tua parte. Nao me estava a referir 'a imprensa neste assunto.

Citar
O Sporting é o clube com mais modalidades no país, pelo que há muito campo e pavilhão onde apoiar o clube. Muitas das suas equipas e atletas, do andebol ao ténis de mesa, ficariam delirantes com uma fração do apoio que a equipa de futebol tem.

Nao percebo a teoria: se não acreditar no futebol tenho de acompanhar modalidades que não aprecio? Fico contente sempre que atletas do Sporting ganham mas essa ideia de ir ver ping-pong porque o futebol e' corrupto não lembra ao diabo.

Citar
Eu, se não acreditasse que, tudo somado, são o mérito e a sorte a decidir os campeonatos, já há muito me teria desligado do futebol.

Um insulto ao trabalho de limpeza do futebol que a actual direcção leonina tem encetado. (que ainda agora veio denunciar pressões sobre os árbitros). Nos dias de hoje, ler que o campeonato se decide por mérito e sorte do vencedor e' algo que nunca pensei escutar de um adepto Sportinguista esclarecido. Adiante.

Citar
Quanto ao exemplo, acho que me estás a dar razão. Tivessem os nossos jogadores experiência de campeões e nunca aquela vantagem teria sido perdida. Foi um caso sério de medo cénico.

Discordamos mais uma vez. Tivessem os jogadores sentido o "peso dos 14 anos sem ganhar o campeonato - duvido que alguns ate' saibam disso" e a perseguição aos lampiões nunca teria durado ate' ao ultimo jogo.

Citar
Quanto aos "vouchers", estamos a falar das ofertas que cabem nos regulamentos? Alguém levou aquilo a sério? Não era apenas parte da gritaria em que temos de nos envolver meia-volta com os gajos do lado de lá (e eles connosco)? Sei que, como dizia o Major nas escutas, isto precisa de um pouco de folclore de vez em quando para animar. Mas comparar os vouchers ao Apito Dourado... enfim.

Curiosamente ignoras-te as declarações de Marco Ferreira. Ah, já sei, os campeonatos em Portugal ganham-se apenas com mérito e sorte....

O pessoal Sportinguista que anda empenhado em combater a guerra de informação lampia  e em revelar os podres do futebol tuga (nas redes sociais e nos media) devem ficar satisfeitissimos por verem Sportinguistas com este tipo de posição.

Citar
Lê lá o parágrafo seguinte que escrevi, s.f.f. Também podemos fazer uma aposta sobre quantas vezes mais é que o Sporting vai perder uma vantagem de três golos nos próximos 10 anos - eu aposto no zero. Já agora, o que é que os "árbitros malandros, corruptos e gatunos" tiveram a ver com estes colapsos, mesmo?

A resposta e' simples: se naquele jogo, em vez do Sporting estivesse o carnide, com precisamente o mesmo contexto, a partida teria terminado com a vitoria 2-3 dos lampiões. São as tais "pequenas" diferenças.

Minoritariamente...pelo verdadeiro Sporting!

http://endlessnomadeu.blogspot.pt/
Haviam duas semanas decorridas que postaste o "As derrotas de Jesus" para voltar com o "português caro(?)" em "Do trauma à confiança". Sem querer beliscar a morfologia da coisa, deixo um anotamento:

Comportamentos de "white knight", dispenso!

Mas tudo o que dizes, mais não é do que a simples posição moralista. Queres falar de futebol? Óptimo! Queres falar do momento do Sporting? Perfeito! No limite só peço que sejas intelectualmente honesto, caso contrário, terás de lidar com a minha critica pois na mesma medida tenho de lidar com a tua opinião.

Se porventura não admitires, ou apenas não conseguires ver a tua desonestidade, lembra-te não só de crianças se compõe o teu público.

P.S. Morri com isto:
Jesus, consciente ou inconscientemente, consegue regularmente acicatar os adversários mais directos. Provoca-os, faz insinuações, embriaga-se de soberba. Um estimulo destes, num campeonato já de si "condicionado", é perfeitamente desnecessário. Menos palavras e mais trabalho, exigem-se. Menos floreados e mais respostas curtas, recomendam-se.
(a subtileza do paquiderme a tentar vincar teorias da batata)
A teoria para mim é básica.

Temos uma equipa mais fraca quer física quer mentalmente que o ano passado. Temos uma equipa que não se mostra nada unida dentro do balneário. Da ate ideia que só 4 ou 5 jogadores sentem o SCP e os adeptos. O resto faz porque obrigam, estão aqui a mamar ordenado e pouco mais.
A teoria para mim é básica.

Temos uma equipa mais fraca quer física quer mentalmente que o ano passado. Temos uma equipa que não se mostra nada unida dentro do balneário. Da ate ideia que só 4 ou 5 jogadores sentem o SCP e os adeptos. O resto faz porque obrigam, estão aqui a mamar ordenado e pouco mais.


Mereciam bem mais do que assobios.
Haviam duas semanas decorridas que postaste o "As derrotas de Jesus" para voltar com o "português caro(?)" em "Do trauma à confiança". Sem querer beliscar a morfologia da coisa, deixo um anotamento:

Comportamentos de "white knight", dispenso!

Mas tudo o que dizes, mais não é do que a simples posição moralista. Queres falar de futebol? Óptimo! Queres falar do momento do Sporting? Perfeito! No limite só peço que sejas intelectualmente honesto, caso contrário, terás de lidar com a minha critica pois na mesma medida tenho de lidar com a tua opinião.

Se porventura não admitires, ou apenas não conseguires ver a tua desonestidade, lembra-te não só de crianças se compõe o teu público.

P.S. Morri com isto:
Jesus, consciente ou inconscientemente, consegue regularmente acicatar os adversários mais directos. Provoca-os, faz insinuações, embriaga-se de soberba. Um estimulo destes, num campeonato já de si "condicionado", é perfeitamente desnecessário. Menos palavras e mais trabalho, exigem-se. Menos floreados e mais respostas curtas, recomendam-se.
(a subtileza do paquiderme a tentar vincar teorias da batata)

Companheiro, o tópico "Pensamentos de bêbedo" e' no camarote. Boa contribuição!
Minoritariamente...pelo verdadeiro Sporting!

http://endlessnomadeu.blogspot.pt/
Da confiança ao trauma.

Assim é que foi. Falar por antecipação às vezes tem destas coisas. Está de volta o Sporting manso.
Companheiro, o tópico "Pensamentos de bêbedo" e' no camarote. Boa contribuição!
Até te convidava para uma aguardente, mas temendo um discurso sobre o alambique que redunde apenas na particularidade de não gostares do mesmo, de novo, devolvo-te as tuas palavras.
Menos palavras e mais trabalho, exigem-se. Menos floreados e mais respostas curtas, recomendam-se.
Um deleite, a forma como tentas fazer passar que há falta de qualidade/quantidade de trabalho... Na volta és inocente, não sei o que é pior.
« Última modificação: Outubro 23, 2016, 16:15 pm por simply »
Do trauma à depressão e da depressão ao coma profundo.

Para os fracos será da confiança ao trauma, mas estão enganados, pois desta vez ninguém parará este SPORTING 1 por 1 cairão todos.
« Última modificação: Outubro 24, 2016, 21:32 pm por Rui Trindade »
23-03-2013 A noite mais feliz da minha vida como Sportinguista.
A partir de agora mandamos nós e o Sporting terá o seu caminho novamente, quero vos agradecer a todos e dizer claramente para que toda a gente oiça:
Viva o Sporting Clube de Portugal! É nosso outra vez!
Palavras do Presidente do Sporting Clube de Portugal, Bruno de Carvalho. Bem haja Presidente!
Quem tem confiança e acredita no trabalho que faz como B.C. estará sempre mais próximo do sucesso, mesmo que as coisas por vezes não sejam imediatas como muitos desejariam, com isto não digo que não se possa criticar, melhorar, aprender com erros, agora não há formulas mágicas e é preciso contextualizar as circunstâncias em que os adversários tem ganho os campeonatos, contextualizar aquilo que tem sido o nosso percurso e o cemitério de treinadores (muitos de qualidade inferior diga-se) ao longo destes anos. Esta época devíamos estar melhores..é um facto. Mas querer por tudo em causa por causa de um período miserável da equipa, causa-me tanto asco como ver coisas como o "hoje vamos dar 4 ou 5" como no ano passado, quando estávamos a jogar bem. Felizmente temos quem tenha finalmente sangue frio e consiga ver mais além do que o imediato, à frente do clube. 100% de confiança e paciência no rumo que temos traçado, coisa que no passado nunca consegui ter. SL