Concertos

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Fui aos AC/DC porque me pagaram (e ainda bem!). A estes... Nem que me paguem!
Tenho que aceitar que haja quem goste, mas... Ugh!
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Agora sim, estamos a falar dos Gun's... aliás, se há coisa que os Guns nunca tiveram mesmo nos tempos aureos foi uma formação estável. Montes de gajos entraram e saíram da banda ao longo dos anos. Para mim actualmente só lá falta o Matt Sorum, porque no restante estão lá os que interessam - Axl, Duff e Slash (está lá o Dizzy Reed também, mas esse entrou em 90 ou 91).


No Rock in Rio e em 2010 aquilo era mais Axl Rose a solo do que propriamente Gn´R. O núcleo duro sempre foram Axl, Slash e Duff. Desta vez é a sério, os Guns n' Roses vem a Portugal e pelo que se tem visto desta Not In This Lifetime Tour a coisa promete.

Eu não sou propriamente um fã da banda (muito menos após 1991). Mas vocês têm o Izzy Stradlin em muito má conta.  :mrgreen:
“A lot of football success is in the mind. You must believe you are the best and then make sure that you are.” - Bill Shankly
Agora sim, estamos a falar dos Gun's... aliás, se há coisa que os Guns nunca tiveram mesmo nos tempos aureos foi uma formação estável. Montes de gajos entraram e saíram da banda ao longo dos anos. Para mim actualmente só lá falta o Matt Sorum, porque no restante estão lá os que interessam - Axl, Duff e Slash (está lá o Dizzy Reed também, mas esse entrou em 90 ou 91).


No Rock in Rio e em 2010 aquilo era mais Axl Rose a solo do que propriamente Gn´R. O núcleo duro sempre foram Axl, Slash e Duff. Desta vez é a sério, os Guns n' Roses vem a Portugal e pelo que se tem visto desta Not In This Lifetime Tour a coisa promete.

Eu não sou propriamente um fã da banda (muito menos após 1991). Mas vocês têm o Izzy Stradlin em muito má conta.  :mrgreen:
Eu ainda não percebi é se o gajo faz parte desta novo lineup de reunião, ou não...

Eu cá já tive a oportunidade de ver algumas bandas que acabaram era eu puto e nunca as tinha podido ver ao vivo, e esta será a próxima.
Rage Against The Machine: CHECK
Kyuss: CHECK
Guns N'Roses: IN PROGRESS
O Axl vale por dois hoje em dia!

Agora sim, estamos a falar dos Gun's... aliás, se há coisa que os Guns nunca tiveram mesmo nos tempos aureos foi uma formação estável. Montes de gajos entraram e saíram da banda ao longo dos anos. Para mim actualmente só lá falta o Matt Sorum, porque no restante estão lá os que interessam - Axl, Duff e Slash (está lá o Dizzy Reed também, mas esse entrou em 90 ou 91).


No Rock in Rio e em 2010 aquilo era mais Axl Rose a solo do que propriamente Gn´R. O núcleo duro sempre foram Axl, Slash e Duff. Desta vez é a sério, os Guns n' Roses vem a Portugal e pelo que se tem visto desta Not In This Lifetime Tour a coisa promete.

Eu não sou propriamente um fã da banda (muito menos após 1991). Mas vocês têm o Izzy Stradlin em muito má conta.  :mrgreen:

Esquecimento ou subvalorização... Izzy escreveu ou co-escreveu apenas "Sweet Child o' Mine", "Paradise City", "Patience",  "Don't Cry", "You Could Be Mine", e cantou nos "Use your illusion" as músicas "Dust N' Bones", "You Ain't the First", "Double Talkin' Jive" e "14 Years". Apenas!

Mas para quem gosta, como eu, este concerto é bastante mais apetecível do que aquela aparição no RiR, apenas com Axl.

E sim, como já foi dito aí atrás, os velvet revolver eram muito mais Guns do que aquele sucedâneo sob a batuta do Axl.

@1984 a não ser que haja alguma novidade, o Izzy não tem participado nesta digressão, só num ou outro concerto pontual...
Agora sim, estamos a falar dos Gun's... aliás, se há coisa que os Guns nunca tiveram mesmo nos tempos aureos foi uma formação estável. Montes de gajos entraram e saíram da banda ao longo dos anos. Para mim actualmente só lá falta o Matt Sorum, porque no restante estão lá os que interessam - Axl, Duff e Slash (está lá o Dizzy Reed também, mas esse entrou em 90 ou 91).


No Rock in Rio e em 2010 aquilo era mais Axl Rose a solo do que propriamente Gn´R. O núcleo duro sempre foram Axl, Slash e Duff. Desta vez é a sério, os Guns n' Roses vem a Portugal e pelo que se tem visto desta Not In This Lifetime Tour a coisa promete.

Eu não sou propriamente um fã da banda (muito menos após 1991). Mas vocês têm o Izzy Stradlin em muito má conta.  :mrgreen:

Esquecimento ou subvalorização... Izzy escreveu ou co-escreveu apenas "Sweet Child o' Mine", "Paradise City", "Patience",  "Don't Cry", "You Could Be Mine", e cantou nos "Use your illusion" as músicas "Dust N' Bones", "You Ain't the First", "Double Talkin' Jive" e "14 Years". Apenas!

Mas para quem gosta, como eu, este concerto é bastante mais apetecível do que aquela aparição no RiR, apenas com Axl.

E sim, como já foi dito aí atrás, os velvet revolver eram muito mais Guns do que aquele sucedâneo sob a batuta do Axl.

@1984 a não ser que haja alguma novidade, o Izzy não tem participado nesta digressão, só num ou outro concerto pontual...
Estamos sempre a aprender. Não tinha noção, ou pelo menos, já não me lembrava, a verdade é que há anos e anos que GNR não fazem parte regular do meu MP3 player (só pontualmente). Lembro-me que o Izzy Stradlin esteve nos maiores momentos da banda, mas fazia ideia que a sua influência fosse assim tão grande!
Já agora, a idade é f***!!!  :twisted:




 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Agora sim, estamos a falar dos Gun's... aliás, se há coisa que os Guns nunca tiveram mesmo nos tempos aureos foi uma formação estável. Montes de gajos entraram e saíram da banda ao longo dos anos. Para mim actualmente só lá falta o Matt Sorum, porque no restante estão lá os que interessam - Axl, Duff e Slash (está lá o Dizzy Reed também, mas esse entrou em 90 ou 91).


No Rock in Rio e em 2010 aquilo era mais Axl Rose a solo do que propriamente Gn´R. O núcleo duro sempre foram Axl, Slash e Duff. Desta vez é a sério, os Guns n' Roses vem a Portugal e pelo que se tem visto desta Not In This Lifetime Tour a coisa promete.

Eu não sou propriamente um fã da banda (muito menos após 1991). Mas vocês têm o Izzy Stradlin em muito má conta.  :mrgreen:

Esquecimento ou subvalorização... Izzy escreveu ou co-escreveu apenas "Sweet Child o' Mine", "Paradise City", "Patience",  "Don't Cry", "You Could Be Mine", e cantou nos "Use your illusion" as músicas "Dust N' Bones", "You Ain't the First", "Double Talkin' Jive" e "14 Years". Apenas!

Mas para quem gosta, como eu, este concerto é bastante mais apetecível do que aquela aparição no RiR, apenas com Axl.

E sim, como já foi dito aí atrás, os velvet revolver eram muito mais Guns do que aquele sucedâneo sob a batuta do Axl.

@1984 a não ser que haja alguma novidade, o Izzy não tem participado nesta digressão, só num ou outro concerto pontual...
Estamos sempre a aprender. Não tinha noção, ou pelo menos, já não me lembrava, a verdade é que há anos e anos que GNR não fazem parte regular do meu MP3 player (só pontualmente). Lembro-me que o Izzy Stradlin esteve nos maiores momentos  da banda, mas fazia ideia que a sua influência fosse assim tão grande!

GNR a banda favorita do Pedro Dias...



 :twisted: :twisted: :mrgreen:
O Izzy não faz parte do line up da banda neste regresso, parece que as divergências com WAR não estão totalmente ultrapassadas. Era um membro importante mas longe da importância de Slash e Duff. Era o mais introvertido do grupo.
Várias pessoas participam na escrita das músicas dos Gn'R. Duff também canta várias músicas e ambos participam nos back vocals. Outros participam noutras músicas, como Shannon Hoon em Don't Cry.

Claro que Izzy seria também importante neste regresso mas dos 4 é o que faz menos falta.
O Izzy não faz parte do line up da banda neste regresso, parece que as divergências com WAR não estão totalmente ultrapassadas. Era um membro importante mas longe da importância de Slash e Duff. Era o mais introvertido do grupo.
Várias pessoas participam na escrita das músicas dos Gn'R. Duff também canta várias músicas e ambos participam nos back vocals. Outros participam noutras músicas, como Shannon Hoon em Don't Cry.

Claro que Izzy seria também importante neste regresso mas dos 4 é o que faz menos falta.

Curiosamente o Izzy sai e aquilo foi sempre a descer.  ;)

Izzy Stradlin era o pilar dos Guns'Roses. Até à saída isso já era sabido, depois da saída ficou bem claro. Andaram a aturar o Axl, esse me[...]s, apenas por causa da voz e o tipo rebentou a banda toda. Como o próprio Izzy disse após a desintoxicação, agora que estou limpo e sóbrio, já não consigo aturar mais aquele gajo. Mais tarde outros haveria de fazer o mesmo. Nunca na vida um Izzy ou um Duff abandonariam o palco por causa de... bem, nada. Porque lhe passou pelos cornos sair de palco. Como aconteceu cá, mas como já tinha acontecido antes. Como na Alemanha, onde quase houve um motim.

Axl agarrou numa banda de rock e transformou-a numa boys band para meninas bem comportadas que se querem armar em bad girls. Em que ele era a imagem dessa menina. Birrenta! Manienta! Insuportável!

Ah, claro, esquecia-me da outra menina insuportável: Dizzy Reed. Porque a diva tinha de ter um bobo. E assim aparece Dizzy Reed. Não que se soubesse logo que era um bobo, mas revelou-se. Matt Sorum, cuja importância para o som dos Guns'Roses não pode ser apagada ou menorizada (existe uma diferença enorme com Sorum), ajudou neste ingresso a full time, completamente desnecessário.
“A lot of football success is in the mind. You must believe you are the best and then make sure that you are.” - Bill Shankly
Para mim Izzy é o menos importante dos 4. Foi co-autor de algumas músicas, principalmente no inicio da banda até porque seria a pessoa mais próxima de Axl (eram amigos de infância).
O enorme sucesso do 1º álbum e a imensa tour de Use You Illussion é que levaram ao fim da banda. Começou com a saída de Izzy que mais tarde acaba por voltar. Parece que o guitarrista não aguentou uma digressão tão longa e teve alguns desentendimentos com Axl.
Izzy até foi dos outros 3 quem mais tocou com Axl após a separação.
A banda cresceu com a MTV e a imagem e o vídeo foi fundamental para o seu sucesso. Mas o imenso "circo" montado em redor da banda acabou por ser o seu fim. O que os levou ao topo foi também o que os arrasou, as polémicas, os holofotes, o mediatismo. Depois as drogas, os excessos e a personalidade dos vários membros fez o resto.
Com ou sem Izzy o fim da banda era o mais esperado, aquilo que viveram em 4/5 anos terá sido o equivalente a uns 20 e ninguém aguentava aquele ritmo por muito mais tempo.

Hoje e passados mais de 20 anos parecem renascidos, mais maduros e capazes de lidar com o sucesso de outra forma.
A Tour "Not In This Lifetime" tem sido um sucesso, resta-nos esperar que tudo se mantenha bem até Junho.

PS: Em 92 Axl saiu do palco e ameçou não tocar mais depois de cair devido "à chuva de garrafas" enviadas para o palco.
Naquela altura o público em Portugal era muito diferente do que é hoje, era por assim dizer mais "hardcore". Se hoje "chovessem garrafas" no RIR por exemplo o concerto seria imediatamente interrompido.
A vinda dos Gn'R a Portugal foi um dos maiores acontecimentos musicais até aquela data. Todos queriam ver a banda de Axl Rose.
A espectativa era imensa e a ansiedade enorme.
Depois dos Soundgarden, os Faith No More fizeram um concerto memorável. O público ficou ao rubro e queria mais, queria os Gn'R. O público estava demasiado "quente". O atraso (que já era normal) levou o público ao desespero e a ideia de Mike Patton revelou-se desastrosa.
Mesmo assim rezam as crónicas que apesar de tudo isso foi um concerto histórico.

Eu acho que é irrelevante estar a dizer que o fim da banda foi por causa de A, B ou C.
Eu li a biografia do Slash e basicamente eles eram todos uma cambada de janados e só admira que a maioria ainda esteja vivo hoje em dia! O Slash tem um pacemaker e o coração já lhe pregou várias partidas devido aos excessos inimagináveis que teve com sexo, drogas e álcool!

A maioria de nós não chegava vivo aos 30, LOL!  :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

Mesmo assim dos mais sóbrios ainda era o Axl, mas curiosamente é um doente mental! :lol: Some-se a isto o facto de quase todos virem de meios e famílias disfuncionais, e está o cenário montado!

Alguém acredita que atendendo ao referido acima, uma banda pudesse durar muito tempo junta?! Eu até diria que a separação da banda foi o que lhes salvou a vida a todos... LOL

Os Gn'R eram basicamente um elemento químico instável...  :mrgreen:
Para mim Izzy é o menos importante dos 4. Foi co-autor de algumas músicas, principalmente no inicio da banda até porque seria a pessoa mais próxima de Axl (eram amigos de infância).
O enorme sucesso do 1º álbum e a imensa tour de Use You Illussion é que levaram ao fim da banda. Começou com a saída de Izzy que mais tarde acaba por voltar. Parece que o guitarrista não aguentou uma digressão tão longa e teve alguns desentendimentos com Axl.
Izzy até foi dos outros 3 quem mais tocou com Axl após a separação.
A banda cresceu com a MTV e a imagem e o vídeo foi fundamental para o seu sucesso. Mas o imenso "circo" montado em redor da banda acabou por ser o seu fim. O que os levou ao topo foi também o que os arrasou, as polémicas, os holofotes, o mediatismo. Depois as drogas, os excessos e a personalidade dos vários membros fez o resto.
Com ou sem Izzy o fim da banda era o mais esperado, aquilo que viveram em 4/5 anos terá sido o equivalente a uns 20 e ninguém aguentava aquele ritmo por muito mais tempo.

Hoje e passados mais de 20 anos parecem renascidos, mais maduros e capazes de lidar com o sucesso de outra forma.
A Tour "Not In This Lifetime" tem sido um sucesso, resta-nos esperar que tudo se mantenha bem até Junho.

PS: Em 92 Axl saiu do palco e ameçou não tocar mais depois de cair devido "à chuva de garrafas" enviadas para o palco.
Naquela altura o público em Portugal era muito diferente do que é hoje, era por assim dizer mais "hardcore". Se hoje "chovessem garrafas" no RIR por exemplo o concerto seria imediatamente interrompido.
A vinda dos Gn'R a Portugal foi um dos maiores acontecimentos musicais até aquela data. Todos queriam ver a banda de Axl Rose.
A espectativa era imensa e a ansiedade enorme.
Depois dos Soundgarden, os Faith No More fizeram um concerto memorável. O público ficou ao rubro e queria mais, queria os Gn'R. O público estava demasiado "quente". O atraso (que já era normal) levou o público ao desespero e a ideia de Mike Patton revelou-se desastrosa.
Mesmo assim rezam as crónicas que apesar de tudo isso foi um concerto histórico.

Eu estava lá.

Soundgarden foi uma valente bosta. Só me lembro de estarem a ser assobiados e ameaçarem tocar uma música durante 1 hora e meia.

Faith no more foi épico. Dos melhores concertos que já fui. Gun´s não foi tão mau quanto isso. Já se sabia que eles se atrasavam sempre. Aliás, no fim do concerto, o Axl veio lançar rosas para o público...
Não que não goste das músicas e das bandas. Mas os festivais musicais em Portugal, já variavam mais as bandas que trazem ano após ano. São sempre os mesmos cromos repetidos. Principalmente os festivais mainstream, como o Alive, o RIR, o Sudoeste ou o Super Bock.

Por exemplo, Depeche Mode foi cabeça de cartaz há 2 anos, Foo Figthers há 5. Sempre no mesmo festival. E já nem falo de Korn, Metallica, Linkin Park sempre batidos no RIR.
Não que não goste das músicas e das bandas. Mas os festivais musicais em Portugal, já variavam mais as bandas que trazem ano após ano. São sempre os mesmos cromos repetidos. Principalmente os festivais mainstream, como o Alive, o RIR, o Sudoeste ou o Super Bock.

Por exemplo, Depeche Mode foi cabeça de cartaz há 2 anos, Foo Figthers há 5. Sempre no mesmo festival. E já nem falo de Korn, Metallica, Linkin Park sempre batidos no RIR.

Estás enganado sobre Korn, Korn não vinha a Portugal há mais de 10 anos.

Concordo contigo sobre Portugal trazer poucas bandas menos conhecidas mas de grande valor.

No dia em que vir Tesseract, Hacktivist, Voices of Fuselage, Skyharbor, Northlane, entre outras, em Portugal, faço mil vénias a quem os trouxer.
Não que não goste das músicas e das bandas. Mas os festivais musicais em Portugal, já variavam mais as bandas que trazem ano após ano. São sempre os mesmos cromos repetidos. Principalmente os festivais mainstream, como o Alive, o RIR, o Sudoeste ou o Super Bock.

Por exemplo, Depeche Mode foi cabeça de cartaz há 2 anos, Foo Figthers há 5. Sempre no mesmo festival. E já nem falo de Korn, Metallica, Linkin Park sempre batidos no RIR.

Estás enganado sobre Korn, Korn não vinha a Portugal há mais de 10 anos.

Concordo contigo sobre Portugal trazer poucas bandas menos conhecidas mas de grande valor.

No dia em que vir Tesseract, Hacktivist, Voices of Fuselage, Skyharbor, Northlane, entre outras, em Portugal, faço mil vénias a quem os trouxer.
Korn não interessa, interessa quem vai abrir para eles: Heaven Shall Burn!

Tesseract, Skyharbor e Northlane, em especial os últimos que são uma das minhas bandas favoritas actualmente, também pagava para ver! E já agora, na onda das duas primeiras, Periphery e Volumes!

De resto 2017 promete muito: Parkway Drive e Heaven Shall Burn na tuga (ja tenho bilhetes); Guns N'Roses na tuga (ja tenho bilhete) Aerosmith também (estou a considerar, era outra das minhas bandas de infância), parece que Foo Fighters e Red Hot também vêm (não sendo um fã incondicional especialmente dos últimos, são bandas que veria ao vivo facilmente... no caso de FF seria a segunda vez)... e teremos um novo Alien no Verão: Alien: Covenant!!!


Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk
« Última modificação: Dezembro 12, 2016, 00:43 am por 1984 »