Jornal do Sporting

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

O jornal sempre foi do clube, penso eu..
Isso deve ser alguma nova campanha de angariação de futuros assinantes. Quem se deve fazer sócio agora deve receber.. Digo eu, não sei.. :inde:

OK... A minha dúvida era se o Edifício Visconde de Alvalade ainda é do SCP. É que o remetente do jornal refere o edifício... E a sede ainda é lá?... Há uns anos atrás sei que era num dos andares..., mas, mais tarde, fiquei com a ideia de que tudo tinha sido alienado...
Citar
‘DOBRADINHA’ DAS LEOAS EM DESTAQUE NO JORNAL SPORTING
Por Jornal Sporting
07 Jun, 2017
JORNAL SPORTING
Reportagem sobre o projecto de paintball do Clube e a conquista da Taça de Portugal de Goalball também em realce

Foi mais um fim-de-semana de várias conquistas para o Sporting CP, com especial destaque para a conquista da Taça de Portugal por parte das leoas frente ao Sp. Braga. A turma de Nuno Cristóvão juntou assim o troféu ao campeonato, fazendo a ‘dobradinha’ na época de regresso da modalidade ao Clube. Um jogo com uma assistência histórica e que foi acompanhado a par e passo pela jornalista Sofia Oliveira (págs. 2 e 3).

Esse é o principal destaque desta edição, mas não é o único. Pode ainda ser lida uma reportagem assinada pelo jornalista João Almeida Rosa sobre as estratégias do projecto de paintball do Sporting CP e as suas mecânicas de funcionamento (págs. 14 e 15).

Realce ainda na manchete para a vitória dos leões na Taça de Portugal de Goalball, que, tal como no futebol feminino, juntaram assim esta conquistas à do campeonato (págs. 22).

Estes e outros assuntos no Jornal Sporting desta semana que, como habitual, sai esta quinta-feira para as bancas.

http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-06-07/dobradinha-das-leoas-em-destaque-no-jornal-sporting
Citar
RAIOS TE PARTAM
Por Jornal Sporting
08 Jun, 2017
JORNAL SPORTING
Editorial do Director do Jornal Sporting na edição n.º 3627

Há quantos anos nos conhecemos? Sabes bem que te vimos nascer, tínhamos nós já 51 anos. Que bem te recebemos, uma excitação e enorme alegria. Eras o centro de todas as conversas…

É fácil perceberes porque para nós és tão especial, és a primeira, nossa desde o primeiro dia que nasceste e te vimos naquela curiosa caixinha mágica.

Foste tu que a partir de 1957 começaste também a mostrar ao mundo os feitos da maior potência desportiva que tanto enriqueceram as tuas emissões e o teu tesouro, o teu rico arquivo, onde guardas por exemplo a chegada dos nossos heróis de 1964 ou a conquista da primeira medalha de ouro nos Jogos Olímpicos, do nosso Carlos Lopes.

O tempo e carinho que sempre te dedicámos, vendo-te e ouvindo-te, acompanhando-te no crescimento, fizeram de ti uma companhia diária. Começaste a entrar na nossa casa sem avisares, a qualquer hora do dia ou da noite, porque tu és da casa.

Mas nos últimos tempos, é já uma série de maldades que nos fazes e não nos venhas com desculpas esfarrapadas, com conversas de prémios e audiências para justificar os teus desvarios, porque nós conhecemos-te demasiado bem.

O que se passa contigo? É a crise da meia-idade? Os 60 anos estão-te a pesar?

É necessário abanar-te para caíres na real? Há coisas que tens que ter sempre presente para não perderes a tua identidade e consequentemente pirares da cabeça de vez.

Lembra-te que também tu tens um historial inigualável, com excelentes profissionais ao longo dos tempos, uma reputação que não podes desbaratar e por isto tens também responsabilidades acrescidas. Não desbarates o legado que te deixaram. Sabemos, como tu sabes que o mundo mudou mas não pode valer tudo, não podes ceder à tentação fácil.

Tu és nossa! És pública, dos cidadãos, dos contribuintes e da inclusão! E isto não podes em momento algum esquecer, nem os teus profissionais que têm de ser o seu principal garante.

Aquilo que fizeste no passado Domingo é inqualificável e é o corolário do desrespeito e ingratidão com que nos últimos tempos nos tens tratado. Tal como as crianças, quiseste os brinquedos pensando que podias brincar com todos em simultâneo mas como já deves ter percebido, isso não é possível. Isto foi aquilo que parece ter sucedido contigo e com isto não só desiludiste como desrespeitaste as mulheres, os nossos 3,5 milhões de adeptos mais os adeptos do Sporting Clube de Braga, além de todos os outros cidadãos e contribuintes nacionais.

Quando as instituições internacionais e nacionais tanto esforço centram na igualdade de género, conseguiste apenas numa emissão destruir o investimento na paridade de género mas não só! Tu que tanto apregoas inclusão e paridade de género fizeste precisamente o contrário porque se tratava de uma final da Taça de Portugal feminina…farias o mesmo se fosse a masculina? Terias coragem de o fazer na última transmissão deste troféu que levaste a cabo no passado mês de Maio?

E o investimento que o Sporting CP e o Sporting de Braga fizeram neste regresso ao futebol feminino não te merece um mínimo de respeito? E os patrocinadores? E a Federação Portuguesa de Futebol que tanto apostou e investiu? Os bilhetes para promover o futebol feminino foram gratuitos, bateu-se o recorde de assistências que anteriormente tinha sido também batido em Alvalade. A FPF cedeu-te os direitos de transmissão com legítimas expectativas que tu cumprisses o expectável e te era exigido, a transmissão do jogo na íntegra e sem interrupções ou divisões, tal como fazes nos masculinos e que nos mostrasses a festa da consagração. Apesar da autorização da FPF para a Sporting TV difundir o jogo em simultâneo tu não permitiste, porquê? Para isto?

Se querias transmitir um concerto de música, tinhas que programar melhor, pois tens outras opções e canais… mas não, quiseste mostrar um jogo de futebol a ouvir música e ver um concerto de música a ouvir relato de futebol… assim não! Raios Te Partam! Não nos podias ter feito isto! Imagino também o que devem estar a sentir todos aqueles que queriam assistir calmamente ao Concerto de Manchester…

Face a esta tua atitude discriminatória não podemos ficar impávidos e serenos pelo que não iremos ficar por aqui, mesmo que como se diz usualmente, no final e para a história, o que fica é o resultado! Este ficará com certeza até porque a Taça conquistada irá permanecer no Museu Sporting ao lado do troféu de Campeão Nacional, uma dobradinha que permanecerá para memória futura. Nós honramos o nosso passado, demonstrando respeito no presente e assim sermos considerados no futuro.

Boa leitura!

http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-06-08/raios-te-partam
Citar
TÍTULOS EM VÁRIAS MODALIDADES EM DESTAQUE NO JORNAL SPORTING
Por Jornal Sporting
14 Jun, 2017
JORNAL SPORTING
Fim-de-semana com 'ADN de campeão' mereceu destaque. Judo e futsal foram algumas das modalidades em evidência

O passado fim-de-semana revelou-se de glória para várias das modalidades do Sporting CP. Dessa forma, o Jornal leonino escreve 'ADN de campeão' na manchete, referindo-se aos títulos de futsal juvenil, ginástica, futebol feminino, judo e atletismo. A primeira página quase que se revelava demasiado pequena para tantos festejos, mas ainda teve espaço para apresentar o poster da secção de futebol feminino 2016/2017 (juvenis, juniores e seniores).

Na página quatro, André Pacheco apresenta-lhe os pormenores da festa da equipa de Tiago Varanda, técnico dos sub-17, que conquistou o pentacampeonato depois de vencer o sétimo dérbi da temporada (5-2 frente ao Benfica). Aliás, os juvenis de futsal terminaram a época invictos, somando por vitórias as 32 partidas disputadas - um registo incrível dos jovens leões, deixando bons indicativos para o futuro do departamento. E por falar em futuro, também está garantido no que ao futebol feminino diz respeito, já que as sub-17 seguiram as pisada das seniores e também fizeram a 'dobradinha' (Campeonato Distrital de Lisboa e, agora, a Taça Nacional). Isto depois de baterem o Albergaria Manzel por uns categóricos 5-1. João Almeida Rosa esteve na Cidade do Futebol para lhe poder explicar, na página 14, como é que é possível vencer e desenvolver.
 
Para terminar as chamadas de capa, de referir, ainda, o título nacional de Diogo Ganchinho em trampolim seniores no primeiro ano ao serviço dos leões (página 16), assim como o bicampeonato de judo – sexta conquista nos últimos sete anos (página 17). A hegemonia do ecletismo verde e branca termina com a ‘cereja no topo do bolo’, que é como quem diz o atletismo do Sporting CP. No Campeonato de Portugal de pista ao ar livre, os atletas leoninos arrecadaram 25 primeiros lugares, sendo que o sector feminino esteve em destaque. Segundo Carlos Silva, coordenador da modalidade, o "balanço não foi perfeito". Palavras recolhidas por João Almeida Rosa e que pode perceber melhor na página 17.
Campeões e mais campeões. Na edição desta quinta-feira (dia 15 de Junho) é provável que se perca em tantos troféus.


http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-06-14/titulos-em-varias-modalidades-em-destaque-no-jornal
Citar
RECONHECER O MÉRITO
Por Jornal Sporting
15 Jun, 2017
JORNAL SPORTING
Editorial do Director do Jornal Sporting na edição n.º 3628

Os Prémios e Galardões Honoris Sporting estão agrupados em quatro categorias (Universo Sporting, Modalidades, Futebol e Honra) e destinam-se a reconhecer o mérito individual de atletas, de equipas e ainda pessoas ou entidades que pela sua contribuição para a difusão e prestígio do Sporting Clube de Portugal mereçam ser, publicamente, distinguidos.

Reconhecer o mérito daqueles que dignificam o nome do Sporting Clube de Portugal e que pela sua dedicação e devoção contribuem para o seu engrandecimento e glória são propósitos dos Prémios Honoris Sporting que conhecem este ano a sua quarta edição. Embora felizmente existam muitos e reputados prémios no seio do universo leonino, os Prémios Honoris Sporting são os únicos que são estatutariamente reconhecidos pelo Clube, o que lhes conferem um factor distintivo único.

A lista de nomeados das diversas categorias já começou a ser pública e os nomes continuarão a ser revelados até domingo, para que na próxima segunda-feira se iniciem as votações pelos Sócios na página oficial do clube em www.sporting.pt. Os nomeados foram deliberados pelo Conselho Directivo, após ouvidos os responsáveis das diversas modalidades desportivas e com as respectivas fundamentações. As votações decorrerão de segunda-feira até às 00h00 de dia 30 de Junho, tendo agora a palavra os Sócios do Clube.

Este ano há duas novidades, com dois novos prémios exclusivamente dedicados ao futebol feminino que como é sabido regressou nesta última época ao nosso Clube: “Jogadora Revelação do Ano” e “Futebolista Feminino do Ano”. As restantes categorias mantêm-se, sendo os prémios e galardões os seguintes:

- Universo Sporting: Núcleo e Delegação do Ano; Funcionário do Ano; Sócio do Ano; Iniciativa do Ano; Parceiro do Ano.

- Modalidades: Atleta Masculino do Ano; Atleta Feminina do Ano; Equipa do Ano; Atleta Revelação; Treinador do Ano; Dirigente do Ano.

- Futebol: Escola Academia Sporting - EAS do Ano; Equipa Formação do Ano; Jogador Revelação do Ano; Jogadora Revelação do Ano; Treinador do Ano; Melhor Futebolista Masculino do Ano; Melhor Futebolista Feminino do Ano.

- Honra: Prémio Saudade, Prémio Carreira e Prémio Especial.

A entrega dos Prémios terá como habitualmente lugar na Gala Honoris Sporting que este ano será realizada uma vez mais no Coliseu dos Recreios, no próximo dia 30 de Junho. Tal como no ano passado também numa sexta-feira e de igual forma, no sábado, a Corrida Sporting que este ano será denominada de “Corrida Moniz Pereira”. Mais um tributo e uma justa homenagem que perpetuará a memória do “Senhor Atletismo” no dia em que o Clube celebra 111 anos de vida. Se à meia-noite os parabéns serão cantados na Gala Honoris Sporting para assinalar o aniversário do Clube, abrindo assim as festividades desta data tão simbólica, os festejos irão no entanto, manter-se durante todo o dia, com uma diversidade de iniciativas no Estádio José Alvalade e no Pavilhão João Rocha que entretanto será inaugurado no dia 21 de Junho. As actividades incluem, entre outras, visitas ao Estádio, ao Pavilhão e ao Museu Sporting, bem como um open day de um conjunto de modalidades que os Sócios poderão experimentar e praticar, para culminar mais à noite na Corrida Moniz Pereira.

Poderá encontrar nas próximas edições deste Jornal, bem como nas restantes plataformas de comunicação do Sporting CP informações detalhadas sobre os Prémios e a Gala Honoris Sporting e sobre a Corrida Moniz Pereira, pelo que não há desculpa para não participar e celebrar da melhor forma o aniversário do nosso Clube.

E a partir de segunda-feira se é Sócio – se não é, tem aqui mais uma razão para se fazer de imediato em www.socionumminuto.pt –, vá à página oficial do Sporting CP na Internet (www.sporting.pt) e vote naqueles que entre os nomeados quer que subam ao palco para receber os Prémios Honoris Sporting 2017.

Eu vou lá estar!

Boa leitura!

http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-06-15/reconhecer-o-merito
Citar
Pavilhão João Rocha em destaque no Jornal Sporting
Por Jornal Sporting
22 Jun, 2017
Jornal Sporting

'Sonho real' faz manchete na edição desta semana, que conta com um suplemento sobre a nova casa das modalidades

A primeira página desta semana faz manchete com a expressão 'Sonho real', que é como quem diz: Pavilhão João Rocha. O dia 21 de Junho de 2017 não mais sairá da memória dos muitos Sportinguistas que estiveram presentes na inauguração da nova casa das modalidades e daqueles que acompanharam a transmissão pela Sporting TV ou pelo Facebook oficial do Sporting CP. Como não podia deixar de ser, o Jornal leonino acompanhou a par e passo todas as incidências da gala, recolhendo também reacções de atletas, dirigentes e vários Sócios e adeptos. Nesse sentido, apresentamos-lhe um suplemento de oito páginas com conteúdos exclusivos (nota para a planta da infraestrutura e o primeiro esboço desenhado pelo arquitecto Andreas Morschel).
Também a meia tonelada de fruta reunida em 150 minutos, no Estádio José Alvalade, para ajudar os bombeiros que lutam no incêndio de Pedrogão Grande, mereceu destaque no semanário verde e branco. Mais uma prova de solidariedade dos Sportinguistas.
 
Finalmente, o assinalar do 15.º aniversário do maior berço de talento do país, mais conhecido por: Academia Sporting. Se acredita que a data da inauguração do Pavilhão João Rocha foi escolhida ao caso, desengane-se. 15 anos depois da casa-mãe dos leões ter visto a luz do dia (22 de Junho de 2002), abriram-se as portas do "maior, melhor e mais bonito pavilhão de um clube em Portugal", tal como vincou o Presidente Bruno de Carvalho.
 
Estes e outros pontos de interesse para ler nas páginas que escrevem os acontecimentos do universo leonino. Não perca.


http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-06-22/pavilhao-joao-rocha-em-destaque-no-jornal-sporting
Citar
“E as portas abriram-se de par-em-par...”
Por Jornal Sporting
22 Jun, 2017
Jornal Sporting

Editorial do Director do Jornal Sporting na edição n.º 3629

E eis que a 21 de Junho de 2017, data que vai ficar perpetuada na história dos maiores feitos do nosso Clube, o Sporting Clube de Portugal voltou a ter a sua Casa das Modalidades, o tão ansiado Pavilhão João Rocha.

O sonho tornado realidade! Após anos de promessas, de incertezas e desalento, eis que alguém tomou conta do leme de uma nau à deriva e lhe deu o rumo certo…

Esta inigualável infraestrutura multiusos, que vem enriquecer o património do nosso Clube, permitirá mais e melhores condições competitivas, sendo simultaneamente uma homenagem que eternizará uma figura ímpar que liderou os destinos do nosso Clube. Foi com João Rocha na presidência que Bruno de Carvalho cresceu e aprendeu a paixão e a defesa acérrima das modalidades e o respeito pelos Sócios e Adeptos como factor identitário do ADN do Sporting, e que lhe confere uma dimensão global permitindo-lhe ultrapassar fronteiras e que o tornam na maior potência desportiva nacional. Este foi um contributo decisivo para moldar e alicerçar toda a visão que permitiu que Bruno de Carvalho, enquanto líder de uma resiliente e determinada equipa, se propusesse e concretizasse a edificação daquilo que poucos já acreditariam como possível, o Pavilhão João Rocha. Esta obra vem evidenciar, mais do que nunca, dois Presidentes como símbolos maiores do ecletismo do nosso Clube e marcar de forma indelével o nosso rico historial: João Rocha e Bruno de Carvalho.

Até no voleibol os seus percursos acabam por se cruzar. Esta modalidade, que ao longo dos tempos foi intermitente no nosso Clube, depois de um período de inatividade regressou de novo à competição em 1981, na vigência da Direcção de João Rocha – que fora também ele praticante nos anos de 1950. Bruno de Carvalho não praticou voleibol, mas é na sua presidência que o voleibol regressa, após novo período de inactividade, com a curiosidade de se estrear no Pavilhão João Rocha quando este receber as suas primeiras competições. Aqui, para além do voleibol, será a casa que acolherá as equipas seniores masculinas de andebol, futsal e hóquei em patins.

Esta é uma enorme obra dos Sócios e Adeptos que a todos nos orgulha e onde esperamos viver grandes alegrias e conquistas. MUITO OBRIGADO a todos aqueles que contribuíram das mais diversas formas para a sua concretização, nomeadamente através da Missão Pavilhão, e ao Presidente Bruno de Carvalho, como o primeiro dos adeptos e enquanto líder responsável para que este sonho de todos nós se concretizasse.

O Pavilhão João Rocha é motivo mais do que suficiente para deixar para depois um qualquer outro tema, até porque temo que, mesmo que quisesse, não me lembraria qual é! Poderei tentar ler e-mails, talvez de um qualquer “primeiro-ministro”, membros do “clero” – ordenados ou não – e as suas “práticas religiosas” quer se tratem de “missas” mais ou menos “bem rezadas”, mas não sei se será suficiente. Mas há uma coisa que nos parece clarividente: a “eucaristia”, ou seja, a suposta ressurreição de práticas que há muito se queriam erradicadas e que se querem eliminadas. No entanto, percebe-se agora que, além de uma cartilha, há também uma catequização onde todos aprendem a rezar em uníssono e de igual forma. Quem assim o fizer é premiado e ascende na hierarquia, caso contrário, sofrem represálias e são votados ao ostracismo. Como corolário da partilha pública das supostas “práticas religiosas” e das suas tentativas de (in)justificação, foi espoletada um(a) Guerra sem fim. Sabendo-se que abyssus abyssum invocat (um abismo atrai o outro) a vinda à Luz de um “acólito” vindo da sombra num acto desesperado e com um esfarrapado argumentário para tentar salvar a “catedral”, é apenas mais uma evidência. Com uma narrativa que na gíria futebolista se definiria como “a melhor defesa é o ataque”, veio o referido “acólito” ler uma epístola num processo (des)culpabilizante que mais não faz do que atirar atoardas, tentando criar cortinas de fumo como é timbre, mas à laia de disputas de crianças: “Ele é que começou primeiro”, “eles é que começaram” ou ainda “eles também se portaram mal”. Neste despautério verbal não faltam alucinações, numa prática habitual de vale tudo… com inverdades, mentiras e difamações como ingredientes deste repasto (sem direito a voucher), numa ladainha incriminatória, embora sem se aperceberem disso, que acaba por ser um acto de confissão, um mea culpa, o reconhecimento público e em “on” de tais supostas práticas criminosas.

Boa leitura!


http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-06-22/e-portas-abriram-se-de-par-em-par