Wiki Sporting, a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal

Forum SCP - A Comunidade do Sporting Clube de Portugal


Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.
Abril 17, 2014, 02:08

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão

Anúncios:

Início Início  Ajuda Ajuda  Regras Regras  Pesquisa Pesquisa  Entrar Entrar  Registe-se Registe-se       Wiki Wiki  Links Links 
Fórum SCP - A Comunidade do Sporting Clube de Portugal Universo Sporting Clube de Portugal Redacção Porta 10-A Tópico:

A Cultura do Medo

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Páginas: « anterior 1 [2] Ir para o fundo Imprimir
Autor Tópico: A Cultura do Medo (Lida 5131 vezes)

Re: A Cultura do Medo , « Resposta #20 em: Fevereiro 19, 2012, 17:02 »



*

Mensagens: 12987
Idade: 25
Localidade: Moçambique-Angola-Sintra-outras localidades da pátria fundada por Afonso Henriques
Masculino

WWW
Não concordo com a análise histórica, mas estou plenamente de acordo com os efeitos nefastos do medo intencionalmente provocado, no entanto artificial.


 

Excelente texto, 100% correcto, nada mais acrescentar para alem dos meus parabéns, por mais uma vez elevares exponencialmente o nível do fórum.

Em relação à análise histórica, que não é de todo o objectivo deste tópico cuja alusão (medo) eu totalmente apoio, só está 100% correcta na mente de um revisionista. Só mesmo aí. E não apenas de um revisionista por si, mas de um revisionista muito pobre em conteúdo histórico.

Dizer que Hitler subiu ao poder só amedrontando os alemães com a União Soviética tem tanta exactidão histórica quanto eu afirmar que a Alemanha Nazi não derrotou a URSS porque o frio era demasiado.

Sobre a Guerra Fria e o medo aí vigente, este em momento algum era direccionado ao Socialismo, porque esse vivenciou-o, mesclado com outras raízes ideológicas, a Europa durante a segunda metade do Século XX, principalmente nos anos imediatamente após o fim da II Guerra Mundial. O medo sentido pelas populações, inteiramente justificado, era em relação ao Comunismo, cujas atrocidades e permanente pobreza o povo europeu conhecia, cujo símbolo máximo tinha na altura um representante (e dono dos que se admitiam comunistas), a URSS.

Sempre disposto a mais esclarecimentos, claro.
Registado

http://sociedadesporting.blogspot.pt/201...a-ti-meu-querido-papa-fernando-1956.html

"A doutora informou-nos de que o terceiro dia após uma sessão de quimioterapia costuma ser o pior, agregando todos os sintomas numa confusão que destrói a motivação de qualquer doente. Nesse dia, chamámos o 112 e a ambulância levou o meu pai às urgências do Hospital Amadora-Sintra. O médico que lá o tratou disse que não era nada de anormal. Ainda bem. Algum tempo depois, aconteceu exactamente o mesmo, mas desta vez o meu pai nem conseguia sair da cama, sentia-se incapaz de movimentar o lado esquerdo do corpo e a sua fala era imperceptível: murmurava. Como eu não estava em casa, teve de ser a minha mãe a chamar o 112. A ambulância veio novamente a nossa casa. Eu não estava lá. Foi esse o último dia em que vi o meu pai, numa terça-feira, dia 13 de Março. "


Re: A Cultura do Medo , « Resposta #21 em: Fevereiro 19, 2012, 19:04 »



*

Mensagens: 7801
Idade: 29
Localidade: Lisboa
Masculino


Não concordo com a análise histórica, mas estou plenamente de acordo com os efeitos nefastos do medo intencionalmente provocado, no entanto artificial.


 

Excelente texto, 100% correcto, nada mais acrescentar para alem dos meus parabéns, por mais uma vez elevares exponencialmente o nível do fórum.

Em relação à análise histórica, que não é de todo o objectivo deste tópico cuja alusão (medo) eu totalmente apoio, só está 100% correcta na mente de um revisionista. Só mesmo aí. E não apenas de um revisionista por si, mas de um revisionista muito pobre em conteúdo histórico.

Dizer que Hitler subiu ao poder só amedrontando os alemães com a União Soviética tem tanta exactidão histórica quanto eu afirmar que a Alemanha Nazi não derrotou a URSS porque o frio era demasiado.

Sobre a Guerra Fria e o medo aí vigente, este em momento algum era direccionado ao Socialismo, porque esse vivenciou-o, mesclado com outras raízes ideológicas, a Europa durante a segunda metade do Século XX, principalmente nos anos imediatamente após o fim da II Guerra Mundial. O medo sentido pelas populações, inteiramente justificado, era em relação ao Comunismo, cujas atrocidades e permanente pobreza o povo europeu conhecia, cujo símbolo máximo tinha na altura um representante (e dono dos que se admitiam comunistas), a URSS.

Sempre disposto a mais esclarecimentos, claro.

Leste mal o meu texto Chev. Não está em parte nenhuma escrito que Hitler chegou ao poder amedrontando os alemães com a União Soviética. Isso seria um disparate. Aquilo que escrevi foi que Hitler se aproveitou das condições na Alemanha no pós-guerra, especialmente da crise que se vivia.

Sobre a Guerra Fria, aquilo que afirmei foi que a palavra "socialismo se transformou em grosseria", o que é verdade dado que na ex-URSS o regime era socialista e não comunista. Na verdade, nunca existiu um regime comunista no mundo dado tudo ter parado no regime de transição entre o capitalismo e o comunismo (que é o socialismo).

Para além do mais, nessa altura como bem sabes, todos os "ismos" diferentes de capitalismo eram diabolizados nos EUA. Aliás, ainda agora a palavra socialismo é vista de forma pejorativa lá, muito por causa do que se viveu durante a Guerra Fria.

De qualquer forma, a intenção do tópico não era a exactidão histórica, mas sim fazer um paralelismo entre as várias situações onde o medo influenciou as tomadas de decisão e a que se vive actualmente no Sporting, com a possibilidade do Sporting perder o controlo da SAD.
Registado

"The one thing that doesn't abide by majority rule is a person's conscience." - Harper Lee
Re: A Cultura do Medo , « Resposta #22 em: Março 06, 2012, 12:39 »




Registado

Mensagens: 21
Idade: 56
Localidade: Espinho
Masculino


Parabéns pelo texto.

Revejo-me especialmente na análise histórica. Não vejo nela qualquer facciosismo, apenas a realidade. E como pagamos todos por estas verdades.

Penso que no fim do texto a frase; "No fundo, a vitória da cultura do medo será o fim do Sporting. Porque o Sporting não é uma amálgama de relatórios, não é o passivo e não é a SAD. O Sporting somos nós." , não pretende trasmitir a ideia de que a cultura do medo será e repito será o fim do SPORTING. Pelo contrário penso que o Autor pretende apenas e só chamar a atenção para o querer dos nossos detractores, dos nossos inimigos, que são muitos porque "Nós" somos muito grandes.

Das várias traduções possíveis para a palavra UBUNTU, gostaría de escrever aqui, aquela de que mais gosto: "“EU SOU, PORQUE NÓS SOMOS".

Viva o SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!!!
Registado
Gosta deste tópico? Partilhe-o:
Páginas: « anterior 1 [2] Ir para o topo Imprimir
Fórum SCP - A Comunidade do Sporting Clube de Portugal Universo Sporting Clube de Portugal Redacção Porta 10-A Tópico:

A Cultura do Medo

« tópico anterior seguinte »
Ir para:

Powered by SMF 1.1.19 | SMF © 2011, Simple Machines
Tema SMFone modificado por Avantix e Paracelsus.
Optimizado para o Mozilla Firefox na resolução 1024 x 768.
© 2004 - 2010 | Fórum SCP | Alguns Direitos Reservados
Fórum não-oficial do Sporting Clube de Portugal

Ajuda | | Sitemap | Política de Privacidade