Wiki Sporting, a enciclopédia do Sporting Clube de Portugal

Forum SCP - A Comunidade do Sporting Clube de Portugal


Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.
Dezembro 20, 2014, 21:36

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão

Anúncios:

Início Início  Ajuda Ajuda  Regras Regras  Pesquisa Pesquisa  Entrar Entrar  Registe-se Registe-se       Wiki Wiki  Links Links 
Fórum SCP - A Comunidade do Sporting Clube de Portugal Universo Sporting Clube de Portugal Redacção Porta 10-A Tópico:

Os "salvadores" do Sporting

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Páginas: « anterior 1 ... 7 8 [9] 10 11 seguinte » Ir para o fundo Imprimir
Autor Tópico: Os "salvadores" do Sporting (Lida 14464 vezes)

Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #160 em: Janeiro 06, 2012, 21:12 »


On a steel horse I ride


*

Condecorações:Membro do Ano 2012Membro do ano 2011


Mensagens: 25477
Localidade: VILA NOVA GAIA
Masculino



Citar


(...)
criando equipas de futebol incapazes de lutar pelo título (a começar pelo treinador principal). A sorte dele foi a formação estar repleta de jovens cheios de talento, senão corríamos o risco de nem sequer sermos apurados para as competições europeias.

Não podia deixar passar isto, companheiro.... lutámos, factualmente, pelo título, com equipas incapazes ( concordo )... incluindo o treinador. Não há aqui algo de contraditório? Ou foram os jovens da formação o suporte do rendimento colectivo, apesar dos colegas e de um treinador sem qualidade?

Os prejuízos que tivemos no ano passado estão muito longe de ser originados apenas pelo investimento no futebol no último verão, via aquisições ou rescisões, trata-se de um problema estrutural, de despesas de exploração muito superiores às receitas, que se mantém, mas de forma agravada.

De qualquer das formas, registo que é preciso vir alguém, que tem a opinião que tem sobre determinadas personalidades, a fazer um elogio ao trabalho da direcção sem que este me causa comichão.
Registado



Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #161 em: Janeiro 06, 2012, 21:21 »

Goncalojbcorreia

Enganei-me. Vou reformular e obrigado pelo feedbackPositivo!

Eu acho que continuo a discordar. Pelo menos, se a ideia é a de que o Ser Sporting não apresentava para uma maior sustentabilidade financeira do Clube. Porque me pareceu notório e claro que o apresentava. Especialmente em comparação com JEB.

Essa sustentabilidade não seria obtida através do financiamentode fundos (ou melhor, de fundos negociados enquanto candidato, o que é bem diferente), nem sequer seria a contar com um acréscimo tão significativo nas receitas como o que GL propõe (um aumento de 63% das mesmas).

Eu acredito que, sem tanta despesa, poderíamos, com a competência e a inteligência que se via na altura, termos tido sucesso desde 2009 até hoje. Pelo menos, muito mais que o que tivémos. E, acima de tudo, maior identificação dos sócios com o futebol do Clube (porque relativamente á Instituição em si, os 90% não deixaram margem para dúvidas).

Mas as ideias estão lá, e é relativamente fácil, fazendo contas, verificar que aquele era um modelo sustentável do ponto de vista financeiro. Se o seria do ponto de vista dos resultados desportivos é que não sei (não tanto pelo investimento, mas pelas escolhas de jogadores e de treinador).

De qualquer forma, o outro modelo em discussão não era, em nada, melhor. Nem financeira nem desportivamente. Como já se esperaria, aliás.

Não vi, em campanha eleitoral alguma até ao momento, uma lista tão realista, com ideias tão boas e inovadoras, e que equivalessem tanto a um acréscimo de competência na gestão do Clube (a grande pecha que temos tido, muito mais que a incapacidade para investir) como o Ser Sporting.

A postura dos membros da lista (em particular PPC) não me agradava, mas a do Bruno  a do Godinho também não, e as soluções que vi os primeiros defenderem garantiriam-me, de forma muito mais significativa, um acréscimo de competência na gestão do Clube. Sem promessas de 'angariação' de dinheiro, é certo.
Registado
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #162 em: Janeiro 07, 2012, 16:37 »



*

Mensagens: 7910
Idade: 30
Localidade: Lisboa
Masculino



Citar


(...)
criando equipas de futebol incapazes de lutar pelo título (a começar pelo treinador principal). A sorte dele foi a formação estar repleta de jovens cheios de talento, senão corríamos o risco de nem sequer sermos apurados para as competições europeias.

Não podia deixar passar isto, companheiro.... lutámos, factualmente, pelo título, com equipas incapazes ( concordo )... incluindo o treinador. Não há aqui algo de contraditório? Ou foram os jovens da formação o suporte do rendimento colectivo, apesar dos colegas e de um treinador sem qualidade?

Os prejuízos que tivemos no ano passado estão muito longe de ser originados apenas pelo investimento no futebol no último verão, via aquisições ou rescisões, trata-se de um problema estrutural, de despesas de exploração muito superiores às receitas, que se mantém, mas de forma agravada.

De qualquer das formas, registo que é preciso vir alguém, que tem a opinião que tem sobre determinadas personalidades, a fazer um elogio ao trabalho da direcção sem que este me causa comichão.

Lutamos pelo título somente numa época (ficamos a um ponto do Porto), onde jovens como Miguel Veloso, Moutinho e Nani tiveram um papel preponderante. Aliado a um jogador como o Liedson, conseguiram mascarar as péssimas contratações e os jogadores a custo-zero que trouxeram mais despesas do que receitas. Por isso considero que essa época se deveu, sobretudo, ao facto de termos uma formação de excelência.

Quanto à questão do prejuízo, se reparares as despesas do Sporting não são superiores às dos rivais. Mais do que encarar a diminuição da despesa, é preciso pensar como aumentar a receita (um pouco como o que se passa actualmente em Portugal). Para isso contribuirá uma presença assídua na Liga dos Campeões, a venda de jogadores e uma melhor relação sócio-clube.

Com isto não quero dizer que não se tenha de cortar nas despesas e ser criterioso tanto nos ordenados como no pessoal contratado (seja dirigentes ou atletas). Para mim, por exemplo, não faz sentido ter um jogador como o Polga a ganhar perto do tecto máximo e outras situações semelhantes. Mas o foco principal deve ser no aumento da receita, a não ser que queiramos desistir de lutar pelo título e concentrar toda a nossa energia na sustentabilidade do clube (algo paradoxal, porque diminuir o investimento implica diminuir também receitas futuras).

Enganei-me. Vou reformular e obrigado pelo feedbackPositivo!
Eu acho que continuo a discordar. Pelo menos, se a ideia é a de que o Ser Sporting não apresentava para uma maior sustentabilidade financeira do Clube. Porque me pareceu notório e claro que o apresentava. Especialmente em comparação com JEB.

Não foi isso que quis dizer. As ideias do Ser Sporting eram bem melhores que as da lista concorrente (que nem tinha ideias) e eu próprio defendi a qualidade do programa. Não acho que fosse perfeito nem que fosse o melhor (Eriksson era um nome que não me agradava) e em termos financeiros não vi nada concreto como vi com o Bruno de Carvalho que tinha um fundo completamente organizado e pronto a ser usado.

O problema maior do Ser Sporting foi a estratégia agressiva adoptada e era isso a que me referia. Não só por parte do cabeça de lista, que é uma pessoa sem qualquer classe, como por outros que adoptaram uma postura beligerante, de combate e confrontativa que afastou pessoas em vez de agregar. Como contra-argumentação podes dizer que, na maior parte dos tópicos, as acusações eram certeiras e sustentadas. Não digo o contrário. Mas, para se ganhar uma guerra, é preciso ser-se inteligente. Quando se tem menos soldados, ninguém entra em combate com uma força superior num campo aberto e em confronto directo (correndo em direcção ao opositor). Pelo contrário, espera-se calmamente, na trincheira, mina-se o inimigo por dentro, angariam-se pessoas, acertam-se estratégias e perscrutam-se os pontos fracos. Só depois se ataca.

No fundo, o que quero dizer é simples: a estratégia de confronto directo é ineficaz e faz mais mal do que bem. Extrema posições e não convence os sócios. Para se mudar tem que se seduzir através das ideias, não correr com uma marreta para bater se alguém tiver uma posição contrária. Não é ao dizer "vocês são responsáveis pela morte do clube" que se altera a posição de quem sempre votou nestes rostos "salvadores". E, com isto, acaba-se por fazer a vontade ao opositor, que usa o extremismo para se vitimizar.

Para ganhar uma guerra é preciso sagacidade, inteligência e sentido de oportunidade. Se assim não for, não fazemos mais do que um favor ao adversário.
Registado

"The one thing that doesn't abide by majority rule is a person's conscience." - Harper Lee
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #163 em: Janeiro 07, 2012, 16:49 »



*
Sénior

Mensagens: 6946
Idade: 28
Masculino


Eu só pergunto uma coisa a todos os que batem palmas e apoiam os "salvadores", será que daqui a uns anos o meu futuro filho/a (espero ter um/a) irá poder ter o previlégio de conhecer o Sporting, ou quando essa hora chegar já fechou portas?

Falam que o post do chirola é 1 mão cheia de nada, nada é os vossos argumentos, zero são os vossos comentários, deviam ter vergonha e sentirem-se verdadeiramente envergonhados por apoiar este lento enterro do nosso Clube.
Registado


O Sporting é nosso outra vez !
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #164 em: Janeiro 07, 2012, 17:19 »


On a steel horse I ride


*

Condecorações:Membro do Ano 2012Membro do ano 2011


Mensagens: 25477
Localidade: VILA NOVA GAIA
Masculino


Citar
Winston Smith:


Lutamos pelo título somente numa época (ficamos a um ponto do Porto), onde jovens como Miguel Veloso, Moutinho e Nani tiveram um papel preponderante. Aliado a um jogador como o Liedson, conseguiram mascarar as péssimas contratações e os jogadores a custo-zero que trouxeram mais despesas do que receitas. Por isso considero que essa época se deveu, sobretudo, ao facto de termos uma formação de excelência.


No ano anterior ( em 2005/2006 ), à 30 ou 31 jornada e em Alvalade e no caso de vitória, ultrapassávamos o porto. Penso que apesar da distância pontual ao fim da primeira volta, demos uma boa luta. Em 2008/2009, se não estou em erro, ganhámos 11 jogos dos últimos 13 ( os outros 2 empatámos ) e estivemos sempre a uns 6 pontos do primeiro, a um deslize contrário de lhes permitir apenas mais um erro. Acabámos a 4 pontos. Não faço a apologia daquele mandato, óbvio, quero dizer com isto e tendo em conta as condições, fomos competentes, no que ao futebol diz respeito. Fizemos 66 pontos, pontuação que não será fácil alcançar este ano.

Citar
Quanto à questão do prejuízo, se reparares as despesas do Sporting não são superiores às dos rivais. Mais do que encarar a diminuição da despesa, é preciso pensar como aumentar a receita (um pouco como o que se passa actualmente em Portugal). Para isso contribuirá uma presença assídua na Liga dos Campeões, a venda de jogadores e uma melhor relação sócio-clube.

Com isto não quero dizer que não se tenha de cortar nas despesas e ser criterioso tanto nos ordenados como no pessoal contratado (seja dirigentes ou atletas). Para mim, por exemplo, não faz sentido ter um jogador como o Polga a ganhar perto do tecto máximo e outras situações semelhantes. Mas o foco principal deve ser no aumento da receita, a não ser que queiramos desistir de lutar pelo título e concentrar toda a nossa energia na sustentabilidade do clube (algo paradoxal, porque diminuir o investimento implica diminuir também receitas futuras).

Sim, há uns meses debrucei-me sobre o histórico dos nossos R&C e dos rivais e até postei por aí sobre isto. São SADs, qualquer uma delas, com uma estrutura de custos fixa sobredimensionada, sendo que os outros 2 têm equilibrado as coisas à conta das receitas extraordinárias. O nosso problema é que o nosso histórico de receitas, em qualquer das rúbricas, está muito longe de poder responder aos gastos, mesmo que escolhamos os melhores valores em cada uma delas e refiro-me desde o principio da década passada e mesmo em ano de título.

As vendas de jogadores e a presença na CL são decisivas no próximo ano. Tendo em conta a percentagem que temos dos nossos activos mais valorizáveis, não será fácil alcançar valores que equilibrem as contas.
Registado

Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #165 em: Janeiro 07, 2012, 19:48 »



*
Júnior

Mensagens: 4691
Idade: 34
Localidade: Lisboa
Masculino


Relembro que teremos todo o gosto em publicar aqui na Redacção um artigo da mesma natureza, mas elogiando o excelente trabalho efectuado pelas sucessivas direcções do Sporting e corroborando através de dados objectivos que foram de facto os salvadores do clube ao longo dos anos.

Não se acanhem, só engrandece este espaço e enriquece o debate.

O Silêncio é preocupante...

Para que não os considera Salvadores, mas tem vindo a apoiar e continua a apoiar o trabalho desenvolvido. Mostre os dados históricos objectivos sobre o que tem sido o trabalho desenvolvido nos últimos 16 anos.

Basear uma argumentação em factos e números é mais correcto e exacto, que meras expectativas incertas do que eventualmente irá acontecer. Diversos foristas apenas apresentam meras expectativas... Dados em concreto ZERO...

A questão é que os únicos factos e números concretos são os relativos ao R&C, que apresentou resultados negativos totalmente expectáveis dado o investimento actual.

De resto, os factos actuais até suportam o bom trabalho desta direcção e a divergência em relação às linhas anteriores. Passo a enumerar:

- Competência nas contratações e nos profissionais contratados.

- Investimento forte no futebol.

- Iniciativas que visam uma maior aproximação do clube aos sócios e que obtiveram resultados concretos: maiores assistências em Alvalade.

- Revisão estatutária.

- Desejo e movimentações para a construção do pavilhão.

Como já disse, a única coisa que considero feita de forma deficiente é a venda de percentagens elevadas dos passes de vários atletas. De resto, parece-me factual que esta direcção tem feito um trabalho bem positivo.

Agora perguntas-me, votarias neles se existissem eleições amanhã? Eu direi-te que não. Não por causa do trabalho feito até agora, mas pela falta de categoria e seriedade de muita gente dentro desta direcção - principalmente Godinho Lopes, Paulo Pereira Cristovão e Castro Guedes. Contudo, numa análise totalmente desprovida de avaliações pessoais (subjectivas como sempre) reconheço o trabalho positivo.

E a atitude expectante é natural, dado estarem a fazer aquilo que sempre defendi - investir para ter retorno futuro. Seria incoerente da minha parte estar a criticar esta opção quando a sempre defendi no reinado de Soares Franco, que optou pelo desinvestimento criando equipas de futebol incapazes de lutar pelo título (a começar pelo treinador principal). A sorte dele foi a formação estar repleta de jovens cheios de talento, senão corríamos o risco de nem sequer sermos apurados para as competições europeias.

Winston, Situacionista(s) à parte... Esses é que são os teus dados objectivos?

Estava a aguardar para além dos relatórios e contas, resultados desportivos e a evolução patrimonial.

Não vou na linha de dar uma no cravo e outra na ferradura... Para não citar Eduardo Catroga...
Registado

"Reforçamos ainda a solução que temos vindo a defender para a sustentabilidade do Clube:
a)   O afastamento do Clube de todos os dirigentes envolvidos no “Projecto Roquette” e com responsabilidades na gravíssima situação actual, apuradas após a realização de uma verdadeira auditoria de gestão. Pedido de indemnização cível pelos danos causados ao Sporting Clube de Portugal;
b)    A renegociação firme, corajosa e realista da dívida bancária, de forma a reduzir drasticamente os encargos financeiros anuais; 
c)    A redução drástica dos custos com pessoal, como ponto de partida para que se alcance o equilíbrio da exploração operacional. Se analisarmos as últimas épocas, bem como o descalabro no balanço entre contratações e vendas de jogadores, facilmente verificamos duas realidades: (i) maior investimento não tem sido sinónimo de maior rendimento desportivo, (ii) os maiores encaixes financeiros com venda de jogadores foram com jogadores formados no Clube, e não com jogadores adquiridos pelas administrações e gestores de activos profissionais da SAD."
 - Candidatura Independente ao Conselho Fiscal e Disciplinar
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #166 em: Janeiro 08, 2012, 14:41 »



*
Júnior

Mensagens: 4586
Idade: 37
Masculino


Eu só pergunto uma coisa a todos os que batem palmas e apoiam os "salvadores", será que daqui a uns anos o meu futuro filho/a (espero ter um/a) irá poder ter o previlégio de conhecer o Sporting, ou quando essa hora chegar já fechou portas?

Falam que o post do chirola é 1 mão cheia de nada, nada é os vossos argumentos, zero são os vossos comentários, deviam ter vergonha e sentirem-se verdadeiramente envergonhados por apoiar este lento enterro do nosso Clube.

Curioso... mas não te sentes envergonhado por compararem o Presidente do teu Clube, independentemente do resto do post inicial, com um criminoso condenado, com um gajo que foi presidente do slbosta...

E repito, pois essa carapuça não me serve, é muito acanhada, que não apoiei aquele que agora é o nosso Presidente. No entanto, e até ver, muito curto o mandato, está a conferir. Parece que vão por um caminho correcto, não será o mesmo caminho que muitos seguiriam, eu também não, o que não faz com que não esteja correcta.
Parem com os ódios de estimação dentro do CLUBE e levem isso para outro lado qualquer... Cansado destes "tirar de esforço" por parte de quem acha que o/os outro/outros caminhos é que "salvariam o SPORTING", em menos de um fosforo estão aí eleições e vão ter de prestar contas... e o SCP ainda cá vai estar!

Registado
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #167 em: Janeiro 09, 2012, 22:50 »



*

Mensagens: 7910
Idade: 30
Localidade: Lisboa
Masculino


No ano anterior ( em 2005/2006 ), à 30 ou 31 jornada e em Alvalade e no caso de vitória, ultrapassávamos o porto. Penso que apesar da distância pontual ao fim da primeira volta, demos uma boa luta. Em 2008/2009, se não estou em erro, ganhámos 11 jogos dos últimos 13 ( os outros 2 empatámos ) e estivemos sempre a uns 6 pontos do primeiro, a um deslize contrário de lhes permitir apenas mais um erro. Acabámos a 4 pontos. Não faço a apologia daquele mandato, óbvio, quero dizer com isto e tendo em conta as condições, fomos competentes, no que ao futebol diz respeito. Fizemos 66 pontos, pontuação que não será fácil alcançar este ano.

Para mim, a época em que eu senti que éramos verdadeiramente candidatos foi a de 2006/2007. Mas percebo o teu ponto de vista, estivemos na luta noutros anos, a questão é que o nosso plantel era claramente inferior e nunca acreditei ser possível  conquistar o título. Mais tarde o mais cedo ficaríamos para trás. Em 2006 tínhamos um Nani que desequilibrava, um Moutinho e Liedson em grande forma, bem como um eixo defensivo competente (Polga e Tonel). Esse ano foi o único em que acreditei ser possível ganhar o campeonato.

Winston, lambuçagem à parte... Esses é que são os teus dados objectivos?

Estava a aguardar para além dos relatórios e contas, resultados desportivos e a evolução patrimonial.

Não vou na linha de dar uma no cravo e outra na ferradura... Para não citar Eduardo Catroga...

Penso que não é necessário grandes dados para percebermos como as contratações deste defeso foram acertadas, tanto em termos de técnicos como jogadores. Contratámos o treinador finalista da Liga Europa, vários internacionais de países de renome no panorama mundial e já há muito tempo que não se via futebol de qualidade em Alvalade como este ano.

Em relação à sustentabilidade, vejo uma aposta clara no investimento para ter retorno futuro. Isto também é objectivo, tal como a alienação dos passes que me preocupa. Contudo, espero para ver o que irá acontecer no próximo defeso e que estratégias se irão adoptar para equilibrar o clube.

A revisão dos estatutos também é um  dado objectivo e o Sporting agora tem um sistema de votos mais justo (embora não seja o ideal) bem como a possibilidade do voto electrónico. Foi um passo dado em relação ao futuro e como forma de nos distanciarmos do passado.

Os dados das assistências nesta época em relação às duas anteriores também são factuais: mais pessoas e em Alvalade e, sobretudo, uma maior união em torno da equipa. Também vejo iniciativas de aproximação do clube aos sócios/adeptos como o dia do Jubas que foi um sucesso tremendo.

Em relação às modalidades, os dados que tenho são que de facto se estão a mover na construção do mesmo. Mas isto é subjectivo e não factual.

Portanto tens aí uma série de factos que preferiste ignorar e passar por cima, argumentando que falta evolução patrimonial e resultados desportivos. Bom, aí é uma questão de expectativas. Eu nunca esperei ser campeão esta época e também nunca esperei que, em menos de um ano, se encontrassem soluções para os problemas financeiros do Sporting. Também nunca esperei que em menos de um ano existisse evolução no património do clube, mas isto sou eu. Aliás, até me parece manifestamente absurdo pedir-se a solução dos problemas financeiros e mais património em menos de um ano, mas cada um sabe de si.

E eu nem acredito que vá ser possível encontrar um caminho de sustentação para o clube nesta via (fruto da alienação dos passes) mas como tento ser justo com todos (incluindo as pessoas de quem não gosto) vou dar mais tempo para ver como vão resolver este imbróglio. E saliento que, mesmo não acreditando nesta via (crença subjectiva), vejo com bons olhos que o Sporting está mais competente na tomada de decisões desportivas.
« Última modificação: Janeiro 09, 2012, 22:54 por Winston Smith » Registado

"The one thing that doesn't abide by majority rule is a person's conscience." - Harper Lee
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #168 em: Janeiro 10, 2012, 10:26 »



*
Júnior

Mensagens: 4691
Idade: 34
Localidade: Lisboa
Masculino


No ano anterior ( em 2005/2006 ), à 30 ou 31 jornada e em Alvalade e no caso de vitória, ultrapassávamos o porto. Penso que apesar da distância pontual ao fim da primeira volta, demos uma boa luta. Em 2008/2009, se não estou em erro, ganhámos 11 jogos dos últimos 13 ( os outros 2 empatámos ) e estivemos sempre a uns 6 pontos do primeiro, a um deslize contrário de lhes permitir apenas mais um erro. Acabámos a 4 pontos. Não faço a apologia daquele mandato, óbvio, quero dizer com isto e tendo em conta as condições, fomos competentes, no que ao futebol diz respeito. Fizemos 66 pontos, pontuação que não será fácil alcançar este ano.

Para mim, a época em que eu senti que éramos verdadeiramente candidatos foi a de 2006/2007. Mas percebo o teu ponto de vista, estivemos na luta noutros anos, a questão é que o nosso plantel era claramente inferior e nunca acreditei ser possível  conquistar o título. Mais tarde o mais cedo ficaríamos para trás. Em 2006 tínhamos um Nani que desequilibrava, um Moutinho e Liedson em grande forma, bem como um eixo defensivo competente (Polga e Tonel). Esse ano foi o único em que acreditei ser possível ganhar o campeonato.

Winston, Situacionista(s) à parte... Esses é que são os teus dados objectivos?

Estava a aguardar para além dos relatórios e contas, resultados desportivos e a evolução patrimonial.

Não vou na linha de dar uma no cravo e outra na ferradura... Para não citar Eduardo Catroga...

Penso que não é necessário grandes dados para percebermos como as contratações deste defeso foram acertadas, tanto em termos de técnicos como jogadores. Contratámos o treinador finalista da Liga Europa, vários internacionais de países de renome no panorama mundial e já há muito tempo que não se via futebol de qualidade em Alvalade como este ano.

Em relação à sustentabilidade, vejo uma aposta clara no investimento para ter retorno futuro. Isto também é objectivo, tal como a alienação dos passes que me preocupa. Contudo, espero para ver o que irá acontecer no próximo defeso e que estratégias se irão adoptar para equilibrar o clube.

A revisão dos estatutos também é um  dado objectivo e o Sporting agora tem um sistema de votos mais justo (embora não seja o ideal) bem como a possibilidade do voto electrónico. Foi um passo dado em relação ao futuro e como forma de nos distanciarmos do passado.

Os dados das assistências nesta época em relação às duas anteriores também são factuais: mais pessoas e em Alvalade e, sobretudo, uma maior união em torno da equipa. Também vejo iniciativas de aproximação do clube aos sócios/adeptos como o dia do Jubas que foi um sucesso tremendo.

Em relação às modalidades, os dados que tenho são que de facto se estão a mover na construção do mesmo. Mas isto é subjectivo e não factual.

Portanto tens aí uma série de factos que preferiste ignorar e passar por cima, argumentando que falta evolução patrimonial e resultados desportivos. Bom, aí é uma questão de expectativas. Eu nunca esperei ser campeão esta época e também nunca esperei que, em menos de um ano, se encontrassem soluções para os problemas financeiros do Sporting. Também nunca esperei que em menos de um ano existisse evolução no património do clube, mas isto sou eu. Aliás, até me parece manifestamente absurdo pedir-se a solução dos problemas financeiros e mais património em menos de um ano, mas cada um sabe de si.

E eu nem acredito que vá ser possível encontrar um caminho de sustentação para o clube nesta via (fruto da alienação dos passes) mas como tento ser justo com todos (incluindo as pessoas de quem não gosto) vou dar mais tempo para ver como vão resolver este imbróglio. E saliento que, mesmo não acreditando nesta via (crença subjectiva), vejo com bons olhos que o Sporting está mais competente na tomada de decisões desportivas.

Não queria citar o Catroga, mas passo a citar... Mas estamos a discutir pintelhos ou dados objectivos?

Considero o treinador uma boa aposta, tem mais CV que a maioria dos treinadores contratados nos últimos 16 anos. O plantel está mais competitivo que no ano passado. Já tivemos plantéis mais competitivos num passado recente, onde Liedson acabava por fazer a diferença. Acho que é extremamente difícil substituir Liedson.

Podes fazer um exercício tendo em conta a percentagem do passe que temos dos jogadores, referir qual é o investimento e o retorno possível? Tendo em conta um deficit de exploração anual a rondar os 30/40 milhões... Quem refere que é um investimento para ter retorno, é porque não tem conhecimento das contas do Clube e da percentagem detida dos passes. Acredito que tu tenhas conhecimento.

Relativamente à revisão de estatutos creio que a montanha pariu um rato. A Direcção teve mal com as AG´s delegadas, o timming foi absurdo e a Mesa da AG teve mal na condução dos trabalhos. Os custos de organização foram absurdamente elevados e ridículos, tendo em conta a actual situação financeira do Clube. A própria adesão de Sócios mostra a importância que a revisão teve.

As assistências subiram em relação às últimas época, o que é extremamente positivo. O aumento de Sócios/quotizações não foi relevante.

Modalidades/pavilhão que dados tens? Creio que nas modalidades tem sido feita a gestão possível e temos tido algum sucesso nos últimos anos. Andar com a casa às costas tem sido o maior problema.

Como verificas não estou a ignorar factos e como sempre referi há pilares que considero fundamentais para o Clube, por muito bem ou mal que desenvolvam os pintelhos... Não será isso que irá substituir, sustentar ou fazer de pilar no Sporting.

Considero os pilares do Clube:
Resultados desportivos;
Resultados/sustentabilidade financeira;
Evolução Patrimonial;
Crescimento/identificação de sócios e adeptos;

Se qualquer destes pilares for abaixo o Clube vai andar coxo, apenas com os 4 pilares bem teremos um Clube sustentável.

Os resultados desportivos continuam a ser insuficientes (apesar de melhores);

40 milhões de prejuízo em 6 meses agravaram a sustentabilidade financeira do Clube;

A evolução patrimonial está pendente do cumprimento da iniciativa de GL em passar o Estádio para a SAD;

Existe uma maior identificação de adeptos com o Sporting, no entusiasmo (apesar de ser difícil de medir) e maiores assistências. Infelizmente não estamos a assistir a um crescimento significativo na evolução dos Sócios;

O "Salvador" do Sporting prejudicou ainda mais a sustentabilidade do Clube.

Também tens dados animadores relativamente à sustentabilidade do Clube? Qual é a tua opinião? Como é que se vai efectivar o retorno do suposto investimento?
Registado

"Reforçamos ainda a solução que temos vindo a defender para a sustentabilidade do Clube:
a)   O afastamento do Clube de todos os dirigentes envolvidos no “Projecto Roquette” e com responsabilidades na gravíssima situação actual, apuradas após a realização de uma verdadeira auditoria de gestão. Pedido de indemnização cível pelos danos causados ao Sporting Clube de Portugal;
b)    A renegociação firme, corajosa e realista da dívida bancária, de forma a reduzir drasticamente os encargos financeiros anuais; 
c)    A redução drástica dos custos com pessoal, como ponto de partida para que se alcance o equilíbrio da exploração operacional. Se analisarmos as últimas épocas, bem como o descalabro no balanço entre contratações e vendas de jogadores, facilmente verificamos duas realidades: (i) maior investimento não tem sido sinónimo de maior rendimento desportivo, (ii) os maiores encaixes financeiros com venda de jogadores foram com jogadores formados no Clube, e não com jogadores adquiridos pelas administrações e gestores de activos profissionais da SAD."
 - Candidatura Independente ao Conselho Fiscal e Disciplinar
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #169 em: Janeiro 10, 2012, 17:08 »




Registado

Mensagens: 10
Masculino


Todos estes "salvadores" apenas "salavaram" os seus interesses, nunca se preoucupando com os sócios e adeptos do nosso clube!
Registado

Mais vale um dia de LEÃO que uma vida de cordeiro!!!
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #170 em: Janeiro 11, 2012, 11:56 »



*

Mensagens: 7910
Idade: 30
Localidade: Lisboa
Masculino


Não queria citar o Catroga, mas passo a citar... Mas estamos a discutir pintelhos ou dados objectivos?

Considero o treinador uma boa aposta, tem mais CV que a maioria dos treinadores contratados nos últimos 16 anos. O plantel está mais competitivo que no ano passado. Já tivemos plantéis mais competitivos num passado recente, onde Liedson acabava por fazer a diferença. Acho que é extremamente difícil substituir Liedson.

Podes fazer um exercício tendo em conta a percentagem do passe que temos dos jogadores, referir qual é o investimento e o retorno possível? Tendo em conta um deficit de exploração anual a rondar os 30/40 milhões... Quem refere que é um investimento para ter retorno, é porque não tem conhecimento das contas do Clube e da percentagem detida dos passes. Acredito que tu tenhas conhecimento.

Relativamente à revisão de estatutos creio que a montanha pariu um rato. A Direcção teve mal com as AG´s delegadas, o timming foi absurdo e a Mesa da AG teve mal na condução dos trabalhos. Os custos de organização foram absurdamente elevados e ridículos, tendo em conta a actual situação financeira do Clube. A própria adesão de Sócios mostra a importância que a revisão teve.

As assistências subiram em relação às últimas época, o que é extremamente positivo. O aumento de Sócios/quotizações não foi relevante.

Modalidades/pavilhão que dados tens? Creio que nas modalidades tem sido feita a gestão possível e temos tido algum sucesso nos últimos anos. Andar com a casa às costas tem sido o maior problema.

Como verificas não estou a ignorar factos e como sempre referi há pilares que considero fundamentais para o Clube, por muito bem ou mal que desenvolvam os pintelhos... Não será isso que irá substituir, sustentar ou fazer de pilar no Sporting.

Considero os pilares do Clube:
Resultados desportivos;
Resultados/sustentabilidade financeira;
Evolução Patrimonial;
Crescimento/identificação de sócios e adeptos;

Se qualquer destes pilares for abaixo o Clube vai andar coxo, apenas com os 4 pilares bem teremos um Clube sustentável.

Os resultados desportivos continuam a ser insuficientes (apesar de melhores);

40 milhões de prejuízo em 6 meses agravaram a sustentabilidade financeira do Clube;

A evolução patrimonial está pendente do cumprimento da iniciativa de GL em passar o Estádio para a SAD;

Existe uma maior identificação de adeptos com o Sporting, no entusiasmo (apesar de ser difícil de medir) e maiores assistências. Infelizmente não estamos a assistir a um crescimento significativo na evolução dos Sócios;

O "Salvador" do Sporting prejudicou ainda mais a sustentabilidade do Clube.

Também tens dados animadores relativamente à sustentabilidade do Clube? Qual é a tua opinião? Como é que se vai efectivar o retorno do suposto investimento?

Agradeço o facto de conseguires escrever algo positivo (e factual) sobre a actual presidência (a bold). Parece-me que se calhar a melhoria clara nas assistências e no futebol não é propriamente subjectiva.

Sobre os 4 pilares que falas, considero que estamos a criar uma equipa competitiva para ter resultados desportivos a longo prazo. A questão da evolução patrimonial e da sustentabilidade não faz sentido nenhum num espaço de meses e o crescimento dos sócios e adeptos tem sido propiciado pelas várias iniciativas do Sporting ao longo do país. Se estas iniciativas não têm maior sucesso tal deve-se, sobretudo, à crise económica que estamos a viver e que retira inevitavelmente associados ao clube.

Sobre a questão da sustentabilidade, já disse que espero ver o que esta direcção vai fazer na próxima época para resolver esta questão. Aliás, nem tu nem eu sabemos se existe a possibilidade de recomprar parte do passe caso uma venda se avizinhe (como faz o Porto). Depois, é preciso ver que na próxima época não será necessário investir como nesta, dado termos uma série de jogadores que nos dão garantias a longo-prazo (Carrillo, Rubio, Rinaudo, Wolf, Insua, Capel, Patricio). Todos estes jogadores têm menos de 25 anos e podem propiciar um encaixe substancial de dinheiro no futuro. E no caso do Rubio, Insua, Capel e Patricio temos mais de 50% do passe.
Registado

"The one thing that doesn't abide by majority rule is a person's conscience." - Harper Lee
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #171 em: Janeiro 11, 2012, 12:08 »



*
Júnior

Mensagens: 4691
Idade: 34
Localidade: Lisboa
Masculino


Não queria citar o Catroga, mas passo a citar... Mas estamos a discutir pintelhos ou dados objectivos?

Considero o treinador uma boa aposta, tem mais CV que a maioria dos treinadores contratados nos últimos 16 anos. O plantel está mais competitivo que no ano passado. Já tivemos plantéis mais competitivos num passado recente, onde Liedson acabava por fazer a diferença. Acho que é extremamente difícil substituir Liedson.

Podes fazer um exercício tendo em conta a percentagem do passe que temos dos jogadores, referir qual é o investimento e o retorno possível? Tendo em conta um deficit de exploração anual a rondar os 30/40 milhões... Quem refere que é um investimento para ter retorno, é porque não tem conhecimento das contas do Clube e da percentagem detida dos passes. Acredito que tu tenhas conhecimento.

Relativamente à revisão de estatutos creio que a montanha pariu um rato. A Direcção teve mal com as AG´s delegadas, o timming foi absurdo e a Mesa da AG teve mal na condução dos trabalhos. Os custos de organização foram absurdamente elevados e ridículos, tendo em conta a actual situação financeira do Clube. A própria adesão de Sócios mostra a importância que a revisão teve.

As assistências subiram em relação às últimas época, o que é extremamente positivo. O aumento de Sócios/quotizações não foi relevante.

Modalidades/pavilhão que dados tens? Creio que nas modalidades tem sido feita a gestão possível e temos tido algum sucesso nos últimos anos. Andar com a casa às costas tem sido o maior problema.

Como verificas não estou a ignorar factos e como sempre referi há pilares que considero fundamentais para o Clube, por muito bem ou mal que desenvolvam os pintelhos... Não será isso que irá substituir, sustentar ou fazer de pilar no Sporting.

Considero os pilares do Clube:
Resultados desportivos;
Resultados/sustentabilidade financeira;
Evolução Patrimonial;
Crescimento/identificação de sócios e adeptos;

Se qualquer destes pilares for abaixo o Clube vai andar coxo, apenas com os 4 pilares bem teremos um Clube sustentável.

Os resultados desportivos continuam a ser insuficientes (apesar de melhores);

40 milhões de prejuízo em 6 meses agravaram a sustentabilidade financeira do Clube;

A evolução patrimonial está pendente do cumprimento da iniciativa de GL em passar o Estádio para a SAD;

Existe uma maior identificação de adeptos com o Sporting, no entusiasmo (apesar de ser difícil de medir) e maiores assistências. Infelizmente não estamos a assistir a um crescimento significativo na evolução dos Sócios;

O "Salvador" do Sporting prejudicou ainda mais a sustentabilidade do Clube.

Também tens dados animadores relativamente à sustentabilidade do Clube? Qual é a tua opinião? Como é que se vai efectivar o retorno do suposto investimento?

Agradeço o facto de conseguires escrever algo positivo (e factual) sobre a actual presidência (a bold). Parece-me que se calhar a melhoria clara nas assistências e no futebol não é propriamente subjectiva.

Sobre os 4 pilares que falas, considero que estamos a criar uma equipa competitiva para ter resultados desportivos a longo prazo. A questão da evolução patrimonial e da sustentabilidade não faz sentido nenhum num espaço de meses e o crescimento dos sócios e adeptos tem sido propiciado pelas várias iniciativas do Sporting ao longo do país. Se estas iniciativas não têm maior sucesso tal deve-se, sobretudo, à crise económica que estamos a viver e que retira inevitavelmente associados ao clube.

Sobre a questão da sustentabilidade, já disse que espero ver o que esta direcção vai fazer na próxima época para resolver esta questão. Aliás, nem tu nem eu sabemos se existe a possibilidade de recomprar parte do passe caso uma venda se avizinhe (como faz o Porto). Depois, é preciso ver que na próxima época não será necessário investir como nesta, dado termos uma série de jogadores que nos dão garantias a longo-prazo (Carrillo, Rubio, Rinaudo, Wolf, Insua, Capel, Patricio). Todos estes jogadores têm menos de 25 anos e podem propiciar um encaixe substancial de dinheiro no futuro. E no caso do Rubio, Insua, Capel e Patricio temos mais de 50% do passe.

Não esperes para ver o que esta Direcção vai fazer... Pega nos jogadores e nos passes e diz-me quem é que terás de vender para colmatar o déficit de 35/40 milhões de euro?

Todos os anos a conversa é a mesma, vamos ver o que vão fazer na próxima época para resolver a questão... Só se encontrarem petróleo, a gerir futebol já mostraram a incapacidade. A actual Direcção apresentou um record de 40 milhões de prejuízo em 6 meses. Vão continuar a juntar records?
Registado

"Reforçamos ainda a solução que temos vindo a defender para a sustentabilidade do Clube:
a)   O afastamento do Clube de todos os dirigentes envolvidos no “Projecto Roquette” e com responsabilidades na gravíssima situação actual, apuradas após a realização de uma verdadeira auditoria de gestão. Pedido de indemnização cível pelos danos causados ao Sporting Clube de Portugal;
b)    A renegociação firme, corajosa e realista da dívida bancária, de forma a reduzir drasticamente os encargos financeiros anuais; 
c)    A redução drástica dos custos com pessoal, como ponto de partida para que se alcance o equilíbrio da exploração operacional. Se analisarmos as últimas épocas, bem como o descalabro no balanço entre contratações e vendas de jogadores, facilmente verificamos duas realidades: (i) maior investimento não tem sido sinónimo de maior rendimento desportivo, (ii) os maiores encaixes financeiros com venda de jogadores foram com jogadores formados no Clube, e não com jogadores adquiridos pelas administrações e gestores de activos profissionais da SAD."
 - Candidatura Independente ao Conselho Fiscal e Disciplinar
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #172 em: Janeiro 11, 2012, 12:10 »



*
Júnior

Mensagens: 4887
Idade: 34
Localidade: Ch. Caparica


Citação de: Winston Smith
Sobre os 4 pilares que falas, considero que estamos a criar uma equipa competitiva para ter resultados desportivos a longo prazo.

A questão Winston, é que no futebol actual o longo prazo é um treta.

Desta equipa e com a percentagem de passes que já foi alienada, os prazos estão é bem curtos, pois os investidores/empresários não esperam ad eternum pelo retorno. Basta ver o que se passou recentemente com o Ricky, fez uns golitos e foi o suficiente para o seu empresário dar umas entrevistas referindo que o jogador não ficaria por cá mais do que esta época. A pressão para venda vai ser uma constante e tenho dúvidas que face às dificuldades financeiras do Sporting, exista "força" para a vencer.

Quero dizer com isto que os ciclos para vencer são curtos, e o compromisso dos atletas com as entidades também.
Registado

A continuidade e a sua credibilidade trouxeram-nos a esta triste realidade. Basta!

Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #173 em: Janeiro 11, 2012, 12:26 »


On a steel horse I ride


*

Condecorações:Membro do Ano 2012Membro do ano 2011


Mensagens: 25477
Localidade: VILA NOVA GAIA
Masculino


Citar
Não esperes para ver o que esta Direcção vai fazer... Pega nos jogadores e nos passes e diz-me quem é que terás de vender para colmatar o déficit de 35/40 milhões de euro?

Desde já peço desculpa pelo abuso pelas citações que vou fazer, que é apenas de memória, mas faço-as na mesma... ...

" Como nos próximos 3 anos teremos defices de exploração, tenho que recorrer a investidores ".

" Entrada de capital na SAD".

" Eleições no caso dessa entrada capital exigir a maioria na SAD".

Foi ou não, isto?

Enquanto não tiver uma ideia sobre a capacidade do Sporting em decidir o futuro dos seus activos e a sua autonomia perante os fundos ( cujos moldes são desconhecidos ), devo dizer que estou muito preocupado quanto ao que se poderá fazer na próxima época. Não sei se será outro ano zero, ou perto disso, mas com menor capacidade de investimento.
Registado

Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #174 em: Janeiro 11, 2012, 14:25 »


Sócio SCP há 40's e tantos.


*
Sénior

Mensagens: 9780
Localidade: Alg Alentejo
Masculino



Salva ou enforca?
Registado

QUERO    UM   SPORTING
CREDÍVEL  -  LIMPO  -  AMBICIOSO
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #175 em: Janeiro 11, 2012, 14:31 »



*

Condecorações:Membro do Ano 2010


Mensagens: 29804
Idade: 33
Localidade: Stockholm
Masculino

WWW
Que o caminho encetado por esta Direcção é um dos mais acertados dos últimos anos para garantir a sustentabilidade futura do Sporting enquanto grande potência desportiva e futebolística, tenho quase a certeza absoluta.

Agora que não seja a) insuficiente e b) demasiado tarde é que já tenho muitas dúvidas. BdC iria garantir-nos o a) porque, ao contrário desta jigajoga com os passes dos jogadores, o plano dele parecia-me suficiente, mas pairaria sempre a dúvida em relação ao b), algo causado pela irresponsabilidade dos Sócios do Sporting ao apoiarem a continuidade da dinastia Roquette anos a fio.

A sustentabilidade do clube a curto, médio e até longo prazo é o grande desafio do Sporting para o futuro, já nem digo a dinâmica vitoriosa, porque mesmo que encontremos o caminho para a glória não é certo que não venhamos a ter de fechar a porta, um preço que infelizmente podemos vir a ter de pagar pelos erros cometidos nestes últimos 15 anos.
Registado
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #176 em: Janeiro 11, 2012, 15:11 »


On a steel horse I ride


*

Condecorações:Membro do Ano 2012Membro do ano 2011


Mensagens: 25477
Localidade: VILA NOVA GAIA
Masculino




Citar
Paracelsus:

Que o caminho encetado por esta Direcção é um dos mais acertados dos últimos anos para garantir a sustentabilidade futura do Sporting enquanto grande potência desportiva e futebolística, tenho quase a certeza absoluta.

Pelo menos é um principio que me agrada. Este é, aliás, uma das coisas que me agradou na última entrevista de GL. A menção ao "ciclo virtuoso" e a negação do "ciclo vicioso", é uma opção de maior risco, em detrimento da redução de custos com o futebol para valores estritamente condicionados pelo pagamento do serviço de dívida. A bem da verdade, houve uma aposta muito forte na competitividade da equipa de futebol, esperando com isto colher frutos a nível das receitas ordinárias e, essencialmente, extraordinárias ( CL e venda de activos ) e apenas aqui poderemos ver grandes saltos quantitativos.

Essa aposta teve alguns pontos a elogiar. Em termos globais, penso que a qualidade dos activos teve um grande upgrade, bem como o seu potencial de valorização. Por outro lado, os moldes do financiamento para tal, deixam-me muitas reservas.

Citar


Agora que não seja a) insuficiente e b) demasiado tarde é que já tenho muitas dúvidas. BdC iria garantir-nos o a) porque, ao contrário desta jigajoga com os passes dos jogadores, o plano dele parecia-me suficiente, mas pairaria sempre a dúvida em relação ao b), algo causado pela irresponsabilidade dos Sócios do Sporting ao apoiarem a continuidade da dinastia Roquette anos a fio.

A sustentabilidade do clube a curto, médio e até longo prazo é o grande desafio do Sporting para o futuro, já nem digo a dinâmica vitoriosa, porque mesmo que encontremos o caminho para a glória não é certo que não venhamos a ter de fechar a porta, um preço que infelizmente podemos vir a ter de pagar pelos erros cometidos nestes últimos 15 anos.


Eu gostava de ver medidas que impactassem sobre a dívida financeira e o seu serviço de dívida. Que não passassem por operações cujas comissões nos custaram milhões e que permitiram o esvaziamento do clube a favor da SAD que por sua vez cai nas mãos dos bancos a não ser que o estádio "mude de mãos". Gostava de ver aparecerem outro tipo de  receitas, que tivessem carácter mais ou menos fixo e que permitam uma laboração mais saudável do grupo. O "naming" do estádio, de que se fala há vários anos, que passe das palavras aos actos e que apareça uma proposta concreta e que esta seja apresentada aos sócios. Novos contratos de patrocínio, negociação dos existentes, etc... não tenho dúvidas que do desempenho da equipa de futebol, depende também todo o valor da marca, mas depende menos quanto maior for a capacidade negocial e competência de quem nos gere. Está na altura de estas existirem no Sporting.
Registado

Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #177 em: Janeiro 11, 2012, 16:25 »



*
Júnior

Mensagens: 4691
Idade: 34
Localidade: Lisboa
Masculino


Que o caminho encetado por esta Direcção é um dos mais acertados dos últimos anos para garantir a sustentabilidade futura do Sporting enquanto grande potência desportiva e futebolística, tenho quase a certeza absoluta.

Quando falas em sustentabilidade futura creio que fales de um equilíbrio financeiro e desportivo.

Como justificas que o caminho encetado por esta Direcção é um dos mais acertados dos últimos anos?

a) Está relacionado com o facto dos anos anteriores terem sido muito maus?

b) Estamos a copiar algum modelo de sucesso a nível nacional ou internacional?

Como é que consegues sustentabilidade futura, se aumentas a despesa, não se vislumbra um aumento de receitas que sustente a despesa. Quando a única possibilidade de ter algum equilíbrio é vender jogadores cujos passes não pertencem 100% ao Sporting? Volto a perguntar que jogadores vamos ter de vender no final do ano para cobrir o deficit de 35/40 milhões de euro?

Considero que o ciclo vicioso positivo é um mito, porque o futebol não gera suficientes receitas para a despesa que tem. O nosso Historial de receitas e despesas tem provado isso.

Continuo a achar que a aposta na formação, jogadores baratos adaptados ao nosso futebol e a contratação de um/dois jogadores internacionais que faça a diferença poderá ser o único caminho possível. A cada ano que passa o dinheiro para a contratação de um/dois jogadores internacionais ou jogadores baratos adaptados começa a faltar... A tendência será a aposta na formação.

Teremos outra situação fundamental que é a renegociação da dívida com os primeiros credores. Só vejo viabilidade com um perdão de dívida, período de carência até equilibrar as contas ou passar a dívida para um longo prazo sem juros.

Veremos também o que vai surgir das regras de fair play da UEFA.

Nos últimos anos a maior falha do Sporting tem sido na contratação de jogadores e na sua valorização, tem sido a formação a única fonte de rendimento do Clube. O ano passado foram 18 milhões de receitas à custa da formação. O risco/incompetência/interesses difusos na contratação, têm custado perdas por imparidade e custos salariais a fundo perdido a cada relatório e contas.
Registado

"Reforçamos ainda a solução que temos vindo a defender para a sustentabilidade do Clube:
a)   O afastamento do Clube de todos os dirigentes envolvidos no “Projecto Roquette” e com responsabilidades na gravíssima situação actual, apuradas após a realização de uma verdadeira auditoria de gestão. Pedido de indemnização cível pelos danos causados ao Sporting Clube de Portugal;
b)    A renegociação firme, corajosa e realista da dívida bancária, de forma a reduzir drasticamente os encargos financeiros anuais; 
c)    A redução drástica dos custos com pessoal, como ponto de partida para que se alcance o equilíbrio da exploração operacional. Se analisarmos as últimas épocas, bem como o descalabro no balanço entre contratações e vendas de jogadores, facilmente verificamos duas realidades: (i) maior investimento não tem sido sinónimo de maior rendimento desportivo, (ii) os maiores encaixes financeiros com venda de jogadores foram com jogadores formados no Clube, e não com jogadores adquiridos pelas administrações e gestores de activos profissionais da SAD."
 - Candidatura Independente ao Conselho Fiscal e Disciplinar
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #178 em: Janeiro 11, 2012, 17:21 »



*

Condecorações:Membro do Ano 2010


Mensagens: 29804
Idade: 33
Localidade: Stockholm
Masculino

WWW
Que o caminho encetado por esta Direcção é um dos mais acertados dos últimos anos para garantir a sustentabilidade futura do Sporting enquanto grande potência desportiva e futebolística, tenho quase a certeza absoluta.

Quando falas em sustentabilidade futura creio que fales de um equilíbrio financeiro e desportivo.

Como justificas que o caminho encetado por esta Direcção é um dos mais acertados dos últimos anos?

a) Está relacionado com o facto dos anos anteriores terem sido muito maus?

b) Estamos a copiar algum modelo de sucesso a nível nacional ou internacional?

Como é que consegues sustentabilidade futura, se aumentas a despesa, não se vislumbra um aumento de receitas que sustente a despesa. Quando a única possibilidade de ter algum equilíbrio é vender jogadores cujos passes não pertencem 100% ao Sporting? Volto a perguntar que jogadores vamos ter de vender no final do ano para cobrir o deficit de 35/40 milhões de euro?

Considero que o ciclo vicioso positivo é um mito, porque o futebol não gera suficientes receitas para a despesa que tem. O nosso Historial de receitas e despesas tem provado isso.

Continuo a achar que a aposta na formação, jogadores baratos adaptados ao nosso futebol e a contratação de um/dois jogadores internacionais que faça a diferença poderá ser o único caminho possível. A cada ano que passa o dinheiro para a contratação de um/dois jogadores internacionais ou jogadores baratos adaptados começa a faltar... A tendência será a aposta na formação.

Teremos outra situação fundamental que é a renegociação da dívida com os primeiros credores. Só vejo viabilidade com um perdão de dívida, período de carência até equilibrar as contas ou passar a dívida para um longo prazo sem juros.

Veremos também o que vai surgir das regras de fair play da UEFA.

Nos últimos anos a maior falha do Sporting tem sido na contratação de jogadores e na sua valorização, tem sido a formação a única fonte de rendimento do Clube. O ano passado foram 18 milhões de receitas à custa da formação. O risco/incompetência/interesses difusos na contratação, têm custado perdas por imparidade e custos salariais a fundo perdido a cada relatório e contas.

Não sabes se o ciclo vicioso positivo é um mito, o Sporting nunca passou por um ciclo vicioso positivo, por isso o nosso historial de receitas e despesas não prova absolutamente nada.

Eu creio que a sustentabilidade só pode ser conseguida alicerçada na obtenção de resultados desportivos que catapultem o valor da marca e dos seus activos (jogadores). Só sendo campeão com regularidade se consegue mobilizar os adeptos, só indo à Liga dos Campeões com regularidade e mantendo alguma competitividade nessa competição se conseguem os euros, atrair patrocínios com outra vontade e dimensão e vender os jogadores por números mais elevados.

O problema é que a crise europeia vai limitar o número de grandes na Europa com capacidade para manter o circo a funcionar ano após ano. O Porto esteve nesse pelotão uns belos anos, foi o clube português que melhor se soube adaptar à realidade da indústria futebolística dos tempos modernos, mas mesmo o Porto pode já ter dado um passo maior que a perna nos anos mais recentes.

A opção de passar a ter a formação como backbone da equipa parece-me o caminho provável para o futebol português caso o panorama económico geral se vá agravando, mas se o Sporting for forçado a fazê-lo antes dos rivais irá perder mais uma década ou assim de títulos internos com repercussões ainda mais graves e acentuadas do que até aqui na desmobilização dos adeptos e angariação de novos. E isso acabará por remeter o clube a uma escala mais reduzida que benfica e porto durante mais uma ou duas gerações antes que haja uma oportunidade de virar a página.

Por isso é que me parece ser tão importante conseguir um equilíbrio a um nível elevado e mantê-lo durante tantos anos quantos os que for possível... é para conseguir chegar e manter a pole-position durante os anos suficientes para capitalizar a marca e posicioná-la acima da dos rivais.

Mas não tarda e estamos a discutir as previsões da Maya Grin, tudo isto é especular com base em cenários hipotéticos.
Registado
Re: Os "salvadores" do Sporting , « Resposta #179 em: Janeiro 11, 2012, 17:46 »



*
Júnior

Mensagens: 4691
Idade: 34
Localidade: Lisboa
Masculino


Que o caminho encetado por esta Direcção é um dos mais acertados dos últimos anos para garantir a sustentabilidade futura do Sporting enquanto grande potência desportiva e futebolística, tenho quase a certeza absoluta.

Quando falas em sustentabilidade futura creio que fales de um equilíbrio financeiro e desportivo.

Como justificas que o caminho encetado por esta Direcção é um dos mais acertados dos últimos anos?

a) Está relacionado com o facto dos anos anteriores terem sido muito maus?

b) Estamos a copiar algum modelo de sucesso a nível nacional ou internacional?

Como é que consegues sustentabilidade futura, se aumentas a despesa, não se vislumbra um aumento de receitas que sustente a despesa. Quando a única possibilidade de ter algum equilíbrio é vender jogadores cujos passes não pertencem 100% ao Sporting? Volto a perguntar que jogadores vamos ter de vender no final do ano para cobrir o deficit de 35/40 milhões de euro?

Considero que o ciclo vicioso positivo é um mito, porque o futebol não gera suficientes receitas para a despesa que tem. O nosso Historial de receitas e despesas tem provado isso.

Continuo a achar que a aposta na formação, jogadores baratos adaptados ao nosso futebol e a contratação de um/dois jogadores internacionais que faça a diferença poderá ser o único caminho possível. A cada ano que passa o dinheiro para a contratação de um/dois jogadores internacionais ou jogadores baratos adaptados começa a faltar... A tendência será a aposta na formação.

Teremos outra situação fundamental que é a renegociação da dívida com os primeiros credores. Só vejo viabilidade com um perdão de dívida, período de carência até equilibrar as contas ou passar a dívida para um longo prazo sem juros.

Veremos também o que vai surgir das regras de fair play da UEFA.

Nos últimos anos a maior falha do Sporting tem sido na contratação de jogadores e na sua valorização, tem sido a formação a única fonte de rendimento do Clube. O ano passado foram 18 milhões de receitas à custa da formação. O risco/incompetência/interesses difusos na contratação, têm custado perdas por imparidade e custos salariais a fundo perdido a cada relatório e contas.

Não sabes se o ciclo vicioso positivo é um mito, o Sporting nunca passou por um ciclo vicioso positivo, por isso o nosso historial de receitas e despesas não prova absolutamente nada.

Eu creio que a sustentabilidade só pode ser conseguida alicerçada na obtenção de resultados desportivos que catapultem o valor da marca e dos seus activos (jogadores). Só sendo campeão com regularidade se consegue mobilizar os adeptos, só indo à Liga dos Campeões com regularidade e mantendo alguma competitividade nessa competição se conseguem os euros, atrair patrocínios com outra vontade e dimensão e vender os jogadores por números mais elevados.

O problema é que a crise europeia vai limitar o número de grandes na Europa com capacidade para manter o circo a funcionar ano após ano. O Porto esteve nesse pelotão uns belos anos, foi o clube português que melhor se soube adaptar à realidade da indústria futebolística dos tempos modernos, mas mesmo o Porto pode já ter dado um passo maior que a perna nos anos mais recentes.

A opção de passar a ter a formação como backbone da equipa parece-me o caminho provável para o futebol português caso o panorama económico geral se vá agravando, mas se o Sporting for forçado a fazê-lo antes dos rivais irá perder mais uma década ou assim de títulos internos com repercussões ainda mais graves e acentuadas do que até aqui na desmobilização dos adeptos e angariação de novos. E isso acabará por remeter o clube a uma escala mais reduzida que benfica e porto durante mais uma ou duas gerações antes que haja uma oportunidade de virar a página.

Por isso é que me parece ser tão importante conseguir um equilíbrio a um nível elevado e mantê-lo durante tantos anos quantos os que for possível... é para conseguir chegar e manter a pole-position durante os anos suficientes para capitalizar a marca e posicioná-la acima da dos rivais.

Mas não tarda e estamos a discutir as previsões da Maya Grin, tudo isto é especular com base em cenários hipotéticos.

Em 99/00 e 01/02 não houve um ciclo vicioso positivo a nível de receitas? Ciclo curto, mas serve de comparação os números na altura. Os quais já foram analisados neste fórum.

Ida regular à Champions também tivemos 2006/7, 2007/8, 2008/9 e 2009/10, no entanto continuámos a apresentar prejuízos. Excepto no ano que vendemos património.

Fica a questão a qual continua sem resposta:
Citar
Como é que consegues sustentabilidade futura, se aumentas a despesa, não se vislumbra um aumento de receitas que sustente a despesa. Quando a única possibilidade de ter algum equilíbrio é vender jogadores cujos passes não pertencem 100% ao Sporting? Volto a perguntar que jogadores vamos ter de vender no final do ano para cobrir o deficit de 35/40 milhões de euro?

Não é preciso seres a Maya para fazer um orçamento, uma previsão de vendas e uma previsão de receitas. O Histórico de receitas, o valor do plantel e o passe dos jogadores dá para fazer uma interessante estimativa. Pior que prever mal, é prever zero.
Assentas num mero feeling que "o caminho encetado é um dos mais acertados", sem apresentares números que sustentam a tua posição.
« Última modificação: Janeiro 11, 2012, 17:51 por jnrodrigues » Registado

"Reforçamos ainda a solução que temos vindo a defender para a sustentabilidade do Clube:
a)   O afastamento do Clube de todos os dirigentes envolvidos no “Projecto Roquette” e com responsabilidades na gravíssima situação actual, apuradas após a realização de uma verdadeira auditoria de gestão. Pedido de indemnização cível pelos danos causados ao Sporting Clube de Portugal;
b)    A renegociação firme, corajosa e realista da dívida bancária, de forma a reduzir drasticamente os encargos financeiros anuais; 
c)    A redução drástica dos custos com pessoal, como ponto de partida para que se alcance o equilíbrio da exploração operacional. Se analisarmos as últimas épocas, bem como o descalabro no balanço entre contratações e vendas de jogadores, facilmente verificamos duas realidades: (i) maior investimento não tem sido sinónimo de maior rendimento desportivo, (ii) os maiores encaixes financeiros com venda de jogadores foram com jogadores formados no Clube, e não com jogadores adquiridos pelas administrações e gestores de activos profissionais da SAD."
 - Candidatura Independente ao Conselho Fiscal e Disciplinar
Gosta deste tópico? Partilhe-o:
Páginas: « anterior 1 ... 7 8 [9] 10 11 seguinte » Ir para o topo Imprimir
Fórum SCP - A Comunidade do Sporting Clube de Portugal Universo Sporting Clube de Portugal Redacção Porta 10-A Tópico:

Os "salvadores" do Sporting

« tópico anterior seguinte »
Ir para:

Powered by SMF 1.1.20 | SMF © 2011, Simple Machines
Tema SMFone modificado por Avantix e Paracelsus.
Optimizado para o Mozilla Firefox na resolução 1024 x 768.
© 2004 - 2010 | Fórum SCP | Alguns Direitos Reservados
Fórum não-oficial do Sporting Clube de Portugal

Ajuda | | Sitemap | Política de Privacidade