Noticias sobre o Cosmos/Espaço/Universo

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Duas coisas podemos ter a certeza, o universo é infinito porque se tivesse um fim como seria o outro lado desse finito? Outra, num tamanho tão grande e por milagre éramos os únicos a ter inteligência?

Nos evoluímos a partir da espécie mais inteligente na terra, o macaco. A evolução que ocorreu durante milhares de anos pode-mos obter o aspecto, inteligência e o pensamento que detemos agora. O porque de todos os macacos não evoluírem de igual para igual, não sei, pode ter sido uma determinada espécie de macacos que tenha obtido este sucesso, ou a sua região os levou a isto porque é diversas vezes citado que o animais tem de se habituar a zona onde vivem. A inteligência é obtida em soma, para construirmos os edifícios que temos hoje foram muitos anos de tentativas falhadas por outros seres humanos que nos levaram a isto, as mesmas tentativas que ocorrem hoje e que daqui a 100 anos nos levaram a outro lugar totalmente diferente.

Quem nós garante que num outro planeta não existe uma espécie que evolui-o da mesma maneira que nós? Como disseram, o universo é tão grande que será difícil existir um contacto entre os seres.

:mrgreen:



Concordo com tudo o que disses-te :great:
SPORTING SEMPRE !
Duas coisas podemos ter a certeza, o universo é infinito porque se tivesse um fim como seria o outro lado desse finito? Outra, num tamanho tão grande e por milagre éramos os únicos a ter inteligência?

Nos evoluímos a partir da espécie mais inteligente na terra, o macaco. A evolução que ocorreu durante milhares de anos pode-mos obter o aspecto, inteligência e o pensamento que detemos agora. O porque de todos os macacos não evoluírem de igual para igual, não sei, pode ter sido uma determinada espécie de macacos que tenha obtido este sucesso, ou a sua região os levou a isto porque é diversas vezes citado que o animais tem de se habituar a zona onde vivem. A inteligência é obtida em soma, para construirmos os edifícios que temos hoje foram muitos anos de tentativas falhadas por outros seres humanos que nos levaram a isto, as mesmas tentativas que ocorrem hoje e que daqui a 100 anos nos levaram a outro lugar totalmente diferente.

Quem nós garante que num outro planeta não existe uma espécie que evolui-o da mesma maneira que nós? Como disseram, o universo é tão grande que será difícil existir um contacto entre os seres.

Não evoluímos a partir do macaco. Tanto os macacos actuais como o homem são ramos diferentes que evoluiram do mesmo ascendente (um primata primitivo, que nada tinha a ver com os macacos actuais), vê por ex:



Quanto a isso do universo ser infinito e do que há "para lá", bem, há maneiras de teres um universo finito sem ser preciso haver um "para lá", tam como há maneiras de teres um universo infinito mas com limites. Isso da geometria tem muito que se lhe diga...

De resto, que tem que haver vida mais ou menos por todo o lado é praticamente inevitável e dou-te toda a razão. Há vários argumentos que se podem fazer, por ex. o argumento "gravitacional-probabilístico"

1. Pega numa nuvem de poeira grandota. É inevitável que se forme um sistema estelar (posso explicar porquê mas demorava um bocado). É muito provável que se formem planetas (é a mesma explicação, mas tem a ver com a gravidade e como se comporta uma nuvem de poeira com a atracção gravitacional entre os grãozitos).

2. Num caso conhecido, isso deu origem a vida: o nosso. Ou seja, a probabilidade de se formar vida a partir de uma n uvem de poeira é maior que zero.

3. Nuvens de poeira é o que há mais no universo. São ziliões de ziliões. E as suas consequências (estrelas), também. É um número tão astronómico (literalmente), que sendo a probabilidade de dar lugar a vida maior que zero, de certeza que há inúmeras com vida.

Pegando por outro lado, temos o chamado argumento da mediocridade:

1. A nossa estrela não é uma estrela incomum, pelo contrário é o mais chapa 1 que há. Como nós, há espalhado por todo o lado.  E agora que somos capazes de "ver", para todo o lado para onde olhamos vemos planetas.

2. Ou seja, somos completamente mediocres, o mais corriqueiro que há no universo.

3. Ou seja, como nós há muitos!

Já agora, pelo mesmo tipo de argumentos poder-se-ia concluir que, havendo vida inteligente com capacidade de viajar entre estrelas, eles nunca nos visitaram. Porque se eu tivesse os recursos  consideráveis exigidos para construir uma nave espacial, eu não iria visitar um entre ziliões de sistemas solares mediocres, iguais a ziliões de outros espalhados por todo o ladol Eu ia visditar um quasar, uma estrela de neutrões, um buraco negro, essas coisas raras! E mesmo que quisesse ir à procura de vida, há tantos ziliões de sistemas como o nosso que só por um grande acaso cá vinha dar.

Finalmente: estas linhas de argumentação são especulação pura, e não são para levar muito a sério mas são giras :)

Agora, o nosso especialista residente em vida extraterrestre é o MRG! MRG; onde andas, precisamos aqui dos teus bitaites!  :mrgreen:
Duas coisas podemos ter a certeza, o universo é infinito porque se tivesse um fim como seria o outro lado desse finito? Outra, num tamanho tão grande e por milagre éramos os únicos a ter inteligência?

Nos evoluímos a partir da espécie mais inteligente na terra, o macaco. A evolução que ocorreu durante milhares de anos pode-mos obter o aspecto, inteligência e o pensamento que detemos agora. O porque de todos os macacos não evoluírem de igual para igual, não sei, pode ter sido uma determinada espécie de macacos que tenha obtido este sucesso, ou a sua região os levou a isto porque é diversas vezes citado que o animais tem de se habituar a zona onde vivem. A inteligência é obtida em soma, para construirmos os edifícios que temos hoje foram muitos anos de tentativas falhadas por outros seres humanos que nos levaram a isto, as mesmas tentativas que ocorrem hoje e que daqui a 100 anos nos levaram a outro lugar totalmente diferente.

Quem nós garante que num outro planeta não existe uma espécie que evolui-o da mesma maneira que nós? Como disseram, o universo é tão grande que será difícil existir um contacto entre os seres.

Não evoluímos a partir do macaco. Tanto os macacos actuais como o homem são ramos diferentes que evoluiram do mesmo ascendente (um primata primitivo, que nada tinha a ver com os macacos actuais), vê por ex:



E quero acrescentar que tenho dúvidas que tenhamos evoluído da espécie mais inteligente. Quer-me parecer que evoluímos sim da espécie com mais potencial para desenvolver a sua inteligência.

Quanto a isso do universo ser infinito e do que há "para lá", bem, há maneiras de teres um universo finito sem ser preciso haver um "para lá", tam como há maneiras de teres um universo infinito mas com limites. Isso da geometria tem muito que se lhe diga...

 :arrow: Pois.
Aliás, actualmente é mais aceite a hipótese do universo ser finito já que existem evidências de que ele se está a expandir, e algo infinito não se expande já que isso contraria a própria definição de infinito. O que me leva a perguntar o queres dizer com "universo infinito mas com limites".
Tema interessante. Gostei do artigo, cortei as referências teológicas... porque sim... :mrgreen:

Citar

O universo através do tempo



As primeiras concepções sobre o Universo foram criadas pelos gregos, Anaximandro (c. 610-574 a.C), por exemplo, afirmava que o Universo surgira da água e os seres humanos descendiam dos peixes; a Terra seria um disco achatado e flutuante, circundado por tubos furados de névoa luminosa, com um círculo de fogo por fora.

No séc IV a.C. foi a vez de Eudoxo de Cnido (c. 406- c. 355 a.C.) que, aperfeiçoando as idéias de Pitágoras  (c. 580 a.C. – c. 500 a.C.) criou o modelo geocêntrico do Universo, onde os planetas eram corpos esféricos que se moviam em órbitas circulares e as estrelas estavam fixas numa esfera externa. Aristóteles (384 a.C – 322 a.C.), no mesmo século, e Ptolomeu (c.100 – c.178), 300 anos depois, também acreditavam que a Terra ficava no centro do Universo.

Até o séc. XVI as idéias de Aristóteles e Ptolomeu dominaram o pensamento ocidental até a época de Nicolau Copérnico (1473 – 1543). Para ele, o Sol, e não a Terra, era o centro de todo o Universo. Mais tarde, Giordano Bruno (1548-1600) afirmou que o Universo não tem centro nem limites, e que as estrelas estão espalhadas através de um espaço infinito. Morreu na fogueira por dizer a verdade.

Em 1920, baseando-se na teoria da relatividade, Georges Lemaître (1894-1966) e Alexander Friedman (1888-1925) propuseram, o modelo de um Universo finito, em constante expansão, com um início determinado no tempo. Tudo teria começado com a explosão de  um só átomo, onde toda a matéria e energia se concentravam com densidade infinita. Em 1950, o físico Fred Hoyle (1915-2001) tentou ridicularizar a idéia com o apelido de big bang (“grande estouro”). O termo acabou dando nome à teoria.

Em 1960 foi a vez dos defensores do modelo multiverso, que criticam a teoria do big bang por não resolver um problema: se o Universo é finito, o que há fora dele? Os defensores deste novo modelo afirmam que existem inúmeros universos espalhados pelo espaço infinito, muitos dos quais podem estar nascendo (em big bangs) ou morrendo (em big crunchs, o oposto dos big bangs, quando a gravidade comprime todo o Universo num ponto só) neste exato instante. Nesses universos paralelos, as leis da física podem ser totalmente diferentes das nossas.

Em 2001 a teoria da ecpirótica (nomeada a partir do grego ekpyrosis, “fogo desastroso”) diz que tudo surgiu do choque de duas “membranas cósmicas” numa quarta dimensão do espaço, isto é, a idéia mostra duas “membranas bidimensionais” que se chocam na terceira dimensão que seria percebido por aqui como o big bang.

Em 09 de outubro de 2003, o jornal “O Globo” baseado em estudo da revista “Nature”, descreve o novo modelo de Universo, que seria segundo a jornalista Roberta Jansen, um Universo finito, voltado sobre si mesmo, semelhante à forma geométrica dodecaedro. Esse estudo foi coordenado pelo matemático Jeffrey weeks de Nova York. O estudo sugere que a ilusão de infinitude é criada porque o Universo seria parecido com uma sala de espelhos de 12 lados, na qual seriam vistas cópias múltiplas dos mesmos astros.

E no modelo Espírita o Universo é finito ou infinito? Para tirar essa dúvida vamos a questão 35 de “O livro dos Espíritos” e com Kardec perguntaremos:

“O Espaço universal é infinito ou limitado?

Infinito. Supõe-no limitado: que haverá para lá de seus limites? Isto te confunde a razão, bem o sei; no entanto, a razão te diz que não pode ser de outro modo. O mesmo se dá com o infinito em todas as coisas. Não é na pequenina esfera em que vos achais que podereis compreendê-lo.”

Kardec comenta a questão com seu bom-senso costumeiro:

“Supondo-se um limite ao Espaço, por mais distante que a imaginação o coloque, a razão diz que além desse limite alguma coisa há e assim, gradativamente, até ao infinito, porquanto, embora essa alguma coisa fosse o vazio absoluto, ainda seria Espaço.”

E o nada existe? Mais uma vez juntos com Kardec indagaremos:

“O vácuo absoluto existe em alguma parte no Espaço universal?

Não, não há o vácuo. O que te parece vazio está ocupado por matéria que te escapa aos sentidos e aos instrumentos.”



http://www.espirito.org.br/portal/artigos/bernardino/o-universo.html
Duas coisas podemos ter a certeza, o universo é infinito porque se tivesse um fim como seria o outro lado desse finito? Outra, num tamanho tão grande e por milagre éramos os únicos a ter inteligência?

Nos evoluímos a partir da espécie mais inteligente na terra, o macaco. A evolução que ocorreu durante milhares de anos pode-mos obter o aspecto, inteligência e o pensamento que detemos agora. O porque de todos os macacos não evoluírem de igual para igual, não sei, pode ter sido uma determinada espécie de macacos que tenha obtido este sucesso, ou a sua região os levou a isto porque é diversas vezes citado que o animais tem de se habituar a zona onde vivem. A inteligência é obtida em soma, para construirmos os edifícios que temos hoje foram muitos anos de tentativas falhadas por outros seres humanos que nos levaram a isto, as mesmas tentativas que ocorrem hoje e que daqui a 100 anos nos levaram a outro lugar totalmente diferente.

Quem nós garante que num outro planeta não existe uma espécie que evolui-o da mesma maneira que nós? Como disseram, o universo é tão grande que será difícil existir um contacto entre os seres.

Que grande mentira, que eu saiba evoluímos a partir de Adão e Eva.
Que grande mentira, que eu saiba evoluímos a partir de Adão e Eva.

de certa forma, sim. Mostrou-se a partir de estudos genéticos que todos os seres humanos têm uma mesma fêmea como antepassada comum - os cientistas chamaram "Eva" a esta fêmea :) http://en.wikipedia.org/wiki/Mitochondrial_Eve E claro, há o Adão correspondente http://en.wikipedia.org/wiki/Y-chromosomal_Adam
Tema interessante. Gostei do artigo, cortei as referências teológicas... porque sim... :mrgreen:

Citar

O universo através do tempo...


http://www.espirito.org.br/portal/artigos/bernardino/o-universo.html

De facto, está a i um artigo bem interessante, sim senhor.

Obrigado Lion73 :great:
SPORTING SEMPRE !
O Universo? A vida?

Count me in!

A meu modelo a seguir, pela postura e admiração pela vida, pela busca de conhecimento e por ser muito "cool" em geral, fala sobre a vida aqui:

[youtube=650,535]http://www.youtube.com/watch?v=j2oXFWKpJiA[/youtube]


Por vezes penso que nasci numa época errada. Todos nós nascemos numa época de suposições e busca pela vida, mas apenas podemos construir modelos matemáticos, indagar, imaginar e observar. Nunca viajaremos pelas estrelas, tal como nunca viajámos em busca do mundo novo na época dos descobrimentos. Resta-me o meu telescópio, a NASA e uma imaginação fértil. Acredito que exista vida por aí, não acredito muito que nos tenham encontrado de todo pela vastidão do espaço, e se nos encontraram não me parece que se interessassem por uma espécie claramente inferior. Imaginem o nível de evolução necessário a viajar pelas estrelas em busca de conhecimento novo e tudo mais, não só a nível tecnológico mas sobretudo a nível espiritual. Um povo que viaje pelas estrelas, é provável que tenha enfrentado a extinção olhos nos olhos e conseguiu resolver as suas divergências. Porque raio quereriam comunicação com uma espécie que não se entende e que é bastante inferior?
pelo mesmo motivo pelo qual tu "conversas" com um ninho de vespas ao pé da tua casa?  :mrgreen:
pelo mesmo motivo pelo qual tu "conversas" com um ninho de vespas ao pé da tua casa?  :mrgreen:

As minhas "conversas" com os ninhos de vespas são semelhantes às "conversas" com o banco, eu cá, eles lá e um isqueiro na minha posse...  :twisted:  :mrgreen:

Já agora, existem sempre sites que podem ser úteis a quem gosta. Costumo visitar o astronomynow e o newscientist. Se tiverem aí alguns que possam partilhar para enriquecer o conhecimento, façam o favor  :mrgreen:
« Última modificação: Dezembro 11, 2011, 19:45 pm por Delatio »
A tecnologia americana está 20 ou 30 anos não tenho bem a certeza,  a frente da disponível a população. Tanto que quando o micro-ondas foi posto no mercado já era usado pelos americanos a muito tempo. A nível tecnológico e com o passar dos anos vamos atingir estruturas e máquinas que achávamos que nunca iríamos ver
"Sporting! Minha vida é o Sporting, minha paixão é o Sporting, meu amor é o Sporting, é o Sporting é o Sporting é o Sporting! Meu vício é o Sporting, minha família é o Sporting, Sporting, Sporting, Sporting, é o meu Sporting!"
Aceitar a hipótese de existir vida noutros planetas tudo bem, ainda por cima numa altura que se pensa ter encontrado bactérias em Marte...

Agora daqui extrapolar que estes níveis de vida já comunicaram connosco!  :hand:

Pior mesmo, só aqueles "palhaços" pois não tenho outra definição para eles que têm tempo de antena no canal história para nos "VENDEREM" teorias totalmente descabidas e sem fundamento arqueológico algum, nas quais as pirâmides e outras construções milenares foram construídas por extra-terrestres.

Cumps

   

Ah, agora deparei-me com o teu post. De facto aquele "programa" do canal história é algo de um nível... Enfim.
Eu bem que achei estranho, um tema sobre o cosmos num canal de História, mas não resisti a ver. Que coisa mais desagradável.
Citar
Tsoukalos is a 1998 graduate of Ithaca College in Ithaca, New York with a degree in sports information and communication.
Eu sei que ele é só o pivot, mas deveria haver mais cuidado a escolher um pivot para os temas específicos.
@ Delatio costumo usar este site e tem de tudo um pouco :great:

http://hypescience.com/category/astronomia/
SPORTING SEMPRE !
 :beer: directo aos marcadores. Obrigado

Citar
Astrônomos encontraram a estrela que gira mais rapidamente até hoje, uma jovem massiva e brilhante localizada na nossa galáxia vizinha anã, a Grande Nuvem de Magalhães.

A gigante estrela está localizada na Nebulosa da Tarântula, cerca de 160 mil anos-luz de distância da Terra. Ela gira 100 vezes mais rapidamente que o sol, a um ritmo de 1,6 milhão de quilômetros por hora.

Já vou com a cabeça a girar para a cama  :mrgreen:
 :beer: directo aos marcadores. Obrigado

Citar
Astrônomos encontraram a estrela que gira mais rapidamente até hoje, uma jovem massiva e brilhante localizada na nossa galáxia vizinha anã, a Grande Nuvem de Magalhães.

A gigante estrela está localizada na Nebulosa da Tarântula, cerca de 160 mil anos-luz de distância da Terra. Ela gira 100 vezes mais rapidamente que o sol, a um ritmo de 1,6 milhão de quilômetros por hora.

Já vou com a cabeça a girar para a cama  :mrgreen:

 :xock: São valores tão elevados que é simplesmente impossivel de imaginar.
SPORTING SEMPRE !
os valores não são difíceis porque é 1.6 Milhões de quilómetros, a velocidade é que é impossível de se imaginar xD
"Sporting! Minha vida é o Sporting, minha paixão é o Sporting, meu amor é o Sporting, é o Sporting é o Sporting é o Sporting! Meu vício é o Sporting, minha família é o Sporting, Sporting, Sporting, Sporting, é o meu Sporting!"

Pior mesmo, só aqueles "palhaços" pois não tenho outra definição para eles que têm tempo de antena no canal história para nos "VENDEREM" teorias totalmente descabidas e sem fundamento arqueológico algum, nas quais as pirâmides e outras construções milenares foram construídas por extra-terrestres.
   

O ultimo episodio de South Park foi a gozar com isso mesmo.  :lol:
Pode ser imensamente improvável mas eu diria que não é impossivel ter já havido interacção entre povos de 2 planetas distantes e com vida "inteligente" (seja inteligente aquilo que for). E até connosco...

Não sei se existe uma separação ao certo do que é vida inteligente ou não mas nós andamos em duas "patas" há umas centenas de milhares de anos. Algo que poderá ter acontecido num outro planeta a uma outra especie "equivalente" há uns milhões de anos.

Nós não somos "nada" temporalmente em relação à Terra e muito menos o somos em relação ao Universo.

Já agora quanto ao Adão e Eva... a evolução até à nossa especie foi feita gradualmente ou o Adão e Eva tiveram filhos diferentes dos outros? E se não foi gradualemente eles podem ter tido noção de que os seus filhos eram diferentes? Quando é que "nós" nos daremos conta de que somos uma especie diferente? Ou não daremos?

Eu não percebo nada destas coisas, mas acho muito interessante. Quer dizer minto.... eu vejo o Fringe e por isso...  :rotfl:  :rotfl:  :rotfl:
Pode ser imensamente improvável mas eu diria que não é impossivel ter já havido interacção entre povos de 2 planetas distantes e com vida "inteligente" (seja inteligente aquilo que for). E até connosco...

Não sei se existe uma separação ao certo do que é vida inteligente ou não mas nós andamos em duas "patas" há umas centenas de milhares de anos. Algo que poderá ter acontecido num outro planeta a uma outra especie "equivalente" há uns milhões de anos.

Nós não somos "nada" temporalmente em relação à Terra e muito menos o somos em relação ao Universo.

Já agora quanto ao Adão e Eva... a evolução até à nossa especie foi feita gradualmente ou o Adão e Eva tiveram filhos diferentes dos outros? E se não foi gradualemente eles podem ter tido noção de que os seus filhos eram diferentes? Quando é que "nós" nos daremos conta de que somos uma especie diferente? Ou não daremos?

Eu não percebo nada destas coisas, mas acho muito interessante. Quer dizer minto.... eu vejo o Fringe e por isso...  :rotfl:  :rotfl:  :rotfl:

Foi, e tiveram mas não no sentido em que estás a pensar. A probabilidade de dois indivíduos serem iguais (e aqui estou a considerar apenas o genoma) é ínfima.
Não porque a evolução é demasiado lenta, tanto que está a acontecer e no entanto isso não é evidente.
Não daremos, e não existe um momento em que passamos a ser de uma espécie diferente. Se considerares dois indivíduos um A que viveu suficientemente no passado e um B seu descendente que vive na actualidade, suficientemente separados um do outro para que, caso tivessem a oportunidade, não conseguissem produzir descendentes férteis (a partir de uma definição de espécie), percebemos que pertencem a espécies diferentes, apesar de todos os indivíduos na linhagem entre ambos serem da mesma espécie que o seu imediato ascendente e descendente, e puderem produzir descendentes férteis entre si.

Foi, e tiveram mas não no sentido em que estás a pensar. A probabilidade de dois indivíduos serem iguais (e aqui estou a considerar apenas o genoma) é ínfima.
Não porque a evolução é demasiado lenta, tanto que está a acontecer e no entanto isso não é evidente.
Não daremos, e não existe um momento em que passamos a ser de uma espécie diferente. Se considerares dois indivíduos um A que viveu suficientemente no passado e um B seu descendente que vive na actualidade, suficientemente separados um do outro para que, caso tivessem a oportunidade, não conseguissem produzir descendentes férteis (a partir de uma definição de espécie), percebemos que pertencem a espécies diferentes, apesar de todos os indivíduos na linhagem entre ambos serem da mesma espécie que o seu imediato ascendente e descendente, e puderem produzir descendentes férteis entre si.

As coisas que aprendemos...  :great: .