Fórum SCP

Um senhor chamado Moniz Pereira

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Foi com alguma tristeza que não vi uma homenagem a este Senhor na primeira gala Sporting. Espero que isso seja corrigido ainda em vida.

Parabéns ao Senhor Atletismo. Um homem ímpar no desporto português.
« Última modificação: Fevereiro 11, 2015, 16:33 pm por milnovezeroseis »
e para além do Atletismo, é um enorme Senhor do Fado!

http://lisboanoguiness.blogs.sapo.pt/120693.html

Entre muitos outros, compôs e escreveu a letra deste fado:

Parabéns Sr. Atletismo

 :clap: :clap:  :clap:  :clap:
"Eu posso não ter escrito SPORTINGUISTA na testa mas tenho no coração"
Muitos Parabéns!!
 :beer:

Grande Orgulho Leonino!!
 :clap: :clap: :clap:
QUE O LEÃO VOLTE A RUGIR MAIS ALTO QUE NUNCA
ESFORÇO, DEDICAÇÃO, DEVOÇÃO E GLÓRIA. EIS O SPORTING!
Muitos parabéns. Um grande nome do desporto português
"É um orgulho estar no Sporting. Quem não conhece o Sporting sabe muito pouco de futebol"  Tales  3-9-2010
11-02-2015
O dia do Senhor Atletismo

 
Podia ter sido um milhão, 'ficou-se' pelos 200 mil - em apenas cinco horas, a forma como o Facebook oficial do Clube tinha assinalado o 94.º aniversário do Professor Moniz Pereira alcançara milhares e milhares de Sportinguistas. Os tempos passam, as figuras ficam. Neste caso, a figura. Em 1921, ano em que, por exemplo, nasceu a primeira cadeia de fast food do Mundo ('White Castle Hamburger', no Kansas), nem se sonhava sequer com TV ou internet e o próprio Jornal Sporting, o mais antigo de um Clube, não existia. 94 anos depois, o Senhor Atletismo continua a ser uma referência. Em qualquer tempo ou plataforma.

Aproveitando a ocasião, o site oficial do Sporting recorda agora uma das páginas que mais sucesso conseguiu também atingir - o 'Lugar na História', de 18 de Dezembro de 2014. Aproveitando uma homenagem da Associação Nacional de Atletismo Veterano (ANAV) e dos Leões de Portugal, o Jornal contou uma história tão grande que nunca lhe faria jus por mais páginas que tivesse. E rezava o seguinte:

"Começou a correr por brincadeira, ainda criança. No Liceu, foi ganhando o gosto pela corrida e participou em campeonatos escolares. Depois, inscreveu-se na Associação de Atletismo de Lisboa. O desporto estava-lhe no destino. Depois de, no início da sua vida adulta, não ter conseguido entrar na escola do Exército, para a qual concorrera com o seu irmão, foi estudar para “palhaço” – como dizia o seu avô. “Quando chegámos aos 17 anos, eu e o meu irmão decidimos começar a trabalhar. O mais fácil era o Exército, porque se começava logo a ganhar dinheiro. Fizemos as provas físicas e passámos facilmente, mas era preciso ir à Faculdade de Ciências fazer umas cadeiras, nas quais era péssimo. Não entrei, ao contrário do meu irmão. E foi aí que decidi ir para o Instituto Nacional de Educação Física, o que não foi muito bem visto pela minha família”, confessa o ex-atleta e treinador, que se licenciou em Educação Física pelo INEF, onde também leccionou durante 27 anos.

O atletismo sempre fez parte da sua vida. Começou por se sagrar campeão universitário de Portugal de triplo salto e recordista nacional. Contudo, Moniz Pereira também foi feliz noutras modalidades e foi como praticante de ténis de mesa que, em 1939, ingressou no Sporting – onde, em 1945, passou a treinador principal da equipa de atletismo e professor de classes de ginástica e depois de voleibol.

Refere José Salazar Correia como impulsionador da sua entrada no atletismo. “Ele era médico e tinha sido atleta do Sporting no voleibol, no atletismo, no andebol e no râguebi, sendo depois treinador de todas estas modalidades. Nas traseiras do prédio onde vivíamos, tínhamos um vaivém em que ele me emprestava revistas estrangeiras. Metia num saco e eu puxava, de varanda em varanda. Depois tocava uma campainha para o avisar e devolvia-lhos. Se não fosse ele, não teria feito nada do que consegui fazer”, revela.

Como treinador de atletismo, ficou conhecido por ser uma pessoa muito intransigente. “Nunca faltei a um treino e nunca cheguei depois das nove da manhã. Dava o exemplo. Se alguns dos atletas chegassem, por exemplo, às 9h03, já lhes dizia ‘boa tarde’. Fizesse sol ou chuva, o treino começava às 9h”, refere.

Moniz Pereira – ou “Senhor Atletismo”, como era conhecido –, sempre acreditou na possibilidade de um atleta português sagrar-se campeão olímpico. “Tinha gosto em que Portugal tivesse atletas de categoria internacional e toda a gente dizia que eu era maluco. O meu objectivo principal era que, um dia, um atleta treinado por mim fosse aos Jogos Olímpicos ganhar a medalha de ouro e que ouvisse tocar o hino português. Disse que era isto que ia tentar fazer. Demorei 39 anos, mas consegui”, confessa.

Dito e feito. Em 1984, na maratona de Los Angeles, Portugal viu Carlos Lopes, um dos atletas ‘feitos’ pelo Professor, cortar a meta em primeiro lugar e ganhar a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos. “Chorei que nem uma Madalena nesse dia. Toda a gente dizia que era impossível e derrotei os impossíveis”, atira o ex-treinador. Para além de Carlos Lopes, o Professor projectou muitos mais atletas no mundo do atletismo, como os irmãos Castro e Fernando Mamede, ficando assim conhecido como um ‘fazedor’ de campeões.

Como treinador de várias modalidades, contribuiu para diversos títulos do Sporting, do qual é o Sócio número 2. Mas é no atletismo que se destacam os mais importantes: 30 Campeonatos Nacionais de pista masculinos; 24 Campeonatos Nacionais de pista femininos; 33 Campeonatos Nacionais de corta-mato masculinos e 12 Taças dos Clubes Campeões Europeus de corta-mato. Individualmente, conquistou também várias medalhas, em especial como atleta veterano.

Agora, aos 93 anos, Moniz Pereira continua a lamentar que o valor dado às modalidades, principalmente ao atletismo, seja cada vez menor. “A minha vida sempre foi ajudar no que era possível, mas o atletismo português nunca esteve tão mal como nos dias de hoje. Não há dinheiro, só há para o futebol. Com isto não quero dizer que não se deve investir no futebol, só acho que não nos podemos esquecer que, muitas vezes, são as outras modalidades que nos dão mais alegrias lá fora”, diz o ex-treinador e ex-atleta.

No entanto, a sua história de vida não se resumiu, apenas, ao desporto. A paixão pela música foi descoberta tardiamente, sentado ao piano. E foi, sobretudo, no fado que o seu talento de compositor mais se fez ouvir, tendo sido consagrado com o famoso tema “Valeu a Pena”, que Maria da Fé celebrizou. O Professor escreveu, ainda, mais de 130 canções para vários nomes sonantes da música em Portugal, como Camané, Carlos do Carmo e Fernando Tordo".

Parabéns Professor Moniz Pereira!

http://www.sporting.pt/Noticias/Clube/notclube_monizpereiraanos_110215_140584.asp
 
ESFORÇO, DEDICAÇÃO, DEVOÇÃO E GLÓRIA. EIS O SPORTING!
Parabens ao Senhor do atletismo , parabens por tudo o que fez pelo Sporting e pelo desporto em portugal, um homem impar , em portugal nao ha igual !!
Parabens ao Presidente pela  visita que fez a um grande senhor do desporto em portugal!!
Para ser sincero ja tinha estranhado bastante o facto do Sporting ter o seu canal de televisao ja ha bastante tempo , e o Senhor Moniz pereira raramente ser mencionado , por tudo o que deu ao nosso clube , e ao desporto nacional !!

Devo de dizer que o conheco pessoalmente , porque trabalhei como recepcionista  no hotel Mar e sol em S pedro de Moel , onde as equipas de atletismo do sporting la iam estagiar varias vezes ao ano , e tive o prazer de o conhecer pessoalmente , e de estar com ele a adorar velo a tocar piano !!
Bem haja  senhor atletismo!!
És um verdadeiro Leão na Internet... mas ainda não és sócio? Muda isso num só minuto, faz-te sócio e sê uma voz activa/participativa no nosso clube! Precisamos da ajuda de todos os Sportinguistas! -> https://socionumminuto.pt

A verdade sobre o Sporting da "geração" Roquette

Documentário "GOLPE NO SPORTING"
ESFORÇO, DEDICAÇÃO, DEVOÇÃO E GLÓRIA. EIS O SPORTING!
20-02-2015
Elogios de Carlos Lopes a Moniz Pereira 

 
“Moniz Pereira era um treinador igual a muitos outros no que toca ao trabalho físico, mas era fabuloso na organização, exigência e relacionamento com os atletas”, diz Carlos Lopes, a ‘obra’, a respeito de Moniz Pereira, o seu ‘criador’. O ex-atleta, que completou ontem 68 anos – sete dias depois de o ‘Senhor Atletismo’ comemorar 94 –fala de uma relação de confiança mútua, em que Moniz Pereira era mais um gestor do que um treinador.

Paralelamente, Carlos Lopes refere a revolução nos métodos de treino promovida por Moniz Pereira, que lhe abriu caminho para se tornar o primeiro ouro olímpico português.

Leia tudo na edição do Jornal Sporting, que já está nas bancas.

http://www.sporting.pt/Noticias/Clube/notclube_carloslopesmonizpereira_200215_141269.asp
ESFORÇO, DEDICAÇÃO, DEVOÇÃO E GLÓRIA. EIS O SPORTING!