Apple Iphone 5...er 4S

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Desculpa lá, mas isto é um comentário digno de um fanboy da Apple. Meter "esteróides"... 8)

LOL... até a própria Apple o faz... iPhone 3gS de "steroids", agora o 4S e por aí fora. :twisted:

O desenvolvimento da tecnologia (hardware) em si é uma inovação. Uma coisa é criar uma determinada tecnologia que fornece determinadas vantagens (menor tamanho, menor potência dissipada, processamento paralelo, etc..etc, etc...), outra bem diferente é apenas acrescentar mais uma divisão à casa já construída. Não me parece que aquilo que aquilo que a Samsung tem feito se situe no segundo caso.

Pois a mim parece-me e muito. A Samsung constrói componentes para quase todas as empresas de tecnologia e aproveita também para fazer o seu próprio "assembling" a partir desses componentes e vender os seus produtos como marca. É isto que a Samsung é e não lhe estou a retirar mérito, agora não podemos chamar à Samsung de impulsionadora/inovadora a nível conceptual (mas sim, se considerares inovação o melhoramento e refinamento da tecnologia, então aí inova e muito, só que pra mim isso não é inovar, tal como um 3GS não é uma inovação em relação ao 3G na minha opinião).
Uns inovam e criam tendencias outros andam ao reboque das mesmas(ainda que o
façam com qualidade é certo)...

Mas sinceramente hoje não me apetece muito falar sobre tudo que tenha
a ver com a Apple.
Lembro-me de ter lido uma frase, já não sei onde, que era qualquer coisa como isto:

"Steve Jobs pensa, Steve Jobs cria, e os outros copiam"

Nuff said.
Desculpa lá, mas isto é um comentário digno de um fanboy da Apple. Meter "esteróides"... 8)

LOL... até a própria Apple o faz... iPhone 3gS de "steroids", agora o 4S e por aí fora. :twisted:

O desenvolvimento da tecnologia (hardware) em si é uma inovação. Uma coisa é criar uma determinada tecnologia que fornece determinadas vantagens (menor tamanho, menor potência dissipada, processamento paralelo, etc..etc, etc...), outra bem diferente é apenas acrescentar mais uma divisão à casa já construída. Não me parece que aquilo que aquilo que a Samsung tem feito se situe no segundo caso.

Pois a mim parece-me e muito. A Samsung constrói componentes para quase todas as empresas de tecnologia e aproveita também para fazer o seu próprio "assembling" a partir desses componentes e vender os seus produtos como marca. É isto que a Samsung é e não lhe estou a retirar mérito, agora não podemos chamar à Samsung de impulsionadora/inovadora a nível conceptual (mas sim, se considerares inovação o melhoramento e refinamento da tecnologia, então aí inova e muito, só que pra mim isso não é inovar, tal como um 3GS não é uma inovação em relação ao 3G na minha opinião).

Isso é tão, mas tão relativo... Ainda para mais porque facilmente se pode dizer que aquilo onde o Apple realmente inovou foi ao nível da forma, do aspecto do seu produto e não do conteúdo. Mais, se formos realmente a ver os domínios da tecnologia onde houve realmente grande evolução e sem as quais hoje não conseguimos viver constatamos que a Apple está fora desse campeonato. Agora há que reconhecer o mérito por terem aproveitado isso tudo para as juntarem num produto com aspecto muito apetecível mais pela forma do que propriamente pelo conteúdo.
Isso é tão, mas tão relativo... Ainda para mais porque facilmente se pode dizer que aquilo onde o Apple realmente inovou foi ao nível da forma, do aspecto do seu produto e não do conteúdo. Mais, se formos realmente a ver os domínios da tecnologia onde houve realmente grande evolução e sem as quais hoje não conseguimos viver constatamos que a Apple está fora desse campeonato. Agora há que reconhecer o mérito por terem aproveitado isso tudo para as juntarem num produto com aspecto muito apetecível mais pela forma do que propriamente pelo conteúdo.

Podes comparar o período pré-iTunes e pós-iTunes... quantas músicas eram descarregadas pela net a preço individual antes disso? A resposta é ZERO. E depois do aparecimento do iTunes? Milhões em todo o mundo.

Podes comparar o período pré-iPhone e pós-iPhone... quantos smartphones com touchscreen e apps existiam até então? A resposta é ZERO. E depois? Quase todos.

Estes 2 exemplos (e há uns quantos mais) marcos foram autênticas revoluções a nível mundial e quem lhes deu origem foi a Apple. Se resumes isto a "aspecto" e "forma" então pronto... :inde:
Isso é tão, mas tão relativo... Ainda para mais porque facilmente se pode dizer que aquilo onde o Apple realmente inovou foi ao nível da forma, do aspecto do seu produto e não do conteúdo. Mais, se formos realmente a ver os domínios da tecnologia onde houve realmente grande evolução e sem as quais hoje não conseguimos viver constatamos que a Apple está fora desse campeonato. Agora há que reconhecer o mérito por terem aproveitado isso tudo para as juntarem num produto com aspecto muito apetecível mais pela forma do que propriamente pelo conteúdo.

Podes comparar o período pré-iTunes e pós-iTunes... quantas músicas eram descarregadas pela net a preço individual antes disso? A resposta é ZERO. E depois do aparecimento do iTunes? Milhões em todo o mundo.

Podes comparar o período pré-iPhone e pós-iPhone... quantos smartphones com touchscreen e apps existiam até então? A resposta é ZERO. E depois? Quase todos.

Estes 2 exemplos (e há uns quantos mais) marcos foram autênticas revoluções a nível mundial e quem lhes deu origem foi a Apple. Se resumes isto a "aspecto" e "forma" então pronto... :inde:

o iphone não foi o primeiro smartphone com touchscreen. podes argumentar que a apple «reinventou» o smartphone, mas que não foi a primeira, isso não foi. se copiou ou inovou, deixo ao critério de cada um.

Citar
In 2000, the touchscreen Ericsson R380 Smartphone was released.[9] It was the first device to use an open operating system, the Symbian OS.[10] It was the first device marketed as a 'smartphone'.[11] It combined the functions of a mobile phone and a personal digital assistant (PDA).[12] In December 1999 the magazine Popular Science appointed the Ericsson R380 Smartphone to one of the most important advances in science and technology.[13] It was a groundbreaking device since it was as small and light as a normal mobile phone.[14] In 2002 it was followed up by P800.[15]

extracto tirado daqui: http://en.wikipedia.org/wiki/Smartphone#History
Everyone is king when there’s no one left to pawn
Touchscreen manejado unicamente com os dedos? A Apple nao inventou o conceito de smartphone, isso é mérito de outra excelente empresa, mas o do ecrã táctil actual com a funcionalidade que tem hoje em dia foi a Apple. Até se pode pegar noutro exemplo, o iPad. A Apple nao inventou o conceito de tablet, no entanto quantos tablets com a funcionalidade do género iPad existiam no mercado da Samsung entre outras até à chegada do iPad? Quantas pessoas no mundo inteiro tinham um tablet antes do iPad aparecer?
Isso é tão, mas tão relativo... Ainda para mais porque facilmente se pode dizer que aquilo onde o Apple realmente inovou foi ao nível da forma, do aspecto do seu produto e não do conteúdo. Mais, se formos realmente a ver os domínios da tecnologia onde houve realmente grande evolução e sem as quais hoje não conseguimos viver constatamos que a Apple está fora desse campeonato. Agora há que reconhecer o mérito por terem aproveitado isso tudo para as juntarem num produto com aspecto muito apetecível mais pela forma do que propriamente pelo conteúdo.

Podes comparar o período pré-iTunes e pós-iTunes... quantas músicas eram descarregadas pela net a preço individual antes disso? A resposta é ZERO. E depois do aparecimento do iTunes? Milhões em todo o mundo.

Que me interessa isso em termos de inovação de tecnologia (é disso que estávamos a falar!)? Isso de inovação tecnológica tem zero. Foi simplesmente o aproveitar de um modelo de negócio que ainda não estava implementado e cuja tecnologia-base para o sustentar já existia e não havia sido inventada por eles.

Sobre isso cito isto:
Citar
O iTunes foi desenvolvido com base no SoundJam MP, um aplicativo comercial popular para reprodução de MP3 distribuído pela empresa de software Casady & Greene. A Apple comprou os direitos do programa e contratou os três programadores que o criaram. O primeiro lançamento do iTunes era muito similar ao SoundJam MP, com a adição da habilidade de gravar CDs e uma maquiagem na interface. A Apple adicionou uma série de recursos nas versões subseqüentes.


Podes comparar o período pré-iPhone e pós-iPhone... quantos smartphones com touchscreen e apps existiam até então? A resposta é ZERO. E depois? Quase todos.

Pelos vistos não é bem assim... O JanglinJack já mostrou que não é bem assim.



Honestamente nada tenho contra a Apple e seus produtos. Acho-os bastante apelativos, interessantes e das vezes em que lhes meti os dedods sempre apreciei. Agora acho exagerado é esta tendência que os seus utilizadores têm para querer fazer disto um "Deus no céu e a Apple na Terra", ainda para mais sustentando essa crença em  histórias que são claramente sobrevalorizadas ou não correspondem mesmo à verdade.
Touchscreen manejado unicamente com os dedos? A Apple nao inventou o conceito de smartphone, isso é mérito de outra excelente empresa, mas o do ecrã táctil actual com a funcionalidade que tem hoje em dia foi a Apple. Até se pode pegar noutro exemplo, o iPad. A Apple nao inventou o conceito de tablet, no entanto quantos tablets com a funcionalidade do género iPad existiam no mercado da Samsung entre outras até à chegada do iPad? Quantas pessoas no mundo inteiro tinham um tablet antes do iPad aparecer?

a apple apresentou o primeiro touchscreen multi-touch, isso é um dado irrefutável (penso eu, que me interesso bastante por estes assuntos, e como tal estou relativamente bem informado). noutras particularidades terá sido também pioneira (não vou agora procurar info sobre isto, mas é virtualmente impossível não ter acontecido).

a questão aqui é o que é que é considerado inovação, invenção ou cópia. isto tudo para dizer que a apple não tem o monopólio da «invenção» tecnológica, nem é a única a desenvolver tecnologia novas sobre conceitos antigos. no presento momento (aqui incluo os último 10/15 anos) é praticamente impossível apresentar um conceito novo num produto mainstream, porque ninguem começa nada do zero (não é rentável financeiramente), todos se baseiam em ideias, conceitos ou tecnologias de nicho/experimentais para apresentarem produtos novos.

vê por exemplo os ecrans flexiveis. já existem há uns anos, não são novidade (serão para o grande publico, visto que não têm ainda utilização prática em produtos comerciais). se amanhã a apple/samsung/nokia lançar um smartphone com um ecran destes, e o disponibilizar par as massas, é uma invenção, uma cópia ou um avanço a uma tecnologia já existente?

Everyone is king when there’s no one left to pawn
É simples, a grande inovação a nível conceptual espelha-se na alteração de hábitos e mentalidades de toda uma sociedade... Se isso nao acontecer entao nao é uma "grande inovação conceptual". O computador ou a internet são 2 exemplos de gigantesca inovação conceptual e é claro que nao nasceram do nada, o computador vem do ábaco + transistor e a net de programas militares... No entanto a grande inovação só ocorre quando essas coisas passam a fazer parte do "património" cultural da sociedade.
É simples, a grande inovação a nível conceptual espelha-se na alteração de hábitos e mentalidades de toda uma sociedade... Se isso nao acontecer entao nao é uma "grande inovação conceptual". O computador ou a internet são 2 exemplos de gigantesca inovação conceptual e é claro que nao nasceram do nada, o computador vem do ábaco + transistor e a net de programas militares... No entanto a grande inovação só ocorre quando essas coisas passam a fazer parte do "património" cultural da sociedade.

Basicamente o que tu estás a dizer é que a grande inovação é criar um modelo de negócio para chegar às massas tendo por base a tecnologia que os outros inventaram mas não usaram.

Se formos pelo impacto que causa na sociedade, então há que reconhecer que o Apple perde de goleada para a Microsoft...
Nao foi isso que disse. A inovação que foi a ressonancia magnética por exemplo, mereceu inclusivamente o Nobel e tecnicamente mais não foi que o culminar de décadas de avanços tecnológicos nos quais estiveram envolvidos milhares e milhares de pessoas e empresas. No entanto foi um conjunto de 2 ou 3 pessoas que tiveram a genialidade de "acabar o produto", perceber a sua importância no contexto médico e através da sua difusão influenciar a medicina a nível mundial.
Nao foi isso que disse. A inovação que foi a ressonancia magnética por exemplo, mereceu inclusivamente o Nobel e tecnicamente mais não foi que o culminar de décadas de avanços tecnológicos nos quais estiveram envolvidos milhares e milhares de pessoas e empresas. No entanto foi um conjunto de 2 ou 3 pessoas que tiveram a genialidade de "acabar o produto", perceber a sua importância no contexto médico e através da sua difusão influenciar a medicina a nível mundial.

O que é certo é que esta discussão vai longa e até agora não houve nada que justificasse nada o conceito de "inovação tecnológica ímpar", aquilo que de mais próximo tem disso é o multi-touch. Parece-me relativamente curto para tamanha publicidade de inovação tecnológica.

A Apple foi provavelmente a empresa tecnológica com mais cuidado ao nível da estética, design. Tem bons SOs (ou não fosse Unix...) nas suas máquinas e soube  montar bem o  modelo de negócio. No marketing é fortíssima!
Também não falei em inovação tecnológica, isto hoje parece estar difícil. ;D E o Mac OS não é Linux, descende simplesmente do Unix (através da empresa NeXT de Jobs antes de regressar à Apple).
Nao foi isso que disse. A inovação que foi a ressonancia magnética por exemplo, mereceu inclusivamente o Nobel e tecnicamente mais não foi que o culminar de décadas de avanços tecnológicos nos quais estiveram envolvidos milhares e milhares de pessoas e empresas. No entanto foi um conjunto de 2 ou 3 pessoas que tiveram a genialidade de "acabar o produto", perceber a sua importância no contexto médico e através da sua difusão influenciar a medicina a nível mundial.

O que é certo é que esta discussão vai longa e até agora não houve nada que justificasse nada o conceito de "inovação tecnológica ímpar", aquilo que de mais próximo tem disso é o multi-touch. Parece-me relativamente curto para tamanha publicidade de inovação tecnológica.

A Apple foi provavelmente a empresa tecnológica com mais cuidado ao nível da estética, design. Tem bons SOs (ou não fosse Unix...) nas suas máquinas e soube  montar bem o  modelo de negócio. No marketing é fortíssima!

Vou-te dar um exemplo que acaba por ser ilustrativo sobre aquilo que o Paracelsus estava a dizer: a noção de inconsciente freudiano. Não há qualquer dúvidas que, quer concordemos com eles ou não, Freud e Marx foram as duas personalidades que mais influenciaram o mundo no século XX. Contudo Freud não inventou o inconsciente: Freud pegou nas teorias de Hartmann, Schopenhauer e Breuer para criar um "produto" final que servisse a humanidade.

O mesmo se passou com Steve Jobs. Pegou no interface da Xerox e numa série de outras inovações tecnológicas e criou produtos sólidos que serviram (e continuarão a servir) a humanidade. E isto é inovação, não no sentido técnico mas antes conceptual, no sentido de criar conceitos materiais que mudam hábitos e transformam a humanidade em algo melhor (como o Paracelsus referiu).

Digamos que existe tanta inovação em quem inventa uma nova tecnologia como em quem faz a síntese entre várias para criar um produto. São ambas formas de criação humana, embora sejam diferentes entre si.
"The one thing that doesn't abide by majority rule is a person's conscience." - Harper Lee
Em principio vou comprar o 4GS por 149,- daqui a um mês.


por esse preço? onde?
«O Sporting não é um meio para chegar a outro lado, nunca quis sair.É altura de ensinar os jovens da academia que o Sporting é o topo»
Rui Pedro dos Santos Patrício
Nao foi isso que disse. A inovação que foi a ressonancia magnética por exemplo, mereceu inclusivamente o Nobel e tecnicamente mais não foi que o culminar de décadas de avanços tecnológicos nos quais estiveram envolvidos milhares e milhares de pessoas e empresas. No entanto foi um conjunto de 2 ou 3 pessoas que tiveram a genialidade de "acabar o produto", perceber a sua importância no contexto médico e através da sua difusão influenciar a medicina a nível mundial.

O que é certo é que esta discussão vai longa e até agora não houve nada que justificasse nada o conceito de "inovação tecnológica ímpar", aquilo que de mais próximo tem disso é o multi-touch. Parece-me relativamente curto para tamanha publicidade de inovação tecnológica.

A Apple foi provavelmente a empresa tecnológica com mais cuidado ao nível da estética, design. Tem bons SOs (ou não fosse Unix...) nas suas máquinas e soube  montar bem o  modelo de negócio. No marketing é fortíssima!

Vou-te dar um exemplo que acaba por ser ilustrativo sobre aquilo que o Paracelsus estava a dizer: a noção de inconsciente freudiano. Não há qualquer dúvidas que, quer concordemos com eles ou não, Freud e Marx foram as duas personalidades que mais influenciaram o mundo no século XX. Contudo Freud não inventou o inconsciente: Freud pegou nas teorias de Hartmann, Schopenhauer e Breuer para criar um "produto" final que servisse a humanidade.

O mesmo se passou com Steve Jobs. Pegou no interface da Xerox e numa série de outras inovações tecnológicas e criou produtos sólidos que serviram (e continuarão a servir) a humanidade. E isto é inovação, não no sentido técnico mas antes conceptual, no sentido de criar conceitos materiais que mudam hábitos e transformam a humanidade em algo melhor (como o Paracelsus referiu).

Digamos que existe tanta inovação em quem inventa uma nova tecnologia como em quem faz a síntese entre várias para criar um produto. São ambas formas de criação humana, embora sejam diferentes entre si.

Em relação ao primeiro sublinhado, nada a dizer. É justamente o que eu tenho dito. Souberam criar um produto com base na tecnologia já existente, tornando-o apelativo num mercado de grande concorrência.

Em relação ao segundo, também concordo mas aí é que começa a minha aversão ao endeusamento que se fez à Apple. É que à custa disso que referes tende-se a confundir inovação comercial com inovação tecnológica, como se a Apple fosse o ar, a terra, água e fogo da tecnologia. Nada tenho contra a Apple, eles souberam criar o seu produto e fazer dele apelativo. Mas é apenas e somente isso. Um produto de sucesso do momento.
Em relação ao primeiro sublinhado, nada a dizer. É justamente o que eu tenho dito. Souberam criar um produto com base na tecnologia já existente, tornando-o apelativo num mercado de grande concorrência.

Em relação ao segundo, também concordo mas aí é que começa a minha aversão ao endeusamento que se fez à Apple. É que à custa disso que referes tende-se a confundir inovação comercial com inovação tecnológica, como se a Apple fosse o ar, a terra, água e fogo da tecnologia. Nada tenho contra a Apple, eles souberam criar o seu produto e fazer dele apelativo. Mas é apenas e somente isso. Um produto de sucesso do momento.

 :arrow:

Concordo em absoluto com o que escreves-te.
A Apple tem o mérito de criar produtos no momento certo, com boa aparência, usabilidade e com marketing brutal.

Todas estas ideias não são novas nem exclusivas da Apple. Ninguêm pense que nunca passou pela cabeça de outros CEO's construir um tablet, alias existiram vários tablets antes do iPad. No entanto todos esses produtos eram ahead of the time. Hoje em dia temos acesso a tecnológia cada vez mais potente, pequena e com menor custo. Para além disso, a Apple sabe convencer as pessoas que elas precisam mesmo daquilo. Ainda gostava de ver uma Compaq convercer as pessoas que precisam de ter um tijolo (na altura eram monstros) para o dia a dia...

A apple soube juntar as peças e ver a oportunidade de negócio no momento exacto. É claro que o estatuto que a Apple alcançou ao longo dos tempos ( muito por causa das guerrinhas com a Microsoft) deu um boost à coisa e tornou um simples tablet em algo do momento e desejado por todos. Mas tudo isto aconteceu pelo enquadramento da Apple no mercado, tenho quase a certeza que se a Samsung lançasse o galaxy tab primeiro que o iPad não teria sucesso.
Nah, este ano não mudo, vou manter o 4. Da keynote o que mais me entusiasmou foi o iOS e o iCloud...venham eles!!!! :beer: