«Como o taoísmo explica o Sporting e o Benfica» ou a filosofia de ponta

0 Membros e 2 Visitantes estão a ver este tópico.

Ontem às 10:19
Partilho aqui a mensagem enviada ao senhor Sérgio Pereira, Taoista do Mais Futebol a propósito desta prosa inacreditável:
«Como o taoísmo explica o Sporting e o Benfica»
que pode ser lida aqui:
http://www.maisfutebol.iol.pt/box-to-box/falar-de-bola/como-o-taoismo-explica-o-sporting-e-o-benfica

maisfutebol@iol.pt

Caro Sérgio Pereira
Foi com alguma estupefação e indignação que li hoje o seu texto publicado no sitio Mais Futebol e onde se propõe a explicar a dicotomia Sporting Benfica à luz do Taoismo. Avançou desta forma para um desafio simplista mas ainda assim arrojado. Excessivamente arrojado para si e não vou discutir consigo os princípios do taoismo e ainda menos as dicotomias emic e ética que explica o pensamento humano e que antropólogos como Marvin Harris, Levy Strauss ou o linguista Ferdinand Saussurre tão bem explicaram.
A sua prosa rapidamente derrapa para um lamaçal de disparates e atrocidades que não pode ficar sem resposta.
1.   Justificar o mérito do campeão com um suposto demérito do rival, desta feita o Sporting é redundante, obtuso e ofensivo para o clube que pretensamente pretende defender, mas quem nada atenta contra o clube que pretende ofender.
2.   O «líder discreto que raramente fala» é na realidade um líder com um passado obscuro e pouco transparente que ainda há duas épocas atrás acusava árbitros de errarem intencionalmente contra o Benfica, escudando-se atrás de um treinador ao seu nível. Bronco e analfabeto. Um líder que sai em defesa da sua instituição, apontando os erros e denunciando compadrios e injustiças só fala mal na perspetiva de quem se alimenta do sistema. Em outro contexto, desta feita político, um partido da oposição pré 25 de Abril de 1974 seria um perigoso grupo de subversivos. Quanto a falar mal discordo, na medida em que todos percebemos o que diz, fala e comunica com clareza, conjuga verbos e não recorre ao niilismo ortográfico para se exprimir. Só por esse motivo o Sérgio consegue formular um juízo de valor relativamente ao discurso.
3.   O Benfica é realmente um clube sincronizado com os seus adeptos. Quando estes atiram tochas aos adeptos rivais, não pede desculpa e quando estes assaltam, vandalizam e roubam ele assume o pagamento dos prejuízos. UM perfeito exemplo de sincronia. Eu roubo tu pagas, mais um exemplo perfeito do «yin e o yang» que tão bem encaixa no seu raciocínio.
4.   Afirma que o Sporting está em guerra com tudo e com todos e até consigo próprio, tronando-se mais instável do que a bolsa de valores. É natural que assim conclua quando se faz jornalismo a partir da secretária ou simplesmente se procura tapar o sol com a peneira e branquear os incidentes do passado fim de semana. No clube em guerra os adeptos apoiam a equipa do princípio ao fim em todos os jogos. Nos bem e nos mal jogados, ainda que os segundos nos deixem profundamente insatisfeitos. Por outro lado o clube instável pôr ordem no caos financeiro e, falando em bolsa de valores, as obrigações que colocou no mercado não foram suficientes para a procura dos investidores ávidos de instabilidade e insegurança.
5.   Urge igualmente desfazer o mito da continuidade e unamidade jesusiana. Na realidade o Benfica não aprendeu com os erros e ainda no passado fim de semana esteve quase a tropeçar, não fosse o inesperado manto protector tripeiro. A continuidade de Jesus após a perda de dois campeonatos quase ganhos, e por isso perdidos por inércia, sobranceria e incompetência do mister que agora endeusa, resulta essencialmente de dois factores. O Custo elevado da indemnização e de não haver na europa nenhum clube que pague pelo filólogo terrorista o que o clube da águia está disposto a pagar.
6.   As teorias de Lao Tze são substituídas pela má fé quando contrapõe a qualidade dos olheiros do Benfica sustentados em capitais do BES, angolanos e obscuros fundos de investimento ao trabalho de formação realizado pelo Sporting nos últimos quarenta anos, e que lhe permite ter uma equipa titular com múltiplos jogadores da sua formação, portugueses. Sem o Sporting já não haveria selecção nacional.
7.   Despeço-me com palavras suas: «Afinal de contas o taoísmo tem dois mil e quinhentos anos: já vem do tempo em que os persas arruinaram a Babilónia». O Sporting tem mais de cem anos e tem sobrevivido circunstâncias em que muitos clubes pereceriam e já vem do tempo em que os treinadores ainda falavam portugueses e os jornalistas desportivos não citavam Lao Tze.  Bons tempos.

Atentamente
MBombarda
*** Ontem às 11:41
O Maisfutebol recentemente tornou-se num dos exemplos mais claros de controlo lampião e anti-Sporting que se tem visto nos últimos tempos nos vários orgãos de comunicação. Todas as noticias que dão do Sporting se tiverem oportunidade, seja no título e/ou conteúdo, há uma tentativa de diminuir ou achincalhar, os artigos de opinião idem. Exemplo, ainda há uns tempos cada golo ou assistência que o José Correia marcava nos juniores do Inter era destaque durante uma semana, só mesmo para tentar colar a imagem que os talentos fogem do Sporting.
**** Ontem às 14:16
Há um ano que não passo os olhos nos desportivos e respectivos sites e pelos vistos não estou a perder nada. Bem respondido, no entanto. O RGS está a criar uma legião de seguidores.
Com 19 anos apenas chegou a Lisboa a 26 de Junho de 1937 e não assinou logo contrato. Deu apenas a sua palavra de honra em como jogaria no Sporting sem ter sequer discutido questões monetárias. Apesar de abordado por um clube do norte, pensa-se serem os corruptos, e também pelos lampiões, oferecendo-lhe melhores condições, Peyroteo não aceitou pois estava verbalmente comprometido com o Sporting.

NEM QUE FOSSE O RONALDO! - bdc

* Ontem às 16:09
Grande texto  :clap:
**** Ontem às 16:19
Texto normal vindo de um jornalista burro, incompetente e lampião numa altura em que o Benfica está na mó de cima.

Agora convêm varrer para debaixo do tapete e esquecer as vezes que pediram a cabeça de JJ, que enumeravam erros da actual direcção, desde os sérvios ao excessivo dinheiro gasto para os poucos títulos. Com jornalistas assim, não dá para argumentar.

Bom texto de resposta
****** Ontem às 16:23
Esplendido. Pena que estes direitos de resposta não sejam publicados. Quem tem cu, tem medo.

Estamos a falar de um clube que, desde o início do milénio, sem taças da liga, tem tantos ou menso títulos que nós. Típico fanfarrão.
O Sporting é o Clube de Portugal.

Há os que exigem;
Há os que reclamam;
Há os que teclam;
E há os que dão: http://www.forumscp.com/index.php?topic=59703.40
****** Ontem às 18:35
Esse artigo do maisfutebol foi realmente a coisa mais estúpida que li toda a semana, e olhem que tenho andado a acompanhar as escritas do Tico e do Teco ali no tópico do treinador.


"If players are patient enough we can develop the team into one of the biggest in the world." - Jürgen Klopp