Preparação da época 2016/2017

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Não somos uma mercearia, somos um clube. As contratações são feitas tendo em vista o rendimento desportivo e os titulos.

Portanto sim, o Sarr foi um erro, assim como o Sacko, ou o Slavchev, ou o Rabia, Geraldes, Heldon, Jug, Cisse, Barcos, Rosell, Vitor, Magrão...etc etc. Independentemente do que gastamos.

Merecíamos uma melhor gestão nesta pasta e acredito que lá vamos chegar com a experiência acumulada. Fizemos neste período óptimas contratações também, Ruiz, Coates, Dost, Paulo Oliveira, Slimani, Montero. Mas o saldo é negativo claro.

É subjectivo que o saldo tenha sido negativo.

Porque há neste momento e não falo desta época que qualquer análise vai ser precoce em termos de rentabilização desportiva e financeira, um saldo claramente positivo a nivel financeiro entre compras e vendas.

Porque o Sporting cresceu competitivamente também à conta de várias contratações.

Se se fez dinheiro e se diminuiu o fosso para os rivais que gastam consistentemente mais, estão aqui se calhar as métricas mais objectivas na análise desta matéria.

Lá está, eu foco-me no rendimento desportivo. E esses nomes que apontei não acrescentaram nada desportivamente...quando são muitos mais os que não acrescentam dos que acrescentam o Saldo é negativo. :inde:

O aumento competitivo surge pela melhoria nos treinadores, num óptimo aproveitamento da formação e das elogiadas contratações que constituíram o mais valia. Coates, Slimani, Montero, Dost, Ruiz...de facto acrescentaram à equipa e elogio essas contratações. O problema sãos as dezenas de jogadores contratados pelo meio que não vieram fazer absolutamente nada aqui.

Mas acredito que vamos lá chegar com o tempo, a Direcção precisa de acumular experiência seja nas pessoas de quem se rodeia seja na filtragem dos perfis. E já que não podemos acelerar o processo contratando um Director Desportivo capaz (O Octávio Machado é tudo menos isso) por causa do treinador, terá que ser o tempo e a experiência acumulada a ajudar. Temos melhorado em alguns aspectos, as melhorias financeiras também ajudam.

Já temos um esqueleto interessante entre contratados e formação-Rui Patricio, Semedo, Coates, William, Adrien, Gelson, Ruiz, Dost. É gerir bem os tempos das saídas e ir adicionando a\renovando esta base.

Repara. Eu não discordo que há um longo caminho a percorrer nesta matéria. Que passa até pela melhor rentabilização de recursos internos, que embora sendo outra questão, está directamente relacionada com o trabalho do Sporting no mercado. Como passa, a meu ver e lá está a questão dos recursos internos, pelo excesso de contratações no mercado.

O que eu digo e olhando por exemplo para a primeira época e com o tempo decorrido após a mesma, que permitiu maturar e rentabilizar alguns dos jogadores, é que se olharmos para a tal taxa de acerto que falas, esta será negativa.

Mas quem trouxe, com 4,5M, jogadores como Slimani, Montero que renderam 40M e 81 golos e até Jefferson ( que não foi vendido por 6 ou 7 porque o Sporting não quis ) e Mauricio, titular e que rendeu 3M quando custara poucas centenas de milhares e salta de um 7º para um 2º gastando metade em custos com o pessoal, parece-me algo irrelevante a questão do empréstimo de Weldinho ou o contrato de 1 ano do Magrão.

Aliás, o trabalho do Sporting no mercado nessa época, em termos de rentabilização dos activos a nível financeiro e também desportivamente, com regresso à Champions vários anos depois, foi brilhante. Com 4,5M ( ! ) fizeram-se, a seu tempo, 43M.

Nesta matéria, apesar das fortes limitações orçamentais a nível de salários, foi no segundo ano que encontro mais motivos para criticas. 15M em jogadores na sua grande maioria muito jovens e vindos de campeonatos periféricos, que não resultaram, ou por uma questão de erro de casting ou até de gestão do clube.

De resto e já o tinha dito. Há também uma questão de perspectiva. Piris, por exemplo, veio por um ano. Não foi titular mas foi um bom backup, que fazia 2 posições e com excepção de um jogo na Luz, cumpriu. Foi uma aposta falhada? a meu ver, não.


É tão irrelevante que...nem deviam ter vindo. :mrgreen: E aqui entra como bem apontas a questão do aproveitamento interno, que mesmo assim acho que tem um saldo mais do que positivo. Slavchev, Rabia, Jug, Sarr, Sacko, Vitor, Geraldes, Heldon, Cisse...sei lá, a lista não terminaria, é que me levam para o tal saldo negativo. É muito jogador que não veio fazer absolutamente nada, não só tínhamos igual como tínhamos bem melhor dentro dos recursos internos.

Óbvio que há imenso a ser elogiado, a contratação, desenvolvimento, aproveitamento desportivo e depois financeiro do Slimani é de excelência. E está em muito relacionado com a capacidade de escolha do treinador, nesse aspecto temos feito um excelente trabalho.

Com o tempo não tenho duvidas que este trabalho se vai aprimorar, que a direcção vai perceber cada vez mais da coisa. A aposta e "construção" de um William, Adrien, João Mário, Gelson, Semedo, o elevar do patamar do Rui Patricio. A capacidade na escolha do treinador, Jardim foi uma aposta fenomenal e perfeitamente adequada às necessidades do clube, a capacidade e postura negocial. Um jogador como o João Mário sai por 45, já não sai por 10\15, um William, Gelson, Adrien, Semedo...a saírem será sempre por valores dentro dessa lógica. Há muita coisa a elogiar, de tal forma que é quase absurdo no meio desta competência ver opções de mercado como aquelas que referi. Mas as indicações são claras, vai melhorar, vai aprimorar com a experiência.

Uma pena não podermos fazer uma transição mais rápida, mas são as condicionantes naturais de ter um treinador como o Jesus.
As coisas melhoraram mas, há 12 anos, pelo menos, que o Sporting compra demasiado, em detrimento da sua própria formação. Olhando para trás é fácil acertarmos, mas a pior coisa que o Sporting fez no mercado desde então foi não ter substituído Bento por Jesus em 2008, deixando-o ir para Braga. Imaginem como estaríamos. Mas houve outros erros crassos durante esse período: desde não termos feito o impossível para ficarmos com Quaresma aquando do seu primeiro regresso a PT aos croquettes terem permitido ao Judas montinho ir para os corruptos andrades em vez de o porem a render fora daqui (isto num clube onde tinha havido um caso como o de futre) há que demolir o mito que reza que nunca dispensamos gente útil: se Pepe foi um caso claro de dinheiro (e perdido, como está o mercado nacional há décadas), rombos como os de Dier, Bruma e Ilori TÊM mesmo de acabar e nunca deveriam ter acontecido enquanto jogadores como Beto, Carriço, Fonte e Varela foram a meu ver mal aproveitados pelo Sporting e alguns deles acabaram por reforçar adversários nossos. Isto continua a aplicar-se, agora a Wilson Eduardo, que foi parar inexplicavelmente a Braga e era mil vezes preferível ao traidor do perú para completar o plantel. Já foi melhor no caso de A. Martins, mas eu temo pelo possível desperdício de Mané e de Medeiros. Prefiro qualquer um dos dois a um Markovic ou a um A. Ruiz na época que vem, nem que seja para serem suplentes utilizados e portanto, valorizados. As políticas de empréstimos e dispensas do Sporting TEM de ser permanentemente melhorada, sendo que estes últimos TêM de gerar dinheiro - tudo isto para comprar menos e ainda melhores jogadores estrangeiros.
Quanto ao que aí vem no Natal: Esgaio e Matheus BEM emprestados em PT, Jefferson e Elias para a China, regressos de Jonathan Silva e de Teo Gutiérrez (com o empréstimo de A. Ruiz ao Rosário Central).  :twisted:
(No fim da época, J. Pereira, Douglas e Petrovic parecem-me as dispensas mais prováveis)   
« Última modificação: Novembro 29, 2016, 20:16 pm por Antão Bordoada »
... thoughts strung together, so dreadfully dull and plodding... like some glacially moving freight train of suck! My god. That's what must be like to be like him:

http://www.ionline.pt/conteudo/6071-jose-eduardo-bettencourt---o-catolico-da-alta-financa-que-sonhava-ser-presidente
Isto a mim faz me sempre alguma confusão porque se sei o estado em que está o meu clube,  quando este dá 7 milhões por um jogador,  na minha óptica é alguém para ser titular de caras,  render no imediato e não andar X meses a adaptar. se para justificar sequer a ida para o banco.
Depois há apostas que vejo mais como para compor plantel e ser uma clara opção para 2a linha.
claro que não se acerta todos mas com as carencias que há no 11, um lat esq e o 2o avançado (rendimento de alguém)  elevariam este Sporting a outro nível competitivo

Sent from my Redmi Note 3 using Tapatalk

Mas há alguém que contrata alguém por uma boa maquia de dinheiro para ir ao banco durante meses a fio?  :mrgreen:

Há coisas que consegues ponderar  mas nunca controlar por completo.


PS

Ontem fiz referência, no que respeita  aos primeiros 3 anos desta direcção, às mais valias financeiras resultantes no trabalho do mercado em igual período.

Nesse mesmo período, o Sporting cresceu em termos desportivos.

É essencialmente nessas 2 bases que faço a minha avaliação, porque caso a caso torna-se algo subjectivo e caem-se depois em alguns exageros.

Por exemplo, Piris veio por um ano num contexto de ausência de dinheiro e com excepção de um jogo na Luz, cumpriu e era alternativa para as 2 alas da defesa.

Foi uma contratação errada, porquê?

Maurício foi titular e importante no segundo lugar de Jardim e foi vendido por 4 ou 5 vezes o seu custo. Há dúvidas sobre o acerto da operação?

Podemos inclusivamente e apenas para vincar um ponto, considerar Wallyson uma contratação desta direcção ( em definitivo ). Alguém se sente confortável, por esta altura , em considerar o rapaz um flop?

Isto porque se fala em Paulista ou Gauld.

Quanto ao bold: mas se alguém olhou para o argentino em questão e deu aquela boa maquia achando que ele estaria preparado para jogar... Bem, isso é pior ainda, é uma falha gravíssima, seja do scouting ou do treinador.

Quanto ao resto do que disseste, e tens dito, concordo na generalidade. Mas vou continuar a bater na mesma tecla em que contratamos em demasiada quantidade. E isto tem acontecido de forma praticamente sistemática desde o Verão de 2013, em quase todas as aberturas de mercado. E temo que volte a acontecer em janeiro de 2017.


Estou de acordo relativamente ao excesso de contratações. Como diz o @Alexandre10 , se o acerto fosse maior provavelmente as pessoas não se queixavam, mas tal não deixaria de representar alguns problemas.

Por princípios de estabilidade , quer na composição dos planteis propriamente dita, quer em termos de cultura e identidade de um clube que tem ADN formador, que é isto que realmente nos diferencia, quando ainda lutamos com armas desiguais perante os rivais, a nível financeiro.

O Sporting não pode entrar numa lógica de entreposto. Assentámos a presente recuperação competitiva num núcleo com cultura e identidade do clube, temos que continuar a respeitar esses princípios.

Quanto a Alan Ruiz e os pressupostos da sua ( muito ) dispendiosa contratação.

Bastaram algumas visualizações de alguns resumos e vídeos para perceber a sua matriz de jogo, quando jogava na Argentina.  Jogador criativo e tecnicamente evoluído, com um excelente remate, mas que jogava de "cadeirinha".

Quanto a mim, o treinador do Sporting precisa urgentemente de alguma introspecção.  Já redefiniu exemplarmente o futebol de muitos jogadores, mas muitas vezes levou quase ou mais que uma época e um investimento de 8M, no Sporting, tem que ser num jogador com condições para afirmação imediata. E mesmo tendo essas condições, a coisa nunca é linear.
A haver mexidas em Janeiro (e sem contar com uma possível venda de um indiscutivel...seja Gelson...Adrien ou William...os mais apetecíveis)...como por exemplo a ser concretizada a saída de Elias...e as possíveis dispensas de Petrovic e Meli...fazia regressar o Palhinha e o Geraldes para os respectivos lugares...sem ir buscar ninguém ao mercado...

De resto só vejo algumas mexidas no miolo (pelo que já referia em relação ás situações de Elias, Meli e Petrovic)...e na lateral esquerda...com a saída de um dos laterais seja o Jefferson ou o Marvin...com a entrada de alguem...que seja de facto para acrescentar qualidade...
SPORTING ATÉ MORRER
Precisamos de um lateral esquerdo, um segundo avançado e um 8
--------------------------------------------------------------------------------
Se ninguém aparecer com camiões de dinheiro para bater cláusulas, eu venderia somente Adrien Silva no fim da Taça das Confederações. Patrício, Semedo, Carvalho e Martins irão todos ao Mundial e podem muito bem ser convencidos a esperar até então...
@ Burton: J. Silva ( 3 ) e Wallyson ( 8 ) deveriam/poderiam regressar e quanto ao SA só se A. Ruiz ou Castaignos forem emprestados/transferidos - Gutiérrez para acabar a época, Mané para a próxima, defendo eu.
Além destes possíveis regressos, eu ficaria já com Coates e tentaria manter Campbell no fim da época.
As dispensas natalícias parecem-me mais relevantes: Jefferson e Elias parecem-me na calha para se irem embora, e Meli está aparentemente destinado a regressar ao Boca.
(J. Pereira, Petrovic e Castaignos também não deverão passar desta época; Schelotto e Douglas, idem, quanto a mim - já quanto a Markovic, isso é praticamente certo...)   

 
... thoughts strung together, so dreadfully dull and plodding... like some glacially moving freight train of suck! My god. That's what must be like to be like him:

http://www.ionline.pt/conteudo/6071-jose-eduardo-bettencourt---o-catolico-da-alta-financa-que-sonhava-ser-presidente
Para Janeiro :
Saídas                                  Entradas
Jefferson                              Insua
Melli                                     Geraldes 
Castaignos                           Podence
Para já, era isto.