E o essencial?

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.


Mais, muito mais do que um fundo de 50 ou 100 milhões, o que precisamos é de uma equipa de elementos competentes a gerir todo o edifício do futebol do Sporting.


No entanto,e relativamente a transferências, não concordo com este quote.O que o Sporting precisa é de dinheiro,a competência vem por acréscimo.
Quando o dinheiro chega antes da competência, normalmente traz com ele kmets e pongoles.
Como em tudo na vida, a competência é a base do sucesso. A não ser que confies na sorte, claro.

E como é que queres ir buscar Lisandros e Falcões só com competência?Pongolo foi um acto de desespero para enganar os adeptos,foi uma vez sem exemplo que essa quantia tão alta foi gasta num jogador,não vamos fazer dele regra geral


Não vamos entrar numa discussão sobre quem apareceu primeiro, o ovo ou a galinha.
Tens a tua opinião, eu tenho a minha. Mas, já que falas do Lisandro, eu devo lembrar-te por que é que ele não veio para o Sporting. Ele foi proposto pela MSI ao Sporting em 2004 e o Sporting tinha dinheiro para o trazer. Acontece que não quisemos esperar pelo final da época, altura em que o Lisandro estava disponível, e preferimos trazer o avançado Mota. Quando demos pelo erro, já o jogador estava a brilhar no porto.
Pois é, havia dinheiro e ainda assim não o trouxemos. Porquê? Incompetência.


Izmailov... tens vários jogadores comprados por nós a 3, 4 ME que não andam longe do custo de um Falcão... e se o tivéssemos ido buscar 1 ano antes, seria mais barato... o mesmo se aplica a outros. Competência é isto e isto gera dinheiro...

Já diz o ditado,para fazer dinheiro há que gastar dinheiro  ;D

3,4 milhões são trocos hoje em dia.Muito dificilmente conseguirás fazer alguma coisa com isso.Mas se reparares:

Matías - 3.5 milhões,admito que valia o risco e,se funcionasse íamos conseguir um belo jogador.Infelizmente confirma-se que o futebol europeu não é para ele.Bom golpe mas tivemos azar.

Izmailov - 4/5 milhões grande jogador,belíssimo negócio.Mais uma vez,tivemos azar porque se não fossem as lesões íamos fazer um bom dinheiro com ele.

Vukcevic - 2.5 mais um grande jogador que tem tido azar com os treinadores.Se ganhasse juízo,e se houvesse alguém que o fizesse jogar o que sabe tínhamos aqui mais um excelente negócio

2 excelentes jogadores que podiam gerar bastante lucro e sucesso desportivo no Sporting e outro que valia a pena o risco.

Depois tens Postigas,Pongolos,Maniches...

Eu diria que para o pouquíssimo que o Sporting gasta até nem está mal.Se em vez de 3 ou 4 milhões gastares 10 ou 11 as probabilidades de "encontrares" um jogador melhor aumentam muito e as possibilidades de o vender pelo dobro também.No fundo tudo vai ter ao que o Paulo Bento disse numa entrevista.O Sporting até pode ter 50 jogadores de qualidade referenciados,o problema é o dinheiro para os ir buscar.

Lucho,Cardozo,Di Maria,Lisandro,Hulk,Quaresma,simãoSídnei tudo bons negócios e tudo jogadores caros para o Sporting.

Mais, muito mais do que um fundo de 50 ou 100 milhões, o que precisamos é de uma equipa de elementos competentes a gerir todo o edifício do futebol do Sporting.


No entanto,e relativamente a transferências, não concordo com este quote.O que o Sporting precisa é de dinheiro,a competência vem por acréscimo.
Quando o dinheiro chega antes da competência, normalmente traz com ele kmets e pongoles.
Como em tudo na vida, a competência é a base do sucesso. A não ser que confies na sorte, claro.

E como é que queres ir buscar Lisandros e Falcões só com competência?Pongolo foi um acto de desespero para enganar os adeptos,foi uma vez sem exemplo que essa quantia tão alta foi gasta num jogador,não vamos fazer dele regra geral


Não vamos entrar numa discussão sobre quem apareceu primeiro, o ovo ou a galinha.
Tens a tua opinião, eu tenho a minha. Mas, já que falas do Lisandro, eu devo lembrar-te por que é que ele não veio para o Sporting. Ele foi proposto pela MSI ao Sporting em 2004 e o Sporting tinha dinheiro para o trazer. Acontece que não quisemos esperar pelo final da época, altura em que o Lisandro estava disponível, e preferimos trazer o avançado Mota. Quando demos pelo erro, já o jogador estava a brilhar no porto.
Pois é, havia dinheiro e ainda assim não o trouxemos. Porquê? Incompetência.




Eu também te posso lembrar que o Sporting tinha o German Denis e o Cardozo (acho que era ele) referenciados e só não os foi buscar porque não tinha dinheiro  ;D

Em vez desses dois vieram o Postiga e o Caicedo ou o caraças  :wall:
Os argumentos não são por si indissociáveis...

... o Sporting precisa de competência antes de dinheiro, mas se quer atalhar caminho e aumentar exponencialmente as probabilidades de recuperar o domínio do futebol português então precisa de competência com dinheiro. É aqui que os 50 M€ entram, nas mãos certas (competentes) podem representar o ponto de viragem.

Infelizmente, numas eleições é muito difícil avaliar se A ou B serão competentes quando estiverem no desempenho das suas funções (excluo dos potenciais candidatos quem lá está ou esteve e mostrou sempre incompetência, esses já sabemos que os 50 M€ são atirar pérolas a porcos), pelo que muitas vezes não temos alternativa que não seja a de nos deixarmos guiar pelo instinto. E em caso de "empate técnico" e grande indecisão, escolher sempre o que traz mais dinheiro. :mrgreen:
Post mt fixe :) é de leões assim que nós precisamos :)
Saudações Leoninas
Saudações Leoninas,
TVR
Este texto dá muito que pensar, por vezes ganham-se jogos.. fora dos relvados . E mesmo assim não é para todos, mas sim para quem sabe como o fazer.

Muito bom texto  :clap:
Muito bom post, Barbicane.
.
SEM COMPETENCIA(e ratice), nem Abramoviches faziam milagres. Teve que ter olhinhos para busvar gajos conhecedores.
.
Mas convém juntar ao sal a pimenta: os milhões que nas mãos COMPETENTES resultarão.
É a simbiose dos 2 que efectivamente dará frutos.
.
Por isso interessa saber QUEM, no terreno, aplicará a massa.
QUERO    UM   SPORTING
CREDÍVEL  -  LIMPO  -  AMBICIOSO
Eu estive a ler este tópico e a ler por alto o tópico ao lado sobre se queríamos uma espécie de pinto da costa como presidente do clube...  E ao lê-los fico com a impressão que para nós o problema são sempre os outros. Tal como fazemos demasiadas alegações sobre assuntos que não sabemos e apenas se especula sem ter qualquer tipo de informação válida.

É o Jardel que foi aliciado pelo veiga.
É o Lisandro que era para vir e veio o Mota.
É o Kleber que não vem por causa do porto.
É o Montinho que foi aliciado pelo mesmo pinto da costa.

Já pensaram sobretudo que a competência, ou falta dela, está sim nos nossos dirigentes e na maneira como abordam o futebol?
Queremos nós um pinto da costa no nosso clube? Então andamos anos a lutar contra o sistema, a fazer luto ao futebol e agora queremos um sistema do mesmo género?

Falar que era para vir o Lisandro, e veio o Mota, é muito fácil passados não sei quantos anos... Também o Paulo Bento disse numa entrevista, que andamos atrás do Cardozo... O que eu sei, é que no final da época anterior a essa vendemos o Quaresma em saldos e tivemos que vender o Cristiano Ronaldo aos 17 anos, porque tínhamos empréstimos a expirar nessa data.

(...)

Por isso o que eu tenho a dizer em relação ao texto do autor do tópico, tudo isso que falas é muito bonito. Dirigentes competentes, exigir vitórias, saber lidar com adversários, gerir relações com outros clubes, ter as pessoas certas nos lugares certos... É tudo de facto muito bonito, mas no papel, porque na prática...

O problema do Sporting é falta de dinheiro.
O Sporting tem um problema que já começa a ser crónico, não tem dinheiro. Sem ele, não conseguimos competir com portos, benficas, quem for, pelo concurso de ninguém. Seja para a transferência, seja para os salários.
Tudo o resto são puras ilusões, que só servem para nos afastar do nosso principal problema. Um clube como o Sporting tem que se adaptar à nova realidade de Portugal e do próprio Sporting.. E já andamos à 10 anos assim, à espera do nosso D. Sebastião que retire o clube dos incompetentes que tem tido....
Podem criticar-me, mas ele não vai vir... Temos sim que trabalhar mais e melhor com aquilo que temos, ter mais força de vontade que os outros, exigir mais de nós próprios que os outros, acreditar mais no nosso clube que os outros e aí sim podemos bater os outros.

Como já dizia o Darwin "Num mundo em constante mudança, não são os mais fortes e mais inteligentes que sobrevivem. São os mais adaptáveis à mudança."
A arbitragem de hoje vem servir de exemplo prático daquilo que é realmente ESSENCIAL e que nos falta há muito tempo como explicou muito bem o Barbicane no post que deu inicio a este tópico, sei que já começo a não ter idade para me sentir tão incomodado com estas situações, mas apesar de reconhecer obviamente que a equipa não está bem, a arbitragem de hoje revoltou-me, principalmente porque era algo que eu já esperava deste personagem, a maneira como ele foi conduzindo o jogo de forma provocatória e o sentimento de impotência que eu sinto da parte dos dirigentes para alterar este tipo de situação...é que no fim do jogo...tive vontade de chorar...


Por isso o que eu tenho a dizer em relação ao texto do autor do tópico, tudo isso que falas é muito bonito. Dirigentes competentes, exigir vitórias, saber lidar com adversários, gerir relações com outros clubes, ter as pessoas certas nos lugares certos... É tudo de facto muito bonito, mas no papel, porque na prática...

O problema do Sporting é falta de dinheiro.
O Sporting tem um problema que já começa a ser crónico, não tem dinheiro. Sem ele, não conseguimos competir com portos, benficas, quem for, pelo concurso de ninguém. Seja para a transferência, seja para os salários.


É claro que as armas que temos são de menor calibre. É claro que a falta de dinheiro ( convém saber o porquê desta falta de dinheiro que até 2002, 2003, as diferenças de investimento com os rivais eram residuais ) é um problema... portanto não se pode gastar cerca de 6M em 2 laterais esquerdos de qualidade duvidosa ( 6 ME... todos os laterais do benfica e porto não custaram isto )... não se pode gastar 6,5M num Pongolle... não se pode gastar 1M por ano com um Maniche... não se pode contratar um Timo para 3º GR... etc..., etc... aceito um patamar competitivo inferior ao dos rivais, não aceito 23 pontos de atraso em pouco mais de meio campeonato, 26 no anterior...
Muito bom texto, mas a parte do porto não posso concordar. Não gostava de ver o meu Sporting a "trabalhar debaixo da mesa".
O porto é o que é hoje graças a muita corrupção ao longo dos últimos 30 anos!! Quem eram eles antes disto??
Agora uma coisa é inegável: fez o que tinha de ser feito para quebrar o jejum e ainda tem o mérito de ter querido trazer o Mourinho, nós (foi mais o Dias da Cunha) é que não quisemos.

Nós, mas quem é nós? Um pequeno grupo a gritar numa pequena sala durante uma conferência de imprensa? Não me façam rir! O Dias da Cunha, sim, acredito.
Pois é. Uma vez mais, o post com que abri este tópico se confirma.
Ontem ganhámos num campo muito difícil, mas, uma vez mais, os árbitros insistem em tratar-nos sem o mínimo respeito.
Porque será que tenho a certeza que se o Javi Garcia tivesse uma entrada semelhante à do Rinaudo nenhum árbitro português lhe mostrava o vermelho directo?
É nestas pequenas coisas que se vê como vai ser difícil - senão impossível - ganhar um título nacional, perante este desequilíbrio de forças.
Fica a ideia de que se outros precisarem de ajudas extra, estas não lhes faltarão.
Pois é. Uma vez mais, o post com que abri este tópico se confirma.
Ontem ganhámos num campo muito difícil, mas, uma vez mais, os árbitros insistem em tratar-nos sem o mínimo respeito.
Porque será que tenho a certeza que se o Javi Garcia tivesse uma entrada semelhante à do Rinaudo nenhum árbitro português lhe mostrava o vermelho directo?
É nestas pequenas coisas que se vê como vai ser difícil - senão impossível - ganhar um título nacional, perante este desequilíbrio de forças.
Fica a ideia de que se outros precisarem de ajudas extra, estas não lhes faltarão.
:arrow:
A ideia que é certeza aboluta ó Barbicane.
Vermelhos destes temos o exclusivo. :wall: :wall: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Só os  outros se podem dar ao luxo de ter trincos, por exº mais viris ou mesmo caceteiros encartados: Petits, Paulinhos Santos, Bynias, Davids Luises, Brutus Alves Jorges Costas, Andreses, Joões Pintos, Bobós, etc. etc. a terem sido jogadores nossos (cruzes canhoto), nunca chegavam a ir a lado nenhum, pois teriam que se castrar, sob pena de irradiação.
« Última modificação: Outubro 03, 2011, 18:24 pm por JAAQ »
QUERO    UM   SPORTING
CREDÍVEL  -  LIMPO  -  AMBICIOSO
É por isso que eu digo que esta época para nós vai ser como corrermos uma maratona mas com obstáculos...
Assim, de repente, apeteceu-me remexer neste tópico outra vez.
Houve quem visse no meu texto inicial uma ideia, segundo a qual só se fizéssemos as coisas "à fc porto" é que nos safávamos.
Nada mais errado, pelo menos no que respeita a algumas sacanagens, como frutarias e coisas do género.
Ainda assim,de vez em quando, aparecem coisas que ajudam a explicar tanta vitória azul, nas últimas décadas.
A última foi esta entrevista ao Danilo, em que o jogador diz o seguinte:

«Derrota do Benfica na final da Liga Europa? Como adversário, fiquei contente sim. É uma coisa de rival, e nós torcemos a favor do Chelsea. Foi uma desconcentração grande da defesa do Benfica nos minutos finais, que com o FC Porto dificilmente aconteceria, até pela raça das pessoas daqui e da cobrança que temos»

Mais uma vez, surge a mesma coisa: os jogadores do porto torcem, como qualquer adepto, pela derrota dos seus rivais, mesmo quando o que está em causa são competições internacionais.
O porto ganha alguma coisa com isto? Bom, com isto, a resposta é: não.
Agora, tudo o que isto significa de certeza que vale muito mais do que parece.
Alguém imagina o trabalho que os gajos fazem para fazer os jogadores pensarem e agirem como adeptos?
Fica a pergunta: será coincidência que estas coisas só se passem com os gajos lá de cima? E, se não for, será que é à conta desta cultura que eles ganham o que ganham?
A minha resposta é simples: não só, mas também.
A cultura de vitória depende de uma enorme adição de pormenores; este é um deles.

P.S. : e, já agora, não resisto a uma provocação, um pouco em resposta a alguns posts deste tópico. Competência Vs. Dinheiro? Competência, por favor. Se não, compare-se os custos/desempenho entre esta e a época passada.
Assim, de repente, apeteceu-me remexer neste tópico outra vez.
Houve quem visse no meu texto inicial uma ideia, segundo a qual só se fizéssemos as coisas "à fc porto" é que nos safávamos.
Nada mais errado, pelo menos no que respeita a algumas sacanagens, como frutarias e coisas do género.
Ainda assim,de vez em quando, aparecem coisas que ajudam a explicar tanta vitória azul, nas últimas décadas.
A última foi esta entrevista ao Danilo, em que o jogador diz o seguinte:

«Derrota do Benfica na final da Liga Europa? Como adversário, fiquei contente sim. É uma coisa de rival, e nós torcemos a favor do Chelsea. Foi uma desconcentração grande da defesa do Benfica nos minutos finais, que com o FC Porto dificilmente aconteceria, até pela raça das pessoas daqui e da cobrança que temos»

Mais uma vez, surge a mesma coisa: os jogadores do porto torcem, como qualquer adepto, pela derrota dos seus rivais, mesmo quando o que está em causa são competições internacionais.
O porto ganha alguma coisa com isto? Bom, com isto, a resposta é: não.
Agora, tudo o que isto significa de certeza que vale muito mais do que parece.
Alguém imagina o trabalho que os gajos fazem para fazer os jogadores pensarem e agirem como adeptos?
Fica a pergunta: será coincidência que estas coisas só se passem com os gajos lá de cima? E, se não for, será que é à conta desta cultura que eles ganham o que ganham?
A minha resposta é simples: não só, mas também.
A cultura de vitória depende de uma enorme adição de pormenores; este é um deles.

P.S. : e, já agora, não resisto a uma provocação, um pouco em resposta a alguns posts deste tópico. Competência Vs. Dinheiro? Competência, por favor. Se não, compare-se os custos/desempenho entre esta e a época passada.


Se me permites, concordo com quase tudo...e só não é tudo porque não acho que torcer contra um rival seja um pormenor...é fundamental! E o contrário é contra-natura...

Já agora, competência claro.